You are on page 1of 9

28/08/2011

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA DEPARTAMENTO DE SAÚDE CURSO DE MEDICINA

O que é Hipersensibilidade Profa. Ana Carolina Andrade
Jequié, 25 de agosto de 2011

Reações de Hipersensibilidade

Mecanismo das Reações de hipersensibilidade
Hipersensibilidade imediata : Tipo I
• Tipo mais prevalente • Causada por anticorpos IgE e mastócitos

São reações imunológicas que ocorrem de forma excessiva e levam a alterações celulares tissulares macroscópicas caso o antígeno esteja presente em quantidades relativamente grandes ou se o estado imunológico estiver aumentado. Essas reações são chamadas REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE

Hipersensibilidade tipo II: mediada por anticorpos

• Anticorpos IgG e IgM causam lesão tecidual por recrutamento e ativação de células inflamatórias • Anticorpos são específicos para antígenos de células ou matriz extracelular

Mecanismo das Reações de hipersensibilidade
Hipersensibilidade • Anticorpos formam complexos imunes tipo III ou mediada por complexos • Os complexos imunes são imunes depositados nos tecidos (vasos)

Hipersensibilidade Imediata
Características Gerais: • Várias doenças humanas são causadas por respostas imunes a antígenos ambientais • Levam a diferenciação de células T cd4+ TH2 e produção de IgE • São chamadas de alergia ou atopia • Compartilham característica comuns, embora difiram nos tipos de antígenos e em suas manifestações clínicas

• As células T ativam os mecanismos Hipersensibilidade efetores de hipersensibilidade tardia tipo IV ou mediada • Destroem diretamente as células por células T alvo

1

consistindo principalmente de inflamação 2 .28/08/2011 Hipersensibilidade Imediata • Fatores genéticos e ambientais contribuem para o desenvolvimento da alergia mediada por IgE Exposição ao antígeno Ativação dos Linfócitos T h2 e Linfócitos B Ligação de IgE a receptores Fc Produção de IgE Reexposição a antígenos – Liberação de mediadores Ativação das células Th2 Alérgeno Linfócito B Célula Th2 As células dendríticas capturam os Antígenos e os transportam para os linfonodos IgE FcErI Linfócito B secretor Processam antígenos e os apresentam as células T naive As células T se diferenciam em para a resposta Th2 Mediadores FcErI FcErI mastócito Ativação das células Th2 As células Th2 secretam Il-4 e Il-13 Induzem os linfócitos B a produzirem IgE (mudança de Isótipo) Il-5 ativam EOSINÓFILOS Il-13 estimulam a secreção de muco As manifestações clínicas e patológicas da Hipersensibilidade Imediata consistem em reações vasculares e da musculatura lisa que se desenvolvem rapidamente e uma reação de fase tardia.

CL e macrófagos.28/08/2011 Ligação do IgE a Mastócitos e Basófilos Os antígenos polissacarídeos não conseguem desencadear essas reações.função não estabelecida Gama Beta •A expressão de FcErI na superfície de mastócitos e basófilos é regulada para cima pela IgE C ITAM C C C •Outro receptor de IgE chamado FcERII ou CD23 – sua afinidade é menor a IgE do que FcERI • A IgE normalmente está presente em baixas concentrações • Em condições patológicas ou infecções helminticas e atopia intensa esse nível aumenta • IgE liga-se a receptores nos mastócitos e essas células tornam-se sensibilizadas 3 . a menos que se fixem em ptns Mastócitos e Basófilos expressam receptor Fc específicos para IgE São chamados FcE RI e a afinidade é muito alta Em indivíduos atópicos o sufuciente de IgE específica é capaz de ativar mastócitos É necessaria exposição repetida a um antígeno em particular para o desenvolvimento da reação alérgica IgE Alfa N FcERI •FcERI também está presente na superfície de eosinófilos.

Basófilos e Eosinófilos são as células efetoras da Hipersensibilidade imediata e doenças alérgicas  Todos os três contêm granulos citoplasmáticos cujos conteúdo são os principais mediadores das Reações alérgicas Mucosa – contêm sulfato de condroitina.28/08/2011 A natureza dos alérgenos Incluem proteínas no pólen. Não são encontrados normalmente na circulação Mastócitos Há 2 subgrupo: mastócitos de mucosa e do tecido conjuntivo Tecido conjuntivocontêm heparina e histamina  Mastócitos. Basófilos São derivados da Medula óssea  Os Matócitos são ativados pela exposição ao antígeno o que causará ligação cruzada das moléculas de IgE suficientes para desencadear ativação dos mastócitos  A ativação resulta em 3 tipos de respostas: secreção de conteúdo pré-formado por exocitose. substâncias químicas como antibióticos Tem baixo peso molecular.glicosilação e aumento de solubilidade Esses antígenos não estimulam a resposta imune inata que promoveriam a resposta Th1 A natureza dos alérgenos A ativação crônica ou repetida dos linfócitos T na ausência da RI INATA pode impulsionar os linfócitos TCD4 para a via Th2 Os antígenos polissacarídeos não conseguem desencadear tais reações Mastócitos. ácaros na poeira. alimentos. epitélios de animais. síntese e secreção de mediadores lipídicos e síntese e secreção de citocinas Expressam receptores FcERI Semelhanças estruturais e funcionais com mastócitos 4 . Basófilos e Eosinófilos Derivam da Medula óssea.

28/08/2011 Aminas Biogênicas Mediadores pré formados: Aminas Biogênicas Mediadores Recém Sintetizados: mediadores derivados dos lipídios e citocinas São armazenados em grânulos citoplasmáticos. Contricção da musculatura intestinal e brônquica. degrada a MB epidermica e estimulam a secreção de nuco Proteoglicanos – heparina e sulfato de condroitina Mediadores Lipídicos Metabólitos do ácido aracdônico gerados pelas ações da ciclooxigenase e lipooxigenase Ciclooxigenase – Prostaciclina – liga-se aos receptores nas células musculares lisas e atua como vasodilatador e broncoconstrictor. Aumento da permeabilidades vascular. Principal mediador. Inicia eventos celulares com degradação do fosfatidilinositol em Ip3 e DAG e estes produtos causam diferentes alterações em diferentes tipos celulares Aminas Biogênicas A ligação da histamina causa: Contração celular. quinase converte angio 1 em angio 2 . Estimula células endoteliais a sintetizarem relaxantes celulares musculares lisa (prostaciclina e óxido nítrico) que causam vasidilatação.Histamina. Enzimas e Proteoglicanos Triptase e Quinase Constituintes protéicos mais abundantes dos grânulos e contribuem para a lesão tecidual As funções in vitro sugerem importantes efeitos biológicos:  a triptase cliva o fibrinogênio e ativa a colagenase causando lesão tecidual.ligam-se a receptores específicos nas células musculares lisas e causam broncoespasmo prolongado Um terceiro mediador lipídico – PAF (Fator ativador de Plaquetas).tem ações diretas de broncoconstricção e pode relaxar a musculatura lisa vascular – é rapidamente destruído 5 . Atua por ligação a receptores de células alvo. Vazamento de plasma para os tecidos. Compostos de baixo peso molecular que contêm um grupo amina. Também provoca quimiotaxia de neutrófilos Mediadores Lipídicos Lipooxigenase – Leucotrienos.

IL-3 e IL-5 promove m sua maturaçã o Contribue m para muitos processos patológico se alérgicos Estão presentes nos tecidos periféricos . TR. TGI. IL-5. IL13. IL-1.28/08/2011 Citocinas Incluem TNF. PAF e LTB4 também são quioatrativos Morte de parasitas Grânulos catiônicos Reações imediatas – onde são dominantes as respostas vasculares e do músculo liso aos mediadores Dano Tissular Eosinófilo Enzimas Reação de fase tardia – recrutamento de leucócitos e inflamação 6 . TGU As citocinas produzidas pelas células TH2 promovem seu recrutamento Liberam proteinas dos seus grânulos que são tóxicos e causam lesão tecidual Eosinófilos Não parecem ser sensíveis a ligação com IgE C5a. e vários fatores estimulantes de colônias granulócitos-monócitos (GMCSF) – responsáveis pela reação de fase tardia Permeabilidade vascular Broncoconstrição Aminas Biogênicas FcErI Mediadores Lipídicos Hipermotilidade intestinal Citocinas Mediadores Lipídicos Inflamação Enzimas Eosinófilos Abundan tes em reações de fase tardia GMCSF.

queda da pressão arterial. mastócitos e liberação de mediadores. absorção Ativa mastócitos em muitos tecidos – liberação de mediadores Diminuição do tônus vascular. ambos secundários a uma vasodilatação Anafilaxia  Presença de antígeno introduzido por injeção. hipermotilidade intestinal. 2 a 4 horas mais tarde Consiste em um acúmulo de leucócitos inflamatórios Mastócitos produzem citocinas que regulam para cima a expressão de moléculas de adesão de leucócitos (células Th2 e eosinófilos) Pode ocorrer sem reação de hipersensibilidade imediata precedente detectável (ex. edema de glote. lesões urticariformes na pele 7 . asma brônquica) Os indivíduos atópicos podem ter uma ou mais manifestações de doença atópica Formas mais comuns de doença atópica – rinite alérgica. extravasamento de plasma – diminuição da PA Constricção das vias aéreas. picada de inseto. notavelmente a histamina Doenças Alérgicas no Homem É seguida pela reação imediata. dermatite atópica e alergias alimentares Afeta 20% dos indivíduos nos EUA São doenças causadas por respostas imunes a antígenos ambientais que levam a diferenciação CD4+Th2 e produção de IgE Anafilaxia Reação de hipersensibilidade Imediata sistêmica que se caracteriza por edema em muitos tecidos.28/08/2011 Reação de pápula e halo eritematoso após injeção intradérmica de um alérgeno A reação de pápula e halo eritematoso é dependente de IgE . asma brônquica.

Como consequencia o aporte de oxigênio e nutrientes para as células é insuficiente e a depuração de metabólitos é inadequada. Terminação Motora na Myasthenia Gravis Tendem a ser sistêmicas 8 . A hipóxia induz ao aumento da produção de ácido láctico e acidose lactica. Antirecepto Anticorpos Acetilcolina As características patológicas refletem os locais de deposição dos complexos imunes. Hipersensibilidade Tipo II ou Mediada por Anticorpos • São produzidas por anticorpos que se ligam em células em particular ou tecidos extracelulares. secundária a redução do volume sanguineo.28/08/2011 Choque Anafilático Hipoperfusão disseminada. • São anticorpos da Classe IgM e IgG Hipersensibilidade Tipo II ou Mediada por Anticorpos Mecanismos Anticorpos opsonizam células ou ativam complemento ( ex: anemia hemolítica auto-imune) Anticorpos depositados nos tecidos recrutam neutrófilos e macrófagos (ex: glomerulonefrite mediada por anticorpos) Anticorpos que se ligam a receptores celulares normais (ex: Doença de Graves. A sua persistência leva a lesão irreversível e morte celular. Miastenia Grave) Reações transfusionais A transfusão de sangue ABO incompatível leva a reações citotóxicas mediadas pelo complemento Membrana Ataque Lise Osmotica +Ab + Complemento Complexo C3b Receptor C3b Receptor Fc Macrófago Fagocitose Disfunção celular mediada por anticorpos Miastenia grave Hipersensibilidade Tipo III Os complexos imunes podem ser compostos por antígenos próprios ou estranhos com anticorpos ligados.

Artreite Reumatóide. 2001. Ed.28/08/2011 Hipersensibilidade Tipo III  Os complexos antígeno anticorpo são pruzidos em RI normais mas causam doenças quando produzidos de forma excessiva  Pequenos complexos temdem a ser depositados nos vasos  Complexos contendo antígenos caiônicos se ligam a componentes negativamente carregados como membrana basal de vasos e glomérulos. mitsuda Lin T CD8 – podem levar a dono tecidual por morte das células infectadas. Manole. PPD. PETER. Artmed. 2008. ABUL K.  Protótipo – LES  Outro ex: Glomerulonefrite pós estreptococica. 3 .ABBAS. Teste de montenegro. IVAN. machado guerreiro. Ex: DM tipo 1. mesmo que o próprio virus não tenha efeito citopático 9 . Imunologia. 2.PARHAM. Ed. Imunologia celular & molecular. Ed. O sistema immune. Revinter. Esclerose múltipla.ROITT. 1999. vasculites Hipersensibilidade Tipo IV Os Linfócitos T causam lesão por desencadearem a reação do tipo tardio (Linf T CD4+ Th1) ou destruirem diretamente as células alvo (lin T CD8+) Ambos secretam IFN-Y que ativam macrófagos As células T que causam lesão tecidual podem ser autorreativas contra antígenos próprios e também antígenos proteicos estranho que estão presentes em células Hipersensibilidade Tipo IV A lesão tecidual decorre dos produtos de macrófagos ativados Referências Bibliográficas 1.