You are on page 1of 139

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

ISEL
PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

2009-2010
MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

1

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Programa
– Projectos de edifícios
• Fases e intervenientes • Peças escritas e desenhadas

– Marcação de obras – Escavações, entivações e contenções periféricas
• Estacas e paredes moldadas • Paredes de Berlim • Pregagens e ancoragens

– Água em escavações – Execução de fundações
• • • • • • •
• Rebaixamento do nível freático • Ensecadeiras

Materiais Pegões Sapatas Estacas Reforço de fundações Estanquidade em caves Consolidação de solos
PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

MANUEL GAMBOA

2

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Programa
• • • •

– Execução de estruturas de betão armado
Armaduras Cofragens Prazos e custos Fabrico transporte e colocação do betão

– Paredes

– Pavimentos

• Materiais • Tipos de paredes e processos construtivos • Revestimentos • Estruturas de suporte • Betonilhas

– Coberturas planas e inclinadas

– Andaimes e bailéus

• Estruturas de suporte • Impermeabilização e drenagem • Revestimentos

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

3

isel.ipl.5 valores – Trabalho – 10 valores – Exame Final – 10 valores • Nota Final: – Contactos • E-mail NF = 60% x [(NT1+NT2)/2] + 40% x NTrab • Telefone – 912171417 – Apoio aos alunos • Sala C-1.6 – manuelgamboa@sapo.pt MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 4 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Avaliação de conhecimentos – Dois Testes+Um Trabalho ou Exame Final+Dois Trabalhos • Notas mínimas: – Testes – 8 valores : média dos testes > 9.pt – mgamboa@dec.

procedimentos e normas da elaboração e faseamento de projectos de obras públicas Ver também o Decreto-Lei n.º 18/2008 – Código dos Contratos Públicos – Intervenientes – – – – • Dono da Obra • Projectistas Autor ou Equipa do projecto Coordenador do projecto Revisor do projecto Coordenador de segurança e saúde em fase de projecto • Entidades Licenciadoras MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 5 .º 701-H/2008 Conteúdo obrigatório do programa e do projecto de execução.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos Portaria n.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Tipos de Projectos • Projecto – Projecto de Arquitectura e Projectos de Engenharia • Projecto de Ampliação – Ampliação da capacidade de utilização de uma construção existente • Projecto de Demolição – Total ou parcial destruição de uma construção existente • Projecto de Reabilitação – Repor ou melhorar as condições de funcionamento de uma construção existente • Projecto de Reforço – Conferir maior capacidade a uma construção existente • Projecto de Remodelação – Introduzir alterações ou mudança de utilização a uma construção existente • Projecto Variante – Alternativa total ou parcial a um projecto existente • Telas Finais – Conjunto de desenhos finais que traduzem o que foi efectivamente construído MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 6 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos – Sequência de execução – Programa preliminar – Fases do Projecto • Programa base – 10% • Estudo prévio – 20% • Anteprojecto ou Projecto Base – 20% • Projecto de execução (35%) e Assistência técnica (15%) Percentagens indicativas definidoras do peso de cada fase do projecto MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 7 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Programa Preliminar
– – – – Objectivos da obra Características gerais a satisfazer Localização Elementos topográficos, cartográficos, geotécnicos e levantamento dos condicionamentos existentes – Exigências de comportamento, funcionamento, exploração e conservação – Limites de custo – Prazos de execução do projecto e da obra

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

8

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Programa Base
– Esquema da obra – Critérios gerais de dimensionamento – Principais condicionamentos da ocupação
• Áreas de ocupação • Características topográficas, ambientais, térmicas e acústicas

– Peças escritas e desenhadas – Estimativas de custos – Descrição e justificação das exigências de comportamento, funcionamento, exploração e conservação – Informação sobre a necessidade de outros elementos
• Topográficos, geológicos ou hidrológicos • Modelos, ensaios, maquetas ou investigação

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

9

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Estudo Prévio
– – – – Memória descritiva e justificativa Plantas, alçados, cortes e perfis Dimensionamento aproximado Definição geral dos processos de construção, natureza dos materiais e equipamentos – Análise do desempenho térmico e da qualidade do ar interior e acústico – Proposta de revisão do Programa Base em função das alterações acordadas – Estimativa do custo da obra e do prazo de execução
MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

10

altimetria e dimensionamento • Identificação de locais técnicos – Peças escritas • Descrição e justificação das soluções • Descrição dos sistemas e processos de construção • Características técnicas e funcionais dos materiais.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Anteprojecto ou Projecto Base – Peças desenhadas • Planimetria. elementos da construção e equipamentos – Avaliação da quantidades de trabalho e mapas de medição – Estimativa de custo actualizada – Programa geral dos trabalhos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 11 .

elementos da construção.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projecto de execução – Memória descritiva e justificativa – – – – – Cálculos das diferentes partes da obra Medições Orçamento Peças desenhadas com pormenores Caderno de Encargos • Cláusulas Técnicas Gerais • Cláusulas Técnicas Especiais • Definição e descrição geral da obra – Fim a que se destina – Localização – Satisfação da exigências do programa base – Natureza e condições do terreno – Descrição das soluções adoptadas – Satisfação das disposições legais e regulamentares – Características dos materiais. instalações e equipamentos – Justificação técnico-económica MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 12 .

• Assistência Técnica DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL – Preparação do procedimento de formação do contrato – Prestação de esclarecimentos aos concorrentes • Na interpretação dos elementos patentes no concurso • Esclarecimento de dúvidas relativas ao projecto – Análise das propostas – Durante a execução da obra • Esclarecimento de dúvidas de interpretação • Informações sobre ambiguidades ou omissões do projecto • Apreciação de documentos de ordem técnica apresentados pelo empreiteiro ou dono da obra • Elaboração das telas finais − Assistência técnica especial • Apreciação da qualidade de equipamentos • Ensaios ligados à execução da obra. ou recepção MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 13 . à sua monitorização ou manutenção.

abastecimento e drenagem Eléctricos Comunicações Aquecimento. ventilação e ar condicionado Desempenho térmico e energético e qualidade do ar interior Gás Transporte de pessoas e cargas Segurança integrada Gestão técnica centralizada Condicionamento acústico PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES – Instalações equipamentos e sistemas 14 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos de edifícios – Arquitectura – Engenharia • • • • • • • • • • • • • MANUEL GAMBOA Escavação Contenção periférica Estrutura Redes de águas.

Escolas. tribunais. teatros • Categoria IV – Obras de concepção complexa ou excepcional MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 15 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos de edifícios – Categorias de obras • Categoria I – Obras de natureza simples – Pequenos armazéns • Categoria II – Obras de características correntes – Edifícios correntes • Categoria III – Obras com condicionantes que dificultam a concepção . hotéis.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos de edifícios .Categorias de obras MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 16 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Projectos – Cálculo dos honorários (nos termos da anterior legislação) • Em função da categoria e do valor estimado da obra MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 17 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Marcação da obra – Planimetria e altimetria • Apoio topográfico – Definição de alinhamentos – Estabelecimento de cotas altimétricas – Definição de eixos da estrutura – Materiais e ferramentas a usar • Estacas. tábuas de solho e barrotes • Níveis e mangueiras de nível • Pregos e fios – Estabelecimento do cangalho • Referência fixa das marcações – Nível de metro • Definição da cota – pavimentos – equipamentos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 18 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Marcação da obra .cangalho Local Geral MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 19 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Marcação da obra .cangalho x y MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 20 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Marcação da obra – nível de metro – Betonagem de lajes • Espessura do betão • Nivelamento da superfície – Nível de metro • Referência para as cotas altimétricas finais – Pavimentos – Portas e janelas – Equipamentos » Tomadas e interruptores » Autoclismos » Loiças sanitárias » Tomadas de água » Descargas de esgotos » Móveis de cozinha MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 21 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Marcação da obra – Aspectos importantes a considerar • • • • • • Área do lote (implantação) Cota de soleira e alinhamento Revestimentos e juntas de dilatação Infra-estruturas na vizinhança Dimensões interiores O apoio topográfico deve ser mais constante para obras com alinhamentos oblíquos ou com caves MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 22 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Características do solo • Terra – Rija – Branda • Rocha – Estado do solo • Seco ou húmido – Volume e profundidade – Meios a utilizar • Desmonte • Transporte – Segurança • Entivações • Contenções • Taludes MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 23 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Equipamentos correntes MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 24 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Fundações superficiais e valas ESCADA Epralima MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 25 .

