You are on page 1of 1

Direito Romano O Senado é uma das instituições mais antigas em Roma e mantém se activo do inico até ao termo do Império

Romano. O Senado provém da palavra latina Senatus, que por sua vez vem de senex, (velho, ancião). Era, inicialmente, constituído apenas por patrícios, sendo os seus membros (patres), chefes das gens escolhidos pelo rex. Na Monarquia, o Senado, funcionava como um conselho que auxiliava o rei (só este tinha o poder de o convocar), de forma meramente consultiva. Para além desta função, o Senado contava ainda com poder da auctoritas patrum e com o poder de eleição de um interrex (senador nomeado que escolhia o próximo rex). Durante a República, o Senado servia de órgão de consulta e conselho dos magistrados, cuidava também da política externa, e, apesar de não possuir imperium, possuía auctoritas. Ainda no período Republicano, o Senado, órgão que até 312 a. C. só poderia ser composto por patrícios, passa também a ser constituído por plebeus que com a Lex Ovinia passam a poder assumir este cargo de grande importância na sociedade romana. Os senadores eram escolhidos pelos cônsules e tribunos militares e mais tarde através dos censores. Assim, o Senatus Populusque Romanus passa a ser um órgão ainda mais prestigiado e respeitado por todos, pois tanto plebeus e patrícios são representados neste conselho de homens sábios. Apesar de no aspecto jurídico as senatus consulta terem forma de conselho, na prática funcionavam quase como ordens. Quando as Senatus consulta davam um conselho em relação a um lex ou em relação a outro assunto, geralmente esse conselho era levado como uma ordem no sentido em que esse conselho era quase sempre seguido. Em 339 a.C., com a Lex Publilia Philonis, o Senado vê a sua posição de meramente consultiva ganhar importância e transformar se numa verdadeira deliberação, visto que sua auctoritas patrum passa a ser dada antes da proposta de lei ser votada pelos comícios. O Senado, na altura do Principado, serviu, como instrumento principal, para legitimar e ajudar na concentração de poderes no prínceps, por isso podemos dizer que o Senado teve o seu exponencial máximo de poder no início do principado mas também foi nesta época que os seus poderes foram maioritariamente perdidos. Octávio garantiu a manipulação do Senado e o seu controlo através da redução do numero dos senadores; da escolha feita por ele dos senadores onde escolheu aqueles em quem mais confiava deixando em menor numero aqueles que se opunham a ele e através do facto que só ele podia convocar o Senado. Assim o Senado passou a ser o local onde o princeps anunciava as suas decisões, saudadas pelos senadores, fazendo com que as senatus consulta fossem substituídas pela oratio principis. Que posteriormente viriam a desaparecer e o prínceps passaria a receber os senadores no seu palácio, fazendo assim com que o Senado perdesse todo o poder que tinha recebido na Republica e também um pouco da sua importância social. Concluindo que o Senado é uma das instituições mais antigas do Imperio Romano e que através dele houve mudanças na política romana incluindo na forma como essa política estava organizada.

Sub-turma: 4

António de Noronha Bragança

Numero: 21421