You are on page 1of 10

Publicação online semanal com sede no Concelho de Vila Velha de Ródão

Direcção de J. Mendes Serrasqueiro – Paginação e Arte Final de Gina Nunes
Nº. 33 de 9 de Fevereiro de 2012

Editorial

Quem foi que condenou Portugal?
“O

lugar que hoje ocupamos não tem lógica nem cabimento” …
- Escreveu Cruz dos Santos

Mendes Serrasqueiro

Vila Velha deRódão,1 Castelo Branco, 0

Ora aqui está um título, pelo menos digno de qualquer crónica desta época… E, então é assim: - por efeitos da “crise” os nossos feriados estão a ir todos água abaixo! E nem o feriado de terça-feira de carnaval se escapuliu às “garras” de quem vai mandando neste país! Julgam, aliás, que vão mandando… Surpresa, no entanto, foi a cedência do presidente Morão, da Câmara Municipal de Castelo Branco, ao retirar do calendário albicastrense a já famosa e concorrida terça-feira de Carnaval! Ou melhor, concordar com a passagem da terça-feira para Domingo Gordo, da tradicional festança carnavalesca. Mas, enfim, essa cena lá ficou para os albicastrenses carpirem. O pior foi servido aos rodenses, porque sem “Corso” em Castelo Branco, perdeu o corso de Vila Velha de Ródão (que a exemplo de outros Carnavais) volta a ser Domingo Gordo mas, desta vez, sem o bom público albicastrense! Assim, em jeito futebolístico, e “afrontando” os “troikas” V.V. de Ródão, que concedeu tolerância de ponto e venceu Castelo Branco por 3-0 por falta de coragem!

Não existe qualquer justificação para a forma como somos tratados pelos nossos parceiros europeus. Que pretendem estes exploradores do FMI, da “Troika” e Banco Mundial? Vender o nosso País? Estes senhores desconhecem a nossa gloriosa História, a larga expressão pelo mundo dos Descobrimentos, Descobrimentos, e dos nossos destemidos e Combatentes dos nossos orgulho para o nosso destemidos e Combatentes coração. “Dizei-me se “Heróis de Guerra”? Onde pode haver alguém que perante combates sucessivos, não sinta dilatar-se o demonstraram sempre ante o coração de júbilo, de ser mundo, a incomensurável da pátria de Egas Moniz, o valentia de ser Português. protótipo da lealdade e da Cada nome que na história honra; de D. Pedro, o da passa, é um motivo de muito justiça lendária e salomónica; de Nuno Álvares e do seu patriotismo devotado; de D. Fernando, o infante do António martírio voluntário; de José Seguro Albuquerque, o “terríbil” conquistador, émulo de Dia 3. Março todos os grandes em C. Branco conquistadores da antiguidade e de tantos outros que a História tem Para uma conferência sobre gravado em letras o Interior, o Secretáfulgentes e eternas?” rio-Geral do P. Socialista Quem foi o traidor ou estará em Castelo Branco traidores, que condenou no próximo dia 3 de Março Portugal? O lugar que - Ver notícia na página 2 hoje ocupamos, não tem lógica nem cabimento. Neste número: Desde 1986 que aderimos à CEE. Digam, por favor, - Página Cultural que benefícios nos - Escrevem os Leitores - Há coisas que devem ser conhederam? Qualquer que seja cidas – Herói por 300 € a perspectiva que se

*****

- Tudo sobre o Carnaval em V.V.R. - Ministro Santos Pereira visita a Empresa AMS – Gomà - Camps

- Continua na página 2

Pag. 2

Quem foi que condenou Portugal?
“… e ainda somos classificados de “lixo Europeu”
Escreveu:
CRUZ DOS SANTOS

O PS marcou para 3 de Março, em Castelo Branco, a realização de uma conferência sobre o Interior do País

- Coimbra

- Continuado da 1ª. página considere, a situação é incompreensívelmente injusta. É verdade que um desequilíbrio desses é comum a todos os outros países pequenos na Comunidade. Mas em nenhum caso é tão evidente como no português. Somos mais pobres, mais marginais e mais estranhos à Europa, que qualquer dos outros. E ainda somos classificados de “Lixo europeu”! Lixo, é a mãe deles e o “raio que os parta a todos”! O valor de Portugal está em mostrar há séculos que, apesar de pequeno, consegue afirmar a sua independência, desenvolver uma cultura própria e até marcar a evolução da humanidade. Temos registado através do Diário de Coimbra, quase, diariamente, que das nossas Universidades Académicas de todo o País, surgem, despontam, grandes cérebros Jovens ligados ao campo da Ciência, nomeadamente nas áreas da biologia celular e molecular dos cancros e do envelhecimento, com enormes interesses científicos para nós e para a Europa; distintos Antropólogos, Ecologistas, Médicos,Farmacêuticos, Geógrafos, Físicos, Historiadores,Químicos,Psicólogos, Sociólogos,Inventores,Matemáticos, Geólogos, Cientistas políticos, Sexólogos e tantos outros. O exemplo português foi louvado e admirado em todo o mundo. Recebemos menção honrosa pela nossa audácia, sofrimento e valentia. Mas essa excelente evolução está a ser invertida. Parece que Portugal não gosta de bons alunos. Nem gosta de gente séria. Aprecia cábulas, malandros, aldrabões e vigaristas. Temos razões para o orgulho de ser o que somos. O mínimo que se pede é dignidade para com um grupo que nos aceita com respeito, orgulho e simpatia. Não tenhas nunca vergonha de ser Português!

O Partido Socialista tem denunciado o virar de costas por parte do Governo ao interior do país em muitas matérias, nomeadamente na reorganização administrativa e na área da saúde, e esta conferência sobre o interior marca um posicionamento muito importante de apoio a uma grande parte do país. Esta conferência está marcada para o dia 3 de Março, em local a designar, em Castelo Branco, e versará vários assuntos sobre o Interior do país. A decisão desta realização foi tomada após uma reunião entre o líder do PS e os presidentes das federações distritais, que decorreu em Évora onde este fimde-semana esteve reunida a comissão nacional socialista. Para os socialista "tem que haver uma preocupação especial para com estas regiões. Não podemos desistir do Interior", declarou o secretário nacional para a organização, Miguel Laranjeiro. Questionado sobre se o PS estivesse no poder teria outra atitude para com o interior, não fechando, por exemplo, unidades de saúde, Miguel Laranjeiro respondeu que "certamente abordaria essas matérias com outro olhar".

Cruz dos Santos

Coimbra

Pag. 3

“Construção e Desconstrução”
Um tema para a Exposição de Pintura

de PAULA PEQUITO

Formação, cidadania, mobilidade e qualidade serão para Paula Pequito, técnica de design na Câmara Municipal, palavras-chave de um modelo de inovação aberto ao social e ao económico. Diz-se que uma pessoa que tenha atingido esse patamar nada tem que temer… Será o caso de Paula Pequito, licenciada em Arte e Design e que faz parte dos quadros da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão, como técnica, uma jovem senhora, casada, mãe de um rapaz, que ainda lhe sobre tempo para a consolidação de práticas de cidadania, imprescindíveis para ajudar à construção de uma sociedade mais solidária, participativa e autónoma, sobretudo mais desenvolvida. Não foi a primeira vez que participou num certame de qualidade, já havia contabilizado sucesso e felicitações mas agora, com “Construção e Desconstrução”, esta Artista evidenciou ainda mais talento com os 17 trabalhos que apresentou em “Acrílico sobre MDF e Platex”, “Acrílico sobre Tela e Papel” e em “Aguarelas e Pastel de Óleo sobre Papel”. A abertura da exposição teve lugar no último sábado, dia 4 e contou com as presenças da presidente da edilidade municipal Maria do Carmo Sequeira, vicepresidente Luís Miguel Ferro Pereira, vereador José Manuel Alves e o presidente da Assembleia Municipal António Carmona Mendes, entre outras individualidades. Paula Pequito apresentou, por breves palavras, a sua exposição, referindo que as 17 obras expostas reflectem a forma como observa o meio exterior enquanto o seu olhar atento se orienta para o processo de “construção” de um projecto, de uma obra ou até de um pensamento, mencionou, ainda, a importância da “desconstrução” como uma coisa positiva para o entendimento do todo pelas suas partes. Luís Pereira, num breve improviso, felicitou a Artista pelos belos trabalhos apresentados, salientando o seu apreço pela escolha que fez do local onde ficou patente a exposição (Casa de Artes e Cultura), tendo o anúncio de encerramento sido marcado para o dia 25 do corrente mês. Biografia: Paula Pequito, natural e residente em Vila Velha de Ródão, iniciou o seu caminho na pintura (essencialmente em óleo sobre tela) em 1993, como autodidacta e apoiada em biografia sobre o tema. Mais tarde aprofundou os seus conhecimentos em expressão plástica no ensino secundário, onde estudou Artes. Até 1999 realizou várias exposições, individuais e colectivas, e trabalhou também em cenografia de teatro amador. Em 2012, retoma o seu percurso artístico expondo agora na Casa de Artes e Cultura

Pag. 4
Instituições Particulares de Solidariedade Social em risco de encerramento

Castelo Branco - A associação de Dadores de Sangue (ADS) da Beira Interior já se manifestou contra uma burocracia que parece imposta aos dadores de sangue. O calendário que habitualmente era divulgado antecipadamente pela ADS corre o risco de ser substituído pelo sistema de marcações por colheita a colheita, com todas as contrariedades que daí podem advir. Segundo o presidente daquela associação, têm sido operadas mudanças no Instituto Português do Sangue, que estão a provocar desarticulações entre os serviços correspondentes.

*******
Pintor RICO SEQUEIRA:

.Rico Sequeira nasceu em
1954, e vive e trabalha em Lisboa e no Luxemburgo. Desde há vinte anos que a sua obra é apresentada em exposições individuais em Portugal, no Luxemburgo, na Alemanha, França, Bélgica, Espanha, Suíça e Suécia. Rico Sequeira, que tem conquistado o versátil mundo das Artes Plásticas, nomeadamente na região de Castelo Branco onde tem laços familiares, volta agora ao Museu Francisco Tavares Proença Júnior para apresentar a sua exposição “A preto e branco”. Aida Rechena, directora do Museu, para além das palavras de apresentação que dirigiu ao Pintor, disse que esta exposição foi levada às galerias pela mão da Sociedade de Amigos daquele Museu e que ela própria se congratulava pelo facto de Rico Sequeira estar de volta a este Museu após algumas das suas passagens depois de 30 anos de actividade. Esta exposição, já muito concorrida, vai estar patente até Abril.

***********
Funchal – Jardim diz que Merkel mostrou ser “ignorante”
O presidente do Governo da Madeira disse que a chanceler alemã fez declarações ignorantes ao considerar o arquipélago como mau exemplo da aplicação de fundos estruturais.
Segundo as agências noticiosas, Alberto João disse que as palavras de Ângela Merkel “explicam as opções erradas da actual situação económica europeia, bem como a gritante insensibilidade social” – lê-se num comunicado assinado por Alberto João Jardim.

Quer receber em sua casa o“ECOS DE RÓDÃO”
É gratuito e é só mandar-nos o seu endereço electrónico

Setúbal – O Bispo de Setúbal, D. Gilberto Reis, declarou à Comunicação Social, mais propriamente ao jornalista Segundinho Cunha, do Correio da Manhã, que cerca de 400 instituições de solidariedade social (IPSS) , designadamente os centros sociais e paroquiais, podem estar muito próximo de uma situação de falência. O caso mais grave, segundo aquele prelado, é conhecido na região de Setúbal, ao ponto de ser reconhecido que, se alguns responsáveis pelos idosos, deixarem de pagar as mensalidades, a situação pode vir a complicar-se. Espera-se – disse o Bispo de Setúbal – que o Estado avance com um plano de emergência, sobretudo urgente, porque a situação está a afectar muitas casas de assistência social por todo o país. Sabe-se, também, que a diminuição de donativos é, por sua vez, mais um motivo de aflição.

Pag. 5

Pensar e Planear …
Há momentos, na nossa vida, em que nos apercebemos que não podemos atingir os objectivos a que nos tínhamos proposto, em que temos imediatamente uma irremediável derrota. Pode acontecer ao jovem que aspirava a tornar-se um cientista e não consegue terminar os estudos, porque lhe morrem os pais no acidente e ele vê-se obrigado a trabalhar. Pode acontecer ao empresário, que com sacrifício construiu uma empresa, e que de um dia para o outro, abre falência, devido a uma crise económica financeira imprevista. Pode acontecer ao director de um jornal que levou ao êxito o seu jornal quando, inesperadamente, o proprietário o vende e vem outro que o substitui, para impor uma linha editorial e política opostas. Pode acontecer a uma mulher que investiu tudo no casamento, na casa e nos filhos, mas que o marido se apaixona por outra mulher mais nova e a deixa ficar. Enfim, ocorrências destas e outras, que infelizmente acontecem quase todos os dias. Então, o que devemos fazer quando enfrentamos uma crise financeira? Como podemos encontrar esperança ou “FÉ”, quando a mente e o coração são martirizados pelo desespero? Há pessoas que acreditam estarem condenadas à pobreza e ao falhanço por causa de uma estranha força, chamada “Azar” e sobre a qual acreditam não ter qualquer tipo de controlo. Ao longo dos tempos, houve líderes políticos, religiosos e até homens ligados à Ciência, que exortavam as pessoas a “ter Fé”. Afirmavam que “a Fé é um estado de espírito, uma “força interior” que pode ser induzida pela auto-sugestão; que a Fé, é o “elixir eterno” que dá vida, poder e capacidade de acção, ao impulso do pensamento”; a Fé é a base de todos os “milagres” e de todos os mistérios; que a Fé é o elemento que, quando misturado com o desejo, dá acesso directo à inteligência infinita”. Bom...realmente assim é! Um pensamento que é “magnetizado”, com emoções fortes ligadas à Fé, à Esperança e ao Desejo, pode-se transformar em sementes benéficas, que quando lançadas em solo fértil, multiplicamse vezes sem conta. A nossa maior fraqueza é a falta de “autoconfiança”. No entanto, esta pode ser superada e convertida em coragem, através da referida “autosugestão”. “As batalhas da vida nem sempre são ganhas / pelo mais forte ou pelo mais rápido. / Mas cedo ou tarde aquele que ganha / É o homem que pensa que consegue”. O que fazemos quando enfrentamos um problema, quando planeamos uma acção? Imaginamos situações possíveis, situações futuras que desejamos atingir, e exploramos com o pensamento e a imaginação os caminhos para conseguir chegar-lhes. Se não tivéssemos a Fé, a Esperança de poder alcançar a meta, não começaríamos sequer a procura. Nós pensamos no possível porque esperamos podê-lo realizar. A esperança é o alicerce do pensamento. Pensem nisso!

Senhor Director: Pudemos ver, com muita satisfação que a nossa Câmara Municipal está a realizar uma obra que merece os aplausos dos rodanenses. Trata-se da demolição de um prédio antigo, que estava situado no início da Rua de Porto do Tejo (acesso ao cais do rio Tejo) que levou com o camartelo a favor do progresso da vila e, sobretudo, para assegurar mais segurança na entrada para aquela rua que vai ficar com mais visibilidade de ambos os lados e, sobretudo, com outra estética urbanística para uma zona que costuma ter muita frequência de turistas. Todos esperamos agora, Senhora Presidente (nós os que moramos cá pelo “Tejo”) que com estas obras, que já se vinham esperando, se inclua uma sinalização funcional e prática para os automobilistas que naquele local sempre sentiam algum perigo. E, já agora, (os mesmos munícipes) continuam a aguardar que a autarquia ponha fim ao que, por enquanto, ainda é uma “garganta” sem funcionalidade e sem estética urbanística. Estou a escrever sobre o que se pode tornar muito incómodo numa obra bonita que se tem estado a edificar no largo das “Pesqueiras”. PB

Um abraço do

Cruz dos Santos

Pag. 6

Canal da Crítica

FOGO NO ÓLEO
Introdução do autor: “Já passei por una situação destas que vos conto hoje,
mas a principal dica é: caso não saiba exactamente o que fazer, evacue a área. Já passei pelo exercício de apagar fogo em óleo quente e, confesso, que é um dos fogos mais difíceis de serem apagados. A dica mais prática e simples - chame os Bombeiros para tratarem do assunto. Mas, agora vamos aos avisos: - não se deve utilizar água para apagar este tipo de fogo. Não se meta a fazer o que não sabe, sob pena de risco de morte. Como apagar, então, um fogo em óleo quente: Caso se esqueça da panela ou frigideira com óleo e o óleo ou azeite comece a arder, NÃO ENTRE EM PÂNICO. Siga as instruções abaixo. Repasse aos seus amigos, ensine seus empregados, mostre aos seus filhos. 1. DESLIGUE O FOGÃO; 2. Molhe um pano, torça-o completamente, retirando o excesso de água, para que o pano não pingue; 3. Coloque o pano sobre a panela/frigideira e espere até que tudo volte ao normal (não saia mais vapor); 4. Nuca tente mover a panela ou a frigideira; 5. Nunca deite água sobre o fogo, pois os respingos carregarão fogo e os efeitos são devastadores.

Marcos Lido

Pousada Portas de Ródão
Ao fim de cerca de dois meses sem actividades, a Pousada “Portas de Ródão”, unidade da área de restauração. vai abrir um concurso para a respectiva reabertura que, diga-se de passagem, até tem estado a demorar para que se encontre a solução mais desejada. Dia 20 do corrente mês, serão abertas as propostas e, ao que consta por aí, serão três pretendentes à nova gerência. E, curiosamente (ainda é o que se comenta…) são três Industriais do ramo, os candidatos. Que seja breve a licitação, porque uma casa com tal nível não pode manter-se encerrada por muito mais tempo, apenas pela legitimidade de bons serviços que se pretendem e, necessariamente, por se tratar de um excelente ex-libris de V.V. Ródão, quan do bem equipado e a funcionar de acordo com os ditames da qualidade.

Trabalhar 11 horas por dia não é aconselhável…
Os funcionários que trabalham pelo menos 11 horas por dia arriscam-se duas vezes mais a sofrer de depressão grave do que os que trabalham sete horas diárias - revela um estudo publicado esta semana na revista PloS ONE. A investigação, realizada no Reino Unido, abrangeu um universo de cerca de dois mil trabalhadores britânicos, homens e mulheres entre os 35 e 55 anos que gozavam de boa saúde mental. Os funcionários foram acompanhados durante cerca de seis anos. De acordo com os especialistas, os empregados que trabalhavam pelo menos 11 horas por dia tinham 2,3 a 2,5 vezes mais risco de cair em depressão, contrariamente aos que cumpriam uma jornada laboral de sete a oito horas. A ligação entre o risco de depressão e as horas de trabalho diário não foi afectada por outros factores, como o estilo de vida, o consumo de álcool, tabaco ou droga, ou por tensões no trabalho. Apesar das conclusões da investigação, citada pela agência AFP, a taxa de depressão grave observada nos funcionários britânicos que trabalham pelo menos 11 horas diárias (3,1 por cento) é inferior à verificação. FIRPO E. GUERRERO, M.D.

Pag.7

O Carnaval aqui é de “borla”

Não se pagam “portagens”
porque se usam as estradas alternativas … Não se trabalha neste dia porque aqui o

CARNAVAL É DOMINGO! E temos cá os fantásticos “VETERANOS” de
FORNOS DE ALGODRES ÚLTIMA HORA: … Mas, terça-feira Gorda também aqui continua a festa! “Ecos de Ródão”

Pag. 8

Ministro Álvaro Santos Pereira
Inaugura esta sexta-feira o novo pavilhão da AMS – Gomà Camps, SA

O

A AMS – Gomà Camps, SA, acaba de realizar um novo investimento aumentando em 33 por cento a sua área de implantação, com a construção de um novo pavilhão de armazenamento integrado na segunda fase da sua unidade fabril, com um investimento de 2.5 milhões de euros, com 10 mil metros quadrados. Será certamente um grande feito numa época de austeridade como a que estamos a passar neste momento, tendo ainda em consideração que está implantada na zona do interior de Portugal, em Vila Velha de Ródão. Inserido no âmbito das “Empresas à Sexta” o ministro da Economia e do Emprego Dr. Álvaro Santos Pereira, estará nas instalações da AMS – Gomà Camps em Vila Velha de Ródão esta sexta-feira, dia 10 de Fevereiro, entre as 13.30 e as 16h00, para a inauguração deste novo pavilhão. Para o acto foram convidadas as entidades oficiais e algumas individualidades do Concelho.

Pag. 9

Gravuras Rupestres do Vale do Tejo em projecto artístico na CACTejo
A Biblioteca Municipal José Baptista Martins, em Vila Velha de Ródão, promove no mês de Fevereiro e durante cinco meses, um projecto de educação artística, “CALHONDRA, OLHA O XISTO!”, da autoria de Elisa Aragão, a partir das gravuras rupestres do Vale do Tejo. O projecto teve início, no passado dia 3 de Fevereiro, com a acção “Caçadores ferozes” que contou com a participação da turma do segundo ano da Escola EB1 de Vila de Ródão. No dia seguinte foi desenvolvido o ateliê “Tapetes, mantas e croché” no qual participou a comunidade local. Todos os meses haverá actividades novas dedicadas a diferentes públicos, cujo ponto de partida continuará a ser as gravuras rupestres do Tejo. As inscrições podem ser feitas na Biblioteca Municipal.

R.do Arrabalde,28 6030-235 Vila Velha de Ródão Nº. 33 de 9.Jam.2012

Semanário Regionalista
Editado em Vila Velha de Ródão

Director
J.Mendes Serrasqueiro

Paginação/ Arte Final Gina Nunes

E-mail
mendes.serrasqueiro @gmail.com

Telefones
272 545323- 272 541077

Telemóveis
96 287 0251 - 96 518 377

É enviado às quintas-feiras entre as 20 e 22 horas Envio gratuito por E-mail Pode visitar todas as nossas edições em ecosderodao.blog spot.com

Pag. 10

Herói por 300 Euros
A notícia já correu o Mundo inteiro. Seis tripulantes de um barco de pesca, o 'Virgem do Sameiro', de Caxinas, foram encontrados por um helicóptero EH-101 da Força Aérea e foram salvos pela tripulação do mesmo aparelho, nomeadamente por um Sargento-Ajudante (o recuperador - salvador), que pendurado num guincho, arriscou a sua

O Naufrágio de Caxinas: Luís Alves de Fraga, transcreveu o texto da autoria do tenente-coronel José Lucas da Força Aérea com a especialidade TODCI
vida em 6 subidas e descidas… O panorama é inimaginável: Um helicóptero no meio da imensidão do mar, com mar agitado, os pilotos tentando colocar o helicóptero na melhor posição (o que é dificílimo), tratando-se de um navio grande, quanto mais de uma simples balsa salvavidas, a turbulência provocada pelas pás do aparelho, o recuperador - salvador a descer e a subir, a ter de recuperar um a um, estejam feridos ou não. Parece algo de outro mundo, mas não é,... aliás, afinal é! É algo do outro mundo, pelo menos do meu mundo, pois não tinha condições para o fazer. É algo deste mundo, porque estes heróis da Força Aérea fazemno diariamente, arriscando a sua vida para salvar outras vidas. Muitas vezes fazem-no mas muito mais longe, a cerca de 150 km da costa. Se houver uma falha humana, uma avaria e o helicóptero cair, provavelmente morrerão (pois é preciso que outro meio aéreo que está em alerta descole, voe, os encontre com vida e consiga recuperá-los). Mesmo assim, este militares cumprem o seu dever: têm família, filhos, que têm como dado adquirido que o pai volta mais logo e, nem imaginam que tal pode não acontecer. Poucas pessoas sabem o seguinte: a) O Sargento-Ajudante recuperador salvador está neste trabalho voluntariamente; b) O Sargento-Ajudante recuperador salvador está neste trabalho porque passou por testes e provas dificílimas, apenas acessíveis aos melhores física e psicológica mente; c) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador ganha cerca de 1 300 € limpos (um profissional com muitos anos de carreira, que arrisca a vida muito mais do que ninguém, voluntariamente, por amor ao serviço, ao próximo); d) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador tem de estar disponível 24 horas por dia, deixando a família para trás a qualquer momento sempre que for chamado ao

serviço inopinado; e) O Sargento-Ajudante recuperador salvador recebe cerca de 300 € líquidos de risco de voo (menos do que os pilotos, que também arriscam a vida, mas arriscam menos pois não estão pendurados num guincho); f) O Sargento-Ajudante recuperador salvador, tal como os demais militares dos 3 Ramos das Forças Armadas, continua a salvar vidas, com ânimo, profissionalismo e competência, apesar de lhe terem cortado o vencimento desde o ano passado, apesar de lhe terem tirado o subsídio de férias e de Na tal, apesar de não ter perspectiva de evolução na carreira nem aumento de ordenado; g) O Sargento-Ajudante recuperador-salvador não tem mordomias, carros de luxo, condutor, sala própria, secretária, telemóvel de serviço, despesas de representação chorudas, outros emolumentos mais ou menos disfarçados. h) Para mim, estes são os verdadeiros heróis, aqueles que apesar de fortemente penalizados, fortemente incompreendidos, apenas lembrados aquando de actos heróicos mediáticos como este, continuam dia após dia a cumprir além do dever. O Sargento-Ajudante recuperador-salvador, como todos os militares merecem o respeito por parte de quem governa, para que entendam que não se trata de um funcionário público (aliás muitos respeitáveis), mas sim de um cidadão especial, que jurou publicamente dar a vida pela Pátria, dar a vida para que outros vivam.

À atenção de quem de direito
PS – Num exercício de imaginação, tentei considerar a hipótese dos respeitados e digníssimos representantes do povo, na Assembleia da República receberem 1 300 Euros de vencimento, mais 300 € de risco. Provavelmente a AR ficaria vazia.