You are on page 1of 49

Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & Criação de um Fundo de Preparação de Projectos

Entregáveis 1.A - Análise das linhas de financiamento 1.B - Análise das ONGD

Versão Final 9 Outubro de 2009

Elaborado por: TESE - Associação para o Desenvolvimento João Rabaça, João Meneses e Henrique Gomes Financiamento: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação EDP e Fundação Portugal África

Créditos
O presente documento foi elaborado pela equipa da TESE - Associação para o Desenvolvimento constituída por João Rabaça, João Meneses e Henrique Gomes, através de um financiamento atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), Fundação EDP (FEDP) e Fundação Portugal Africa (FPA) e no âmbito do Grupo de Trabalho de financiamento do Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento. A sua elaboração foi acompanhada por um Steering Committee composto por Carlos Sangreman, mobilizador do Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento, e Maria Hermínia Cabral, em representação da Fundação Calouste Gulbenkian. O seu conteúdo representa uma proposta de actuação da TESE, com base na informação por si recolhida e analisada. Assim, não reflecte, necessariamente, as opiniões, visões ou o assumir de qualquer tipo de compromisso formal por parte das instituições financiadoras ou outras entidades mencionadas.

TESE- Associação para o Desenvolvimento Rua das Amoreiras, 101 1250 022 Lisboa ℡ @ (+351) 21 386 84 04 (+351) 21 386 84 05 www.tese.org.pt João Rabaça, j.rabaca@tese.org.pt João Meneses, j.meneses@tese.org.pt Henrique Gomes, h.gomes@tese.org.pt

Acrónimos

Acrónimos
ADL APD BAfD BAsD BERD BID CD DfID ED FCG FED FEDP FPA IBRD ICSID IDA IFC IPAD IPSS JICA MIGA OMS ONG ONGD ONU OSC PNUD PVD TESE UE/CE UNICEF USAID Associação de Desenvolvimento Local Ajuda Pública ao Desenvolvimento Banco Africano de Desenvolvimento Banco Asiático de Desenvolvimento Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento Banco Inter-Americano de Desenvolvimento Cooperação para o Desenvolvimento Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido Educação para o Desenvolvimento Fundação Calouste Gulbenkian Fundo Europeu de Desenvolvimento Fundação EDP Fundação Portugal - África Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (Grupo Banco Mundial) Centro Internacional para Arbitragem de Disputas sobre Investimentos (Grupo Banco Mundial) Associação de Desenvolvimento Internacional (Grupo Banco Mundial) Corporação Financeira Internacional (Grupo Banco Mundial) Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento Instituição Particular de Solidariedade Social Agência Japonesa de Cooperação Internacional Agência Multilateral de Garantia ao Investimento (Grupo Banco Mundial) Organização Mundial da Saúde Organização Não Governamental Organização Não Governamental para o Desenvolvimento Organização das Nações Unidas Organização da Sociedade Civil Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Países em Vias de Desenvolvimento TESE – Associação para o Desenvolvimento União Europeia / Comissão Europeia Fundo das Nações Unidas para as Crianças Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional

índice

Índice
Sumário Executivo ........................................................................................................................... 5 Enquadramento ................................................................................................................................ 8 1.A – Análise das linhas de financiamento ....................................................................................... 9 1.A.1 – Definição e âmbito ............................................................................................................ 9 1.A.2 – Metodologia .................................................................................................................... 11 1.A.3 – Principais Resultados ..................................................................................................... 13 (1) Que financiamentos estão (regularmente) disponíveis para apoiar directamente as ONGD Portuguesas a implementarem os seus projectos de CD? ........................................... 13 (2) Como funcionam os financiamentos? ................................................................................ 21 1.A.4 – Conclusões ..................................................................................................................... 24 1.B – Análise das ONGD ................................................................................................................ 25 1.B.1 – Definições e âmbito ........................................................................................................ 25 1.B.2 – Medodologia ................................................................................................................... 26 1.B.3 – Principais Resultados ..................................................................................................... 27 (0) Como se caracteriza a ONGD Portuguesa “típica”? ........................................................... 27 (1) Quais as razões que limitam o acesso das ONGD a financiamentos? ............................... 29 (2) Quais as efectivas competências para lidar com mais/melhores financiamentos? ............. 32 (3) Que formações existem que podem apoiar as ONGD a ultrapassar essas limitações? ..... 34 1.B.4 – Conclusões ..................................................................................................................... 40 Conclusão geral e próximos passos ............................................................................................... 42 Anexos ........................................................................................................................................... 44

1 O valor total do envelope financeiro disponibilizado anualmente é apenas indicativo e deve ser tido em conta com algumas reservas. Fundação EDP (FEDP) e Fundação Portugal África (FPA). consequentemente. Relativamente análise das ONGD Portuguesas.U. pois i) nem todas as linhas de financiamento existentes foram analisadas. B) Análise das ONGD Portuguesas. conclui-se que a ONGD típica2 tem uma pequena dimensão. com base nos inquéritos realizados e nas reuniões decorridas.A. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 5 / 49 . tanto em qualidade como em quantidade. O IPAD e o Programa para Actores Não-Estatais da Comissão Europeia.Sumário Executivo Sumário Executivo O presente documento apresenta as conclusões preliminares do estudo elaborado pela TESE – Associação para o Desenvolvimento. Destas. contanto com menos de 5 assalariados na sua sede. financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG). dos quais 75% provêm de organizações dos E. no âmbito do Grupo de Trabalho de financiamento do Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento. implementados por ONGD Portuguesas. com vista a caracterizar as organizações que serão potenciais beneficiárias do fundo acima mencionado e a identificação da oferta de capacitação especifica para estas organizações. através de candidaturas regulares para implementação de projectos de Cooperação para o Desenvolvimento. 43 possibilitam o acesso directo por parte de uma ONGD Portuguesa como entidade promotora. Este relatório preliminar incide sobre: A) Análise das linhas de financiamento nacionais e internacionais disponíveis para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (CD) a implementar por ONGD Portuguesas. Relativamente à análise das linhas de financiamento foram identificadas um total de 103 Linhas de financiamento provenientes de 70 instituições públicas e privadas. e avaliar a viabilidade da criação de um fundo sustentável para apoiar as ONGD a aceder e gerir “novos e inovadores financiamentos”. foi possível identificar o envelope financeiro disponibilizado anualmente por 29 linhas de financiamento que perfaz cerca de 5 mil milhões de Euros1. permitirá criar condições para aumentar o impacto. Das 43. destinado a identificar oportunidades de financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (CD). implementando menos de 5 projectos de CD anualmente. a relevância do sector. financiadores “típicos” das ONGD representam apenas 5% deste envelope. da intervenção da cooperação portuguesa e. e ii) caberá a cada ONGD obter e analisar informação especifica sobre os financiadores por forma a avaliar o seu alinhamento e a coerência em relação aos objectivos e princípios da ONGD 2 É de notar que com típica se refere ao mais frequente correspondendo tal a padrão “modelo” onde não encaixam necessariamente todas as organizações. Este trabalho.

Apesar de se concluir que existe um conjunto de oportunidades de financiamento não utilizados pelas ONGD.B) apontam-se 5 factores que parecem destacar-se: • Desconhecimento das oportunidades – Não existe uma forma eficaz – por exemplo através de uma página de Internet. a presença continuada junto dos centros de decisão continua a ser chave para acompanhar (e influenciar) as tendências internacionais. Cruzando a informação sobre as oportunidades de financiamento (1. Há também uma grande diversidade de processos de candidatura. Concorrem predominantemente a financiamentos do IPAD da Comissão Europeia e têm uma boa taxa de sucesso na aprovação das suas candidaturas. Apresentam também um conjunto de competências que indicam boa capacidade para gerir as suas actividades e os seus financiamentos actuais. nomeadamente havendo um défice de oferta nos temas relacionados com “Financiamentos e relação com doadores”. modelos e âmbito geográfico de actuação parece ser chave no processo de acesso a financiamentos mais diversificados e de maior volume. parece haver um desfasamento entre as necessidades de formação identificadas pelas ONGD e a oferta em Portugal. • Ausência de uma estratégia de crescimento – A diversificação de fontes de financiamento passa por uma mudança de estratégia de muitas ONGD. Quanto à oferta de capacitação especifica que vise fortalecer as competências das ONGD para aceder a mais e melhores financiamentos. que contribuem para dificultar o acesso e aumentam o custo de investimento na elaboração de candidaturas. Por outro lado.Sumário Executivo com um orçamento total anual que não ultrapassa os 500. A criação de capacidade para (re)definir estratégias. que responda às mudanças do paradigma actual de competição global e “acesso universal” a informação. têm conhecimento de outras fontes de financiamento aos quais não concorrem fundamentalmente por falta de recursos para fazer identificação de projecto e elaboração das candidaturas e por terem insuficientes dimensão e capacidade de gestão. • Distância dos centros de decisão – Apesar de uma tendência para processos de atribuição de financiamento cada vez mais claros e divulgados publicamente (na maior parte dos casos na Internet). de identificar as oportunidades de financiamento e acompanhar os convites à apresentação de propostas de projectos. importa reflectir sobre as causas que limitam o acesso a essas oportunidades.A) e a realidade das ONGD (1. Raras são as ONGD Portuguesas que têm essa estratégia e muito menos as que parecem ter essa efectiva capacidade. A Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 6 / 49 .000€.

domínio da língua/cultura locais etc) que possam oferecer nestas parcerias. i. poderá contribuir para efectivamente alavancar o acesso a mais e melhores financiamentos para projectos de CD a implementar por ONGD. logo não ganham escala nem reconhecimento.Sumário Executivo participação em redes de plataformas internacionais e o envolvimento de organizações públicas e privadas capazes de apoiar o exercício dessa presença e lobby é essencial. que facilite o acesso a novos financiadores. do poder político ou até dos desempregados qualificados que necessitam que encontram novas oportunidades. bem como a associação a ONGD ou outras entidades internacionais reconhecidas. experiência nos países de actuação. aumentando assim o impacto deste sector. Tal é também agravado pela ausência nos centros de decisão já referida. Desta forma. ainda não atingiram uma dimensão e um grau de reconhecimento. • Falta de escala e de reconhecimento (inter)nacional das ONGD Portuguesas – Apesar de várias ONGD portuguesas terem já um Curriculum muito relevante de actuações na área da Cooperação para o Desenvolvimento. nem reduzem a vulnerabilidade financeira. conclui-se que uma ferramenta que articule componentes que respondam aos 5 pontos acima mencionados. Tal tem ainda como consequência o não reconhecimento das ONGD e do tema da Cooperação para o Desenvolvimento. o que inevitavelmente as empurra para o ciclo limitador do crescimento. nomeadamente a nível internacional. A criação de parcerias entre ONGD portuguesas. é reduzida a capacidade de diversificar processos e arriscar em novos modelos e oportunidade de financiamento. A criação de mecanismos que permitam mitigar o risco de investimento para aceder a novos financiamentos poderá contribuir para sair deste ciclo limitador do crescimento. • Escassez de recursos – É manifesto que as ONGD portuguesas têm recursos escassos. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 7 / 49 . da sociedade em geral. bem como a sua eficaz gestão e aplicação.e. Tal poderá passar pela identificação das vantagens competitivas (pelo seu perfil. porque os recursos são escassos. poderá ser uma forma de facilitar o acesso a novos financiamentos.

constitui o Entregável 1.A (Output). Associações de Desenvolvimento Local (ADL). Fundação EDP (FEDP) e Fundação Portugal África (FPA). financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG). Este fundo poderá. B. a relevância do sector. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 8 / 49 . implementados por ONGD Portuguesas. Análise das linhas de financiamento nacionais e internacionais disponíveis para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (CD) a implementar por ONGD Portuguesas. O resultado final desta análise. A totalidade do estudo estará concluída no final de Setembro de 2009. Este trabalho. foi solicitado à TESE a elaboração do presente estudo destinado a identificar oportunidades de financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (CD). Análise das ONGD Portuguesas. Fundações. da intervenção da cooperação portuguesa e. e tal como previsto no calendário. posteriormente. Na fase 2 deste trabalho. entre outros. Nesta fase 1 de Diagnóstico. como as Instituições Privadas de Solidariedade Social (IPSS). consequentemente. tendo por base as conclusões da fase de diagnóstico e incorporando as conclusões da análise dos exemplos existentes de outros Fundos. O presente documento constitui a versão final dos Entregáveis 1. e avaliar a viabilidade da criação de um fundo sustentável (potencialmente financiado através de uma parceria público-privada) a ser utilizado de forma eficiente e eficaz para apoiar as ONGD a aceder e gerir “novos e inovadores financiamentos”.A e 1. permitirá aumentar o impacto.B (Output).Enquadramento Enquadramento No âmbito do Grupo de Trabalho de financiamento do Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento.B. com vista a caracterizar as organizações que serão os potenciais beneficiários do fundo acima mencionado. O resultado final desta análise. tanto em qualidade como em quantidade. procedemos a: A. ser alargado para passar também a beneficiar outras organizações da Sociedade Civil que implementem projectos de Cooperação para o Desenvolvimento. constitui o Entregável 1. será desenvolvida uma proposta de Modelo de Funcionamento e Gestão do Fundo. que integrará o relatório intercalar entregue no dia 31 de Agosto.

3343.europa.eu/europeaid/work/funding/index_pt. Tabela 1 – Definições adoptadas no âmbito do Estudo. Uma vez que abrangem domínios muito diversos. Transferências financeiras para as quais é exigido um reembolso. as condições específicas que devem ser respeitadas (elegibilidade.oecd. As subvenções baseiam-se no princípio do reembolso dos custos elegíveis (custos realmente contraídos pelos beneficiários e considerados necessários para realizar as actividades em questão). As subvenções estão sujeitas a um acordo escrito. assinado pelas duas partes.1. Os resultados da actividade são propriedade dos beneficiários.A.en_2649_33721_42632800_1_1_1_1. Termo Subvenções Definição Fonte As subvenções são contribuições financeiras efectuadas sob a forma de Comissão 3 apoios a fundo perdido. A entidade adjudicante concede subvenções para projectos ou actividades relacionadas com os respectivos programas de ajuda externa. foram adoptados as definições apresentadas na Tabela 1 para os diferentes tipos de financiamentos.00.htm http://www. etc. • Para funcionamento: financiam despesas de funcionamento de organismos que perseguem objectivos de interesse geral do financiador ou contemplados nas suas políticas.html#Loans 4 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 9 / 49 .A – Análise das linhas de financiamento 1.1 – Definição e âmbito A análise das linhas de financiamento teve por objectivo responder às questões: (1) Que financiamentos estão (regularmente) disponíveis para apoiar directamente as ONGD Portuguesas a implementarem os seus projectos de CD? (2) Como funcionam os financiamentos? Por uma questão de nomenclatura. concedidos a terceiras partes activas no domínio Europeia da ajuda externa.org/document/32/0.e financiadores.A Análise das linhas de financiamento 1.) podem variar em função do sector de actividade. e requerem geralmente um co-financiamento pelo beneficiário. Há duas categorias de subvenções: • Para actividades: destinam-se a objectivos integrados em programas de ajuda externa. OCDE – 4 CAD Empréstimos 3 http://ec.

muitas vezes os seus escritórios locais fazem pequenas doações para ONG e organizações de base comunitária. Geralmente obtêm os seus fundos a partir de doações.: IPAD. BAfD.1.org/U6W4J2POL0 6 7 8 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 10 / 49 . UE/CE.: Grupo Banco Mundial (IBRD. (ex. BAsD. Desenvolvimento Para além destas unidades ou agências de Ajuda Pública ao Desenvolvimento (APD). USAID.worldbank.worldbank.A Análise das linhas de financiamento Tabela 1 – Definições adoptadas no âmbito do Estudo. BERD) Fundação Nacional/ Internacional As fundações são entidades independentes no que toca às doações para ONG e organizações de base comunitária.: UNICEF. Banco 8 Mundial Outras organizações n/a 5 http://go. BID. empresas ou fundrainsig permanente.org/7RZ5FHPWQ0 http://go.muitas vezes alojados nas respectivas embaixadas . Bill & Melinda Gates) Organizações que não se enquadram em nenhuma das categorias anteriores.worldbank. JICA. OMS) Banco 6 Mundial Banco Também são considerados multilaterais pois vários governos contribuem Banco 7 Multilateral de para as suas operações. IFC. algumas embaixadas também gerem pequenos programas de subvenções a partir do escritório do Embaixador ou de unidades de relações externas. Termo Definição Fonte Banco 5 Mundial Agência Bilateral A maioria dos governos do Hemisfério Norte possui agências ou de Ajuda Pública departamentos .org/T4HQ5BAB80 http://go. MIGA.worldbank. (ex.que ao fornecem apoio financeiro às ONG e organizações de base comunitária. Frequentemente a ajuda multilateral está orientada para programas de apoio aos governos. esses organismos designam-se multilaterais. mas muitas agências da ONU trabalham em estreita colaboração com as ONG. Esses bancos podem ser globais ou regionais na Mundial Desenvolvimento incidência geográfica. Embora o seu principal negócio seja oferecer empréstimos e assessoria política a governos "clientes". IDA. Aga Khan. (ex. (ex. PNUD. benfeitores.: Calouste Gulbenkian.org/L3OBEDPQO0 http://go. ICSID). DfID) Agência das Nações Unidas Dado que vários governos contribuem para as operações das agências das Nações Unidas.

html De acordo com o United Nations Fund for International Partnerships (UNFIP). 2009 . De acordo com o ranking da Foundation Center.deeep. Todavia considera-se que foi identificado um conjunto significativo de linhas de financiamento. As linhas de financiamento identificadas foram triadas com base em 3 critérios: Critério 1 . Plataforma das ONGD e Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento. Tal incluiu: • As 10 maiores fundações dos Estados Unidos da América9.http://foundationcenter.htm 12 11 De acordo com o Query Wizard for International Development Statistics da OCDE . 11 / 49 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 . a preços correntes).A. Os resultados obtidos foram apresentados e debatidos com um grupo restrito para o qual foram convidados representantes do Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento.html 10 9 DEEEP Funding Opportunities.A Análise das linhas de financiamento 1. foi realizada uma pesquisa na Internet de modo a identificar os financiamentos e detalhar a informação relevante sobre os mesmos. Partiu-se do pressuposto que os países com maior volume de ADP terão representarão mais oportunidades de financiamento através das ONGD. bem como as identificadas pelo Development Education Exchange in Europe Project10.http://www.un. • As 5 maiores Fundações Europeias11. para além de Portugal e Suíça.org/qwids/ 13 De notar que em várias das linhas de financiamento excluídas por este critério.org/fundingopportunities. há ainda a hipótese de ONGD Portuguesas poderem ser parceiras no projecto/consórcio. • As Agências Bilaterais dos 11 países com maior volume de Ajuda Pública ao Desenvolvimento em 200812 (valor efectivo para todos os destinatários e sectores.2 – Metodologia Com vista a responder às duas questões definidas para esta etapa do Estudo. tendo em conta as despesas em junho de 2005 . tendo em conta o total de doações disponível nos dados financeiros mais recentes (25/06/2009) .org/partnerships/YStatTop20EUFdtnExp. bem como as identificadas pelo Development Education Exchange in Europe Project8.http://stats.oecd. O estudo foi limitado pela disponibilidade de tempo e pela informação disponível na Internet. Fundação Calouste Gulbenkian.http://www.1.Possibilidade de acesso directo por parte de uma ONGD Portuguesa como entidade promotora13.org/findfunders/topfunders/top100giving.

para estas foi identificado o envelope financeiro disponibilizado anualmente para projectos de CD a serem implementados por ONGD (entre outras entidades). Critério 3 . isto é. Sempre que possível.A Análise das linhas de financiamento Critério 2 . Só as que corresponderam a todos os critérios foram alvo de uma análise detalhada das suas características específicas. Ficam assim excluídos projectos de Educação para o Desenvolvimento.Existência de candidaturas regulares.1. Ajuda Humanitária e projectos que não decorram em Países em Vias de Desenvolvimento (PVD). não é uma iniciativa isolada/pontual. 14 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 12 / 49 .Possibilidade de utilização do financiamento para implementação de projectos de Cooperação para o Desenvolvimento14.

3 – Principais Resultados (1) Que financiamentos estão (regularmente) disponíveis para apoiar directamente as ONGD Portuguesas a implementarem os seus projectos de CD? Foram identificadas um total de 103 Linhas de financiamento provenientes de 70 instituições públicas e privadas (ver Tabela 2).A Análise das linhas de financiamento 1. 103 46 43 6 5 3 Linhas de financiamento Públicas e Privadas analisadas Provenientes de Fundações Nacionais ou Internacionais Provenientes de Agências Bilaterais de APD a Provenientes de Bancos Multilaterais de Desenvolvimento Provenientes de Agências das Nações Unidas Proveniente de outras Organizações Internacionais a incluindo dos 10 países com maior volume de APD em 2008. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 13 / 49 . Tabela 2 – Resumo da totalidade das Linhas de financiamento identificadas. Destas 43.1.A. 43 linhas de financiamento cumprem os 3 critérios definidos e foram assim analisadas em detalhe. apenas para 29 foi possível identificar com suficiente rigor o envelope financeiro disponibilizado anualmente para projectos de CD a serem implementados por ONGD (entre outras entidades). Das 103 linhas de financiamento identificadas. A Tabela 3 resume a totalidade das Linhas de financiamento identificadas e analisadas em detalhe.

Environment) • National Endowment for Democracy Discretionary Grants • The King Baudoin Foundation .Youth in Action Programme (Action 3.Investing in People Thematic Programme (2007 – 2013) • EC .United States Agency for International Development • DfID .2 — ‘Youth in the world’: Cooperation with countries other than the neighbouring countries of the European Union) • EC . including energy (ENRTP) • EC .Grant Program).Non-State Actors and Local Authorities in Development • EC . Community Participation. Crosscutting issues (Human Resource Development.1.Development Marketplace • World Bank – Japan Social Development Fund • World Bank – Post–Conflict Fund (PCF) Privados (45) Fundações Nacionais ou Internacionais • The MacArthur Foundation – Program on Global Security and Sustainability • The Aga Khan Foundation – Education. Humanitarian and Security Fund • L'Organisation internationale de la Francophonie – Programme spécial de développement (PSD) Bancos Multilaterais de Desenvolvimento • World Bank . Públicos (58) Agências Bilaterais de APD • IPAD .Matriz das Linhas de financiamento identificados e analisadas.Partnership Programme Arrangements • AFD .A Análise das linhas de financiamento Tabela 3 ."Strengthening the role of civil society in promoting human rights and democratic reform.Agence Française de Developpement Facilité d’Innovation Stratégique pour les ONG (FISONG) • AFD .Global Development and Global Health Programs • Ford Foundation • The William and Flora Hewlett Foundation Global Development and Population Programs • The David and Lucile Packard Foundation Population and Reproductive Health Program • Fundação Portugal-África Enquadra-se no âmbito do Estudo e têm informação sobre a totalidade do envelope financeiro anual (29) Outras organizações • OPEC Fund for International Development (OFID.King Baudouin International Development Prize • Bill and Melinda Gates Foundation .Agence Française de Developpement Concours locaux de faible montant (CLFM) • Agência Espanhola de Cooperação internacional para o Desenvolvimento (AECID) .Thematic Programme for Environment and sustainable management of natural resources. Gender and Development.Conflict.linha de financiamento de projectos de apoio ao desenvolvimento • IPAD . Rural Development. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 14 / 49 .Norwegian Agency for Development Cooperation (International Organizations and Networks) • USAID .Department for International Development (UK) .Department for International Development (UK) . Civil Society. in supporting the peaceful conciliation of group interests and in consolidating political participation and representation" European Instrument for Democracy and Human Rights (EIDHR) • EC .Food Security Thematic Programme (2007 2010) • NORAD .Fundo da Língua Portuguesa • EC .Convocatória Aberta e Permanente (CAP) • DfID .

Minority Rights Program. Women’s Rights Program.African Water Facility Agências Bilaterais de APD • ACP-EU Water Facility (ACP-EUWF) • ACP-EU Energy Facility (ACP-EUEF) • ACP-EU EduLink Programme • JICA – Japan International Cooperation Agency • Netherlands .1.MDG3 Fund Fundações Nacionais ou Internacionais • La Fondation AEDES • Charities Aid Foundation • The Atlantic Philanthropies SEM candidaturas regulares.A Análise das linhas de financiamento Tabela 3 .Fast-track Initiative FTI Fundações Nacionais ou Internacionais • German Marshall Fund Outras organizações • OECD .Sida.Organization for Economic Co-operation and Development Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 15 / 49 .Education for All . mas não há informação sobre a totalidade do envelope financeiro anual (13) Agências das NU • The United Nations Democracy Fund (UNDEF) • Global Environment Facility’s Small Grants Program • Global Environment Facility's Full-Sized (FSPs) and Medium-Sized Projects (MSPs) • International Fund for Agricultural Development Financing Facility for Remittances (FFR) Bancos Multilaterais de Desenvolvimento • Banco Africano de Desenvolvimento .Apoio a Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento • The Sigrid Rausing Trust – Civic and Political Rights Program. isto é.Safe and healthy children and families Area of Excellence. Social and Environmental Justice Program • The Scaife Foundations (Carthage Foundation and Sarah Scaife Foundation) • Anna Lindh Foundation – Call for Long term programmes • Alcoa Foundation .Swiss Agency for development and Cooperation • EC-UN Joint Migration and Development Initiative Privados (45) Fundações Nacionais ou Internacionais • Fundação Calouste Gulbenkian . são iniciativas isoladas/pontuais (12) Agências das NU • The Frontlines Forum Bancos Multilaterais de Desenvolvimento • World Bank . santé et développement Enquadra-se no âmbito do Estudo.Ministry of Foreign Affairs . Públicos (58) Agências Bilaterais de APD • SDC . Global Education and Workplace Skills Area of Excellence • Open Society Initiative for Southern Africa OSISA • Fondation de France .Matriz das Linhas de financiamento identificados e analisadas.

The Euromed Youth Programme IV • L’Organisation internationale de la Francophonie – Paix.Social Affaires Program. Públicos (58) Agências Bilaterais de APD • ACP-EU EduLink Programme • EC .1. Building Communities. Disaster Relief • The Trust for Civil Society in Central and Eastern Europe (CEE Trust) • ERSTE Foundation .Civil Society Fund Outras organizações • Fondo Galego de Cooperación e Solidariedade Privados (45) Fundações Nacionais ou Internacionais • The Office Depot Foundation . Culture Program. Mellon Foundation • Silicon Valley Community Foundation • Charities Aid Foundation • The Atlantic Philanthropies • Fondazione Monte dei Paschi di Siena • Fondazione Cassa di Risparmio delle Provincie Lombardi – CARIPLO SEM Possibilidade de acesso por parte de uma ONGD Portuguesa como entidade promotora (30) Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 16 / 49 .Ministry for Economic Cooperation and Development (Germany) • SIDA .Swedish International Development Agency • CIDA .Policy Framework for Strategic Alliances with International NGOs (SALIN) for 2006-2010 Bancos Multilaterais de Desenvolvimento • World Bank .A Análise das linhas de financiamento Tabela 3 . • The Robert Wood Johnson Foundation • The Andrew W.Building Bridges for the Youth in Europe • The Robert Bosch Stiftung • The Virtual Foundation • European Cultural Foundation – Artistic Projects Grant • Wellcome Trust • AstraZeneca Foundation • GlaxoSmithKline Foundation • Lilly Endowment Inc.Matriz das Linhas de financiamento identificados e analisadas.Ministry of Foreign Affairs . démocratie et droits de l’Homme • JICA – Japan International Cooperation Agency • BMZ .Canadian International Development Agency • Cooperazione Italiana allo Sviluppo • Netherlands .Fast-track Initiative (FTI) • World Bank .Education for All . Europe Program • Allianz Cultural Foundation.Making a Difference in Children’s Lives.

1.Education for All . A tabela abaixo (Tabela 4) apresenta valores dos envelopes financeiros de cada uma destas 29 Linhas de financiamento e ano da informação.A Análise das linhas de financiamento Tabela 3 .East Program (Subprogram for European Integration) • The Open Society Institute (OSI) and the Soros foundations network – Sustainability of Human Rights and Accountability Watchdog NGOs in the European Union (The Human Rights and Governance Grants Program) • The Trust for Civil Society in Central and Eastern Europe (CEE Trust) • ERSTE Foundation ."Lifelong Learning" Programme • EC .Prevent and combat violence against children.Fundamental Rights and Citizenship Programme • EC .LIFE+ (Financial Instrument for the Environment) • EC . European Fund for the Integration of Third-country nationals) • EC . Power and Responsibility Programmes • Stefan Batory Foundation . disponibilizam cerca de € 5 mil milhões.Social Affaires Program. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 17 / 49 .Civic Institutions Program and The East .CfP • EC .Programme PROGRESS: Anti-discrimination and Diversity • EC . o envelope financeiro disponibilizado reduz-se para cerca de € 1. Retirando estes dois financiadores. nomeadamente através de fundações. É de salientar que 56% deste montante provêm da USAID e 19% provêm do sector privado dos E.Europe Programme (CfP) • ESEC Prize 2009 for organised civil society • JICA – Japan International Cooperation Agency Bancos Multilateriais de Desenvolvimento • World Bank . Públicos (58) Agências Bilaterais de APD • EC .AMICUS Preparatory Action (Youth in Action) .A.2 mil milhões.European Youth Foundation • German Marshall Fund Outras organizações • OECD . para projectos de CD a serem implementados por ONGD (entre outros). Europe Program • Allianz Cultural Foundation.Organization for Economic Co-operation and Development Privados (45) Fundações Nacionais ou Internacionais • Fundação EDP .Programa EDP Solidária • The Charles Stewart Mott Foundation .U. Culture Program. Sustainable Development) • European Programme for Integration and Migration • The Minor Foundation for Major Challenges • European Cultural Foundation – Artistic Projects Grant • AstraZeneca Foundation • GlaxoSmithKline Foundation • Lilly Endowment Inc.Civil Society Programme (Central/Eastern Europe and Russia Programme area) • Evens Foundation • Joseph Rowntree Charitable Trust .Europe for Citizens Programme • EC .Building Bridges for the Youth in Europe • The Robert Bosch Stiftung • Rockefeller Brothers Fund – Western Balkans (Democratic Practice.Intelligent Energy .DAPHNE III .Solidarity and Management of Migration Flows Programme (European Refugee Fund. young people and women and to protect victims and groups at risk • EC .Matriz das Linhas de financiamento identificados e analisadas.Grants and Contracts in the field of Communications • EC .Peace. • The Robert Wood Johnson Foundation • Silicon Valley Community Foundation • Charities Aid Foundation • Fondazione Monte dei Paschi di Siena SEM Possibilidade de utilização do financiamento para implementação de projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (39) As 29 Linhas de financiamento para as quais foi identificada informação sobre o envelope financeiro.Fast-track Initiative (FTI) Fundações Nacionais ou Internacionais • Council of Europe . Racial Justice.Prevention and fight against crime (ISEC Programme) • EC .

Humanitarian and Security Fund (Reino Unido) IPAD .Convocatória Aberta e Permanente (Espanha) The William and Flora Hewlett Foundation .Fundo da Língua Portuguesa (Portugal) AFD . 211 milhões € Civil Society. Cross-cutting issues (Suíca) Comissão Europeia .Non-State Actors and Local Authorities 226 milhões € in Development The Aga Khan Foundation – Education.3 milhões € 5 milhões € 5 milhões € 4. including 120 milhões € energy (ENRTP) DfID .8 milhões € 2009 2005 2008 Média anual 2009 Média anual (2007-2009) 2009 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 18 / 49 .Grant Program) DfID .Facilité d’Innovation Stratégique pour les ONG (França) The MacArthur Foundation – Program on Global Security and Sustainability (EUA) 104 milhões € 72 milhões € 40 milhões € 24 milhões € 24 milhões € 2008 21 milhões € 20 milhões € 19 milhões € 6.A Análise das linhas de financiamento Tabela 4 – Envelopes financeiros conhecidos (valores aproximados) e ano de referência.8 mil milhões € 627 milhões € 246 milhões € Ano de Referência Média anual Média anual (desde 1994) 2009 2009 (2007-2010) 2009 (2007-2010) Média anual 2009 (2007-2013) 2009 (2007-2010) Média anual (desde 2000) 2009 2009 Média anual (2000-2007) Comissão Europeia ."Strengthening the role of civil society in promoting human rights and democratic reform.Thematic Programme for Environment and sustainable management of natural resources.Global Development and Population Programs (EUA) World Bank – Japan Social Development Fund Comissão Europeia . Rural Development.Investing in People Thematic 151 milhões € Programme (2007 – 2013) Comissão Europeia .Food Security Thematic Programme 231 milhões € (2007 .2010) Comissão Europeia .1. Fonte de Financiamento USAID (EUA) Bill and Melinda Gates Foundation .Conflict. in supporting the peaceful conciliation of group interests and in consolidating political participation and representation" European Instrument for Democracy and Human Rights (EIDHR) NORAD (Noruega) The David and Lucile Packard Foundation .Global Development and Global Health Programs (EUA) Ford Foundation (EUA) Envelope Financeiro anual 2.Partnership Programme Arrangements (Reino Unido) AECID .Population and Reproductive Health Program (EUA) OPEC Fund for International Development (OFID.

2 — ‘Youth in the world’: Cooperation with countries other than 2. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 19 / 49 .King Baudouin International Development Prize (Bélgica) 2 milhões € 906 mil € 272 mil € 150 mil € 2009 2008 2008 Desde 1995 a 2007 Anualmente Para além destes financiamentos reconhece-se ainda a existência de outros que aqui não foram analisados.Discretionary Grants (EUA) L'Organisation internationale de la Francophonie – Programme spécial de développement (França) Fundação Portugal-África (Portugal) The King Baudoin Foundation .Development Marketplace IPAD .5 milhões € 2.Youth in Action Programme (Action 3. O Gráfico 1 resume a análise dos resultados apresentados.1. Destacam-se contudo os financiamentos directos do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED) e os fundos das Embaixadas para acções locais de cooperação para o desenvolvimento.7 milhões € 4 milhões € 3.Concours locaux de faible montant (França) World Bank . Fonte de Financiamento World Bank – Post–Conflict Fund (PCF) AFD . dada a grande variabilidade dos procedimentos de acesso.linha de financiamento de projectos de apoio ao desenvolvimento (Portugal) Envelope Financeiro anual 4.8 milhões € Ano de Referência Média anual (1997-2007) 2007 2009 2009 Comissão Europeia .6 milhões € the neighbouring countries of the European Union) National Endowment for Democracy .A Análise das linhas de financiamento Tabela 4 – Envelopes financeiros conhecidos (valores aproximados) e ano de referência.

Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 20 / 49 . num total de €5 mil milhões Gráfico 1 – Resumo da análise dos resultados.1. não são iniciativas isoladas/pontuais 65 COM possibilidade de acesso por parte de uma ONGD Portuguesa como promotora 43 COM possibilidade de utilização do financiamento para implementação de projectos de Cooperação para o Desenvolvimento 29 disponibilizam informação sobre o envelope financeiro anual.A Análise das linhas de financiamento 103 linhas de financiamento identificadas 91 linhas de financiamento COM candidaturas regulares. isto é.

permitem orçamentar custos de identificação de projecto e que não requerem cofinanciamento obrigatório (ou não está definida a obrigatoriedade).1. não invalidando a relevância do estabelecimento de contactos directos com o financiador. Tabela 5 – Linhas de financiamento que permitem orçamentar custos de identificação projecto e não requerem co-financiamento obrigatório.A Análise das linhas de financiamento Importa ressalvar que o número de linhas de financiamento e o valor indicado do envelope anual disponível deve ser analisado com algumas reservas. por outro lado. haverão com certeza. O Anexo 4 a este documento (ficheiro Excel) reúne informação de base sobre todas as linhas de financiamento analisadas. outras linhas de financiamento que não foram analisadas nem quantificadas. Tal poderá ser uma ferramenta útil para uma primeira análise. (2) Como funcionam os financiamentos? A tabela abaixo (Tabela 5) apresenta as Linhas de financiamento que. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 21 / 49 . Permitem orçamentar custos de identificação de projecto Agências Bilaterais de APD Agências das Nações Unidas Bancos Multilaterais de Desenvolvimento Fundações Nacionais ou Internacionais Outras organizações internacionais 7 2 2 4 0 Não requerem cofinanciamento obrigatório (ou não está definida a obrigatoriedade) 9 2 3 11 0 As matrizes seguintes detalham a informação da Tabela 5. Por um lado. pesquisas de informação adicional sobre projectos apoiados anteriormente etc. também é inegável que o acesso a estas linhas de financiamento deve ser acompanhado por um estudo prévio do(s) financiador(es) por parte da ONGD. dos financiadores passíveis de serem acedidas por ONGD Portuguesas para implementação de projectos de CD. por partes das IOMNGD. de entre as 43 analisadas em detalhe. com vista a avaliar a coerência do(s) financiador(es) face aos objectivos e princípios da própria ONGD.

Youth in Action LOiF .EIDHR EC .FISONG Co-financiamento obrigatório Co-financiamento não obrigatório (ou não definido) IPAD .JSBF Não permite orçamentar custos identificação de Projecto (ou não definido) Co-financiamento obrigatório Co-financiamento não obrigatório (ou não definido) WB .financiamento projectos CD Não permite orçamentar custos identificação de Projecto (ou não definido) EC .ENRTP EC .PSD EC .PPA DfID .A Análise das linhas de financiamento Agências Bilaterais de APD Permite orçamentar custos identificação de Projecto IPAD .CLFM Agências das Nações Unidas Permite orçamentar custos identificação de Projecto GEF .FFR UNDEF Co-financiamento obrigatório Co-financiamento não obrigatório (ou não definido) Bancos Multilaterais de Desenvolvimento Permite orçamentar custos identificação de Projecto BAfD – AWF WB .Development Marketplace WB .CHSF AFD .CAP DfID .Fundo da Língua EC-UN Joint Migration & Development AECID .FSP & MSP GEF – SGP Não permite orçamentar custos identificação de Projecto (ou não definido) IFAD .Food Security NORAD SDC USAID AFD .1.Investing in People EC .PCF Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 22 / 49 .NSA&LA EC .

A Análise das linhas de financiamento Fundações Nacionais ou Internacionais Permite orçamentar custos identificação de Projecto Sigrid Rausing Trust Anna Lindth Foundation Não permite orçamentar custos identificação de Projecto (ou não definido) Fundação Calouste Gulbenkian .Apoio a Projectos CD OSISA Fondation de France MacArthur Foundation Scaife Foundations Aga Khan Foundation National Endowment for Democracy Alcoa Foundation King Baudoin Foundation Bill and Melinda Gates Foundation William and Flora Hewlett Foundation David and Lucile Packard Foundation Co-financiamento obrigatório Ford Foundation Fundação Portugal-África Co-financiamento não obrigatório (ou não definido) Outras Organizações Permite orçamentar custos identificação de Projecto Não permite orçamentar custos identificação de Projecto (ou não definido) OFID .1. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 23 / 49 .Grant Program Co-financiamento obrigatório Co-financiamento não obrigatório (ou não definido) Em anexo apresentam-se ainda os rankings dos financiadores (agências bilateriais e fundações dos Estados Unidos da América e Europa).

Do contacto tido com as ONGD.A. limitam o acesso efectivo ao potencial de financiamento do sector aqui identificado.U.A Análise das linhas de financiamento 1. nomeadamente através de fundações. Importa ressalvar que o número linhas de financiamento e o valor indicado do envelope anual disponível deve ser analisado com alguma reserva: nem todas as linhas de financiamento disponíveis foram analisadas e haverá sempre necessidade de avaliar a coerência do financiador face aos objectivos e princípios das ONGD. 5 mil milhões de Euros acessível às ONGD Portuguesas para implementação de projectos de cooperação para o desenvolvimento. As conclusões finais do presente documento. considera-se que estão a captar uma parte significativamente pequena dos potenciais financiamentos para o sector.1. Cerca de 19% deste valor provém do IPAD (através da linha de financiamento de projectos de cooperação para o desenvolvimento e do fundo da língua Portuguesa) e da Comissão Europeia (através do Programa de Actores Não-Estatais e Autoridades Locais). exploram esta questão cruzando a informação recolhida em termos de identificação de oportunidades de financiamento e a realidade das ONGD portuguesas analisadas no Capitulo 1.A. o envelope financeiro identificado passa para 1.U. pelo menos. É de salientar que 56% deste montante provêm da USAID e 19% provêm do sector privado dos E. importa perceber quais os factores que. Existe um número significativo de Linhas de financiamento que não requerem co-financiamento obrigatório e permitem orçamentar custos de identificação de projecto.B. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 24 / 49 . Assim. Excluindo estes financiamentos provenientes dos E.2 mil milhões de Euros. mas com sucesso relativamente limitado. reconhece-se que algumas destas oportunidades são do conhecimento de algumas ONGD e que até algumas tentativas foram feitas no passado para aceder. de facto.A. considerando que as ONGD concentram grande parte do seu financiamento externo no IPAD e na Comissão Europeia.4 – Conclusões Existe um envelope financeiro anual de. Assim.

B – Análise das ONGD 1. com vista a fortalecer a sua capacidade para gerir mais e melhores financiamentos.B Análise das ONGD 1.1.B.1 – Definições e âmbito A análise das ONGD Portuguesas teve por objectivo responder às questões: (0) Como se caracteriza a ONGD Portuguesa “típica”? (1) Quais as razões que limitam o acesso das ONGD a financiamentos? (2) Quais as efectivas competências para lidar com mais/melhores financiamentos? (3) Que formações existem que podem apoiar as ONGD a ultrapassar essas limitações? De notar que se procedeu à identificação da oferta de formações relevantes para as ONGD. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 25 / 49 . uma vez que se prevê que o fundo a criar venha a ter uma componente de formação das ONGD.

Das 17 respostas obtidas incluem-se 12 das 27 ONGD financiadas. para o qual foram convidados representantes da actual. Foram identificadas 12 instituições que anualmente organizam 68 cursos de formação (incluindo a Plataforma Portuguesa das ONGD). entre 2002 e 2004.gov. através do concurso para implementação de projectos de Cooperação para o Desenvolvimento As respostas obtidas foram analisadas e foram calculadas as frequências de cada resposta. 15 Dados do IPAD de Março de 2009 (http://www.2 – Medodologia Com vista a responder às questões (0) Como se caracteriza a ONGD Portuguesa “típica”? (1) Quais as razões que limitam o acesso das ONGD a financiamentos? (2) Quais as efectivas competências para lidar com mais/melhores financiamentos?. foi realizada uma pesquisa na Internet. Com vista a responder à questão (3) Que formações existem que podem apoiar as ONGD a ultrapassar essas limitações?. A TESE enviou o questionário para essas 55 ONGD. pelo IPAD. O IPAD tem 161 organizações15 registadas como ONGD. direcção da Plataforma Portuguesa das ONGD.php?option=com_content&task=view&id=111&Itemid=142) Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 26 / 49 .ipad.pt/index.1. de forma a identificar as instituições nacionais e internacionais que promovem formações nas áreas relevantes.B Análise das ONGD 1. Os resultados foram apresentados e debatidos com um grupo restrito de ONGD. e obteve respostas de 17 organizações. bem como para a Assistência Médica Internacional (AMI). bem como da anterior.B.mne. das quais apenas 55 são associadas da Plataforma Portuguesa das ONGD. foi realizado um inquérito por questionário às ONGD Portuguesas. apoiada por contactos telefónicos sempre que necessário.

000.00€ e 500. • Em termos de recursos humanos.B. menos de 5 expatriados (71%).B Análise das ONGD 1. menos de 5 quadros locais (35%) e conta com menos de 5 voluntários por ano (29%). Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 27 / 49 .000€ (35%).00€ e 500. tem menos de 5 assalariados na sede (47%). Tem como fonte de financiamento o IPAD (88%). • Tem menos de 2 assalariados envolvidos na elaboração de candidaturas a financiamentos externos para projectos de CD (41%) • Tem necessidade de aceder a financiamentos externos para poder implementar as suas actividades de CD (100%) Os Gráficos abaixo (2 a 4) apresentam as frequências detalhadas.3 – Principais Resultados (0) Como se caracteriza a ONGD Portuguesa “típica”? Com base na análise das respostas mais frequentes (moda) conclui-se que a ONGD Portuguesa “típica”: • • • • Implementa 1 a 5 projectos de CD anualmente (71%). Recebe um total de financiamentos para projectos de CD entre 200.000€ (35%). Gere um total anual de proveitos entre 200.1.000.

000€ 200.000€ 3.000€ a > 3.Total de Recursos Humanos (média dos últimos 2 anos).000€ a 1. 28 / 49 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 .B Análise das ONGD 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% <= 50.000€ a 500.000.000.000€ 500.000€ 50.000.Total de Proveitos vs Total Financiamentos externos para projectos de CD (média dos últimos 2 anos) Frequência 80% 70% Na s ede 60% 50% Frequência Expatriados 40% 30% 20% 10% 0% <= 5 5 a 10 10 a 20 20 a 35 35 a 50 > 50 Locais Núm ero de Voluntários Gráfico 3 .000€ Total de receitas /proveitos anuais da organização Total anual de financiamentos /subsídios de doadores externos para projectos de CD Gráfico 2 .000€ 1.000.000€ a 200.1.

Organismos Públicos de países terceiros Organismos Públicos de outros Estados-membros da UE Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 Fundos privados não institucionais 29 / 49 IPAD . com base na análise das respostas mais frequentes (moda). para projectos de CD (94%). • Têm uma taxa de aprovação das candidaturas a financiamentos entre os 51% e os 75% (41%). (1) Quais as razões que limitam o acesso das ONGD a financiamentos? Relativamente às razões que limitam o acesso das ONGD a financiamentos. • Consideram que as principais razões para as candidaturas não seram aprovadas são insuficientes recursos alocados à elaboração de candidaturas (41%) e envelopes financeiros dos doadores demasiado "curtos" (41%).B Análise das ONGD 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Sector privado/Fundações Comissão Europeia / União Europeia Outras organizações internacionais Particulares Nações Unidas Autarquias Gráfico 4 . mas também a financiamentos do Sector Privado/Fundações (88%) e da Comissão Europeia / União Europeia (81%). conclui-se que as ONGD Portuguesas: • Concorrem a financiamentos do IPAD. • Manifestam que lhes seria útil ter acesso a mais fontes de financiamento (94%).Proveniência dos financiamentos/subsídios (média dos últimos 2 anos).1.

por falta de recursos para elaborar candidaturas (47%) e por terem insuficientes dimensão e capacidade de gestão (47%). nomeadamente de Outras fontes Europeias (47%) e Fundações nacionais e internacionais (41%).Principais temáticas sobre as quais as ONGD consideram necessitar de formação com vista à captação e gestão de mais e melhores financiamentos Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 Gestão financeira do terceiro sector (ONG) 30 / 49 Marketing social das ONG . 25% 20% 15% 10% 5% 0% Monitorização/Avaliação de projectos Acesso e Mobilização de recursos financeiros para a realização de projectos Comunicação e Imagem Gestão e Planeamento de Projectos/ Ciclo Projecto Gráfico 5 . • Consideram que para ultrapassar essas dificuldades seriam benéficas acções de formação na área da Monitorização/Avaliação de projectos (24%) Os Gráficos abaixo (5 a 7) apresentam as frequências detalhadas. • Não acedem a esses financiamentos por falta de recursos para fazer identificação de projecto (53%).B Análise das ONGD • Têm conhecimento de outras fontes de financiamento às quais não concorrem (82%).1.

Razões pelas quais as ONGD Portuguesas não acedem a mais fontes de financiamento.Principais razões para a não aprovação de mais candidaturas a financiamentos.10% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 0% 5% 20% 30% 40% 50% 60% 0% 1. Reduzida presença no terreno 31 / 49 . Reduzida interlocução/ negociação com financiadores Inexistência de parcerias locais relevantes Gráfico 7 .B Análise das ONGD Falta de recursos para fazer identificação Insuficientes recursos alocados à elaboração de candidaturas Falta de recursos para elaborar candidaturas Envelopes financeiros dos doadores demasiado "curtos" Dimensão e capacidade de gestão insuficientes Dificuldades em co-financiar o orçamento do projecto Falta de conhecimentos técnicos na elaboração do projecto Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 Dificuldade em estabelecer parcerias Desconhecimento de Empresas Disponíveis a Financiar Insuficientes recursos para adequada identificação de projecto Gráfico 6 .

Possuírem um responsável financeiro e um responsável de projectos é bastante comum (82%). sectores ou países prioritários de actuação (82%) Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 32 / 49 . mas não têm um responsável logístico (apenas 24% têm) nem um responsável de Recursos Humanos (apenas 24% têm). conclui-se que as ONGD Portuguesas: • Possuem quadros de gestão com formação e experiência em Gestão do Ciclo de Projecto (88%).B Análise das ONGD (2) Quais as efectivas competências para lidar com mais/melhores financiamentos? Relativamente às as efectivas competências para lidar com mais/melhores financiamentos. e utiliza software específico para contabilidade (88%) – ver Gráfico 7. Não possuem Manual de Gestão de Recursos Humanos (53%). com base na análise das respostas mais frequentes (moda). • • • Não realizam auditoria externa (apenas 17% o faz). • Têm um documento de estratégia definindo as orientações quanto às áreas.1. • Produzem relatórios anuais (100%) e a grande maioria possui contabilidade organizada (94%).

Auditoria Externa Possui contabilidade organizada Possui mapas previsionais de controlo de tesouraria Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão Final 9 Outubro de 2009 33 / 49 .1.B Análise das ONGD 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Utiliza software específico para a contabilidade e tesouraria Mapa de indicadores periódico para controlo de gestão Produz relatórios anuais (orçamento e contas) Gráfico 7 .Existência de procedimentos de gestão de recursos financeiros.

B Análise das ONGD (3) Que formações existem que podem apoiar as ONGD a ultrapassar essas limitações? Foram identificadas 13 organizações que oferecem 69 cursos em temáticas relevantes para as ONGD (ver Tabela 6). DOS DOCUMENTOS DIAGNÓSTICO DAS NECESSIDADES DE FORMAÇÃO Entrajuda – Associação para o Apoio a Instituições de Solidariedade Social • • • • • • • • • • • • • • • • • • INA .Gestão de Organizações Sociais GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FINANÇAS PARA NÃO FINANCEIROS FUNDOS NACIONAIS E COMUNITÁRIOS I / WORKSHOP: CANDIDATURAS A FUNDOS II CONTABILIDADE GERAL E ANALÍTICA PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES INTRODUÇÃO AO PLANEAMENTO ESTRATÉGICO I / WORKSHOP: PLANEAMENTO ESTRATÉGICO II TRABALHO EM EQUIPA – I / LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS – II INTRODUÇÃO À AVALIAÇÃO DESEMPENHO I / WORKSHOP: AVALIAÇÃO DESEMPENHO II GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO DE VOLUNTÁRIOS DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO (DECODE) CONTABILIDADE ANALÍTICA CONTABILIDADE BÁSICA PARA NÃO FINANCEIROS GESTÃO DE PROJECTOS CONCEPÇÃO E GESTÃO DE PROJECTOS GESTÃO DE RISCOS EM PROJECTOS TÉCNICAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIATIVIDADE ESTRATÉGIAS PARA UMA ESCRITA PROFISSIONAL EFICAZ OS PRINC.Instituições e cursos que oferecem. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 34 / 49 .DA ESCRITA EFICAZ: COMO MELHORAR A LEGIBILID. Instituição formadora (PORTUGAL) ISU – Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária Cursos • • • • • • Gestão de Programas Voluntariado Formação Geral para o Voluntariado GOS .Instituto Nacional de Administração. Tabela 6 .P. I.1.

desafios internos) Formação em Gestão de Recursos Humanos.B Análise das ONGD Stone Soup • • • • • • Comunicação e Marketing Financiamento sustentável Parcerias e redes sociais Gestão de Recursos Humanos e Desenvolvimento Humano Ciclo de Projecto Globalização. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 35 / 49 . estatuto das ONGD e benefícios fiscais a ele associado Formação em estratégias de comunicação e imagem Formação em ética e responsabilidade social Introdução à Gestão do Ciclo de Projecto (GCP). gestão de equipas e inovação social Formação em parcerias. relatórios de execução e relatórios financeiros Formação em avaliação (da organização e de projectos) Formação em planeamento estratégico das organizações (missão. opções estratégicas. políticas de cooperação multilaterais e bilaterais. Identificação e Formulação de projectos segundo o Enfoque do Quadro Lógico (EQL) WORKSHOP PARA O REFORÇO DE COMPETÊNCIAS EM CONSULTORIA INTERNACIONAL • • Plataforma Portuguesa das ONGD16 • • • • • • • OGIMATECH Portugal Consultoria Empresarial e Institucional. visão e valores base. SA CENTROP • • • 16 Com base no programa de formações previsto pela plataforma para 2009-2011. redes sociais e relacionamento com os stakeholders da organização (compreender o ambiente externo. quadros lógicos.Desafios e constrangimentos Formação em tendências actuais da Cooperação Internacional (modalidades da ajuda.1. Liderança. Desenvolvimento e Ajuda Pública ao Desenvolvimento . desafios externos) Formação sobre questões legais. agenda da coordenação e harmonização) Formação em Gestão de Projectos (de acordo com as regras definidas em conjunto com o IPAD e com as regras definidas pela União Europeia). preenchimento dos formulários.

Há a ressalvar que a formação dada pela Entrajuda – Associação Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 36 / 49 .B Análise das ONGD Instituição formadora (INTERNACIONAIS) Cursos • • Strategic Financial Management for NGOs: Managing for Financial Sustainability Financial Management for Effective & Sustainable Programmes – Practical Tools & Strategies for NGOs Grant Management Essentials: How to Keep Your Donors Happy Field Accounting Essentials – How to keep track of your activities Budgeting Essentials – Everything you need to know about budgeting for NGOs Budgeting for Project Proposals – How to write budgets that win funds In-house training (ex.Management Accounting for NonGovernmental Organisations • • • • • INTRAC Groupe URD • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • NMS .British Overseas NGOs for Development Welcomeurope Das 69 formações identificadas. Participatory Programme Design) Project evaluation: a tool for improvement Project management cycle Essentials of NGO Management Project Proposals for Results Essentials of Fundraising Financial Management for Non-Finance Executives Monitoring and Evaluation Project Planning and Management with Logical Framework Approach Introduction to advocacy EU corridors of power Fundraising from trusts and foundations: persuasive writing Fundraising from charities and companies: relationship building Putting together a funding proposal Fundraising from institutions Fundraising from the public: supporter marketing Introduction to EC funding Fundraising for financial sustainability Working with Southern partners Monitoring and evaluation for accountability Introduction to project budgeting How to access European grants for projects in the ACP area Mango . 40 são dadas por organizações portuguesas e as restantes 29 por organizações europeias.1. Strengthening Coalitions and Networks.: Programme Cycle Management.NGO Management School BOND .

iii) Financiamentos e relação com doadores e iv) Gestão eficaz de ONGD. ii) Gestão de projectos/programas de CD. focam-se predominantemente nas necessidades das IPSS. I. são generalistas. não sendo especificamente orientados para as ONGD e a Cooperação para o Desenvolvimento (com excepção do DECODE).B Análise das ONGD para o Apoio a Instituições de Solidariedade Social. Por outro lado os cursos do INA Instituto Nacional de Administração. A Tabela 7 apresenta os cursos identificados agregados em 4 temas gerais: i) Advocacia e campanhas. sendo potencialmente úteis para as ONGD.1. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 37 / 49 .P.

1. Temas Formação Advocacia e campanhas Gestão de projectos/programas de CD Financiamentos e relação com doadores Gestão eficaz de ONGD TOTAL N.º cursos 8 17 13 31 69 Nacionais Internacionais 6 8 2 24 40 2 9 11 7 29 Apesar de se considerar que existe uma oferta significativa de formações relevantes para fortalecer o desempenho das ONGD. de acordo com os resultados do questionário (Gráfico 8). sendo bastante mais frequentes os cursos que se destinam à melhoria e “Gestão eficaz de ONGD”. Oferta de formação vs. Procura pelas ONGD Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 38 / 49 .Resumo das formações analisadas. temas como “Financiamentos e relação com doadores” são ainda pouco frequentes em Portugal.B Análise das ONGD Tabela 7 . 50% 45% 40% 35% Frequência Procura Frequência Oferta Frequência 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% Advocacia e campanhas Gestão de Financiamentos e projectos/programas de relação com doadores CD Gestão eficaz de ONGD Gráfico 8. Esta oferta não se conjuga necessariamente com a procura por parte das ONGD.

Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 39 / 49 .1.B Análise das ONGD Não foi analisada a qualidade e a frequência efectiva das formações – eventualmente poderia ser interessante fazê-lo. de forma a validar a informação recolhida. mas não no âmbito deste estudo.

mas em Portugal temas relacionados com “Financiamentos e relação com doadores” são ainda pouco tratados (apenas 15% da oferta existente).B. • A vasta maioria das ONDG portuguesas concorre predominantemente a financiamentos do IPAD da Comissão Europeia e têm uma boa taxa de sucesso na aprovação das suas candidaturas. a sua pequena dimensão pode limitar a capacidade de acompanhar o aumento de exigências decorrentes do acesso a mais e melhores financiamentos. Têm menos de 5 expatriados. com um orçamento total anual que não ultrapassa os 500. todavia. não concorrem fundamentalmente por falta de recursos para fazer identificação de projecto e elaboração das candidaturas e por terem insuficientes dimensão e capacidade de gestão. menos de 5 elementos locais e menos de 5 voluntários. considera-se 4 elementos essências que caracterizam as ONGD Portuguesas típicas: • As ONGD em Portugal são na sua maioria de pequena dimensão.1. Implementam no máximo 5 projectos de CD anualmente.4 – Conclusões Em conclusão.B Análise das ONGD 1. Em relação á oferta de acções de formação que possam contribuir para um aumento de competências das ONGD conclui-se que • Existe uma oferta relevante de cursos de formação em temas potencialmente úteis para as ONGD. No entanto. • Apesar das ONGD em Portugal apresentarem um conjunto de competências que indicam boa capacidade para gerir as suas actividades e os seus financiamentos actuais. quando seria de esperar uma maior procura de cursos relacionados com “Financiamentos e relação com doadores”. • Consideram útil o acesso a mais fontes de financiamento e têm conhecimento de outras fontes de financiamento. • Não parece haver uma relação evidente entre o que as ONGD apontam como razões para a não aprovação das candidaturas – falta de recursos para elaboração de candidaturas e as necessidades de formação indicadas – Gestão de projectos/programas de CD. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 40 / 49 . com menos de 5 assalariados na sua sede.000€.

também.B Análise das ONGD • Parece haver um desfasamento entre as necessidades de formação identificadas pelas ONGD e a oferta em Portugal. Para alem disso. para o alargamento da intervenção da sociedade civil. neste caso as ONGD. tal contribuirá. Assim. e para uma maior proeminência e visibilidade dos temas ligados à Cooperação para o Desenvolvimento Internacional.1. e ii) formações que possibilitem o acesso e posterior gestão de novos e mais financiamentos. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 41 / 49 . poderá contribuir para um aumento da dimensão (e da qualidade) do trabalho destas organizações o que se traduzirá num maior impacto das suas actividades. nomeadamente nos cursos relacionados com “Financiamentos e relação com doadores” e “Gestão eficaz de ONGD”. conclui-se que a criação de um mecanismo que permita às ONGD ter acesso a i) mais recursos para a identificação e concepção de projectos de CD.

pois não existe uma forma eficaz – por exemplo através de uma página de Internet. em Portugal a ONGD típica apesar de registar um currículo de intervenção sólido na área da Cooperação para o Desenvolvimento.Conclusão geral e próximos passos Conclusão geral e próximos passos Desta componente do trabalho conclui-se que existe de facto um conjunto significativo de oportunidades de financiamento que. Por outro lado. tem uma dimensão relativamente reduzida e uma grande concentração nas oportunidades de financiamento provenientes do IPAD e da Comissão Europeia (via Actores Não Estatais). entre as causas que limitam o acesso a um maior volume e a fontes mais diversas de financiamento: • Desconhecimento das oportunidades – Seguramente algumas das oportunidades de financiamento existentes não são do conhecimento das ONGD.A. modelos e âmbito geográfico de actuação parece ser chave no processo de acesso a financiamentos mais diversificados e de maior volume. A criação de capacidade para (re)definir estratégias. Essas oportunidades podem ser quantificadas em pelo menos 5 mil milhões de Euros em termos globais. que contribuem para dificultar o acesso e aumentam o custo de investimento na elaboração de candidaturas. Assim.B. importa explorar os factores que limitam o acesso efectivo ao potencial de financiamento do sector aqui identificado. a presença continuada junto dos centros de decisão continua a ser chave para Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 42 / 49 . apesar de serem passíveis de serem captados por ONGD Portuguesas. Há também uma grande diversidade de processos de candidatura. • Distância dos centros de decisão – Apesar de uma tendência para processos de atribuição de financiamento cada vez mais claros e divulgados publicamente (na maior parte dos casos na Internet). sendo que 75% deste valor provem de entidades dos E. que representam apenas 5% do envelope financeiro das oportunidades identificadas neste trabalho. de as identificar e acompanhar os convites à apresentação de propostas de projectos. • Ausência de uma estratégia de crescimento – A diversificação de fontes de financiamento passa por uma mudança de estratégia de muitas ONGD. Cruzando a informação recolhida em termos de identificação de oportunidades de financiamento (1. e competências e ferramentas de trabalho apropriadas.A) e a realidade das ONGD portuguesas (1. de facto não o são.). que responda às mudanças do paradigma actual de competição global e “acesso universal” a informação.U. apontam-se 5 factores que se parecem destacar.

nomeadamente a nível internacional. bem como a sua eficaz gestão e aplicação. Tal será explorado no próximo passo deste estudo.Conclusão geral e próximos passos acompanhar (e influenciar) as tendências internacionais. Tal poderá passar pela identificação das vantagens competitivas (pelo seu perfil. bem como a associação a ONGD ou outras entidades internacionais reconhecidas. Raras são as ONGD Portuguesas que têm essa estratégia e muito menos as que parecem ter essa efectiva capacidade. do poder político ou até dos desempregados qualificados que necessitam que encontram novas oportunidades. • Escassez de recursos – É manifesto que as ONGD portuguesas têm recursos escassos.e. Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 43 / 49 . experiência nos países de actuação. Tal é também agravado pela ausência nos centros de decisão já referida. nem reduzem a vulnerabilidade financeira. porque os recursos são escassos. Tal tem ainda como consequência o não reconhecimento das ONGD e do tema da Cooperação para o Desenvolvimento. domínio da língua/cultura locais etc) que possam oferecer nestas parcerias. logo não ganham escala nem reconhecimento. o que inevitavelmente as empurra para o ciclo limitador do crescimento. A criação de mecanismos que permitam mitigar o risco de investimento para aceder a novos financiamentos poderá contribuir para sair deste ciclo limitador do crescimento. onde se avaliará a viabilidade e o modelo de actuação de tal ferramenta. poderá ser uma forma de facilitar o acesso a novos financiamentos. Desta forma. aumentando assim o impacto deste sector. i. ainda não atingiram uma dimensão e um grau de reconhecimento. conclui-se que uma ferramenta que articule componentes que respondam aos 5 pontos acima mencionados. • Falta de escala e de reconhecimento (inter)nacional das ONGD Portuguesas – Apesar de várias ONGD portuguesas terem já um Curriculum muito relevante de actuações na área da Cooperação para o Desenvolvimento. poderá contribuir para efectivamente alavancar o acesso a mais e melhores financiamentos para projectos de CD a implementar por ONGD. A criação de parcerias entre ONGD portuguesas. que facilite o acesso a novos financiadores. é reduzida a capacidade de diversificar processos e arriscar em novos modelos e oportunidade de financiamento. A participação em redes de plataformas internacionais e o envolvimento de organizações públicas e privadas capazes de apoiar o exercício dessa presença e lobby é essencial. da sociedade em geral.

Ranking de doadores bilaterais 2. Lista e informação base sobre as linhas de financiamento analisadas (apenas em versão electrónica) Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 44 / 49 .Anexos Anexos 1. Ranking de Fundações Europeias 4. Ranking de Fundações Norte Americanas 3.

883.Query Wizard for International Development Statistics Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 i .82 $346.94 $4.50 $6.41 $362.32 n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a n/a Rank Country 1 United States* 2 Germany* 3 United Kingdom* 4 France* 5 Japan* 6 Netherlands* 7 Spain* 8 Sweden* 9 Canada* 10 Italy* 11 Norway* 12 Australia 13 Denmark 14 Belgium 15 Switzerland* 16 Austria 17 Ireland 18 Finland 19 Greece 20 Portugal* 21 Luxembourg 22 New Zealand 23 Saudi Arabia 24 Korea 25 Turkey 26 Chinese Taipei 27 United Arab Emirates 28 Poland 29 Other donors 30 Czech Republic 31 Israel 32 Kuwait 33 Hungary 34 Slovak Republic 35 Iceland * Analisados no âmbito do estudo.62 $3.338.678.84 $255.34 $500. Fonte: © OECD .956.224.23 $1.16 $1.06 $602.970.50 $1.992.71 $408.91 $4.73 $699.166.079.78 $1. Ranking de doadores bilaterais Total ODA in 2007 (USD million) $21.41 $13.967.008.32 $178.92 $9.139.82 $470.80 $2.80 $4.668.08 $4.07 $103.808.362.52 $2.408.786.910.Anexos Anexo 1.59 $7.952.729.87 $613.90 $12.02 $2.84 $4.728.139.192.00 $429.54 $9.689.QWIDS .324.66 $2.02 $2.20 $2.24 Total ODA in 2008 (USD million) $26.54 $375.078.725.00 $110.848.95 $6.53 $319.70 $9.380.88 $111.12 $692.46 $1.290.015.69 $3.49 $67.15 $6.681.800.19 $3.15 $981.83 $1.59 $3.685.26 $5.18 $11.20 $48.24 $514.443.71 $10.00 $1.562.

000 12/31/2008 344.450 12/31/2007 164. 8.562.193. 6. Name/(state) Bill & Melinda Gates Foundation (WA) AstraZeneca Foundation (DE) The Ford Foundation (NY) The William and Flora Hewlett Foundation (CA) GlaxoSmithKline Patient Access Programs Foundation (NC) Lilly Endowment Inc.400.247 09/30/2008 170. Kellogg Foundation (MI) The Annenberg Foundation (CA) Janssen Ortho Patient Assistance Foundation.. 22. and program or other administrative expenses (Fonte: The Foundation Center). program-related investments.960 12/31/2007 207.048 12/31/2008 177.000 09/30/2008 379. 23.708 12/31/2007 166.223 12/31/2007 161. 34.000. (IN) The Lincy Foundation (CA) The Roche Patient Assistance Foundation (NJ) The New York Community Trust (NY) The Duke Endowment (NC) The Rockefeller Foundation (NY) Merck Patient Assistance Program. 4.723 06/30/2008 259. MacArthur Foundation (IL) Walton Family Foundation.019.959 12/31/2007 ii Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 .834 12/31/2008 290. Inc. 30. grantmaking foundations ranked by total giving. (AR) California Community Foundation (CA) Genentech Access To Care Foundation (CA) The Starr Foundation (NY) The Susan Thompson Buffett Foundation (NE) Greater Kansas City Community Foundation (MO) The Annie E.386 12/31/2007 231.478 12/31/2007 192. 26. 7. 3. 18.322.979.864. (NJ) Wyeth Pharmaceutical Assistance Foundation (NJ) Total Giving (USD) 2.321 12/31/2007 188.943 12/31/2007 192. Inc.044. 24. 17. 21. 19.000 12/31/2008 526. e. 5.851 12/31/2007 216.396 12/31/2007 175.684.511. K.905. 32.Anexos Anexo 2.561 08/31/2008 266.675.096.418. 27.762 12/31/2007 162. employee matching gifts. 13.439.323 12/31/2007 301. 2.000 12/31/2007 142. 14. Inc.736. 9. 11.414. Inc. (IN) The Robert Wood Johnson Foundation (NJ) The David and Lucile Packard Foundation (CA) The Andrew W.685 12/31/2007 181.000 12/31/2007 612.694. Ranking de Fundações Norte Americanas The list below includes the 100 largest U. 28.198.211. scholarships. Casey Foundation (MD) The Bank of America Charitable Foundation.284. (NY) John D. 29.728. and Catherine T. 20.g.464.479 12/31/2008 300.175. Mellon Foundation (NY) Silicon Valley Community Foundation (CA) Gordon and Betty Moore Foundation (CA) W. loans.427 12/31/2007 336.047 12/31/2007 272.006. As of Fiscal Year End Date Rank 1.934 06/30/2008 215. 15.561 12/31/2007 291.936 12/31/2007 235. 31. 10. based on the most current audited financial data as of June 25. and other amounts reported as "grants and contributions paid during the year" on the 990-PF tax form.837.053.898.956.551.772 12/31/2007 218. Total giving does not include all qualifying distributions under the tax law. 12. 33. Inc.475 12/31/2007 170.856. (NJ) The Bristol-Myers Squibb Patient Assistance Foundation.359 12/31/2008 329.873 12/31/2007 202. S.011. 25. Total giving figures include grants. (NC) The Kresge Foundation (MI) Sanofi-Aventis Patient Assistance Foundation (NJ) Lilly Cares Foundation.500. Inc.236. 16. 2009.

222 12/31/2007 96. Inc. 69.981 02/28/2008 135. 64. 51. 60.491. 47.383.932. (MA) Communities Foundation of Texas.315. 42.250. 38.445 12/31/2007 74.459 12/31/2007 101. (MA) The JPMorgan Chase Foundation (NY) Boston Foundation.643.672 12/31/2007 106.348 12/31/2007 87. Knight Foundation (FL) The T.228 12/31/2008 68.422. Keck Foundation (CA) The Ave Maria Foundation (MI) Adelson Family Foundation (MA) Total Giving (USD) As of Fiscal Year End Date 140. 62.087 12/31/2007 78.084 12/31/2007 93. (GA) The Chicago Community Trust (IL) Wal-Mart Foundation (AR) The Columbus Foundation and Affiliated Organizations (OH) Donald W. 59. 46.843 12/31/2007 95.148.929 12/31/2007 110.806 12/31/2007 91. 71.770. (CT) Tulsa Community Foundation (OK) Open Society Institute (NY) Genzyme Charitable Foundation.442.200. Inc.638 12/31/2007 iii Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 . 36.000 03/31/2008 70.116 12/31/2007 82.880 12/31/2007 70.000 06/30/2008 75. 49.870 12/31/2007 83. (NC) The San Francisco Foundation (CA) Citi Foundation (NY) Doris Duke Charitable Foundation (NY) The Michael and Susan Dell Foundation (TX) The McKnight Foundation (MN) GE Foundation (CT) The Community Foundation for the National Capital Region (DC) Boehringer Ingelheim Cares Foundation. 41. 56.879 09/30/2008 99. (GA) Ewing Marion Kauffman Foundation (MO) Alfred P. 70.524 12/31/2007 116. 44.393 12/31/2007 91.166.315.868.510. Woodruff Foundation.122 12/31/2007 120. Inc.281 03/31/2008 90. (MD) The Wachovia Foundation. 50. 43. Inc. 74. Inc.775. 68.314 12/31/2007 67.345. Inc.425.Anexos Rank 35.031 09/30/2007 110.867.615. 53.333 12/31/2007 95. Name/(state) The California Endowment (CA) Charles Stewart Mott Foundation (MI) Eli & Edythe Broad Foundation (CA) John S. 65.806 12/31/2007 72. 66. Sloan Foundation (NY) Arizona Community Foundation (AZ) The Cleveland Foundation (OH) The James Irvine Foundation (CA) The Wallace Foundation (NY) John Templeton Foundation (PA) W.525.936 12/31/2008 115. 37.215. Reynolds Foundation (NV) Richard King Mellon Foundation (PA) Foundation for the Carolinas (NC) Carnegie Corporation of New York (NY) The Harry and Jeanette Weinberg Foundation.544.717 12/31/2007 68.130. and James L. 61. 63.888.909. 39.710 12/31/2007 127.314. 40. 48.511. 57. 72. 55. 75. 54. (TX) ExxonMobil Foundation (TX) The Community Foundation for Greater Atlanta.761 12/31/2007 74.707 01/31/2008 110.000 06/30/2008 96.000 12/31/2007 121.570.206.474. 45. Inc.375.763 12/31/2007 67.304.900 12/31/2008 109.742 02/29/2008 96.884 12/31/2007 78. 67. M.267. 52.778. Inc.664.925 12/31/2007 67.377 12/31/2007 69.000 06/30/2008 76.889. Boone Pickens Foundation (TX) Robert W.214. 73. 58.895.711.486.

384.054 12/31/2007 57. 87. 80. 86.000 12/31/2008 52.260.431 06/30/2008 60.123.359.308.570 12/31/2007 57.000 12/31/2007 58.627. Wilson Charitable Trust (NY) The Burnett Foundation (TX) Richard and Rhoda Goldman Fund (CA) Lumina Foundation for Education. Inc. 85.461 12/31/2007 57. 84.170 06/30/2008 63.000 06/30/2008 51.798. (IL) Howard G.755 12/31/2007 53.267. 92.835 12/31/2007 65. 98. 100. 78.225.560.906.581. 95.127.Anexos Rank 76.076. 97.735. 81.802.776 12/31/2007 63.970 12/31/2007 60. 79.462 12/31/2007 58. (TX) The East Bay Community Foundation (CA) The Denver Foundation (CO) Wells Fargo Foundation (CA) The Brown Foundation. Inc.257 12/31/2007 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 iv . 90. Inc. 88. 93.734.103 12/31/2007 55.833 12/31/2007 58. 83. (IN) The San Diego Foundation (CA) Community Foundation for Southeast Michigan (MI) Total Giving (USD) As of Fiscal Year End Date 66.380.217 06/30/2008 65. 91.603.430 12/31/2006 64.176.772. 94.644.488 12/31/2007 55.294 12/31/2007 64. 77. 96.279. (DC) The California Wellness Foundation (CA) Johnson & Johnson Family of Companies Contribution Fund (NJ) Greater Houston Community Foundation (TX) The Heinz Endowments (PA) AT&T Foundation (TX) Omaha Community Foundation (NE) The Seattle Foundation (WA) BP Foundation.119.654 11/30/2007 61. Inc.137 12/31/2007 53.719 12/31/2007 60. (TX) The Sherwood Foundation (NE) The Anschutz Foundation (CO) The William Penn Foundation (PA) Marin Community Foundation (CA) The Freedom Forum. 99.017 12/31/2007 57.701 12/31/2007 57. 82. Name/(state) Houston Endowment Inc.394. Buffett Foundation (IL) The Robert W. 89.

000 2003 116.600.300. 7.000 41.000 32.000 2003 162. 4.000 2003 134.000 2004 100. Name of Foundation The Wellcome Trust (UK) Charities Aid Foundation (UK) Atlantic Philanthropies (Ireland) Fondazione Monte dei Paschi di Siena (Italy) Fondazione Cassa di Risparmio delle Provincie Lombarde (Italy) Stichting NOVIB (Netherlands) Campagnia di San Paolo (Italy) Stifterverband fuer die Deutsche Wissenschaft (Germany) Fondation de France (France) Volkswagenstiftung (Germany) Fundacao Calouste Gulbenkian (Portugal) Fundacion ONCE (Spain) Fondazione Cassa di Risparmio di Torino (Italy) Bertelsmann Stiftung (Germany) Robert Bosch Stiftung GmbH (Germany) Deutsche Bundesstiftung Umwelt (Germany) Deutsche Bank Stiftung (Germany) King Baudouin Foundation (Netherlands) Fondazione Cassa di Risparmio di Roma (Italy) Lloyds TSB Foundation for England and Wales (UK) Year 2003 806.100. Ranking de Fundações Europeias Top 20 European Foundations Ranked by Expenditure .000.000 2004 2002 2002 2004 2003 2001 2004 2004 2001 90.as of June 2005 (Fonte: United Nations Fund for International Partnerships .900.000. 10.Anexos Anexo 3. 13.500. 8. 11. 19.000 63. 17.400.000 Oportunidades de Financiamento para projectos de Cooperação para o Desenvolvimento das ONGD & criação de um Fundo de Preparação de Projectos – Versão preliminar 31 Agosto de 2009 v . 15. 5.000 2004 294.100.000 45. 3.000 33.000 2004 130. 16.000.700.000. 6.000.000.700.700.000 2004 131.000 51.000 2004 100.000 2004 144.100.200. 12.UNFIP) Expenditure (EUR) Rank 1.000 2003 273. 9. 20. 2. 18.000 63.000 74. 14.500.600.