rezAdo em fAmíliA

Advento

Associação de Pais dos Alunos do Colégio de São João de Brito Lisboa – Portugal 2008

Advento 2008

Mais uma vez a Associação de Pais dos Alunos do Colégio de São João de Brito vos propõe um itinerário para o Natal, com pequenas reflexões para cada dia do Advento. A generosidade de mais um grupo de Pais do nosso Colégio permitiu que este livrinho viesse ter às vossas mãos. Não podemos, por isso, deixar de agradecer à Bola e ao Pedro Lancastre, à Malila e ao Luís Cortes Martins, à Filipa e ao Jó Líbano Monteiro, à Aninha e ao José Luís Fonseca, à Cláudia e ao Bernardo Perloiro, à Nini e ao Nuno Guedes, à Teresa e ao Sebastião Barata e à Concha e ao Manuel Balcão Reis. E ao José Guerreiro de Sousa que o ilustrou. Que este pequeno contributo, feito pelas nossas famílias, possa ajudar todas as outras a caminhar em direcção ao Presépio de Jesus. Lisboa, Advento de 2008

Associação de Pais dos Alunos do Colégio de São João de Brito associacao.de.pais@webside.pt

INTRODUÇÃO
O tempo do Advento é um período para nos convertermos, para mudarmos de vida, para agradecer a vida que Deus nos dá continuamente através do Seu filho Jesus. É através das pequenas coisas de cada dia, dos pequenos esforços de cada dia, que nos vamos aproximando deste Deus que nos ama. Vamos preparar a vinda do Seu filho Jesus rezando em família em cada um dos dias do Advento. Como propomos fazê-lo? Por cada dia do Advento propomos: 1. Texto para ler em família (indicação da leitura do dia); 2. Do texto retirámos uma ou duas ideias (o que é que Jesus nos quer transmitir) que procurámos desenvolver de duas forma diferentes – para as crianças mais pequenas e para os mais crescidos. 3. A oração deve dar origem a um agradecimento e/ou a um pedido. Para as crianças fazemos sugestões de possíveis intenções. Para os adolescentes propomos uma pequena frase em linguagem “SMS” com um ponto forte da leitura escolhida. Poderão relembrar e difundir pelos amigos, via telemóvel. 4. Como parte integrante deste livro temos duas imagens do Menino Jesus, em fundo de puzzle. A folha a cores deverá ser recortada e colocadas as peças num pote. Cada peça corresponde a um dia. Depois da oração da noite a criança deve retirar aleatoriamente uma peça de puzzle do seu pote e colar na folha de base, no local respectivo. Assim, construirá o seu Presépio ao longo do Advento, que será oferecido, completo, ao Menino Jesus lá de casa ou da Paróquia, no dia de Natal. «Eu não vos deixo sós. Estou convosco todos os dias até ao fim do mundo.» «Tu preocupa-te comigo, que Eu preocupo-me contigo», disse Jesus a Sta. Teresa de Ávila. Assim como Jesus nunca nos deixa sós e se preocupa com cada um de nós, preocupemo-nos também com quem está à nossa volta e não os deixemos sós! Um Santo Natal de 2008!

1.a Semana do advento

Is 63, 16b-17.19b; 64, 2b-7 Vós, Senhor, sois nosso Pai e nosso Redentor, desde sempre, é o vosso nome. Porque nos deixais, Senhor, desviar dos vossos caminhos e endurecer o nosso coração, para que não Vos tema? Voltai, por amor dos vossos servos e das tribos da vossa herança. Oh se rasgásseis os céus e descêsseis! Ante a vossa face estremeceriam os montes! Mas vós descestes e perante a vossa face estremeceram os montes. Nunca os ouvidos escutaram, nem os olhos viram que um Deus, além de Vós, fizesse tanto em favor dos que n’Ele esperam.Vós saís ao encontro dos que praticam a justiça e recordam os vossos caminhos. Estais indignado contra nós, porque pecámos e há muito que somos rebeldes, mas seremos salvos. Éramos todos como um ser impuro, as nossas acções justas eram todas como veste imunda.Todos nós caímos como folhas secas, as nossas faltas nos levavam como o vento. Ninguém invocava o vosso nome, ninguém se levantava para se apoiar em Vós, porque nos tínheis escondido o vosso rosto e nos deixáveis à mercê das nossas faltas.Vós, porém, Senhor, sois nosso Pai e nós o barro de que sois o Oleiro; somos todos obra das vossas mãos.

30-11-2008
Is 63, 16b-17.19b; 64, 2b-7 Sto André
«Vós, porém, Senhor, sois nosso Pai e nós o barro de que sois o Oleiro; somos todos obra das vossas mãos.»

Senhor, ajuda-nos a entender que somos Teus filhos e que fazemos parte da obra magnífica da Criação. Senhor, ajuda-nos a perceber que não somos auto-suficientes, nem determinamos o nosso destino, e que a vida sem Deus não faz sentido. Senhor, neste primeiro Domingo do Advento, pedimos-Te que nos ajudes a estar atentos aos sinais do Menino que vai nascer. E nesses sinais reconheçamos o nosso Salvador. Hoje, vamos rezar em família pedindo ao Espírito Santo que nos ajude a perceber estas coisas, que sendo maiores que nós, são o fundamento da nossa existência. Que Ele nos ajude a preparar o nosso coração para ouvir o que o Senhor tem para nos dizer neste tempo de expectativa e de Graça.

Peço-te, Senhor, neste primeiro dia do Advento, que me ajudes a reconhecer-Te como meu Pai e a aceitar, com amor, aquilo que Tu achas que é melhor para mim e que me ensinas, através do Teu filho Jesus. Agradeço-Te por me teres criado, por Te preocupares todos os dias comigo e peço-Te ajuda para ser capaz de ir transformando em coisas boas tudo aquilo que me afasta de Ti. Hoje, vou tentar ouvir os meus Pais e obedecer aos seus pedidos.

È

Pço-t Senhr: ajud-m a rcnhcer-t cm Pai

1-12-2008
Is 2, 1-5
«Vinde, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacob. Ele nos ensinará os seus caminhos e nós andaremos pelas suas veredas.»

Nesta «caminhada» até ao Natal, queremos seguir as veredas do Senhor. Por isso, Te pedimos Senhor, que nos mostres o Teu caminho e nos dês a fé, a força e a persistência necessárias para alcançarmos o cimo do Teu monte. Pedimos-te Senhor que nos dês forças para a «subida», não pelos nossos méritos, mas pela Tua Graça, que é Infinita. Senhor, pedimos-Te, também, que nos ajudes a dar testemunho aos outros desta nossa caminhada, apontando-lhes o Monte do Senhor e evidenciando-lhes o verdadeiro caminho para lá chegar.

Nesta viagem até ao Natal, quero sentir-Te, Jesus, sempre ao meu lado, como um amigo e um guia. Quero que me ajudes a seguir sempre em frente, com confiança, e a ter forças para não desistir quando encontro dificuldades no meu caminho. Hoje rezo, pedindo-Te que me ajudes a aceitar-me como sou, na minha simplicidade, com os meus defeitos e as minhas qualidades, porque sei que gostas de mim e que queres nascer no meu coração.

È

Nste Ntal kero dar tstemnho d Ti aos otros

2-12-2008
Lc 10, 21-24 «Felizes os olhos que vêem o que estais a ver, porque Eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que vós vedes e não o viram e ouvir o que vós ouvis e não o ouviram.»

Senhor, damos-te graças por permitires que nós vejamos e ouçamos a Tua palavra, os Teus ensinamentos. Hoje, de uma forma especial, vamos encontrar um tempo para ver e ouvir o que o Senhor tem para nos dizer. E do que Dele ouvirmos, vamos partilhá-lo com a nossa família e testemunhá-lo aos outros. Peçamos a Deus que abençoe a nossa família e todas as famílias, fazendo com que nunca deixem de ouvir o Pai do Céu.

Deus enviou-nos o Espírito Santo para nos ajudar a lembrar aquilo que Jesus nos disse e a viver de acordo com aquilo que Ele nos ensinou. O Espírito Santo está sempre presente e actua dentro de nós, ajudando-nos a ver melhor. O Espírito Santo é Deus no nosso coração e para sabermos o que Ele diz temos de estar atentos na oração. Hoje, vou esforçar-me por me abrir ao Espírito Santo, vou parar um pouco e fazer silêncio para O ouvir e deixar-me influenciar por Ele.

È

Senhr, ensna-me a sabr scutar-T

3-12-2008
Mt 15, 29-37 S. FranciSco Xavier «Tenho pena desta multidão, porque há três dias que estão comigo e não têm que comer.»

Não basta dizer que se está com Jesus. Aqueles já estavam há três dias mas não tinham de comer…. Muitos de nós achamos que estamos com Jesus, acreditamos Nele, tomamos a Sua palavra como exemplo, mas, depois, não resistimos à tentação humana de encontrar «conforto» nas coisas do mundo. Mas, Deus preocupa-se connosco, vem ao nosso encontro, dá-nos o que precisamos e não nos deixa desfalecer. Deus não desiste de nós. Ele quer conduzir-nos ao Reino dos Céus. A confiança no Senhor é o nosso maior alimento. É com Ele que ficaremos saciados, pois é n´Ele que encontraremos a salvação. Procuremos neste tempo de Advento, e à semelhança de Jesus junto ao mar da Galileia, não despedir ninguém que, ao nosso lado, esteja faminto.

Deus preocupa-se connosco, sabe aquilo que nos faz falta, cuida de nós e toma a iniciativa de vir ao nosso encontro. Ajuda-nos, Senhor, neste tempo de Advento, a perceber que também vens ao nosso encontro através das pessoas que connosco vivem: os Pais, os irmãos, os Professores e os amigos. Hoje, peço-Te coragem para ser capaz de seguir o exemplo de S. Francisco Xavier e para ser eu, durante este dia, a tomar a iniciativa de ajudar alguém da minha família ou da minha escola.

È

Deus nnca dsiste d nós

4-12-2008
Mt 7, 21.24-27 S. João DamaSceno «Todo aquele que ouve as minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha.»

Todos queremos edificar «a nossa casa sobre a rocha». Muitos disseram-no no dia do casamento. Mas Jesus lembra-nos que só edifica a casa sobre a rocha aquele que «ouve as suas palavras e as põe em prática». O cristianismo não é uma ideologia ou uma filosofia. Uma forma de pensamento. É, sobretudo, seguir a Cristo. Pôr em prática os seus desafios. Justamente aquilo que é mais difícil. Mais radical. E que às vezes não é nada «conveniente». Mas como queremos «edificar a nossa casa sobre a rocha» hoje vamos prometer ao Senhor mudar alguma coisa nas nossas vidas. Na nossa vida pessoal, em casal e em família. A «casa» afinal não é para todos?

Ajuda-me, Senhor, a saber quais as coisas pelas quais vale a pena lutar e a ser capaz de realizá-las. Hoje, vou esforçar-me para criar um bom ambiente na minha família e tentar reuni-la para rezarmos em conjunto.

È

Ond cnstrois a tua casa?

5-12-2008
Mt 9, 27-31 S. martinho De Dume S. FortuoSo S. GeralDo «‘Acreditais que posso fazer o que pedis?’ Eles responderam: ‘Acreditamos, Senhor’. Então Jesus tocou-lhes nos olhos e disse: ‘Seja feito segundo a vossa fé’. E abriram-se os seus olhos.»

«Acreditamos, Senhor.» Também nós estamos prontos a responder afirmativamente, e de forma tão pronta, ao desafio que Jesus nos faz? A Fé é um dom que temos de agradecer, de acarinhar, de alimentar. Só assim poderemos «ver». Senhor, neste tempo de Advento, pedimos-te de um modo especial que nos ajudes cada dia a acreditar, mesmo quando isso parece impossível. Mesmo quando parece não fazer sentido. Centremos hoje a nossa oração familiar em dar Graças a Deus por este dom. E pedir por todos os que não sentem esta Graça. Rezemos pelas intenções do Santo Padre. Rezando com o Papa estamos unidos à Igreja e a todos os homens de boa vontade.

Acreditar significa aceitar com amor e fé aquilo que Deus nos anunciou. Agradeço-Te, neste dia, pela Dom da fé, que me concedeste, e por acreditar que Jesus é Teu Filho. Hoje, gostaria de rezar por todos aqueles que nunca ouviram falar de Jesus e que não sabem como é importante ter este amigo tão especial, que nos acompanha sempre, mesmo quando estamos mais tristes e nos sentimos sozinhos.

È

Acredtams Senhr, stamos prntos!!!

6-12-2008
Mt 9, 35 – 10, 1.6-8 S. nicolau, BiSpo «A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.»

Todos nós somos chamados a «trabalhar na seara» do Senhor. Já o sabemos. Mas correspondemos a esse chamamento? E ele pode vir de tantas maneiras… Às vezes basta um gesto, um passo, um sinal. Este tempo de Advento é uma boa altura para reflectirmos seriamente sobre se fazemos tudo o que o Senhor nos pede. À medida, e segundo a condição e os dons de cada um. Hoje, vamos reflectir sobre isto. E vamos tentar encontrar pontos concretos em que possamos pormo-nos ao serviço do Senhor. Começando por demonstrar a alegria de sabermos que o Menino está a chegar. E partilhar com os outros esse nosso júbilo.

Deus precisa da minha ajuda para mostrar ao mundo o Seu amor infinito por nós. Precisa de mim para ver com os meus olhos e para trabalhar com as minhas mãos. Hoje, vou tentar ser alegre durante o dia, para que o meu sorriso e a minha alegria cheguem a todos aqueles que se cruzem no meu caminho. O sorriso do meu olhar vai dizer a toda a gente que Jesus está para nascer.

È

Ja encntrast a tua seara?

2.a SemAnA do Advento

Mc 1, 1-8 Início do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. Está escrito no profeta Isaías: «Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, que preparará o teu caminho. Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.’» Apareceu João Baptista no deserto, a proclamar um baptismo de penitência para remissão dos pecados. Acorria a ele toda a gente da região da Judeia e todos os habitantes de Jerusalém e eram baptizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados. João vestia-se de pêlos de camelo, com um cinto de cabedal em volta dos rins, e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. E, na sua pregação, dizia: «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual eu não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu baptizo-vos na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo.»

7-12-2008
Mc 1, 1-8 Sto. amBróSio «Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu, diante do qual não sou digno de me inclinar para desatar as correias das suas sandálias. Eu baptizo-vos na água, mas Ele baptizar-vos-á no Espírito Santo.»

Deus é imensamente mais do que nós. Deus é a nossa fortaleza! E, no entanto, quis fazer-se pequenino, frágil e dependente. Neste dia, abandonemo-nos à Sua protecção e entreguemos nos Seus braços a nossa confiança, as nossas fragilidades e a nossa pequenez.

João Baptista ensina-nos que Jesus é a pessoa mais importante para a nossa vida, o nosso melhor amigo. Um amigo que muitas vezes, por não aparecer na televisão, nem na internet corre o risco de ser esquecido. Neste dia, pedimos para não nos esquecermos de Jesus a quem temos a agradecer o estar connosco todos os dias e em todos os momentos, e que nos quer ver felizes e mais amigos dos outros.

È

Deus fez-s pekenino fragil e depndnt

8-12-2008
Lc 1, 26-38 FeStA dA ImAculAdA conceIção «Maria disse então: ‘Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra.? E o anjo retirou-se de junto dela.»

O Nascimento de Jesus, dependeu desta resposta de Maria ao anjo S. Gabriel. Uma resposta positiva, firme e sem hesitações. E as nossas respostas aos apelos de Deus? Serão sempre tão afirmativas e decididas como a de Maria? Neste dia propomos uma reflexão sobre os apelos que Deus nos faz. Que atenção damos a esses apelos e que de forma temos respondido?

É difícil de compreender, mas Jesus mesmo sendo tão importante, não quer fazer nada sem nós, sem a nossa ajuda. Jesus conta com cada um para fazer o Bem junto dos pais, dos amigos e conhecidos. E a verdade é que Jesus aproveita mesmo a nossa disponibilidade, a nossa ajuda, para fazer coisas muito bonitas que nunca conseguiríamos fa-zer sozinhos. Lembrem-se dos exemplos de Nossa Senhora, dos apóstolos ou dos pastorinhos de Fátima. Neste dia, vamos fazer silêncio, para podermos perceber o convite que Jesus nos faz, e vamos dizer-Lhe sim, como Nossa Senhora, e assim ajudá-Lo a tornar-Se presente na nossa família e na nossa escola.

È

K rspsts tms dad aos apels d Deus?

9-12-2008
Is 40, 1-11 «Preparai no deserto o caminho do SENHOR, abri na estepe uma estrada para o nosso Deus. Sejam alteados todos os vales e abatidos os montes e as colinas; endireitem-se os caminhos tortuosos e aplanem-se as veredas escarpadas.»

Fazer deserto neste tempo de Avento é ser capaz de esvaziar o coração de tudo o que pode ser obstáculo ao «caminho do Senhor.» Fazer deserto neste tempo de Advento é valorizar o que realmente é importante na nossa vida. Neste dia façamos o discernimento relativamente àquilo que nos conduz ao verdadeiro «caminho» e desvalorizemos aquilo que não vale a pena e só nos atrapalha e empata.

Ontem lembrámo-nos que queremos dizer sempre sim a Jesus, o nosso amigo mais importante. Mas, muitas vezes, para dizermos sim a Jesus, é preciso sabermos dizer não a muitas coisas que nos afastam Dele. Quando queremos ganhar uma corrida não podemos parar no caminho. Com Jesus é o mesmo, para sermos amigos Dele, temos de segui-Lo e retirar do nosso caminho tudo o que nos possa afastar da sua amizade. Neste dia, vamos pedir a Jesus para termos sempre coragem de dizer sim.

È

O k e msm imprtant na nss vida?

10-12-2007
Mt 11, 28-30 «Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito.»

Perante a opressão, a doença, o desânimo, Cristo oferece-nos o seu exemplo de amor e de humildade como caminho de esperança. Só pela entrega das nossas vidas e em particular dos nossos sofrimentos a Deus, poderemos encontrar o descanso para o nosso espírito. Neste dia, propomos um momento de oração, onde procuremos oferecer a Deus os nossos sofrimentos vividos no dia-a-dia.

Ontem percebemos que temos de ser fortes para seguir Jesus, porque Ele quer sempre o melhor para nós. Mas às vezes, neste querer ser amigos de Jesus, as coisas não acontecem como queríamos e ficamos cansados, desanimados e chegamo-nos a esquecer que Jesus quer sempre o nosso maior bem. Neste dia, rezamos por todas as pessoas que conhecemos que estão mais cansadas, doentes e sem esperança, para que possam encontrar a força e a alegria em Jesus.

È

Crsto oferec-ns o caminho da speranca

11-12-2008
Is 41, 13-20 S. DámaSo i – papa

«Sou Eu, o Senhor, teu Deus, que te seguro pela mão, e te digo: ‘Não tenhas medo, Eu venho em teu auxílio?’» É este Deus que quer nascer ou renascer em cada Natal, no nosso coração e na nossa vida. É este Deus que nos vem segurar pela mão. É este Deus que está sempre presente. Neste dia, principalmente nos momentos mais difíceis, lembremo-nos que Ele caminha connosco. Lembremo-nos do apelo de João Paulo II para, como católicos, não termos medo.

Ter um amigo como Jesus que nos dá a mão e nos diz para não termos medo. Ter um amigo como Jesus que nos perdoa sempre. São razões para, neste dia, agradecermos a nossa vida; agradecermos a nossa família e os amigos; agradecermos esse Jesus que nos procura para nos levar no caminho do Bem.

È

Deus sta sempr presente c/ a Sua mao

12-12-2008
Mt 11, 16-19 Sta. Joana FranciSca De chantal «Veio João Baptista, que não come nem bebe, e dizem que tinha o demónio com ele.Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: ‘É um glutão e bebedor de vinho, amigo de cobradores de impostos e de pecadores!’ Mas a sabedoria foi justificada pelas suas obras.»

O Mistério de Jesus Cristo, Deus feito homem, «que come e bebe» foi um escândalo para os seus contemporâneos. Ao longo de mais de 2000 anos continua a ser incompreendido por muitos. Também escandalosa é a relação aos mais odiados e desprezados da sociedade. Mas a sua humanidade e universalidade são precisamente a sua maior dádiva. Hoje, vamos dar especial atenção àqueles que mais se diferenciam de nós, da nossa maneira de viver e das nossas convicções. Jesus vai nascer também para eles!

Muitas vezes é mais fácil criticar os outros do que dizer bem. É mais fácil gozar com alguma pessoa que está mais triste ou aflita, do que ajudá-la. Hoje vamos pedir desculpa por todas as vezes que não tivemos coragem para defender um colega que estava a ser gozado pelos outros, por todas as vezes que dissemos mal só para chatear. Vamos pedir a Jesus que nos ajude a sermos conhecidos pelas coisas boas que fazemos e não pelo mal que dizemos dos outros.

È

Deus e feito Homem, e tu?

13-12-2008
Mt 17, 10-13 Sta. luzia «Eu vos digo, porém, que Elias já veio mas, em vez de o reconhecerem, fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles.»

Quantas e quantas vezes, somos nós que O maltratamos? Quantas e quantas vezes o negamos, como Pedro ou o entregamos como Judas?! Neste dia, tomemos consciência da nossa condição de pecadores. Tenhamos a humildade do arrependimento e a coragem de pedir perdão.

Madre Teresa de Calcutá dizia que via o rosto de Jesus nas pessoas mais pobres. Jesus também nos disse que cada vez que fizéssemos bem aos outros, aos mais pequeninos, era a Ele que estávamos a fazer bem. Jesus está presente em todas as pessoas do mundo. Por isso sempre que fazemos mal a alguém é a Jesus que estamos a fazer mal. Hoje vamos pedir perdão por todas as vezes que fomos maus para os outros e dessa forma magoámos Jesus.

È

A nss tendência é cnsiderarms k apens os outros maltrtam Jesus. K Advnt sja mudnça naquilo k ofnde o Salvador. Vou
procurr os ms defeitos ants ds ds outrs

3.a SemAnA do Advento

1Ts 5, 16-24 Irmãos: Vivei sempre alegres, orai sem cessar, dai graças em todas as circunstâncias, pois é esta a vontade de Deus a vosso respeito em Cristo Jesus. Não apagueis o Espírito, não desprezeis os dons proféticos; mas avaliai tudo, conservando o que for bom. Afastai-vos de toda a espécie de mal. O Deus da paz vos santifique totalmente, para que todo o vosso ser – espírito, alma e corpo – se conserve irrepreensível para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo. É fiel Aquele que vos chama e cumprirá as suas promessas.

14-12-2008
1Ts 5, 16-24 S. João Da cruz «É fiel Aquele que vos chama e cumprirá as Suas promessas.»

Somos chamados à fidelidade irrepreensível em todos os aspectos da nossa vida. Sabendo que nessa caminhada até à vinda de Jesus, Ele estará sempre connosco, sem nunca nos falhar com o Seu apoio, amizade e graça. Amanhã vou tentar dizer sim sem hesitações, colocando a vontade de Deus à frente da minha.

Jesus pede-nos que sejamos sempre alegres, bem-dispostos e que nunca nos esqueçamos de rezar e de dar Graças a Deus. Amanhã vou ser alegre e simpático com todos os que me rodeiam pois essa é a vontade de Jesus. E todas as noites vou rezar e dar Graças a Deus.

È

Vou dizr sim s/ hesitr, pondo a vontd d Deus à frnte, algre e smpátco c/ os outrs

15-12-2008
Nm 24, 2-7.15-17a «A água transbordará de seus cântaros e a sua semente será abundantemente regada.»

O Povo de Deus, nos tempos do Antigo Testamento como nos nossos dias, é abençoado com a abundância das graças do Senhor. Assim saibamos nós beber dessa água viva que brota do coração misericordioso de Jesus! Amanhã levarei àqueles com quem me cruzar a alegria da amizade de Jesus.

Neste Advento pensemos em tudo o que de bom existe na nossa vida – nos nossos pais, irmãos, avós, professores, amigos ou na nossa escola. Amanhã vou agradecer a Jesus por todas as pessoas e coisas boas que existem na minha vida.

È

Lvarei a outrs a alegra da amizad d Jesus agrdcendo tds as psoas e coiss boas da vda.

16-12-2008
Mt 21, 28-32
«Qual dos dois fez a vontade do Pai?»

Fazer a vontade do Pai nem sempre é fácil. Diz-nos isso a nossa experiência de cada dia e de toda uma vida. Guiados pelo exemplo dAquele que é manso e humilde de coração, saibamos pedir neste Advento o dom da obediência à vontade do Pai, sobretudo naqueles aspectos em que temos mais dificuldade em a aceitar plenamente. Amanhã vou procurar aceitar com mais paciência as contrariedades que o dia me trouxer.

Jesus pede-nos que sejamos sempre obedientes e bons de coração, por isso temos que fazer um esforço por obedecer sempre, mas sobretudo aos nossos pais e professores. Amanhã vou fazer tudo o que os meus pais me pedirem mesmo que seja algo que eu não goste tanto.

È 

Aceitr c/ paciência contrariedads d dia nm esforç d obedecr à vontad d Deus, obdcndo sobrtud a nss pais e profs

17-12-2008
Mt 1, 1-17 «Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo.»

Deus escolheu fazer-se homem, encarnando na nossa experiência real e concreta. Não é um Deus distante e impessoal que nos ignora com indiferença. Aos Seus olhos cada um de nós é o mais precioso filho único, fruto da mais distinta linhagem. Obrigado, ó meu Deus, pelo bem maior dessa proximidade! Amanhã vou abrir o meu coração e perceber em cada situação porque é que sou o filho preferido de Deus.

Deus ama-nos sempre, tal como os nossos Pais nos amam sempre, pois afinal Deus é o nosso Pai do Céu. Tanto que nos enviou Jesus para estar ainda mais próximo de nós. Amanhã vou pensar e dizer aos meus amigos que podem sempre confiar em Jesus e como é bom ser Filho de Deus.

È

Eu sou o flho prfrido d Deus

18-12-2008
Mt 1, 18-25 «O que nEla se gerou é fruto do Espírito Santo.»

O nosso percurso até ao presépio de Belém, e mais tarde à Páscoa da Ressurreição, é feito também de momentos de incompreensão e de noite escura. Quantas vezes na nossa vida e na daqueles que nos rodeiam não conseguimos ver o que é fruto do Espírito Santo! Que São José, o grande mestre da humildade e da discrição, nos sirva de modelo e guia nas alturas em que mais dificuldade temos em compreender e aceitar. Amanhã vou tentar ver em todas as situações mais os aspectos positivos do que os negativos e em todas as pessoas mais as qualidades do que os defeitos.

Muitas vezes não acreditamos ou duvidamos mesmo daquelas pessoas de quem mais gostamos ou que nos são mais próximas. Neste Advento vamos rezar todos os dias para que Jesus nos ilumine através do Espírito Santo e assim nos ajude nessas alturas em que duvidamos ou não acreditamos. Amanhã vou fazer um esforço para pensar duas vezes antes de duvidar ou não acreditar nos meus amigos.

È

Olhar smpre o ldo postivo d vda

19-12-2008
Lc 1, 5-25 urBano v – papa «Eram ambos justos aos olhos de Deus e cumpriam irrepreensivelmente todos os mandamentos e leis do Senhor.»

Zacarias e Isabel eram justos aos olhos do Senhor. Apesar de não terem filhos – o que naquele tempo era considerado uma desgraça – e de ambos terem já idade avançada, cumpriam todos os mandamentos. Não tinham desistido, não se consideravam injustiçados, não se queixavam continuamente… Suportavam pacientemente os desígnios do Senhor, cumprindo sempre as Suas leis. Peçamos a graça de sabermos nós também suportar, com semelhante perseverança, os pequenos ou grandes infortúnios das nossas vidas, sem nunca desfalecer de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Ser justo aos olhos de Deus é fazer aquilo que Deus gosta. Deus gosta que eu seja obediente por isso hoje vou ser mais obediente aos meus pais.

È

Nao dsistir prante a injstica e a adversdade: Deus ama-m

20-12-2008
Lc 1, 26-38 “Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: ‘Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus.’»

Às vezes perturbamo-nos, com o que se passa à nossa roda: na nossa família, entre os nossos amigos, com os colegas de escola ou de trabalho, no nosso país ou no mundo... Às vezes vivemos mesmo perturbados, desordenados, confusos, comovidos, toldados, atarantados... «Não temas.» Uma só coisa é necessária: encontrar graça diante de Deus. Para podermos responder como Maria, após o sobressalto do espanto inicial, com humildade profunda e serena confiança: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra.»

Deus gosta tanto de nós que está sempre connosco. Quando temos medo podemos pedir protecção ao nosso anjo-da-guarda. Hoje vou rezar ao meu anjo-da-guarda.

È 

Nao tnhas medo: so a graca d Deus e ncssaria

4.a SemAnA do Advento

2Sm 7, 1-5.8b-12.14a.16 Quando David já morava em sua casa e o Senhor lhe deu tréguas de todos os inimigos que o rodeavam, o rei disse ao profeta Natã: «Como vês, eu moro numa casa de cedro e a arca de Deus está debaixo de uma tenda.» Natã respondeu ao rei: «Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo.» Nessa mesma noite, o Senhor falou a Natã, dizendo: «Vai dizer ao meu servo David: «Assim fala o Senhor: Pensas edificar um palácio para Eu habitar? Tirei-te das pastagens onde guardavas os rebanhos, para seres o chefe do meu povo de Israel. Estive contigo em toda a parte por onde andaste e exterminei diante de ti todos os teus inimigos. Dar-te-ei um nome tão ilustre como o nome dos grandes da terra. Prepararei um lugar para o meu povo de Israel; e nele o instalarei para que habite nesse lugar, sem que jamais tenha receio e sem que os perversos tornem a oprimi-lo como outrora, quando Eu constituía juízes no meu povo de Israel. Farei que vivas seguro de todos os teus inimigos. O Senhor anuncia que te vai fazer uma casa. Quando chegares ao termo dos teus dias e fores repousar com teus pais estabelecerei em teu lugar um descendente que há-de nascer de ti e consolidarei a tua realeza. Serei para ele um pai e ele será para Mim um filho. A tua casa e o teu reino permanecerão diante de Mim eternamente e o teu trono será firme para sempre.»

21-12-2008

2Sm 7, 1-5.8b-12.14a.16

S. peDro caníSio «Natã respondeu ao rei: ‘Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo.’»

«Faz o que te pede o teu coração.» Hoje damos graças a Deus porque temos um tecto que nos abriga da chuva e do frio que fazem lá fora; porque temos de que comer e o que vestir. Damos graças ao Senhor pelo nosso trabalho; pela escola onde estudamos com os olhos postos no futuro. E sobretudo damos graças pela nossa família e pelos nossos amigos, que nos acompanham nas alegrias e nos amparam nas tristezas. Comprometemo-nos neste Advento – concretamente – a ajudar quem não tem meios materiais de prover ao seu sustento e quem, rico ou pobre, está triste ou só. Porque somos nós «as pedras vivas do templo do Senhor». Porque Ele está connosco.

O nosso coração é uma casa para Deus. Devemos ter o nosso coração limpo e arrumado para Deus se sentir bem nesta casa. Hoje vou pedir desculpa de alguma maldade que tenha feito e os meus pais podem ajudar-me a ver como limpar o meu coração.

È

Fz o k t pde o teu coracao: ajuda quem e pbre, quem sta trste e quem sta so

22-12-2008
Lc 1, 46-56 S. FranciSco Xavier caBrini «O Todo-poderoso fez em mim maravilhas, Santo é o seu nome.»

Paramos um momento, mudos de espanto, a contemplar a obra da Criação: todo o Universo – o que dele conhecemos – estrelas, cometas, planetas a anos luz da terra… Pensamos neste nosso «planeta verde» – o que nós ainda não estragámos – com seus mares e oceanos, desertos e montanhas, e todos as plantas e animais. Pensamos na Humanidade, na enorme diversidade de raças, línguas e costumes – mesmo nestes tempos de globalização. Cada ser humano único e irrepetível. Ainda mais espantados caímos na conta que este Senhor Todo-poderoso, criador do Céu e da Terra, me criou também a mim – e a cada um dos que aqui rezam hoje comigo – e que, mais do que isso, Ele tem estado sempre ao meu lado. Como Maria, damos graças por todas as maravilhas que o Senhor fez. Em mim.

A mãe de Jesus era Maria. Maria gostava muito de Jesus, e agradecia muitas vezes a Deus este filho tão bom. Vou agradecer a Deus todas as coisas boas que me aconteceram no dia de hoje.

È

Deus e um amigo k nnca m abandona. Ele tem stado smpre ao meu lado

23-12-2008
Ml 3, 1-4.23-24 S. João De Quenti «Vou enviar o meu mensageiro, para preparar o caminho diante de Mim.»

O Senhor vem ao nosso encontro. O Senhor anuncia-nos que vem. Conseguimos ouvi-Lo por entre a agitação das compras de última hora, na estonteante roda-viva dos que se acotovelam ao som incessante de jingle bells e santas-claus, entre acenos efusivos e votos de boas festas maquinais? Procuremos fazer silêncio, sobretudo dentro de nós, e estar atentos e vigilantes, ao que se passa à nossa volta, para melhor O amar e servir. Também para reconhecermos os sinais do Senhor, que nos confirmam e nos confortam. Ele é Deus connosco. Ele anuncia-Se e vem.

Deus gosta de falar connosco de muitas maneiras. Uma delas são os Profetas, pessoas que falam e escrevem aquilo que Deus sonha para nós. Hoje vou-me lembrar de uma história que aprendi na catequese e vou contá-la aos meus pais, para que eles me ajudem a perceber melhor.

È 

O Senhr vem ao nsso encontro

24-12-2008
Lc 1, 67-79 «Graças ao coração misericordioso do nosso Deus, que das alturas nos visita como Sol-nascente, para iluminar os que vivem nas trevas e na sombra da morte e dirigir os nossos passos no caminho da paz.»

Sustemos a respiração, contamos os minutos que parecem horas, espreitamos as palhinhas ainda vazias (e, junto ao presépio, os embrulhos coloridos que os tios e primos trouxeram…). Perguntam: «já serão horas?», respondem: «se quiserem lugar sentado na igreja…» Rompem os sinos, ressoam glórias! Missa do Galo, Deus menino, milagre renovado! Mistério insondável de um Deus que das alturas nos visita, recém-nascido nas palhas da manjedoura. Que Ele nos conceda «a graça de O servirmos sem temor, livres das mãos dos nossos inimigos, em santidade e justiça, na Sua presença, todos os dias da nossa vida».

Jesus está quase a nascer, é noite de Natal. É Ele o principal convidado da festa, por isso a festa é tão especial: estamos com as pessoas de quem mais gostamos, a casa está toda enfeitada, os pais preparam uma refeição excelente, e junto ao presépio há presentes. Hoje vou cantar uma música de Natal que aprendi na Escola para embalar o menino Jesus e festejar o seu nascimento.

È

K Jesus ns conceda a graca d o srvirms tdos os dias ds nssas vidas

25-12-2008
Lc 2, 1-14 Natal do SeNhor «Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino recém-nascido, envolto em panos e deitado numa manjedoura.»

Buscamos um Rei, Senhor do Universo, Criador do Céu e da Terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis. Encontramos um bebé, indefeso e pobremente vestido, deitado nas palhas de um estábulo. Diante do presépio, o nosso mundo todo feito de aparências e conveniências sociais fica de pernas para o ar. Quando a Madre Teresa de Calcutá recusava ofertas de frigoríficos ou de ar condicionado para as casas das Missionárias da Caridade achavam-na ingrata, louca ou antiprogresso. Mas ela compreendera este Menino, e procurava segui-Lo vivendo com as suas irmãs em condições próximas das dos rejeitados pela sociedade, a quem queria ajudar. Peçamos ao Deus Menino que nos ajude a ver para lá das aparências, a afinar critérios, para discernirmos o que é mais urgente e necessário para Seu maior serviço e louvor, e nosso bem.

 

O menino Jesus nasceu, e por isso é Natal. Juntamos a família, os nossos corações estão alegres e apetece-nos fazer uma grande festa. Hoje quando for à missa vou dar um beijinho ao bebé Jesus, para lhe agradecer ser tão meu amigo.

È

Diante d prsepio, o nsso mundo d aparencias fica s/ sntido

Este livro do Advento está disponível no site da Associação de Pais dos Alunos do Colégio de São João de Brito www.apacsjb.no.sapo.pt

Impresso por Stória, Lda. em Novembro de 2008 Dep. Legal: 285928/08

Associação de Pais dos Alunos do Colégio de São João de Brito

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful