geral Revisão

FundamentalÀngulosnotáveis: Revisão Ensino do
Potenciaçâo
PÌopÍiedades l e ) ao : l ( pa r a â +0 ) 2 ! ) â ô: l - l
5ï (a9' = a"': (a')" 30"
1 2 45' 6oo

"E 2
't5
2

.rã
2
I

( pà r a a +0) 6c) (a. b)" = â". b^
'

.rT
2

2

3ê) a n . â m = ân +m

\b/

b'

./5
3

Potênciade expoenteracionat:a* : i,6; científica se Notação<ientíÍica: estáem notação x x=d.l0n,com1<a<10.

ObseÌvâção: or+ P:90'(ou seja, res), Se complementa entãosen = cosB e senB = (os a. d Relaçôêsfundâmêntàls: o + cosz : 1 sen2 c!

Produtos notáveis
(a + b)(a b) : â'z- b'? (a + b)'z: a'? 2ab + b'z + (a b)'?: ã2- 2ab + b'z (a+ b+cf =a'7-b'z <'z 2ab (a + b)3= a3+ 3a')b 3ab'z b3 + + : a3 3a'?b 3âb'z- b3 + {a - b)3 t, (Vunespl exprcssão A a: !625 + 16-4 equivale al r,65. c) 0,825. eJ0,525. b ) r0 6 5 . dl0,625. = 2. (Fuv€st-SPl416.5,5 d.l0i, comI < d < 10, Se guaa entãoné a) 24. bl25. c)26. t)27 e)28. (x 3. [Unifor A expÍessão - ])'z+ [x - ]13é equva Cü a)x3+x2 2. b) x3+ 2x, + 1. cl x3 2xr+x. e)x3+x2 2x dl tx rl5. J3 +J2

2àc+ 2h<

Fatoraçào expressôes de algébricas
FatoÍcomumêm evidência:ax+ + az: â(x+ y + z) ay + ay+ bx+ by- a(x+y)+ b(x+ y): Agrupamento: ax = (x+ yxa+b ) - b'z DíeÌeriçadequadÌador'â'z = (a+ bxa b) pêÍelto a'z 2ab+ b':: (a+ b)'z quadredo + TÌinômio a, 2âb+br=(a_b), grau:ax'z+ + c = a(x \Xx xr), TÌinômiodo2e bx as do emquexr exr sáo raÍzes trinômio = (a+ b)(a'z-ab + b'z) Cubos ar + b3 a3- br = (a- bxa,+ ab +b,) + a3+ 3a,b+ 3abz br : (a+ b)3 _ 3a'b+ 3ab, b3= (ã, b)3 a3

4.tu.ccRseaA- - eBentãoA+Béguala:

V3 -V2

.

d -z',8. ul :nã.

d -zrã. al:n5

"l

z"E.

retângulo Trigonomelria triângulo no
ïêoÌemadê PitágoÌas:a2: b2+ c2 Râzôês tÍlgonométÌi<as: b a

2ú .3ú + 6" .3 5, [Unêb O v€oÍ dâexpressão BA] 2" .3n + 6" .2 a) 12. el36 b)48. cl 6. dl l
I;M

6. t'Fuvest :l' SPì ì/

- ' r0

=
e- | l

of
or 4
5

c) 2".

í2" \t

\ r 0J

|

t 9 a-

b c

d) 2n.

7. GqVSD Sirnp iÍÌcândo-se ímção a
I rr

sm'z+ + 5 10m

,ì-T itrn -

M

15- (UFGCEI Sejam B e Oosánguios umÍânguo.Seâs d, de med desses ossãodiEÌãrnente das proporciona I , êngu sa 2 e 3,respect vâm€nte,a bssetizdoânglloÍl mêde e duas Lrn dades coÍnpriÍlìemo c), a med do peímetro de dâ [u. d€ssetránguo é:

,-

Ín 5[ m + ]l

.- m+l _ 5m

al s["6 + zJu.c. rl ['6 + r] u.c.
cJ :."6 u.c.

d :(16 + rl u.c. el [e,6 r] u.c.

8. [Flvest A díercnça o clbo dasoma doìs SP] enrre de pode núrneros nteirose soma seus e de cubos sef:
bJ5. cl 6. d) 7. elL

9. [fuvest A d íerença SP] enÍe osquadrados dois de nú meros natura é 21.ljm dospossíveÌs s valorcs soma da dosquadÍados desses números dois é: al 29. c) 132. bl s7 dl r84. 'lO. (UfscaÊSPJ Selam e n dos núrnercs m reas.A desi guâdâde + n, > 2Ínn rn, vale: a) soment€pâm m >0,n<0. bl paratodosos m e n reas. para cl somente Ín > 0, n > 0. dlsomentepâÍãm =n=0. pâÉ e) soment€ m e n interos. I Ì. (Fátec Sabe quea2- 2bc - b, - c, : 40 e SPI se a - b c = I0 coma, b e c números €ais.Então, o Vaordea b + cé guaa: + alI b)2. cl4. dll0. e)2A . 12, [Fuvest-SP) vértces uÍntÍiângulo Os de ÂBC,no plano canesano, A[], 01,Bt0, rl e C(0, são Então, o '6). ángulo BACmede: âl 60". cl30'. e) l5'. b) 45". d l8' 13. IUFCCEISejârn e p osângulos d agudos uÍntrãn de gulo Íetángu Sesend = senp esea Ínedida hipoo da tenLrsa4 cm,a árca é desse tfánguo [erncm,]ó: a) 2. c) L el 16. bl 4. d) 12. Ì4. IFGV ÂÍSUÍa SPI reprcsenÌa lmaÍleimden ivrosdèn ticos, uÍna em estante 2 rnetros 20 cenÍÍnetros de e d€ compr mento.

16. tFuvesfsD êl Qua medda 2"? a de

b) CalcuLe + 901 eã

17. (Unic€rnp Dados doisnúmeros posìrvos, e SP) os i6 ne Vf. determ o maior.
Ìü. [V i"esp) Se \ L - À cacLlêpÍr unçáooF ]

u l, " * \ t

rt ' . * ]

'l9. [tuvesfsPJ al Sex + -: = b,calcule + -- . x, bl R€solvâ a equaÇâox'z- 8 5x+ : ++ = 0.

20, tuncamp Umciclisra pedala bciclek ro SPI urna com dàs nes-no âne_o com stánc entÍe exos de d e d as os de1,20 NLrm m. detefininado instante vm o glldão ele em30'e mânÌém posiçâo paraãndarem o. o nesta cíÍcu Calcule ÍaÌos cÍrc!]os pelas os dos descritos rcdâs danteim tras€iE bicìceta. e da

Conjuntos, conjuntos numéricos e funçôes
Conjuntos
Número desubconjuntos umconjuntoAcom elede n p(A) mentos: = 2" OpeÌaçóes (u) uniáo (-) Diferença
B

F-,12

m ,-

l

= Á B : DC:20c me AO= BC 6 c m Nascondçõesdâdas, é gua a: n

a) 32. bl 33.

cJ34. dJ35.

el36.

(n) lntersecção

Complementarem relação universo ao

ïpos deÍunçôes
. Função injetivâ:ÍA.- B talquexr+ xzemAã + f(xr)+ f(x,)em B . Funçáo sobrejetiva:ÍA.* B talquelm(f)= B . Funçáo bijetiva: A* f B tal quef é injetìva e sobrêjetiva sÍmultâneamente . Funcão composta Dâdâs ãsfunçõês A - B e g: B*C, denominamos fi funçãocompostade g e f a Íunçãog o f: A * C, que é definidapor(g of)(x) = g(flx)), e A. x

rí ))

-u'----'v

B-_\

\_x_-/
Ã., aC., C; Número elêmentos união: de da n (A U B) - n( A) +n ( B ) n(A B). n

Coniuntos numéricos

Funções
Dadosdoh conjuntos nãovaziosAB,umô função e quedizcomo dêAemB é uma regra associarcada elemento € Aa umúnicoelementoy x € B, Usamosseguinte à notação: ÍA*B ou A I-B quese fé uma lê: função AemB. de

Funçáo ìnversa Dada uma funçáoí: A * B, bijetiva,denomina-se funçãoinveÍsâ fa funçáog: B- A talque, se de : b,entáo g(b)= a,comàÊ e b € B. f(a)
A3

^ '=(') . A: domíniode Í D(f) . Bicontradom de í CD(f) ínio . O conjunto dosy obtidosé a ìmagem deÍ lm(f)

SóexisteÍunção inversa umafunção de büetiva.

ffi
21. tUFBA) representaÉo coÍnplemenÍff [M N]n P, A do de emÍelação,b eslá pela P, indicada região colodda del

D( f ): { x € lRl2 <x<4 }= 12,41 l m( í )- { y€ lRl 1 <y<s} = 11,51

@

OJ

que Considerando-se dados, coffeto esses é €fÌnnar o númerc totalde entrevistâdos foi: âJr 200. bl I500. cJ 1250. dl I350. 24. (PUC-SPl dados conjuntos São os A= {xe N lx é par},8 {xÊzl I <x<6)e C: {xelN x < 4}.0 conluntota quex€ B e X,

CJ

B -X = A n C, é : a ) { 0 , 3 , 5 ). r, b l { -r, r, 3 , 5 , 6 1 . c l { r, 3 , 5 ).
t)2,212121...

dl {0,3, 5}. e) { r, 1,3,5}.

25. (UEL-PRI Obseve seguintes os númêÍosl

r)3,212223... D;

lu3,r 4r 6 Vl \F

Assnale atem€tÌv€ idenÌrfica númems onaisqlre a iÍâc os al le ll. cl l l el l . el l l eV bllelV d)l l eV

el

26, TUFPB) yr y, Selam reais = 0,333.... : 5,0131313... os e y3 = 0,202002000... disso, âs soAém consdeÍam-se rnas = yj +y/S, =yr +y3e53=yr +yr+y3. SÌ pod€rnos Então, aÍmaf qLrel âl Íé Íraciona. cl Sr é iÍrEconal.el 53éÍãconâ|. b) yz é irÍâciona. dl 52 é imciona.

27- rUTC \een MeI{ onLntos oossJer dìi. q-e Cn uìr coelemento cornum, o númerc subconluntos eÍn Se de de 22, [PUC-PR) umapesqusa coÍn120empregados Em feita M é iguaao dobro núÍnero subconjuntosN, o de do de de uÍna Írma,veriÍÌco!-seseguÌnte: o número eìem€ntos conjunÌo U N é: de do N/ì . têrn própda casa 38 aJo triplo númerc elementos M. do de de . têrn curso supenor @sa 42 b) o triplo número elementos I{. do de de . têÍn pano saúde:70 de cl o quádrupo núÍnerc eementos M. do de de . têm própra pla c€sa e dl o dobro núrnerc elementos M, do de de nodesaúde:34 el o dobro núrnerc elemenlos I{. do de de . tém própÍia câsa ecuÈ

sosuper0r:17
. témcLrfso supeforeplano saúde:24 de . têrn púpria, anodesaúde curso p casa e supef 15 ori qualaporcentagem €mpregados não enquaque se dos d|aÍnern nenhuma situaçôes das anteriores? [Sugeslãoi para Ljtilze diagrama Venn o de facilitaÍ cálculos.) os a) 25ak c) 350,1] e) 45% bl 30% dJ40% pesquisa opinião, obtjdos 23. [UFN/ìG] uÍÌra Em de ioÉÍn estes . . . . . . . . 40%dosentrcvistados ojornalA. êem 55%dosentrcvlsÌados ojornaB. lêem 35%dosentrcvistados o joma C. lêem 12%dosentrevistados osjornals e g. lêem A 15% entrevistados osjornais e C. dos léem A 19% entrevistados osjornals e C, dos éem B 70Á entrevistados ostfêsjoríìais. dos léern I 35pessoas entrev stadas lêeÍn não nenhuÍn três dos

28- tìTASP)SelâÍn uÍnconjunto A e comI elementos B um conjlnto queA U B conÌenhâ eleÍnentos. o tal 12 Enião, núm€ro e ementos P(B/A) P(O)é iguaai de de U a)L c)20. e)L bl 16. dl 17 Observaçâo:Se é urnconlLrìto, denota conX P[! o juntodetodos subconjuntosX. os de Á"/B=(xeAixÉB). 29. (Epcar-[,4c] Dados conjuntos = {-1, 0, l, 2} e os A = {0,l,2,3,4},ass dentre Íelaçôes B nale as seguintes a qLre aternatva repÍesenta umaíun@o deAem B. (2,4, a) {t-r,0),.t0, (1,2),0,3), r),

b ) { t -1 ,r),(0 , 0 , 0 ),0 , 2 l} r), cl {(0, tr,01, rl, t2,4l} 11, t2, (r, dl {t-r, r),(0,0), r),t2,4l}

y 30- (Faap-SD Durante mês, número de undades um o produzdas urn de deteÍmÌnado emfunção núbern do
rnero defuncionádos x empregados acoÍdo a lei de com

que l2l íuncionáfos é y = 50!ç. Sabendo estãoernpÍegâdos, âcréscmode prcdução o com a admissão d€

48 novos fLrnconiÍios é: âl 550. c) r00. h) 250. dl650.

e)200.

polnomais 3I. [FLrvest-SP) Pe 0s gráÍcos deduasfunções estão rcprcsenÌados nafigura seguir a Q

35. ttuvest SP)Afg!Ë abaxo r€pÍes€ntâ SÉfco de uma o fJlcão dâ Íor rd ÍfÀì ' -1 hx+ . mÉ I . I * 5

.Q[x] < 0 pam: Então. intervalo no [-4,8], P(x) b) 2<x< I ou5<x<8. c) 4<x< 2or 2<x<4 d) 4<x<-2o!5<x<8. el -1 <x<5. 32. tun'fespl i: Z - Z uma Seja íunção crescente e sob|ejeÌora, inteiros. ondeZé o conlunto números dos Sabendo quef[2] = 4,umâ possibilidades f[n] é: pata das

Pode concuiÍ o vaoÍde b è: que se cl 0. bl t. d) 1.

e)2.

al ftnl = 2tn 41. bl f i n) =n 6 . c) f[n] = -n - 2.

dJftnl = n. el ítnl = n'?.

36. tMack S€t 1,2léocorìjunto SD Ínagern lrnâtunção cle f[x].então conjunÌo o irnageíf g[x) = 2 .í[x] + I é: de

portodas esco 33, [UfRN)Sejam o conjunto E iorÍnado as Seja em Cesus eT.a l€sde ensino médio Natal P o conjlfto formado 37. [Vunesp] Tca ternpe€tuÍa graus de e Ínesrììa ternperatLiE emgmus ?hEnheit Essas esduas pelosnúÍneros representam que a quantidade profes de calas lFl pprdturd Íeaooada)pea eq-d\ào de e).ão sores cada de escoa conjunto do E. 9Ì. = sTF I 60.Considerc TKa mesma agora Ì€mpeÍanJE queacada a deEassoca Pé aíun@o Sef:E esco seu na escâ Kelvin. escalâs a As estão rclaKevne Celsius professoÍes, número de então: pelâ que cionadâs eqlação = Tc+ 273. equação TK A a) Ínão pode uma ser íunçâo bijetota. reiaciona esca FahrenhetKevr é: as as e bJÍnão pode uma ser iunFo njetorâ. c) Íé uma função 9I, 2657 sobrejetora. ,dl í é necessaramente íünção urnâ injetoÍa. 5 '5 -

al l-r 21. b) | 2,rl.

cl l- r ,51. d)to,41.

el Í-4, -rl

9L 2 457 9I, 2617 y 34, [Unfesp) funções = f[x) quepossuernseguinte Há a D J-= '5 propr edade: vaorcsdistinÌos x corr€spondem a vade lores distintos yl Tais de fun@es charnadas são injeto|as. 9r, - 2297 cl rr= cujosgnífcosaparccern xo, aba Quâ, dentreasfuhçôes 5 é nletoÍa? 38- (Utucaf-SPl funções g âssociârn, As fe a cadanúmero a) b) por3 e por6, rcsnatuml, rcsto divisão nÚmero o da do pectivamente. assm, pafã sendo todonÚmerc nat!€lx,

gtf[x]l isuala: é a) ftxl. c) 2(x). bl stx). d) 2s(x).

e)f(x)+ g(xl.

39. (UFPB) Considerefunção 10, . * t0,31. a f: 2l deÍnida _unção [,r10<x<t por t.l - {' - " A rve sa de Í l2x- 1,1<x<2 no está melhor representadagróÍco:

4t - (ESPí\I-SPI Í e g sãofunçõês pof Se Íeâisdefnìdas

[l+ z^+ a.se*= r g(t] ! Ìt! - j_ e - 3. e !ão lrx+4.s€x<r .- f o oí5ì pêra =:--:= Á ÌeÍnos
Ì 0 gLJl

al K= 0 b ) K = l.

c)K=2.

e)K:a.

oK= 3.

42. [Fâtec-S Seja a função R emlRrepÍesentada P] f de no gráfìco xo. aba

g, 0 grálìco íunção de R ern R.defrn por da da g[x) = f[í[x]1, interceptaeixo o d€s: al ordenâdas ponio[0,3J. no blabscssasnooonlol o I -:: \3 / cJ odenadas ponto 4J no [0, a1atscissas ponto -{, o ] no [ \e./ el orden€das ponto no [0,6). 43. tunit€D Seja íunção por Í€ deA emlRdeÍnida í[x) = ] 2x.Seo conjunto imagern deÍéo nteNalo [-3,]tl,oconjuntoAé: âll 5,21. c)l-5,11. e)ll,5i.
/ 1^ \

bl t-2,51.

d)tr, 51.

(,ffi-ffi
44. (FGV PlNuma S tàìrlo, cidade Íìterior estado São do do de pÉvlae eitoÍal uma enüe2000fi iados revelou s€guintes as nforÍnações A, a rcspeito trêscandidatos B e C, do de (PD, l%Ítido Esperança queconcoÍÍeÍ€ìm c€fgos da atrês diferentes: l)Todos Íl adosvotâram nãohouve os e regìstro voto de err b?_co.tdnpoLco vol0nJo. dF ll280 íÌliâdos votârâÍníavor A e de B. a de Ill) 980frliados vota€m tuvor A oudeB, Ínâs deC. a de não l\4 420fliados votâÍamtuvof B, Ínas deA oudeC. â de não \41220Íìiados votaÍâÍníavof B olrde C, mas â nào de deA. ..* [-3,6] a função @J 40, [AFA-SP) fr [1, Seja definida VD640filados \olamm favor C, mas deA oudeB. a de não :3x'?- 6x Seg [-3,ó)*[],óléafunção porf[x) VIDI40 fi iados votaram tu\oÍdeA e deC, mâs de B. a não nveBa deí, entâo [9[6)- g[3]1'zé: DeterÍnine o número defilados PEque: ao al 5.i c)5-2r6. al votaÍaÍnfâvor trêscândidâtosl â dos b) 2.i6. : - -, d) -5 + 2.,/6. bl votaÍâÍníâvor âpenâs doscânddâtos. â de um

45. [UFR.J) amostm ]00 caxasde pÍluias UÍna de antcon-

pea cepcionais fabricadâs Nascebern foienviada S,A. pâ|aa fscalização Uma íunção fi lR sanitár Notestede qualidade, a. 60 lR chama'sefunçãaafim por píìu quando existem dois números reais a e b tal que loÊm aprcvâdâs 40 rcprovadas, conterem e lasde ladnha. testede quantidade,74 No forâÍn apro- f(x) : ax + b, paratodo x e lR. poÍ vâdas 26 reprovadas conterem número e um TneSeâ : 0,(x) : b éfunçãoconstante. que o especiícado. rcsltado dos nof de pílulas O Seb: 0,f(x)- axéíunçáo linêâr. que 14 caxasíomÍnrcprovadas doislestesmoslÍou Gêometricamente,é a ordenada ponto onde b do ernaÍnbos testes. os caixas fommapmvadas Quantas a retâ,que é gráfìco funçãof(x) : ax + b, intersecta da ernambos testes? os o eixoOy,poìsparax = 0temosf(0): a.0 + b = b. (Unicarnp-SPl0 I demassa 46. índice coÍpordld€ pesunìa '1. onde e a | M "sh' sa do corpo, dadâernqLrilogmrnas, é a aturada eh pessoa, TneÍos. índice permleclassÍcaÍ em o I uma pessoa adulta acordo â seguinÌelabea: de com soa ltae ddoo foÍrnLlaàol Dela |

Função afim

20< l< 25 25< < 30 l> 30 >29

al Caclleo Índice paÍauÍnarnulher massa de I cuja é Xr 64,0 e cujâ kg âltura deI,60Íì. CassifÌque'a é segundo Onúmero chama-se oçAo coefìciente â inrrn ou angua tar,e acrma. a fêta ôo horizontalOx, para b) Quâl â aturarnhirna queumhomem Ínassa /drdessa emrelação eixo é cujs é de 922l(gnãoseja considerado obeso? Funçãoafim crescente, decrescente

y,) P,(\,y,) ê P,(x,, v. v, ^v Âx xr

47. [Vunesp] função vaÍávelreâlsatisfazcondLJÍna de a

e zeroda funçâo
a > 0 *função crescente

-[\ 2ì - 2Í[r) + fflì: qJalqe q .e se_a \,â aa Çã0 que velx.Sabendo f[3) = 6,deterÍn o valor ne de:

â)ítrl;
bl it5l.

44. [EÊ|\/]-SP) função lRi * lRsatisfazseguÌnte UÍna f: a
propf edade: b) - f[a] + f[b). fla, a) Determine f(ll. quef(2)= I, determinef[8] b) Sabendo 49. [Ulscar-SP] pesquisa que Uma ecoóg determnou a câ populaçâo de sâpos umadetemnadaregiào, (S) de (m) rnedida centenas, em depende popuiaçâo de inda setos, medidâ Ínilhares, acordo em de comâ equação

x = r+ f (x ): 0 x > r+ f (x )> 0 x < r+ f (x )< 0 a < 0funçáo dê<rescente

' stÍr r - b) A poou'açao r-seroò s_avez. por ce {-. vaÍia coma pr€cipiÌação de chuva cenúmetoq em hJ de acordo a equação = 43p+ 25. com m(p) al kpr€sse popülação sapos a de como função prcda cipibção. bl Calcue população sapos quando precipitação a de a é de 1,5 cm.
50. (UFMI Selam =x'z+ 3x+ 4eg(x)= âx+ bduas ftx) as reais ; Determine constanles a e b oara oue (f o g)tx)- tg o D(x)pa€ todox rea.

lt

pâgou seinscÍevef sema55, Cacuiequanto pessoa uma ao 5 nasapÓs iníco do cuÍso o al R$62,50 d) R$78,50 para €nuncâdo asquestÕes SP) o [Faap Considercseglint€ b) R$50,50 e) R$8250 5 1e 52: c) R$74,s0 y o x  varâção temperatuE= f[x] nuÍnnteÍvâ detempo de pea é dada íunção 56. Expressetaxade inscÍição íunção núÍnero s€eÍn do de a f[xl: [m, 9)x,+ [m + 3)x + m - 3. Ínanas trânscorridâs o início clrso. do d€sde a)T=12,50[12 x] dlT=12,50(x+121 51. Larcul" de r odoquêo g olLo od l. _çãosejaJ'ì a m bl T = 12,50x €)T=12,50x+12 ÉÌâpaÉleâ exox a0 clT=12,50x 12 clO el-g a)3 blg O 3 q!€ seja 52.Cãc! e m de rnodo o gÍáÍcoda função lma retae l[x] sejacrcscenÌe dl e e)0 êl 3 b)s cl3 gtáÍcadâ íunção :É1.tÀ4acksD Ín€lhor A representação

= = er[3] 06. quef(2) 0,4 5r, (FGVsn Umaíunção(réta que Admitindo pa€x entre e 3 o géÍcoseja seg2 uÍì podemos que valor k,ta que mento relâ, de afrmaÍ o de ftk)= o,é: a) 2,4A. b)2,35. c) 2,45 d)2,54. d2,55.
undade 58. IPUC-Sn gÍupo amgos"crou lma nov€ Urn de páraternperaturas:gÍaul%totr Estabelece de medidâ o ram, enüio, corr€spondênciâ asmedldas teÍÍ LrÍna eÍìÍe de já conhecida,emgÌ€Lrs peatuÍas grEus em € Celsius CCl, Patotâ mostrEda Ìabela na abaixo: CP),

írxì= :-----:: é "
2x-6

al

0l

que na LernbEndo a áOLrâ a 100'C, Íerve então, Lrnidade Patota ÍerveÉâ elâ al s6'. b) 88'. cl 78'. O 64'. el56'. Enr 59. [Epcar MG)Urn botijão degás contérn kgdegás. ]3 pordia,0,5 do se! conteúdo. O Ínédia, consumido, é kg gÍáÍìco melhof qlre y de esboço do expÍessa Ínassa a gásnoboÌilão, íunção x [dâsde conslmo] é: de ern

