You are on page 1of 7

Dois conceitos de Liberdade

Pequeno texto sobre Two concepts of Liberty de Isaiah Berlin em Four essays on Liberty
Trabalho para a disciplina de Filosofia do Direito e Metodologia Jurídica I

ISMAT Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes 2011

Docente: Dr.20083584 . de Sousa . João Titta Maurício Discente: Pedro Miguel B.

a person or group of persons . sem interferência de outras pessoas1. pensamos nela como a faculdade de se fazer aquilo que se quer quando se quer. Neste texto propomos-nos a uma breve abordagem a um texto de Isaiah Berlin acerca da liberdade. intitulado two concepts of liberty . Um deles. de alguma forma. já os humanos se debatiam por um estado de liberdade. Nos dias que correm. Ainda antes da história em si existir. muitas mais concepções e variações sobre o tema podem ser encontradas. Isaiah Berlin propõe-se a examinar. e a liberdade como possibilidade ou como escolha. por ele identificado como liberdade negativa está relacionado com a procura da resposta à pergunta sobre qual o espaço dentro do qual um sujeito. relaciona-se com a resposta à questão O quê 1 'What is the area within which the subject . a liberdade como necessidade. significando a ausência de condições ou de limites. uma pessoa ou um grupo de pessoas. poucas vezes pensamos que inúmeras vezes ao longo da nossa vida esta liberdade é. identificado como liberdade positiva . seja pelo estado que nos governa directa ou indirectamente ou até mesmo por nós. No entanto. without interference by other persons?' . apenas dois dos sentidos da expressão liberdade. mesmo sem terem a noção da palavra ou sequer de terem pensado fosse o que fosse dos conceitos e polémicas que a rodearão ao longo dos séculos de pensamento filosófico que se seguiriam.is or should be left to do or be what he is able to do or be. O outro. pela nossa consciência ou pelo nosso ego. podemos encontrar a liberdade como autodeterminação. Assim. a substancia ou o estado. Em filosofia.A ideia de Liberdade tem acompanhado os humanos ao longo da sua história. no seu texto. são-lhe muitas vezes apontadas três conceções que se sobrepuseram de alguma forma ao longo ao longo da história. limitada ou mesmo impedida de ser exercida. seja pelos simples indivíduos com que nos cruzamos diariamente. com base na precedente mas atribuindo-a à totalidade a que o homem pertence. como o mundo. é ou se deve deixar fazer ou ser o que ele é capaz de fazer ou ser.

exista também a capacidade de efetivar a escolha que a liberdade negativa permite. a liberdade negativa entende-se como aquela na qual o ser é livre de se conformar áquilo que a esfera publica lhe impõe. Acerca da liberdade negativa. é a origem do controlo ou interferência que pode determinar alguém a fazer. or who. passa pela ideia de que a liberdade negativa não é suficiente. A liberdade positiva. pela sua própria lei. livre para agir com autonomia. cujo principal objetivo passa por garantir que a liberdade de uns não interfere na liberdade de outros. Politicamente a noção é muito próxima. respeitador da esfera privada das decisões individuais e pessoais do cidadão. o individuo é tanto mais livre quanto menor for a interferência de terceiros na sua esfera de decisão o que em termos políticos significa a existência de um Estado pequeno e limitado. consistindo a liberdade negativa na área dentro da qual podemos agir livres 2 'What. uma coisa ao invés de outra2. ou a ser. é também necessário que. this rather than that?' . por outro lado.ou quem. or be. Posto de outra forma. ressalvando no entanto para si um espaço não-público no qual o poder público não pode interferir. assim a liberdade positiva é aquela na qual o ser é livre de decidir por si o seu futuro. Isaiah Berlin no seu texto começa por indicar que normalmente nos consideramos livres na medida em que nada nem ninguém interfere com a nossa própria atividade. is the source of control or interference that can determine someone to do. além da ausência de coerção que a liberdade negativa deseja atribuir ao individuo. tendo o domínio sobre si mesmo ou sobre o seu ambiente. o equivalente ao que comummente se diz que a liberdade de um termina com a liberdade de outro. ou seja.

das suas decisões dependerem apenas de si. deriva do desejo do individuo de ser o seu próprio amo. pode ser até considerada coerciva. mas que ainda assim não são restrições à sua liberdade mas sim inabilidades decorrentes dos mais variados e possíveis motivos). já que mesmo o individuo despido da escravidão espiritual e da escravidão da natureza toma consciência de um ego que domina e de que algo neles (indivíduos supostamente positivamente livres) é dominado. se essa não liberdade for de alguma forma imposta por outros homens. Desta forma. somos nessa medida não-livres e. se nos restringem de fazer algo. já que ninguém o obriga a tomar substancias. Desta forma. não sendo no entanto a coerção a única forma de restrição possível à liberdade. A noção de liberdade positiva. o conceito de liberdade positiva surge como um conceito politicamente perigoso. como sendo o impulso irracional e os desejos incontroláveis. pois iria autorizar interferências indevidas do estado na vida dos indivíduos. como indica Berlin. no entanto. como sendo condições físicas (que me impedem de saltar 10 metros de altura. mas não tem de todo liberdade positiva já que a sua condição o priva dessa liberdade. exemplo disso é o toxicómano que tem a liberdade negativa. continua Berlin. Existem de facto inúmeras condições impeditivas e restritivas da liberdade. Mas poderá esta noção de liberdade positiva ser plena? Isaiah Berlin diz-nos que não.dos condicionalismos de outros. mas não me retiram a liberdade de o poder fazer) ou condições económicas (que impedem o pobre de adquirir determinados bens. para se considerarem coercivas é necessário que exista uma deliberada interferência do homem numa determinada área. sobre a qual normalmente poderíamos atuar. .

parece-me ser um ideal mais verdadeiro e mais humano do que os objectivos daqueles que procuram nas grandes. com a medida de liberdade ?negativa? que ele implica. ou povos. É mais verdadeiro. . para ele "o pluralismo. nem todos eles comensuráveis. e em perpétua rivalidade uns com os outros".Em que medida então é que se poderão tomar em conta estes conceitos de liberdade? Para Isaiah Berlin é claro que não se pode ter tudo ao mesmo tempo. ou pelo conjunto da humanidade. porque pelo menos reconhece o facto de que os objectivos humanos são muitos. disciplinadas e autoritárias estruturas o ideal do autogoverno ?positivo?. por classes.

Isaiah Berlin: Liberdade e Pluralismo. 2000 BERLIN. s. Jornal i. In Isaiah Berlin (1969) Four Essays on Liberty. ROTHBARD. São Paulo: Martins Fontes.d. Niccola. . Dicionário de Filosofia. ESPADA. Plátano Editora. João Carlos. 4ª Ed. s.. s.. Oxford: Oxford University Press.Bibliografia ABBAGNANO. s. A ética da liberdade ± A liberdade negativa de Isaiah Berlin. 11 de Julho de 2009 GALVÃO..d. s. Dicionário Escolar de Filosofia. Isaiah. Murray N.l.d. Pedro.l. Two concepts of liberty..