Cinco dicas práticas para a produção acadêmica

http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2002/07/05/542836/cinc...

<

Cinco dicas práticas para a produção acadêmica
05/07/2002

Com o objetivo de facilitar a vida de quem está prestes a produzir seu trabalho acadêmico, a professora do Departamento de Psicologia da Universidade Presbeteriana Mackenzie, Maria Martha Hübner, escreveu o "Guia para Elaboração de Monografias e Projetos de Dissertação de Mestrado e Doutorado". Veja suas principais orientações: 1) Saiba onde você quer chegar Nunca comece uma dissertação ou uma tese sem ter absolutamente clara a questão que você gostaria de ver desvendada no seu trabalho. Geralmente os problemas aparecem quando não há uma pergunta a ser respondida e quando o tema é muito geral. Sem esta definição, não é possível nem ao menos começar uma busca bibliográfica. As perguntas não devem ser especulativas, do tipo "será que...?" ou futuristas "será que no futuro...?", pois a ciência trabalha na área do factual, não pode trabalhar com algo que ainda não aconteceu. Ela trabalha com a causa atual para tentar prever reações futuras. Por isso, este questionamento cabe somente no final do trabalho. Alguns modelos de perguntas que funcionam bem: Quais os fatores determinantes de...? Há relação entre.... e ...? Quais os efeitos de ..... sobre ...? Quais as características de ...? Quais as semelhanças (ou diferenças) ente ....? 2) Não desanime se você descobrir que sua pergunta já foi respondida ? muito comum, ao iniciar a busca bibliográfica, perceber que a questão já foi desenvolvida por outro pesquisador. Se isso acontecer, não desista. Na graduação e no mestrado não é preciso, necessariamente, estudar algo totalmente novo. A dica é procurar por um ponto dentro do mesmo assunto que possa ser acrescentado ou detalhado. 3) Organize suas referências bibliográficas desde o começo Simples, mas de extrema importância: vá fichando tudo aquilo que você ler. Você verá que esta postura lhe poupará muito trabalho no final. 4) Utilize a técnica do diagrama Muito usada pelo escritor norte-americano Ernest Hemingway, consiste em escrever num retângulo a pergunta principal e, no retângulo subseqüente, o que é preciso fazer e o que é preciso saber para responder esta pergunta. E assim sucessivamente, até se ter um esqueleto completo dos passos que serão precisos dar para chegar à reposta. O resultado é um grande índice, gerado por um raciocínio hierárquico. 5) Lembre-se: os fatos são o ar da Ciência e sem eles as teorias são meras especulações. Isso quer dizer que você não deve nunca escrever uma tese que seja somente uma análise crítica. Para saber mais: "Guia para Elaboração de Monografias e Projetos de Dissertação de Mestrado e Doutorado" Autora: Maria Martha Hübner Editora Mackenzie Onde encontrar: Livraria Mackenzie Tel. (0xx11) 3207- 7099 Preço médio: R$ 17,00 (valor de julho/2002) Trecho: "O autor de uma monografia deve iniciar seu argumento mostrando ao leitor as implicações sociais que o estudo do tema poderá ter,ou ainda, os benefícios para a população de uma discussão e/ou encaminhamento do assunto. Pode, assim, iniciar com uma revisão histórica do tema, destacando a importância, para a sociedade, que o mesmo veio tendo no decorrer de um período de tempo. ? lógico que nessa revisão histórica ele pode fazer citações bibliograficas de autores e/ou estudos que fortaleçam o argumento de que um estudo como aquele que se pretende fazer é importante para a sociedade"

1 de 2

09/02/2012 09:51

.com.br/destaque/noticia/2002/07/05/542836/cinc.Cinco dicas práticas para a produção acadêmica http://noticias.universia. 2 de 2 09/02/2012 09:51 ..