é 60. (FGV Arualmente, SP) ovaoÍ deurncoÍnpuÌadofnovo que valor R$3000,00. decresce Inearrnen S€bendo selr dl -1,5. â) 3. bl -2,5. c) 2. que te como teÍnpo, modo daqur I anos valor a seL de paÍa (Faap Consdere segLr enuncâdo asquesÌões que nt€ podemos SPJ o será zero, aÍìmar dâqui 3 anos[conta a 55e 56: dosd pdn de l_oje' \aloroo.onpJtèdose.à o nuÍì é A taxade inscrlção club€d€ natâção de R$150,00 a) R.$875,00. r d) R$r 850,00. pê a o c )o dê l2 seÍnanâs. Lnd Dessoa in)c ê!p S€ se re cufsoide 2 ,er rnd". S" umapessoa inscrcve b) R$r 8oo,oo. el R$r s00,00. da o nÍcio do..errso,.a é rcdlrz linearment€. taxa c) RN I825,00.

rc lunção do prlme g|aucorn real 54. LAFA'SPl Í urna Sejâ de ll =2 Í(0J.Então,ovaof f(0): 1 +ítlleíI

r[3] é:

protege vida a a de 64. IUELPR]Enquântocamada ozônio pode na atmosfera coÍnpro naTerra, gásozÔnìo baixa o do Írelera quaidaoe aÍ o g ilco â segur€Íe€-seao l\,4e do da número vlolaçôes qualidade aÍ na Regão de do rnmpÍeend entre Paulo, peíodo no tropolitana deSão (]m em 1995 1999. e Percebe-se momento quea quantio de de da dade vlolaçôes concentraçãoozôn Íoiidèntica de de de à qu€ntidâde violaÉes monóxido caÍbono
Númr. d. vlohç64 p.r.nô

que o últmo segmento em Supondo r€presentado indefìn dârnente, coffeto é cadagÍáíìco prclongue se aímar que: peo percoÍido niciais, espaço o aJ nos l0 segundos peo que ÍnóvelA maiofdo o peÍcoffido móvelB. é mó\€l nìciais, avelocdadedo bl depoisdossegundos 5 AéodobrcdadeB. Aé do cl nospfmeircs segundos, 2 a velocidade Ínóve o tÍiploda de B. têm ìnicias, doismóveis a os dl depois 5 segundos dos mesma velocdade. mov el osdos móveis estão constanle mento, em O solução inequâção da 67. (UFtulGl conlunto -3) d '-{rCR \-21 F ão.ovèloÍdeaé: dl10. e) 13. a) L b)2. c)7.

r995

quefornecevalofmas aprcxiÍna o Assinaleã alternaii\,ã quantidade violações. de do dessa custa de rccâÍÍegáveis 69. 0bmec-SP) pãcote 4 pilhas Um el 99 c) 9l dl97 b) 87 al 83 coÍì capacdade R$25,00Urnrecaffegador pihas, de e pârarecaregaf pìlhãs umavez, custâ 95,00 RJ 4 de qLe rÚ a 65. tlLv"slSP)SeaÍ a tunçéo associa.cada nerc geÍâR$0,20 cusio energia câcâda queé vez de de elétf o x reâlt o menoÍ númems + 3 e x + 5. AssLm, dos pilha cus paÍE comum Lrt lizâdo rcmÍregar pihas. 4 UÍna v€lorÍnáximo í[x] é: de que gLal€o t€Ínpo umapLha ta R$0,80e ternduração e)7. cl4. d) 6. b)2. a_l L pode âté rccaÍegável serúiizâdânumaparclho precque 4 safde uÍna nova caÍga. urÌìfotógrElo uülza pi Se s, a posrção âbaixo reprcsentâm PR) 66. IUEL 0s gÍáÍcos por as lhâs coÍnuns seÍnana decidir compÍar 4 pihasr€ dado em dÒtempot, metros.de móveis, função dos eÍn carr€gávels ÍecaÍregador, eleteÍáÍecuperado então eo emsegundos. o dnheiÍo investido compra: nesta â) emÍnenos 3 meses de bl eÍnmâsde 3 e mefos 6 ÍÍeses. de de cl ernmais 6 e menos I meses. de dl emmâis 9 meses Ínenos umâno. de e de el emrnâis uÍnâno. de dos 70. 0\/acksD A fgum mosüsos esboços gúÍcos das queâs quefomecemprcços copâos fundes A(x)e B[x), pa|a fo x doras e B cobrãm ibzer ópiâs de r]m€ ha. A

de com60 Duês empÍesas dispõem ônibus 68- tUFV-[,4c] lma aÁguiâ DouÍada cobm lugaÍes uÍna Pârâ excu|são, por en_ taxa deR$400,00 R$25,00 passâgeirc, Íxâ rnais quanto Cisne umã Íxa a Bmnco cobra taxa de R$250,00 pof de O mais 29,00 passageiÍo.núrnercnínimo exF$ para corn cuEionlstas queo contrâto a AguiaDourêda é: que Branco lìque Íìas baraÌo o contrato a Cisne com el40. a) 37. bl41. c) 38. d)39.

76. (FGV Quando SPJ umaíarníiatem renda urnâ mensa oe R$5 000,00,â consorne 4800,00 rnês. e por Rg euarìdo a renda de RgI000,00, a consome 720000. é e Rg a) Chãrnando x a rcnda de mensal de C o consurno, e obtenha enìfunção x, sabendo o gÍáÍcode que C d€ C emfunção x é uma de Íeta. bl Chama polpança se mensal íanrÍia à Íenda da [p] 71. (À71âck UmaeÍnpr€sa telefon ceulaÍoíeÍec€ SPI mensa de menos coffespondente o a consuÍno. Obtenha planos rnensais, 60 e 100rninuÌos.preços PemÍ!nçãodexeencontre vaores renda de parâ a íxos e os da paË propoÍconais. cada nutoemexcesso,cobmda osquais po!pançã rnaorque I 000,00. rn â é é Rg uma kría d€ R$3 00.LlÍnus!áfo opÌoupeo ptâno de Urn de opem uÍnclstofxo de a 60m nutos â!mcustomensa deR$105,00.Nop rne- 77. [Uíes) fubricante boíìés R$I 200,00 mès(coÍespondente por a àuglel,s€guro rc més, utlÌzou minltos. ee tivesse ele lt0 Se opÌado e prestações máquinasl.custo de pof O vaÍiáve boné p€loplano ì00 mfutos, é de Ìefa econornizãdo: deR$2,00.Âtlamente comercia são izadas I000 undaal R$a0,00 dl R$55,00. desmensâlmente, prcço â urn unitáÍio Rgb,00. de Devibl R$45,00. el R$60,00. do à concorrêncâ rnercado, necessaro no seÉ naver c) R$50,00. parE lma rcduÇão 30%no preço de unúio de vendâ. 72. [fuvesfsP]Urnestaconanì€nto Rg6,00 peia cob|a pr! mânter ucÍonì€nsal, quanto se! de deverá o aumen ser mdÉhom uso, 00porhora de Rl3 adicÌonaiercrn uÍn€ to naqlanidade vendida? despesa drária R$320,00. de Considere um d a ern se 78. 0tunespl qLr€ pesqu sobÍe r€aCorno resutado uÍna selam de sa cobÍadas, nototal,80 a horas €stac de ofamen enlreo coÍnpÍimento pé de lrna pessoa, cerìtí to O núÍnero mode usuários do mín para enr necessário qu€o Èio rneúos, o rìúmero (tâmanho) caÌç€do tero,CaÍia e estacionarnento obtenha ucronesse a é do brâs d obleve fórmula dá,ernÍnédia,núÍnerc umâ que a) 25. bl 26. c) 27. dl 28. o inteiro e) 29. n do eÍn Ltamanho câlçado) fLrnÉodo comprìmerìto do c, pé, eÍn centíÍnetros fórmula, se n = lxl, onde Pela tem -c 7 rrdtcâ re oÍ Inrero o [.] -nâior 'gJd, oL 73, [unicamp-SPJ ìrãtransfomafgraus ?hÍenhe gEUs Lerf a x. Porexempo, c = I cÍn,então = t8,25e se x grddos se a Íorr JrdC - :íf - 32) o.ìopF cen.usa = n = []8,251 19.Corn q_ base nessa fórmula: al determneo número docaçado coffespondenlea um éo número degÉusFahrenheite o núÍnero graus Cé de pè culo comprm€nto22cm. é ceftigrad0s. bl seo comprinrentopédeuma pessm = 24cÍn, do éc al ÌmnsfoÍrne graus 35 centÍgÍádos graus eÍn Fahrenheit. então caça37 Sec > 24 cm,essa ela pessoã calça bl Quâla ternpe€tu (emgrauscentígradosl queo a em 38 ou rnais. Detemin€ rnaioÍ possÍr'e|, o compÍimento númem gt€ìrs de lãhÍenheito dobro número é do de em cerìlímetros, podeter o pé de umãpessoa que gÍaus cenÍgrados? quecalça 38. 74. [Unicamp O preço serpagopoÍ urna SP] a corrdade 79. tunicãmp-SP)cusro umacoÍÍidâ táx e cofsl|O de de iiáx inclu umaparce Íxa, denominad€ € bande€da, e poÍ tuido JT valoi,ìoalqo,'t\o. LnvaloÍqde!à-iá 1]ais parcela depende distânci€ urna que percoffida. a da Se oro00 onalÍrente; stánc'a percon,dã d D nes!ê cor-ibandeirada R$3,44 custâ quiômetm ecada rodado clrs da.Sabe oLe. . Ìà co idâ,ìaqLalÍoÍãÍr se pe-cor" er ta R$0,86, cule: ca dos3 6 kÍn,a quantê cobrada de R.g ío 8,25, queem al o preço uma e de corrida I I km; de outm cofflda, 2,8krn, quânÌia de percoÍrlda Lrm â bl a dsrâncê pof passageiro pagou que cobËda foideR_g Z2s. aJCacule pela ovaor nicaqo. R$21,50 corrida. b) Se ern um da de ü.aba uÍn raxista ho, affecadou 75. tFcVSPJ vendedof Urìr rccebe rnensalmenresaaro um R$75,00 l0 corrdas, quantos quiómetros ern seu Íxo de R$800,00 maisumacoÍnissão 5% sobre de âs câffopercoÍreLr naqlele dìa? vendas Ínês. ge|al, cada do Fm a duâs horas meâde e 80. (fuvests Uma traba e e vende equivalente 500,00. ho Pl função sarsbza identdade o Í a R$ Í[ax) = aÍ(x)pâÍa a) Quase! saáro mensal função número de eÍn todosos números a e x. Além do x Íeais por hoÍâs trEba dlsso, hadas mês? sabe quef(4) = 2. Consldere a função se anda g(rl - tx tì + 1 pam odoo rnero Íeatr. bl Seele costurna pormês, queé trabaÌhâr ho|as 220 o preíeÍve:!m aumento 200á sâlário g(3). de a) CaÌc!1e no fìxo,ou Page 11 / 64 um aumento 20qtlde 5qópara6%)na taxâde de bJ DetermiÌìe parâtodox real. f[x), cl Resova equãção = L g[x] a

Pam íazer360 cópiâs, copiâdora cobÍa: a A q!€ a) R$200ê menos B. bJ R$5,00 nìasqueB â que cl R$10,00 menos B. a dl 9 do ouecobra L 2 preço el o mesrno cob€doporB.

çãoquadnática
quodr.iicaquan UmafunçãoÍ R* lB chama-se do existemnúmerosíeaisa, b e c, com a + 0, tâl que + f(x)= ax'z bx + c parâtodox€ R. ÍtR-lB x - ax':+ bx + c

Concavidade parábola da
ã>0

canônica Forma
flx)= a(x mì':+k,em quem:

h

ie )à

k =r(m )=

Zemsda funçãoquadÉtica
(ÍoÌmì'lla que Íorneceãs 'âizes 2a + da equãção 2egÍau ax'? bx + c = 0) do x ---: ObseÌvãções: da 4acé.hàmadodisciminante le) OnúmeroÀ=b: = quadÍátìcâf(x) ax'?+bx + cfunçáo > âx':+bx + ctemdois 2e)QuandoÀ o,afunçãof(x)= diferentes. zero5reais : À Quando = 0,âfunçãof(x) âx']+ bx + ctem um zeroÍealduplo. + < QuandoÁ 0,afunçãoíx)=ax'z bx + c nãotem zerosreai5.

; *. 1 * j j:

a*

VéÍtice
dada Ovérticede parábolâ por uma : ax:+ bx + c,a + 0,pode calcu assiml lado ser f(x) -, / b ^ì b

Relações entrecoeÍicientes quadrática e raízes equação da ax 2+bx +c =0( a* 0J
. tal zerosreai5 q're x = Exjitindo h ./a x " : - : '_, o b te m o ç:
S= x i+ x " : ^" c h :

'"

^ 4â

b +" [ --;

Máximos mínimos e
< Valor máxìmo:a 0

fatorâda FoÍma
bx ax'1+ + c: a(x x'Xx- x")= a(x'z sx + P)

da GráÍico funçãoquadrática

o sr

quadíátìca umaparábola. é da função

meÍode zemse concavidâde
-

lu
^i
/\ /\

^:0

--

n

lP.

lv-

85, (UEL-PRl Paneron, O constÍuí.lo Atenas, cféca em na Ântgâ,exempifca esto € as pfoporções se en o oLre comram quase enì gr€gosDo ponÌo todosos templos 8I. [FGV'SP] alunção = x: Ovaorde Seja l[x] dev stadageo met a suafachadarctang|Jìêr Ígu é í[rn+ n] flm n] é: [vef m abâxole possumeddas especais. obtdasda s€ a) 2m, 2r,. + c)4nìn elO guinte Íìan€imtomase Lrm segrnento cornprnento de b) 2r, d) 2rn'? L e d vde-se duas paftes. tattorrna â mão erìr que de 82. [Faap ljm rcseryatófo senrlo SP] esÌá paÉ esvazado €nÍe o segrìrento ILJe a pârte rodo rnaiof sejaguâ [x] rmpeza.quantidad€ água ÍeseNatório, trcs, A de no €rn à mzão entrea parternaore a paÍe merìor pafle A t ho€s após €scaamefio começado,dadopof o ter é maiosefaâ base fetánguo do earnenof,aatum As V = 50[80 t],.Aquantidâde quesa deÉgua dorcseÈ snale alïernatva indicâ a qle essa râzão vatóao c ncopf me|ashorâs escoamento nas d€ é: ^ì2 Ê-a) Z8l250it os. dl 38 750 iÍos. ") bJ32 350 itÍos. el 320000itms cl 42500 tros '2 83. tUFBAIS€ndo = tx 3)[x + 2] unra ftxl flnçãorcal, pode-se ^1: afrmaf: 0ll 0 conjunto magem flnção I õ 3[ da é 021O gúÍco daflnção nterc€ptaeixo abscrssas o das -2 nospontos 2. 0l e (3,01. | J5 +3 041Afunção crescente nte|Va [ 3,2]. é no o 081O gúfco dafunçãotem vénice ponro no

l.r ?sì
16l PaË rodo < 2,t(xl > 0 x 3 Oeod".r p odog-è.ooo ur.do-, J\,4aÍque respostasomâ ltens como a dos corÍetos. 44. ryunesplO núrl]eo de cliagonais Lirn po gono de conv€xo x adosé dâdopor Ntxl = de
2

86, lFlrvest Sejarìr € L asmÍzes eqlação SP] xl da l0x: + 33x- 7 - 0. O núrìrefo nteÌorÍa s próx do Íno nlmeÍo5xrx,+ 2[x + xr] é: a) 33 bl t0 cl z dltO e)33 nr. L ! qêq o\;o,/0pos d.asÍai,, feasr e s tas qLr€ 2s OsvaoÍes Í e s sã0, f: de rcs "ì: êbl 2€l

possu d agona seunúrìrefo lados o p0igono I s, de é: a Jr 0 . bl cl8 d)7 el 6

d]-2e

I

eÍn o Nâscondçôes dadas, custototâlmlnlmo qÌreã quâdtátca cLrjo 88. iUFPB) í: lR- lR é uÍnafunção Se guâ a: pode ern é empresa operaf, R$, €bâixo, eflão: gÍáícoesú d€senhado el4400,00 cl4000,00. aJ3600,00. â) f[x) = -x'z 2x + 3 d)4200,00. bl3800,00. bl l(x) : -x': + 2x + 3. cl í[x] = -x'? + 2x - 3. pedra prccosa sem 94- [fuveslsP] 0 vaof,eÍìrÍeas, de urìra d) Ítxl = x'?- 2x 3. quadÍado sua de massã igual é sernpre nurneÍicamente ao e)f[x):x'z+2x +3. pedras, I g|Ërnas de uÍna eÍngÍâÍnas. Infelìzment€ dessâs pedaços. prcjuízo o maioÍ fo 0 caiu se pâÍtiu dos e em prelu2o de: foi possí!€1. reação valoÍ na,o so orig EÍn el 18% al S2qó bl80%. c) 50ft. dl 20%. que o a 89, (tJFÌúGl observeÍìgura, Íeprcsentâgúfco de Y= ax'z+b x+c 95, (UFPBI gráÍcodalunção O

L' ep-ese ado_aÍìguzabai v - Ír\ - --\ 200 5 a a xo,descrcve trajetó de (rmprcléti,ançado paÍiÍ â da ongem.

grár falsa âfÍrnattva emr€açãoa esse co: Assjnâle única a c) b é postrvo. a) âc é negativo. é bl b'? Aac Positivo. dJc é negalÚo. -

a ênF em dados qulôÍneÍos, Sab€ndo qLrexeysão se prcjéti são,respectivâ ra rnáxiÍna e o âlmnceA do H

poÍ quadráticas deÍÌnldas as 90. IUELPRISejâm íunções c) 2 krne l0 kfil. = 3x'z kx + 12.Serlsgúícos nãocortâÍno eLXo l[x] propos coÍÌeta. Âssinae única a à se, se, ção dasâbscissas e somente k satisÍz€r condição: 96. [UFSC) de o A fìgu|a seguiÍ € reprcsentâgnáfco umaparábolâ al k<0. o0<k<12. da V. cLrjo védice o ponto A equação relâré: é e) 4a6<k<4\6. bl k< 12. 01)y = 2x+ 2. cl-12<k<12. 02)y=x+2. : 0 assinãe 04)Y:2x+l a 2x'? â 91. [Uíac) Dadâ equação - 6x + 3m 08)Y=2t1, coÍêta: aternativa 16)y: -2x 2. se : a) As Eízesserâoreas e iguais, Tn se Íeais bl As ÍâÍzesse|ão e deslguals m < I ,' rea não cl As rakes setão s,sem > -. terámÍzes rcâ6 nunca d) A equação se nulas, Ín : 0 el As mkesseÍão rea ÍeâlI de vaÍiável dadap0Í A 92. iuEL-PRl função : x'?+ l2x + 20,ternumvâlofi f(xJ x iguala 16,para = 6. a) Ínínirno, x igualaI6, Para = 12. b) mínimo, ìguala.56, x = 6 c) máximo, PâÍa x iguaLa Para = 12 72, d) Ínáximo, x iguâla 240, e) máxirno, PâÍa = 20 por de queocusto un]dade mercado Sabe-se 93" IFGV-SPJ pea ÍLrçÈo é pÍodJ/oa uns enoÍesa dado de 'a crÀl-x--:-::pol C(\) é o cusl o 160, o_de x é o totalde unidades Produzidas.

âl 2 krne 40krn. b J 4 0 k me 2 k m.

d) l0 kÍne 2 krn. €l 2 krne 20 km.

que enlrc 97, (Fuvest Suponha umiìó suspenso duas SD distância[veÍ d à diuâ colunâs mesma h, sjiuâdas de parábola de f glrral, assurna aíoffnâ uma

d

que: também Suponha igual 2 a seja Ínínirna Ío âosolo do D a âltut€ pontono soloquedista um ll) a ahu€ do Íìo sobrc ? seja de Lrma counas EU€lâ . das dvae: Seh = :d entâo a) 14. bl16. c)18. d120. e)22

98. 0JFPBI domíno 0 dafunçãof[,= al rR- {0}. bl {x€ Rlx > 01. cl{xeRlx>li. dl {xclRl-5<x<0}. e) lR. 99, (UFPE) Sendo um númerc tal quex > 7 ou x rea x< 3,assinaâ âteÍnat coneia. e v€ al (x+ 3)(x 7)<0 b) (x+3)(x 7l>0 cl (x+ 3)(x 7)=0 d)x'z>49 e)x?<9 lOO. (FGV O custo áfo de produção uÍnaftisoé SPI d d€ C = 50 + 2x + 0,1x,, ondexé a quanrdade dáfa produzida. Cadâundade produto venddspoÍ do é que paÍa R$6,50Entre valorcs devevafafx nãohaveÍ Ve)uím? al 19<x<24 bJ20<x<25 cJ 2l <x <26 d)22<x<27 e)23<x<28

pordia; dores quândo preço R$15,00 comparecem o é poÍ comparecem frcqüentadoÍes diâ. 180 al Adrnitindo o preço relaciona como nú que se @l por ÍneÍo íreqüentadores dia(x) atÍavés uma d€ de fungão le grau, do obtenha essaíunção. b) Nlm outrcparque a reação p B, entÍe e x é dâdâ poÍ p = 80 - 0,4x. sef Quâ o pf€çoquedev€Íá paÊ cobÍËdo maxiÍn a rec€ita árâ? zaÍ d

paEì 106. 0-IFRJ) avìão combustto€ loãf dut"nte llfn tem 4 horas. pÍesença lrn !€ntocomveocidade kn/h Na de v nad Íeção seÍìtdodoÍnovimento, e a\€locdade avão do é de [300+ v) kmrì. Seo avãose desocaemsentido contnároao do\ento, sua\,€locidadeé de[300 v] knvh que Suponha o aúão abste urnâ stâncâ doဠse â d d roporto retorìe p0nt0 pairjda, e a0 de consurn todoo ndo coÍnbusÌível, duEnte e que todoo traleto veloc â dâde do vento constanteterna mesma é e dircÉoquea do movi meÍìto aüã0, do aJ Determinecomo d flnçãodev. paÍa bl Determine qle vâof dev a d stância é má d

I 07. [Vunesp] umacdente Em automobì lo soâdaLrma tutico, região rciangulaf, corno rnostrado ígura: na

I O l . tuncarnp'SD pisc cuja Unìa na, capacidade I 20m3, é de eva20 ho€spara esvazada.loumede água ser 0 na pisc I hoÍ€s o início proc€sso esr"azìaÍnento, na, apos do de é dâdopela íunção = a[b - t]'zpara < t < 20 e V(t) 0 V[Ì]=0Pa| ãt>20 al Cacule constantese b. as a bl Faça gráf daflnçãoV[tJpârâ € I0,30]. o co t lO2. TUFGCD razes equaÉo - px + q = 0,onde As da x'? p e q são constantes. oscubos Íahes equâ€o são das dâ x, + x + 1 = 0.DeterÍninevalores p eq. os de I 03. [Vunesp] Consid€€ r€têngllo peímercé I 0 cm um cujo e onde a med deumdosados. xé da DeteÍmine: al a árca rctânguo função x; do ern de bl o vaof de x parao qua a áreado Íetángu sela o mãxÍna.

Se17rnde coda [esticadasemsobEs] e fo|am suÍcentesparaceÍmrtfés lados reglão, saber, da a os dos lados menoÍes rnedida e uÍn adornaiof de x de rned y, dâdos mevos, dâ eÍn determine: al â área[em m'?] regiãosolada, função da eÍn do taoo men0r; b) a rned dos ladosx e y da rcgão Íetangular da que sabendo a ár€a região de 36 Ín'z, a da era e nedidd lado do 1]erorera nLÍnerc um ntetrc.

[_l

I08. tFuvest Seja = ax'? SPI ítxl +.[1 - a]x + 1.onde é a umnúmerc rcaldíeÍ€nte zeÍo. de Determ osvalone rcsde a para quais rakes equaÉo = 0 os as da f(D sãoreais o número = 3 pertence intervalo e x ao fe clrado cornprcendido asraízes. entÍe

jaquerâs. l09. iFGVSDA Íeceta 104, (UfeslUrìra mcrcempr€sâ íabÍicâ vende e Ín€nsa rea de urna ernprc[eÍn s] produzdas comercalizadas Todas jâqletas âs são eo sa é R = 20000p 2000p,, ondepé o prcço d€ prêço venda R$75,00 Lrnidade o custo por de é Se venda câda de unidâde < p < ]0). [0 p€Ía totaldiáro íabfcaÍ jaquetasdado rcas pof x é ern preço quedevesefcobmdo dafuma p para al Qualo C[x]: x'? 25x+ 100, + deteÍnine: receitâ R$50000,00? de produzidas que paÍã al o número dejaqletasa serem b) fàrdqu€valorcs p a receita nferjof de é a o lucrc totaldiário máxmo; seja P$37500,00? bl o lucrc ro9tdiá o máxiÍno. 1lO. (Ll-PEl à eqJâçlo - n6, Se w *l-" ' ' "' é q!ândo prcço 105. (FGV Nfm pâÍque dveÍsô€sA, SP) de o Lrma função y = ftxl cujodorníno o conjunto rea qle de ingÍesso 10,00, é.R$ veÍiÍÌca-se 200íreqüenÌadoo.ea|s. elcorlre o mãor vâororp p podesssuífl| .

ódulo, Íunçâo modular, logarítmica logaritmo, função
Módulode um númeÍoreal
O módulo valatobsolufo um número r, ou de reãl qu er ep r e se n tamo rlr , é igual p os arseÍ>0eigual lí = Í,ser>0 r = - r ,ser<0 ObseÌvaçáo: todox € R,temos.vçt : F . PâÍa

Nessâ uivãlência, eq temos:

logaritmo Ic a: base logaritmo do I logãÍtmando lbì quando condição deexistência: b existe log. e [b>o 5omenteouando { ' la > 0 e a + 1

Propriedades
1. ) Pâr â t od o r € lR,te m4 =J-r. os 2q) Para todox € lR,temos = lx':= x'?. x'zL

Conseqüências dadeÍinição logaritmo de
Considerandocondições existêncÌa, as de lemos: 1.) log"l =0 N 4c)l og?aN : 2q) log.a:1 5q)l o9" x: l og" y< + x: y 3e) â"q.^= N

Função modular
à Denomina-se furçâo modulor funçáoÍ, de R em = lR, talqueí(x) xl,ou sejãl

Propriedades
Considerando condições existência, as de temos: lq) lo9"(M . N) : los,íM+ los,N 2E) log, l- = log- l\/l loq_ N
'N

. . . : I x, P a " =o 'a ' '" ' ] - " , p " ," *. o

Função exponencial
Dddo número â (à 0 e à 1), um Íeal denonina mosfunção exponencial ódse umafunçãofde lReÍn de o Rï definidaporf(x) = a"ou Y = a*.

3â) log. [4N= N . log" À4 4q) loqtr : N ::r- lmudança base) de tog"n

Gráficos função da exponencial
O<a<l

Função Iogarítmica
Dado nuÍrero um Íêdlâ(d 0ed 1ìdenoÌrna se lunçaa lagoì nka de bo'ea umâÍ,rn(áof de R" eÌ Fì deínìdapoÍf(x) = log.x ou y = log"x. Obsêrvaçáo: funçãologarítmica â inversa função A é da exponencial.

Gráficos Íunção da logarítmica
0<a<1 Equação: aY<+ = y x at: >a"3l In êquaçao:a l" >v.sea>l .lx<y,se0<a<l

Logâritmo um número de
L se Dddo\ o\ númerosredisoo\ifvosae b. com a b : a', então o expíénÌe a chama-seloga tmodeb na

= Equação:log.x lo9"y<ax= y [x>v.sea>] > InequàÉo:log,x log_yê I y.se0 l\ l

a log"b: c <+a'\ b, coma e b positivose + 1

"

111, tESPlVl Qla o sráÍÌco rnehor reprcsenta qu€ SPI Ê = flnçãoí:lR----+ lRtalqueí[x] x I +3? al

I13, [Unfesp] Consdere a ílnçãa []seo<x<2 ííxl = ( 'l2.s€ 2<x<0 = Âllnçãog[x] l[x] I teúoseg!ftegÉíco:

àl

I 12- tFLrvesr 0 mód!o x de urnnúmeÍo x é deÍSPJ Íeâ ndoporx =x,sex>0,e x = x,sex<0 D as alemativas abaixo, qLr€ â melhor r€prcsenta o gráÍco

123. IUFC 0 núm€ro CÊl rcalx,posìtivo diferente 1, e de quesâtsfâzà equaÉo ìogr[2x].log, x:3 log,\çé rguala:

at 1,0

ú 2.

Ò 2tr8. ü4.

e)4{,.

124, toLJC-sD) Se1r"" , _, eìtao\-veiguald q-5 ^-t0 0j--8 c)--. -2 oJ; .5 eJ-

= lzz" s'

por 125. (N4ack-SPl O doÍníno função deÍìnda da rca 3x ^11 3', 2 [,4uh os nteims x quesatisde I I 4. IFGV-SD p cando vzlores fazeÍn simuhaneamente asdesigualdades 2l < 3 lx e 3x 2 > 5, obtemos: a) 12. bl 60. c) 12. dl 60. r0 0. '| 15. IUFC-CEI soma nterosquesatìsíâzem a desi A dos guadadex- 7>x+2+x 2é: c) 2. dl 15 e) 18. a) 14. b) 0. Seja I16. iFuvesÌ-SPl ftxl = 2a+r Sea e b sãotaisque íial = aítbl,pode-s€ aíÍnaÍ que: cla b:3. ela b=1. a)a+h=2. b)a+b=l d) a-b=2. 'l 17. fUtL Pc, Seo nur erc ea K sa cb,/d eq iã!ào lG al 3'?*-4 3' + 3 = 0,enÌão é iSual al 0oul 22 bl 0oul. cllo!r. ell o!3. a) 2. d1 z"E. cl 3. ü 3Jt. e) 4.

al lo,r t bl lr,2[.

cl 12,3t. dl13,4t.

e)la,5t.

nd126, lUíscar Sea á|ea tdângulo SD do retângu o ABC, quef(n) gualal cado fg!Ía, igualâ concluise na é 3n é

I27, tl,ilack-SB Íìgura A mostÍa esboço gúfco da o do = (x funçãoY logs + b):

solução in€quação dâ I I 8. IAFASPI0 conjunÌo [0.oÌr ,r < [0,25] 1.5é: a) {xelR x<1}. cl{x€R l<x<31. dl{x€ Rlx<l oux>3J bl{xelR x>3}.

t t 1 9. i un í €sp ) o va o fd e"n,('
al n'?. bl 2n. c) n.

, zn)e:
ï;
e) log,n. AáÍeado retãngulo assinalado é:

d) 2log, n

de 120, IUFMGI n:8': "q i5 "&Á5 Seja Enlão,v€lor n é: o dl53. al s'?. bl83. c) 25. l2l. que 2 AdÍìritlndo-selog5 = 0,43 log5 = 0,68, e 3 tUEL-PRI obtérn para l2 o\,€lofl se log5 e) a,2924. a) 1,6843. c) I,54. bl r,68. d J r. r,r 12399 og.o- | 0g.os, 09,T, alO. bl - ]. c) 2.

a) r.

br +

"r;

ü2.

")+

122. CUFC Ovalof soma CD da
-r0gro-e: ü2. el 3.

128. IFGV SPl.Daquit anos, núÍnero habitantes a o de de uÍna dade c seú N = 40000[],02}. vaor det paÍa O quea população dobrc reação d€ hole €rn à é: Loo 2 - loo2 -' logr02 '' - og I,O2 b) 50. el2(log 2l[og ],02). cl tlog2l( og 1,02).

Aat!m rnédia dotrcnco certa de espéce 138" TFGVSP) gerente pÍodução umaindúsïa O de de 129. iUfscâr-SPl quesedestna prcd!ção maderra, constru a kbea abaxo relaconando prcd!ção deáÍvoÍ€, à de evo! a qLre modeo dosopeúrios suaexperiênca. ui,desde é plantada, seg!ndo seguìnte o com rnat€nìátco: : 1.5+ log3 + ]1, comh(tl em h[t] [t uÍìra árvorcs cortadâ ío rnetfos elem anos.s€ dessas quando trcncoaÌing 3,5 rÍ de atura, tempo s€u Lr o 6 lmnscordo mornento p antação do dâ âté lemanos] o do cofte de foi al s bl e' cl 5 dl4. e)2.
200 350

do dos 130, (FGV A e B sãosubconjuntos conlunto SP) núfiìeÍos (1Rl reais deffidospof A={xelR 2x+l= x+l - x)e o inreÍva o B=lxelR 2< x+l -21] Deternìirìe à eâ qle representan E, sendo e B-os uorrpe à mentares A € B, Íespectvârnente,É ação lR. d€ erì a I3l. tFuvest-SPl paË al Esboce, x rca o gráfco turnção da l(x)=x 2 +l2x+ll x 6.0sínbol o a ndicao valofabsoluto Lrm de númerc a e é íea d€fndopofa=a,sea>0e a = a,sea<0 que bl PaÍa vaorcs Íeais x í[xJ> 2x + 2, de Sela rea fe tFuv€st-SPl m > 0 umnúmerc e selam g por íunções s defnidas í[x] = x'? 2 xl + I € rea s[x]=mx+2r n al Esboce, plano nurn cartesiâno,gráÍcos Í e de os de .l oou€nooT n: ern:l 4 quanoo -1. Lletermif Íâ2€s ÍLxJ StxJ e âs d€ = m bJ de de da cJ Deteffnine, emíunção m, o núrnerc râízes equação = g[x] f[x] exponenciais, deteÍnl 133. [V!nesp) Resolva equaçôes as vaoÍes nando coffespondent€s dex os âl 7(r 3)+7( \ n+lti 1)=57 bll-l+l \3i I34. l \3./ l l \3./ = zo7

qse rclacona que AcÍedtâ geÍent€ a prcd!ção o à experênca atEvés flnçãoq[t) = 500 A€ K, L da eê 'P do ê z7 2 ê k. r nJ"re-o pos,üvo que al Consde€ndo aspoeÉes do gerente prode quantos dLrção medessa ndústa estelam coffetas, pam sesde experiÔnc os a serão nec€ssános qLre ' op€Éfos possarn prcduzf lnidades hora? pof 425 qua prcduçâo possíve bl Desse modo, s€rá máxirna a dosoperárlos dessa empÍesa? I39. pa|a Umaescala logaítmrca construída foi ivunespl representafvalores peqlenos uma ávelx vâÍ rnuito de y lsando fómula = -logr0x. dos a Alabeamostra oesses orcs: vâ

I32.

1,9

4,9

èl Por o"" o d-.e "ro. - , p icdr r x2oaraoble r,1 b) Sex, = 0,9666991, d€v€ o vaìor sef co.res tr. pondenle nessa a? y3 esca

Progressôes
(PA) ProgÍessâo aritmética
Razâo:r=an-an I = âr Termogeraì:an + (n- 1Ì ou á": âp+ (n - p)r Trêstermos consecutivos PA(..., b,ç...):2b = a + c na a, Notaçâo especialde detrêstermos: (x PA PA Eqüidistáncia termos: de r,&x + í)

Sendo b números posit tais ae eais vos que tUFC-CD log. è z-4etoq b 2r8 cJ .ho\"or oea.

Considerando 2 = a e log 3 = b enì ax+ay=ap+aq<>x+y:p+q og 135. 0lVlE-Rll ílnçãode a € b detemneo logaÍitrno número do (a' + anln somadosn Drimeiros terpgç 5 = nosstèma base de 15. 2 Úìã = ar e S" 5" : a^ Observãçáo: Sr r 136. IFGV SD = 2. â) Reso a equação [x - 2) + log(x + 2) va log (PG) geométrica Progressâo x.s: bl Quas raízes equação = l00x? as dê lr^^ . r r^. v -4 \ -ros' q o'. 137. tl nü T-sD Re.o\€ Razão: = ]'oq =3 ",", lxY

ermogeral: : arqn ' ou a" = aeq" p an

Ìrêstermos consecutivos (..., b,c,,,,): : ac naPG a, b': Notação espe(:al PG de d"trur,orrnor, I a. ,o

tftrÍmos Ìerceirc urn ÍângLr comumdoscatetos o rne dndo2 n F o o. rooporaco f poÊ L<ê òêç| né oo do trânguo.Se conunuaÍmosconstruir a Íiánguos .eÌo p d" r e"nafo "rc. Ltpoen cdoo a0rÍérguo è

\c

".

*o ì

)

al 15cm. b) I5\A c'n

cJ14cm d) I crn

el e"ã cm.

Eqúidistância deteímos: ây: ap.ãqê x + y: p + q âx. = somadosn píimeiros teÌmo9:Sn ar q"-l q1

'146. [Fuv€st Emlnìa prcgrcssão SD aÍitmétca temos de postvos, tÍèspf meircs os teÍmos I - a. -ê, são {ll a)2 a O qlatotemìodessa é: PA bl3. cl 4. dl5. el6.

Limiteda somaíoarã o . 115 = 9r ,] q

147. [Uníesp] os pÍrne quatro Se ros teÍnosde umaprc 140. [Vunesp] ConsdeÍe seqüências e [b"] deÍni âs [a") = 2"e b"+r = 3', n + 0.Então, daspofa" r ovaof I
âl 2r r .36 bl 02) 5. el 60 dl6 r5

gessão aritmét são b 5a,d, então quociente ca a. o + e guarâl

a1

bl ;

c)2

d) ;

els

l4g, tUFS Nomêsd€ SE) maio.le rse6, pessoa coo uma dosos Íneses, fazendo vem depóstos. mês cada colocándo 20,00 rnasdo queno mês R$ a Dessâ antedor foma. ef€tlar I 4edepósito, depos a qlranao o Ìeú Ìado al R$280,00. b) R$380,00. cl R$I610,00.
grp.ìàodiìó' c o u q $ 0 0 0 0 - r l J d L o o p r .e t d o e p o - p d . ì ! d - t o -

l4l,

(Vunespl coelhos r€prcduzem s Ëp darnen 0s se ma te quea maoÍia rnamíferos. dos Consd€re colò urna qle niade coelhos se niciacornum únco casal de co€lhos adultos derotepora" o núTneo câsas e de adutos desta coônia fnalden rneses ar = l ao Se = > a, = I e,par an 2,an+r an+a^ r,onúmercde qu casais coehosadultos de nacolôna f naldo nto ao a)13 bl8 c)6. d)5. e)4.

@ a$rrro.oo.
-el R$3240.00

149. tUFGCEI Asoma l5 prime tenÌos urruprodos Íos d€
a F r 0 . O 8 e p m d F c Ì êo A ê

'142. 0Jnifespl sorna temosquesãonúrnercs pfrnos A dos geraé dado a" = 3n + 2 por daseqüénca reÍÍno cljo paÍannaturË,varando a 5 é: de I â)10 bll6 c)28. d133. el36 '143. 0JEL-PRI prcgrcssâo Uma aftrnétc€ n termos de tem 'ì m,,ão igLdla Serelrarn ose no, deorde 'ì pa 3 os o:deod"npa b ndËo.n.pogf-""ão aJ aÍitmét d€ Íazà 2 ca o bl aÍitméica Ézão6 de cJ êÍitmét de ÍazãoL ca dl geornét de €zão3. câ el geornéÍica €zão6 de í44, (Ufsc€r Umatunção é deíndarccu|Svam€nte SP) f coìoÍln +l. ' 5 ' Sedo'[) 5,0\èo'

aJl0

bl15.

c)2a.

d)25.

e130.

I 50. (UFPBI rnaescada feita ?Q b ocoscúbicos U Íoi corn coocados sobÍe oLtros,loÊ uns os €uas,quelorarn pihas, rnodo rìrando queapimeÍa haÌinha p de ap€ nasI bloco, segunda,, a biocos. tefceim. blocos, 3 a eâssrm sucessvament€,atéâp ha, útmâ confomeâ ígLr€abaixo.

ct

4l ftlt
Ao o

;

,
cl 30.

tl tt
<D20. el 10.

al 50. l5l.

ddde d- aporau.op.çd -ç, add -

b)40.

defir011é: a)45. bl50.

cl 55. dl60.

€J65.

145; [Un]rio Dado R-Jl umtriânguo retânguo catetos cllos medeÍìrcm, 2 construÍrnos umsegundo triángulo Íe tânguÌo !m dos onde catelos apoiado hpote está na
nusd p-|Tero, o o. ko cêl"roÌêde 2 cí Cors do e

A seqüênca é urnaPAesÍita.nente a" tFLrvest-Spl cÍesc€nte, teÍnos postvos Então, seqüência de a b"=3E n+1,é!ma: al PGcrcscente bl PAc|escente c) PGdecrcscente. '.e. dl PAdecfescente. 0J DA dêL|esce
que não é umaPA€ não é umaPG e) s€qüênca

que SPJ deteÍÍnina asemissoras de 164. iunicarnp A Anatel rádio utilzeÍn ireqüêncas 879a 1079 FIM as de À,4H2, e qre had LrÌê db€rçà oe 0.2lVHz ertÍe eÌìrsso€s coÍnfreqúências vizinhas cadaemissoÍa, A identjfcada porsua que freqÜènciâ, é assocado cana, é umnú uÍn que meÍonstural com€ça 200.Destâ em íoÍmâ, emis à som cujaÍeqÜéncia 8Zg é de MHzcoÍesponde o cânel 200;à nte, fr€qüênciâ 88,1 é de f\4H2, coÍÍ€s segu cujâ cerSu-i se: po deo c€ìa|20 p assrn dr€ì.F. por L €l Quanl€s emissoms podem FÌú funconar mes [na mârcgiãol, rcspeitando-se o nteÍva d€ ff€qüên o pela c aspemìitdo Anatel? núÍneÍo canâl do QuaLo lÍeqüência? commaior paÍa bl Oscanals e 285sãoreserv€dos usoex200 cLs\o dai âdro) coruntarias QLald'reqiència do ca a 285 sLpodo qLe lodasd- lpoüèncas possiúels úi izadas? são Em seqüência I númercs, â,,..., de aì, I 65. (Unifespl uma pfmeiÍos a7, oscinco as, Ìermos form€Ín pmgres urnâ sãoartmélica teÍmolt os trêsúlti' [PA]de pdmeirc progressão geornét [PG) p mos íomamurna ca de que meiro temo 2.Sabendo a5= a6e a4: a7: a) determine mzóes PAe da PGi as da bl escrcva oitotenÌosdessa os seqüéncia. EÍn de uma I ô6. [Ufes] uÍnrebanho 15000reses, ioiinfec tadapeovifus"mcl : C€dâ animalinfectâdo dois vive quais dãs,ao finaldos infecÌâ outros ânimais. tés Se (rma em cada é níeclada úncavez, quânto És Ìempo o "mcl o(erminaráÍnetade rebanho? a do ]5001: 8.75.1 [Dadorlog3 iguas em mâdeìre 167, ivln€sp)Váfiasrábuas estão umâ ra. espessuÍ€ cadatábua0,5cm.Formâ uÍna  de é se pihade úbuascoloc€ndo-se tábuana p mem uma veze, emcadaumadasvezes segurntes, lantasquantasjáhouveÍem colocadas sido anteriormente,
pi hanâ l l w z p ih a n à 2 lve p ir h ã n a 3 tvez

Ângulo raso:ângulode medidâ 180' ÂnEuloreto:ângulodemedida90" Ânguloagudo:ângulo medìda cuja estáentreO'e 90' Ângulo obtuso: ângulo cujâ mêdida êstá entre 90' e 180' Ângulos congruentes: ángulos que têm a mesma (símbolo: =) medidã par Ânguloscomplementares: de ânguloscuja 5oma dãsmedidas 90' é paÍ Ângulos suplementares: de ângulos cujasomadas medidas I 80" é Angulosadjacente5: ângulosque possuam um lâdo por comum e as regiões determinadas elesnáo tôm pontoscomuns mar5 Ãngulosformâdospor duas retasparalelas cortâdâs por uma$ânsversal:

parâleÌas Íe a:retãs t reta transversal pelo âe eângulosopostos vértice âe ê:ângulos corespondentes â ê 0: ângulos âlteÍnos externos ee e ângulos alternos internos ôe A ângulos internos colaterais âe Â:ângulos colaterais externos

Detemine, aoÍna de s dessas opera$es: al quantas tíbuas teú a plha; bJa aiura, metros, pilha. eÍn da rcâl 168. tUFC-CB Considere a tunção devafiável dercal Íìnda pofftx) : 2 ". C€lcule ovaoÍ de ltol ítrl +(2) ít3l +(41 (5)+... geomárjcâ oto lermos 1 6 9. [UFR, Uínâprcgressão de tem pÍimeirc termo iguâl I 0.0 ogaÍitrìro â decìÍnal pÍodu do to de sels Ìemos\,€le 6.Achea Íazão pmgressão. 3 d€

ïriângulos

que tem três lados(conseqüêntemente Polígono têm Íês vértices trêsângulos ê internos).

Classificação detriângulos
. /4.utdr,guro: . fqüildt€ro: tÍês ladosde póssul tlès ãngúlosagudos. . Retdngulo: . bós.ei?s: ìâdorde possui dols dols Angulos agudos umrêto. ê . Oóturánguror possui dois . Ésca/enortrês ladosde ângulos agudos um e medidasdiferentes

plana Geometria
Angulos
Figuraplânafomada por duâssemi-retas mesde maotigem,

Propriedades dos triângulos
. lsóscêles: ângulos basetêma mêsma Os dâ medida. . Eqüilátêro: três ángulos internostêm a mesma os medidâ, iguala 60'. . Rêtângulo: teorema de Pitágoras quadrado da {o hipotenusa igualà somadosquadndosdoscatetos). é

3a€.so: LLL \

òoma anguìos oos Inlernos

tP <eso:[AÂo

4
Y-7

L_:
\r/

Angulo externo

Congruência detriângulos
l!<aso: LAL

1\
|

A
\

Desigualdade triangular

. Ao màiorángulo opóe-se maiorlàdoe, reciprocao mente, maior ao ladoopõe-seo maiorângulo, . Amedida decada ladode umtrìângulodeveser menor doquêa somadôs medidôsdos outros lôdos. dois

QuadÍilátetos
Polígono quatrolados portanto, quatro de e, de vénices quatro e ângulos internos.

Quaisquer
. Soma ángulos dos internos:360' . Duâs diagonais
2! caso:ALA

Paralelogramos
pordois pares lador pôQuadriláterosfomad05 de Íàte|os. PropÍied.dês lè) Émtodo pâralêlogramo, ângulos dois opostos são congruentes ângulos e dois nãoopostos supls. são mentarês das l8O'). {soma medidas: 2-d) todoparalelogíamo,lâdos Em os opostos consão gruenÌes, 39) Emtodoparalelogramo, asdiagonais cortam-se ao mêto.

rapézios
quetêmapenas pardelados paum QuadrÌìáteros ralelos: basemaioÍe basemenor, TrapézioÍetângulo Todo trapézioque tem doÌs ângulosretos.Nele, que nãoé base perpendicular duas é às um dos lados bases, TÍapézioisósceles Todo trapézioque teÍn doÌs lados não paralelos congíuentes,

Teorema Talês de
í // s//t acab b d 'c d

Ieoremada bissetriz um de ângulo intemo um tÍiângulo de
A5: bissetriz

Polígonos convexos
n(n 5) _. u raqonars:o: ) : Somâ ângulos dos internos-S (n 2).180' = Somâdosângulos externos:5e 360"

L:!

Fo[ígonos regulares
Ânsulo interno: = a |

( n 2).r80' =
: ::L

Semelhança detÍiângulos

Ânquloexterno: : :! a

ae+a =180"

particulares pontosnotáveis Cevianas e de um triângulo
cêviana
Definiçáo

abc- = = ; ; I

: k lrazao semernànça) oe

Casos semelhança de
médlodo ladooposto trlãngulo.

BisseÍiz

inscritã ânguloao mêÌoe tem circunÍerência no raooopoÍo a esse Seqmento com uma exõ€ínidade€m urn vértlceeaoutra exÍemìdãdeno lado opoÍ oo u no 5eu pÍo ongarnênto, for m an doc ome l e

Â=ôJ
pontode 0Í16úê1110: enconÍodas Íetas quecontêmas p a l tu ,è s ,o d e n d o pertencer exteíloí ao d o Íi â n g u l o .

A, A

faABc- ^DEF ^ EJ B= ^
29caso:LLL

cÌcunscíft ãotíiânErlo, a

49: ! ! = 49f uec - r or r
DE EF DF]

AA

39caso:IAL

Posições relativas reta entre e circunferência
Tangêntes
Sê<.ntês (doispontor

AB: BC -= AABC ADEF DE -

Teore fundamental ma dasemernança

v
/:\

Posições relativas duas entre circunferências
Sãodadasem funçãodo númerode pontoscoÍnunsàsciícunferências. Chamando 01 e O, os centrose Í1 e 12os resde pecÌivos raios, sendorr > Í2,obteremos:

r// Eei

^ADE ^ABC

Relações métricas tÍiângulos nos retângulos

Teoíema Pitágoras: = b'? c': de à? +

CircunÍerência
geoméüica portodosos pontosde Figura formadã plano, um planoeqúidistantesdedadopontodesse um chamado centro,

gulosem 0macircunÍerência

Angulo central

Segmento secantesegmento e tangente a panrr ummesmo ponto de

(PAF=PB.PC

Angulo inscrito

Polígonos regulares inscritos na circunferência
Apótemaé um segmento com uma extremidade no centroda circu nferência ciÍcunscritaoutrano ponto e médiode um de seuslãdos. 5e desenharmos circunferência inscÍita poao uma lígonoregular, apótema o coincidirá seuraio. com

ad Qu rado
t,: r 'E

Angulo segmento de '
ABCéângulo desegmento.

