You are on page 1of 34

Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal - PNCEBT

MENU:
Todos os produtos certificados pelo MAPA

MINAS GERAIS LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE

Central de Relacionamento 0800 61 1995 www. agricultura.gov.br

Informações sobre Certificação de Propriedades Livres e Monitoradas para Brucelose e Tuberculose
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

© 2010 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte. A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens desta obra é do autor. 1ª edição. 2010 Tiragem: 2.500 exemplares Elaboração, distribuição, informações: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Superintendência Federal de Agricultura Pecuária e Abastecimento em Minas Gerais Divisão de Defesa Agropecuária Serviço de Saúde Animal Coordenação da Brucelose e Tuberculose Animal Av. Raja Gabáglia, 245 – Cidade Jardim CEP: 30.380-103, Belo Horizonte –MG Tel.: (31) 3250-0416 Fax.: (31) 3250-0405 www.agricultura.gov.br e-mail: ssa-mg@agricultura.gov.br Central de Relacionamento: 0800 704 1995 Coordenação Editorial: Assessoria de Comunicação Social Equipe Técnica: Bárbara Rosa, Cristiane de Morais Alves, José Ricardo Lobo, Regina Carvalho. Impresso no Brasil / Printed in Brazil

Catalogação na Fonte Biblioteca Nacional de Agricultura – BINAGRI
Brasil. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Minas Gerais livre de brucelose e tuberculose : informações sobre certificação de propriedades livres e monitoradas para brucelose e tuberculose / Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Superintendência Federal de Agricultura Pecuária e Abastecimento em Minas Gerais. – Belo Horizonte : MAPA/ACS, 2010. 32 p. ISBN 978-85-7991-043-2 1. Saúde Pública. 3. Defesa Animal. 4. Tuberculose. 5. Brucelose 6. Certificação. I. Superintendência Federal de Agricultura Pecuária e Abastecimento em Minas Gerais. II. Título. AGRIS 4110; L73 CDU 351.77

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária

MINAS GERAIS LIVRE DE BRUCELOSE E TUBERCULOSE
Informações sobre Certificação de Propriedades Livres e Monitoradas para Brucelose e Tuberculose

MISSÃO MAPA
PROMOVER O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO EM BENEFÍCIO DA SOCIEDADE BRASILEIRA!

Belo Horizonte/MG 2010

doenças infecciosas comuns aos animais e ao homem assumem importância na saúde pública. Diante do impacto social e econômico negativo dessas doenças para a pecuária nacional e dos riscos diretos e indiretos à saúde do homem. Freqüentemente ocasionam abortos. Para o sucesso dessa luta é necessário obter índices de vacinação anual de bezerras de 3 a 8 meses contra brucelose acima de 80% e manter monitoramento periódico do rebanho pela realização de testes de diagnósticos para brucelose e tuberculose. Por serem zoonoses. Essa cartilha tem por objetivo conscientizar os pecuaristas sobre as vantagens da certificação de propriedades como livres ou monitoradas de acordo com as normas estabelecidas pelo PNCEBT e do grande valor sanitário que essa marca de qualidade agrega aos produtos da pecuária nacional. . Pecuária e Abastecimento-MAPA instituiu em 2001 o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal – PNCEBT com o objetivo de diminuir a prevalência e a incidência dessas enfermidades no rebanho bovino e bubalino. o Ministério da Agricultura.PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE E ERRADICAÇÃO DA BRUCELOSE E DA TUBERCULOSE ANIMAL (PNCEBT) A brucelose e a tuberculose são doenças que causam perdas econômicas na pecuária em praticamente todo o mundo. bezerros nascidos fracos ou mortos e queda na produção de leite. ou seja. Têm características crônicas e são de difícil eliminação do rebanho.

O que causa a Brucelose? A brucelose. Também pode acometer o homem e por isso é considerada uma zoonose. ovinos e eqüídeos causando prejuízos à saúde dos rebanhos e perdas econômicas. bubalinos. caprinos. é causada por uma bactéria de nome Brucella abortus. também conhecida como “aborto contagioso”. v . Quais espécies são afetadas pela Brucelose? Bovinos. suínos.

Os principais grupos de risco são aqueles que lidam diretamente com animais. tais como. a A principal fonte de infecção é a vaca prenhe. contaminada pela brucelose. parto e nos 20 dias pós-parto. E no homem? a O homem pode se contaminar ao ingerir leite cru e carne (não pasteurizados ou sem tratamento térmico) contaminados e alimentos feitos com esses produtos. queijo fresco. água e alimentos que. somente médicos veterinários (MV) cadastrados pelo serviço oficial ou pessoas treinadas por MV e sob sua responsabilidade podem vacinar. nestes casos. nata. ao serem ingeridos por animais sadios. tais como: manteiga. a A manipulação da vacina contra brucelose. requeijão. magarefes. A fêmea. produzida com bactéria viva. a O contato com o feto abortado. médicos veterinários e laboratoristas. contaminando pastagens. sendo. se contaminam. Por isso. por meio do contato do animal sadio com corrimentos. também pode contaminar o homem. considerada uma doença ocupacional. que deixa de abortar.Quais as vias e os meios de transmissão mais importantes da Brucelose? a A principal via de transmissão é a oral. tratadores. . por ocasião do aborto. fetos abortados e alimentos contaminados com esses materiais. continuará transmitindo a doença. placenta e corrimentos eliminados pela vaca após o parto ou o aborto é também uma importante via de transmissão. secreções.

sobrevivem a baixas temperaturas e são viáveis em solo seco contaminado por urina e fezes mais de 40 dias. . e mais de três semanas nas carcaças congeladas.101 102 VO VO 103 VO MV CURIOSIDADE As bactérias vivem mais de oito semanas no queijo fresco feito de leite cru.

e por isso. nos quais se destacam febre alta. Como prevenir o rebanho contra a Brucelose? a VACINAR as bezerras bovinas e bubalinas. retenção de placenta e problemas de fertilidade. Ocorre. comuns a outros processos bacterianos generalizados. Nos machos é a inflamação dos testículos que pode levar à esterilidade. com a vacina B19. entre 3 e 8 meses de idade. Importante lembrar que a maioria dos animais infectados não apresenta sintomas. aAdquirir somente animais provenientes de propriedades certificadas como livres de brucelose ou que apresentam dois resultados negativos aos testes de diagnóstico para essa doença. Quais os sintomas da brucelose nos animais? Nas fêmeas. também. É conhecida como “doenças das mil faces”. ou seja. com uma única dose. “febre de malta”. com intervalo de 30 a 60 dias entre testes. um dos principais sintomas é o aborto nos últimos três meses de gestação. dores musculares e articulares. . não há qualquer vacina eficaz e segura para o Homem. “febre ondulante” e “febre do mediterrâneo”. suores noturnos. E no homem? Na maioria das vezes provoca sintomas inespecíficos.IMPORTANTE Até o momento. a doença geralmente é confundida com gripe recorrente.

MAIS DICAS CONTRA A BRUCELOSE! a Não participe de eventos agropecuários SEM a fiscalização dos órgãos oficiais de defesa sanitária. no lado esquerdo face. Fêmeas destinadas ao registro genealógico estão dispensadas marcação. desde que seja utilizado modelo específico de atestado vacinação. a Proceda a desinfecção do ambiente logo após o parto. a Separe as fêmeas no período pré e pós-parto do restante do rebanho. Quem aplica a vacina? O médico veterinário (MV) cadastrado no Escritório Seccional do IMA ou vacinador sob a sua responsabilidade. 60 V. Como identificar as fêmeas vacinadas? As bezerras deverão ser marcadas a ferro candente com a letra acompanhada do algarismo final do ano da vacinação. da da de v 81 .

a Machos e fêmeas não vacinadas. a partir dos 8 meses de idade. Cadastre-se junto ao escritório do IMA mais próximo de sua propriedade. no mínimo. Somente os laboratórios credenciados realizam os testes confirmatórios (prova do 2 Mercaptoetanol -2-ME). Diagnóstico de Brucelose Quais testes podem ser feitos? Médicos veterinários habilitados (MVH) realizam os testes de rotina. a É obrigatória a comprovação da vacinação de bezerras. . Quais animais devem ser testados? a Fêmeas de idade igual ou superior a 24 meses. É proibida a vacinação de machos de qualquer idade e de fêmeas com idade superior a 8 meses. cuja colheita de sangue é realizada pelo MVH.Como comprovar a vacinação? Por atestado emitido pelo MV cadastrado responsável pela vacinação que deverá ser encaminhado pelo proprietário ao escritório do IMA onde a propriedade está cadastrada. desde que vacinadas com a B19 entre 3 e 8 meses. LEMBRE-SE a A vacinação com a B19 é tão importante que se tornou OBRIGATÓRIA em todo território nacional. uma vez por semestre. denominados Teste do Antígeno Acidificado Tamponado – AAT e Teste do Anel em Leite – TAL.

ovinos e eqüídeos causando prejuízos à saúde dos rebanhos e perdas econômicas. por meio da inalação de aerossóis contaminados. raça e idade.IMPORTANTE: a Animais castrados não precisam ser testados. Quais as vias de transmissão mais importantes da Tuberculose bovina? Principalmente pelo ar (via respiratória). caprinos. deverão ser retestadas no período de 30 a 60 dias após o parto. Quais espécies são afetadas pela Tuberculose? Bovinos. bubalinos. de um animal doente para outro sadio. aves. a Fêmeas submetidas a testes sorológicos. A doença propaga-se independente de sexo. Também pode acometer o homem e por isso é considerada uma zoonose. no intervalo de 15 dias antes e até 15 dias após o parto. . Quando o teste do anel do leite deve ser usado? É uma prova de grande valor quando usada no monitoramento de rebanhos leiteiros certificados como LIVRE de brucelose. TUBERCULOSE O que causa a Tuberculose bovina? A tuberculose é causada por uma bactéria de nome Mycobacterium bovis. suínos.

mamite e infertilidade são alguns sinais evidenciados. Em estágios mais avançados. falta de ar. cujos sintomas podem demorar a aparecer. da mesma forma que a brucelose. Algumas lesões internas na carcaça podem ser identificadas durante o abate do animal. emagrecimento.Quais os sintomas nos animais? Por ser uma doença crônica. tosse. 100 V5 . a maioria dos animais não apresentam sintomas e a disseminação ocorre antes mesmo do aparecimento dos sinais clínicos.

cervical comparativo (TCC) e da prega caudal (TPC). Quais testes podem ser feitos pelo médico veterinário habilitado? Os testes alérgicos: cervical simples (TCS). toda viagem eu rebanho é livre tenho que fazer exames de brucelose e tuberculose FAZENDA OLHO VIVO . ou que apresentam dois resultados negativos aos testes de diagnósticos com intervalo de 60 a 90 dias entre os testes. O TPC só pode ser realizado em gado de corte.Como prevenir a Tuberculose bovina? Adquirir somente animais provenientes de propriedades certificadas como livres da doença. Eu só faço uma vez por ano porque meu Ai ai. Porque o TCC é o mais usado? Por ser mais específico. elimina a necessidade de repetição do exame em caso de diagnóstico positivo.

Medida da espessura da dobra da pele em bovino submetido a teste de tuberculose realizada por medico veterinário habilitado pelo MAPA. machos e fêmeas. com idade igual ou acima de 6 semanas de idade.Quais animais devem ser testados? Todos os bovinos e bubalinos. .

Submeter todos os animais indicados pelo MAPA a testes periódicos para diagnóstico de brucelose e tuberculose. 2 .Vacinar todas as bezerras entre três e oito meses de idade com B19. 3 . . 4 . Quais os passos indispensáveis no processo de certificação? 1. Onde iniciar o processo? Solicitar formalmente junto ao escritório do IMA. onde a propriedade se encontra cadastrada.Quer certificar sua propriedade como Livre ou Monitorada para Brucelose e Tuberculose? A certificação é voluntária! Como iniciar o processo? É preciso primeiramente ter um médico veterinário habilitado (MVH) junto ao MAPA que se responsabilizará pelo saneamento da propriedade.Possuir médico veterinário habilitado (MVH) responsável pelo rebanho.Utilizar sistema de identificação individual dos animais.

conforme esquemas abaixo: Etapas de saneamento – Brucelose AAT ou 2-ME ou FC AAT ou 2-ME ou FC AAT ou 2-ME ou FC 90 .240 DIAS Acompanhamento oficial da colheita de sangue e teste realizado em Laborátorio Oficial Credenciado Livre AAT – Teste do Antígeno Acidificado Tamponado 2-ME – Teste do 2-Mercaptoetanol FC – Teste de Fixação de Complemento } Resultado Negativo em 100% dos animais .5) Obter três testes de rebanho NEGATIVOS CONSECUTIVOS (para certificação de LIVRE).120 DIAS 180 .

utilizar o TPC.240 DIAS Livre Acompanhamento oficial TCS: Teste Cervical Simples TCC: Teste Cervical Comparativo Obs: Os estabelecimentos de criação com rebanho de corte que optam pela certificação de livre de tuberculose podem.Etapas de saneamento – Tuberculose TCS ou TCC TCS ou TCC TCS ou TCC 90 . ainda. } Resultado Negativo em 100% dos animais .120 DIAS 180 .

Onde a certificação tem validade? Em todo o território nacional. é necessária a revalidação anual. 9 meses aproximadamente. os testes de tuberculose e a colheita de sangue. mediante apresentação de resultados negativos. deverão ser acompanhados por médico veterinário oficial e o teste de brucelose será realizado obrigatoriamente em laboratório oficial credenciado. 3) Os animais positivos deverão ser marcados com P no lado direito da face pelo MVH e eliminados com a supervisão do serviço oficial. 2) Qualquer resultado positivo para brucelose ou tuberculose deve ser imediatamente comunicado ao escritório do IMA pelo MVH. de 12 (doze) meses. Qual o tempo mínimo para uma propriedade obter o Certificado de Livre? É de 270 dias. .IMPORTANTE: 1) No terceiro teste negativo do rebanho. A certificação tem prazo de validade? Sim. ou seja. 4) A renovação da certificação é anual. portanto. Quem emite o documento de estabelecimento certificado? É o MAPA. juntamente com o serviço oficial de defesa sanitária animal do estado (IMA).

determina-se a suspensão temporária do certificado. Pode-se perder a Certificação de Livre? Sim.O rebanho pode ser certificado como Livre para Brucelose ou para Tuberculose separadamente? Sim. MVH . o saneamento deverá ser feito. Na eventualidade do diagnóstico positivo de animal durante os testes anuais para renovação ou confirmação de uma suspeita clínica. Para sanear o rebanho esse animal deve ser sacrificado. Porém. obrigatoriamente para ambas as doenças. O certificado poderá ser emitido separadamente para cada enfermidade. até que se alcance a certificação de estabelecimento de criação livre para brucelose e tuberculose.

2 Anualmente é examinada somente uma AMOSTRA dos reprodutores. 105 V8 106 104 V8 V8 .O que fazer para retornar a condição de Livre? Obter 2 (dois) testes de rebanho negativos. respeitando-se os intervalos estabelecidos pelo MAPA. O que muda na certificação do rebanho como monitorado para Brucelose e Tuberculose? 1 O rebanho deve ser exclusivamente de corte. machos e fêmeas acima de 24 meses. 3 A certificação de estabelecimento de criação monitorado será feita de modo obrigatório para brucelose e tuberculose simultaneamente.

para análise do problema. para propriedades livres. ou seja. .LEMBRE-SE a Se ocorrer diagnóstico positivo de animal durante os testes por amostragem ou de isolamento do agente da tuberculose bovina em lesões na inspeção durante o abate em frigorífico. livre ou monitorado. a Que o rebanho de origem tenha condição igual ou superior. Animais de propriedades que não estiverem sendo certificadas podem ser testados? Sim. todos os animais acima de 24 meses são submetidos aos testes de diagnóstico. respeitados os intervalos estabelecidos pelo MAPA. no mínimo. dois testes consecutivos NEGATIVOS para brucelose e tuberculose. ATENÇÃO Dúvidas específicas em relação à quarentena devem ser encaminhadas pelos MVH ao Serviço de Saúde Animal da Superintendência Federal de Agricultura de Minas Gerais – SSA/DDA/SFA-MG. que seja livre para brucelose e tuberculose. qualquer animal pode ser testado. sob inspeção oficial num prazo máximo de 30 dias. Qual a condiçâo para ingresso de animal em propriedade certificada ou em processo de certificação? a Que tenha. afastados da produção e isolados até serem SACRIFICADOS ou ABATIDOS. respeitando-se a faixa etária e desde que os POSITIVOS sejam marcados. Para propriedades monitoradas.

br. atuam como responsáveis pelo processo de saneamento das propriedades.Por que o MAPA habilita médicos veterinários? São os MVH que realizam os testes de diagnóstico de rotina para brucelose e tuberculose em bovinos e bubalinos e. também. LEMBRE-SE O nome desses profissionais pode ser encontrado nos ESEC´s/IMA ou no endereço eletrônico: www.gov. Seguir os seguintes passos: Animal/ Registros e Autorizações/ Habilitação de Médicos Veterinários. visando à certificação de LIVRE ou MONITORADA. .agricultura.

Devem ser marcados com a letra “P” no lado direito da face pelo médico veterinário habilitado pelo PNCEBT. no prazo de 30 dias. IMPORTANTE: Esses animais podem sair da propriedade apenas para o abate em frigorífico. Devem ser abatidos em estabelecimentos sob a inspeção oficial ou sacrificados na propriedade. com autorização do serviço oficial através da emissão de GTA constando à condição de positivos. Serem isolados do restante do rebanho e afastados da produção leiteira. sob o acompanhamento do serviço de defesa oficial. c. .O que se deve fazer com os animais positivos aos testes de exames de Brucelose e Tuberculose? a. b.

essa sequência deverá acontecer.Se o animal for positivo... FISCAL MAPA MATADOURO . MVH ATESTADO POSITIVO MVH Alternativa 1 Abate em frigorífico Alternativa 2 Sacrifício na propriedade B PO OV SI IN TI O VO GT A E haverá somente duas alternativas a escolher.

.ATENÇÃO: O pecuarista que encontrar dificuldade em abater animais positivos em matadouros com inspeção sanitária oficial deve contatar-se ao SSA/DDA/SFA-MG.

nem como alimento para qualquer espécie animal. segundo critérios estabelecidos pelo Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SIF). a carne NÃO deve ser aproveitada para consumo humano.O leite das fêmeas positivas pode ser aproveitado? Não. nem para alimentação de qualquer espécie animal. O leite não poderá ser usado nem para consumo humano. FISCAL MAPA CARNE PODE SER CONSUMIDA SÓ DEPOIS DE INSPECIONADA! . A carne de animais positivos pode ser consumida? A carne pode ter aproveitamento condicional. Se o animal for destruído na propriedade.

feiras. leilões e outras aglomerações de animais e de trânsito interestadual de animais destinados à reprodução.Quais as vantagens imediatas relacionadas com certificação de Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose? Animais procedentes de estabelecimento de criação livre de brucelose e tuberculose estão dispensados dos testes para essas enfermidades em caso de participação em exposições. COM ESTE CERTIFICADO VIAJO PARA QUALQUER LUGAR! CE RT IFIC AD O .

de origem e qualidade. sobretudo. semelhante. leite. aDiminuição dos riscos de transmissão para o Homem principalmente para aqueles mais expostos ao risco . que confiram credibilidade nacional e internacional e. . indivíduos que lidam com animais doentes e. aAumento da oferta de produtos pecuários in natura para exportação. aUtilização de marcas distintivas. sejam capazes de diferenciar os produtos como carne. crianças e doentes imunodeprimidos que são mais suscetíveis. idosos.técnicos de laboratório. de outro.Quais os benefícios econômicos e sociais relacionados com certificação de Propriedade Livre de Brucelose e Tuberculose? aDiminuição das perdas para a pecuária. ainda. trabalhadores da indústria de carne. mas não CERTIFICADO.

. de origem “certificada” e com SIF.Tem queijo minas artesanal certificado? Sim.

Produtos Artesanais Rebanho Certificado Livre . do aumento do lucro relacionado à melhoria de qualidade e identificação de origem dos produtos. além. de dificultar ocorrência de fraudes. de assegurar vínculos de consumo e respeito.Por que usar marcas distintivas na agropecuária? Pela possibilidade de abertura de novos mercados.

Existem exemplos de marcas distintivas usadas na Agropecuária Brasileira? Sim. Contamos com adesão de todos os pecuaristas e industriais do leite e da carne para que o reconhecimento destas marcas seja em breve uma exigência do consumidor em todo país. Existe marca distintiva para os rebanhos e produtos Livres de Brucelose e Tuberculose? A Superintendência Federal de Agricultura de Minas Gerais (SFA) está lançando nesta cartilha o selo de rebanho certificado para brucelose e tuberculose para o estado de Minas Gerais. . A mais reconhecida no Brasil e no mundo é a do SIF.

PRODUTOR LEMBRE-SE Você pode e deve fazer do leite e da carne produtos ainda mais saudáveis PI CA NH A .

bubalinos. equinos. Não . pedimos mais uma vez sua cooperação em responder e entregar (ou enviar) essa Pesquisa para o Esec-IMA ou SSA/SFA-MG onde sua propriedade é cadastrada. Sim b. ovinos e aves? a. Sim b. caprinos. Não 6) Que a comprovação da vacinação de bezerras contra brucelose deve ser. Não 5) Que a vacinação de bezerras de 3 a 8 meses de idade contra Brucelose é a principal forma de prevenção da doença? a. Sim b. acomete bovinos. suínos. caprinos e ovinos? a. Não 2) Que o microorganismo causador da Tuberculose bovina. no mínimo. bubalinos.PECUARISTA Para o MAPA é muito importante avaliar o nível de consciência do produtor de leite e carne sobre os riscos da Brucelose e Tuberculose bovina para o rebanho e para a saúde pública. semestral? a. Enquete – Você sabia: 1) Que o microorganismo causador da Brucelose acomete bovinos. Sim b. Sim b. Não 4) Que o Homem pode adquirir Brucelose ou Tuberculose pela ingestão de alimentos lácteos e da carne in natura contaminados com Brucella abortus ou Mycobacterium bovis? a. suínos. Sim b. Não 3) Que os microorganismos causadores da brucelose e tuberculose bovina podem infectar o homem e têm grande importância para a saúde pública? a. Por isso.

Não Destinatário: SSA-SFA . Sim b. Sim b. como o SIF e o PNCEBT. Não 8) Que a principal forma de prevenção e controle da tuberculose bovina é examinar todos os animais acima de seis semanas de idade e eliminar os positivos? a. Não 9) Que animais com resultados positivos para brucelose ou tuberculose devem ser marcados com “P”. Raja Gabaglia.br . 245 Prédio B CEP: 30380 103 Obs: Peça o questionário pelo endereço eletrônico: ssa-mg@agricultura. Sim b. Não 13) Você acredita que a utilização das logomarcas dos serviços de controle do MAPA. aumentam a credibilidade do consumidor na qualidade dos produtos agropecuários? a.MG/PNCEBT Av. Sim b.gov. Sim b. isolados e sacrificados no prazo máximo de 30 dias? a. Não 11) As informações da cartilha foram suficientes para sua compreensão sobre os fundamentos do PNCEBT? a. Sim b. Sim b. Não 12) Após a leitura da cartilha você se sente motivado a aderir ao processo de certificação de propriedade livre proposto pelo PNCEBT? a.7) Que não existe vacina contra a tuberculose bovina? a. Não 10) Você conhecia os fundamentos do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT) do MAPA antes de receber a cartilha? a.