sloping. braced. sheeting.60 m) shoring. em socalcos e com taludes Atender ao ângulo de talude do terreno e à deposição das terras afastadas da escavação (>0.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Fundações superficiais e valas Perfis de escavação de valas. sem entivação. benching MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 26 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 27 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 28 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações REGULAMENTO DE SEGURANÇA NO TRABALHO DA CONSTRUÇÃO CIVIL (valas com profundidade entre 1.00 m) MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 29 .20 e 3.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 30 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações metálicas Na escolha do modelo da entivação deve atender-se ao tipo de trabalho a executar e à mobilidade dos operários MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 31 .

00 m • Largura das valas de 0.20m de profundidade.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações com painéis pré-fabricadas • A partir de 1. até 4.50 m a 4.00 m Concretex Concretex MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 32 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações Steel sheet piling • Estacas prancha metálicas. de madeira ou plásticas – Cravadas por percussão ou vibração • Em caso de presença de nível freático a cortina deve garantir suficiente vedação às pressões hidrostáticas (ensecadeiras) – sheet pile cofferdam • As estacas prancha serão metálicas para profundidades superiores a 5 m Pranchas de PVC Pranchas metálicas com perfil de estanquidade MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 33 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações CED Hong Kong Pranchas de madeira escoradas CED Hong Kong MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES Plato 34 .

00m – Podem ser ancoradas ou escoradas Concretex MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES Concretex 35 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Entivações – estacas prancha metálicas – Profundidades superiores a 5.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Ensecadeira MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 36 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Ensecadeira MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 37 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Contenções periféricas • • • • Valorização dos terrenos nos centros urbanos Necessidade de estacionamentos Proximidade de outras construções ou infra-estruturas Segurança – Pessoas e bens – Principais soluções • Cortinas de estacas prancha • Estacas moldadas – Tangentes – Secantes – Espaçadas • Paredes moldadas • Paredes tipo Berlim – Variantes Munique. Coimbra e Lisboa • Betão projectado MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 38 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Tipo de contenção periférica em função das características do solo • Solo coerente ou incoerente • Nível freático • Proximidade de outras construções ou infra-estruturas • Tipo de máquinas – Área de manobra – Ruído e vibrações – Principais soluções • Contenções continuas ou descontinuas • Paredes mais ou menos permeáveis • Contenção executada antes ou depois da escavação • Máquinas pesadas ou ligeiras MANUEL GAMBOA – As paredes da contenção vão ser integradas na construção definitiva? PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 39 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL Outros ensaios de caracterização geotécnica • CPT – Cone Penetration Test • Ensaio de corte rotativo (molinete) • Ensaio pressiométrico .

Santos .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL Retirado de Jaime A.

400 Eurocódigo 7 – Projecto Geotécnico .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL VALORES INDICATIVOS DA TENSÃO DE ROTURA DO SOLO TERRENOS COERENTES Consistência Tensão de rotura (kPa) Muito branda < 30 Branda 30 .100 100 .200 200 .50 Média Dura Muito dura Rija > 400 50 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Cortinas de estacas prancha metálicas – sheet pile walls • • • • Solos incoerentes Presença de nível freático A escavação é executada após a contenção As estacas podem ser recuperadas MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 43 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Cortinas de estacas prancha – fases da execução MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 44 .

Contenções periféricas – Cortinas de estacas prancha – fases da execução MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 45 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Cortinas de estacas prancha – fases da execução MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 46 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações – Contenções periféricas • Paredes de estacas moldadas – bored piles wall – Tangentes – solos incoerentes. sem nível freático • Podem ser executados muros guia para orientar a execução TANGENTES SECANTES ESPAÇADAS MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 47 . com nível freático – Secantes . com nível freático – Espaçadas – solos coerentes.solos incoerentes.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações . para travamento – Para maiores alturas de escavação as estacas podem ser ancoradas » As ancoragens executam-se à medida que a escavação progride em profundidade MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 48 .Contenções periféricas – Paredes de estacas moldadas – Diâmetro das estacas até 1m – Deve ser executada uma viga de coroamento das cabeças das estacas.

Contenções periféricas – Paredes de estacas moldadas MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 49 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 50 .Contenções periféricas – Estacas moldadas tangentes – fases da execução 01 02 Land Transport Authority .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 51 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Estacas moldadas tangentes – fases da execução 03 04 Land Transport Authority .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 52 .Contenções periféricas – Estacas moldadas tangentes – fases da execução 05 06 Land Transport Authority .

Contenções periféricas – Estacas moldadas tangentes – sequência da execução Land Transport Authority .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 53 .

Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 54 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – fases da execução 02 01 Land Transport Authority .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – muro guia MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 55 .

Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – fases da execução 03 04 Land Transport Authority .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 56 .

Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 57 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – fases da execução 05 06 Land Transport Authority .

Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 58 .Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – fases da execução 07 08 Land Transport Authority .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Contenções periféricas – Estacas moldadas secantes – sequência da execução Land Transport Authority .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Singapore MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 59 .

Contenções periféricas – Paredes de microestacas .micropiles MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 60 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Paredes moldadas – diaphragm walls • • Qualquer tipo de solo com ou sem nível freático Execução faseada em painéis de 2 m 1 – EXECUÇÃO DOS MUROS GUIA 2 – ESCAVAÇÃO DOS PAINÉIS PRIMÁRIOS (suspensão bentonítica) 3 – COLOCAÇÃO DOS TUBOS JUNTA 4 – EXECUÇÃO DOS PAINÉIS PRIMÁRIOS (betão e armaduras) 5 – EXTRACÇÃO DOS TUBOS JUNTA 6 – ESCAVAÇÃO DOS PAINÉIS SECUNDÁRIOS 7 – EXECUÇÃO DOS PAINÉIS SECUNDÁRIOS BALDE DE MAXILAS MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 61 .

ª fase de escavação Escoramentos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 62 .Contenções periféricas – Paredes moldadas – Normalmente são ancoradas e escoradas nos cantos – As ancoragens e escoramentos são executados à medida que a escavação progride em profundidade – Estas paredes ficam a fazer parte integrante da estrutura definitiva Ancoragens 1.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Contenções periféricas • Paredes moldadas .Barretas – Terrenos cujas características de coesão melhoram em profundidade PAREDE MOLDADA PAREDE DE BETÃO MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 63 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas • Paredes moldadas – Barretas utilizadas como pilares da estrutura final MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 64 .

Contenções periféricas Freyssinet MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 65 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Contenções periféricas • Paredes moldadas – Equipamento – fresa hidráulica MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 66 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas • Paredes moldadas – fases da execução 02 01 MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 67 .

Contenções periféricas • Paredes moldadas – fases da execução 04 05 MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 68 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas • Paredes moldadas – sequência da execução MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 69 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações . projectado) » Metálicos – Normalmente são ancoradas MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 70 .5m em prof. betonado “in situ”. em profundidade e comprimento 0.5 a 3 m » Em furos executados com trado » Selados na base – Execução de viga de coroamento dos perfis – Execução da escavação » Por troços e faseadamente. entre os perfis verticais » Madeira (pranchas ou barrotes) » Betão (pré-fabricado.Contenções periféricas – Paredes tipo “Berlim” SOLDIER PILE WALLS – Perfis verticais incorporados no solo » Cravados Distanciados de 1. – Execução dos elementos de contenção.5 a 1. e na distância entre perfis em comp.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Paredes tipo “Berlim” – Solos coerentes. dependendo do método de execução – Parte da escavação é manual MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 71 . sem nível freático – As paredes são construídas faseadamente » Após execução da escavação » Em comprimento – painéis alternados (primários e secundários) » Em altura – de piso para piso – Podem causar assentamentos em edifícios vizinhos (deformação da parede/descompressão do solo) – Espaço para além da escavação para as ancoragens – A passagem de uma fase a outra é antecedida pela execução das ancoragens – Pode ser necessária a construção de uma segunda parede estrutural.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Paredes tipo “Berlim” – Variantes • Paredes de Berlim (ou de Berlim provisórias) – Perfis metálicos verticais – Cortina com elementos de madeira (pranchas ou barrotes) – Paredes de Hamburgo » Quando a parede definitiva de betão armado se executa afastada da parede de contenção » Permite a drenagem e impermeabilização da parede • Paredes de Munique (ou de Lisboa. ou de Berlim definitivas) – Perfis metálicos verticais – Cortina com paredes de betão armado executado “in situ” – Paredes de Coimbra – quando não incorporam o perfil vertical na sua espessura • Paredes de Paris – Estacas verticais de betão cravadas – Cortina com paredes de betão armado executado “in situ MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 72 .

Contenções periféricas – Parede tipo Berlim MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 73 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

D. . T. Jaworski.. W. MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 74 .Contenções periféricas – Parede tipo Berlim Lateral Support Systems and Underpinning – Golberg. Gordon.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações . E. M. D.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Parede tipo Berlim MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 75 .

Contenções periféricas – Parede tipo Munique – Perfis verticais » Perfis metálicos ( I ou H) » Micro estacas – As paredes são construídas faseadamente » Após execução da escavação » Em comprimento – painéis alternados (primários e secundários) » Em altura – de piso para piso – A passagem de uma fase a outra é antecedida pela execução das ancoragens MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 76 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Contenções periféricas – Parede tipo Munique – fases da execução de um painel » » » » Escavação Armaduras Cofragem Betonagem ARMADURAS DE AMARRAÇÃO MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 77 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Parede tipo Munique – Particularidades do processo – Perfil não integrado » Espaço para o trado – Empalmes de armaduras – Armaduras lajes – Morosidade de execução » » Faseamento Escavação manual – Equipamentos ligeiros » Para facilitar a saída – Menos vibrações – Retirar equipamentos – Desactivação das ancoragens MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 78 .

Contenções periféricas – Paredes tipo Munique .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Betonagem MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 79 .

Contenções periféricas – Paredes tipo Munique MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 80 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

Contenções periféricas – Ancoragem TIEBACK . ANCHORS •Ponteira metálica •Cabos revestidos com tubos de PVC •Tubos de injecção •Espaçadores para posicionamento dos cabos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 81 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 82 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções periféricas – Ancoragem Ponteira metálica Espaçador MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 83 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Escavações - Contenções periféricas
– Ancoragem

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

84

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Escavações - Contenções
– Pregagens – solos coesivos - shotcrete
• Execução faseada idêntica à das paredes tipo Berlim • Utilização de betão projectado • Estabilização de taludes

ESCAVAÇÃO ARMADURA PROJECÇÃO FURAÇÃO VARÃO INJECÇÃO SOLDADURA

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

85

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Execução de betão projectado

Keller
MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

86

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de betão projectado MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 87 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de betão projectado MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 88 .

Contenções • Poços – reabilitação de fundações – aproveitamento da largura do lote – Escavação manual MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 89 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Escavações .Contenções • Poços MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 90 .

drenaige − − − − − − Tipo do solo Hidrologia das águas subterrâneas Dimensões da escavação Métodos de escavação e contenção Das construções envolventes e tipo das suas fundações Prazos de execução MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 91 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – dewatering .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – dewatering .drenaige − Drenagens temporárias durante a execução da obra − Captação directa − Valas − Poços de chamada Captação unilateral Solo permeável − Captação vertical − Agulhas filtrantes − Um nível ou multinível − Electro-osmose − Poços − Drenagem profunda − Drenos de areia − Captação horizontal − Tubo dreno − Agulhas filtrantes MANUEL GAMBOA Captação bilateral Solo com estratos impermeáveis PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 92 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações TIPO DE DRENAGEM POÇOS DE CHAMADA E VALAS APLICAÇÃO CARACTERÍSTICAS AGULHAS FILTRANTES GRAVIDADE AGULHAS FILTRANTES VÁCUO POÇOS DRENOS VERTICAIS DE AREIA AGULHAS FILTRANTES ELECTRO-OSMOSE CORTINAS MANUEL GAMBOA Rebaixamento pouco significativo do Receber a água que aflui a uma escavação. Drenagem de solos permeáveis. Grandes escavações. Podem-se atingir rebaixamentos até 5m. A instalação do sistema é rápida Drenagem de solos pouco permeáveis A utilização do vácuo aumenta o (siltes e areias siltosas) gradiente hidráulico. Os poços conduzindo-a a um local de bombeamento de chamada só funcionam em solos ou para o exterior. (inferior a 1m). profundas e com caudais São colocados na periferia da escavação elevados Conduzir a água para estratos inferiores Evita a necessidade de utilização de cortinas mais permeáveis Diferença de potencial entre os Drenagem de solos de baixa eléctrodos aumenta o gradiente permeabilidade (siltes e argilas) hidráulico Minimizar ou evitar infiltrações em escavações abaixo de estratos Utilizam-se lamas bentoníticas impermeáveis PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 93 . granulares e areias ou rochas porosas É o método mais usado. em cada Drenagem de solos permeáveis nível de agulhas. nível freático.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 94 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações WJ GROUNDWATER LIMITED MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 95 .

60 a 1.Drenagem de águas superficiais • Espaço disponível para as valas e poços BOMBA POÇO DE CHAMADA VALA Largura de 0.20 m. Altura 1.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captação directa • Valas e poços .00 m Filtro para impedir o arrastamento dos finos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 96 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captação directa • Valas – Localizadas na base da cortina de estanquidade – Condução da água para poço de bombeamento NF Estacas prancha Estacas moldadas Parede moldada CORTINA VALA MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 97 .

Drenagem subterrânea por gravidade – Solos permeáveis nível freático inicial POÇOS • Ø de 15 a 60 cm • Afastamento de 10 a 50 m MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 98 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais • Poços .

Drenagem subterrânea por gravidade nível freático bomba submersível bomba submersível ESTRATO IMPERMEÁVEL MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 99 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais • Poços .

Agulhas filtrantes • Drenagem subterrânea – Solos pouco permeáveis » Agulha filtrante (tubo de ferro fundido ou PVC – Ø 40 a 50 mm) – Podem ser usados ejectores 1º nível de agulhas 2º nível de agulhas nível freático inicial Para estabelecer e ajudar o escoamento pode ser utilizado vácuo MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES Estrato impermeável 100 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .

Agulhas filtrantes Distância entre agulhas de 1 a 3 m MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 101 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais • Agulhas filtrantes – vários níveis de captação – maior profundidade da escavação e reabaixamento nível freático inicial Estrato impermeável MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 102 .

Agulhas filtrantes Solos pouco permeáveis Drenagem por vácuo MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 103 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .

Agulhas filtrantes • Electro-osmose MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 104 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .Agulhas filtrantes MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 105 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações verticais .Agulhas filtrantes Bradford Dewatering MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 106 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 107 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações – Captações horizontais • Tubos dreno – Drenagem em extensão – Outros métodos de drenagem •Congelação do solo •Jet grouting MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 108 .

drenagem de um só lado da escavação e com dreno vertical de areia Escavação a interceptar estrato de solo impermeável. drenagem bilateral MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 109 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem de escavações Fonte : QUÉBÉSEC INC. Solo permeável. drenagem de um só lado da escavação Solo com estrato impermeável.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração •Pavimentos e Paredes – Evitar a estagnação das águas – Evacuar a água do solo envolvente – Reduzir as pressões hidrostáticas •Materiais utilizados – Britas – Geotexteis (Mantas) – Tubagens MANTA DRENANTE •Filtro e dreno – Permeabilidade – Capacidade de escoamento TUBO DRENO 110 MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração .Pavimentos •Em contacto com o terreno – Rede de drenagem » Tubos polietileno corrugado perfurados » Tubos de betão poroso ou perfurados – Enrocamento e massame – Soluções não tradicionais » Elementos de polietileno » Elementos de poliestireno •Independente do terreno – Laje de betão maciça ou aligeirada – Água de infiltração – Paredes •Filtro de brita e dreno •Manta drenante e dreno MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 111 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração •Pavimentos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 112 .

inclinação dos troços Drenagem das águas de lavagem dos pavimentos Drenagem das águas de eventual combate a incêndios •Ensoleiramento geral TUBO DE QUEDA MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 113 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Pavimentos térreos •Cotas altimétricas das sapatas – – – – Curvas e inclinação dos tubos de queda Ligação ás caixas de inspecção .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Pavimentos térreos •Implantação dos drenos – Dependente da implantação e tipo das fundações MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 114 .

pedra grossa Dméd  15 cm » Massame – betão (300 kg cimento/m3) fracamente armado 0.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração •Pavimentos – Enrocamento e massame » Enrocamento .25 m ENROCAMENTO TERRENO COMPACTADO MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 115 .10 m MASSAME ISOLAMENTO TÉRMICO 0.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração •Pavimentos – soluções não tradicionais de drenagem e isolamento MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 116 .

telefones MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 117 . gás.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração e ascensão capilar •Pavimentos – Laje • Possibilidade de usar o espaço entre o terreno e a laje como zona técnica • Redes de águas residuais • Entradas de electricidade.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 118 .

