You are on page 1of 13

PEELINGS QUÍMICOS Desde a antiguidade o ser humano percebeu que após abrasões ou esfoliações, a pele possui a surpreendente capacidade

de renovar-se a partir de suas camadas mais profundas, mantendo a pele sã e com aspecto jovial; Cleópatra utilizava "leite azedo" para manter sua pele limpa, suave e livre de impurezas; já na Idade Média as mulheres utilizavam o "vinho velho" repetitivamente em seus rostos para obterem os mesmos resultados. Com estudos e resultados positivos pelo Dr. Stütgen na Alemanha em 1959, da dermoabrasão no tratamento de algumas doenças da pele como a psoríase, utilizando o ácido retinóico, até os dias atuais, muitos foram os agentes de peelings pesquisados e utilizados, gerando uma gama de possibilidades terapêuticas nos diversos casos de lesões cutâneas. A palavra peeling vem do inglês que significa tirar a pele, despelar, descamar. Os peelings constituem uma forma acelerada de esfoliação induzida por diversos agentes, resultando na destruição controlada de porções da epiderme e/ou derme com subseqüente regeneração de novos tecidos. Anatomo-fisiologia da pele: Diferenciam-se 3 camadas na pele:

y y y

Epiderme (externa) Derme (intermediária) Hipoderme (interna)

A Epiderme é constituída de células epiteliais, dispostas em camadas, que, considerando o sentido de dentro para fora, recebem os seguintes nomes: germinativa ou basal, espinhosa, granulosa, lúcido e córnea. É na camada germinativa onde se originam as células e vão pouco a pouco ganhando a superfície, durante este trajeto vão sofrendo modificações graduais em sua forma e composição química, até perderem o núcleo à nível da camada córnea e se descamarem naturalmente. Este deslocamento de células é constante e o ciclo completo ocorre em torno de duas semanas em pessoas jovens e cerca de trinta e cinco dias para aquelas pessoas de em torno de cinqüenta anos de idade. A Derme é subdividida em duas camadas a papilar e a reticular. Na derme encontramos uma grande quantidade de vasos (arteriais, venosos e linfáticos), nervos e terminações nervosas. A Hipoderme é ricamente constituída de tecido gorduroso. ALTERAÇÕES DA PELE GERADA PELOS PEELINGS A descamação superficial das camadas mais externas ativa um mecanismo biológico que estimula a renovação e o crescimento celular resultando na aparência externa mais saudável e bonita, pelas alterações profundas na arquitetura celular tais como:

y y y y

Hiperplasia dos queratócitos Aumento da espessura da epiderme Diminuição da quantidade de melanina depositada Aumento na produção de fibras colágenas, na irrigação sangüínea e na compactação do estrato córneo.

Além dos fatores acima relacionados a dermoabrasão aumenta a permeabilidade cutânea, favorecendo a penetração de princípios ativos coadjuvantes no tratamento pós peeling necessários a reepitelização completa. CLASSIFICAÇÃO DOS PEELINGS Os peelings podem ser classificados segundo: O agente indutor da descamação:

y

Mecânicos - variam desde receitas caseiras como cristais de açúcar com fubá, lixas, cremes abrasivos com microesferas de material plástico aos aparelhos de microdermoabrasão por fluxo de cristais ou as lixas de ponta de diamante. Físicos - Laser, gelo seco. Químicos - uso de substância(s) química(s) isolada ou combinada no intuito de se obter o agente mais adequado a cada caso para graus variados de esfoliação.

y y

A sua principal desvantagem é a sua cardiotoxidade. Depois de seca a máscara é retirada com a espátula e o que restar com gaze embebida em água. As concentrações usuais variam de 10 a 75% em solução aquosa e pode ser aplicada com gaze ou cotonete evitando-se o pincel. podendo ter sua profundidade de ação um pouco mais profunda quanto maior as passagens repetidas da solução. dando maior segurança em sua utilização. mas existe um consenso de que nesta última situação. A pasta pode ser aplicada sobre a pele através de uma espátula de madeira ou com os dedos enluvados. nem relatos de reação alérgica. mas com propriedades diferentes. denominada de Exoderm. Pode-se utilizar oclusão parcial ou total da face para aumentar a ação do produto conseqüentemente a profundidade. Apresenta menor risco de complicações quando comparados aos peelings mais profundos como o de Fenol por criarem feridas que só atingem a derme superior. Deve-se suspender o uso da tretinoína e ácido glicólico antes da aplicação por potencializar a penetração da droga. pois penetra profundamente até no nível da derme reticular. não tem a mesma eficácia dos peelings de Fenol para melhorar cicatrizes e rugas profundas. com menor poder de toxidade. TIPOS DE AGENTES NOS PEELINGS QUÍMICOS FENOL: São inegavelmente os mais eficazes. ÁCIDO TRICLOROACÉTICO (TCA): Os peelings com este tipo de ácido são excelentes para o tratamento da pele actinicamente danificada. O peeling com Solução de Jessner é superficial. havendo a necessidade de ser realizada em ambiente hospitalar devido a obrigatoriedade de sedação por ser muito dolorida para o paciente. É indicada para tratamento da acne. Neutraliza-se com solução alcalina. diminuindo assim sua toxidade. Parece que o TCA em concentrações de 50% ou superiores tem a possibilidade de criar mais cicatrizes do que outros agentes de peelings. por este motivo o TCA deve ser reservado à peelings de profundidade superficial e média. A vantagem é quanto a sua estabilidade e baixo custo. evitando o uso do TCA a 50% que oferece grandes riscos de provocar cicatrizes. apesar de que pode ser utilizado nos peelings profundos. pode ser utilizada em peles mais escuras. O peeling de TCA pode ser feito isoladamente ou associado com outros agentes como o ácido glicólico e solução de Jessner. Não apresenta melanotoxidade associada ao fenol. peri-orais e para tratar as queratoses mais severas. Possui um grande poder de esfoliação. usados de procedimentos de profundidade semelhante. o custo é baixo e possui boa estabilidade. discromias e peles rugosas. é. sendo assim indicado para rugas profundas. mas quando associados ao TCA a 30-35% transformam-no em um peeling profundo. Por outro lado. já os peelings profundos estas complicações podem ser observadas Os médicos que utilizam o peeling podem utilizar diferentes veículos e concentrações e do tempo de contato com a pele para obter o resultado planejado. Estes agentes realizam um trabalho superficial. portanto quanto mais profundo maior o risco das complicações. . já a desvantagem é a possibilidade de reação alérgica e intoxicação que aumentam com as passagens múltiplas. um procedimento mais arriscado do que o peeling profundo de fenol. com tendência à hiperpigmentação. Existe uma fórmula mais recente. hiperpigmentação pós-inflamatória. É um peeling de exclusividade médica. com a característica principal de não se aprofundar além da camada de Grenz. desta maneira diminui-se a absorção do produto pelos vasos dérmicos. não apresenta toxidade sistêmica conhecida. ou associados à outras substâncias como na solução de Jessner. geralmente. deixando em contato com a pele por até 20 minutos de acordo com o estado da pele. RESORCINA: É um agente cáustico do grupo dos fenóis. devido a sua natureza mais superficial.A profundidade do peeling: y y y Superficial: da camada córnea até a derme papilar Médio: da derme papilar até a derme reticular superior Profundo: com ação na derme reticular média e profunda As complicações dos peelings aumentam de acordo com a profundidade. Indica-se fazer teste prévio de sensibilidade. pode ser utilizado como esfoliante na forma de pasta em concentrações que variam de 10 a 70%. O TCA diferente de outros agentes de peeling. nefrotoxidade e depressora do Sistema Nervoso Central. O TCA tornou-se o ácido preferido para os peelings químico de profundidade superficial e média. quando a lesão tratada adquire cor branca (Frost) significa a precipitação das proteínas. um peeling superficial é incapaz de causar hipo ou hiperpigmentação ou ainda cicatrizes. As sessões podem ser reiteradas a cada 30-40 dias.

como mãos e braços.Esta indicado nas seguintes situações: y y y y y y y Melasmas Efélides Cicatrizes de acne Queratoses actínicas Hiperpigmentação pós-inflamatória Rugas finas Fotoenvelhecimento É um peeling médico quando utilizado em concentrações superiores à 35% e em concentrações inferiores a 35% pode ser realizado pela cosmetóloga-esteticista sob supervisão médica. são cada vez mais eficientes quando bem indicados e novos avanços são esperados. EASY-PEEL: É o mais novo dos peelings.o grupo OH da água vem do ácido. qualquer erro neste cálculo pode trazer maus resultados Uma nova técnica de Peeling foi descrita. Todos os dias células novas são produzidas e outras são eliminadas. que deixa o método mais fácil para o médico e mais seguro para o paciente. Esses tratamentos. e que pode levar à complicações. trata-se do Blue Peel. No entanto. a diferença e que este ácido é misturado com uma substância azul. é determinar exatamente a quantidade aplicada e a conseqüente profundidade atingida com a substância química. O processo é realizado em consultório. A intenção é acelerar o processo de renovação celular à partir das camadas mais profundas da pele ao mesmo tempo em que elimina as camadas mais superficiais . O método pode ser usado também em outras partes do corpo. ao permitir uma penetração mais importante do produto esfoliante. Ao finalizar a aplicação da solução deixa secar e aplica o creme terapêutico. com ácido tricloroacético ou com ácido glicólico também produzem. é importante lembrar. . É uma reação reversível. Os novos tratamentos como o Blue Peel. Mas com o passar dos anos diminui a velocidade de renovação das células. portanto. A solução esfoliante pode ser aplicada inclusive sobre a pele não higienizada e até sobre a maquilagem. Não se pode utilizar nem antes e nem depois do peeling álcool e acetona para a higiene. ainda aplica grandes somas no mundo todo à procura de novos métodos. Esta esterificação de Fisher consiste em um álcool somado a um ácido orgânico dá um éster . mas o Blue Peel vem tendo grande aceitação nos EUA e Europa pela facilidade de manuseio e segurança. Evitar a exposição ao sol é uma eficiente ação para evitar o envelhecimento facial. que é simples. e trazem benefícios inegáveis á estética feminina. não é dispendiosa: A proteção solar. É um Peeling que usa o ácido tricloroacético. muito eficiente. É indicada para pele envelhecida. sem necessidade de anestesia e dura em torno de meia hora. É claro que os métodos convencionais de peeling. já são muitos conhecidos e já são rotina em muitos centros do mundo. A tinta já é retirada no final do processo. Recomenda-se ao paciente não usar nenhum tipo de jóias nos dias posteriores imediatos ao tratamento. envelhecidas. é um órgão em constante renovação. rugas finas e pigmentação (manchas) além de acne. bons resultados. viva. pois se corre o risco da esterificação de Fisher. e neste aspecto é igual aos outros. manchas. A freqüência de peeling é semanal consecutivo por um total de 4 semanas. aspereza. Uma das dificuldades do Peeling. flacidez e aspereza. fácil de empregar e o que é mais importante. A moderna pesquisa médica. Blue Peel O Rejuvenescimento com o Azul O peeling é um método utilizado para tratamento das alterações da pele. que fica bem visível e permite então saber com maior facilidade a profundidade da ação do medicamento evitando as complicações. mesmo contando com todos esses recursos. que não é retirado. O azul do Blue Peel. que existe uma medida que pode ser usada isoladamente ou junto com os tratamentos. é apenas uma sinalização de segurança. mas nenhum cuidado será duradouro se houver a manutenção do hábito de se expor ao sol sem proteção. O Blue Peel é aplicado após um preparo da pele com condicionamento facial . O processo de envelhecimento e a luz solar fazem então aparecer as temíveis rugas. constituído por uma solução de TCA de concentração inferior a 15% e um creme terapêutico que se aplica depois da esfoliação. o que permite obter melhores resultados. Segue-se um processo de descamação que dura de 7 a 10 dias quando os resultados já podem ser observados. A pele é dinâmica.

mãos. Uva. O ácido retinóico está disponível em várias concentrações 0. elimina os queratinócitos atípicos e impede a formação de queratoses. se separam e aumentam rapidamente a descamação. 2. as cadeias são ligeiramente separadas e o AHA aumenta a ponte e a união.efeito esfoliante: efeito refinador. Traduz-se num aspecto externo muito característico da pele seca: aspereza ao tato. destes com exceção dos AHA's. Muito utilizado no tratamento da acne por ter ação comedolítica e esfoliante. esta se produz por um menor grau de descamação das capas externas. dorso e braços. os retinóides. Assim o número de Pontes de Hidrogênio e a Plasticidade . processo conhecido como hiperqueratinização. pescoço. profundamento de rugas.Hidratação é melhorada: Efeito Fílmico A dose mais alta de AHA (8-20% aproximadamente) as cadeias se rompem. Agora os AHA's pode-se colar e se interpor entre as duas.1% em cremes ou gel para uso pelo próprio paciente e em concentrações mais elevadas (1 a 5%) para uso em consultório. Estimula os queratinócitos por melhorar a distribuição dos melanócitos e por produzir uma normalização epidérmica. Ácido Lático: Fermentação bacteriana da glicose. A diferença de concentração para passar de um efeito a outro é muito estreita. os AHA's e os Alfa-acetoxiácidos (AAA). produz-se a separação . neste último caso as aplicações poderão ser feitas a cada 1 ou 2 semanas e em número variável de acordo com a resposta de cada paciente. Ácido Málico: Maçãs Ácido Tartárico: Uva Ácido Cítrico: Laranja e Limão Ácido Manecilla: Amêndoa Amarga Mecanismo de ação: Uma das características de uma pele muita desidratada é o engrossamento de seu estrato córneo. ALFA-HIDROXIÁCIDOS (AHA's): Pertencem ao grupo de ácidos orgânicos de cadeia não muito ampla que tem em comum o grupo HIDRÓXIDO em posição ALFA ou posição 2.01% a 0. da força de coesão que existe entre os corneócitos: uma maior coesão intercorneocitária menor o grau de descamação e vice-versa. tendem a aumentar o grau de descamação. sendo indicado para o tratamento do fotoenvelhecimento. A baixa dose de AHA. Este processo dependerá. seu uso é justificado por promover a descompactação da camada córnea. portanto atua em patologias onde há hiperqueratinização e é também associado a agentes despigmentantes nos tratamentos de hipertrofias. Fontes naturais de AHA: y y y y y y Ácido Glicólico: Cana de açúcar. sob supervisão médica. em último caso. como preventivo da hiperpigmentação pós-inflamatória. não se rompe. O ácido retinóico pode ser utilizado no rosto. colo. Durante todo o período do tratamento e posteriormente é necessário o uso do filtro solar e também de cremes hidratantes com hidrocortisona. a descamação inicia-se em torno do 2º e 3º dia pós-peeling. Baixas doses de AHA: efeito de Plasticidade-hidratação Altas doses de AHA: efeito Esfoliante-descamante . pouca flexibilidade. Resumindo: 1.ÁCIDO RETINÓICO: Também denominado de Vitamina A ácida. com dois resultados ou efeitos diferentes: 1. devido à uma maior coesão dos corneócitos entre si. Beterraba. 2. garante uma uniformidade na aplicação do agente do peeling e promove uma reepitelização mais rápida. O mais simples (e o da molécula de menor tamanho muito importante na hora da penetração pela pele) é o ácidoglicólico de 2 carbonos. Há várias moléculas na pele que intervêm controlando o grau de descamação: a água. entretanto os AHA's tendem a diminuí-lo. É largamente utilizado no pré peeling químico e a laser. quer dizer. Alcachofra e Abacaxi. que são os antagonistas naturais dos AHA's. diminuição no espessamento epidérmico e aumentar a síntese do colágeno. A coesão entre corneócitos se dá pela união iônica especialmente pelas Pontes de Hidrogênio que une duas cadeias proteicas.

num mínimo quatro aplicações. ácido salicílico. Os peelings com ácido glicólico parecem seguros. de ação química e mecânica que possui base cremosa abrasiva que ao ser massageada produz um polimento. A formação de cicatrizes é extremamente rara. mais sensíveis e menos tolerantes. rugas finas e melasma. A molécula do ácido mandélico é maior que a molécula do ácido glicólico e por esta razão. O ácido glicólico a 70%. é preciso lembrar que nenhuma quantidade (por maior que seja) de peelings com ácido glicólico eqüivale a um peeling médio a profundo com TCA ou fenol.que ajudará a retirar as crostas residuais. o tempo de exposição e a localização de distúrbios específicos dependem da cuidadosa avaliação de cada paciente. e exigem concentrações mais baixas e tempos de exposição menores. queratose actínica. atenuação de rugas e tratamento de comedões. lentiginoses no dorso da mão e do antebraço. As indicações para este tipo de peeling são: Fotoenvelhecimento. No caso de hipersensibilidade ou prurido utilizar hidrocortisona 0. A execução do peeling de ácido glicólico deve ser cuidadosamente planejada. efélides. diminuir o edema e facilitar a reepitelização. y y y Após as primeiras duas semanas: (De acordo com cada situação) . a seleção do agente desengordurante. renovando as aplicações várias vezes ao dia. A descamação se inicia em torno do 4-5º dia prolongando-se por cerca de 10 dias. espessamento epidérmico. de fora para dentro. pigmentação irregular e acne. tais como. removendo parte do extrato córneo. Para a realização do peeling de ácido glicólico é importante concentração acima de 50% e grau de pH. foi comprovada sua utilidade na preparação da pele para peeling à laser (Resurfacing) e na ajuda da cicatrização e prevenção de infecções bactérias gram-negativas após este procedimento. TCA. Sua formulação em gel fluído.5 causa maior irritação do que com pH em torno de 2. O peeling de ácido glicólico a 70% é tempo dependente e superficial e pode ser repetido à cada 15 dias. O pH em torno de 1. pois são muito superficiais. lâmpadas fluorescentes ou mudanças bruscas de temperatura. Apresenta semelhança química com o ácido salicílico com sua ação anti-séptica somada às atividades dos Alfa-Hidroxiácidos. acne. em peeling utilizado na forma de ungüento com concentração de 50%. Evitar expor-se a luz solar. dependendo do tipo de pele e da espessura da camada córnea. CUIDADOS PÓS-PEELING Durante as primeiras semanas: y Aspergir água e colocar compressas frias em infusões de camomila sobre a área do peeling Hidratações semanais no consultório . seguida de neutralização com água. Pode utilizado com segurança em peles Fitzpatrick de I a VI.Histologicamente os AHA's observa-se redução da adesão dos corneócitos. A pele fotodanificada e mais velha tolera mais facilmente concentrações mais elevadas e tempos de exposição maiores. Topicamente na tratamento da acne pode ser utilizado em concentrações que variam de 2 a 10%. enquanto os AHA's atuam sobre os corneócitos germinativos. penetra lentamente. Os tipos de pele 1 e 2 de Fitzpatrick são. superficiais. Experimentos demonstram que o ácido mandélico é útil para conter pigmentação. muitas vezes. a concentração e o pH do ácido glicólico. Uso de hidratantes com filtros solares diariamente. A esfoliação química se obtém pela mistura em proporções iguais de Ácido Salicílico e Rosorcina à 5%.10% tópica. com ou sem oclusão. tratar acne inflamatória não-cística e rejuvenescer a pele fotoenvelhecida. utilizado como agente queratolítico na concentração de 3 a 5% . sendo feito em intervalos de 15-20 dias. para os casos de queratose actínica e seborréicas. podendo ser repetidos a entre 2 a 4 semanas. retinóico). conforme tolerância do paciente. com eritema e edema mínimos. primitivos. Além disso. fotoenvelhecimento. promove um peeling que atua de maneira homogênea e superficial. compactação do estrato córneo. neste caso indicado para clareamento da pele.5. eczema hiperquerostático. O ácido glicólico é encontrado a 70% em solução alcoólica ou em gel. Embora a pele torne suave. ÁCIDO SALICÍLICO: É um beta-hidroxiácido. estes atuam sobre os corneócitos maduros. O Ácido Mandélico é um derivado da hidrólise de um extrato de amêndoas amargas e que tem sido estudado amplamente por seus possíveis usos no tratamento de problemas comuns de pele. profundos (fases de formação do estrato córneo) de dentro para fora. na face é utilizado em solução alcoólica à 35% por cerca de 5 minutos. É usado em conjunção com Peeling Abrasivo. aumento na deposição de mucina estimulando também a produção (síntese) de fibras colágenas dérmicas. provoca epidermólise em 3 a 7 minutos. A diferença entre queratolíticos típicos (resorcina.

NÃO pretendendo. (esfoliação). são todas as substâncias que possuem seu pH inferior ao da pele.y Uso diário de gel ou creme com ácido glicólico em concentrações de 8 a 15% por vezes associados a despigmentantes (ác. Dermatite de contato irritativa ou alérgica: prescrever antiinflamatórios tópicos à base de arnica. e nos casos mais intensos hidrocortisona 0. e mais observadas ao uso do fenol. Após a normalização da pele devemos instituir um tratamento diário tópico preventivo e de manutenção COMPLICAÇÕES DO PEELING QUÍMICO Poderão ser mínimas através do preparo pré-peeling e recomendações pós-peeling. fítico. com produtos industrializados. Infecção. Após quatro a seis semanas: y Tratar cicatrizes ou manchas residuais com um novo peeling localizado (retoque) ou através da prescrição de outros agentes esfoliantes de uso tópico. muito utilizada para melhorar a aparência e textura da pele. evitando-se desta forma escoriações. O peeling químico é uma técnica. (Catec). de forma alguma. Eritema persistente y y y y y y Todas as informações contidas neste material têm a intenção de informar. cicatrizes ou rugas residuais. Decisões relacionadas ao tratamento de pacientes devem ser tomadas pelo médico. É tendência no mercado da estética facial e corporal a aplicação de substâncias químicas ácidas sobre a pele com o objetivo de remover a capa córnea.pouco frequente Linhas de demarcação. e pH 3. hidroquinona) nas áreas com manchas. na concentração máxima de 10% (dez por cento). principalmente no tocante à fotoproteção.pela falta de cuidados com exposição solar nas primeiras semanas. Algumas complicações que poderão ocorrer: y Hiperpigmentação pós-peeling (pós-inflamatória) . feridas e conseqüentemente manchas ou cicatrizes.Deve-se postergar ao máximo a retirada das crostas nos dez primeiros dias póspeeling. raramente há necessidade de usar antibióticos. estimular a renovação celular e facilitar a permeação de princípios ativos.10%. Queimaduras (pouco freqüentes.6). transformando-a em uma reação ácida. (pH pele 5. para tratar esta situação deverá ser utilizado substâncias despigmentantes diariamente à noite e às vezes realização de um novo peeling de resorcina. Ácidos. considerando assim as características de cada paciente. Uma solução química é aplicada na pele provocando sua separação. proporcionando um peeling químico. substituir orientações medicas. são controlados pela Anvisa. . camomila ou Aloe vera. órgão que regulamenta a industrialização dos produtos cosméticos. A crosta inicial protege nos primeiros dias a pele nova e só deve ser retirada pelo médico nunca pelo próprio paciente ou por seus familiares. que poderá ser: ‡ Esfoliação Química ‡ Superficiais ‡ Médios ‡ Profundos A Quimioesfoliação utilizada pelos profissionais da área da estética. podendo gerar sequelas hipocrômicas) Cicatrizes .5. . descamação e o surgimento de uma nova pele e ainda pode ser igualada na cor.

. a hidratação da pele. A técnica de aplicação dos esfoliantes químicos é o grande segredo do profissional qualificado para trabalhar com as substâncias químicas. não tem cicatrização eficiente. e área de aplicação. o preparo da pele e técnicas complementares com equipamentos obtemos resultados satisfatórios. o conhecimento da profundidade da lesão. O fototipo cutâneo. três dias antes do início do peeling e semanalmente durante o tratamento do peeling. Indicações: ‡ Melhorar textura da Pele ‡ Ostiuns Dilatados ‡ Reduzir Linhas de Expressões ‡ Discromias Pigmentares ‡ Sequelas de Acne Superficiais ‡ Acne Ativo e Residual Contra-Indicações: ‡ Gestação ‡ Doença Hepatorrenal ‡ Feridas ‡ Herpes Zosters ‡ Alergias ‡ Pós-depilatório ‡ Exposição Solar ‡ Eczemas ‡ Queloídes ‡ Processo Inflamatório no local da aplicação. necessitando atualizar-se constantemente para obter bons resultados. são fatores de análises importantes durante a anamnese antes dos procedimentos em cabine. sem riscos e o desconforto durante o peeling e pós peeling. pois uma pele desidratada e dependendo da área aplicada. O domínio do mecanismo de ação e a característica de cada substância química também fazem parte do segredo e dos bons resultados. A escolha da substância.Bons resultados podem ser obtidos com várias aplicações de peelings muito superficiais realizados semanalmente. Os fatores que influem na penetração do peeling são: ‡ Escolha do agente esfoliante ‡ Concentração do agente esfoliante ‡ Técnica de Aplicação ‡ Como a pele foi limpa e desengordurada ‡ Preparação da Pele ‡ Espessura da pele do paciente ‡ Área da aplicação ‡ pH DICAS IMPORTANTES: Preparação da Pele: ‡ Anamnese ‡ Orientar o cliente ‡ Limpeza de Pele ‡ Preparação da Pele domiciliar ‡ Hidratação. A descamação subseqüente costuma ser fina e não atrapalha o dia a dia da cliente.

É EFICAZ E NÃO OFERECE RISCOS" " Realizados com ativos em baixas concentrações. O PROCEDIMENTO PRODUZ UMA DESCAMAÇÃO SUAVE. pois têm biodisponibilidade na pele. E mais. os peelings químicos devem ser realizados por esteticistas em concentrações específicas. esteticistas só devem realizar procedimentos que não removam a epiderme além do estrato córneo superficial (composto por células chamadas corneócitos). diz o Dr.8 e 4. . O cirurgião plástico Rômulo Mêne considera que o profissional de estética é um integrante importante das equipes de dermatologia ou cirurgia plástica. "PEELING QUÍMICO SUPERFICIAL NA ESTÉTICA" OS PEELINGS QUÍMICOS SUPERFICIAIS SÃO UMA ALTERNATIVA A MAIS PARA DEIXAR A CÚTIS JOVEM. melhoram a textura. VIÇOSA E HIDRATADA. Em geral. Mêne. Peelings superficiais em série. Comforme o especilista. realizados com pequenos intervalos de tempo. UTILIZANDO ÁCIDOS EM BAIXAS CONCENTRAÇÕES. Além de hidratar. clareiam as manchas. os ácidos com pH entre 3. Eles não oferecem riscos porque causam apenas descamação suave. o mais difícil é indicar o peeling adequado ao estado da pele. eles possuem leve ação queratolítica. Ele dá suporte na realização de procedimentos cutâneos mais simples como peelings superficiais.2 são mais adequados. Segundo o médico. O número de sessões depende do tipo de peeling ou das alterações da pele. os Peelings Químicos Suaves são os mais indicados para serem manipulados e aplicados por esteticistas porque não apresentam riscos de lesões. amenizam as rugas finas e estimulam a renovação do colágeno.Cuidado Pós Peeling Imediato: ‡Filtro Solar Físico ‡Compressas de chá de Camonila ‡Evitar Sol por 30 dias ‡Não remover crostas ou pele ‡Não esfoliar ‡Evitar banhos quentes ‡Não usar cremes com àcidos nos dias seguintes.

etc. Entre os resultados oferecidos estão: Melhoria da textura e da uniformidade cutâneas. queratoses. fizeram o peeling ser o segundo método mais usado em cosmética média. através da ação da esponja que necessita estar em contato com a membrana basal. A descamação estimula a produção de colágeno e queratina. que somados aos produto mais antigos. São indicados ainda para preparar a pele antes da aplicação. Melhor controle da olesidade. INDICAÇÕES E BENEFÍCIOS Os peelings superficiais são próprios para o tratamento de certas ciatrizes de acne. embora exerça parte de sua atividade na derme superficial ou papilar. A década de 90 produziu medicamentos mais modernos. não podem ser submetidas ao peeling. Renovação celular e Consequente atenuação das marcas de expressão. . sardas (efélides). Maior equilibrio do manto hidrolipídico. Eles também podem ser coadjuvantes na despigmentação e no tratamento da hiperqueratinização (tendência à aspereza). fotoenvelhecimento e rugas finas. Clareamento. estimulando a vasodilatação e renovando a epiderme que desprende células mortas da capa córnea.O Peeling Químico Superficial age na epiderme. da aplicação de lazer para combater a hiperpigmentação pós-inflamatória. Peles muito sensíveis ou queimadas de sol. elementos que possuímos no organismo.os corneócitos. que apresentam ferimentos ou infecções.

o Ácido Glicólico é uma opção segura e eficaz. Além disso. uma vez que os ácidos deixam a epiderme mais fina e sensível aos danos solares. ressecamendto. Vitamina C e ácido de Sementes de Flores ou Marinhos e Ácidos de Frutas com até 10% de concentração. O Dr. substância que une os corneócitos para evitar a penetração de agentes externos no interior da pele. Depois do Peeling Superficial é normal que a pele apresente vermelhidão suave. Rômulo Mêne considera que peles com melasma. repuxamento e leve descamação. impede a perda de água.CUIDADOS FUNDAMENTAIS: É importante que o paciente não se exponha ao sol sem porteção durante e após o procedimento. que desloca com precisão o estrato córneo superficial. . Para o Dr. As Esteticistas podem adotar diferentes combinações de ativos para alcaçar os resultados desejados. AVALIAÇÃO CUIDADOSA É ESSENCIAL: Antes de indicar o tipo de peeling é preciso uma valiação precisa das reais necessidades cutâneas para evitar efeitos indesejáveis como Hiperpigmentação e Frosting (aspécto esbranquiçado que indica a denaturação das proteínas da pele). para que a renovação da cútis se dê sem ferimentos". O Sol potencializa a ação dos ácidos provoca manchas e irritações diversas ou aumenta a vermelhidão da pele. "Ele age sobre a filagrina. O ácido deve ser retirado ao primeiro sinal de ardência. entre 1 a 3 minutos. ou ácido salicílico a 2% nas peles oleosas. sem agredir a pele. Rômulo Mêne. negras e asiáticas exigem protocolos de tratamento estético bem rigorosos. É indicado o uso de FPS 30 várias vezes ao dia. Substâncias como Ácido Glicólico. sensação de ardor.

Indica-se ao menos 6 sessões. não tinha dúvidas de que atingiria o seu objetivo. ATIVOS QUE PODEM SER UTILIZADOS NOS PEELINGS EM SÉRIE: ÁCIDO RETINÓICO. Entre as vantagens estâo a ausência de ardência e o nãocomprometimento da rotina diária. Porém. O profissional de estética poderá aplicá-lo em consultório médico e com orientação do dermatologista. combater o fotoenvelhecimento e amenizar a hiperpigmentação. Durante o Congresso. cerca de 2000 retinódes. As concentrações variam de 1 a 5%. com intervalos de 7 a 15 dias entre uma e outra sessão. E efetivamente há 19 anos sua pesquisa teve êxito e sua descoberta mostrou-se tão importante que hoje já podem se usados. manchas e alterações da superfície da pele. pois a descamação é discreta.Para fotoenvelhecimento. Os Peelings superficiais em série. aceleram o processo de renovação cutânea e estimulam a produção de colágeno. Esta técnica equivale a um peeling químico superficial. . nos quais se usam ativos diferentes. o Dermatologista norte-americano Dr. acne. Albert Kligman revelou que em 1963 tentou criar o ácido retinóico a partir da vitamina A ácida e não teve sucesso.PEELINGS EM SEQUÊNCIA: É indicado a aplicação em série de ácidos. para tratar marcas de acne. coma as mais diversas finalidades.

Em cabine de estética. é uma alterantiva de peeling para todos os tipos de pele. descobrimos um maior número de aplicações para substância. se o pH for de 3. Ação antifúngica suave quando . ÁCIDO GLOCÓLICO. As concentrações mais usadas por profissionais de estética têm maior ou menor atuação frente ao pH do produto: se o ácido glicólico for usado a uma concentração de 10% com pH 2. . comenta o Dr.Ou Resorcinol é um derivado fenólico que pode ser associado ao ácido salicílico (queratolítico) e ao ácido láctico em peelings superficiais. Melhora a textura da pele.Empregado como agente queratolítico. o ácido mandélico só é liberado a 10%. de melhor tolerância e produz resultados lentos. A recuperação é rápida e os riscos de complicações quase nulos.É um tipo de alfahidroxiácido. atenua rugas.MÁLICO. dese o combate à acne. teremos uma biodisponibilidade (permeabilidade) do ácido na pele de 100%. Por todos esse fatores. Ao invés de penetrar 10% ele penetrará 3. em concentrações de 3 a 5%. Kligman. como na quimioterapia. ÁCIDO MANDÉLICO. seu poder antisséptico o diferencia dos outros alfa-hidroxiácidos.2 a biodisponibilidade será de 35%. como terapia anti-envelhecimento". Juntos cusam a ruptura de ligações de corneócitos e consequente descamação.Extraído da amêndoa amarga. Foram minhas próprias pacientes que me apontaram o uso do ácido retinóico. No Brasil."Quanto mais estudamos o Ácido retinóico. porém ótimos e seguros. Na verdade. O Tratamento com Ácido Mandélico a 20% é menos agressivo. . pode ser empregado no tratamento de quase todos os problemas ligados à pele. contido no leite. RESORCINA. Seus efeitos biológicos são inúmeros.TARTÁRICO. a concentração em cosméticos é de até 2%. nas frutas ácidas. Ele também pode ser aplicado em qualquer época do ano. encontrado na cana-de açucar. atua como coadjuvante para as substâncias despigmentantes e melhora peles hipercrômicas. nas uvas. porque falamos de um pH mais próximo da pele.5%. ÁCIDO SALICÍLICO.8 ou 4. O uso tópico do ácido mandélico tem atividade cosméticofarmacêutica e poder anti-bacteriano. Ácidos desse grupo: .LÁCTICO. Esses ácidos podem ser aplicados como peelings sequênciais(4 a 6 sess).

fotoprotetoras e adstringentes. anti-inflamatórias. além de melhorar a textura da pele. possuía ação importante no tratamento da pele danificada ou fotoenvelhecida.associado ao ácido benzóico. Desde que foi descoberto em 1860. Este ácido está sendo muito utilizado com o enfoque de tratamento no envelhecimento cutâneo e aplicado em cabine. de manter a pele viçosa e livre de manchas eles causam uma descamação discreta e por isso não alteram a rotina diária. comedolíticas. este ácido sempre esteve presente no arsenal terapêutico por suas múltiplas aplicações. Para tratar acne e outras patologias onde há hiperqueratose. Recentemente. São muitas as opções para a realização de peelings na cabine de estética. CONSULTORES: DR Rômulo Mêne (Cirurgião Plástico) Dr Albert Kligman (Dermatologista) . em concentrações que variam de 2 a 10%. anti-sépticas. O Dr Albert Kligman (Dermatologista) confirma que o "ácido salicílico é efetivo na redução das rugas finas e linhas. pois atua como exfoliante epidérmico. Além. descobriu-se que além de suas propriedades queratolíticas.