^ :'Jí
- 4)

Hexágono

Relações métricas na circunÍerência Cruzamento deduas cordas

-62

Triângulo eqüilátero
r = ,- tt

PA.PB:PC.PD

-1

2

Dois segmentos secantespartirde um a p0nrc mesm0

Comprimento circunfeÍência da

P A .P B :rc.P D

Áreas quadrada Area região da

Áreâdê uÌnaregião tíangul.Ì <omoauxílio da TÍigonon€tÌia

A:fabseno 2

Area região da por limitada umtrapézio Area regrao 0a retangular

Áreada região limitada pararerogramo um

B

l.' ^=* 1',
. D. d 2

;t-l/

/

7

oa regtao por ttmttada ^rea umlosango

;,

Area regiâo da triangular

2

\r /
\t/

|
|

\r/

v..-I i.,.
-

|

l d" AÌ€a da_regláo triangular sendo conhe(idos05 tÌês lados(Fóínula dê HêÌon)

Area região da por limitada umhexágono reg r ula ze'Jí

P:

â +b+c (semiperímetro) ---

A = ./p(p a)(p- b)(p- c) poÍ Áreadâ Íêgiãolimitada u|nt.iângulo eqüilátêro

Areadeumaregião por limitada um polÍgono regular
,'--\ n tados p: semiperímêtro ì 2

e.tE

í.

li1 |

\_v

Area círculo do

pela 173. 0JnaeÍp Asretase s são SD r intercepbdâs trãns versa conforrne t, aÍgura.

Area setor do circular
dg*' o,.a {

_

_

_

;Rt

360'

2n

2tt+

paralelas que O !€lof dex para Í e s sejam é: â) 20'. d)30". e) 35'. b) 26'. c) 28'. 174. (l.Jn no-Rl) As Íetâsrr e Í2 sào para elas.0 vâoÍ do ânguoa, apÍesentado naÍgura seguir, a é;

as re PE) I7O- (Cesesp NaÍgureabaixo retas s sãoparâ lelas âsÍetas v sãooeDendicua€s. e le

a) 40'.

bl4s'.

c) 50'.

d) 65".

el 130'.

no NaÍguÉ,os pontosAeB estão mêsmo ab€ixo, única 175. (FGV-SPI a denÍeas alternattvas Assinale, enÌão, plano contém Íetas paÍalelase 5.Assinale que 0 as r "osángulos que complete correlamente a sentença: disÌjntosd€Êsã0.. pelo al opostos véftice'l O coÍnpeÍnentâres: congÍuentes: l el seÍnprc bl adjacent€s cJ suplementarcsl xo r 171, (UF.JF NaíguÍââba as|etas e s sãopaÍâlelas MGI o retat.0 ângulo nafigurâvaLe: € coírdaspofLrma â) 60'. cl 50". d) 20'. al30" c Na r I72. [F!vest-SP) ÍguÍa,âs retas e s sãopa|aeas, 55' I rnede 45'e o ángulo rnede A nredida 2 ângulo 3 erng€us do ângulo él el 100. cl 60 d) 80. a) 50 b) 55. b)50" cl40" d)70' el60'

176. IUFG-GOI Ígur€sbâixo retas e s sãopaÍãlelas. Nâ âs Ì

A medidâ ângulo é: do b aJ 100". c) 110'. b) r20'. d) r40'.

177. [UFG-GO] dois Se lados urnldângulo de rnedem res pectivamente e 4 drn,podemos quea 3 dÍÌì aÍrmar rnedida terce lado do ro é: €l lguaa5dm. bllguaaldm . cl igual 1F cìm. a que dl menoÍ 7 drn. que7 dm. el maor 178. IUFC-CE) ígura,os segmentos €ta AB,AC e Na de CDsãocofgruentes,é uÍì ánguoextemo, o Lrm e Ê âng!o interno dotriánguloABD

I 81 . [Uerj) urnpoÍgono todos lados s,então Se terìì os igua todosos seus ângLtos nteÍnos guas.Pa|a são mos t|af queessa prcposção hlsa,pode-se como é lsaÍ exemplofgu|adenorn a nada:
3l osân90. bl trapéz o.

cl rctângulo. dl qladrado.

182. IPUC-RJ) â]ìgulos Os nteÍnosde quadÍiláterc urn medem3x - 45,2x+ 10.2x + t5 € x + 20 g|êus O rnenor ângLl med€: o al90' b) 65'. cl a5'. O 105'. e) 80'. 183. (Unifesp) urnpa€leogramo, rnedidas dois Êm as de ângulos iniernos consecutivos na |azão : 3. 0 estão I êngulo pãÍâÌelograÍno rnenof desse rnede: el 45' bl50'. c) 55'. d) 60". e) 65..

D

qu€ Assnale opção contém expressão a a coretâde emtermos d. de P 2a a t 9= 3 " d) 3 blÊ=2o e)Ê=
3d

184. tfuvest-S0 tmpézo ilm retâfgu teÍnbâses e 2 e o s aturê4. 0 perÍmetÍo desse Ìrapéz é: o a)13. bl14. cl 15 d)t6. e) 17. 185- [Faap A rnedidâ púxirna cada SD rnârs de ángulo ex temodo heptágono regulaf moeda R$0,25 da de é: al 60'. bl 45'. c) 36". dl 83'. el 5r'

2

cl p=g
I79. tFuvest NafgLrra qle SD abaxotem-se AD = ÂE CD= CFeBA= BC.

186. [Unitau 0 poÍgono SP] regular convexo que o €Íì 1iÌìerc de ãdos igLaao 1JÌe o de oidgo,ìdi!o é e aJ dodecágono. dJ hexágono. bl pentágono. el heptágono. c) decágono. I87. ([,4ack-SOsâng!osexlernos urnpoígor egude ro D lar Ínedern Então, númêÍo diagonâts 20'. o de desse porg0n0 ê: a) r 19. b) r35. c) 152. d190. el 104 188. TUFPB) númerc lados 0 que de do.poligono tem90 diagonais él dJ9. d 24. bl 5. ei fenlìumadas Éspostâs. cJ 15. 189. 0bmec gostaria rccobrif SP) llrn Íìstemático de o clrão slra peçâs mesma de sala coÍn várias de íoÍna€ mesmo tamânho, colocando peças ao tado as uma da outrE, seÍn,.deixar espaços semsobÍeposiçôes. e Não pa|a seÍ\7úiaÍn esterecobÍirnento peças as como íoÊ mato de a) tÍiángulo láÌero eqü b) quadmdq. cl osango. d) pentágono rcgular e) hexágono reguar.

Aoc Seoâng!Ìo EDFnìede então ângLtlo med€: 80', o ABC a)20". b)30'. c) 50'. dl60'. e) 90'. 180. [UFI\,.4G1 basenosdados Com dessa Ígurâ,pode-se alÍmâÍqueo m€iofsegrnento é: a) AB bl AE. cl EC. dl BC. el ED.

l90,

(Fuvest-SPJfgurâabãixo, é pentágono Na ABCDE Lrm €gular

meda c) 2 sãoÍiángllos sósceles ângulo base de dâ isósceles deângulo dindo 50'e 4 sâotrlângllos base medindo 30'. rce dl 2 sãotrânguaseqÚáteros 4 sãotrlângllos tânguossósceles. eseJ 2 sãotrlànolrlos eqüilátercs4 sãotrângulos e

CD

do 0 Â medda, graus, ânoìrlo éi em d)38". âl32'. bl34'. c) 36' l9I.

eJ40'.

regué SD 0\,4âck NaÍguÍâ,ABCDE um pentágono âf,EFéparãleloAB e BFépa|aeoa AE. a
A

de SP) 194. [Fuvest Dos ángulosnternos uÍn polígono ánguos convexo medem 130"cada e os demais !m d0 de lnternos rnedern cada 0 núrnero ados 128" uÍn. poÍgono é e) 17. al 6. b)1. cl 13. dl rô. '| 95. [Unitau O segrnento pemendcu de aftÍaçada SP) da do uÍn vértc€de um triângulo retasLrporte ado à oposto denom é nado: a) nì€diana. dl atu|a b) med atdz. el base. cl b ssei z. Ig6,

DC

d A m edida ângulo é : do c J6 0 ' . a) 72". bl54'

dl76".

êJ36'.

'192, (UníesplPenÌágonos podeÍn congruentes Íegllarcs de I97. uÍna lâdo íormando esttela sefconectados, a Lado, nâ confoÍme destacado íguÍa.Nestas cincopontas, 0 condições, o ângulo mede: al r08'. b) 72'. cl 54". d) 36". e) 18'.

(Ufesl dosângu inlemos uÍÍ Íìángulo isósce_ llm os de lofagudo lesnìede 100'. a do QLralé rnedida ângulo peasbisseÍizes outrcs internos? mâdo dos ángulos e) 140'. a) 20". bl40'. c) 60'. o 80'. . inscÍito ABCD esÌá NestaÍgura,quadËdo o TUFMG) res e notriângulo N,aljosladosAÍvl NA medem, AN4 pectìvamente, n, me

'193. Ofscar-SA Ígura Íepresent€determinado en um Pl I plano 7ladrlhos polgonâ sregula|es de ca no xe [] he qladrãdosJ, sobrepos seÍn 2tdângulos, 4 xágono, ções

4- ) . C

mn

- ÍÌì+n

b)

2

xo, Dado tÍapézlo Í gumâba consider o da 198. (ti EL-PRI pelo dos oÍiângulo CDXobtìdo pÍoongâmento ados DAe CBdotÍâpézio.
HguEr Fi9ur.2 A 5.m B

peÈ co relação 6ladrlhos aos tnângularesocados Em êspa@s ÍgLrâL cono t_drcado na nos da 'eitare_re lìgum é coÍêtodzerque: 2, os eqÜiláteros são ângu isóse4 tf a) 2 são tÍiângulos ndol5'. dâ med celes ángulo base de lsÓse4 tÍiângulos b) 2sãotrângu eqüilátêros são os medindo 30". celes ângulo base de da

D

7cm

c el 5,0cm.

Amedlda âltuÍâ dessetÍiângulo é: da cJ6,0cm. dl5,5cm.

199" tMack'SPl teÍeno ABC da ÍgìiË, uÍnapessoa 204, 6pUg 4ftrrm seguÌmostÍa r|ajetória p€rcorNo 54 a pretefde preservandoa ridapor urnâ pessoâ ir do ponto ao ponto para construÌf Esidênca, urììa área X Y, plano sern camnhando terreno verde r€gãoassÌralada.BC= 80m.AC= 120 da Se m em e obsúcu Se os = ea tivesse e f\4N 40 m,a área para constÍuçâo, me lvÉ a em usado caminho cuftopara deX a o rnais iÍ Y, tedapercoffido: trosqLradrados, é del aJ 15m. bl 16nì. cJ 17m. dl 18m. e) 19Ín.

aJ I 400. bl I600.

c) I800 dl2000.

2OO. tFuvesr-SPl Dados: âJìslloN16C= ânsuloBÂC; = 3,BC= 2 eAC= 4 Então, AB N4Céiguala: b) 2.

205. 0l EL-PR) ToÍne fo had€ papel fonÌadequâ uma em dmdo ladoguaâ 2l cme nomee seusvértjces de os A, B, C, D, confome Ígurâ] A seguif, a de dobre-a, qle maneira o védìce Díiquesobrc "l€do" 0guo AB m 21.Sêja estanova çãodo védice e x a pos D' D d stáncia a D'. deA
0

dl r.
el 0,5.

2O1- [Fuvest Nafgum.asdisÌânc dospontos e B SP] as A à retaÍ vaern2 e 4. As prcjeçôes ortogonais A e B de sobÍe essa sãoos Dontos e D. Sea medda reta C de CD é g,a quedjstánca C deverá de estar ponto o E, que do segrnenio pâra cÊA - DÊB? cD, b)4 cl 5 dl 6 e)l 202. tvlâckSD A ÍìguÍa segurrepÍesentâ estÍutura â umâ de consÍução chamada tesolrÉ deielhâdo. inc Suâ nação que, cada étã a Ínetro desocado horzontal, na há(]mdeslocamento40 crnnavenlcal. o corn de Se pnnenÌo \rgaABé 5 n. dasalÌe-nàtNas dè a segurí a quemelhor âproxiÍnavâlor compÍiÍnento viga o do da AC,ernrnetros, é:
A'_.J D, B

que  íunçâo exp€ssâ áÍeado tfângulo â Íetângu o soÍnbrcado fun@o ern dexé: ala= n .

,o:

tot;o

o,^= u

ìì00,".
84

ela:- - - T

a) 5,4.

bl6,7

c) 4,8.

dl5,9

el6,5.

203. (lvac(-Sn | à-guo rcúngllo. cdlero dobrc \-Ír ur éo
dooLl.o. fntão ?ioe_up o ìrãior o renordosseg € e pe mentos detêrm nâdos a âhurâ sobre h potenusa â é: a) 2. b)3 c)4. d) 3 2

206. (PUC-SPI Ígura, é o diâmerro circunferên Na AB da cia. Ínenor arcosAC o dos rnede: al 100". b) r20". c) 140". dJr50" el 160".

207. (Ucsal Nâfguraâbaixo, Íângu o ABCé sós BAI o B. ceese BDé a bissetÍizdo ângulo devéÍtrce A Ínedlda xdo ângu assinaado o é: al 55". b) 50'. c) 45'. dl 40". el 35".

212. tUFC-CD fÌgura Na âbaixo, quadmdinho m€c€da da hateÍnìadoL Aárêado qLrad Láterc ABCD é:

2O8. tFuvest-S0 valor x naf gu|aabaixo Pl de é: -20
a) 18.

c) 2A d)21

e) 22.

cJ l. dl 4.

273. rUTÌM-\,4C1 lìgLldJ. B D E.G e I sáopo Ìosoe \d

209. iVunespl uÍnaresidência, umaáreade lazer Ern há corn umapiscna rcdondâ 5 Ín de diárnetrc. de Nessa áreahá urncoqueirc, Íeprcsent€do Íìgumpor urn na pontoq. Sea dislância q [coqueirc] ponto de ao de tangéncìa(dapiscina)6 m,a dstáncia = QP, T é d do coque à pisclna, ro é:

langê1cd dud: de crcunÍeíêasde€ o Íen reldçà c que aoslados retânguLo do ÁCFH. Sabendo a d stânciaenl"eos , enuo)ddocrÍcü1fe èroase Í, a rdzào entre árca pan€ a da sombreada Íigura a á|ea da e do rcUngLlo ACFH é: 8 ". 2r-l 12 24 24

a) 4 nì.

Ì b)4,5 . c)5m. m

d5,5m. e)6m.

210. (UFPBJ Enquânto conveÍsâvâm rnêtemáticá, sobre Vperguntou Ronaldoi"Se carro rodas cente Íìeu ao tem qlantas tasdaÉ uma de 0,35 de |aì0, m vo d€las nuÍn perclrso 70r!m?lA rcsposta de correta será: a)100. b)101. c)112. d)125. e)1S 8. 2l l, (UELPR) bandeira umtme defuteboltem foÊ A de o rnato uÍn rctânguo A, de MNPQ.0spontos B e C pârtes dividern ladoIVNemquâtro o iguais. tân 0s gulos PIMÂ PCB colofidos Ìrma e são com detemnada corCl o üânguo PAB coma corC2e o rcstante da bandeiÍa a cor Ca. coÍn Sabe queascores se Cl C, e Casãod lercntes entrc 0u€ poÍcentagem s. dâ pela bandeiraocup?da corC1? é â) 12,5l]t bJ l5% c) 22,5% q 25r/a e) 28,5%

12 214. [Fuvest Nâ fguÉ, OABé uÍnsetofcircuar SP) com centrc O,ABCD !m rctánguloo segrnento em é e CD é tangente X aoãÍcode eÍrrerÌìos e B d.' setoÍ em A cifcllar, SeAB= 2í3 e AD - l. então áÍea se â do toÍOAB ìguala: é

ê) a.

4n "l
d lil
3

31

t )2 n . 33

219. íVulesoìUTaeslatLa 2 Ír deakLra un po. - oe de e
215. IÌJFPB fgum a segu deÌennineângu queé Na r, o o oposto adode menor ao compriÍnenÌo. 5 r de a .-€ er;o ocaìizado) nuÍna.deirdde 'clinação iglaìa45',corno mosl|a afgu|a.Adistância da basedo posteà baseda esútuaé 4 m,e o postetem urnaámpada acesa exrrem supefor na dade

216. [UnÌcamp-SD fiBpózio Um retângulouÍnqladf áteé plano possui ângulos que rctos, um rc convexo dois que, ângulo agudo e umângulo a obluso Suponha B. a em umtaltmpézio, m€dida Ê selâgua € cnco de vezes medida d. a de al Calculemedida a, emg|a!s. a de que peasbisseÍizes de bl Mostrc o ângulo formado deÊéreto. 217. tUFC-CÊl a Considerc figuma seguI ns qu€los segmenios rctâAB e cD sãopependicuâres de âo segmento rctãBc.se AB - 19cm,BC= I2 crne de € em do CD = 14cm,detefininernedida, centímetros, segmento retaAD. de

qle Adotando = l,4l e sabendo Ìantoo pusle \A quânto estáÌua naVenica, cLrle: â esúo c€ a) o compfmento aproxmado sombm esÌátua da da pmjetada sob€a ladelra; b) â ér€a trângulo indicãdo ígura. do XYZ na 220. IPUCFJI OscaÌetos !m trângLrlo de rctânsu rÌE o dem:oJIcm e zoJãcm.Acheo cornpfmento da bisseÍiz ângllor€to do l]se desse Ìriângulo. [Srgesiâo serne hança tângulos.) de 221" (UFPB ABCurn Sela ïânguotalque AB = BC = 5 cÍne AC = 8 cm.quanto Ínede€rn mm, ahura a deste Íiângulo rcação âdoAC? em ao 222- tUFFJ) NaÍìsuÍa, otânsu o AEC €qüiláterc é eABCD é umquadrâdo lado cm.Cacule dstância de 2 a BE.

218. [Ufscar-SP) pâcâdeâçoquadradava Umâ sertÍans foÍmâde uÍn octógono em regular, recorkndo os se quarocanÌos qLad?do foÍ1]a obte o raiodo de è polfgono possÍvel, ÍnostÍa ígu|a. coÍno a

223. IUFSCI fgum,O é o c€nÌmda^ciÍcunfeÉncia Na o ângulo 0AB rnede e o ângu oBCmede De 50', o l5'. teffnine medda, gÍaus, ângulo â em do oAC

rl
SendoàTedda do ado do qLad?dorgLalaL. calcu-

le,emfunção L: de a) a medidâ x; de bJo peímetÍo octógono do obÌido.

224. [UFPB] fÌgura xo.o segmento é tangenNa aba AB te à c fcunferência centro SeAB mede30 cÍn de O, e BC mede18 cm,deteÍmine medida CD eín a de

228. TUFPD Natslquestao[ões] a seslirescreva paros rênteses sefoÍvedade ou [F] seforÍâlso. ro [V] f ì Doislriá g-lo. eqüiate quasqLe :ão seos metnanles. ( I DoisÍiângulosretângulos sernelhantes sâo se os c3tetos umsãoprcpoÍcionas catelos de aos q-aq-eÍcèdé é ìaro qLea lado [ ] \un trârg-'o soma ollTos s. 00s o0 de áteÍo intercepse [ ] Seas dagonais urnquadr quadri tarnnos sels pontos os,então méd esse áleroé umretãngu o. ( I SepelopontoÍnédìo lado de uÍntrángu do AB o ABCtraçaÍmos rcÌâparâlela ladoBC, uma ao entãoestâretáinterceptaÍá âdoAC no sêu o ponto méd o.

225. tUE R'

g Ur r a r odadp 0 .n d e d i á T e l ro i ,d e T r r d ela,s eÍ r es o| | ego r, o b rpl Ìd s J p e -(i e ' sà s

Trigonometria
Lei doscossenos
' parâ Determinemenor o núÍnero volÌas de complelas que maiof l0 rn. a rcdapercorrer d stânca urna

226. iEEM-SPI Calcule áreâconstruída (rmaparta a de plantâ pelo menlo, cLrja bâxâestáÍepresentada es quema âbaixo â espessuÍâ paredes). das [d€spreze

x2: a2+ b2- 2abcoso

Lei dos senos

227. (UFPB) íguraabaixo,quadmdo Na o ABCD Íepresenta um pedaço papeldeáreâ144cmzdo qualÍoi de recortada p pa,naformá poÌígono uÍna do AECFA. Sa que Írèdios laoos benoo E e F sãoos oonlos dos B-C quala e DC,rcspectÌvamente, áÍea, cm'z, papel eÍn do

=-

1:___::2R

GÌause radianos
180"= n rôd

Seno, cosseno tangente e
. sen2x cos2x: I + . rç lx = -

. 5imetria

TransÍormação pÍoduto em .."rl? . sex + sey:2 . se n n n +
. sen - seny:2.sen x . s65 1 ç65 2..or IÌI x r: -L ' r. t ..or I L -L

. Sinais

relações Outras tÍigonométÌicas
.cotqx: I tqx ,ì cosx senx

ooo
'ì b): tga- tgb 1+tga.tgb

ì!I . cos- cosy: z.sen x Função seno Gráfico

. sen ìl-

Características
]s) Função senoé a funçáode lR em lR defÌnidapor : senx f(x) 2e) Afunção seno tem D: lR e lm: I 1, 11. 3e) Aíunçáosenonãoe injetivànemsobrejetiva. 4q) Afunçãosenoéfunçãoímpar,istoé, senx= -sen( x),Vx€lR. 5e) Afunçãosenoé periódica períodop: 2Í. de

. cossec = x

.sec:x=l+tgzx .cosseczx=1 + cotg2x

Adiçãoe subtração arcos de
.sen(a.+b)=sena.cosb+ senb. cosa . sen(a - b) = sena . cosb - senb. cosa . cos(a+ b): cosâ. cosb sena, senb . cos(a- b) : cosâ, cosb + sena,sen b toa+tob .tg {a + b) - _ ' os em {pdÍd àÍcos que à r_r qa.r qo tãngentefor definida) .tg(a

Função cosseno Gráfico

Características
1e) Odomínio o mesmo:ÍlR ) lRtalque é f(x): cosxtemD = lR. 2q) A ìmagem a mesma: lR ì R tâlque é Í f(x)=cosrtemlm = | 1,11. 3-') O período o mesmo: funçâocosseno periódié a é ca de períodop : 2r. 4q) Afunçãocossenotambém nãoé nem injetivanem sobrejetiva. 5q) A funçãocosseno par, isto é, cos x = cos (-xl, é Vx Ê lR.

Arco duploe arcometade
.sen2a=2.senâ.cosâ . cos2a : co52 sen2 ã a . cos2ã : 2.cosza 1 . cos2â: 1 2 .sen2a 2tq a

Senóides tipo do y=a+ b.sen(cx* d) ou Y= a+b'cos(cx-d)
O domínio dequalqueí senóide sempíe é D: R.O quevàíià imàgem o período. obLeÍà éà e Parà imagem, que l<sêno<1e b as ta lembraÍ 1<cosd<1e substituir funçóes. na5 2rr Parà obteío período, basta íàzeíp = -.
ILL

231" [Fuvest Noquadfátero segu SP] a f, = = = BC= CD= 3cÍn,ÂB 2cm,ADC 60"e4Éìì 9O'.

\

1l

IJ
c 4 dl Jr 4

ObseÌvaçõê5: lc) Se b < 0, o gráfìcoÍìca sìmétrico gráfÌcocom ao b > 0 Gimetriâ relâção eixox). em âo 2q) Antes desenhar 9ráfico, importante de o é deixar pdrámetro positivo. o Parais50, c usamo5 pari a ( dadede senoe cosseno:sen cx) = sen(cx)e cos{ cx) = cos(cx). d : 3q) Sed + 0,o gráfico translada unidades. c paraa direita. d positivo:ográfìco translada paraa esquerda, d negativo:ográficotranslada

A rnedjda, crn, perírnetro quadriátero em do do é: al ll. b)12. cl 13. d) l4 e) 15. 232. IUFPAI a medida Edianosdeurn de 135? em arco Qua 'ì,! 5Jr .
dlt!' Dt 2

233. [Fuvest-SP] 0 períÌetro deumsetoÍcrculârde R Ëio e ángu centE med o radanos ìg!a1 peÉ o ndo é ao metÍo umquadmdo lado Então é iguala: de de R a a " 332 a)2 cl] dJ'" e) l:

234. IUFPB] sen = z,lta ex esianosegunoo qua Se x
7

229. (Uniio-R IDesea-sp a a cldn.ia F oLas,rFoi eí
que dades e C sobrc nìâpa, escâ Sabe-se B um a. sern ÂB = 80 kme AC = 120 onde é urna km, A cdade conhecida, mostm ÍguÉ abaxo como a

dÍante, então
aJtgxDl rgx: cJlgx= dltgx=

o'4o
7

on4ã
49

z'Eí
3

s"4ã
I ,comxrea,e: 3-cosx

el nenhuma rcaçôes das anterloÍes é verdadeira. Logo, d stâncÌa a €nü.e e C, emkrn, B é: qle €J menor 90. que b) maiorque e Ínenof 100. 90 que e que cl maior 100 menor 110. que qlie dl maior I l0 e menor 120. el rnaiorque 120. 230, tMack-SPl Tfês hasA, B e C aparecem mapa. nurn ern€scala : I0 000,corno Ígura.DasalternatI na vas, quemehoraprcx a distânca a ma en!rc iÌhas as Ae Bé: aJ 2,3km. b) 2,1km. cJ 1,9 km. dl 1,4 km ï\ 235- (Fu\r'esÌ-SP) valor O menoÍ de

,r+ br+ d+ dr. er3.

236. (PUc-SPl aÍiffnaçls x = ?!j A 66s 5 y6y666sm .onerÌese.a éË q-e: se.e al l>âoua>1. d)-2<a<3. bl l>aoua>1. e) -4<a<6. c) 2> a au a',3 237. [AFA-SP] vaorde 0

\r..

I+a + ...+l+ .. ""nl 4 z' , \2
aJ-1.

ì nen.e: )

D-______\.

blo. Ò+

d) 1.

238, [Ufac) rnenof positivo x qlre O valof de satisfareL]ua a çao2senx- l=0é:

, r+ D+ c) + ü+ er r

239. ttuvest-SP) dobro seno urnângulo O do de 0, 0 < 0 < a. é oua aotriDlo olrâd|ado do desua Ìân2' genie. Logo, ovaorde seucosseno é:

No [FuvestsP] quadiáterc ABCDondeos ánglrlos € B Dsâoretos osladostêm e as rnedidas ndicadas, o valof de senÀe: -Ã ";

.ì-

"',

240. IUFCCE) Cons a equação x cos - 2:0. derc cos, x que qL€ Pode aíÍmar a somâ suâs se de soluçôes peftencern intervâlo ao é: 10,4r!l a]l. bl I clo. d) aÍ. e)2n. 241. IPUCPRITodo do ntervalo 2n] quesâtisfâz x â [0, t6"' l pouaç€o - ---!="- - :- oe1e'ìce l'ìIe'Va|o a0 a) 0 <x<72'. b) 72'<x < 144'. cl 144'< x < 216'. d)216'<x<288'. e)288'<x < 360'

")i ,9 ,* o'+ "+

,. :.6
v) __-_

..2

246. [UeceJ x é umarco prmeiro qLradranre Se do ra que to 1 = ,ã enão r.é cuaa. sen -2

ê)u_

bì+
",

l-

r6

247. t\- espl co. sê

p"-", (o ^ ì ",".". - \ 2) """

qLrea+ 0 e a+ I,ovaofdetg2xél

I 242- iLEr, PRIse \ c Io,2,r1, ê-rãocosr - 2 "., " "" mente x sâtsfzef condição: se, à all:<r<ill. 33

2a.11 a' I..

"r -;tr - -:
e) 2a'1 1.

c) 2a.J1- a' 248. t--ve.r Sn O( r re-oç Fdc 1' !q fomam.nesta sen oÍdern. urnaoÍoorcssilo âít ' 1' Ínétim. Ëntào valor sena é o de

bla<x<a

32 c)n<x<2n. dì j:<r<:: el 0<x<l: ou: oL:: 33 <x<2r <r<2n

"r l
6

"..rE
e) 4,'

243. [Udesc) expressão sirnp pâra A mais es _l aJI blI c) 0. oJ rg x.

,+

",

./ã

249. [iVâck-SP] A ngu€rnostra esboços gÉÍcos o; dos t oas tuaçõps -.e f ]eqirt cos L\' lrrt endo \x,

244, IAFA Ovaordaêxpressão SP] cos 35' [sen + cos + 25' 55") + sen 35". (cos - sen + 25' 55"1
+ ! Y J' !v' é

1-1931'.tgl4'

, 'E-s
^ l:

a )m= 2 k bJ rn =k
.l cJ rn = ãK

dl m = ,,/l.
e) = 'ì,

-+k

y: 250, IUELPR]O conjunto imagem função lR..* lR, da y=2lcos2x+1é: al 10,21. bl Ir,3l. c) I 1,31. ü I-2,21. el t-2,01. parte gráíco 251. tFuvesÌ-SPl Afglm a s€guiÍ mostra do daíunção: al senx. q / sen cJ 2 senx. dJ 2 sen2x. e) sen2x.

bl
a, < o< .

de do triângulo ABC, função eÍn

t 254. IUFoBJsecos0 - 06e0c I 0 -ì I. calcu"ov dr o : L ' ) delosene

255- tVunespl pfoduzem Numafábrlca cefàrnca, se de lajotâs tÍang! arcs.Cadapeçaterna formade um triângulo isósceles l0 cujos lados igua medem c.ìr, s e o ángLrlo base a da tem Íned x, comornostÍâ da Íìgum.

âJ Determineaturâh(x),â base a b(x)e a área A[x) peça, fun@o senx e cosx. decada em de bl Determiner, modo queA(xl iguala cm'?. de s€ja 50 252. [Flvest-S NaÍgurâaba O é o centro c rcun P) xo, da AB a o o íerênca rao 1,a r€ta é sec€nte €la, ângu de t; 60" 0 ínede e sena = lÌ. '4 256, IUFIVG] DeteÍm todos valores x penencenfe os de (0. lesâoinrenalo nl quesàr,qaà/ereqLação é 3tgx+2cosx=3secx. 257. (fuvest-SD DeterÍnine souçôes equação as da = + x [2 cos'zx 3 senx)[cos'? sen'?x] 0 queestão no ntervalo 2n]. [0, 258. [Vunesp) Areaçãoy= A + 0,6senlo(t - ,] expriÍnea proíundldadey Ínar, mêtTos, uma do em eÍn doca, < àst horas dia,0 t < 24,naqualo do a€umento é expresso |adafìos. em que al Dado na maÍé a pÍofund alta dade mafna do doca 3,6m,obtenha é ovâorde A. qlr€ bl Cons derândo o p€ríodo maésé de l2 ho dâs ras, obtenha v€lofde o í0.

Geometria espacial
a) DeteÍmÌne (OÂg) emí{rnção AB. sen de bl Caclle AB.

Geometria espacial posição de
pordoispontos lJmaretafìcadeterminadà distintos. poí: lJmplanoíicâdeterminado

253. (UnÍesp) que Corn base naÍguraa seguir, Íepresen. tÍê5pontosnáo:colinêâíes; k o cÍrculo trìgonométrico exosda tangente e os e . duasretâsparalelas distintas; da cotangentei . duasretas n. coficoÍíentes; pem = d al c€lcu a árca tfánglloABC, e do . umaretae um pontofotádela. 3

sições relativas duas de retas espaço no
I paíalelas coplanares J PeÍpendiculares concoíêntêt1 , ,, distintas loottquas | Duàs retas êspaço no I ortoqonais j reversas Inao-orrogonars (paralelas coincidentes iguais)

Posições relativas uma e umplano espaço de reta no
(r//od a retaé paralela plano ao (r a retâestá no contidã plano C 0) a reta intersectà o plâno fa plano retaé perpendjcularao

Uma te umplano noespaço reta a

](f-La) ão {rl I a retaé oblíqua plano d)

planos espaço Posições relativas dois de no
lParalelos . distintos JsecânÌes pêÍpendiculares I

plânos espaço Dois no

1 .., loottquos I (paralelos coincidentes iguais)

Poliedros
Relaçáode Euler:V- + F = 2 Â

PÍismas Paralelepípedo retangular reto
. = 1f,'+b'+ci Oia gonal'O + ÁIeatotal:AÍ= 2(ab+ac bc) = Volume:V abc

Cubo

asrcgulares
AB:áreada ba5e(polígonode n lados) AF: áreâ umaface(retángulo) de

Tronco cone de

Pirâmides PtÍâmide íegt)lar
As:áreada base(polígono n dê lados) (triângulo) Ar:área daface Ár eâlateral:AL=n'Ar Areatotãl:,\ = AB+ Al a^.h : Volume:V -ï

m
4

T H -,' ÂL: ngl(rr+ rr) U---"-----\ v: .\-.' $(l'+,,'.,+r.)
Êsíera
| *\) 3

Ár ealateral:\=n'AF Areatotal,\ = 2As+ Ar = Volume:V As. h

Fuso
A íuso_eq'& s_d,"d

4nR'z 3óo'

21r

ïronco pirâmide de Cunha
v :ïl B +J B b +bl
V"*h" dÍ-, _ o"d

1nÉ 3

360'

2rç

Cilindro
AL: 2nRh AÌ=2nR(R+h) Cilindro eqüilátero: = 2R h

í'ç.çi.-\
\:|:'E:_! 259. IUFPBI Ma|que C nas áÍrmâlivascoffetase E n€s

Cone
g'?=h'z+R'? AL: TrRg AÌ=nR(g+R) ., 7rR'zh 3

er|adas. .delerm 1, ( )Trêspontos lneares co nam somente plâno. Lrm so 2. ( lPoÍ urnpontode umaretaÍ dadapassê menle pano perpendculaÍ um a r, O, urn 3. ( ) Duâs retas concoÍrentes deterÍninarn pâno. 4 [ ]A projeção umaretar sobre pláno é um o de sernprc ouvaT€Ia s. para 5. [ )Se.uÍnp anointercepta pianos e os, dois as ntersecções rcïasparalelas. são paraeos sobre 6.[ ) Urníexede planos deÌefininâ propoÍcionâis. duas transversa s segrnentos Aseqüência é: coffeta obtidâ âl ECCCEC. cl ECËCCC.

Cone eqüilátero::2R h a lâteral: Ángulo setor(ircularque do equivaleárea 2,rR (emrãolanos) I

e) ECCECC

bl ccEEcc.

d)ccEccE.

260. IUELPRI rctaré a nte$ecção planos A perp€n dos dicularese B Ospontos e B sãotaisqueA € o, a A A e p, B € B,B É o.ÂsÉÌasAB er: al sãorcversas b) sãocoincidentes. c) podern concoffentes. ser podeÍn para ser elas. O el podeÍn peÍpend ser culâres 261. (UFRN) cadeiË Na rcprcsentada Ígum abaixo, na o encosto pefpend é cuaf ao assento esteé paraeo e a0cnão.

263. (UFCCD Urnpoiedro convexo sótemfaces Ítânguâres quadrdngulares. e tem20arcsÌas 10véf e See e t c€s, então númerc laces o de trÌangu ér arcs a)12. bl]] clr0. d)L e)8.

264. IUELPR) Aumentando em I rna aturaoe umpa se ÉlelepÍp€do, voluÍìre seu aurnenta m3e suâáÍea 35 tota auÍìenta Ín,.Sea árc€aterEldo parâleepípe 24 do origina 96 nì,,então volurne na él é o ofg âl 133m3. c) 140m3. el 154Íns. bl 135m3. d) 145m3. 265. (UFIVIG) vo|Jme umacâix€ b caé 216trrcs. 0 de cú A medida sLra de dÌagona c€ntírnetros, eÍì éi a) 0,8!6 bl 6 cl 60

el 900 \6.

atoo,6.

266, 0TASPIDado prisma um hexagonal Égutâr, sâoe-se quesuaatLr|a rnede cm e quesuaáÍeââterêl o 3 é dobÍo á€a desuâbase. vouÍne da pfsm€, O deste ern

d 27\8. bl r3.rã.
Sendo assim: âl Osplanos e FGJ pa€elos. EFN são bl HGé umsegmento rctacomum plãnos de aos EFN E EFH, cl Osplanos J e EGN paralelos. H são dl EFé umsegÍn€nto rctacornum planos de aos EFN E EHG.

c) 12.

el 1716.

alsq 'ã.

267, IFE SP)Delrnavga de rnêdei|a seçâo quadrada de delado cmextmseumê I0 cunha dealtuË = t5 cm, h conformefg!|a. 0 volurne cunha a da é: al 250crn3 dl I 000cm3. bl 5oocm3 el I 250cm3. cl 750cm3.

262. [UEL-PR) explcar naturcza mundo, Para a do Platão "l..,lapresenta aleoriê segundo qua os'quatro a ele Íìentosadmitdos como constituìntes mundo o do fogo, ar,a água 6 ter|a- [...]devern â fonna o € ter de só dosreg! arcs.I...1 Para deixaf ío|aum não de sólido regulaf, aÍbuiu ao dodecaedrorcprcsenÌaâ 264. 'uecel d.eABC A ooÌelËedroVABCeLr riá-gJo de l N, do dâ forrna todo o unverso IDEVL Kerh. eqÜ láteÍo lâdo cme a retapassando véftice de peo 3 Matenática:a ciência padrdes. das PortorPortoEdV € pependicuar estaíace ntercepta-ê seu a em p.t tora, 2002. I9.1 centrc Sea arcstê do tetraedro5 cm,então O. VA é a geoméAsÍguÍâs segu rcpresenïam sóidos â | esses rnedda, cÍn do segrnento é: em V0 qLre tricos, sãocharnados po edÍos de ÍegLrarcs.

,ll.;>ffiSO@
"[ã.
Fogo Ìerc ÁS*

o

ol .,/iã.

a "6.

a ',tn.

269, (tlece) Nlmap ÉrnidequadÉngu aÍ regutaf uÍnaarcs, ta clabas€ rnede 2\A crne umaarcsta ateraÍnede piérncle, cm3, 16ã cm o volume dessa em é:

| poÍ Un ooledÍo JT so oo in 'Ìádo porgo_os.êao e poledro urncerlonúmerc polígonos tomo 270. IUELPR]As superficies umcuboe de umoctae teÍn de em de de c€da vértice. dasígu|as Uma anteriores repÍesent€ drofeg lnt€rpenetram dândo Lrlar se, origern ÍguraF à um octaedrc. sorna medldas ângulos A das dos rnostrada eÍìl a segu Sobre r. câda do cubo evam íace e se piÉÍìr quetêm base tornodecada védcedesse octaedrc é: quâdmdâasíaces des a e emíori a) 180'. c) 270" . e)324' rnade tânguos eqüiláteros. védcesdasbases 0s bl 240'. dl300' das pirámdes esÌãoocaizâdos pontos nos Ínédi

ú7'E

D8'E

ds'lr.

alroú.

Aaresla cubo do dasaÍ€stâs cuboe do ocÌâ€drc. do pela do limltado Ímede cm.Qual volume sólido 2 o
gLrm F? a) 12c m 3. b) 14 cm3. cl 18crn3 dl 16 crn3. e) 20 cm3.

de 274. (Udesc) cubode adoh é nscrlio clindro Um num rnesrna ci altt]Iá. Aárealatemdesse ndrcé

e) uÍh'z

". r*r"ã

a):*r'zrã.

271. [UFlVlG] observe f gLrË: €sra

275. il-lELPRIUrncone rcllaÍretotematu|ad€ 8 crne c Ëo da base medlndo crn Qua é, erncentímetros 6 quadrados, área lat€Ía ? sua a) 2aÍ bl 30r! cl 40ir dl 50,! €J60r 276. [UFRGS] paneâ cilíndfca 20crndediâmetÍo de Uma paradoce, sem estácornp€tamente de massa cheìa exceder âltuÍa 16cm 0 númeÍo doces de em sìra de lomatode bolinhas 2 cm de râo quese podem de
obtefcomtodaa massa él al 300 b) 250. cl 200. O 150

e) 100.

277. (UFPD Corìs umtanque a Íomad€urncone deÍe com invertido rao da base rìre atlrraI rn.Dexase de 6 um Nessa Íìgurâ, estãorcpfes€ntâdos cubo,cljas na€ cafdentro tanque esl€Í6 rao3 m.Ass uma d€ do e de ârcsras rn€dern, uma3 crn, a piÍâm N,4ABC cada do da a alternatva coÍ€spondentedstância centro à quepossutrèsvéncesem comLrrn o cubo.o corn pì d €sÍera vértice cone. ao do por o M s.Ja sê sobr"o p olo'lganento a ca alaflì bl2rn cl5m d)l0m el6m [/ì BD do clrbo.0s segmentos e IVC nterceptam
o ? -rd s oFr\e.Lbo Íes pen\ dr F' llF.no( oo' ì t o ) N p

Considerandoesse P e o segrnento mede crn. ND I oue sa" n'o_ld!õ-s, coÍÍerc.'irnd 0 \oLrÊ 0. é piÉÍìr IVINPD erncÍn3: é, de
a) 6

poss]ri l0íacescomtfès 274. [UFPD poledÍo Unì convexo lados, íaces quatÍo l0 lados I face e comdeza corn poledÍo dos. Determinenúmero vé.tices o de desÌe abaixo a plânícação Ìrma é de 279- [UncampsP] ÂÍigutâ

b) 4

"r+

d*

sâ aprox de 272. (úEL PR) capacdade mada umat€ÍÍo /\ _úaocor aÍor n" dpres"nlêdà'ìaÍ9. ceo-l é: "" m". el3 768 âl I 135rn3 cl 2 187m3. bl I 8oorn3 d) 2742 tr,3.

ï

cÍcular Lrmajaffa cilndrc é uÍn 273, tUFV-N/G)inteÍiorde O V Se retoe contém liÌÍosde áOLrâ. íosseretÍadoI tro o ea da desta água, mio, dlârnetro âltuÍa ág!a,nesta o Se, urnapÍogÍessão aritmética. ao formafam eÍdern, I ltrc na €scontfláÍio, âdicionado deágua jaffa, fosse g|êíìdeás, rnesÍnâ urna na odem,ÍoffnâriaÍn pro sas gressão geornéÍica. OvaoÍdeV é: c) L d)z el 5 a) 6. bl4.

dl E'co'.e o vao de x e'ì .'r'ho os.de n odo quea capacidâd€ caixa de 50liÌÍos. dessa seja por b) Se o Ínaterâl utilzado custaR$ 10,00 rnetro qLad€do, è e o (-slod' -nd dp'(a< \4. dp q. ra apenas da 50 itfosconsiderando-se o custo lolha p ana? reÌângLrlar reglrlar, sen 2AO. [VLrnesp] ConsdeÍe pÍisma urn hexagonal

ldrera alê 60cni gl ooé êllJ" gLêlêb crì e è d-ea um al Encontrecomprmento cada deseuslados o de bl Calcu o vouÍne pfsrna. e do

281. [UF[,1G) ConsideE tetraedro um €gulafde védicêsA, 246' [Ufes) sêtor O crcular sombreado, 6 cmderao, coín B,Ce D,cujas que êre€tas medemConsiderc,êíìdâ, r trênsfoÍma-se nâsupertÍcate]?l um e dê cone, "coâpós porìtos M e Í{ são médios arestas ê CD, das BD €spontilhados. llusÍad'o aoem" 6eus de boÍdos como nas pectivamente. a área tdângllo N. Câlcule do Al\,4 igums soguirl a 282. (UerD Observeflg!Ésa seglh: ,s
oo

+l'\
A B Á

^^
B

+,/l\
 =B

,.1
c 6m o atuo u A ígurÊ| mostrâ forma toldodo ufiâ baÍÌãca, a ía do e glrâ ll,suarespectiv€ planifcaÉo, composta dois de trapézios isósceles congÍuentes tdângulos, e dois Calculei â) o distáncs ds aresta 60pÌÊno h AB CDEF; bl o volume sólido vértices B, C, D, E e D, do de A, Ínostrâdo fguraI,emfungão h. na de

êl Quale mêdrda ralo bêse do da desse cone? b) Qualo voumedo conetêndo base a superessâ e ficÌe lêteÉl descfitâ ormente? anter

287- (Uíscar.sPj urna Em anchonete,câsa namoÍa uÍn de dosrcso dlvÌdir taçadem,4k ve uma srake asdicoÍn mensões most€das desenho. no s) Sabendo-sê â taçá que estâvâ totamente cheae queêles bebe€ÍÌì todo a nilk shakê qualfoi voluíne, cacue o ôrn pelo mL, inoeddo cÊsê|. Adoten:3, bl Seum deles bebersozinho até . a mêtgde ahura copo, da do

quânto vollme do tol6l, poÍEent€geÍn, beôÍìì teÍá 2g:ì. (UFPE) ÍÌgu€ a seguk cuboremarestâ Na o iguat a bid0? I cm ê ê prâmide urnvértice cêntlo ums teÍn no de Uma ampola vidro o fomato uÍncode face como tem de e base face a opostr. SêV cms o volume 288. (UFRI) é ne cujaâltuEmede cm.quando âmpoa posta 5 ã é daorâmÌde, determ ] V ne '3 sobre umasupeflde hodzontal, turado lhuldo aa em seuint6oréde 2 cm (Íìgurâ tl.

284. (Unifesp) recp ente, Um contendo águs, â Íorma tem de uÍr cl_d'o crculsÍ rcrodeahuÍâ = 50 cÍn€ €io h r = 15 cm.Este rccipiente contérn ltro dê ág!â ã I que menos suâcêpacidade tota, a) Cacllê o voumede água (use contido clindro no ,r:3,14) , bl Quadeve o mioR de umaesfeÍa iêro quê, sef de introduzid€ citndro totâlmente no e submer6â,lâçâ lransbordaÍem exâtamente 2 litrcs água? de

DetermineâiturE do lÍquido quando âmpola vi â h a é para rada c€beç€ bÊixo (ÍguÍE Lembrete: de 2). voloda . fáÍea b66eìx falturaì 3

285. (V!nesp) retángllo meddâs3 cm e 4 cmíaz LJm dê !mâ rctaçâo coÍnpeta tomo de seuladomaior, em conforme a lust|ação. Adolando 3,14: n=
geEda; aJ encontÍe áÍea a totgldâfigura b) encontrc o\olume fÌguÈgeÍEda, da

Matrizes, determinantes e sistemas Iineares
Matrizes
lúãtriz umatabêla, é Matri, x n]h,lilh"t m ln aotunns

Elemento está linhae nacolunâ, aur na I

'Matriz quadrada
m= n ( o r d e m n )

rea!en é a 4ï dêt (kA): kn. dêt A (k é um número ordêm A) de

lqxl Ic\d|
-1'
!diagonal principal

Sistemas lineares
(SPD: sistema determinado possÍveldetêrmlnôdo) e

(1") identidade Matriz r r ot [r001 l ! =l o ,1,13=l o ol
L0 0 1l Sistema (SPl indeterminado : sistema possÍvel indeterminado) e

Matriz [0'n, ou0J nula " fo o ol: o = t [o ol =t n t I
-, r L000l 1L00j

(Sl impossível) impossÍvel I sistema

Ia x + b y = c
ld x + e y = f a b d el lD+ o -ì s P D 5 lD = 0 -ì S p t o u l

Niìatriz transposta
cujas ìinhas de A matriz trânsposta A é a màtrizar ascolunas A, de são ordenadamentê

Multiplicação dematrizes
4,,

(SHJ Sistema homogêneo
são os Quandotodos termosindependentes nulos:

1t l Matrizinversa
se A e A-1sãoinver sâs A. A r=l=A r '^.

I ".S* ,1 s" --

xe

= ABm p x

la x + b y = o
lc x + d y -0

ffi
ordern, é de289. IUFRGS) A matzA = (aJ,desêgunda fr'ìida ât = 2i - j Então,A Aié Por

Determinantes
associadoumamaô Det9rminante número é um trìzquadrada.

n To 3l L.oI
r [o -'l 0
L3
[-3

deordem I Determinante
x t :x

:l " l-1,
-2]. - [o 0l ") 12

l

2 Determinante deordem
la bl .l =ad-bc col

o 3l ^,I 0]

(uFs são 290. sE) dada"..,",r* a=
B= llr ; ] . 4

Determinante deordem 3
la b c e f l = ô e i+b fg +cd h ceg-bdi-ãfh ld

ll ,'1"

, A a * r , ' x = A r +2 8o n d er é a t ILa- , ,ll a o T, Á ll l r

rnatz transposta é igualâ: deA,

s h il

o -' .].
I I

principais Propriedades
2ï d"t A-' : -L
: 3e) det (AB) det A.det B

" fL- 5

r- L r -'1. |' r l
-31. - 12 "ì1 0 - r l

291. Ú.jEL-PRI Sejam Ínatrizes e B, rcspecüvamerìte, as  3 X 4 e p X q. Sea matrizAB 3 X 5, eitãoé verda- 2 9 8 . é de quel alp=seq=5 dlp=geq=1. blp=4€q=5 elp=3eq=3 clP=3€q=5 292. t\,irnesp) A B e C fo€m matr quadradas qualsSe zes quefdeordem assinale n, â única alternatva verdad€ Ía: al AB = BA. b) SeAB= AC,então = C. B c) SeA, = O" [rnatdz nula), então = On. A

/^

!\

a M-e s p )s e ra ì e / v

-|"
\c

" |o -o " u , o, .
d,

€ d e lR,Seos núrnercs b, c e d, nestâ a, oldêm, consiÌtuem PGde |azão o detefin q, Lrmá nênt€ desta matz é igualâ: a) 0. b) L cl q,a3. d) q3â,. el 2q3€,.

dl ABc= AtBcl. e )(A+ B l , = / J+ 2 A B +8 ,.

299. U.ìitauST 0 \s oÍ do oere-rranr. la o o cono prcduto 3 iatores de é: la b c al abc. d) (a + c)ia - bl . c. bl a[b + c) .c. e) [a + b][b + c][a+ c). cl a(a- bltb cl.

la a a

293. (l.Jece) Selam rnatdzes e M2 a segu e consÈ âs Ml I derca operáção estas entre matrzes: /, nì /" -l.lV- = . "\ [,4 =l 'le

\r 0 ,

[r r./

( t -t\ - L N,,ì"N4. ivr.l\l"= | ' \ 3 -2)

p Nessas condições+ q é igual ai al 5 b)6. c)7. dl8. 294, [FGv-Sn Serê raÌ z A - l s | ,qsor b,.r,," ee\u r,/

rnentos Íìatriz é dê Aroo a)102. b)118. c) 150. d)l7s. 295, [UFV-MG) èsm€rÍizes : le sejarn | ] tt)
\z

e1300

3OO, (PU C-PR) umamaï z quadÍâda x n,considerc Para ,\ assegu ntes êÍÍmaçôes: ll Sea rnâtdz x né obÌida padrd€A, p€rrnlranBi a do-se duâs colunas, então B = detA. det lll Seduas nhas maÍz A sãoidêntcas, da então detA = 0. lll det(kAl = k. detÂ,oÌìde é (rmrcal. k Itl Senoo a raÌÍz r€'sposú oeA, erúo AÌ det(Arl = -det A Podernos que: âÍìÍmâr al Ìodas €íÌmações fasâs. âs sâo bl Sonìênt€ aÍrmação urna éverdadeim. cl Sornente aÍrÍnaçãolasa. urna é dl SoÍnente aÍrÍnaçôes duâs sãovedade |as, el Todás afrmaçôes verdadeiras, as são 301. [FuvesfsP] A é urna que Se mâtnz x 2 fve|sÍr'""| 2 satisfuz = 24,então determinânreAseú: A, o d€ âJ0. bl l. c)2. dl3. el4. 302, IUFC-CD SejarÌì e B maïzes3 x 3 tars A que detA = 3 e detB = 4. Então [4. 28] é gua al det â)32. bl48. c) 64. dl80. el 96. 303, (UFPB) Sendo a matrzÌdeftdâde ordem e M I de 2 = rma nalriz2 x 2,la queN/43 8, então detemÈ o nante M é igu€al de aJ64. b) 8 c) 4. d)2 ê) L

l \ 4 - l ',

/"

_1\

\- ,

v ,/

'lo _ d e xeysão jnercs€aE eM

é a ma$zinvercâ deA. Então produto é: o xy

d+ , r+ d + d r ; "r +

296, (V!nespl Cons pof derc maÍzA = (al)r, r, defnida a para < i < 2,1 < j < 2.0 detef- 304, (Fuvest-SP) slp€Ímèrcado al= I +2 + l, t Urn adqufu deteÍgentes minânte Aé: d€ nosarcmas imão cocoÁ cornpm entÍegLre, € foi eÍn a)22. baâd€em l0 câixas, 24 f|ascos cada b)2 cl 4. d) -2. e) -4. corn ern ceixê. que Sabendo cêda caixa continha frascos deter 2 de 297. (Uêcêl o deterrninante Se darnâÍiz genles mais arorna a no mãodo quenoaroma coco, 0 número frascos de entrcgues, aroma no lmã0, foi: al 1l0. b)120. c)130. dll40. e)150.

^[ i ;

. o. -lJ,'nr, ro o0",",rn"*" 305. "

í | -r" -7ì rnatnz = | B ..léiguala 34, \- 4 - 3 n ì
êntão - n, é glala: rìr al 4. b) 5. c) 6. a) /,

Três Lrsarn, tuFll\,4-t\4cl pacientes emconjunto B3O I mg pofmês urncerto pâ de rnedmmento cápsuas.0 eÍn crenteA cápsu de5 mg,o pac usa as erìte de 10mg, B, e o paciente de 12rng. pacente toma c, 0 A rnetade juntos do númerc cápsllâs B e oslrêstomarn de d€ 180cápsu pornìés. pâciente toma númerc as O C urn por decápsulas rnês iguala: a)30. bì 60 c) /.. oj 90. e) 2A

3 0 6. [U fesp) considercstemâ equaçôes os de n [ x -v = z I-b€ Íear, qLeê
I onde é uma c c0ns1â1te no seja solução Sistêma uÍnparoldenado Intenof do (x pÍimero qLradÍante> 0, y > 0l do sstema d€ do oÍtogonaìs orgeÍnern(0,0),é com eixos caÍtêsionos quel necessá e suiciente o

álc+-1.
bl c> -1. clc<-1

dl
e)

2 2

2

+v -z =0 15À inearl-\ -y l2 -l é: 307. [UEL-DR]sisrena 0 l3, Y+z=2 e indeteÍmlnado, aJ homogèneo b) impossível e indeteffninado. c) possÍvel dêtem nado, e d) impossÍúe e deleminado. ndêtem nado, el possfuelo [âx +3v =2 ' 308. [UEL-PR)sisrena ^ 0 I ^époss'veede Lzx -v =u terÍninadol qualquet de a. â) paÍa valof para b) somente â = 0. paÍa cJ somente â = 6. Osea+0. ê) ses + -6. 16 309. IFGV-S Umapessoê Íâbaha no máxirno 0 horas D pormès, programando computadorês. e consertando por pelotrábÊlho R$40,00 hoË éde SuereÍnuneração por hora conserto de de de prcgramação 20,00 e R$ que x tâÍnbém elatrabêlhâ h0 computâdor, sabe-se € com râspormês pÍog€msçãoy hoÍas conserto com ganhândo menos ao R$5000,00 de computâdores, po pormès comesse tÍabalho. rêgìào igonaliorÍnâA (x, par€s os dâportodos possÍveis ordenados yl él

e)

3 I O. (VunespJ dere matrzes 2 x 2 dotipo Cons as Teais fcos senxl x AÍxì= | -' I sen cos I. x] r, ACx) êl Calcu o produto . A(xl. e para de b) DeterÍnine osvaLoresx e [0,2t!] os todos quals .A(a : A(x). A(x)

quadEda deordem > I, sa311. (UFC-CEI A matfz M, n lsfâza equação = IVI l, onde é a matriz l\4'z | dentidade oÍdern > L Deteffnine, termos M € de n em de L a rnatriz N,4,003. ,1 f r 3I2- LLfscaFsol Seaì as ìaÍzes A - 1,^ -, . : lI 0 E Lroo l

sto paÍacada Lra dasd"ogêãs,esltlo iadicâdos na ÉDeê Â D
D

R$ 0,00 r
R$12,00

B R$14,00 R$1s,00

floo .or o I o €B=l -, _ J] I .C â l cu l e : 1 ^ L
(B al o deteÍninante Ínatrz - A)i da (B b) a matriz nverca rnatrz - A). da

313, [Fuvest-SP] Calcu€ deteffninantes: os

A= 0 1 lle B =

11

a 0l

0 - r rl

: ; ' ;l
_
3 ./

=l 314. i1ç"ç501 Daoaa natr,zA \

I.uraratlz

que B, [2 x 2),e sabendo det(AB)= 26' al expresse B emteffnos a. det dê bì S€ndoB=l" " I cacreovaordea \6 4,/

Seja quantdade cax€s med xa de do camento, dedo póstoD1,quedeverá enviada drogana e y a seÍ à A quântdade caxasdo mesmo de depós quedeveú to serenvada drogara à B a) Expfesse: . eÍìr pa€ flnçãodex, o gásio G^comÍEnsporte enviaÍ med os camentosdrogao A; à . eÍìr pêr€ì função y, o gâsto comtrânsponê de Gs enviaÍ med os camentosdíogaíia Bi à . eÍnfunçâo xêy, o gâstoiotalG âtendef psm de asouas oTogaTas. que bl Sabe-se no depósiÌo existeÍn Dr exataÍnente 40caxasdo rnedÌcarnenìo soicitâdo qle o gasÌo e totaG pa|aseatendefa êncoÍnenda deveÉ serde que R$890,00, é o gâstomÍniÍno condiçôes nas dadas, base sso, CoÍn n detefinine, sêpaËdáÍnente que as quantdades caix6s medicaÍnentos de de paÍa salrão cada de depósito, e O., Dr cada drcgaa,A e B, e osgastos G^e GE.

315. (Ufes) Durãnte osÍenos,lrmplotonotou pontos dois pefgosos c rcuito Fórmu l. Âpósã feixâ num de â de argada, lma depressêo pistâ mâis hava ná e, âdiânte, !má manchâ óeo. Correndo de semprc mesmo no sêntdoconsec!uânotaf d slâncÌa 2310m dê a de Análise combinatória ârgâda e rnenchâ óleoe nasvolassegu âté de nles, ponto deprcssão a argada anotoLr rndÒ 2420 e de até Fatorial 2820 da ìancha € depressão.0-€ r €lé o corp i(n inteiro positivo) mento c rclito? d0 316. (UFPBI Detemì o valor k pa|aqueo s slemaÈ ne de x+2y +22 =1 I
I _ear1 - ! -62 -- 1ão ) te_La souÇão. + 2y +k2 =0 [ 5x

Análise combinatória e probabilidade

0!=0 1!:1 n l: n (n- 1 )(n 2 )' . . . . 2 . ' l (n > 2 )

Permulaçdo simples r? de elemenlos
Pn: nl

317. (Uncamp ConsdeÍesisternâ âbaxono SD o Ìneaf quãla urn é paÉrneÍo rcál: [ a x+ y+ z= t I x+ av+ z=z
y+az=- 3 lx+ que al Mostre paraa= I osisternaé mpossÍve. bì Enconr€ \?o€s do paÍáTeÌÍo oaÍa q. èrs os a os o sistema solução tern únlca. 3I8. Um iarrnacêutco dois tern depó Uunesp) aboratório sitos, e D2.Pa|a Dr atendeÍ umaencomenda, a deve envar30 cãixas iguais contendo deterÍninado uÍn nre dicamentodÍogaÍia e 40 caxas rnesmopo € à A do t do mesríìo medÌcarnento à drogara 0s gastos B. corn por tÍanspofte, caxade rnedicarnento, de cada depó
I

AÍanjo simples
Aranjossimplês n elementos p dê tomados a p (p < n)são âgrupamêntos quê os ordênados difercntes p sepodem fomârcolh dosn elementos dados. anP l =n
(n p)!

Combinação simples
Combinações simplês n elementos dê tomados p elêos com P a p (p< n)são subconjuntos exatamente q mentosuesêpodem fotmar osn elemêntos com dados,
l l p=* *

-n l

pl(n- p)l

Permutação elementos den
A permutação n elementos quaiscrsãode de dos um tipo, p dê outroe.y dê olrtro,com d + P + 1 = n, é oãdapor: n! p",p,1 " &lBl'y!

Probabilidade
número resultados de favoráveis po5síveis número dêrêsultados total

o<p< 1

Probabilidade doevento complementar
A e Ã: eventos complementares p (Ã )= 1 -p (A )

Números binomiais
/nì

I

\ P,/

l = C "" = - '

nl

( p àràn>p n,p€ N) e

P l( n-Pll

Probabilidade daunião dois de eventos
p(AU B): p(A)+ p(B) p(An B) -

/n\

l ."J - lu J - i" + u = "
TriânguloPascal de

í nì

[a : b

Probabilidade condicional
p(A,/B)'"::: -' É p(A B)- p(tuB).p{B) n
ptó)

'
11 12 1
13 3 1

=l:l

Eventos independentes
SeAê Bforem eventos independentes, então n B)= P(A) p(B). P(A

: 0 (l :t;)(r)(;)
= ( ;) ( l ( l

ffi
nl _l 3I9. fPUc-RJ) se ( n+ 2) r n+ r ) r +( a)n=2. cln= 5 bl n = 12. dln=7
2Í1 48

tl

1 4 6 41 :(;)(f
1 s 1; ro
i:

tf

: " [;) [;)[;)

0tf Btl
l:Ì /n+lì |

í'ì

320. [Unifesp) de Ovatof "r, [!1+
a) n'?.

.ì u,
)

\s/

bl 2n.

c) n. dl2 og, n.

1n
Observaçôer:

( :) ( f
\

l:l
\p +1 .1 f n \ ín ì rl l -l l =2 ln r./ \n,

32L (l,lecr<-sD ì = 28, sell entãovale: n
\2)

a)7.

bl8

c)14.

d126.

e156.

322. [Faap-SP) valorcs xque satisfazem 0s d€ a g!âdâde

/n ì t'n R el'à cá oStife l:l l+l de

\p/

\p +u

í r 2 ìl = l r ' r 2 ìl sao: I
\3\ r./ \r + r./
â ll e 4 . b )1 e 3 . c l3 e 4 . d )2 e 3 .
r' r\6

i'nt ínt /nr tnì I l -l rl l. I lr l0/ \1, \2/ \3i

323. (Untau-SDterrno 0 indepêndente nodesenvo dex
vimentodelx+:lé: x, \ al r0. rb)30. cJ40. 324. IFGVSP) q!e: Sabendo

Binômio Newton de
(x Temo geraldê + y)":Tk+ r

: ll]. 'n

d) 16.

e)20.

. x êy são postvos; númeÍos

. x4+ 4x3y 6x'y'+ 4V + = t6l + p00em0s quel concrurf 'r' .7 ar x=ã .
c l x = -, 4'2

elx=

b ) x=

-

325- (UEL-PR) umdosteÍmos desenvotvimento Se do do (x binôÍìrio + aJ5, coma e lR,é 80x'z, então vêof o oeae: al 6. b) s. cl 4. dl3. e)2. 326. (V!Íìesp) Cons dere identif â câção pl€cas ve! das de cuos,cornpostas trêsleims de segu de 4 dígros. das Sendo afabeto o constituído 26leims, número d€ o de p acas possíVeìsserern pensando de consltLrídas, em possír'eis 3 letras todas cornbìnações ãs de segudas de 4 dígitos, é: aJ3 r20. dJ r56000 000. bl 78624000. e) r75760000. 334" cJ 88586040 327, (N4ack Considere os númems 3 agafsSP) todos de mosfoTmadososâgâfismos coTn l,2,3,5,7e L Denparcs l€ eles, quantidade números a de com€xatagLraìs mente agarisÍnos 2 é: a) 17. b) 18. c) 15. d)22 e)24. qle 328, tUEt-PRl núÍìreÍo Urn capÌcLraurnnúrnero se é podeerindistlntament€arnbos sênt ern os dos, es da queda paÍaa direita da d retã paÍaa esquedâ ou EÍn onde [exemploi5335). urnhote de umacldade, osjogadoÍes urntjÍne hospedã€m, de se o núrnerc de qlaftosetaigual núrnero capicuas paÍes 3 ao de de algafsmos. êrãÍn quâ(os hote os do ? ouantos b)40 c) 80 dl90 €l 100 ú2A 329, fUFC-CDrúTero po. 0 derarei_êssegJ_coêsqr eis demos dispor homens 3 mllheres tÉs bâncos 3 e eÍn que fxos,detalfoÍma ernc€dâ banco fque !m casa, sem levar conta posìç3o casalno ern a do banco, é al L bl18. c)24 d)32. e)36. 330. [Unfor-CDConsder€ todosos anagran]as pala da qle pela vrâDIPLo[/ìATA começamteÍmÌnan] letra e A. quantos desses Êrnas todas consoan anag têm as

(UËPBl cafte de umbingo construídas, As as são d sÍbLr ndo-se ÌnteiÍos I a 75 semrepetição os de em uÍì-a abeade c_coli-L"soorci- o , oLr"s A p irF ? iegunda. cêio.a-d la e qJ i colJ-do le sào poÍ. -oc 'or"radas i-lercs. i teldosl . r5l.| 6.30 te 13. 151Í.6 60 e lbl -5 €specÌvare \ao \e á conside ddd" ordF'Ìr cdda eÍn coluna. erer Pof plo, canelas xosãoconsidemdas as âba idêntcas.
l6

35

64 t0
I 3 6ì

l6

35 55 64
6l

3
I

1J 45 59 70 20 3l 21 23 49 72 57 75

2A 45 23 17 ! l

59 75 57 70

21 40 49 72

t0

que 0 total d€ cârÌelas se podemconstru dessa r a) 15015. b)5.rsr. cl 755.tb dl5,5.75t. e)3 0035.

Na esú repÉsentâda re uma IUFPB) íglta abaxo, g ãodop âno pof lmtada umquadrado lado cm. de 5 qua A egiãoloitoÌalrnente sLtbdividida pequenos em dEdosde lâdo0,5cm,agunsdosquais hachumdos qLtadrados seleconado Se Lrrn p€quenos dos fof ao acaso probabldade eleserhachurâdo â de él

' lã

^,2

" r;
o4

n5 -' 1

dr+

í--res,-SP) recen'eareìto J'ì íerelo.èssegJ_res caÍâcteÍstcas sobÍe Ìdade a esco a e afdade po da pulãção umâ de cidade. PopulaÉo

teslunt€s? ál l80 bl360

c)72A

dl I 080 e) I440

= {1,2,3) 331, (UEL-PR) osconjuntosA SejaÍn e B = {0,1,2,3,.4). total funções O de injetoÍas A de po m Bé: al 10. b)15. c) 60. d) 120 e)125. 332. (UFMG) das Duas cinqüenta cadeirasurnâsâê de sepor rão ocupadas dosaunos. númêÍo m€nerÍ€s 0 dê possÍve esses paÉ distintas s que alfos terão esco para herduas cinqüenta das caderas, oclrpá é las,
a) 1225. b)245A c)2'4. d)aSr. eJh0:.

F!ndamentsl incofipleto

grupo 500esfudântes é €scoum idioÍnas. nesse Se, de pelo lhìdo ac€so, pÍobabllldadequeêlerealze ao a de um menos duasativdades,3toé, pmtique Lrma dessâs é: tipode esporte ÍreqÜente cuÍsode idioÍnas, uÍn ou

, )+ br: . ": 3 o9

oi

a uma da âo Sefof sorteada, 6c€so, pessoa cìdade, (com_ pêssoa curso probabil deesta teÍ slrpeioÍ dade qr. {n 341, ltuvest-sP) LeÍnbran6o ] = ----[ pleto incompleto) ou é: t o7 o't'.- ì1 e) 10,nqo. cl 8,45qb. âl 6,r2qó /Â\ â ) c a lc ú e l; l; dl 9,570ll. b ) 7 , 27 .
bEncas e 8 De uínâcontendo bolâs 336. (UEL-PR) urna prctas, duas sacam-se, 6caso, âo l0 bolas idènlicas, sem A bolsssucessvamentê, feposlção, cof da pÍi_ A bola bolanãoé Íeveladá. segunda é prcta. mei|a qualé 6 pÍobabilidadô a pÍlde disso, Sabendo-se ser meim bola branca?
"17

/ì2ì tl t4J bl siÍnpiÍque íraÇêo € --; Í',ì

l5/

que cl detemine ìnte n e p de modo os Ì!s ínì ínì ínì

.- 80 _ 306

-8 cJ

rB

-56 dJ ããã

-l eJ

7

{ p r _ ( p + r / _ lp + 2 . /

123 de 337. (VunespJ urÌìa PaÍâ pâftida fL.Íebo probabilldade ,a é 0,2 R ser deojogadoÍ não escÊlado e a probabillda- 342. [Ìbnìec-SP] Bpsl€vra ìBN4EC Considele quê é de de o jogador sefescalado0,7Sabendo a S qlantâs palawâs podern foínadâs seÍ aJDeteffnine da de é escalação !m deles independente escal€ção uma, líês, utilizândo, r€petiÉo, duas. quatrc sem serem de do ou$o, prcb€bilidade os dosjogadores a pâlâvm. exemplo, L BC, ouascinco letÍas dessâ [PoÍ e: escolaoos al 0,06. b) 0,r4.
c) 0,24. e) 4,72.

o 0,56.

sâo Dois nãovciâdos lançâdos.Aprc338, tUÊL-PRl dados pontos ou Ínaior asoma seus de babdade obleÍ-se I de guala éi 5 quantos pod€mos de 343, (UFRJI númêrcs 4 algâismos ,.5 ao foÍmar quais algarismoâparcce rnenos nos o 2 -l -2 -,2 ' l8 -'12 -6 lmavez)

pdavÉ dee ISMEC MEC, CÊM, IMEC a púpÍia veÍn incluídas contagem,J ser nestâ notem b) Coocândo aspalavras consideÉdas todas deterrnine a posigão anterior oÍdem em âlfobé|c6, nesta dap€lavÍa list, IBMEC.

goaba, uti- 344. (UFBA) "Blocos de laé de aceÍola, 339, TUFRND lógico8 lmacoleção peças Dspondo-seab€caxi, consde São de sâbolizsda ensino ÌúatemátìcÉ.48peças no ranja, mamão m€çâ, e melão, cÊlculê qlantos eaÍnaprepaÍai suco, 3 cores verúelh€ pode-se usando-se truídas combnando-se [azul, fesdiferentes um (ldangulaf, quâdfod8, 'trêsfrutas ntas, Íeiangular e cfÍela), formas 4 dist e ê2 2 cllaf), taÍnanhos [g[9ndepequenoJespessurEs quad€dox 4.Dese4 É um peça (grcssalna).Cada temâpenâs cof, uma uma 345, (llVlE-R, dado tabueiro e jâ-se infe a r atingirquadrEdo of d reito part doquao SeurÌe ÍoÍma. tamanho espessuÍE, cÍiança Ln e Lna permtÌdos dÍado esquerdo, rnoviínentos Os slperior pegar peça, a pÍobabllidade de aleatoriâmenÌê, uma pelas são rcpresontados setasl os peça e grande é: essa serám6rela
-. i q 1

b)+

',3 ^ìl

dì l

uma EÍn foi 340. (wnesp) uÍncolégìo Éalzada pesquisa alunos. deseus sobrc atividadês as extracuÍÌcllarcs pÍatc€vaÍn tipo 240 um €lunos entrevlstados, Dos 500 Dequantasìmaneistoé po6sÍvel? Ías e 180 umclrsodeidiomâs deesoorte. freqüenta\€m pÍatlc€- 346. CFGV-SP] prov€ consta 10testes mútipla de de Uma ou 120rcdizav€m drJas estas atvidades, sêja,
Jm e v€mum lioo oe esoone 'ÍeqüentrvaÍn cuÍsode u e $colha,cadaum coln5 atematlvas apênas

'chutaftodas respostas: coÍetâ. um€lLrno se as (lVlel l\4ediana a) Q!âlâpíobab ldâde e e acertar de todos testes? os Dados números ordem n em cÍescente decresou b) Qualâ prcbabilidade ee acertaf de exatamente cente, mediana a seÉ: 2 testes? pa|a 347, [UFR]lUrnnovo exerne detectaf do€nçafo cefta p€ssoas, testado trczentas èm sendo duzentas as sad ê cernporlador€s la doença. da Apóso testeveÍfcolrse qLre, Êudos dos a rcíerentespessoas sadias, cento sêtenta e resultaÍârn negatvos dosÌaudos e rcpodadoms doença, fer€ntespessoas a dâ noventa repos sutãÍâ.n tvos al Sorteândo acaso dess€s ao urn trezenÌos laudos, positivo. câcule prcbabi a dade queeleseja de que b) Softeâdo dostÍezenÌos unì aLrdos, vedfco!-se ee eÍâpositivo. Det€rÍn € pmbab ne idade que de a pessoa coffespondente alrdo ao soÍ1eaoo rcnrìa reamênte doença. â 348. tUnBDD A prcbab idade queurnanoite no de de veÍnbrcseia é 3. urna te ruÍraoa, no a '3 Íìubada de Em probabldadeq!€ urn de coeho emurnê cara amad

.o númeroque ocupata posição centralse n for ímpãr; . â média que aritmética doisnúmeros estivêrem dos nocentro n fot par, se

g,l Variância
:),(x - MAf V='=

padfão Desvio [DP]

op: w
Noções Matemática de financeira

I xéa%deP:x= a.P hêé de - e,ernurna notenãonublada,de lu é 100 36 gueos lensseguintes vefdadeiÍo íalso. como 01] (fJ de 0l A probabildade quea íìoite 1qde novernbrc Fator atualização de de seja nubada de queumcoelho naarrnad e caa ha

nesta rnêsmâ é OLra 2, note a 9 l) A pÍobabilldâde queurnco€ho caiâernume de âmâdilhâ, estelâ notenubada não, guâ â o! é

: f> Iiaumento----->f I + taxa < l: desconto f ----+f = 1 - tâxa 'ìrnão f: variou

3 e descontos sucessivos que,n€ noìte qle um coelho na AúinentOs 2) Sabe-se ern ca probabil deqìre amadilha,a dade uma raposa rnat€ 1 .. l . umcoelho de . e nâs é outÉs noites. de . Â é 5 t0 Jurcs simples prcbab idadedeque coeho o caanaaTTnadoli ha a |aposa mate coeh0, urna um ern notte noveTn M:montante de tìro. de é . 2A
7

Estatística Matemática e financeira
Noções de básicas Estâtística N4édia aítméticê {N4AJ
xr+xr+x3+,,.+xi

C:capital total i:jurosdo período i:taxadejuros e número períodos de j= Cit e M: C+ j

Juros compostos
r vr :c( l+D, j=M c f =' ì + i

s,

nn

Valor firturo presente Valor
(1+ i)"

(Mol Moda
EmEstatística, modaéa medidadetendêncìa cengrupo Íãldefinida comoo valormaisíÍeqúente um de devalores obseÍvados,

(ffi
ân349. IFGV-SPJ conjuntodedados n!m&cosleÍnvÊf UÍn conclu que: r ca lgla a zerc. Podemos a) a méda tarÍbémvalezeí!. b) a med também zêro. ana vâle c) a moda tarnbém zero, vale padÍão d) o desvio tarnbéÍn e zero. vâ são eJtodos valo€s os desse conjlnto guasa zeÍo, pof 350, [FGV-SP) uma de SejaÍ iunção lNemq,dada Írr-t t<" <s-" -^ Sabendooue o [LrÍ,"t =1'^ -' lx+12,5<) \<12 _ê de çãoÍ deÌern o núÍre-o lezesoueLn eoLipâde mento ltlizâdoerncadaum dos12rneses um foi rmáfquêa medaÍìa(estaiísi dos cal ano,é conetoêf 12regisÌros gua â: é

355. tuFlvlc)A média notas pÍova MâteÍnática das na de de umatrrmácom30 âlunos de 70 pontos. lo NepaÊ qle 351, [Pucc-sP) Sabe-sê osnúmerosxeyfazem nhum aunosobteve 0 dos notalnie or â 60 pontos, te dêumconjunto 100 de númercs, médaadtméculo que nota número máxirno alunos podem obÌido de ter xe conjunto,médiâ a tÌcaé 9,83RetiEndo-se y desse gua â g0 pontos él â&Ínética rúmercs dos Íestanteg 8,5. seré áJ13. dl 16. bl 10. c) 23. entãol Se3x - 2y = 125, 356. (UFC-CEI rnédia de A aÍhmética notas aunos das dos eJx=75. alx=S5. clx=80. pof = 55. urna tuíÍna fomâdâ 25meninas5 rneninos e é iglal dly â 7 Sea Ínédia é aÍitnrét dasnotrs meninosigual ca dos quo aftmética 5 núde 352, (Fuv€$-sn Sabe-se a médio a 6,a méd âdlmético notas rneninas iguaai das das é o posluvo6, o a) 6,5. bj7,2. c)7,4. d)7,8. e) 8,0. distintos, estÍitamente é 16. mêros nteifos

a)3.

b13,5.

") +

O 4.

e) 5.5.

DeacoÍdo o gÉfico, corn visitaramexposição: a poÍ al 3 pessoas dla. bJ 100pe$oas sétiÍno â. d no cl /!u pessoas zu oEs. eTn dl 1050pêssoâs 60diás. êm e) 9 850pessoas 60 das. ern

pode | é: ma vaorque desses or um inteiros assum 357, iuecel Aplcando 10000,00 jurossmplesde R$ a cJ50. dl 70. eJ100. â) 16. b)20. (considere 353, (PUC-S0 hlstogÍáma aprcsentâ kJLr á segliÍ adistr P) nLrms dêfreqüênca fuxas das sâlârlais pequena 9ão empÍesa,

1,2% mês ao 1 mès corn dasl,dlrsnte 30 18dias obtém-se rendiÍnento t]m de: al R.$ 120,00. c) R$72,00. b) R$8100 dl R$68,00.

358. tUFC-CD enpÍesloJ 500.00 Joëo Ê oo-5TeRs -osé ses, s sterna no deiuÍos slÍnples, taxa a uma dejumsfxa e mensol noína dos5 mesesJosé Í€cebeu totâ um Se de R$600,00, âpllc€dá foide: então taxa mensâ a Íxa a) 359. (FCV-SP) capitol âplcâdo lurossirnpes, taxâ â à Urn de2,5% mês,típlca ao eml a) 75 Íneses. c) 85 meses. eJ 95 Íneges. b) 80 "ìes€s o) 90 neses.

0

500

1000

1s00

2000

2500

' pode-se Cor osdados dispo_rteis. conclJ queÊné diade$essêárosé, aproximadamente: d) RJ640,00. à) R$ 42o,oo. b) R$536,00. ê) RJ708,00. c) R$5€2,00.

300. (tJeDUmlojstaoferece de desconto clieÍìte ao 5qÓ quepagaf o suas compÍas vlsta. à Pam caculoÍ vâloÍ coÍndesionto, vendedor sLra Ínáqu caÌcu na âo !sê dord seguinte do modol

t*J ['I G']G T
L

L----l

354. [UEL-PR) gÍáíco seg].rir d€dos 0 a apTesentâ referentesaonúmero vlsltaftes uma de em eâeÍâdeáne,
de PoÍtinaÍì. du€nte!mê exposiÇão Cânddo

Umoutmmodo câlculafvaloÍ de o comdesconto 3 se pfeço pofi multiplcâfo tota dasmeÍcadoÍias a) 0,05. b) 0,5. c) 0,s5. dl 1,05.

361. (UrìiÍio-RJ) compr€f tênis R$70,00, Íà|a uÍn de Renápfé-dâtado 30 diâsÍìovaorde to deuLrm cheque dê RS 74.20. taxa iuros A de cobrada del fo al 0,60,t rnês. ao d) 42q6 mês ao b) 4,29ó mês. ao el 60%ao més. cl 6%ao rnês, 362, (UEL-PRI uma EÍn liquidação preços aÍtgosde os dos umaolasãorcdÌrzidos 200/t s€uvalorTerminade de prcços vora-aos da€ iqudação p eÌende_do e o-rgF naF,0e que porcenlagem oevem acrcsooos sef os preços lqu dação? dá a) 27,5% b)25% c) 22,5qhd)21% e)20% 363. [Ufac) terreno Urn foivend pof R$]6500,00 do com por urrr LrcÍo lOqót seguidá, íevendido de eÍn foi R$20'00.00 luco lo.al duas re0 das t€nsaçòes prcsenta percen sobrc custon cÌaldo teffeno o um tlalde: âJ 38,00i]ó. cl 28,00%. e) 25.454/a. bl40,00% dJ51,80%. p€ssoanvestiu 364" (Uece) LJma R$3000,00 açôes. ern No píirnero de âpicsção, pedeu30%do\,€nrès elâ lorinvestdo segundo elarecuperou do No mês, 400Á quehavia ped do Ern poÍcentagern, relaçâo corn ao valorinciálmentê investdo inâl do sêglndomès ao

aSla c,a. Er agJTas dessas taoJ_l^as ío?r e' conÍados texlosmaternétcos dâtêdos cercâde de "poÍ pergunkva-se 2000a.C. uÍndesses Ern textos, quânÌotempo seapicêfumâ quandeve determnáda t'€de drherc ajJos coTpostos 20foaoanopèra oe quee€ dobre?': (Adaptado EVES, de: Howâd./riroduçãa Históiada Matenláüba à Campinas: to|a da Ed Unicâmp, p.7D 1995. qualêquâção uti zada Nosdias hoje, pâmrcde s€ri€ solvef pÍoblemã? tal = a) (1,2)1 2 c )c 1 , 2 )r= 2 e )r' = 1 , 2 b) 2t= 1.2 cJ2r=1,2

pequena há 100pessoas 369. IFGV-SD que Numâ lh€, traba hãÍnna única ernpresa alÌexst€nte. Seus á sa ros [eÍnn]oeda ocal) â seguinte têm distribuição de frcqüêncas:
Sâlárlot $ 50,00 I t00,00

' Freqúência 30
€0 t0

$ r50,0!

370. (UFRllA altuÍã média urngrupo qunhentos de de e trêsrecrutas de l,8l Ín,Sabe-se que é taÍnbém nern produz t po de 365. [UFV-lV]Gl sorveteria A DoceSabor urn todos Íecrutas gÍupotérna mesma os do alura Dlga soÍvete custo R$12,00 qulo,cadaquiodesse ao de o secada urna âfrmâçõessegLtirvedade la dâs m, a é soÍvete vend por!m preço talfomaque, é do de mespara sa ou seos dados insuícentes urna são conc!Ìo dando Ìr des(o-to ì00tpara de oÍeg-ès,o p osã0, cadâ EÍn ceso,juslÍque rcsposta. sua pdetáÍio âinda obtérn lucro 200/0 !m de sobre pÍeço o pelo al 'Há,nogÍupoeÍnquestão, rnenos Écruta uÍn decusto. pr€ço vende q! lo dosoívete de 0 do é: quemedemais l,8l Ín € p€lornenos que de um al R$18,00. c) R$16,00. e) R$14,00. mede menos l,8l rnl de b) R$22,00. d) R$20,00. que b) "Há, grupo questão, de uÍnÍecruta no em rnais mede s de 1,81 ê mas de !m quemede ma m me 366. (fuvest A c€da quepassa, SP) ano o\€orde urncarfos de 1,81 rnl rodimin!ì 300ó rclação seuvalof ânoãnde ern no âo _tefiorSev foÍ o valor caÍÍono primeìÍo o seu 37I. rFGV-SPI co-runto l0 vaores ìe cosr.\r. do ano, oe -'Ì] valoÍ o tavo seÍá: no ano g!â x3 ...' temmédìa tmétlco á l00eváfâncâ xro, a á) io,r?v cl (o,r3v. e) [0,3]sv iguaÌ 20 SeadcionaÍmosa cada a 5 valoÍ, é, se isto bl (0,3)7v d) (0,3)€v. obtlverrnos o conjunto + 5], [x, + 5], [x3+ 5] ..., [\ 367. (UFNIG) quantla R$15 000,00 ernprestada A de é a ál Quaa médado novo conjunto vaores? de jr"os uÍrala\èdejuÍos 20oo nès Aplicaldo-se de ao 0usriflquel. paÍE qì.ritacoÍnpostos, o vaorquedeverá pÊgo ser a bJ Qua a vadânc do novoconjlntode vaorcs? a tÍês deoos, é: cãodadÍvlda, Íneses 0ustifquel. a) R$4000,00. 42000,00. d R$ 372. (Vunesp) capitalde I000,00 âplcâdo um R$ é d!rânb) R$2s 920,00. e) R$ 000,00. 48 c) R$40920,00. a) Encontre Ínento o rend dâáp ic€Éo, peíodo, no con 368. IUEL UÍndostraÇos PRI caÍacteístÌcos acnaoos dos sideÍando dejurcs êtaxê simples loq,b més. de ao quênÌdade âqueo cos l/ìesÒpolâÍnia óg dâ bJ Determinerend é â g€nde o rnento áplicaÉo, peÍÍodo, da no con de Ìeno!,elcttoseTn Tna sobrc s.a ora Ébunhâs oe siderandotaxa iuros a de comDostos I 00ú rnês. dê ao

nouve um: a) ucro l0%. de bl prcjuho 10% de

cJ llcro de l€gô. dl preju|o ]8gt. de

al Quaa méd dossaárosdas100pessoas? â pâdrão b) Quaa vaÍiância saláÍios? dos desvo Qualo dossâáfos?

(xìo o: +

parcea R$1980,00, rnës de 1 após compÍa o saa e 373, irGV-SP) do em2 rneses a compÍa. após duÍante a) LJrn capital fo ap cadoâ jurossiÍnples C ol Quao \,€or à v stado apafelho som? de geËndo rnontante R$ì 0 000,0 I 0 meses uÍn de 0 bl Se um conslmdor cornpEf apãÍelho soma o de poTsua fo taÍnbérn a esse rnontante, vez, 6plcado pÍazo rede "Corcov€do", valor parcea qLrâlo na da jurcssimples, l5 à da durânte meses, ÍnesTnalaxa fnal,venciye Ín€ses â compÍa? 2 âpós de aplicação ante or, gerandoum montânte R$13750,00. de Quáloválor C? pof 378. IUFRJJ reded€ lojas strepa A S vende cr€diário à b) LJrn capital é aplicado juroscoÍnpostostaxa C a com urnataxade juÍosmensal 10% UÍìra de certa de 2%aoÍnés. rneses Tfês depois, outÍo urn capital mercadofa, preço vstâé P,seÉvendida pÉcujo à a € iguala C é aplicado também juroscompostos, 20 de acordo com o segu plano pagaÍÌrento nt€ de poíérn tãxa 3%aomês. quantotempo à de Durante R$100,00 entrada, pÍesração R$240,00 de uma de a pá|a Ícar aplicado daf uÍnrnono le captaldeve serpaga 30 dias oLtrtÍa R$220,00 sefpaga eÍn e de a tânte igualao 2ec€pitâl? pode do Você deixarindiem60 dias. Detemine ovaoÍ devenda vista P, à descaoo Íesuu00. 0 sa mercadoTa, escolâr, com 374. (V!nesp)LJrn boeto de mensaldâde p€Ía possui vencirnento l0/8/2006, valornominal de R$740,00. ál Seo boeto for pagoatéo dia20/7/2006, valata o o percentual do sercobrado R$703.00 será Quál desconto concêdìdo? ha b) Seo boleto pago fof depo do diá10/8/2006, s veíá cobEnça dejuros 0,259b de sobre valofnoo pordiadest|áso. SeíoÍpago com minaldo boeto, qual 20dias atÍaso, o valoÍ s€rcobr€do? de a

Geometria analítica
Pontoe reta Ponto
Distância dois entre pontosl a = ,,i{x, x^)' + (y, - y^)' /!!\

375. tFuvest-SP) comerciante llm compra c€lças, câmisâs ponto médio Ml i!--l-jq ZA--:--U-LI 40qó e saias as revende lucrcde 20qó, € 30qt e coÍn \22) paga ÍEspectivsÍnente. o pÍeço queo comeÍciante x Condlçãode alinhamento trêspontos: de por uÍnac€lça trêsvezes queelepagapor uma é o pof cârnisâ dussvezêsqueelepaga uma o saia, t e l"^ Y^ ljrn ceftoda, um cliente duáscalças, duas compíou lx s Y B l: o carnisasduassaias obteve desconto l00ó e e um de llxc Yc I sobre pÉç0tota. o pagoupof suacompTE a) Quanto essecliente eÍn Reta ílnçãodeÍ) anoular retai - to o - !:lq da m bÌ Qualo ucroaprcxirnado, porcentagem, em obtdo coeficiente

(sê + xJ xÂ
aptás 376. CUnB-DD uÍnacidade, 10000pessoes EÍn há pâr€o Íìefc€dode t|abaho.No momento, apenâs 7000 estão empre$da8. cedââno,l0% dasque A peÍdem empÍego, estão empÍegadas o enquanto 600ó se Consldasdesempregâdês conseguêÍn eÍnprcgar qle deÍando o número pessoas para Ínercâde aptas o pemaneça mesÍno, cuÌe peÍcenc€ o do detrabalho o tua depessoas empregadas a 2 ânos, daqu Desprcze c€so a pane íracionárdeseurcsultádo, exista, a

Equaçóes retal da .y - yo= m(x- xo) (fundamental) . y = t n x + n (re d u z id a ) . a x + b y + c = 0 (g e ra l) . I + -L : 1 (s e o me n t á ria ) qn paralelas: : m2 Retas mr perpêndicularesi. m2: Rêtas mt 1

377. (FGV-SPI "N4agâzne Lúciâ" a rede"CoÍcovado' e 0 de. permercadòs h vendern umadeteminada mârcâde DÍstância ponto reta entre e pelo Cinema, mesmo apa|e de sorn tìpoHome ho do prcço vista. à Navenda pÍazo, a aÍnbas lojas as cobram r_ lôxp+byp+c l00ó coÍn ataxa dejuros coÍnpostosde aomês, planos a'+bt dê pãgamêntos nios.CompÍando dlst a prdzo "Mano gaz Lúcia urnconsum;dof pagar 2000,00 Distância deve R$ ne , paralelas entÍe duas retas no ato dâ compra R$3025,00 e deposde 2 rneses, enquánto rcde"corco\€do" pode nÊ ele levar apareo lho semdesembolsaf dinheiro alglm,pagando uma

por Angulo formado duas
too= m r- m ' l1+mrm,

Equaçõeshipérbole centro da com na origem

Área triângulo do

íi '=ir"r,",*",=]ï1
Gircunferência
. (x - a)'? (y - b)'z P(reduzidà) = + . x'? y':- 2ax- 2by+ (au b, - r'z) 0 (noÍmal) = + + -b
g 6ra"n1 6;656s. = :9 Assíntotâs: - ay:0 bx e bx+ôy=0 c

Secções cônicas Equações parábola ventce da com na origem

375. (Unifesp) ponto paro câ1esãao êpreserratjr. do é
do pelas (x coodensdas -l 3Í -x - y) et€mbém pol â dsteÍÌa [4 + y, 2x + y], emreláçào urnmesmo de coordenadêsiN$tas condições, rgLro xré aì al -8. bl--6 c) 1. elg. d L

380. (UEL-PR) Considerepontos -2), B(2,0)ê os A[1, Ct0,-l). 0 comprmento damedânâ tfáng!o do - ABC, reatvâ ado él êo AC,

d 8\E u] onã.

cìqJã.
dl3ú.

34 '2 "1

Equaçôeselipse cen o na da com 0ngem

38Í . I TA-SP) pontos coodenadas, Ìrês de respectivarne / te,t0,01, e coÍn vértces de ib,2b) (5b,0), b > 0,6ã0 um fêtângulo. cooÍdenâdss quado As do vérlcesão porl oaoâs al (-b, -bl. d) tsb,-2b1. b) (2b,-b). e) (2b, -zb). c) (4b,- 2bl.

382. (UPF-RSI0s A(-r, rl, B(2, e Ci3,4l: pontos -2) al estão alinhados. bì 'o-"rân trángLro JT Íerâ1gulo. cl fomâm trángulo um isósce es. dl forrânJT trángLlo eno 42u.a. esca de e) form6m tr1ángulo t]m escaeno i0,5u.a. de

Excentricidade: f e=

383. 0bmêc-SPltraraqueospontosdoplanocad (1,l), coordenodas (a,2)ê (2,b)estejam uma sobre nesnê é necessáro e-teqJe: Íeta e suíc â )a b = 6 -b . d )a b = a , -b , . b )a b = s + b . êJâb=4,+b,. c )a b = b -a .

384, [FGV-SP) pânocâftesafo, ponto o Pque pertenNo y= dos ce à retsdeeqLrâção x e é eqÜidistante pon abscssa igusla: tosA[- ],3l e a[5,7)tem a)3,1. bl3,3. c) 3,4. d)3,5. e)3,2. 385. [VJlespì Ìì s Íe.1áoecooroenaoos canesianaso Nge€l dá ángulaf a equação e togonas, coeÍcie'rte o pontos e q, sendo que pelos P P[2,]) e o reta passa âo o sirnétrco, rcação eixoy, do pontoQ'[],2) em são, resp€ctrvamente: al -l: x-:y 33 ol 2 r =0. a)l el--\ ì-3y-s=0. 3V+o=0.

390. IUEL Considereponros -2), Bt2,0) e PR) os A(1, . C(0, do -1) A equação Íeta da suporte alturg tr da ângulo relativa lado é: ABC, ao BC, aJ2x+y=0. d )2 x + y -2 = 0 . b l 2 x -y = 0 . e )2 x -y + 2 = 0 .
c)x+2Y=0. 391, (Faar-l\iÌG) P(a,b) é o pontode intercecção dâs Se lgx-3v-7=o ' feÌás { emãoa-béio-ãla: l3x+6},-14=0

a)3 b)+ "r +

'3

3

2x-3!- t=0. 5=0.

cl -l:x+3Y 3

392. (FGV-SD plâno No cârtesiano, exstem doisva de ores que m demodo a distànca ponto do P[m,]) à retá de equãção + 4y + 4 = 0 seja soma 3x 6;a destesvâlo€s é: ^. t6 l8 2A

(], peospontos 2) e [3, ]J e 386. [UFP)A fetar passa P interceptâ êixos os coofuenados pontos e Q. 0 nos da entre vaofnumérco distância P e q é:

vi
"j,"2 e J4 !5

. svt
10

. sví

3 393. (UniÍo-FJ) Aequação + y'z- 4x + 6y - 3 = 0 é x? deuÍna rcunfeÍènc somã raio dascôofdec a cLrja do e nadas centfo iguala é do a) -2 c) 5. d)L el ls. b)3.

regu' 387. tUflNn-NIG) AÍìgura representa pentágono um de no de cêrtesìânas IaTABCDE sìstema coordenadas y A ao orgemo. 0 ponto penence eixo e o segÍnento 394. [uEL-PR) dados: são /r \ l, contido eixo Aeqlação no x. da BC, medidê está de urna ciícLrnferência decentfo :, I l: Cl que o AB reÌa contérn segmento é: alY=-tg72" x+sen72' uÍr po^ÌoTl ;. - I I qJepenence cÍcunÍerê_ci8. a blY=tg72"x- sen36' \z ./ c)Y=tg36'x- cos36' A €quação crcunfeÍêncdada da a él d) )7= -tg 72" x + cos72' a) 4x'z+ 41- 12x gy- 3 = 0. 72' e) Y = t9 36"'x + cos b)4x'+4y'z-12x-B}r-4=0 y'z- 6x 4y - 2 = 0. cl 3x'z+ d)3x,+y,-6x 4y-4=0

(x, mr388. [Fuvest-SPJ dos 0 conjunto pontos y] dopl€no = 0,onde= x - yl, que t'? t tesiano sâtisÍázemt - 6
. al Lrma rctâ. bl dubsrctâs. cJ quatÍorcús.

paÍábolâ. dJuma paúbolas. €) duas

'2 "1 ^r..u,,lx-y=6 que 395, tUFc-cElo segmento uneos pontos nterde + y - 4 = 0 comos exoscoordesecção retâ2x da nados deteÍmÌna diâmetro uÍna um de crcunfeÍênca. A €quação dessa circuníeÉncia é: al(x-])'?+6/-2)'?=5.' b)(x-])'?+(y 2F=20 = cl [x - ])'z+ (Y- 2)'z 25 d)(x+])'?+6/+2)'z=5. e)[x+])?+(y+2)'z=20.

que 389" tUFRcSl sâbe-se a Íeta deequação r, à t, ax+ by= 0,é pa€ela reta deeqlação g = 0,então, váb: 3x- 6y+ 4 Ìr
ll

e) 2.

396. (Vunesp) êqLração elpsede focosF,[-2, 0), Â da por. F2(20) e eiÀo mãor g-ala 6 e daoè

Consider€ â regiào sombfeâda ÍguÍa,deClJnifespl nê pe limit€da o eixo e peasÍetas eq!âçÕesy 2x 0x de -

ar + â=r . ro b) + r= r s
' I t5

O 6 +;=r ai+|1:t

\

Ne$as condições, expresse,função k: ern de al a área da|€gião A[k] sornbreadê; bl o p€ÍmeÍodo trÌângLr de miiaa regiào o que sombrcada, 397, TUFPB) fetâ coeÍciente Uma tem afgLtar = -t e m passa pelovértjcep€dbolâ - y, + 6y- 5:0. dâ 4x Sua equação cártesián€ é: - a l x+ y- 2 =0 o2x=y-l=0 bl x- y+3 =0 . elx+y-t=0 cl x- y- l=0 . D 3x=y-3=0 4O1. CFaïec-SP) 0s pontos 2),B e C(5,-21 pertenA(1, cem umâ a mesma DeteminepoÍìto sabenreta, o B, doqle ele doexoOx, é

4O2. (UFN/ìG) dêre parábola equação Cons â de y = 8x - 2x' e â Íetaquecontérn ponios 0) e (4, os poiìtos interceção a A dâ [0,8].Sejam e B os entrc rêtê a pâráboa e Deterrnine â equâção mediatrz da dosegmento AB. 398. [PUC-PR] Naíglr€ segu teÍìros rìte, Íepresentadas as pory funções deflnidês = x e y = x':. 4O3. (Fuvest-Sq s passa ofgem e pelo pela A rets ponO toAdo priÍneirc quadrante. ré peÍpendicular A retá retâ noponto e interceptaeixo noponto e s, A, o x B 0 exoy nopofioC,Deterrnine o coeÍìciente angulaf dessea árca dotriângulo íofo Íiplodaárca OBC do tíângulo 0AB. 404, (UFN4G) Observe âÍgura:
A fegãopinbda deÍndapof: é a) ((x,y) lR,| 0 < x<.vã ex<y<x,J. € bl ((x,yle lR, 0 < x< rã ex, <y < x). c) {[x,y) lR, 0<x< ] ex<y<x2). € y) e lR, o<y<úer,ç<x<y) dl {tx, el (x, y) e lR, 0 < x < I e x, < y < x).

3gg- (Ufscaf-SP) pontosA(3,6), ycJ 0s B[],3l e C[xc, são véftices tÍiângulo yM) do ABC, sendo M(xM, e N(4,b) pontos médios ados eAC,respectvarnente, dos AB a) C6lculedislânc entÍe pontos e I{. a a os M geraldê suporte lado 405. bl Detemine equaçâo a reta do

Nessa ígura,a circunfefència tângencia rcta da a = = ponto equaçãoy 2Xno Pde abscissax2 etângencis, também, eÌxo DetermineÍaioe ascooÍo x. o denâdas dotcentro circunÍeÉncia, dâ

BC dotrlângulo ABC.

cLrrya_ 2x+ I = 0 noponto 1). x'z 0,

(UFGCD-Efcontre equa@o rct! tâneênte uma dâ à

(l e de polinômios Potenciação fórmula Moivrel Números complexos, Seja - p(cos + i sen0), z 0 então: e equações algébricas (n0) (no)l zn: pnlcos + ìsen Ìtlúmeros complexos Fonna algébrica
z : â+ b i = Re(z) a Partê rêaldez: = Partê imaginária lm(z) b dez: = Unidade imâginárla: l,talquei'? -1

Polinômios
l| âx" .o"6ç;qnlq -JL expoente

u"r;5u"1

Plrtência I de

i" = iR,onde o restoda divisão n por 4: Ré dê

p(x)=à,Ì a. x"a" )t' ) ...-â,P-à,x-ao quê: êm ân 1/an- 2, ., a2,a| aosâo número5 complexos ' ãn, denominados coefi cientes; . n é um númerointeiropositivoou nulo; . o maiorexpoente dê)ç com coeficiente nulo,é o não graudo polinômio.

n!-:
Rq

Po lìn ô m io n tica m en u lo id € n le [PlN]
p(x)= anx" an-rxn-1+... + arx+ aoéo polinô+ = an r =.,,: ar: ao:0. mio nulo<,ran Obrervâção: Náose defÌnegrauparao PlN,

Conjugado {ZJ
= Sez: a + bi,entãoz a - bi.

Plano Gauss de

Va lon u m é r ìco u mp o lin ô m io r de
Ovaloí numérìco p(x)para= oé p(or). de x : SeP(d) 0,então é râizde d P(x).

Dìvisão polìnômios de
p(x) h(x)
-=ptxl:n(xj.q(xj+(xl (x) q(x) Graude (x) < graude h(x) Graude q(x): graudê p(x)- graude h(x)

[,1ódulo [p]
r-r - ^ D-":

Teorema resto do
p(x)por(x a) o rertodadivisãode polinômio um é p(â).

,Argumento {0)
b sêne:-F

Teorem[ì fatcr do
toe:b Sec é umaraizde p(x), entâo(x - c) é um fator de p(x).

Forma trÌgonométrica
z : p ( cos0 +ise n 0 )

Equações algébricas Teorema fundamental Algebra da OFAI
p(x) Toda equâçáo â|gébrica = 0 degraun (n> 1) possuipelo (realou mênos raizcomplexa náo), umã

na NlulÌìplicêção e divisâo ïorma tÌ"igonornétrica
= sêndoir pr(cos + isen 0r er)e z, = pr(cos0, + i sen0r),temos: + (er zrz,= prp,lcos + 0,)+ isen(0r+ 0r)]

Deconposiqão fatores primeiro em do gra u

(0, - + + = + Icos(e,0,) i sen - 0,)ì zz Pz

podeserdecomposto fâtores Todopolinômio em grau: do 1q p(x): a"(x \)(x - xr)(x x3) ,,,'(x-x")em quêx]são raízes p(x)ea. é ocoefìcìênte x". as de de

ultiplicidade ra2es das
que Éo número vezes umamesma de raìzâparece,
1 vez:raizsimplê5 2 vezes:râizdupla multìplicidade ou 2 3 vêzesr triplaou multiplicidade3 raiz n vezes: de multiplicidade raiz n

A seqüéncia corÍetâ é: al VFF c] FFV. b] FVF. d] VVF.

e) VFV. O FVV.

408. (Pazu-N/cl o quocen,u e cruu, fl
a )3 + 2 . b )2 + 2 .
c)1+2i. d)2 + i. e)2+3.

RelaçõesGirard de
GÍâu 2 ãx , + b x + c = â ( x xr xx-xr)
. s :xr + xr = ;
-h

4O9. lUfscar Sejanìa unidâde SP] i magnária o n ési ean motermo urna progrcssão geornét com = 2aj. de c€ a, Sear é urnnúrneo ímp€f, então 1+ ÌE+ a +... + E,étgua a: aj I oLr-gi. dl 8+ olr 8 i. bJ-9+iou-9 e)/+tot/ t. cl 9+ oug 410- lvunesp) f gu|arepÉsenta, pÌano  no coÍnpexo, Lrm senì cÍcúlode centro ofgem€ rao l. Indique por nâ ReCzl, rn[z]e zi a pârte rca, a pafte magináriao e mÓduo umnúrneÍo de complexo= X + yl,respecti, z vamente, i indicâ undade onde a imaginára

Grâu3 axr+ bx, + cx + d : a(x- xlxx - xrxx- xr) -h : . 5 : x. + x- + x- . x.x^+ x.x^+ x-x-= -c . r: xr xr xr : ; Grau4
a )C +bxr+o(,+dx+e=a( x-\Xx .S=xr+xr+x3+xa=; . xrx, + \x3 + xlx4+ xrx3+ xrx4+ x3x4 - ; . xtx2x3 \x2x4 + xrx3x4 xÃxa = + + ; = . r.: xrxrx3xa x,Xx \Xx-xa)

tunube-[,lc) Considerc númeroscomptexos os z = x + iy,emquex,ye lRe i, = I, quetêrÌ móduo igual !6 e culas geoméidcâs a rcp€sentâções encont|am sobrc paÉbola = xz ,, se y a Oano p anocomplexo. w é a sornadesses "on coÍn Se núrnercs pexos, então ó gua a: lw 406. (Vunesp) a, b, c sâonúmeros S€ ntercspostivos a b) 3. cl 2. o) Jr. que "6 tais c = [a + bi],- l4i,emquei, = I,ovaiof 412. IUELPR]Seja !m númerc decé: z cornpexo rnódulo e de 2 drgJ.rerlo Drncipal O juqãoo €: 120'. ala8. dez b136. c)24. dl 14. e)t. "o gz-2Jí. d) r + iJt. 4(I7 (UFPB) quasquefdiconjunto Selam reyelemenros G = {g=m+ n lm , n e Z), onde J:t. Consl b) 2 + 2ia6. i= el 1 + i.rã. proposições dereâs seguintes e assinâÌ€ V a[s] com c) r - lJt. verdadeirals] e coÍnF,a[s]fusa(s)

Raízes complexas reaìs não

A única ternat qLr€ que a va contém condìções des as cÉv€Ín totalrnente o slrbconlunlo panoq!€ r€predo senta regÌão a sombreada, ndosuaíroÍrre e. incLu ra, > al Re[z) 0, rn[z] 0 e zl<1 > b) Re[z)> 0, Inr[z]< 0 € lz < l c)Re[z)>0e z>] dllrn[z]>0e z>1. e)Re[z]>0€lz<1.

Seâ + bi Íor raizde p(x), entáoa seíá, p ( z) =0 <rp(Z):0

bi também

4ll.

I [ )sey+0, o quociente É c. t [ )0prodlloxyec.

413. [Vunesp] â, b,c são que Se númeÍos reaistas âx,+ b[x+ ]), + c[x + 2),= [x + 3], para x todo rea, então ovalordeab + cé:
3l -5. bl -1. c) L dl3. e)7.

[ ] Aso m a x+y€ G.

o do da O 414- [Uece] rcsultado divisão polinômxb+ I por x+le: c) x4+ ] a)x4+x3+xr +x+l x3+x, x+1. dJx4-1. blxr p[x) + Se 415. tPUC-Rl) o poinórnio = x5 + 2axa 2b ê por[x +])'z,então soma + b vale: â a dvsÍve al] bl I c) 2.

de as Asoma todas râízes de [UF[,4G) (x) : t2x,+ 4x - 30lt3x-rl éi

oi urf o-i ,-i
]roqlvVylâ)r0. ogz F |

tais .eais r 423. IPUC-PRI Sendo e y númercs postrvos que

, ) oz

l"-ú=-.
b) 30.

vy a. . o prod.rto e iguar d60 e)25.

g eh 0 416. lFuvestsP]gra!dospolinômiosÍ é3 0nú pode do o nâtLrmln seÍo grau polnÓÍn nâ0nuo rnerc seì f. [g + h] see somente dl 3 < n<9. aln=6 el 3<n < 6. bln=9. cl 0<n<6. divisívelporx-3 Seja 417. iFuvest-SP) ptxl uÍnpolinômio c6ì pl\ì oo-' - | ob.erìos olocie"Ìe e Ês Dr'drdo = 10.0resto dvsão q[x)potx- 3 é da de to r eJ5 c) 0. d)3 bl 3. al -5 que 418. tPUcsP)Sabe-se o polinômio a f =x4+3x3-3x'? I lx - 6 admlterâiz I c0Íì é 2 mLrtplcidâdee qle olrtade slas râÍzes iguala0 nooLlo J'ì Lnerccor p"\o zcLjapriP 'ìagin;oe ser de dâé gua a I Aíoma tdgonométÍicaz pode rguals: lrnì lln - I aJ 2lcos ^ + sen ^ | \Ò

c)50.

cujo complexo o 424. (L)FC S€ i reprcsenta número CE) da quadradoigual -1, determinevalor o nurnérico a é + ... + 'z7. + sornaI + i + i'? i3 complexo. 425. [Vunesp] z = I + ium núÍnero Seja trigonomarica, a) Escrcvaez3naforÍna z rcâis de b) DeteÍm o poLjnômìo coeÍìcientes de ne e gra!,qle temz e lz'?como rakes coeÍrnenof iguâla1, ciênte nanle dom o 426. [UFPA] Consjdercpolinômio = x3+ 2x, + mx+ n, cornm,n e lR. Sâbendo P(xJ por queP(x)+ 2 é divisível x + 2 ê P(xl-2édivisl de os velpoí x 2, detenÌìine valores m e n.

427- "!-^e\p).onside€

t" \ A a nãlri,, =
l0

r"r

y

l

s b l2 l co + + s en+I.
\b

q"\

'1 2 0
p[x). deAé umpoinómio O determinante p[x). Íaz a) VerlÍque 2 é Lrma de se b) Determine todasâs Íakesde p[x).

x I

tl "l "l

5,! - | cJ zlcos-+r sen- 1. \ó qn\ t 41Í dl2lcos-;-+r sen- 1. \ó lIÍ\ t 7n €J2lms-+r sen- l d€ LJm 419. CbmecsPl polnônììo 7sgÍâup(xl,comcoeÍpolinômios é Íeais, divsÍvelpelos c €ntes q[x)- 2x'? Ier[x) = x'z+3x+ 4 senéonúme p(x), ro de râízes do polinômo então: rcais eln>5 c)2<n<4. a)n=3oun=5. . dl.n<3. 6;1:4eun=6. s ddo 420. (-l-C CEì0 prcoLÌo Id7"1Íea daeq ação gla a: 4x,- l4x+6=0é r35

5nì

Limites derivadas e
Limites Limites importantes
lim 1 = o 1;6 L=1 limll+ l-e ., Senx . | =e

lim ll+ -:

lim (1+ x)ï = e

+ Í(x)+lim s(x):q+1, 1.) l!ì" tf(x) s(x)l: _lim : '12 .s(x)l: é raìz 2ê) í(x)'lim g(x) L1 qLe mâginária Sâbendo a unidad€ 421. TUFIN/-['4G] ,]'!ì"tÍ(x) _l'Iì" dâs + xÁ da equaçâo + 3x'z 2 : 0, o prcdÌrto suas igualâ: irés é 3u) ri' lql = !! oul|as raÍzes
a) 2.. ú? i c ì2 l . d )/ i e".

a-|

a-i

Propriedadesìimites dos

c)t

d )t

d2

,,. g(x)

L,

nçÕes contÍnuas
Uma funçáo contínua pontoa do seu é num domÊ
ponto ela não dá "saltos" nio se nesse nem apresenta . existe f(a); . existe lim f(x); . lim (x) = f(a).

Propriedades operatórias derivadas das
tE)(f + 9),(x) (f s)'(x) 2.) (kf)1x) 34)(fs)'(x) f'(x) + S'(x) f'(x) s'k)
k.f' (x)

f'(x)ek)+ r(x)s'(x) f'(x)s(x) f(x)s'(x) tg(")l' q (yìr'(x)

Derivadas
Ì l x^J=
" Á,

eÊr kxr |f(x)- í(x^)
N- i! x- xi

Àv lr m . : = ..
0 ax

\s./

5ê)(s o f)'(x) 6q)(f ÌXy)ou x = x(y)

..

f(x" + ^x)

í(x

-I

f' (x)

o, ^'(u): l y' (x)

Equação reta da
y-f(xó):f'(xoxx-xo)

Comportamento das funçôes
Dadâuma funçáoÍ contínuano intervãlo[ã, b] e (a, derivávelno ìntervãlo b),temos: (a,b),entãofé cÍescenteem bl. 1r) Sef'(x)> 0 em Ia, 2q) Sef'(x)< 0 em (a,b),entãofé decrescente [a,b]. em 3e) sef'(x)= 0 em (a,b),entãof é constante [a,b]. em

Função derivada
f'(x): lim

Í(x + h) f(i)

Derivadasalgumas de funções elementares

Máximos e mínimos
5e umafunçâoídefinídâ numavizinhança pondo to \ for derivável xoe xofor ponto de máximotocal em = ou de mínimo lôcâldeí então f(xo) 0. .5ef"(xo)> 0,entãox0 pontodemínimo é localdeÍ. . Sef'(xo)< 0,entãoxo pontodemáxìmo é localdeÍ

(x) = k(k€ lR)
flx) : x^ (n € lN)

f'(x)=2ax+b (x) :ai+ b(ã,be R)

Pontos inflexão de
Para pontosde inflexãoverificamos identificar que, 5endof"(xJ= 0 e Í'l(xJ + 0, então: . se f'(\) = 0, xo é a abscissa ponto de ìnfìexâo do ho-

s'(x): c'Í(x)

rizontal; . sef'{xd - 0. é a àbscisla ponto de inflexáo do com \ tangenteobliquâem relação eixox, ao

f'(x)=-+,
428. 1t-e 1,161s".'6e trm a -i----il
" ' 3 a/3x- 6 -./x

'1 e

al 216.

u1+,6.

cl o16.

at enã.

429. [UEL-PR) Aeqlaçãohonífa uÍnmóveté de yf' (x )= s e c x .tg x f' (x )= c o s s ê c x .co tg x

2t serdoy sLêê . m en reldçào .olo. ao ; rned emrnetros,t o núrnerc s€gundos da e de t|ans corrdos que apóssuapâftida. Sabe-se a velocdade do móvelÍìo poÍ instânte- 3 s é dada y'[3],o! seja t

Ouestões vestibutar de
l.d ,.. 2 ,h a .d t.e 9.e 4. b 5. a 6. c

Revisâogeral

15.d

ParareÍletir
ítxl = x'

16. al 2':r

17..vã
ta. al I' :_ 2
Lr)

sol= y' = = {soD0) e(rtxll G'l'= x'
too l'[x] = 6xi í'{xl = 3x': s0 l =2y = = x2 s'[íG)]. Í'Gl = 2y.3x'z 6y]2 6x3. = 6xs (s Loso, ÕÍ)'(xl = s'titxll.ítrl Seja lunção l[x):y= ax+ b a afm que pâÉ paÉ Sabemos Í(x)écee@nl€ â > 0 e dêôresôente a < 0. Í (x. ì = tar + b) '= a Enlâo, > 0 e f[x] é césenl€ + a > 0 f'[x) Ítxl ódecrescentes€Í< o ìa < 0 ixl
rqa a runç€ol|Íl = ar + DYÌ c

^ bl s = lr !_Ì_la l:_!f

I

20. Róda antei€ 240 m;rcdaÍaseimr20rA m d 21. e 27.e 33. c 39. e 22.a 2A,h 34.e 40.c 23. b 2s.d 35,d 41.d 24.e 3o.c 36.c &.b 25.c 3l,c 37.c 43.a

r'(xl = 2ax + b= or \ = "/E) = 2a

ã

c tp o n torfto l

46. al I = 25 ela é evenênieóbesâ

f'txl > 0 + 2a > 0 ì a > 0 + \ é ponto mo o! sejá r(x)lem min concavdade para ma. voltada c

bl l 80m 4r. â) 2 A a.al 0 bl l4 bl 3

f(x) < ! +2a < 0 +a < 0 +\é concavidade paÉbaixo volada

ponto máxmô sejâ. tem óu ttxl

ag.ats= or+ -/qrp+ /' \t 3 50.a= l eb= O 5f. d 52,. 5S.e 64.c 70.€ 53.d 59.b 65.c 7l .c
55. ê 56. a

do Questões Enem
2000

57. a 63. b 69.d

2001

73. al 95"F t4. al R$12,90

b.ìr 60.c
bl 2ì kn

2002

75. al S[x]= 300+ lox bl Âumemo taxa nâ deconesão 2003 76. al C[x]= 0,3x 800 + bl P[x]= 0,2x 900Íendâ Ínaorque 9000,00. R$

2004 7s. al 35 2005 79. a) Rl3 75 ao.â1 2 200G b) 2i I cm bl 30km cl S = {l 5l

43,26

45. ã

c)m= o 52, c

aa.b
93. a s9. b

2 E l zs dsti mâst m< l : O< ".

+ mrres s t nt as Oi

40.d 95,a
96. 08

9r.b

. = -1, s *i

ot$im"r;r r li 4 raízee nras. d sr bl s= { 3l

t00.b

133. - {3) als r34, 27
135. l -3a+ 2b 5-5a+ 5b

r0 r. âJ â= 0.3 b: 20 e

r35.á)s= {r!5ã}

1 Ì3?.S=Ií3'. ìÌ l\ 4.)
r0 2. p= 2eq= Ì
139. al I 000 f40. b rAt.d t46.b l5r.â r56.d 142.t1 147,d 152,e 157.b l4|.b t4a.d 153.a 158.e r44.a t4S.a r54c i5S.a

b) RJ525oo 106. â)p(x)= -0,25x 60 + bl FJ40,00 'ro o .uìd = 9oooo u ' !07. al Á[x]= -2x, + r7x blx = 4m ey = 9m t o s. - 3 < ã < o 3 ro9. a) R$ 5,00 bj 0< p< 2, 50 o LZ s o< p< r0 0 0 1 1 0 .l8 l!5. € 1 2 Od . 12í a lt r . b llc , e l2l. c 126. ô 112,e lt7. b 122.c 127.b ì ou0< x < 3 1
I t 3. d 118.d 123. c 12a.a

f45. d 150. d

bl v : o

155. d

160. ò
q

a,6. zq,Ee"!,.$,6 'tí,616.2\8,12J;,
= 6!ã .2s

= b) a3? !ã.2,';as!

16l .

162.95múüpl os 163. 2420 canás 110. c 124,b ' l 2 9 .b !6{" al ì 01em somst€nal300 165.u1,= 1" o= 1 ,-(.s s 7 - -t ' tgt 4 32) \ 4 2 4 bl104,9 Mllz

l 3 o . { t e Rl- 5 < x < l 3 t , al

3 160. lO ou r0

ft3.b 175.a

171.a l7S.a l A 4.d l 8o,d i s4. b 199.c 2O4,c 200.a 214,c

. bl -+ ".
r3 2 . 0J

lto. â

l8l.a

1A2,h

183,a l A 8.c

r05. e 190. c
=I

rao.b 1S1.;
106.b 2íJ1.a 20ô. â 2 1 1 .d 212.a 202.a 1S2.d

t93.d l ga.a 2O3,c 294.b 213,d

,+

t95. d 200. d 205. c

D ;ae;

2 f0. a

5.5 8 ' 216.â ld =3 0 ' bl D4enhando asb sseÍ zesôblemos!m Íìângu o dla eomados ânOu lnternos os é:

2Al.

- l6 2a2. ál 0,3 m

bl th

fq

2Aí âl l3l 88cm': 286. al5 cm
e +::+ L = lg0o= 0+ ja+ : : - - - : j: 22 = 180 0+

. zs./r_." .
bl 825q6

247, âJ500mL 2ss. Vgs cnr 2AS.b 254. à 290.d 29í a 300.d 305.d

oáng!o êntrc â 0 + l5' + 750= ì30' = 0 = 90', ou seja.

é rêro. asbissetrizes
.^ 1;1 - u' r

2St.b 206. d

292,d 297,a 302.e

253.c 2sa.a 303.c 304.ê

zl s. al r :
2rs- â ì:

't'
m

br s[,ã - r)t
bì ll75 m ' ?

299. c 30Á.c 309. a f 310.atl 311.I M ì

306. e

307.e

3

22o.42.m
223.25' 2 2 6 . 72,85 n1 229.. 2s4, . 23S.b 244 c 245, h

nfr 221.30
224,32.m 227 .72 n' c 23t.b 236,d 24r,b 246'. 251.b

222..1r(h -1)cn
vo1ás 225.32 2 2 3 .VV F ,ÊV 232.c 2a7,b 242,e 247,d 233.ó 234.a 2&.c 244-d

sen2x

230.e 235.b 240,d 24a.c 250.b

3t2. a)50 = 3r3. dê14 2 e d€! : -6 B 314 al gl ã + 11 3a-2 | 3) 3t5. 3775 m 316. k = 42 a1r- à)1r,+ y + z:2 Ìx+ y+ z= -3

I a bllr 5 l- õ
hì a= 5

rl ,."I úl

t "." ,L 4{ABl
zss. if a
2â4, I

. Ji ã +r
.. (ts o l)' ,.g " "

255 . á l h [x]= l0sen x b{ x l = 20c os x r A( x= 100s ênx . c os x l b lx=4 5 " 256 . r= ^= -êr= j:

Ouseiá, + y + 2 * I = 2 = 3.Portãnto. stema ÍnposÍ\€1. x os é b)a+ 1oúa+ 2 31A .ãl Ga- 360 2x: = 600 yrG- 960 2x y GB pam bl Dodepósito saiÉo caxas medìcâmentosa dm de D, 30 gariâ l0 caÌxâs a drogada Dod€pós D2ea 30 parâ rãô Âé B. to pama Éx6 pâm dmgffaBenenhumâ â drosaÍia 9âs A.0s tossão = F$300,00€ = R$590.00. Ga GB 3r9. ô 320.c 325.ê 33o.c 335.b 32t.b A26.e 33i .c 336,a 322,b 327,c 332,b 3ar.d 32s.e 324,b 333.e 334.a

zsz.s=1M4la.ur|
14 4 6 4 2 5 a . alA = 30 259. e 264, c 269, b 2íjí,.a 26í d 270,a

6l

324, e
261, d 266. d 27r.t' 262,h 2Ê7,c 27L d 263. e

325,Ê
264, d 2r3,d

3s4, d

34t.aJl 5
bl F$8.40 230. al 2 cm de compfmenÌo 5 cm d€âltum e

cl n= l 4ep= 4

r',9

bl 3016cm'

349. b 344. 35sábôres diÍerent* 994 ã s99. âì lll

300.á 395.a

30t.a 3S5.b

tt2. a 357.a

393.b 30A.e

s4 Èa l ;;
J

b ) 45.1:l.J:l
\o/ \:l

400. al A(kl = kr

b) peímét'o= (3 + !6J

347. al:

54 34s. 0) V€rdade o 34S. d 354. e 359. b 364. d 350.b 355. b 360. c 305.c

hì : rl Fásô 35t.b 356. b 30Í.c 466.â 2) V€dadeio 352. d 357. c 362. b 367. b 353.ê 35A. d 303,a

40r.46.o
.6
2

404.r= 5 - 16rc [2J2.b - !6]
40í)/= l 406. a

36&a

4t .Í 412,. 4rr.a 422,d

40a.a 4t3.e 4r8.a 4;r3.. j: , sen " \ I 4) 424.0

369, âl $ S0,00

b)V = 9 0 0 ;D P = Í3 0 ,0 0

A rf. c 4f6, e

bl Osdados ins!Íc entes uma pau sâo conclusão. 37!. al los :r2- a)B$400,00 373. a) F$3 000,00 b) 20 b) B$464,10 or h q to 3 h o l o , b) R5 77700 Ê rs s

421. b

-t 428 âl z = V 2l .os1+ 4 \

\ bl P txl = x3_4x' :+ ü-4 420..m:-3en:-8 427. a) Sim

r =r,6f*. -q + ..""qì 4 4)

375. à)4,17x a1G, 84c/Í) 3r7. €) R$4500.00 374. R$s00,00 3at.c 386.c 3a2. e 3a7.a 343,b saa.b b) R.t3 26200

b) 2, I € -l 42S.b 434. e 430. c á36. a 4sr. b (tA. e Áít2.ê a37.Íl

a2a. d 433, a

440.asdFT, - á % deF- -Lr -

I,T á-a oeF = a

Bibliografia
Av L4 G-Cálculo i;funções umavâÍiável. de Janeiro, de Rio Llvms Técnicos Cientffìcos, e tg82. Bo\ÉR, B. História Malemáflca. Pãulo, Catl da São EdgafdBlücher/Edusp,974. I CoLEÇÁoPRoFÉssoR Do DE íVÂÌEMÁncA, Janêiro, Riode SBM,1993. v t4 DAN|E, R.Didátìca ÍesoJução prcblenas de Atafemáübá. ed. SãoPauio, L. da de 12. Ática, t99z DAMS,J. & HERSF,Á a\oetiência P R. natemáticâ. de Janeiro, Ro Francisco Alve6, 1989. úM^E.L. eLalti. Matenáticada Ensino A Médio.Riode Janeirc, SBI\/, t9S7 (Coleção professor l\/atemática, I e 2.) do de v MoREmN,A. & BussAB, O. Ësraísdca P W bãslca. làulo,Atual, São 1981. problenas.Riode Jarcirc,Interciênc 1986. P1L\A, A afte de resalver G. a, lvlathematical discole/ja Yofk, New JohnWiley Sons, & I981.2 v -. REVsÌÁ PRoFÉssoR Do DE Í\,4AÌEMÁncA. SãoPaulo, SBlVl, I98211998. I a 36. v

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful