You are on page 1of 4

João Batista Vilanova Artigas

J. B. Vilanova Artigas nasceu em Curitiba, Paraná, em 1915, onde concluiu sua formação básica, transferindo-se para São Paulo para cursar a Escola Politécnica, onde se formou em 1937. Cursou, então, dois anos na Escola de Belas-Artes de São Paulo e em 1940 iniciou a carreira de professor na Politécnica. Ainda como estudante trabalhou no escritório de Osvalde Bratke e formado tornou-se construtor, realizando um grande número de obras pela firma Marone e Artigas. Vilanova Artigas é considerado de grande importância na arquitetura brasileira porque além de ter sido professor, foi um dos criadores da FAU. Em razão da sua formação da Escola Politécnica, aprofundou suas pesquisas na técnica de processos de projetação e construção no ramo da arquitetura. Influenciou na área da educação através de uma reforma curricular da FAU USP em que colocou no curso de arquitetura o desenho industrial e programação visual, a partir da crença de que profissionais deveriam participar ativamente no desenvolvimento de todos os processos industriais requeridos pelo projeto nacional-desenvolvimentista, atual então, no país. Sua arquitetura foi baseada em formas geométricas preliminares e o uso do concreto reforçado como estrutura. De embora suas idéias mudassem consideravelmente de seu primeiro período, manteve a continuidade do espaço e a mudança dos níveis, através da criação de grandes vácuos e o uso dos mezaninos ligados por inclinações, que criam um efeito dramático em seus edifícios. Em 1969, foi afastado da FAU e exilado por conta do regime militar vigente no país devido à sua ligação o com o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Em 1979, pelo processo de anistia instaurado no país, volta a lecionar na FAU USP onde foi professor da disciplina imposta pela ditadura militar: Estudos de Problemas Brasileiros. Porém, subvertia tal programa escolar levando à faculdade diversas personalidades do mundo artístico, político e cultural. Observamos então que as tendências de Artigas são presentes atualemente e portanto concluímos que o arquiteto ficava à frente de seu tempo idealizando a arquitetura moderna.

” Vilanova Artigas – SP. onde todas as atividades são lícitas. Portugal. Em Londrina: . O volume de concreto usado para construir o Estádio Cícero Pompeu de Toledo foi de 50 mil metros cúbicos.Como obras importantes temos. sem portas de entrada. em espaços dignos. 28 de junho de 1984. uma ponta ficaria em São Paulo e a outra em Lisboa. Se toda essa quantidade fosse soldada de ponta a ponta. porque os queria como um templo. principalmente: Em São Paulo: . com dois apartamentos de 150 metros por andar.A antiga estação rodoviária (hoje transformada em museu) . A quantidade de ferro usada chegou a 6 mil toneladas. atualmente padrão oficial no mundo todo.FAUUSP “Este prédio acrisola os santos ideais de então: pensei-o como a espacialização da democracia. Ou. . estaria coberta a distância entre São Paulo e Belo Horizonte.A sede da Faculdade de Arquitetura da USP . se colocados um ao lado do outro. na bitola 318. O consumo de sacos de cimento (400 mil unidades) corresponde a 3200 caminhões de seis toneladas carregados.O Estádio do Morumbi O Morumbi foi o primeiro estádio brasileiro a adotar traves arrendondadas. Daria para construir 90 prédios de 10 andares cada.

.O Cine Ouro Verde Em Curitiba: .Hospital São Lucas .. o pano de vidro. os pilotis e as formas curvas do terraço fazem parte dos exercícios corbusianos desta fase de sua carreira.A Casa da Criança A intersecção entre volumes puros.

filiado ao PCB (Partido Comunista Brasileiro). com a frente marcada em cor vibrante.br . Em síntese.Para alguns.wikipédia.www. Porém.“Vilanova Artigas” de João Masao Kamita .htm .pinheiros.Casa Vilanova Artigas Um exemplar da influência dos traços modernistas de Le Corbusier.Residência Niclievicz Bibliografia consultada: .br/city/morumbi/estadio. para muitos.com.g-arquitetura.com. apenas "um caixote de vidro e concreto".http://www. .com. a casa projetada pelo arquiteto.http://www. atualizada e modernizada pela visão de "um mestre" que soube "mixar em seus projetos arquitetônicos as convicções políticas e estéticas".. um vermelho queimado. na ótica dos especialistas.br/historicoartigas.html Acesso: 29/03/2011 CURSO DE ARQUITETURA BIANCA ATALLA DE SOUSA TURMA: 1AAQ . era quase uma subversão.“Tendências Atuais da Arquitetura Brasileira – Vilanova Artigas 1915/1985” .