MOÇÃO Documento aprovado em Reunião Geral de Professores do AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE, realizada em 20/11/08 Considerando que: 1 - A aplicação do modelo de avaliação

dos professores imposta pelo ME veio confirmar a sua extrema burocratização e a imposição de reuniões sucessivas que em nada ajudam à clarificação do processo e à estabilidade da Escola, colocando em causa o mesmo desempenho que se pretende avaliar; 2 - É um modelo que promove a injustiça e os conflitos de interesse e manifesta uma completa falta de rigor e de credibilidade entre os professores; 3 - Na aplicação deste modelo, são relegadas para segundo plano a preparação e a execução do planeamento das actividades lectivas, assim como o desenvolvimento do processo de ensino /aprendizagem dos alunos; 4 - O Conselho Científico responsável pelas orientações do processo de avaliação não reúne há cerca de quatro meses, não dando assim resposta às múltiplas questões que têm surgido, como por exemplo aos critérios de avaliação para cada um dos parâmetros consignados no diploma; 5 - O próprio processo em que se baseia o presente modelo de avaliação de desempenho assenta em arbitrariedades absolutamente incompreensíveis, obrigando os candidatos em início de carreira a provas de ingresso na carreira, e promovendo alguns professores a titulares com poderes de avaliadores, a partir de um concurso administrativo sem qualquer prestação de provas; como resultado o concurso para titulares produziu hierarquias administrativas que distorcem as capacidades profissionais que os docentes reconhecem entre os colegas. Mesmo entre os titulares, o modelo promoveu mecanismos de acesso à categoria que violam o princípio constitucional da igualdade, uma vez que os primeiros ascenderam à categoria por processos burocráticos, e os seguintes terão de prestar provas para ascender à mesma categoria. 6 - Uma avaliação do desempenho que associa o sucesso e o abandono escolares ao resultado da avaliação do professor, não faz mais do que transmitir para os colegas que hão-de receber os alunos, todas as deficiências que se vão acumulando ano após ano; e estes por sua vez, ficam comprometidos com as deficiências que encontram, sob pena de prejudicar a sua própria avaliação. 7 - No dia 8 de Novembro de 2008 foi aprovada uma resolução neste mesmo sentido pelos cerca de 120 mil professores que se deslocaram pessoalmente à sua Manifestação Nacional; Os professores do Agrupamento de Escolas de Alvalade, reunidos no dia 20 de Novembro de 2008, decidem: a) Manifestar ao ME a necessidade imperiosa de alterar o modelo de avaliação, centralizando o mesmo no cumprimento do serviço lectivo e não lectivo, na actualização da formação profissional e no contributo para a melhoria da qualidade do ensino/aprendizagem e prescindindo do sistema de cotas; b) Suspender a aplicação do presente modelo de avaliação do desempenho e todas as tarefas de concretização de actividades que se integrem na aplicação do modelo imposto pelo ME, de modo a restaurar as condições necessárias ao processo de ensino /aprendizagem na Escola. (a enviar ao Presidente da República, à Ministra da Educação, aos Grupos Parlamentares da Assembleia da República)