Grês – Inclinação mínima de 0.DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração • Paredes periféricas enterradas . Polietileno .solução tradicional • Filtro – Materiais granulares seleccionados – Materiais de granulometria crescente no sentido do tubo dreno Dreno – Tubo perfurado •Betão .5 % – Ligação a caixas de visita no interior da construção • MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 119 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Drenagem da construção
– Água de infiltração •Paredes periféricas enterradas - solução não tradicional

• Filtro – Membrana de polietileno – HDPE – Revestimento de geotextil não tecido • Dreno – Tubo perfurado •Betão ; Polietileno ; Grês – Inclinação mínima de 0,5 % – Revestido com geotextil não tecido

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

120

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Drenagem da construção
•Paredes periféricas enterradas - solução não tradicional

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

121

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

ISEL

• Drenagem da construção
•Paredes periféricas enterradas - solução não tradicional

MANUEL GAMBOA

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES

122

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção •Paredes periféricas enterradas .solução não tradicional MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 123 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 124 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Água de infiltração •Paredes periféricas enterradas – Juntas estruturais JUNTAS WATER STOP PVC MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 125 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Drenagem da construção – Junta waterstop MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 126 .

vibração e acerto da superfície Este pavimento será o suporte para a betonilha de assentamento do revestimento final do piso MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 127 .DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de pavimentos – Edifícios de habitação •Compactação do terreno – Pequenos cilindros – Placas compactadoras •Colocação da camada de enrocamento –Pedra Dméd  15 cm •Colocação do isolamento térmico •Colocação de um filme de polietileno –Barreira de vapor •Colocação da armadura –Rede electrosoldada •Betonagem.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de pavimentos – Edifícios industriais • Compactação do terreno • Colocação da camada de enrocamento • Colocação de um filme de polietileno • Colocação da armadura ou adição de fibras no betão – Dosagem de aproximadamente 30 kg/m3 – Melhoram a resistência à flexão e ao impacto e a ductilidade • Betonagem com acabamento mecânico da superfície Este pavimento será acabado com um revestimento sintético MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 128 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de pavimentos – Edifícios industriais •Afagamento e acabamento mecânico da superfície – – – – – Marcação das cotas – nível laser Betonagem Vibração do betão com réguas vibradoras Espera de 2 a 3 horas para presa do betão Acabamento da superfície com talochas mecânicas •Esquartelamento do pavimento – juntas de retracção – Dimensão de 3 a 5 m – Junto aos pilares •Acabamento com revestimento sintético – Endurecedores de superfície – Anti-poeiras – Resinas epóxi MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 129 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL – Esquartelamento MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 130 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL – Esquartelamento MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 131 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de pavimentos – Edifícios industriais •Equipamentos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 132 .

Power Floating Technique DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Execução de pavimentos – Edifícios industriais •Equipamentos MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 133 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Abaixo do nível freático • Escavação com rebaixamento do nível freático • Execução dos suportes da impermeabilização NF ESTRUTURA PAREDE DE ALVENARIA IMPERMEABILIZAÇÃO MASSAME DE SUPORTE DA IMPERMEABILIZAÇÃO MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 134 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Abaixo do nível freático • Com contenção periférica NF LAJE DE FUNDAÇÃO (ensoleiramento) PAREDE MOLDADA PROTECÇÃO DA IMPERMEABILIZAÇÃO (betonilha) IMPERMEABILIZAÇÃO MASSAME DE SUPORTE DA IMPERMEABILIZAÇÃO MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 135 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Abaixo do nível freático • Recolha das águas de infiltração NF PAREDE DE ALVENARIA CALEIRA CAIXA DE VISITA MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 136 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Materiais de impermeabilização – painéis de argila MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 137 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Materiais de impermeabilização – painéis de argila MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 138 .

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ISEL • Impermeabilização de caves – Juntas de betonagem • Perfis hidroexpansivos – Borracha natural ou sintética • Argamassas aditivadas MANUEL GAMBOA PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO E EDIFICAÇÕES 139 .