VALEC

7.. 7

LEVANTAMENTO E AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS
7..1.. 71

METODOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO

A análise dos impactos ambientais decorrentes da implantação da Ferrovia 354 foi fundamentada em metodologia específica e de domínio usual, buscando-se identificar, qualificar e quantificar, quando passíveis de mensuração, os impactos a serem gerados nas fases de projeto, implantação e operação da ferrovia nas Áreas de Influência do empreendimento. A estruturação dessa metodologia desenvolveu-se a partir da análise integrada sobre os compartimentos ambientais considerando-se três etapas, a saber:  Etapa 1 – Identificação das ações geradoras de impactos ambientais e correlação entre cada uma das atividades previstas com os respectivos aspectos ambientais.  Etapa 2 – Identificação, Caracterização e Avaliação dos possíveis impactos ambientais.  Etapa 3 – Proposição de medidas e elaboração da Matriz de avaliação de impactos. A primeira etapa consistiu na identificação das ações potencialmente causadoras de prejuízos aos recursos naturais, tanto físicos e bióticos quanto socioeconômicos. Estas ações guardam estreita correspondência com as atividades de implantação e operação da ferrovia, e são variáveis dependentes, uma vez que se vinculam à natureza e ao porte dos mesmos. Uma vez definidos os fatores geradores, a avaliação de cada atividade foi feita considerando critérios como magnitude, abrangência, temporalidade e reversibilidade. A partir daí foi elaborada a matriz de identificação de impactos, que discrimina as ações correspondentes, correlacionando-os aos principais componentes ambientais suscetíveis aos efeitos dos empreendimentos, com base em reuniões

multidisciplinares com os especialistas das diversas áreas da engenharia e do meio ambiente, envolvidos efetivamente neste estudo. Dessa forma, a matriz de identificação de impactos tem como estruturação básica os componentes dos seguintes conjuntos de variáveis: de um lado as ações necessárias à implantação e operação e, de outro, os componentes ambientais referentes aos meios físico, biótico e socioeconômico, passíveis de sofrerem os efeitos dessas ações.

EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO - Vilhena/RO

7-1

VALEC
Considerando esse quadro, as organizações para o desenvolvimento da análise dos impactos basearam-se na ordem apresentada a seguir: (1) Conhecimento dos Empreendimentos e Atividades Previstas Nessa etapa, a equipe responsável pela elaboração deste EIA analisou os principais aspectos técnicos dos empreendimentos e os procedimentos construtivos elaborados para o desenvolvimento da obra, sendo identificadas todas as atividades previstas que implicassem potenciais alterações ambientais, constituindo, assim, as fases e ações do empreendimento. (2) Diagnóstico das Áreas de Influência/Seleção dos Elementos de Análise Nessa etapa foi realizada uma análise da caracterização e do diagnóstico das Áreas Diretamente Afetada e de Influência Direta, considerando os pontos de vista referentes às áreas de conhecimento relacionadas aos meios físico, biótico e socioeconômico, para então selecionar aqueles que poderão apresentar uma importância maior, em função do tipo de empreendimento proposto. (3) Definição de Critérios Foram adotados os seguintes critérios: Meio: Indica sobre qual meio – físico (F), biótico (B) ou socioeconômico (S) – o impacto irá surtir seus efeitos. Em alguns casos o impacto poderá afetar mais de um meio simultaneamente. Natureza: Indica quando o impacto tem efeitos benéficos/positivos (POS) ou adversos/negativos (NEG) sobre o meio ambiente. Forma: Como se manifesta o impacto, ou seja, se é um impacto direto (DIR), decorrente de uma ação do Empreendimento, ou se é um impacto indireto (IND), decorrente de outro ou outros impactos gerados diretamente ou indiretamente por ele. Fase de Ocorrência: Indica em que fase do empreendimento o impacto se manifesta, podendo ser nas fases de projeto (PRO), implantação (IMPL) e/ou operação (OPER). Abrangência: Indica os impactos cujos efeitos se fazem sentir no local (LOC) ou que podem afetar áreas geográficas mais abrangentes, caracterizando-se como impactos regionais (REG). Considerou-se como efeito local àquele que se restringe à Área Diretamente Afetada do Empreendimento e, regional, aquele que se reflete na Área de Influência Direta. Temporalidade: Diferencia os impactos segundo os que se manifestam

imediatamente após a ação impactante, caracterizando-se como de curto prazo (CP),

EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO - Vilhena/RO

7-2

VALEC
e aqueles cujos efeitos só se fazem sentir após decorrer um período de tempo em relação a sua causa, caracterizando-se como de médio prazo (MP) ou longo prazo (LP). Duração: Critério que indica o tempo de duração do impacto, podendo ser permanente (PER), temporário (TEMP) ou cíclico (CIC). Reversibilidade: Classifica os impactos segundo aqueles que, depois de

manifestados seus efeitos, são reversíveis (REV) ou irreversíveis (IRR). Permite identificar que impactos poderão ser integralmente reversíveis a partir da implementação de uma ação de reversibilidade ou poderão apenas ser mitigados ou compensados. Probabilidade: A probabilidade ou frequência de um impacto será Alta (ALT) se sua ocorrência for quase certa e constante ao longo de toda a atividade, Média (MED) se sua ocorrência for intermitente e Baixa (BAI) se for quase improvável que ele ocorra. Magnitude: Refere-se ao grau de incidência de um impacto sobre o fator ambiental, em relação ao universo desse fator ambiental. Ela pode ser de grande (GRA), média (MED) ou pequena (PEQ) magnitude, segundo a intensidade de transformação da situação pré-existente do fator ambiental impactado. A magnitude de um impacto é, portanto, tratada exclusivamente em relação ao fator ambiental em questão, independentemente da sua importância por afetar outros fatores ambientais. Importância: Refere-se ao grau de interferência do impacto ambiental sobre diferentes fatores ambientais, estando relacionada estritamente com a relevância da perda ambiental, por exemplo, se houver extinção de uma espécie ou perda de um solo raro, embora de pouca extensão. Ela é grande (GRA), média (MED) ou pequena (PEQ), na medida em que tenha maior ou menor influência sobre o conjunto da qualidade ambiental local. Significância: É classificada em três graus, de acordo com a combinação dos níveis de magnitude, importância, ou seja, pouco significativo (PS), significativo (S) e muito significativo (MS). Quando a magnitude ou a importância apresentar níveis elevados, o impacto é muito significativo; quando apresentar níveis médios, é significativo e, finalmente, quando a magnitude e/ou a importância são pequenas, o impacto poderá ter pouca significância.

EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO - Vilhena/RO

7-3

VALEC
Avaliação da Significância dos Impactos Potenciais
Magnitude Importância Grande Grande Média Pequena MS MS S Média MS S PS Pequena S PS PS

Convenções: MS - Muito Significativo; S - Significativo e PS - Pouco Significativo

7..2.. 72 7..2..1.. 721

DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS IMPACTOS SOBRE O MEIO FÍSICO

Fase de Anteprojeto e Projeto – Estudo do empreendimento da ferrovia Os impactos aqui relacionados referem-se aos efeitos esperados devido ao planejamento incorreto ou subdimensionado do projeto executivo do empreendimento na fase de anteprojeto. São eles:  Início ou aceleração de erosões: O desmatamento e limpeza em largura

excessiva na faixa de domínio na fase de estudo do projeto de Engenharia, provoca a excessiva exposição do solo, acarretando o escoamento superficial, transporte de partículas, erosão por queda d’água.  Assoreamento – Alteração no perfil do talvegue: A exposição do solo em

decorrência do desmatamento necessário para estudos do empreendimento gera um deslocamento de partículas devido ao impacto das gotas de chuva, ocasionando a incorreta deposição de material particulado em áreas críticas do projeto.  Aumento de ruídos e vibrações: O aumento do tráfego na fase de estudo do

projeto, provocará o aumento das vibrações e ruídos, que além de provocar a migração de certos animais locais, provocam, também, a desestabilização de algumas porções de rocha e/ou solo, podendo gerar deslizamentos e/ou quedas de material em locais sensíveis. As vibrações e ruídos excessivos em áreas habitadas provocam um incômodo ao bem estar da população local e pode gerar, também, rachaduras em paredes e movimentação indesejada de objetos.

EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO - Vilhena/RO

7-4

 Início ou aceleração de erosões: Projetos de sistemas de drenagens incompletos ou subdimensionados sem sistemas de proteção ou dissipação de energia podem provocar a erosão devido à incorreta exposição do solo. tornando-as irregulares e afetando a estabilidade do talude. arraste de partículas por percolação e arraste de partículas por fluxos concentrados em túneis e/ou dutos.OAE e similar. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . em sua fase inicial. solapamentos de base de taludes. Nesta fase é maior o risco de instabilização dos taludes.  Interrupção ou desvio do fluxo natural dos recursos hídricos: Durante o processo de construção de Obras de Arte Especial .  Assoreamento – Alteração no perfil do talvegue: A exposição do solo gera um deslocamento de partículas devido ao impacto das gotas de chuva.  Compactação das áreas envolventes à ferrovia durante a construção: A inobservância dos cuidados necessários às equipes de topografia. os cursos d’água são prejudicados pelo assoreamento e solapamentos nas margens. sendo diretamente ligados aos processos inerentes à execução das obras de apoio e propriamente às da ferrovia. as estabilizações de taludes de corte e aterro podem demandar serviços de escavação ou de deposição de grandes volumes de material terroso. que podem se movimentar antes que venham a ser adequadamente estabilizados.VALEC Fase de Implantação Os impactos a seguir observados estão relacionados à execução do projeto. principalmente durante eventos de chuvas intensas. provocando o escoamento superficial. sondagem. pelas águas pluviais até os sistemas de drenagem da ferrovia (valas. assoreando-os. caixa de empréstimo. ocasionando a incorreta deposição de material particulado em áreas críticas do projeto.  Acúmulo de águas com alagamentos indesejáveis: As alterações do uso do solo nas bacias interceptadas. erosão por queda d’água.  Entupimento do sistema de drenagem: Materiais terrosos decorrentes de escavação ou provenientes de jazidas de aterros podem ser carreados. sem o correto dimensionamento dos dispositivos de drenagem podem ocasionar inundações em áreas frágeis. transporte de partículas. etc.). movimento de massa localizado. como cruzamentos de rios. canaletas. alterando o traçado dos cursos d’água. jazidas. pedreiras  Instabilização de taludes e aterros: Frequentemente.Vilhena/RO 7-5 .

rachaduras em paredes e movimentação indesejada de objetos. bota-fora): A utilização de jazidas. pode provocar acidentes aos operadores. pode provocar a degradação pontual de áreas envolventes à ferrovia. instalação e detonação dos mesmos. forçando a abertura de nova. transporte. assim como o esgotamento prematuro dos recursos explorados. deslizamentos e alterações dos perfis das encostas. assim como o abandono de material potencialmente poluidor nessas áreas. durante a fase de construção dos dispositivos da ferrovia podem contaminar as águas superficiais e subterrâneas  Poluição do ar por material particulado: A formação de nuvens de poeira formadas pela passagem de máquinas sobre o solo seco. voluntário ou involuntário de graxas. podendo gerar deslizamentos e/ou quedas de material em locais sensíveis.  Alteração da qualidade de águas superficiais e subterrâneas: O despejo. são fatores de degradação presentes em áreas exploradas.  Degradação de áreas exploradas (jazidas. As vibrações e ruídos excessivos em áreas habitadas provocam um incômodo ao bem estar da população local e pode gerar. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . material particulado e outros. transportadores e transeuntes.VALEC análise de solo e água e das demais equipes envolvidas nas análises dos fatores físicos para a fase de projeto. também. canteiros. promovem a poluição do ar nas áreas de influência do empreendimento. assim como a formação de nuvens de gases provenientes da queima de combustíveis. também. que além de provocar a migração de certos animais locais. lixo. britagem e perfuração.Vilhena/RO 7-6 .  Acidentes decorrentes do transporte e manuseio de explosivos: A incorreta utilização de explosivos. óleos.  Alteração do perfil das encostas por queda de barreiras e deslizamentos: A falta de critério na qualidade dos estudos geotécnicos pode ocasionar o mal planejamento dos mecanismos necessários para se evitar as quedas. a desestabilização de algumas porções de rocha e/ou solo. caixa de empréstimos e bota-foras como depósito de lixo e materiais inservíveis. promovem a degradação ambiental das mesmas. provocam.  Aumento de ruídos e vibrações: O aumento do tráfego na fase de implantação do projeto provocará o aumento das vibrações e ruídos. A extração excessiva de material. direta ou indiretamente ligados a utilização desses explosivos. aliado aos riscos inerentes ao estoque. explosivos e outros. caixas de empréstimos.

a ferrovia encontrar-se-á construída e alterando a paisagem natural existente anteriormente. nas proximidades do rio Móia Mala. podendo provocar recalques ou desabamentos.  Aumento de ruídos e vibrações: Este impacto ocorrerá quando da operacionalização do trem. A única ocorrência deste tipo de relevo encontra-se no Município de Cocalinho.  Início ou aceleração de erosões: Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas. Cortes.  Alteração da qualidade de águas superficiais e subterrâneas: Este impacto pode ocorrer nesta etapa em caso de acidentes e derramamentos de resíduos em corpos hídricos.  Instabilização de taludes e aterros: Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas. desmatamentos.Vilhena/RO 7-7 . EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO .  Acúmulo de águas com alagamentos indesejáveis: Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas.  Alteração do perfil das encostas por queda de barreiras e deslizamentos: Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas.  Interferência com feições de ambientes cársticos: A importância da detecção de cavidades naturais ao longo da diretriz da ferrovia está primordialmente ligada aos problemas que poderão ser causados na estrutura da ferrovia. alterações nas declividades naturais e diversos outros fatores contribuem para a alteração da paisagem natural da área do empreendimento.  Entupimento do sistema de drenagem: Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas. Fase de Operação Os impactos levantados nesta fase dizem respeitos aos impactos inerentes ao funcionamento natural do empreendimento ou ao reflexo de problemas não solucionados na fase de projeto e execução que se apresentam durante a operação.  Assoreamento – Este impacto ocorrerá nesta etapa se o mesmo não for objeto de medidas de controle e corretivas. aterros. nivelamentos.VALEC  Alteração da paisagem natural: A partir da fase de implantação. terraplenagens.

 Alteração da paisagem natural: A partir da fase de operação. áreas exploradas durante a construção não recuperadas. causas e medidas relacionadas ao Meio Físico Início ou aceleração de erosões Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. terraplenagens. formação de “piscinas” em jazidas.VALEC  Entupimento do sistema de drenagem das margens dos rios associados à implantação de OAEs: A implantação de obras de arte especiais./Oper. a ferrovia encontrar-se-á construída e alterando a paisagem natural existente anteriormente. é maior a possibilidade de ocorrência de processos localizados (pontuais) de instabilização. contribuem para a alteração da paisagem natural da área do empreendimento. desmatamento em largura excessiva. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Planej. Impactos. alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. pedreiras. tem em seus projetos. desmatamentos. podendo provocar recalques ou desabamentos. a necessidade de escavações nas margens para implantação de pilares. em sua fase inicial. caixa de empréstimo. represamento em bueiros.  Interferência com feições de ambientes cársticos: A importância da detecção de cavidades naturais ao longo da diretriz da ferrovia está primordialmente ligada aos problemas que poderão ser causados na estrutura da ferrovia. aterros.Vilhena/RO 7-8 . Local Curto prazo Temporário Reversível Alta Média Grande Muito Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . nas proximidades do rio Móia Mala. A única ocorrência deste tipo de relevo encontra-se no Município de Cocalinho. Cortes./Implant. no entorno dos pontos escavados. alterações nas declividades naturais e diversos outros fatores. Nestas fases. nivelamentos. Limpeza em largura excessiva. subdimensionamento.

caixas detalhar de empréstimos. à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego. à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego. pedreiras. canteiros. desmatamento em largura excessiva. aperfeiçoar. no máximo. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas.VALEC Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . jazidas. Assoreamento – Alteração no perfil do talvegue Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. limitar o acampamentos. alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. caixa de empréstimo. no máximo. desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. Acúmulo de águas com alagamentos indesejáveis Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. levantamentos topográficos. jazidas. caixas detalhar de empréstimos. áreas exploradas durante a construção não recuperadas.Vilhena/RO 7-9 . Local Médio prazo Temporário Reversível Alta Grande Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. pedreiras. subdimensionamento. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas. prever recuperação de áreas exploradas. levantamentos topográficos./Implant. aperfeiçoar. alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. prever recuperação de áreas exploradas. limitar o acampamentos. subdimensionamento. Limpeza em largura excessiva. canteiros./Oper. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. áreas exploradas durante a construção não recuperadas. represamento em bueiros. formação de “piscinas” em jazidas. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Planej. desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. pedreiras.

desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. subdimensionamento. no máximo. pedreiras. caixas detalhar de empréstimos. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. jazidas. represamento em bueiros. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas. Limpeza em largura excessiva. à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego. formação de “piscinas” em jazidas. prever recuperação de áreas exploradas. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Pequena Pouco Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Instabilização de taludes e aterros Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. represamento em bueiros. Limpeza em largura excessiva. desmatamento em largura excessiva.Vilhena/RO 7-10 . alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. aperfeiçoar. áreas exploradas durante a construção não recuperadas. caixa de empréstimo. pedreiras. pedreiras. limitar o acampamentos. caixa de empréstimo.VALEC formação de “piscinas” em jazidas. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. levantamentos topográficos. canteiros. desmatamento em largura excessiva.

VALEC Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. pedreiras. jazidas. subdimensionamento. no máximo. alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. jazidas. pedreiras. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas. Limpeza em largura excessiva. à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. alterações de uso do solo nas bacias interceptadas. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas. canteiros. subdimensionamento. prever recuperação de áreas exploradas. levantamentos topográficos. aperfeiçoar. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . caixas detalhar de empréstimos. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Grande Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. prever recuperação de áreas exploradas. limitar o acampamentos. Entupimento do sistema de drenagem Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego. no máximo. canteiros. pedreiras. formação de “piscinas” em jazidas.Vilhena/RO 7-11 . desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. áreas exploradas durante a construção não recuperadas. áreas exploradas durante a construção não recuperadas. represamento em bueiros. desmatamento em largura excessiva. aperfeiçoar. caixas detalhar de empréstimos. levantamentos topográficos. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. caixa de empréstimo. Interrupção ou desvio do fluxo natural dos recursos hídricos Causas: Sistemas de drenagem incompletos sem dispositivos de proteção ou dissipação de energia adequada. desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. limitar o acampamentos.

jazidas. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Médio prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medidas Mitigadoras: Projetar / dimensionar de acordo com métodos conhecidos. caixa de empréstimo. levar em conta o uso futuro dos solos nas bacias interceptadas. desmatamento à largura necessária à implantação do corpo estradal. pedreiras. levantamentos topográficos. Limpeza em largura excessiva. prever recuperação de áreas exploradas.VALEC formação de “piscinas” em jazidas. represamento em bueiros. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . pedreiras. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medidas Mitigadoras: Elaborar plano de recuperação de áreas degradadas. aperfeiçoar. caixas detalhar de empréstimos. especificar cuidados executivos de proteção ambiental. desmatamento em largura excessiva. canteiros. Compactação das áreas envolventes à ferrovia durante a construção Causa: Atividades de construção. limitar a remoção da camada vegetal à largura delimitada pelos off sets mais 2 m para cada lado. limitar o acampamentos. no máximo.Vilhena/RO 7-12 . à insolação da ferrovia e à proteção do tráfego.

EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . colúvios. despejo dos esgotos sanitários em cursos d’água.VALEC Alteração do perfil das encostas por queda de barreiras e deslizamentos Causa: Não inclusão no escopo do estudo e projetos de contenção de taludes e encostas.Vilhena/RO 7-13 . Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Exigir contratualmente os cuidados necessários para que os efluentes não poluam o meio ambiente. e de fundações de aterros. conhecimento deficiente das condições geomecânicas dos solos. aumentando a exigência de qualidade dos estudos e projetos. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Grande Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Ampliação do escopo de trabalho dos projetos. Vazamentos de combustíveis. lubrificantes. ajustamento do traçado para evitar ou reduzir a passagem por zonas instáveis (tálus. Idem quanto ao lixo. asfaltos. xistosidade desfavorável). Alteração da qualidade de águas superficiais e subterrâneas Causas: Despejo de graxas e óleos das oficinas diretamente sobre o terreno.

especialmente em passagem por áreas habitadas./Oper. manter as caçambas dos veículos cobertas com lona durante o transporte de material. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto e Indireto Planej. Local Curto prazo Temporário Reversível Média Pequena Média Pouco Significativo Medidas Mitigadoras: Evitar trabalho noturno. Aumento de vibrações e ruídos Causa: Operação de máquinas em áreas habitadas. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO ./Implant.VALEC Poluição do ar por material particulado Causa: Formação de nuvens de poeira. em caso de tempo seco. controlar a emissão de ruídos dos equipamentos. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Planejamento e Implantação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medidas Mitigadoras: Umedecer os caminhos de serviços.Vilhena/RO 7-14 .

Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Alta Média Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Executar a exploração de acordo com as indicações do projeto e segundo os preceitos do Código de Mineração. bota-fora) Causa: Não recuperação após a exploração. manter permanentemente condições de escoamento das águas. reaproveitar. má localização dos paióis. Acidentes decorrentes do transporte e manuseio de explosivos Causa: Utilização de veículos inadequados para o transporte. má condução do veículo. não utilização ou utilização incorreta de equipamentos de segurança. caixas de empréstimos. condições precárias de escoamento das águas devido a drenagem insatisfatória. a terra vegetal removida na abertura.Vilhena/RO 7-15 . estradas ou caminhos de serviço em mau estado de conservação. canteiros. exploração de ocorrência virgem iniciada sem atender as recomendações do projeto. execução de conjunto de obra em sequência descompassada. Manuseio por pessoal pouco experiente. pessoal de transporte não preparado para tarefa. estoque conjunto de diversos tipos de materiais explosivos. evitando formação de poças e lama nas praças das ocorrências. na recuperação das ocorrências exploradas.VALEC Degradação de áreas exploradas (jazidas. mau posicionamento do equipamento de perfuração. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Vigilância não satisfatória.

treinar pessoal na utilização e utilizar equipamento de segurança. conservar caminhos de serviço. construir. dois paióis para armazenamento de material explosivo. em especial cordas e cintos de segurança.VALEC Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medidas Mitigadoras: Preparar o veículo para o transporte de explosivos. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Operação Local Médio prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medidas Mitigadoras: Os critérios especificados nas instruções técnicas de projeto devem ser obedecidos em relação à intervenção às margens do rio. Entupimento do sistema de drenagem das margens dos rios associados à implantação de OAEs Causas: Escavações nas margens para implantação de pilares. identificar o veículo com avisos ostensivos de transportes de explosivo. de preferência em encostas suaves. treinar motoristas. no mínimo. dever-se-á usar EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Estudar posição adequada para instalação do equipamento de perfuração. acolchoando a caçamba. localizar os paióis em área isolada. escorar. empregar pessoal treinado e experiente no manuseio e uso dos produtos.Vilhena/RO 7-16 . de pouco movimento. preparar plataformas.

VALEC sempre equipamentos leves ou até mesmo de operação manual nas áreas mais críticas. alterações nas declividades naturais. deverá ser minimizada a hipótese de redução da seção de escoamento do corpo d’água Alteração da paisagem natural Causas: Cortes. dimensionamento dos aterros sem considerar a presença das cavidades naturais. aterros. terraplenagens. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Permanente Irreversível Média Média Média Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . manutenção e limpeza do sistema Interferência com feições de ambientes cársticos Causas: Implantação da estrutura ferroviária sobre possíveis cavidades naturais cobertas. alem de diversos outros fatores contribuem para a alteração da paisagem natural da área do empreendimento. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Físico Negativo Direto Implantação e Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Alta Grande Grande Muito Significativo Medidas Mitigadoras: Implantar revestimento vegetal. desmatamentos. com recomendação de plantio espécies nativas de caráter cênico. nivelamentos.Vilhena/RO 7-17 .

e o aumento no fluxo do comércio e de pessoas. não acarreta necessariamente em exagerada perda e fragmentação de habitat. Os mosaicos de remanescentes naturais dentro da matrizes de áreas alteradas. ao longo das diferentes regiões e fitofisionomias.Vilhena/RO 7-18 . poderão influenciar indiretamente no aumento do desmatamento.. o crescimento desordenado da produção agrícola e industrial. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Direto e Indireto Implantação Regional Curto e longo prazo Permanente Irreversível Alta Grande Grande Muito Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Porém. decorrente da construção da ferrovia. dimensionamento do aterro considerando as cavidades naturais existentes. A fragmentação e perda de habitats que certamente acompanharão a instalação do empreendimento de forma permanente. 7. dos impactos e da degradação ambiental das regiões. A implantação de uma ferrovia. ainda permite a dinâmica de dispersão e fluxo gênico entre as várias comunidades de fauna e flora.. como em outros empreendimentos.VALEC Medidas Mitigadoras: Detecção pontual das cavidades e sua profundidade em relação ao aterro que será implantado. mesmo com a grande extensão territorial da EF 354.2.2. caracterizam-se como impactos negativos sobre a flora e fauna. com repercussão ao nível de todas as regiões. todos os tipos de vegetação e ambientes naturais remanescentes possuem um papel importante na manutenção da biodiversidade local. apesar do grau de alteração registrado para a área de influência do empreendimento. de alta significância. 722 IMPACTOS SOBRE O MEIO BIÓTICO Fragmentação e Perda de habitats. estes ainda têm papel fundamental na conexão entre as populações das espécies da flora e fauna que se distribuem ao longo de toda a região. Assim. Mesmo considerando que existe já um processo de degradação dos ecossistemas dos entornos das regiões do empreendimento em questão..

Portanto.Vilhena/RO 7-19 . devido à falta de informações dos moradores locais. Redução na diversidade de espécies da fauna e de ecossistemas Em casos específicos. 2000) abrangendo grandes extensões territoriais. pode levar algumas espécies de serpentes à extinção local. às grandes reservas ou áreas protegidas adjacentes. recomendamos a implantação de Unidades de Conservação de Uso Indireto (SNUC. se considerarmos que algumas plantas e animais podem estar intimamente relacionados aos ambientes locais específicos. algumas espécies vegetais e animais se extinguem localmente em função de impactos indiretos advindos da maior presença humana. o empreendimento acarretará na redução na diversidade de ecossistemas e. sofrem perseguições das pessoas que sentem medo delas. Este constitui-se num impacto negativo de alta significância. mesmo as que não são peçonhentas. que poderá repercutir à níveis regionais. pois estas são mortas por moradores que não se sentem seguros com sua presença. Esta medida mitigadora é fundamental para minimizar a perda de diversidade biológica. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Direto e Indireto Implantação Regional Curto e longo prazo Permanente Irreversível Alta Grande Grande Muito Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . As espécies de serpentes. e só pode ser efetivada através de novas frentes de ações submetidas a medidas de controle ambiental para as regiões. a expansão rural e urbana em direção aos ambientes naturais. e principalmente. Como medida mitigadora e compensatória das perdas de habitat e das fragmentações originadas pela instalação do empreendimento. por exemplo. De forma inevitável. conectando as regiões em bom estado de conservação dentro das áreas de influência direta e indireta. por consequência.VALEC Medidas mitigadoras: A efetiva recuperação e preservação das áreas de preservação permanente das regiões é uma medida mitigadora essencial. das espécies da flora e da fauna.

Estes programas poderiam ser direcionados para avaliação do status de conservação de “espécies-chaves” e aqueles considerados ameaçados a nível mundial. “trombas d’água” e cheias que comprometem árvores e margens. esgotos clandestinos. captação irregular de água. uso de agrotóxicos e áreas circunvizinhas. manejo.Vilhena/RO 7-20 . São inúmeros os impactos advindos da pressão antrópica sobre os recursos naturais remanescentes na região: drenagem e degradação excessiva das nascentes. As estradas existentes na região promovem a compactação do solo e do processo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO .VALEC Medidas mitigadoras: A mitigação deste impacto de redução na diversidade de ecossistemas e de espécies torna-se impossível com a realização do empreendimento. Este estudo permitiria a definição de ações e estratégias de conservação para a região do empreendimento em questão. Tal programa seria realizado. e. além da ausência de gestão responsável. presença acentuada de espécies exóticas e animais domésticos. bem como. contaminação de corpos hídricos. presença de cascalheiras. segurança e fiscalização. da proliferação de zoonoses e dos casos de acidentes com animais peçonhentos. através de levantamentos e estimativas populacionais das “espécies-chaves”. caça e coleta de animais silvestres que visam o tráfico. seriam alvos de pesquisa os recursos alimentares e reprodutivos utilizados. atropelamento de animais silvestres. propõe-se a adoção de programas de monitoramento para as regiões do empreendimento. A colonização de regiões próximas às áreas de preservação traz como consequência o aumento da atividade cinegética (caça). da presença de espécies exóticas. por um período mínimo de dois anos (frequência mensal). a tendência é que a ocupação rural e a malha urbana se expandam e exerçam ainda mais pressão sobre os recursos naturais. Aumento de pressão antrópica sobre os recursos naturais dos remanescentes e áreas de preservação Com a instalação do empreendimento na região estudada. extrativismo vegetal predatório. poluição. Além das estimativas de densidades. invasões clandestinas recentes. desmatamentos. tráfego intenso e desproporcional de veículos. visando à identificação visual e registros fotográficos e fonográficos nos remanescentes naturais presentes. As consequências desta elevada pressão antrópica resulta na redução na diversidade de ecossistemas e de espécies de fauna e flora. espécies endêmicas e raras associadas aos ambientes originais das regiões. Como medida de compensação ambiental. também. os tipos fitofisionômicos e de micro-habitats associados por todas as espécies consideradas. elevada frequência de incêndios florestais. despejos de resíduos. erosão e compactação de solo.

são portas de acesso para a ocorrência de outros processos impactantes. É alta a probabilidade de potencialização deste impacto negativo advindo da presença humana. Facilitação ao tráfico ilegal de animais silvestres Entre os efeitos da implantação e operação do empreendimento. que diminui a oferta de alimento.VALEC erosivo. especialmente serpentes. várias espécies de aves e alguns répteis. criados domesticamente como “pet”. de espécies chaves para variados animais. mas a fauna sofre com o impacto do extrativismo vegetal. A expansão rural e urbana incentivada pela instalação do empreendimento trará consigo o aumento de pressão antrópica sobre os recursos naturais presentes nos remanescentes e áreas de preservação permanentes da região.Vilhena/RO 7-21 . como fogo. caracterizando-se como de abrangência regional e grande magnitude. lixo e extrativismo. não só a flora. e o consequente aumento demográfico. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação/Operação Local Longo prazo Permanente Reversível Alta Grande Grande Muito Significativo Medidas mitigadoras: Como medida de compensação ambiental. Isto inevitavelmente acentuará o estado crítico de conservação dos remanescentes naturais da área de influência do empreendimento. como: macacos. em especial. Também. propõe-se o Plano de Gestão e Supervisão Ambiental buscando evitar ou mitigar as conseqüências dos impactos provocados. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Além disso. tendo a reprodução comprometida pela retirada de ovos e filhotes dos ninhos. está o estímulo de coleta ilegal de várias espécies da fauna de valor comercial.

e extinção de espécies local. que servem como alimento. Algumas destas espécies.Vilhena/RO 7-22 . que possuem couros apreciados no mercado. à extinção local das espécies mais visadas (Fragoso et al 2000). Por fim. Como exemplos de espécies de répteis de valor cinegético. intensificar a fiscalização ambiental nas áreas de maior pressão demográfica. servindo para acompanhar especificamente as populações das espécies de valor comercial nas regiões. declínio de populações vegetais e animais. devem estar em processo de extinção local em função da descontrolada pressão de caça. além de grandes lagartos e serpentes. que certamente eram presente nos ambientes originais. O sugerido monitoramento de fauna também auxiliaria nesta tarefa de vigilância. É bastante comum encontrar arapucas e armadilhas em remanescentes naturais entremeados nas zonas rurais e urbanas. inclusive. além de animais utilizados no mercado de “pet”. Intensificação da pressão de caça Um aumento demográfico humano sempre traz consigo como impacto indireto e advindo um aumento da caça ilegal. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . em conjunto com o IBAMA e os outros órgãos ambientais locais. Também são fundamentais ações de educação ambiental com vistas a sensibilizar as comunidades quanto à perda de diversidade biológica.VALEC Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação e Operação Regional Longo prazo Permanente Reversível Alta Pequena Grande Significativo Medidas mitigadoras: O tráfico ilegal de animais silvestres muito provavelmente será intensificado com a instalação do empreendimento em questão. podem ser citados os jacarés e as tartarugas. Serão essenciais medidas mitigadoras de fiscalização e coibição destas práticas ilícitas. com magnitude média a nível local. Esta pressão afeta as populações de animais utilizados. de forma negativa e permanente sobre a fauna nativa. o que pode levar à redução populacional e.

Estas espécies exóticas geralmente excluem por competição as nativas remanescentes e acabam alterando ecossistemas que podem se tornar instáveis. trabalhadores.Vilhena/RO 7-23 . cavalos. os componentes ambientais históricos (evolutivos) ou sociais. a conservação de paisagens são altamente influenciadas pela presença de animais domésticos. e ainda. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação e Operação Local Curto e Longo prazo Permanente Reversível Média Grande Grande Muito Significativo Medidas mitigadoras: Devem ser tomadas iniciativas pelos poderes públicos que visem: 1) promover esforços de controle e fiscalização da caça e captura de animais silvestres. etc.VALEC O empreendimento em questão possui grande probabilidade de potencializar a pressão de caça. com magnitude média para a fauna local. por longo prazo. bem como. Os habitats modificados resultantes da progressão rural e urbana proporcionado pela implantação da ferrovia sobre ambientes naturais criam paisagens favoráveis a espécies exóticas de plantas. a caça direta de animais silvestres por cães e gatos.). a competição por recursos alimentares. Incremento à densidade de animais domésticos e exóticos A conspicuidade e abundância de animais silvestres. em todas as escolas e associações das regiões. animais e outros organismos. sejam eles de criação (gado. como a disseminação de doenças. a modificação das fitofisionomias com a abertura de trilhas e clareiras. nutridos de vetores de doenças ou incapazes de suportar. galinhas. e 2) desenvolver projetos de educação ambiental com ênfase em conservação de animais para as comunidades rurais e urbanas. Animais domésticos provocam distúrbios. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . bem como. caracterizando-se como um impacto negativo e permanente. ou de estimação (gatos e cachorros).

2) a implementação de programa de educação ambiental junto às comunidades urbanas e rurais da região do empreendimento. afugentamento. 2002).Vilhena/RO 7-24 . ficando atrás apenas da perda de habitat (CBD. pess. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . IBAMA). Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação Local Longo prazo Permanente Reversível Média Pequena Grande Significativo Medidas mitigadoras: São recomendadas como medidas de prevenção e mitigação: 1) ações de controle de animais domésticos por parte das autoridades competentes (Vigilância Sanitária. é grande a probabilidade do empreendimento em questão elevar a densidade de animais domésticos e exóticos para as áreas legalmente protegidas (áreas de preservação permanente). Historicamente. gatos domésticos e gado têm acompanhado a colonização de novas áreas pelo homem. Esses animais são responsáveis por fatores como aumento da competição. pela Convenção da Diversidade Biológica. Tal impacto é de grande importância. Espécies invasoras competem diretamente com as espécies nativas por recursos e podem ampliar muito sua distribuição.VALEC Um impacto diretamente relacionado à ocupação humana é o aumento do número de animais domésticos e exóticos. predação. Saúde Pública. com. entre outros problemas. pois as invasões de espécies exóticas são consideradas atualmente. Assim. disseminação de doenças para os animais nativos. espécies como cães domésticos. como o segundo principal fator responsável pela redução de biodiversidade no mundo. Cães domésticos representam uma ameaça à fauna em importantes unidades de conservação.). permanente e significante para a fauna das regiões. como o Parque Nacional de Brasília (Marinho-Filho. Este será um impacto negativo.

em vistas ao aumento da susceptibilidade a doenças letais que tem animais silvestres como hospedeiros.Vilhena/RO 7-25 . reversível. Este impacto pode ser considerado grave em função do risco para saúde pública das regiões. como também as demais populações de animais e plantas. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação e Operação Local Longo prazo Ciclico Reversível Média Pequena Grande Significativo Medidas mitigadoras: Em relação à vigilância e prevenção dessas doenças. gerando preocupação às autoridades responsáveis pela Saúde Pública de todo o país. o que favorece o incremento de algumas populações de animais e plantas exóticas. 2) do aumento de pressão antrópica sobre os remanescentes e 3) do acréscimo na ocorrência de animais domésticos nestes ambientes. a proliferação de zoonoses apresenta-se como um impacto negativo com probabilidade real de ocorrência nas regiões. pois um eventual plano de controle e prevenção poderia estabilizá-lo com o tempo. Estas necessitam de controle para evitar doenças que afetam não só os seres humanos. em função: 1) da maior proximidade humana aos ambientes naturais das áreas de preservação permanente. são recomendadas como medidas preventivas: EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . A alteração nos ecossitemas traz como consequência a formação de novos habitats e a queda na abundância de predadores naturais.VALEC Proliferação de zoonoses A presença humana subsequente à implantação do empreendimento em questão também acarretará numa maior probabilidade de proliferação de zoonoses. cíclico por ser condicionado aos eventos sazonais de dispersão dos vetores com maior risco de disseminação das doenças. como a Malária. a Febre Amarela e a Dengue. Por se tratar de questão de saúde pública. entre elas vetores de zoonoses. porém.

e significativo. 3) priorizar o desenvolvimento sócio-econômico regional EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Este serviria para antecipar o diagnóstico e a provável ocorrência dessas doenças em espécies silvestres da região. Acréscimo do risco de queimadas descontroladas A ocupação humana e o desmatamento decorrente da instalação do empreendimentos em questão têm grande probabilidade de aumentar o risco de queimadas descontroladas sobre os ambientes naturais da região. com o perfil dos proprietários. no Plano Básico Ambiental junto aos poderes públicos locais e regionais. sintomas. 2) o estabelecimento de programas de educação ambiental e divulgação de alternativas ao uso do fogo na agricultura. 2) A realização de atividades educativas na prevenção dessas doenças nas escolas e associações regionais. propõe-se como medida preventiva um Plano de Ação para o Controle da Malária aos moradores.Vilhena/RO 7-26 . prevenção e consequências das doenças.VALEC 1) A realização de um diagnóstico. Ainda para minimizar este impacto de proliferação de zoonoses. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação e Operação Local Curto e Longo prazo Cíclico Reversível Média Pequena Grande Significativo Medidas mitigadoras: Como medida de mitigação deste impacto. sugere-se incluir estratégias de prevenção de incêndios florestais. buscando informações sobre a atual situação da Dengue. cíclico (restrito ao período de estiagem). entre elas: 1) a criação de um cadastro ambiental de terras. a partir de visitas domiciliares. indireto. Malária e Febre Amarela em áreas naturais das regiões. em conjunto a elaboração e distribuição de material informativo aos moradores da região. para maior controle e fiscalização de queimadas criminosas. buscando dados para contribuição no que diz respeito à saúde pública da região. oficinas locais para discussão do tema e meios de comunicação em massa. Divulgação pública a respeito das causas. Este caracteriza-se como um impacto negativo.

espécies de mamíferos e répteis como serpentes. grandes lagartos e anfíbios. os quais estão mais familiarizados com as minúcias geográficas locais e os riscos esperados.VALEC através de modelos sustentáveis. canais de passagem de animais em florestas e rios. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . e por fim 2) projetos de educação ambiental com ênfase em conservação de animais para as comunidades rurais e urbanas.ex. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Biótico Negativo Indireto Implantação Local Médio Prazo Temporário Reversível Alta Média Média Significativo Medidas mitigadoras: Num eventual Programa de Monitoramento e Mitigação de Atropelamento de Fauna. p. 5) formar e capacitar brigadas de incêndios temporárias em pontos estratégicos. A utilização de brigadas temporárias vem sendo implantada com relativa eficiência em diversos estados brasileiros pelo Programa de Prevenção a Incêndios (PREVFOGO/IBAMA). através do uso e valorização de recursos humanos oriundos das comunidades locais. devem ser tomadas iniciativas junto ao poder público referentes à: 1) tomada de medidas que objetivem redução do número de atropelamento de animais silvestres.: instalação de ¨quebra-molas¨ em pontos críticos. Várias espécies são frequentemente atropeladas nas estradas: em especial. Parte da eficácia destas ações deve-se à maciça inclusão de integrantes das comunidades regionais.Vilhena/RO 7-27 . Aumento da incidência de atropelamentos de animais silvestres O tráfego de veículos intensificado em decorrência da implantação do empreendimento potencializam a incidência de atropelamentos de animais silvestres. 4) fomentar e estruturar unidades locais de combate a incêndios vinculados aos órgãos públicos e. durante os períodos mais críticos.

A oferta de empregos irá beneficiar os trabalhadores da região de influência do empreendimento. uma queda no índice de desemprego e aumento da renda individual e familiar dos trabalhadores. Nesse cenário. combustíveis. alimentação. Em complemento. O aumento da renda tende a gerar melhoria da qualidade de vida familiar.Vilhena/RO 7-28 . caracterizado como sendo de grande magnitude no contexto socioeconômico regional. por exemplo.2. A geração de empregos representa um relevante benefício social. dado o fundamental efeito multiplicador deste setor. diversas obras viárias estavam em fase de implantação. Esse dinamismo não se restringe ao setor agropecuário. mas faz parte de uma cadeia que agrega outros setores da economia. sendo de ocorrência certa.. A região estudada. Esse impacto positivo propicia. 723 IMPACTOS SOBRE O MEIO SOCIOECONOMICO Geração de emprego e renda A implantação de ferrovias é um empreendimento com elevado grau de geração de empregos. sobretudo nos setores já mencionados de apoio ao empreendimento. através de maior acesso aos bens de consumo. a geração de novos empregos é importante para a consolidação de diversos setores econômicos. sobretudo para os cargos que necessitam de pouca qualificação. ainda deve-se mencionar a geração de empregos indiretos. de imediato. gerando renda familiar e incrementando a economia local.VALEC 7. Os postos de trabalho ofertados concentram-se especialmente em mão-deobra de operários. embora também sejam gerados empregos especializados. No momento da pesquisa de campo. como o de construção civil e aqueles considerados de apoio ao empreendimento – transporte. considerada como mão-de-obra não qualificada ou semiqualificada. especialmente a grande área produtora de grãos no Mato Grosso caracteriza-se pelo dinamismo econômico do setor agropecuário. verificou-se que muitos operários eram moradores da região.. dentre outros.3. embora de difícil quantificação. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO .. Em conversas informais com as prefeituras e com os trabalhadores das obras. como o de serviços. máquinas e equipamentos. Os municípios das áreas de influência direta e indireta certamente dispõem de grande parte do contingente necessário para os cargos e postos de trabalho gerados pela implantação da EF 354.

Uma vez que o empreendedor prioriza a mão-de-obra local. Dessa forma. Prefeituras. a mão-de-obra local deverá ter preferência na contratação pelas empresas responsáveis pela implantação da EF 354. vestuários. os municípios podem se tornar parceiros e não concorrentes quando se trata da oferta de postos de trabalho. bem como setores de serviços (restaurantes. ONGs e órgãos públicos. Outra medida para potencialização desse impacto são os cursos de treinamento e outras qualificações que a mão-de-obra contratada porventura venha a ter no decorrer da obra e no momento da dispensa. por esse motivo. o impacto positivo poderá ser potencializado. por consequência. O treinamento da mão-de-obra permite que o trabalhador procure empregos mais qualificados e.VALEC Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Positivo Indireto Implantação Regional Médio prazo Temporário Reversível Alta Grande Média Muito Significativo Medida potencializadora: A medida que poderá ser tomada para potencializar esse impacto positivo é o registro de mão-de-obra qualificada e não qualificada de trabalhadores residentes e de pequenas empresas localizadas nos municípios da Área de Influência Direta e Indireta. materiais de construção e reparação. móveis. calçados. em parceria com associações comunitárias. Dessa forma. com melhor remuneração. lazer) os quais serão diretamente beneficiados ao longo da execução das obras. farmácias). Esse registro poderá ser um dos itens do Programa de Comunicação Social. Incremento da economia regional A geração de empregos e a respectiva massa salarial a ser auferida pelos trabalhadores vão beneficiar vários setores econômicos locais e regionais. com ênfase as atividades de comércio (alimentação. lanchonetes. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . consegue evitar o incremento de custos originados pela transferência de trabalhadores de outras regiões e.Vilhena/RO 7-29 . eletroeletrônicos e utensílios do lar.

Isso permitirá aos governos locais dispor de mais recursos para investir em educação. Além dos que estão instalados. A intensificação do EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . do empreendedor e também dos empreiteiros responsáveis pela construção civil da importância de se valerem de estabelecimentos localizados nos municípios da área de influência do projeto para o suprimento das suas necessidades. mais próximos do traçado.Vilhena/RO 7-30 . saúde e infra-estrutura. Interferência no fluxo de veículos e pedestres e modificação da malha viária As atividades necessárias para implantação da ferrovia exigirão a movimentação de veículos leves e pesados bem como o transporte de máquinas e equipamentos geralmente necessários à execução de obras civis de tal porte. os quais possuem infra-estrutura regular e boa de atendimento de serviço e comércio. com a consequente melhoria no bem-estar da população. Considerando o trecho.salários e investimentos .nas atividades econômicas locais e regionais também contribuirão para o aumento da arrecadação de impostos.VALEC Nas estradas de acesso ao trecho projetado já existe a presença de estabelecimentos comerciais. aumentando a oferta de serviços públicos. poderá haver incentivo para a instalação ou reativação de outros. beneficiando e incentivando dessa forma as atividades produtivas e de serviços locais e regionais. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Positivo Indireto Implantação Regional Médio prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medida potencializadora: Uma das medidas apropriadas para potencializar os efeitos benéficos sobre as atividades econômicas locais e regionais consiste na ampla conscientização dos trabalhadores da obra e de suas famílias. Na região produtora de soja. existem municípios localizados de maneira quase equidistante. esse setor apresenta excelente qualidade e variedade. especialmente aqueles ligados ao setor de alimentação. para atendimento dos trabalhadores da obra. É necessário lembrar ainda que a injeção desses recursos financeiros .

VALEC tráfego de veículos lentos e máquinas de grande porte representa um aumento do fluxo. a fim de não prejudicar o trânsito dos usuários das mencionadas vias. é importante que já na fase de construção sejam tomadas as medidas necessárias para que não haja interferência significativa com os usuários das vias. principalmente ao considerarmos as comunidades próximas ao empreendimento. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . as estradas seccionadas pela ferrovia e as sedes comunitárias.Vilhena/RO 7-31 . aço. portanto o fluxo pode ser lento em determinados locais e períodos. lastros. o fluxo deverá retornar aos patamares anteriores. um impacto adverso e temporário que prejudicará a qualidade de vida dos usuários das rodovias e estradas vicinais próximas ao empreendimento. A implantação da ferrovia também intercepta de forma permanente outras vias de circulação de veículos e pessoas. sendo necessário o equacionamento dessa interferência. dormentes. combustíveis) necessários às obras civis. Uma vez que os veículos lentos e as máquinas de grande porte sejam inseridos no escopo da obra. ampliando-se o tráfego apenas com a movimentação temporária (fase de construção) de caminhões necessários para o transporte de insumos (ferro. trilhos. brita. cimento. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação/Operação Local Curto prazo Permanente Reversível Alta Média Média Significativo Medida Mitigadora e/ou Compensatória Em relação ao impacto temporário de afluxo de veículos. Esse impacto é relevante. Grande parte do movimento da região está associado às atividades agropecuárias.

Na fase de projeto. é necessário dimensionar e equacionar as formas de intersecção permanente da ferrovia com as vias existentes. A preocupação com acidentes entre veículos.VALEC Foto 7-1– Transporte de gado em rodovia no Mato Grosso A minimização desse transtorno também deverá contar com um amplo serviço. Outro aspecto desse impacto negativo abrange o risco de acidentes com animais domésticos. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Ocorrência de acidentes A circulação de veículos e de maquinário necessário para a implantação do empreendimento poderá causar acidentes e atropelamentos. mas teve considerável peso entre os representantes das Prefeituras.Vilhena/RO 7-32 . através da implantação de Programa de Comunicação Social para informar. esclarecer e orientar a população humana residente ao longo do traçado de implantação do projeto sobre as implicações da implantação da ferrovia. transeuntes figurou em poucas entrevistas realizadas. envolvendo os trabalhadores da obra e a população residente nas Áreas Diretamente Afetada e de Influência Direta. uma vez que a ferrovia tangencia alguns assentamentos e comunidades.

Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação/Operação Local Curto prazo Temporário Reversível Alta Média Média Significativo Medida Mitigadora e/ou Compensatória Durante a fase de construção haverá aumento do fluxo de veículos leves e pesados. A disposição e o acúmulo desses detritos e efluentes em locais inadequados contribuem para a possível proliferação de vetores de doenças. Alteração da qualidade de vida da população A instalação e utilização do acampamento pelos trabalhadores e os serviços específicos da obra geram alterações inerentes nas pequenas aglomerações. contornos. bem como para a poluição dos córregos da região. além da movimentação de máquinas e equipamentos necessários à implantação do empreendimento. em especial nas imediações de escolas. perigo. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . ● cuidados especiais deverão ser adotados para locais de maior movimentação de pessoas. máquinas e equipamentos de grande porte. ● adoção de normas para a redução de velocidade em pontos críticos que representam potencial de ocorrência de acidentes. dentre elas: ● orientação aos motoristas para a condução e procedimentos adequados no tráfego de veículos. como a produção de detritos orgânicos. desvios.VALEC A posse responsável de animais domésticos pode ser um dos itens a ser abordado pelo Programa de Comunicação Social. como ratos e insetos. Para minimizar os transtornos temporários devem ser adotadas medidas adequadas à interferências dessa natureza. químicos e efluentes sanitários. ● sinalização adequada quanto a situações de risco. fato esse que irá apresentar transtornos temporários para os moradores ao longo do traçado previsto para a ferrovia. recicláveis.Vilhena/RO 7-33 .

aglomerados urbanos e rurais e sedes municipais. excetuando-se as sedes urbanas. presente na maioria das atividades da fase de implantação do projeto resulta em problemas de saúde da população do entorno da obra. A implantação do Programa de Comunicação Social. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação Local Curto prazo Temporário Reversível Média Média Pequena Significativo Medida Mitigadora e/ou Compensatória Para este impacto é necessária a adoção de medidas mitigadoras.VALEC Esses problemas podem acarretar no comprometimento da saúde da população da Área Diretamente Afetada e de Influência Direta. com a remoção periódica dos detritos gerados pela obra e pelos trabalhadores. o empreendedor também poderá evitar situações de conflito e avaliar constantemente quais os incômodos causados pela obra. sendo observados os horários normais de funcionamento das máquinas. A grande maioria dos entrevistados se mostrou bastante preocupada com os incômodos sonoros. Vale observar que os locais para disposição dos resíduos sólidos. os quais interferem com a qualidade de vida da população. Através do contato com as comunidades. estão se adaptando aos parâmetros exigidos para obras com essa finalidade. especialmente próximo à escolas. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . que deve estar dentro dos padrões técnicos exigidos. na maioria das cidades do trecho. As obras de implantação podem acarretar no incômodo sonoro da população das Áreas Diretamente Afetada e de Influência Direta. na fase de operação da ferrovia. com manutenção periódica do maquinário. Em relação a poluição sonora é necessária a adoção de algumas medidas. postos de saúde. através do qual a população tenha facilidade para se comunicar com o empreendedor pode auxiliar no processo.Vilhena/RO 7-34 . bem como o acompanhamento da disposição dos mesmos em aterros sanitários adequados. A poluição atmosférica.

porém. Afluxo populacional para a região A geração de postos de trabalho associada ao dinamismo da economia local tende a gerar afluxo populacional para a região. para evitar a deposição de resíduos. ocorrência de DST. saneamento básico) e aumento da violência urbana. doenças endêmicas e epidêmicas. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . pois essa mobilidade não é planejada. divulgando imediatamente o preenchimento dos quadros funcionais em locais apropriados para tal. Esse impacto tem como prováveis consequências: pressão por moradia popular. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Indireto Implantação Regional Médio prazo Temporário Reversível Média Média Média Significativo Medida Mitigadora e/ou Compensatória A contratação de mão-de-obra local poderá ser uma medida que mitigue esse impacto. Cabe salientar que esse tipo de afluxo é comum em obras desse porte representando. ocorrência de ocupações irregulares. não sendo necessária a contratação de mão-deobra de pessoas de outros municípios. restringindo o afluxo para a região uma vez que os municípios já possuem esse contingente de trabalhadores. saúde. Os trabalhadores deverão se submeter a exames admissionais.Vilhena/RO 7-35 . demissionais e periódicos para detecção de qualquer tipo de doença. com monitoramento constante. As empresas construtoras deverão priorizar a mão-deobra local. um impacto negativo. Entretanto é importante ressaltar que os municípios envolvidos já dispõem de parte desse contingente de trabalhadores. ampliação das demandas por serviços sociais (educação.VALEC Deverá ocorrer um controle efetivo dos principais vetores de doenças. inclusive nas propriedades ao longo do traçado.

priorizado desde a década de 50. especialmente para a região em estudo. dentre outros que ameaçam ao direito constitucional de reprodução física e cultural dos povos indígenas. O setor de infra-estrutura de transportes está aquém do potencial produtivo. também é um dos impactos positivos da obra. supressão de matas utilizadas na coleta. cuja produção figura entre as principais do mundo.VALEC Implantação de sistema ferroviário de transporte O impacto positivo mais significativo desse empreendimento é a própria implantação da Ferrovia Integração Centro Oeste . EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . sobre a finalidade de implantação da obra. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Positivo Direto Operação Regional Longo prazo Permanente Irreversível Alta Grande Média Muito Significativo Medida Potencializadora A medida potencializadora para esse impacto positivo é a divulgação de informações de modo sistemático nos principais veículos de comunicação.FICO. nas quais vivem cerca de 12 mil pessoas de várias etnias. na forma de ações mitigadoras e compensatórias. possível contaminação de solos e água. Interferências com Comunidades Indígenas. aumento de ruído e poluição sonora. a possibilidade de barateamento dos insumos. transportados pela região via ferrovia. Os impactos da construção da ferrovia vão desde alterações da paisagem. não pode ser considerado mais adequado num país de proporções continentais como o Brasil. São 29 Terras Indígenas na AID. Algumas propostas gerais e outras de aplicação mais restrita a cada povo e suas respectivas Terras Indígenas serão a seguir apresentadas. As Terras Indígenas afetadas pela ferrovia são habitadas por povos cultural. afugentamento da fauna. Além do escoamento da produção. política e linguisticamente muito diferenciados entre si.Vilhena/RO 7-36 . O discurso dos representantes de todas as prefeituras visitadas reflete a disparidade entre produção e escoamento. O modal rodoviário.

realização de documentários sobre o modo de vida tradicional. em parceria com EMBRAPA. Criar carteira de projetos.Vilhena/RO 7-37 . Suas atribuições serão as de promover estudos.VALEC Propostas gerais (ações mitigadoras):  De início deve ser enfatizada que a criação de um “Programa de Apoio às Comunidades Tradicionais” é imprescindível. Com isso evita-se a perda de auto-estima étnica. articulações inter-institucionais (federais. o empreendedor deverá dar apoio a projetos de vigilância e proteção territorial: colocação de placas sinalizadoras nos limites indicando tratar-se de Terras Indígenas (cuja propriedade é da União). EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . para a criação de Unidades de Conservação contíguas às Terras Indígenas para formação de corredores bioculturais. no âmbito do “Programa de Desenvolvimento de Comunidades Indígenas”. facilita a oferta de elementos materiais e simbólicos estranhos às culturas indígenas que podem interferir sobre suas dinâmicas internas e identidades culturais. É provável que a ferrovia servirá como estímulo a novas frentes de colonização e povoação do “interior do país”. a exemplo do premiado projeto desenvolvido junto aos Krahô. produção de artesanato. estaduais e municipais. aplicação e monitoramento de medidas para lidar com os impactos socioambientais. com novas ameaças à integridade territorial e ao controle indígena sobre suas terras. Por exemplo: segurança alimentar (plantio de frutíferas. Aumento dos desmatamentos e poluição de cursos d’água (agrotóxicos.  Apoio administrativo e financeiro para projetos de etnodesenvolvimento. no norte do estado do Tocantins). edição de livros em língua nativa e bilíngues). defensivos). sua implementação será estratégica para avaliação.  Apoio administrativo e financeiro para projetos indígenas de valorização cultural (realização de rituais e festas tradicionais. Tal programa deverá contar com equipe técnica multidisciplinar.  O empreendedor deverá apoiar institucional e financeiramente os órgãos ambientais federais. no âmbito do “Programa de Desenvolvimento de Comunidades Indígenas”.  As facilidades de acesso e transporte tendem a valorizar as terras nos raios da AID e AII. Diante disso. bem como financiar projetos de recuperação ambiental nos municípios e terras indígenas. com participação de representantes indígenas indicados pelas comunidades. Criar uma carteira de projetos. propiciada pelas obras (com trabalhadores braçais e funcionários). estaduais e municípios) e execução de projetos que mitiguem/compensem os impactos da obra. A proximidade com não-indígenas.

em linguagem acessível. leptospirose. Ministério da Educação. sarampos). Universidades (Federais e Estaduais). em todas as etapas do EIA-RIMA. febre amarela. conservantes). parcerias com FUNASA para vacinação de indígenas e trabalhadores. Educação Intercultural (Formação de Professores Indígenas) da UFG. Por fim. Campanhas de sensibilização dos trabalhadores.  Apoio administrativo e financeiro para projetos de educação intercultural: articulação com Funai. “Meio Ambiente e Patrimônio Cultural” e “Índios e Minorias”). sal.Vilhena/RO 7-38 . com presença da FUNAI e aberto ao público interessado. reuniões e audiências EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . cuidados com dejetos para evitar acúmulos de resíduos e água nas proximidades das terras indígenas (para evitar doenças como dengue. malária. quanto mais se sem autorização das lideranças indígenas e da FUNAI. monitoramento e participação das obras de construção/instalação e funcionamento da ferrovia.  Reuniões com lideranças (caciques e chefes de associações indígenas) para avaliação. com orientação para o contato intercultural respeitoso e cidadão. não é dispensável dizer que deverão ser tomadas outras medidas complementares: sinalização. deliberação e apreciação conjunta de dados técnicos. Deve-se ainda evitar a circulação e presença desnecessária dentro das terras indígenas. A participação das lideranças tradicionais e organizações indígenas na definição de estratégias relativas à instalação de acampamentos e canteiros de obras nas proximidades das terras indígenas é um direito a ser respeitado. gripes. através da 4ª e da 6ª de Câmara de Coordenação e Revisão (respectivamente. deverão elas tomar parte ativa no processo de licenciamento ambiental. O diálogo franco e honesto com as comunidades indígenas e seus representantes legítimos – mediante trabalho de campo. contenção de velocidade. mudanças nos hábitos alimentares (açúcar. controle sobre alojamentos para evitar que trabalhadores estimulem a prostituição de mulheres e meninas indígenas (risco de circulação de DST-Aids). Campanhas de atendimento à saúde e odontológico aos trabalhadores e aos indígenas deverão ser realizadas.VALEC  Articulação político-institucional com o Poder Público. mediante termo de parceira apropriado com Ministério Público Federal. Experiência já em curso na área de influência da EF-354: Terceiro Grau Indígena da UNEMAT. com criação de arenas públicas de negociação. não ofereçam tabaco. deverão ser realizadas: para que não incentivem o consumo de álcool. não utilização de áreas indígenas para bota-fora e aterros. Mas antes disso.

