EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DO TRABALHO DA VARA DE SALVADOR ± BAHIA.

Antonio Silva, brasileiro, solteiro, capaz, inscrito no CPF/MF sob o nº 001.002.003-04, CTPS série A, nº 0001, residente e domiciliado na Rua Sampaio Moreira, nº 10, Bairro Aclamação, Salvador ± BA, filho de Maria Silva, inscrito no PIS sob o nº 122.002.0076, por seus procuradores adiante firmados, advogados com escritório profissional na Rua das Nações, nº 13, Salvador-BA, onde recebem intimações e notificações, conforme instrumento de mandato anexo (doc. 01), vem, perante Vossa Excelência, propor a presente RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

em face de Segura Transporte de Valores Ltda., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 0001.0002/0001-50, estabelecida na Av. Mário Gomes, 28, Bairro da Pituba, Salvador-BA. Código de atividade 10, pelos fatos e fundamentos a seguir expostos: 1. REQUERIMENTOS PRELIMINARES 1.1. Inicialmente requer os benefícios da gratuidade de justiça, consoante dispõe o § 3º do art. 790 da CLT, haja vista não poder demandar contra sua ex-empregadora sem prejuízo do sustento próprio e da sua família. Salientando que se encontra desempregado, até o presente momento. Fazendo tal declaração ciente dos termos da lei. 1.2. É legitima a interposição da presente demanda, por força do parágrafo 3º do art. 625 da lei 9958/00, em virtude do fato de que, até a presente data, não foi instituída Comissão de Conciliação Prévia, seja no âmbito da Reclamada ou do Sindicato da Categoria Profissional do Reclamante, motivo pelo qual deixou-se de observar o comando insculpido no artigo 625 ± D da CLT, Lei 9958/00. 2. DOS FATOS

FUNÇÃO. na função de Vigilante de Carro Forte. inobservando-se. quando a alegação da dispensa motivada toma como parâmetro o acidente que o vitimou. DO DANO MORAL Evidentemente. conforme CAT anexa (doc. o prazo estabelecido no § 6º do Art. 2.3. em 05/01/2009. pelo fato de ter se envolvido em acidente de trabalho.2. Em conseqüência do acidente o funcionário foi encaminhado para Previdência Social.00 (seiscentos Reais). como último e maior salário mensal. quando ao abaixar para apanhar o seu almoço que estava no interior do carro forte. primeiro pelo acidente que o vitimou e depois com a atitude desumana da empresa que o dispensou sem direito as verbas rescisórias. 477 da CLT. 04). tem causado . DISPENSA ARBITRÁRIA O Reclamante foi dispensado de forma injusta. após a alta médica. Sendo certo que a dispensa sob a alegação de justa causa. tendo em vista não ser concebível que o empregado que sofre acidente do trabalho. a quantia de R$ 600. em conseqüência da alta médica. 2. seja dispensado sob a infundada alegação de justa causa. a atitude da reclamada deve ser repreendida por esta Justiça Especializada. desleal e arbitraria.2. que ao retornar ao emprego após ter sido vítima de acidente do trabalho é dispensado de forma abrupta e sem direito às verbas rescisórias e saque do FGTS com 40%. a empresa reclamada ao invés de lhe dar o apoio necessário o dispensou sob a alegação de justo motivo em razão do acidente ocorrido. Pode-se imaginar a dor e amargura de um pai de família como o vindicante. Quando do seu retorno do INSS. ocorrido em 23/03/2009 às 12h30. conforme relatório médico e boletim de ocorrência policial anexos (doc. sob a alegação de JUSTA CAUSA. 02 e 03). ferindo-o levemente na perna direita. SALÁRIO E DISPENSA O Reclamante foi admitido. Observa-se que o reclamante foi duplamente penalizado. sem pagamento das verbas rescisórias a que faz jus. quando deveria lhe dar amparo. ainda mais. dentre outras verbas. destarte. a arma que portava caiu do coldre e disparou. Tendo sido despedido imotivadamente e sem pré-aviso em 06/05/2009. ficando incapacitado para o trabalho durante 40 dias. percebendo.1 ADMISSÃO. emitida pelo empregador. em 04/05/2009. com o competente registro na CTPS.

há de se perguntar: será que é justo que mais uma família venha a passar fome neste país de tanta desigualdade social? Por certo que as respostas às indagações formuladas se dará na forma de condenação da reclamada a reparar o dano moral infligido ao Obreiro. requer a Vossa Excelência que se digne a comunicar os fatos aos órgãos competentes. nos moldes do art. que garante ao empregado que sofre acidente do trabalho.4. 2. 3. o Reclamante sempre prestou serviços em horários extraordinários. DA EXPEDIÇÃO DE OFÍCIOS Em virtude da prática de infrações às normas de proteção ao trabalhador. aos sábados laborava das 08:00 às 13:00 horas. sob pena de pagamento de todos os direitos trabalhistas referente ao período estabilitário. aluguel. após a cessação do auxílio-doença acidentário. da CLT. que as jornadas de trabalho constantes nos cartões de ponto não correspondem à realidade. tem feito com que o vidicante e sua família estejam a passar necessidades alimentares. escola do seu filho menor. todas as contas estão atrasadas. uma vez que a Reclamada só permitia as marcações e registros das horas normais. DA ESTABILIDADE PROVISÓRIA Há ainda que se argumentar que o reclamante quando da dispensa gozava de estabilidade provisória no emprego em face do que prevê o artigo 118 da Lei 8. a permanência no emprego pelo prazo mínimo de doze meses. Assim. para apuração das infrações. com apenas uma hora de intervalo para almoço e.sem intervalo.213/91.consolidado. a exemplo de energia elétrica (a qual está na iminência de sofrer interrupção no fornecimento). DOS PEDIDOS . Vale enfatizar. Assim. 2.8. DA JORNADA DE TRABALHO . porquanto laborava de Segunda à Sexta-feira das 08:00 horas às 20:00 horas. Vale salientar. 653 .5. que o fato de ser dispensado sem pagamento das verbas rescisórias.profundo abalo psíquico ao vidicante. Destacando-se que a reclamada nunca efetuou o pagamento das horas extraordinárias. sem a inclusão das horas extras. tudo conforme atestam os documento anexos. uma vez que além de não receber o que lhe é devido ainda passou a ser motivo de chacota entre os ex-colegas de tabalho. a dispensa foi arbitrária e deverá ser o vindicante reintegrado ao emprego. bem assim. 2.HORAS EXTRAS: Desde a sua admissão.

8 .4 . nos termos do § 8º do art. com o adicional de 50%.Ex positis.ou indenização equivalente. 3. sua integração ao salário e reflexo nas parcelas de: férias com 1/3.Horas extras. 4. acrescidas do terço constitucional.1.1. 4. multa de 40 % sobre o FGTS.00 (sessenta mil reais). repouso semanal remunerado e FGTS com 40%. requer a procedência da presente ação e a condenação da reclamada. ou não querendo atender aos pedidos constantes dos itens 3.2 . contados a partir da data da dispensa.1.5 ± Liberação do FGTS com multa de 40%. férias com 1/3. FGTS. 4. .Indenize ao reclamante os 12 (doze) meses referentes à estabilidade. 13º salário. 13º salário. com o conseqüente pagamento das diferenças que daí se originam.7.Indenização por danos morais a ser arbitrada por Vossa Excelência em quantia não inferior a R$ 60. 4.000.1 a 3. média de horas extras e RSR.1. RSR. 477 da CLT.2 pagamento da verba referente às horas extras não pagas.Férias proporcionais. alternativamente.1. com a repercussão das horas extras habitualmente prestadas.2 requer. e que a Reclamada seja condenada a pagar ao Reclamante os seguintes títulos.1 . imputado-lhe as seguintes obrigações: 3. Anulação da dispensa motivada com a consequente reintegração do Reclamante às suas funções e condenar a reclamada a pagar as seguintes verbas: 3. repouso semanal remunerado e depósitos fundiários. 13º salário. 4. com o conseqüente pagamento das diferenças que daí se originam. com acréscimo de 50%. 4. 4. Salários vencidos a partir da data da dispensa ± 06/05/09 e vincendos até a efetiva reintegração. 4.6.Multa de uma remuneração face ao atraso e não pagamento das verbas rescisórias. sua integração ao salário e reflexo nas parcelas de: aviso-prévio.Aviso prévio com integração ao tempo de serviço.3 ± 13º salário proporcional. Não sendo possível. a anulação da dispensa motivada. com juros e correção monetária: 4. devidamente acrescidos de férias com 50%.

. querendo.. conteste.10... . sob pena de revelia e confissão quanto à matéria fática. Protesta provar o alegado por todos os meios em direito admitidos.Requer. depoimento pessoal do representante legal da Reclamada. oitiva de testemunhas. a presente reclamatória. se necessários. na pessoa de seu representante legal. na primeira audiência. conforme determina o artigo 467 da CLT. Dá-se à causa o valor R$ 100.. de de 2008. perícia. ainda. para que..Honorários Advocatícios de 20% sobre o valor da condenação.. 4. Termos em que.000..00 (cem mil reais). 4... Salvador. especialmente...M.. de ordem fiscal. requer que Vossa Excelência se digne determinar a Notificação da Reclamada. Juízo compareça à audiência de Conciliação e Julgamento e.. sob pena de pagá-las acrescidas de 50%. juntada de outros documentos e outros meios de prova...4. para apuração das infrações cometidas pela Reclamada. no dia e hora designados por esse M.. Pede Deferimento.. ________________________ OAB/BA .. Ante ao exposto.11.. sob pena de confesso.9. que seja determinada expedição de oficio ao INSS e a DRT.Pagamento das verbas rescisórias incontroversas.