além de malária. monetarização ainda maior da economia tapuio. por exemplo) estão envolvidas em campanhas de mobilização para fazer frente a projetos ou ações governamentais e privados com potencial para afetar suas vidas e territórios.é a estratégia mais apropriada para garantir a legitimidade e legalidade desta obra pública. interferência negativa sobre locais de pesca. os Karajá enfrentam problemas relacionados aos efeitos nocivos da bebida alcoólica. a construção de ponte sobre o rio Araguaia poderá acarretar na destruição de importantes sítios culturais (cemitérios. 3). referência central para a vida social. pois seu traçado passa entre as Terras Indígenas do povo Xavante. agrobiodiversidade. Atualmente. apoio técnico-logístico para presença judicial do Estado visando a defesa dos direitos indígenas. em especial Aruanã III por conta da exploração madeireira. provável agravamento do problema de prostituição infantil nos alojamentos. 2.VALEC públicas . considerável índice de mortalidade infantil. pelo princípio da precaução recomenda-se a adoção de medidas mitigadoras e compensatórias ante os impactos oriundos da pressão não-indígena que tendem a aumentar. afetando banhos e consumo. tuberculose. Como a ferrovia EF-354 irá passar a cerca de 25 km das terras karajás. pontos de referência mitológicos). possível aumento do trânsito de pessoas e veículos pelas rodovias BR-242 e GO-262.Xavante: o território tradicional será influenciado pela Ferrovia. Outra questão central a ser levada em consideração são as intrusões às Terras Indígenas. aumento dos desmatamentos.) Karajá: interferência negativa sobre a qualidade da água do rio Araguaia. é importante que os empreendedores da ferrovia EF-354 tenham ciência que as associações xavantes (Coordenação Geral Indígena Xavante e Associação Indígena Pariwawi A’uwe. educação intercultural e de resgate de tradições. com interferência física sobre os fluxos de pessoas entre comunidades indígenas. sub-nutrição. Medidas: campanhas de sensibilização junto aos funcionários e trabalhadores das obras. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . apoio para projetos. Especial atenção deverá ser dispensada para evitar contaminação e deterioração do Rio Araguaia.Vilhena/RO 7-39 . etnodesenvolvimento. Medidas: apoio para projetos de vigilância e proteção territorial. que cortam a Ilha do Bananal. econômica e espiritual do povo Karajá. Propostas específicas (ações mitigadoras e compensatórias): 1.) Tapuio: aumento da pressão sobre as terras porque o entorno é ocupado por fazendas de soja e de cana-de-açúcar para produção de álcool. pressão sobre suas terras.

utilizados nas proximidades das terras indígenas.ex. Ubawawe e Chão Preto.I e cursos de capacitação. está na Área de Influência Direta da Ferrovia.Vilhena/RO 7-40 . de acordo com o MMA. Parabubure. 4. Pimentel Barbosa. a menos de 20 km ao norte está a T. a cerca de 40 km ao sul estão as T. comprometendo ainda mais o direito constitucional à reprodução física e cultural.) Xingu: a parte sul da T. ferrovias).I.I. afugentamento de caça. medidas: apoio para criação de Unidades de Conservação contíguas às Terras Indígenas. O desmatamento do entorno das Terras Indígenas poderá aumentar com a facilidade de escoamento que a ferrovia representa.I.VALEC Tais são os casos de usinas hidroelétricas e da Hidrovia Araguaia-Tocantins. cujo último refúgio têm sido justamente as áreas habitadas pelos índios. Areões. as terras Xavante estão localizadas em uma área considerada de extrema importância para conservação ambiental. principalmente sobre as terras mais próximas (contaminação de cursos d’água. desmatamento de áreas de coleta). os riscos de contaminação e destruição das nascentes são grandes. A sustentabilidade dos recursos naturais utilizados na sua vida social e cerimonial (flora e fauna) está altamente ameaçada pelo agronegócio de larga escala (cultivo da soja e criação extensiva de gado) e por obras de “desenvolvimento” (PCHs. suas lideranças e organizações representativas em todas as etapas do processo de licenciamento sob o risco de serem acionados pelo Ministério Público a exemplo do que ocorreu com a PCH Paranatinga II. a menos de 10 km ao sul está a T. apoio a projetos de proteção e recuperação de nascentes (p. O empreendedor devera elaborar estratégias para envolver os Xavante. Parque do Xingu (TIX). com plaqueamento dos limites das T. estradas. Alia-se o fato de que o cultivo extensivo e predatório baseia-se na aplicação de pesadas doses de agrotóxicos e fertilizantes que. Marechal Rondon. O projeto da ferrovia prevê um traçado que atravessa o território tradicional dos Xavante: de leste para oeste. A construção da ferrovia pode EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . a T. comprometem sua água. projetos de desenvolvimento sustentável (exploração sustentável de recursos não-madeireiros).I. matas e campos de Cerrado. com apoio da Petrobras Ambiental). há também impactos indiretos associados ao escoamento da produção de grãos e gado via vagões rumo aos centros do país. resgate e valorização dos saberes indígenas. a cerca de 10 km ao sul. empreendido pela Associação Indígena Warã. onde estão as nascentes dos formadores do Rio Xingu.: do Rio das Mortes. Além dos impactos diretos que a construção e funcionamento da ferrovia poderão provocar. medidas: projetos de vigilância e fiscalização.I. podendo ser revalorizadas as famosas expedições xavantes de caça e coleta. para garantir a reprodução de animais de caça e de espécies que oferecem frutos e matérias-primas.

I. intensificação de plantios com agrotóxicos. em consonância com as formas tradicionais de autoridade política. apoio para projetos de recuperação e proteção dos sítios culturais. Sugere-se articulação com as ONGs ISA e ACT Brasil. 6.I.. Enawenê-nawê (Área Influência Direta).ATIX. que habitam terras descontínuas. Petrobras e ministérios. apoio para projetos de vigilância territorial e proteção biocultural. de modo a formar corredores etnoambientais (são um povo eminentemente caçador). A ameaça mais séria pesa sobre a T.I. apoio para criação de Unidades de Conservação (articulação institucional com IPHAN e órgãos ambientais). contaminação de solos e água. o contexto no qual será inserido o processo de licenciamento ambiental da ferrovia é o cerco de não-indígenas. deve haver apoio a projetos socioambientais e de defesa territorial (Apoio ao projeto “Nascentes do Xingu”. Quanto. Daí o intercâmbio comunitário entre os dois povos. Recomenda-se que EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Naruwutu e Tarik Yegun.) Manoki: a EF-354 poderá trazer impedimentos físicos à circulação dos Manoki do rio Cravari e os Myky. projetos de usinas hidroelétricas. a Rainforest Foundation¸ UNIFESP. que contribuição com processos que favoreçam o protagonismo indígena na formulação e execução de políticas públicas e de projetos comunitários. As obras de construção e o funcionamento da ferrovia representam séria ameaça a três importantes sítios culturais de povos do Alto Xingu: Kamukuaká. apoio para criação de Unidades de Conservação e/ou ampliação das terras indígenas.Vilhena/RO 7-41 .I. Manoki/Irantxe porque dista a poucos quilômetros do traçado da ferrovia. medidas: em parceria com ONGs e Associações Indígenas. medidas: planejar o maior afastamento possível dos limites norte da T. da Associação da Terra Indígena do Xingu. 5. desmatamentos e intrusões. campanhas de sensibilização dos trabalhadores e funcionários. ISA e MMA.VALEC estimular a expansão das fazendas. ao apoio administrativo e institucional para outros projetos: que contemplem capacitações para que a gestão das associações indígenas ganhe autonomia em relação aos atores nãoindígenas e eficiência na administração dos recursos financeiros e humanos. medidas: apoio para identificação e delimitação de novas terras indígenas contíguas ao Parque. com potencial risco à integridade física dos indígenas que realizam visitas recíprocas entre aldeias. Associação Moygu e ONG ACT Brasil). projeto “Vigilância territorial e proteção biocultural”. Os Myky realizam rituais que não mais praticados pelos Manoki e guardam saberes já por estes esquecidos.) Enawenê-nawê: a EF-354 será construída a cerca de 10 km do limite leste da T. juntamente às associações indígenas. apoio para projetos de desenvolvimento sustentável e segurança alimentar (O CIMI desenvolve um projeto de criação de peixes). invasões da T. Manoki/Irantxe. no âmbito da Terra Indígena Parque do Xingu.

proteção e vigilância territorial e fortalecimento da medicina e cultura indígenas. cerca de 50 km ao sul. OPAN e CTI. O mais indicado é oferecer apoio financeiro e institucional para os projetos já em curso que vêm sendo conduzidos pelas associações indígenas. madeireiros e garimpeiros (principalmente diamante. I. em especial aqueles de defesa territorial e recuperação ambiental. 8. As medidas mitigadoras e compensatórias deverão ser concebidas. a exemplo do ocorreu com a PCH Juruena. a aproximadamente 30 km a oeste. mas também ouro e cassiterita).VALEC os indígenas participem de todas as etapas do processo sob risco de judicialização. elaboração de projetos. Associação Pamaré do Povo Indígena Cinta Larga) vêm desenvolvendo projetos na área de agrobiodiversidade. a BR-174. medidas: fortalecimento e incremento destas iniciativas. dará maior legitimidade para elaboração e adoção de medidas mitigadoras e compensatórias. Diante das ameaças. Das outras. Outros vetores impactantes sobre o povo Cinta-Larga e seu território tradicional: a BR-354. medidas: apoio para criação de Unidades de Conservação contíguas à T. cuja sede fica na cidade de Porto Velho-RO. Tal é o cenário no qual será construída a Ferrovia EF-354. UFMT. Parque Aripuanã. O contexto geográfico e ambiental é de desmatamentos feitos nas fazendas de grãos e de gado. e a T. principalmente sobre os Cinta-Larga da T.) Nambikwara: As terras mais distantes do traçado da ferrovia EF-354 são a T. condições de uso dos recursos naturais e seu direito à reprodução física e cultural. com potencial de impactos indiretos. apoio administrativo e financeiro para projetos de etnodesenvolvimento (piscicultura. Tubarão/Latundê (município de Chupinguaia-RO). Parque Aripuanã é o da exploração predatória de recursos naturais. agrobiodiversidade. rios degradados pelo garimpo e por agrotóxicos. a rodovia MT-319 e as usinas hidroelétricas UHE Juína e PCH Juruena (vide acima: “Enawenê-nawê”). a proximidade é de menos de 10 km (dentro da Área de Influência Direta). dentre outros).) Cinta-Larga: o quadro no qual se insere a T. avaliadas e implementadas com a participação das lideranças tradicionais e associações.I. Unicamp. Aconselha-se a articulação institucional com FUNAI. Recomendase diálogo e participação para se evitar os erros do passado.I. com a Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé. 7. de modo garantir o equilíbrio ecológico.Vilhena/RO 7-42 . além disso. Contam com apoio de ONGs. suas associações (dentre elas. Trata-se de estratégia elementar para garantia dos direitos constitucionais e infraconstitucionais e que. Vale mencionar ainda outras EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Sararé (municípios de Pontes e Lacerda-MT e Vila Bela-MT). degradação ambiental e violência interétnica – em função do cerco de fazendeiros. produção de mel. apoio administrativo e financeiro para projetos de vigilância territorial e proteção biocultural e de fortalecimento das associações indígenas.I.I.

medidas: sensibilização de trabalhadores e funcionários da Ferrovia. apoio administrativo e financeiro para projetos de etnodesenvolvimento (criação de animais. apoio para criação de Unidades de Conservação contíguas à Terra Indígena de modo garantir o equilíbrio ecológico. a ferrovia passará a distância que variam entre 15 e 30 km dos limites a oeste de suas Terras Indígenas. UHE 12 de outubro e UHE Juína. apoio administrativo e financeiro para projetos de etnodesenvolvimento (criação de animais. etc. Estão cercadas por fazendas atraídas pelas facilidades de transporte propiciadas pelas rodovias BR-174. IMPACTOS SOBRE O PATRIMÔNIO ARQUEOLÓGICO Na avaliação dos impactos da Ferrovia EF . Rodovia BR-174. 9. apoio para projetos de capacitação das associações indígenas. tais com a UHE Ponte de Pedra. medidas: sinalização das obras. fortalecimento cultural e proteção biocultural. apoio administrativo e financeiro para projetos de vigilância territorial. apoio para criação de Unidades de Conservação contíguas às suas Terras Indígenas. sensibilização dos trabalhadores quanto à questão indígena e ambiental. condições de uso dos recursos naturais e seu direito à reprodução física e cultural. mas também a partes do ambiente que foram usadas ou modificadas pelo homem no EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . às dos Nambikwara e à dos Myky. Utiariti) e cujo consumo de energia elétrica. agrobiodiversidade.Vilhena/RO 7-43 . tem levado à construção de usinas hidroelétricas. produção de mel.) Paresí: As terras também vêm sofrendo com desmatamentos do entorno. a degradação ambiental e a contaminação dos rios por garimpa e por agrotóxicos. O fato de que o patrimônio arqueológico não se restringe a vestígios culturais. Rodovia RO-391. dentre outros). O fato de que os bens arqueológicos constituem recursos culturais finitos e não renováveis. podendo ser vetor de pressão predatória sobre elas. condições de uso dos recursos naturais e seu direito à reprodução física e cultural.).I. formando corredores e visando garantir o equilíbrio ecológico. apoio administrativo e financeiro para projetos de vigilância territorial e proteção biocultural e de fortalecimento das associações indígenas.354 Leste-Oeste sobre o patrimônio arqueológico três pressupostos foram considerados: 1. 2. junto com o das emergentes cidades da região. BR-364 e MT-235 (que corta a T. instalação de placas nos limites das Terras Indígenas para reprimir invasões. agrobiodiversidade.VALEC interferências às quais somar-se-á a ferrovia aqui em análise: PCH Juruena. produção de mel.

b) Aos elementos materiais que compõem o sítio arqueológico. c) O(s) território(s) de captação de recursos dos antigos ocupantes do(s) sítio(s) arqueológicos. Para melhor compreensão dos impactos do empreendimento ao patrimônio arqueológico regional. 1991).Vilhena/RO 7-44 . assim. foram identificados os seguintes impactos sobre o patrimônio arqueológico regional: Destruição. entende-se a ocorrência de ações que levem à depredação ou à profunda desestruturação espacial e estratigráfica de antigos assentamentos utilizados pelos grupos pré-históricos e históricos. e) Portanto.Oeste não podem ser encarados isoladamente dos impactos dos demais Empreendimentos. sua incorporação à memória nacional (Caldarelli. 3. impedindo que o legado das gerações passadas seja usufruído pelas gerações presentes e futuras. O fato de que os impactos da Ferrovia Leste . Por destruição total ou parcial de sítios arqueológicos. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO .VALEC passado. entende-se qualquer alteração que uma obra projetada possa vir a causar sobre os bens arqueológicos e seu contexto ambiental. é interessante explicitar os conceitos implícitos aos termos técnicos empregados: a) Ao conjunto de vestígios culturais concentrados e estruturados num espaço delimitado. total ou parcial. de Sítios Arqueológicos. Com base nos pressupostos e conceitos acima identificados e inter-relacionando os resultados do diagnóstico arqueológico elaborado com os fatores geradores de impactos. a única medida mitigadora dos impactos do empreendimento sobre os recursos arqueológicos regionais é fornecer as condições necessárias à produção de conhecimento científico sobre os processos culturais ocorridos na área em tempos passados e. d) Por impactos do empreendimento sobre os recursos arqueológicos regionais. juntamente com o conjunto dos bens arqueológicos da região constituem o contexto arqueológico regional. o que lhes confere a característica de impactos cumulativos sobre os vestígios materiais. denomina-se vestígios arqueológicos e ao espaço em que se encontrado implantado o sítio arqueológico denomina-se entorno do sítio. ou que podem ajudar a compreender as relações entre o homem e o ambiente no passado. dá-se o nome de sítio arqueológico.

de ocorrência certa e imediata.Vilhena/RO 7-45 . irreversível. ambos ocorrem em pontos localizados da AID. reversível. localizado. nas áreas de aterro para a construção do traçado da ferrovia esse impacto só pode ser compensado. Trata-se de um impacto negativo. a ocorrerem na área de obras. de baixa importância e pequena magnitude. que pode ser compensado com eficiência média. Por soterramento de sítios arqueológicos. exploração de fontes de material de empréstimo e execução das obras civis em geral. permanente. direto. Trata-se de um impacto localizado nas áreas de obras e de construção da infraestrutura. de implantação dos canteiros. Enquanto que nas áreas de bota-fora esse impacto pode ser prevenido eficientemente. localizado. de ampliação e melhoria da infra-estrutura. direto. entende-se a deposição de material estranho sobre a matriz de sustentação de testemunhos materiais de atividades humanas pretéritas. de ocorrência certa e imediata. de implantação dos alojamentos. temporário. Os fatores que podem gerar este impacto são a deposição de material excedente em botas-foras. de alta importância e grande magnitude. bem como os aterros realizados na fase de implantação das obras principais. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação Local Curto prazo Permanente Irreversível Alta Grande Grande Muito Significativo Soterramento de Sítios Arqueológicos. As fases de ocorrência do impacto são as fases de implantação da infra-estrutura de apoio e de implantação das obras principais. negativo.VALEC Os fatores que podem gerar esse impacto são as ações de desmatamento e terraplenagem.

negativo. Trata-se de um impacto localizado nas áreas de obras e de construção da infraestrutura. Por descaracterização do entorno de sítios arqueológicos. As fases de ocorrência do impacto são as fases de implantação da infra-estrutura de apoio e de implantação das obras principais. terraplenagem e aterro. a ocorrerem na área de obras. permanente. Os fatores que podem gerar esse impacto são as ações de desmatamento. de ampliação e melhoria da infra-estrutura. Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação Local Curto prazo Permanente Irreversível Alta Grande Grande Muito Significativo EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO . de implantação dos canteiros. de implantação dos alojamentos. de ocorrência certa e imediata. localizado.VALEC Avaliação do Impacto: Meio Natureza Forma Fase de Ocorrência Abrangência Temporalidade Duração Reversibilidade Probabilidade Magnitude Importância Significância Socioeconômico Negativo Direto Implantação Local Curto prazo Temporário Reversível Alta Pequena Pequena Pouco Significativo Descaracterização do entorno de Sítios Arqueológicos. entende-se a ocorrência de ações que alterem fisicamente a área de implantação dos sítios. impossibilitando inferências científicas que expliquem os motivos pelos quais determinados ambientes foram escolhidos por seus habitantes. de alta importância e grande magnitude. irreversível. exploração de fontes de material de empréstimo e execução das obras civis em geral. direto.Vilhena/RO 7-46 . que pode ser compensado com eficiência média.

que assegure a extroversão do conhecimento produzido às comunidades locais e aos especialistas. bem como contribua com a conscientização das comunidades locais sobre a existência e significado das ocorrências arqueológicas regionais.VALEC Medidas preventivas e compensatórias dos impactos elencados: a) Programa de Prospecção Arqueológica Intensiva. contém uma síntese dos impactos que poderão ocorrer nas fases de projeto. A Matriz de Impactos ambientais. instalação e operação do projeto. a seguir apresentada. 73 MATRIZ DE IMPACTOS AMBIENTAIS.. b) Programa de Resgate Arqueológico (a ser realizado na sequência do anterior). acompanhada de suas interações. nos termos da Lei 3984/61 e da Portaria IPHAN 07/88. EIA/RIMA para Implantação da Ferrovia EF 354 – Trecho: Uruaçu/GO .3.. e que cubra todas as variações qualitativas dos sítios existentes nos diversos compartimentos ambientais da AID. realizado de maneira amostral. A responsabilidade pela execução dos programas é do empreendedor e necessitam de autorização do IPHAN. 7. c) Programa de Comunicação e Educação do Patrimônio Cultural. que resulte em registro quantitativo e qualitativo acurado dos sítios arqueológicos em risco.Vilhena/RO 7-47 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful