CURSO DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO - EAD Prof.

Sebastião Faustino MÓDULO 1 - TEORIA GERAL DA SEGURIDADE SOCIAL - DIREITO CONSTITUCIONAL DA SEGURIDADE SOCIAL 1ª Aula: Seguridade Social: conceito e aspectos constitucionais. Seguridade social – SS: art. 194, caput CF Seguridade Social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos à saúde, à previdência e à assistência social. São direitos sociais fundamentais, portanto, direitos de segunda dimensão. O atendimento desses direitos implica em prestação positiva por parte do Estado, sujeitando-se à reserva do possível, ou seja , são atendidos de acordo com a disponibilidade econômico-financeira do poder público. Seguridade social X direitos sociais. Não confundir os direitos sociais da seguridade social (saúde, previdência e assistência) com os do art. 6º CF: São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. Disposição da Seguridade Social na CF: Seguridade social – conceito e princípios (objetivos) art 194 Financiamento da Seguridade Social: art. 195 Saúde – arts. 196 a 200 Previdência – arts. 201/202 Assistência Social – arts. 203/204 • Saúde – arts. 196 a 200 CF: Direito público subjetivo. Promoção; Proteção; Recuperação. Rede regionalizada e hierarquizada Sistema único e descentralizado. Acesso universal e igualitário. Não contributivo Ministério da Saúde. Lei 8.080/1990 - LOS Livre à iniciativa privada - complementar do SUS - Vedado recursos públicos, salvo reembolso Vedado empresas ou capitais estrangeiros – salvo casos previstos em lei. Atribuições constitucionais do sistema único de saúde - SUS: - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde e participar da produção de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e outros insumos; - executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador; - ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde; - participar da formulação da política e da execução das ações de saneamento básico; - incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento científico e tecnológico; - fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como bebidas e águas para consumo humano; - participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos; - colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho. • Assistência Social – Arts. 203/204 CF Prestada a quem dela necessitar. Não contributivo. MDS Objetivos: - a proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice;

- o amparo às crianças e adolescentes carentes; - a promoção da integração ao mercado de trabalho; - habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua integração à vida comunitária; - salário mínimo mensal - deficiência e idoso – sem meios de manutenção; - Lei 8.742/1993 – Lei Orgânica da Assistência Social - LOAS - Dec. 6.214/2007 – Benefício de prestação continuada - BPC/LOAS • Previdência social - art. 201 da CF Organizada - regime geral - caráter contributivo - filiação obrigatória - equilíbrio financeiro e atuarial. Atenderá: - cobertura dos eventos (contingências ou riscos sociais) de doença, invalidez, morte e idade avançada; - proteção à maternidade, especialmente à gestante; - proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário; - salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa renda; - pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro e dependentes. MPS e INSS Lei de Custeio – L. 8.212/91 e Lei de Benefícios – Lei 8.213/91

Regimes previdenciários: Regimes previdenciários: 3 regimes: 1. Regime Geral de Previdência Social – RGPS; art. 201 da CF: 2. Regimes Próprios de Previdência Social – RPPS; art. 40 da CF: 3. Regime Privado de Previdência – RPP (facultativo – complementar): arts. 40 e 202 da CF: a) Entidades Abertas b) Entidades Fechadas de Previdência 4. Regime complementar público

2ª Aula: PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA SEGURIDADE SOCIAL 1) Universalidade da cobertura e do atendimento: Alcançar todas as pessoas e cobrir todos (ou a maior parte) os eventos (riscos sociais ou contingências). Subjetiva (as pessoas atendidas) e Objetiva (as prestações). 2) Uniformidade e equivalência dos benefícios e serviços às populações urbanas e rurais: Veda benefícios diferenciados aos trabalhadores urbanos e rurais. 3) Seletividade e distributividade na prestação dos benefícios e serviços: Seletividade - escolha de benefícios/serviços Distributividade - Quais pessoas beneficiadas (beneficiários) 4) Irredutibilidade do valor dos benefícios: Preservação do valor dos benefícios. Irredutibilidade nominal 5) Eqüidade na forma de participação no custeio: Contribuição de acordo com as forças salariais; proporcional aos rendimentos 6) Diversidade da base de financiamento: Várias formas e fontes de recursos. Recursos para financiar a seguridade vindo de vários lugares/fontes.

7) Caráter democrático e descentralizado da administração, mediante gestão quadripartite, com participação dos trabalhadores, dos empregadores, dos aposentados e do Governo nos órgãos colegiados CNPS – Conselho Nacional de Previdência Social CNAS - Conselho Nacional de Assistência Social CNS – Conselho Nacional de Saúde 3ª aula: Direito Previdenciário Natureza jurídica do DP. Publicista - decorre da lei, envolve contribuinte, beneficiário e o Estado. Taxionomia ou posição enciclopédica: Pertence ao ramo do Direito Público Alguns autores - Direito Social – ao lado do Direito do Trabalho. Autonomia do Direito Previdenciário: Legislativa ou legal; Doutrinária; Didática; Jurisdicional e Científica. Competência legislativa: Seguridade Social – privativa da União: art. 22, XXIII Previdência Social – concorrente – União – Estados – DF: art. 24, XII Municípios – regimes próprios: art. 30, I e II. Legislação Previdenciária: Fontes materiais: Complexos de fatores que ocasionam o surgimento de normas – envolve fatos e valores: Históricos; Sociais; Religiosos; Econômicos Fontes formais: Principais/primárias: Constituição Federal; Emenda Constituconal; Leis (Complementar, Ordinária, Delegada, MP) (Leis: 8.212/91 e 8.213/91). Secundárias/complementar: Atos Normativos, Decretos: (Exemplo Dec. 3.048/99 – regulamentou as Leis 8.212 e 8213/91); Decisões Administrativas. Vigência, aplicação, integração e interpretação Vigência: Regra geral - LICC; Lei que instituir ou modificar contribuição social-CS - 90 dias após a publicação; Exceção: modificações não onerosas Anterioridade mitigada (noventena, noventária, nonagesimal e trimestralidade) Aplicação: Brasileiros: que trabalham e residem no Brasil; residente no exterior, salvo se for segurado na forma da legislação vigente do país do domicílio. Estrangeiro: residente no Brasil, salvo se estiver a serviço de seu país; domiciliado e contratado no Brasil para trabalhar em empresa brasileira no exterior. Interpretação e Integração Interpretação: Tratados/acordos internacionais - lei especial; Literalidade: suspensão e exclusão da CS; isenção e dispensa de obrigações acessórias. Integração: Analogia: Não pode exigir contribuição; Eqüidade: Não dispensa contriuição.

aos 30 anos de serviço e abono de ¼ do valor do benefício se continuasse em atividade.Lei nº. 111 do CTN estabelece que se interpreta literalmente a legislação tributária que disponha sobre: I – suspensão ou exclusão do crédito tributário. 4º. 2005 .” Benefícios previdenciários .Constituição . o Seguro Acidente e em 1889. • • • .Ap. Pedro de Alcântara – aposentadoria de mestres e professores. III – dispensa do cumprimento de obrigações tributárias acessórias.807 .” Interpretação Lógica ou Teleológica: Ex. ao alvará. Áustria . Alemanha .Lei Eloy Chaves .criação da SRP/MPS 2007 . repartição simples – próximo ao brasileiro de 88) Origem e evolução .. 1824 . 179 – “socorros públicos” 1835 .Mundo: Inglaterra .Caixa de Aposentadoria e Pensão dos Ferroviários (por empresa) marco da previdência no Brasil Institutos de Aposentadorias e pensões/IAP’s – organizado por ramos de atividade 1933 – Marítimos – IAPM 1934 – Comerciários/IAPC e Bancários/IAPB 1936 – Industriários – IAPI 1938 – Servidores do Estado .Brasil 1821 – Decreto de D.1810: seguro-doença em favor dos assalariados.Lei 11. emolumentos e demais custos relativos à abertura.maior liberdade.1883: Chanceler Otto Von Bismarck. 11. invalidez. Unificação dos IAP’s 1977 .SRP/MPS e SRF/MF = Secretaria da Receita Federal do Brasil – SRFB/MF – “super-receita” .. à licença.457 .IPASE 1960 – Lei n° 3.* 4ª aula: HISTÓRIA E EVOLUÇÃO DA SEGURIDADE SOCIAL Origem e evolução .Mongeral (Montepio Geral dos Servidores do Estado) – privada 1891 – Constituição – art.William Beveridge (Lord Beveridge): 1941 – convocado pelo governo inglês 1942 – Serviço Social e Serviços Conexos.1. 111 do CTN: “O art. ao registro.art.601: Lei de Amparo aos pobres/Lei dos Pobres ( Poor Relief Act) . art. o Seguro invalidez e velhice Inglaterra . velhice e morte. obrigatória. Art.1854: doença. Invalidez funcionários públicos 1923 . instituiu o Seguro Doença para o trabalhador na Indústria marco da previdência no mundo.. 1946 – implantação do plano (universal. à inscrição.Interpretação Gramatical ou Literal: Ex.auxílios e socorros públicos Prússia .LOPS 1966 – INPS.098 . 1944 – Pleno emprego em uma sociedade livre.MEI – LC 123: “§ 3º Ficam reduzidos a 0 (zero) os valores referentes a taxas. Em 1884.SINPAS (INAMPS – CEME – LBA – FUNABEM – DATAPREV – IAPAS – INPS) 1990: INSS = IAPAS + INPS. § 3º . II – outorga de isenção. ao cadastro e aos demais itens relativos . 75 .

a empregador ou a terceiros. Decreto 3. ‘a’ até ‘r’.indenização. serviços urbanos ou rurais.filia-se a todas Inclusive o aposentado – continua/volta atividade Reconhecida em qualquer tempo – comprovação . na condição de empregado ou equiparado. no RGPS. com algum vínculo ou forma de subordinação.MÓDULO 2 – Beneficiários (segurados e dependentes) e Salário-de-contribuição 1ª Aula: Inscrição e filiação Salário-de-contribuição Organização da previdência social (art. Pode ser feita por terceiros.048/99) Dicas de empregados: Empregados em geral (além da CLT) bolsista e estagiário desacordo com a lei o aprendiz o trabalhador volante/temporário Cargos comissionados em geral Servidores dos Entes sem RPPS Missões diplomáticas. (Art. INSCRIÇÃO: Materializa a filiação Procedimento administrativo Ato formal .213/91 e Art. 201 caput da CF) regime geral caráter contributivo filiação obrigatória equilíbrio financeiro e atuarial FILIAÇÃO: Decorre do exercício de atividade remunerada/prestação de serviços Gera qualidade de segurado Vínculo jurídico entre segurado e o regime Cria direitos e obrigações Mais de uma atividade .identifica e qualifica o segurado Cadastro pessoa física + 16 anos. brasileira ou estrangeira. inscrição post mortem . I.segurado especial.11 Lei 8. 9º. em serviços de caráter eventual ou não. consulares e OI’s (no Brasil ou no exterior pela União) . SEGURADOS 1) Segurados obrigatórios Empregado Empregado doméstico Avulso Contribuinte individual Segurado especial 2) Segurado facultativo 2ª Aula: Segurado empregado: pessoa física.

876/99) qualquer pessoa física que não se enquadrar em nenhuma outra categoria de segurado obrigatório. 9º. 12. inclusive carvão e minério. e j) o classificador.048/99) Dicas contribuintes individuais: empregadores urbanos e rurais titulares de firma individual autônomos em geral ministro de confissão religiosa (pastor. VI. cooperado – (produção ou de trabalho) MEI. árbitro de jogos desportivos e seus auxiliares.213/91 e art. no âmbito residencial. babá. lavadeira. conferência e conserto de carga. ‘a’ a ‘j’ do Decreto 3. 11. II do Decreto 3. 8. VI da Lei 8. mediante remuneração. XXXIV da CF): a) o trabalhador que exerce atividade portuária de capatazia. 7º.213/91 e art. “a” até “p” do Decreto 3. sal e similares. a diversas empresas.212/91. estiva. 9º.048/99 (Art. intermediação obrigatória do órgão gestor de mão-de-obra – OGMO ou sindicato da categoria . a diversas empresas. e) o ensacador de café. exerce atividade de natureza urbana ou rural. V da Lei 8. motorista e piloto particulares. em atividade sem fins lucrativos. vigilância de embarcação e bloco. aquele que. sem vínculo empregatício. 3. jardineiro. 11. o movimentador e o empacotador de mercadorias em portos. 4ª Aula: Segurado Contribuinte Individual (fusão: empresário. f) o trabalhador na indústria de extração de sal. presta serviço de natureza urbana ou rural. L. . (Art. 9º. Descaracteriza: atividade lucrativa.art. trabalhador no exterior direto para Organismo Intern. que por conta própria ou não. i) o guindasteiro.048/99) (equiparada aos trabalhadores empregados/art. VI. com ou sem fins lucrativos. cacau. d) o amarrador de embarcação.3ª Aula: Empregado doméstico: serviço de natureza contínua.048/99) Exemplos empregado doméstico: cozinheira. sindicalizado ou não. sem vínculo empregatício. sócios e diretores não empregados. 11. Dec. 5ª Aula: Segurado Avulso: quem presta. autônomo e equiparado a autônomo (Lei 9. serviços de natureza urbana ou rural definidos no regulamento . 9º. titulares de cartório médico residente. c) o trabalhador em alvarenga (embarcação para carga e descarga de navios). V. b) o trabalhador de estiva de mercadorias de qualquer natureza. h) o prático de barra em porto.art. VI. padre) síndico ou o administrador eleito e remunerado. (sem intermediação da União). em caráter eventual ou não. (Art. de pessoa ou família.213/91 e art. g) o carregador de bagagem em porto. II da Lei 8.

exerce atividade rurícola: (Art. . Não descaracteriza segurado especial: Dirigente sindical ou de cooperativa*. *(+120 contribuições – prorroga para 24 meses – desemprego + 12) idem oriundo de RPPS. sem a utilização de empregados permanentes. 13 da Lei 8. atividade turística* Contrato até 120 dias* (entressafra ou defeso). possuidor. VII da Lei 8. que faça da pesca profissão habitual ou principal meio de vida. VII.722/2008 7ª Aula: Segurado facultativo: Qualquer pessoa maior de 16 anos de idade. Bolsista (sem regime) e o estagiário .detido ou recluso até 6 – cessar contribuições facultativo até 3 – licenciamento – FA. de seringueiro ou extrativista vegetal na coleta e extração. que optar por filiar ao RGPS. brasileiro que acompanha cônjuge que presta serviço no exterior. Decreto 3. Mandato de vereador*. estudante. usufrutuário.213/91 e art.6ª Aula: Segurado especial: Espécie do gênero trabalhador rural. Exemplos: dona-de-casa.718/2008 e Decreto 6. Regra geral: mantém qualidade de segurado – enquanto permancer filiado ao regime. comodatário ou arrendatário rurais. auxílio-acidente. 11 do Decreto 3. b) pescador artesanal ou a este assemelhado. 9º. seja ele proprietário. que explore atividade: 1. salvo se filiado a regime previdenciário de país acordante.048/99) a) produtor. (Art. assentado.trabalho dos membros da família é indispensável à própria subsistência e ao desenvolvimento socioeconômico do núcleo familiar. Pessoa física residente no imóvel rural ou em aglomerado urbano ou rural próximo que. * Lei 11. nem seja filiado a outro RPPS. membro de conselho tutelar (ECA). síndico de condomínio. regime de economia familiar . sem regime. individualmente ou em regime de economia familiar. e faça dessas atividades o principal meio de vida. e c) cônjuge ou companheiro e filho maior de 16 anos ou a este equiparado. de recursos naturais renováveis. ou 2. presidiário (fechado ou semi-aberto) que exerce ou não atividade remunerada. 11.048/99). parceiro ou meeiro outorgados.de acordo com a lei. Indústria artesanal (sem IPI). que tenham participação ativa nas atividades rurais do grupo familiar. Exceção: manter essa qualidade mesmo sem exercer atividade ou verter contribuições ao sistema: chamado período de graça. de modo sustentável. brasileiro residente ou domiciliado no exterior. agropecuária em área contínua ou não de até quatro módulos fiscais.benefício até 12 – após benefício ou cessar contribuições/desemprego* até 12 – cessar segregação até 12 – livramento .213/99 e art. não seja segurado obrigatório de outro regime previdenciário. desempregado ou deixou de contribuir como segurado obrigatório. ainda que com o auxílio eventual de terceiros. receber pensão. auxílio-reclusão – valor até o valor de 1 SM. 8ª Aula: Manutenção qualidade de segurado e período de graça. exercido em condições de mútua dependência e colaboração. quando não remunerado. Período de graça: sem limite de prazo . mediante contribuição.

União estável . 137 da CLT).32176.929/73). repartição consular. 8. empregado doméstico. Equiparam-se a empresa: contribuinte individual. 201.convivência pública.firma individual/sociedade .870/65). sem finalidade lucrativa.pessoa que mantenha união estável com o segurado ou segurada. segundo previsão do art. 10ª Aula: Salário-de-contribuição-SC: Empresa .urbana ou rural . aposentadorias por tempo de contribuição. prova de mesmo domicílio. mediante remuneração. declaração especial feita perante tabelião. 10. § 9º do Decreto 3. Especial e por Idade (Lei nº 10. 28.212/91. proprietário ou dono de obra. missão diplomática.Qualidade de segurado.bem como os órgãos e administração pública direta e indireta. Art. assistência ao trabalhador da agroindústria canavieira (art. Lei 8. férias indenizadas e adicional constitucional – inclusive a dobra de férias (art.213/91 Empregador doméstico . contínua e duradoura entre o homem e a mulher. A regra é que todos os ganhos ou rendimentos habituais do trabalhador integrem o salário-de-contribuição. Lei nº 4.fins lucrativos ou não . companheiro(a). Inscrição dependentes: Inscrição: ato do requerimento do benefício . 214. cooperativa. disposições testamentárias.não serve para fins declaratórios Documentos Manutenção e perda da qualidade Companheiro (a) . disciplinado pelo art. Prova união estável ou dependência econômica: certidão de nascimento de filho havido em comum. *salvo curso superior. (preferenciais) II) Os pais.não emancipados* de quaisquer condições. operador portuário e o OGMO. até 21 anos de idade ou inválidos. de qualquer condição.. I.programa de alimentação aprovado pelo MTE (Lei nº 6. 28. I) cônjuge. . 36. filhos(as) . ajuda de custo e o adicional mensal recebidos pelo aeronauta (Lei nº 5. associação ou entidade de qualquer natureza. L. declaração do imposto de renda. certidão de casamento religioso. ADCT).aquele que admite a seu serviço. III) Os irmãos não emancipados. indenização compensatória de 40% do FGTS (art. até 21 anos de idade ou inválido.ou equiparados .048/99) benefícios previdenciários. direitos autorais. § 9º. Valor mínimo do SC – piso normativo/legal da categoria ou salário mínimo Valor máximo – limite máximo de contribuição ou teto previdenciário . estabelecida com intenção de constituição de família. parcela in natura . exceto salário-maternidade. Mantém todos direitos previdenciários mesmo com a perda da qualidade cumprimento dos requisitos de forma não concomitante.666/2003) 9ª Aula: Dependentes.212/91 e art. § 11 da CF.assume o risco de atividade econômica .. 14 Lei 8.valor fixado por portaria interministerial – Ministros da Previdência e da Fazenda. Não integram o SC – rol taxativo (art.

Serviço/reembolso de despesas médico ou odontológico .727/2009)* .todos os empregados e dirigentes. multa por atraso na rescisão do contrato de trabalho. complementação ao valor do auxílio-doença . seguro de vida em grupo .legislação trabalhista – criança até 6 anos. reembolso creche/babá . indenização por dispensa sem justa causa no período de 30 dias que antecede a correção salarial. extinção empresa) . quando da expiração normal do contrato. CLT). licença-prêmio indenizada.uso de veículo do empregado. 7º. diárias para viagens – até 50% da remuneração mensal do empregado. decorrente da não reintegração ou extinção da empresa pro força maior ( art.contratos por prazo determinado (art. 496 e 497 da CLT).indenização estáveis (reintegração.PIS/Programa de Assistência ao Servidor Público . participação nos lucros ou resultados da empresa (Art. 479 CLT). desde que expressamente previstas em lei. incentivo à demissão.distante da de sua residência – normas do MTE. vale-transporte.única . alimentação e habitação fornecidos .totalidade Aviso prévio indenizado integra (Decreto 6.totalidade empregados e dirigentes da empresa. bolsa de complementação educacional de estagiário. 13º salário –natureza jurídica Auxílio-Acidente Diárias: + 50% . equipamentos e outros acessórios fornecidos ao empregado – para o trabalho. ajuda de custo .101/2000). transporte. aberta ou fechada . indenização por despedida sem justa causa .acordo ou convenção coletiva de trabalho -todos empregados e dirigentes.extensivo à totalidade dos empregados.PASEP. vestuários.mudança trabalho do empregado (art.atividades da empresa . XI CF e Lei 10. 143 e 144 da CLT). previdência complementar privada. abono de férias – até 20 dias . indenizações empregados estáveis. indenização do tempo de serviço do safrista. outras indenizações. plano educacional .(art. na forma da legislação própria.não optante pelo FGTS. abono do Programa de Integração Social . 470.totalidade empregados e dirigentes. despesas comprovadas .

Preexistência de custeio para criar.. porte da empresa.outras fontes destinadas a garantir a manutenção ou expansão da seguridade social – LC.. Receitas dos entes à seguridade social constarão dos respectivos orçamentos. § 10. não incidindo contribuição sobre aposentadoria e pensão concedidas pelo RGPS. mão-de-obra. 167... Vinculadas à Previdência Social) § 1º.. ou de quem a lei a ele equiparar (MP nº 164 .* 3) sobre a receita de concursos de prognósticos.. § 5º. 20 Lei 8. § 3º Pessoa jurídica em débito .83 .. § 2º... § 9º. Elaboração integrada orçamento da SS .PIS/PASEP E COFINS).865.Poder Público § 4º.689. Competência residual .212/91) até R$ 1. receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios . *(chamadas contribuições previdenciárias.... a qualquer título. (CSLL) 2) do trabalhador e dos demais segurados da previdência social. Variação da alíquotas ou bases de cálculo . I.. § 11.art. § 6º..* b) a receita ou o faturamento..844.9% de R$ 1. § 13.. Efeitos não cumulativos – faturamento/lucro e importador.84 até R$ 3.LDO – gestão descentralizada.. incidentes sobre: a) a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados. (PIS/PASEP.entidades beneficentes de assistência social. § 7º. 195..... Rurícolas .91 a R$ 1.. XI . Anterioridade mitigada – lei que instituir /modificar CS – 90 dias – salvo se não onerosas.... § 8º.... COFINS) c) o lucro....844.alíquota sobre produção.MÓDULO 3: Financiamento da seguridade social/Custeio/Contribuições sociais 1ª Aula: Disposições Constitucionais sobre Financiamento da Seguridade Social – Art..66 ... Critérios de transferência de recursos e contrapartida. de 2004 ... Remissão/anistia das CS – limitadas § 12... mas não integram o orçamento da União. majorar ou ampliar benefícios/serviços. 195 da CF (orçamento público e contribuições sociais).não contratar..sem empregados permanentes – contribuição substitutiva à seguridade social .. 1) do empregador. mesmo sem vínculo empregatício.106...106.. Isenção de contribuição .. 4) do importador de bens ou serviços do exterior.11% .. Substituição contribuição sobre a folha. avulso e doméstico (art. 2ª Aula: Contribuições sociais Natureza jurídica: parafiscal x tributária Contribuições Sociais X contribuições previdenciárias Contribuição social – vinculada SS Contribuição previdenciária – vinculada a PS (art..Lei nº 10.90.razão da atividade econômica.. condição estrutural do mercado de trabalho – (equidade na participação do custeio).8% de R$ 1. da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei. “a” e II/CF) Contribuições sociais do trabalhador e dos demais segurados da previdência social Contribuições do Empregado. à pessoa física que lhe preste serviço.

00 Maria.instituiu o PIS/PASEP-Importação .298. 9 ou 6% – aposentadoria especial aos 15.72 Subtotal empresa – R$ 2. empresa 22% X R$ 5. R$ 3.00 José.000.833/2003 . 7 ou 5% .200. 23.Limite mínimo/máximo 3ª Aula: Contribuição da empresa (art.LC nº 26/1975 Lei nº 10. Lei 8.para os bancos) Cofins (Contribuição Social para Financiamento da Seguridade Social) Lei Complementar nº 70/1991 (até 7.faturamento (bruto) mensal . avulso – R$ 700.865/2004 .900. 21.273.2% sobre sua receita bruta.12. R$ 700. Lei 10. II .86 Subtotal segurados – R$ 975.666/2003) • SAT .Micro Empreendedor Individual-MEI (idem a quem opta contribuir com 11%). 57. empregada – R$ 4.212/91) I .00 Total empregado – R$ 5.900. Piso/teto .86 Antônio. 2 ou 3% SAT (. 22 Lei 8.689.10% sobre o lucro líquido (15% .66 X 11% = R$ 405.000. 22 Lei 8.Contribuição do segurado contribuinte individual e facultativo (art. lei 8.50% + 100% (Art.212/91) 20% . 1º.independentemente de sua denominação ou classificação contábil.00 = R$ 1. de 7/9/1970 (PIS) LC nº 8.não cumulatividade Cofins Fato gerador .00 x 9% = R$ 108. de 3/12/1970 (Pasep) Os Fundos Pis/Pasep foram Unificados . 8.00 subtotal empresa – R$ 2.00 Maria.298.72 • 1.298.6%) Lei nº 10. Lei 10.213/91) • 9.000.666/2003) Faturamento e do lucro (art.212/91): 20% da folha Instituições financeiras 22. empresa CI – 20% x R$ 5.cooperativas de trabalho Contribuição social (previdenciária) da empresa: exemplo: João.689. 11% .00 X 8% = R$ 56.00 Cont.00 (20% da folha + 2% do SAT) José.212/91) e do empregador doméstico (art.200.66 X 11% = R$ 405.000.5% 15% .00 Descontos dos segurados: João.00 Total empresa – R$ 3.para empresa que contrata cooperativa trabalho (art.00 Cont. 20 ou 25 anos (Art. R$ 3.212/91) Contribuição da empresa (art. 5% . indiv – R$ 5.regra geral da alíquota – gera direito a todos os benefícios. Programas de Integração Social – PIS e Formação do Patrimônio do Servidor Público-PASEP LC nº 7. 6º L. 10. 24 Lei 8.00 Antônio. cont. empregado – R$ 1. §1º.00 = R$ 1. R$ 1.para quem contribui sobre 1 salário mínimo – exclui direito a aposentadoria por tempo de contribuição e à contagem desse tempo para ser usada em outro regime.

“É inconstitucional a lei ou ato normativo estadual ou distrital que disponha sobre sistemas de consórcios e sorteios.212/91) recursos adicionais . 11.orçamento fiscal – LOA União responsável .Contribuição do Empregador doméstico: 12% do salário-de-contribuição pago ao empregado doméstico a seu serviço (art. 31 Lei 8. 240 da CF) . 26 Lei 8. 8.212/91)* • PRPJ: 2.nota fiscal.212/91 Empresa contratante (tomadora) de serviços executados mediante cessão de mão-de-obra .LC Contribuição da União (art. prêmio e FIES (prognósticos públicos)* 5%: prado.212/91) terceiros (art.pagamento de benefícios (art.212/91). entidade promotora do espetáculo ou patrocinadora Patrocínio. 250/CF : Fundo do RGPS . 68 . 8. 22-A. Segurados contribuinte individual.MF) Lei nº.tráfico 40% .3.até o dia 15 do mês seguinte Opção recolhimento trimestral – dia 15 trimestre civil Retenção – art.5% .não houver expediente bancário no dia 20. SENAT. vigilância. 11. publicidade e transmissão Concursos de prognósticos (art.MPS (idem SRF .SRFB 50% . L.sistema “S”: SESI. 16 Lei 8. SESCOOP. 24 Lei 8.5% (SS) + 0. 30/31 Lei 8. 195. até o dia 20 do mês seguinte – antecipa vencimento . 27 Lei 8.leilões . §4º . licenciamento marcas e símbolos. 6% . 16 L.212/91) valor líquido: menos despesas.LC 101/00. segurança etc) . números e símbolos (prognósticos privados) *Súmula Vinculante nº 2.0% (SS) + 0. (serviços de limpeza.212/91) Art.1% . facultativo e empregador doméstico .933/2009) Arts. Concursos de prognósticos e receitas de outras fontes Produtor rural (contribuição substitutiva) PRPJ e agroindústria (art.212/91 Obrigação principal: Empresa . 4ª Aula: Contribuições substitutivas.contribuições a seu cargo e a dos trabalhadores.212/91) 5% receita bruta: associação desportiva. SEST.bens .1% SAT (idem segurado especial) *Lei 10.256/2001 Clube de futebol profissional (regime/contribuição substitutiva) (art.Secretaria da Receita Federal do Brasil – SRFB/MF “super-receita” Arrecadação e Recolhimento (MP 447/2008 – Lei N. inclusive bingos e loterias”. Receitas de outras fontes (art.457/ 2007 .seguro DPVAT – seguradoras – SUS Novas contribuições – Art. receitas e aplicações + contribuições sociais 5ª Aula: Obrigações da empresa: Lei 11. fatura ou recibo. SESC.098/2005 – Secretaria da Receita Previdenciária – SRP .1% SAT • PRPF: 2.2. art. §6º Lei 8. conservação e zeladoria. 22.2.gerido pelo INSS Constitui de bens.reter 11% . 50% .

212/91 – incluído pela Lei 11. Operador portuário . O Departamento Nacional de Registro do Comércio-DNRC (órgão do Ministério do Desenvolvimento. 32 e 32-A da Lei 8. o incorporador.OGMO Tabelião Instituição financeira Administradores públicos Matrícula (art. § 2º Lei 11. todos os fatos geradores das contribuições (art.212/91 – L.212/91): Privativa do Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil – AFRFB – poder de polícia – lançamento de ofício Descumprimento de obrigação principal: notificação de lançamento – NL Descumprimento da obrigação acessória: Auto-de-Infração . financeiras e contábeis informar mensalmente . recursos públicos. dados cadastrais. Exemplo: empréstimo.AI Responsabilidade Solidária: O proprietário.Obrigações acessórias – arts. Indústria e Comércio – MDIC). § 7º Lei 8. Instituições financeiras . 2º. A matrícula do produtor rural pessoa física ou do segurado especial – substitui o CNPJ nas relações com o Poder Público. pelo cumprimento das obrigações para com a seguridade social Exceto adquirido por empresa de comercialização ou incorporador de imóveis.941/2009) Município – mensal – até dia 10 do mês seguinte – relação alvarás para construção civil e "habite-se" concedidos. 33. Cartório de registro civil e de pessoas naturais .com o construtor. deverão informar à SRFB as todas as informações referentes aos atos constitutivos e alterações posteriores relativos a empresas e entidades neles registradas. devida ou creditada a todos os segurados a seu serviço.GFIP. A matrícula da empresa será efetuada nos termos e condições estabelecidos pela Secretaria da Receita Federal do Brasil.CND .941/09) A SRFB prestará contas anualmente ao CNPS .fatos geradores contribuições prestar à SRFB as informações cadastrais. 49 da lei 8.escrituração contábil: o pequeno comerciante* pessoa jurídica tributada com base no lucro presumido* a pessoa jurídica optante do SIMPLES *manter escrituração do Livro Caixa e Livro de Registro de Inventário 6ª Aula Crédito da seguridade social: notificação de lançamento auto de infração confissão de valores devidos e não recolhidos (art. 33 Lei 8. lançamentos mensais . e este e aqueles com a subempreiteira.autenticidade da Certidão Negativa de Débito .212/91: preparar folha de pagamento da remuneração paga.registro dos óbitos Desobrigadas . o dono da obra ou condômino .até o dia 10 de cada mês . 11.212/91 – Lei 11.recursos públicos. Lei 8. comercialização de produtos.941/09) É o cadastro feito pela empresa (equivale à inscrição do segurado). 32-A. . por intermédio das Juntas Comerciais e os Cartórios de Registro Civil de Pessoas Jurídicas.457/07) Fiscalização (art.arrecadação das contribuições sociais destinadas ao financiamento do RGPS e das compensações a elas referentes (art.

00 no caso de pessoa jurídica.33% . 1º § 2º. seja a que título for. e II – R$ 100.522/2002 – Cadin – até 60 meses . 47 Lei 8. Poderão ser pagos ou parcelados.212/91 (Lei 11. Lei 8. e 3) Regularidade fiscal em relação às contribuições sociais.20% receita anual: • 1bolsa/ 9 alunos ( renda 1 1/5 SM) • + bolsas de 50% (renda 3 SM) Assistência Social – serviços/ações sociais gratuitos .CND – sem sigilo fiscal Emitida meio de sistema eletrônico .212/91 Isenção* . 2) não remunerar ninguém. finalidade o pagamento parcelado das contribuições Lei 11. em até 180 meses . 61 da Lei no 9. 1º § 2º.101/2009 – Revogação art.os débitos administrados pela SRFB e os débitos para com a PGFN prestação mensal não pode ser inferior a: I – R$ 50. 2028-5 – L.pessoa jurídica de direito privado . 35.1º dia após o vencimento até o dia do pagamento – até 20% Juros de mora: meses intermediários – taxa Selic 1% no mês do pagamento 7ª Aula: Restituição.212/91 Parcelamento ordinário – Lei n. Certidão Negativa de Débito – CND (art.212/91) Restituição: contribuições recolhidas indevidamente ou recolhidas além do devido Compensação: encontro débitos e créditos Reembolso: dedução pagamento salário-família e salário-maternidade Isenção (MP 446/2008 – rejeitada) (ADIN N. Certidão Negativa de Débito – CND Parcelamento art.00 no caso de pessoa física.941/09 (art. inscritos ou não em Dívida Ativa da União.212/91) Certidão Negativa de Débito – CND: é o documento hábil para comprovar a inexistência de débitos Prazo de validade da certidão é de até 180 dias. III da Lei 11. 38 da Lei 8.é o acordo celebrado entre a SRFB e o contribuinte. 8ª aula: Parcelamento e Dívida Ativa. 89 Lei 8.CMAS Certificado (Ministérios) regulamento – 1 a 5 anos Requisitos: 1) aplique integralmente o eventual resultado operacional na manutenção e desenvolvimento de seus objetivos institucionais.SUS – 60% Educação – PNE .941/2009) As CS (instituídas a título de substituição e das contribuições devidas a terceiros) pagas fora do prazo –art. contado da data de sua emissão Informações . III) – Parcelamento extraordinário . mesmo em fase de execução fiscal já ajuizada.dispensa do pagamento das contribuições previdenciárias (folha+SAT). * (ou imunidade?) Saúde . 10. Compensação e Reembolso (art.430/1996.Recolhimento fora do prazo: juros.aplica-se aos créditos constituídos ou não. multa e atualização monetária Art.941/09 (MP 449) – revogou o art. 55 Lei 8. 12. Multa de 0.

e de bem móvel a partir de certo valor.CPD-EM Não exigência ato nulo – responsabilidade solidária (art. por exemplo: a) na licitação. educação. . a qualquer título. b) na alienação ou oneração. ato ou contrato que constitua retificação. na contratação com o poder público e no recebimento de benefícios.A CND deverá ser exigida da empresa. ratificação ou efetivação de outro anterior para o qual já foi feita a prova. averbação relativa a imóvel cuja construção tenha sido concluída antes de 22 de novembro de 1966. saúde e em caso de calamidade pública. empréstimo ou incentivo fiscal ou creditício concedidos por ele. Não é obrigatória a guarda da CND emitida por meio eletrônico. desde que o contribuinte não seja responsável direto pelo recolhimento de contribuições sobre a sua produção. desde que comprove o pagamento das contribuições relativas à sua unidade. Certidão Positiva de Débito com Efeitos de Negativa . verificação de sua autenticidade pela Internet ou junto à SRFB. O condômino. concessão de crédito rural. de bem imóvel ou direito a ele relativo.Independe de prova de inexistência de débito: lavratura ou assinatura de instrumento. 48) . recebimento pelos Municípios de transferência de recursos destinados a ações de assistência social.

contribuinte individual. Período de Carência e Salário-de-benefício • Prestações do RGPS.MÓDULO 4 . .isentos • Salário-de-benefício Salário-de-benefício: média dos SC Correção .RGPS e privado CAT . salário-família e maternidade • CÁLCULO DO FATOR PREVIDENCIÁRIO: f = Tc x a Id + Tc x a Es x [ 1 + 100 ] onde: f = fator previdenciário.INPC SB . f) salário-família.Parâmetros epidemiológicos . especial e facultativa – Isento: empregada e avulsa Incapacidade . b) aposentadoria por idade. 120 L. auxílio-reclusão. g) salário-maternidade. d) aposentadoria especial. Benefícios e Serviços. 118 Lei 8. • Período de Carência Salário-maternidade: 10 contribuições .art.430/2006: Nexo de causalidade .Prestações RGPS. segurado e dependente: a) serviço social.213/91 • NTEP Lei 11. Disposições Gerais 1ª aula . b) reabilitação profissional. Trajeto – in itinere – deslocamento casa/trabalho ou vive-versa.Prestações do RGPS. 201. salário-família . Es = expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria. 8. Prestações: benefícios e serviços: Segurado: a) aposentadoria por invalidez.limites: salário-mínimo / teto Aposentadorias Invalidez e Especial.Agravo à saúde e o trabalho exercido . auxílio-reclusão. Tc = tempo de contribuição até o momento da aposentadoria. Doença profissional/trabalho – nexo indireto ou concausa – decorrente do meio ou das condições de trabalho Art. c) aposentadoria por tempo de contribuição. Id = idade no momento da aposentadoria.31.12 contribuiçõs – Isento: acidente e doenças graves Aposentadorias – 180 contribuições – tabela art. 2ª aula: Acidente de trabalho: Típico – ocorre no local e horário de trabalho.213/91 Estabilidade . b) auxílio-reclusão.12 meses .FAP . Dependente: a) pensão por morte. 142 Pensão por morte.1º dia útil Omissão – terceiros ou acidentado Responsabilidade civil da empresa ou de terceiros Ações regressivas – art. auxílio-doença e auxílio-acidente = média maiores SC . a = alíquota de contribuição correspondente a 0.80% período Aposentadorias: por idade e tempo de contribuição (média aritmética X fator previdenciário) Não usa SB: pensão. e) auxílio-doença. § 10/CF – concorrente .(aumenta ou diminui a alíquota do SAT). h) auxílio-acidente.

idade: Segurado – 65 anos de idade e 20 anos de contribuição e SB R$ 2.000.3ª aula: Auxílio-doença: Segurado – carência – 12 contribuições • Isento: acidente e doenças/afecções graves • Incapacitado trabalho/ atividade habitual • Empregado considerado como licenciado • Início – empregado – 16º dia ou DER • Demais segurados – 30 dias ou DER Mais de uma atividade – RGPS Pode ser requerido de ofício pela Previdência ou empresa Renda: 91% do salário-de-benefício.requerido em qualquer época – mesmo após o óbito (não incorpora à pensão) Cessação: recupera a capacidade ou volta ao trabalho Suspensão: não comparece a exame ou procedimento prescrito prela Previdência. • Exemplo ap. 6 – 25%) 5ª aula: Aposentadoria por Idade: 65 de idade – homem 60 de idade – mulher Reduz 5 anos – trabalhadores rurais Carência – 180 contribuições . salvo cirurgia ou transplante Contrato de trabalho .00 (renda = 70% do SB + 1% por grupo de 12 contribuições) .12 contribuições Isento – acidente e doenças graves Precedido ou não de auxílio-doença Incapaz “permanente” atividade laborativa insuscetível de reabilitação Suspensão: não comparece a exame ou procedimento prescrito prela Previdência.00 Cessa: • recuperação capacidade laborativa • concessão da aposentadoria por invalidez • concessão de auxílio-acidente • retorno voluntário à atividade 4ª aula: Aposentadoria Por Invalidez: Segurado – carência . se for mais vantajoso. ou isento Início: 16° dia ou DER Mais de uma atividade Renda .70 a 100% do SB (70% mais 1% a cada 12 contribuições) Fator previdenciário: optativo.: SB R$ 1. salvo cirurgia ou transplante carência: 12 cont.000. 475 CLT c/c 47 da Lei 8.00 X 91% = R$ 910. 6 – 50%. tabela art. Ex. Acréscimo 25% . Ex. Início: data do desligamento ou DER Renda .suspenso por 5 anos.213/91) Mensalidade de Recuperação: Até 5 anos – (imediato ou meses equivalentes) Após 5 anos – (6 – 100%.inscrito após 25/07/91 Inscrito até 24/07/91. (Art. 2009 – 168 contribuições.de 100% do salário-de-benefício. 142.

até 6 anos Freqüência escolar . 20 anos: • asbestos (amianto).Perfil Profissiográfico Previdenciário 15 anos: mineração subterrânea.70 homem e 65 mulher (opção da empresa) – equivale a dispensa sem justa causa .semestral .00 SB .875.59 a R$ 862.800.11 • Pagamento: Empregado – empresa Avulso .35 anos de contribuição.7485 = 1. 30 – mulher (reduz 5 anos professor(a). . Devido pai e a mãe – segurados Beneficiários – INSS Vacinação anual .00 Fator: 35x0.73 – R$ 573.sindicato ou OGMO.afastados das frentes 25 anos: demais agents 8ª aula: Salário-família: Empregado (exceto o doméstico) e avulso Sem carência Segurado baixa renda SC .31 x (1+(64+35x0.Homem . • mineração .30 anos de contribuição.31)) = 18.042 R$ 1.R$ 1.até R$ R$ 862.000.042 = R$ 1.58 R$ 20.00 x 1.Renda = 70% + 20% = 90% 90% X R$ 2.00 (ATC = 100% do SB) 7ª aula: Aposentadoria Especial: • empregado/avulso Espécie de aposentadoria por tempo de contribuição Exposição habitual/permanente a agentes nocivos PPP .11 Filhos/equiparados . *Obrigatório fator previdenciário SB = média do SC X Fator Segurado com 64 anos de idade.00 = R$ 1.800. mediante convênio.14 anos ou inválidos Cotas SF: R$ 29.875.indenização trabalhista 6ª aula: Aposentadoria por tempo de contribuição: 35 anos de contribuição – homem.Mulher .41 – até R$ 573.800.2 100 0.após 7 anos . Professor – 30 anos Profesora – 25 anos Início: 90 dias ou DER Renda 100% SB*: .5962 x 1.00 Fator – mais vantajoso Compulsória . 35 de contribuição e média de SC: R$ 1.

natimorto durante 120 dias 28 dias antes do parto + 2 semanas . 2) auxílio-doença. .770/08 . Doméstica.30 dias Guarda para fins de adoção Lei 11. 71 a 73) Todas seguradas Salário-de-contribuição Carência: Facultativa. idem pensão) Sem remuneração – sem auxílio-doença.120 dias 1 a 4 . 3)prova de prisão.XI CF).Cotas .não incorporam ao salário ou benefício Não gera 13º 9ª aula: Salário Maternidade (art.antes ou após o parto Aborto .60 dias 4 a 8 .010/09 – revogou §§ 1º a 3º art.60 dias – IR Lei 12.11) Regime fechado ou semi-aberto.2 semanas Renda: empregada e avulsa: última remuneração . CI e especial – 10 Empregadas e avulsas – isentas Por parto (após 23ª semana) .último salário-de-contribuição – (sujeita-se ao teto do RGPS) Segurada especial: 1 salário mínimo Contribuinte individual e facultativa = 1/12 dos 12 SC . Requisitos – (exceto limite da renda.empresa cidadã . Início: data do óbito ou DER Renda: benefício do segurado ou por invalidez Habilitação de dependentes/rateio Cessação Auxílio reclusão: Segurado de baixa renda (R$ 862. 392-A CLT 10ª aula: Pensão por morte e Auxílio reclusão: Pensão por morte: Dependentes Morte física ou presumida. Adoção (inclusive mãe biológica): Até 1 ano .(sem teto – art. 4) passar regime aberto ou por prisão albergue.até 15 meses. aposentadoria ou abono de permanência em serviço Início – data prisão ou DER Suspensos : 1) no caso de fuga. 248/37.

idoso 65 anos ou mais Sem renda própria ou da família Renda per capita inferior a ¼ do SM Estatuto do Idoso .000 – 4% de 1. 20. arts. 203 da CF . Parecer sócio-econômico (Re)abilitação Profissional – art 89/93: (re)educação .seqüela definitiva redução capacidade laborativa Início . 94 a 99 L.214/2007 1 SM .regime para outro .Dec.não gera pensão nem 13º Inacumulável .ajuda material.213/91 e Lei n.742/93 .796/99 Tempo de contribuição . órtese.50% do salário-de-benefício Cessa: aposentadoria.nenhum regime 14ª aula: Disposições gerais sobre benefícios • Contagem recíproca: Art.deficiência .ingresso no mercado de trabalho Fornecimento aparelho de prótese.assistência jurídica .Lei nº 10. CTC ou óbito Abono anual .meios de exercê-los.11ª aula: Auxílio-acidente e Abono anual Auxílio-acidente Indenização – empregado (exceto doméstico) avulso e especial acidente de qualquer natureza consolidação das lesões .° 9. prioridade aos segurados em benefício por incapacidade temporária e atenção especial aos aposentados e pensionistas intervenção técnica .001 em diante – 5% 13ª aula: Benefícios Assistenciais BPC/LOAS – art.art.213/91: Orientações sociais .13º salário . 88 Lei 8. L.dia seguinte ao auxílio-doença Renda .gratificação natalina Todos – exceto salário-família Base/mês 12 (art. 6. 8.4/12 12ª aula: Serviços Previdenciários: Serviço Social e (Re)abilitação Profissional: • Serviço Social art. 201. 8.741/03 Intransferível . 6º CF) 15 dias = 1 mês Proporcional – alta Salário-maternidade .(re)adaptação professional Incapacitados e portadores de deficiência Meios . § 9º CF. • • A empresa é obrigada a contratar deficientes ou reabilitados: de 100 a 200 empregados – 2% 201 a 500 – 3% 501 a 1. 201.

contagem especial. exceto pensão por morte e auxílio-acidente. em dobro nem concomitante • Pagamento de benefícios: Pagamento ao beneficiário Impossibilidade . mais de uma pensão .procuração .art. mais de uma aposentadoria.pode firmar .12 meses Maior 16 anos .Compensação previdenciária . 124 – Lei 8.cônjuge ou companheiro. mais de um auxílio-acidente. aposentadoria e auxílio-acidente. seguro desemprego com benefício previdenciário. aposentadoria e abono de permanência em serviço. .quitar recebimento de benefícios • Não podem ser acumulados: .213/91 aposentadoria e auxílio-doença.acerto de contas entre os regimes Certidão de tempo de contribuição – CTC Sem débitos. salário-maternidade e auxílio-doença.

128. empregador e trabalhador) Contribuintes Delegacias de Julgamento e Turmas de Julgamento Conselho Administrativo de Recursos Fiscais e Câmara Superior de Recursos Fiscais (Ministério da Fazenda) (Lei nº 11.beneficiário ou contribuinte .litígios e medidas cautelares acidentários: Justiça estadual comum Rito sumaríssimo Férias forenses Petição instruída .opção – por exeqüente Quitadas no prazo de até 60 dias RPV . 8. demandas judiciais .213/91 .ação judicial – idêntico processo administrativo .MÓDULO 5 PROCESSO PREVIDENCIÁRIO: Administrativo e Judiciário. 126. 108 L. 10.941/2009) Art. § 3º . Prescrição e decadência 1ª Aula: Processo administrativo: Recursos Administrativos e Justificação administrativa.reajuste .Juntas de Recursos – JR Câmaras de Julgamento – CaJ do CRPS. Recursos Administrativos: Beneficiários .CAT Isento .457/2007 e Lei 11. 129 L.sem precatório .259) .213/91: • • falta ou insuficiência de documento produzir provas Salvo registro público: casamento.renúncia desistência do recurso interposto. 30 dias (representante do governo. 8.concessão de benefícios Até 60 SM (L.custas e sucumbência Art. Justificação administrativa-JA art. idade ou óbito 2ª Aula: Processo judicial: Art.

verificada esta em perícia médica a cargo da Previdência Social.quitação do pedido .As ações referentes à prestação por acidente do trabalho prescrevem em 5 anos: I .do acidente. Podem ser descontados dos benefícios: contribuições devidas à Previdência Social. comprovada má-fé. pagamento prestações ou restituições . pensão de alimentos .212/1991 (revogados pela LC 128/2008) – idem 173 e 174 do CTN Art. 3ª Aula: Decadência e Prescrição: Decadência: 10 anos direito ou ação . pagamento de benefício além do devido. 104 da Lei 8.Lei 8.213/91 . 115.sentença judicial Art. empréstimos.em que for reconhecida pela Previdência Social.salvo o direito dos menores e dos incapazes – CC Contriuições previdenciárias – prescrição e decadência .qualquer ônus Salvo: valor devido à Previdência Social e a desconto autorizado e PA . mensalidades entidades de aposentados .* .revisão concessão de benefício. ou II .Vedado o fracionamento e precatório complementar ou suplementar Renúncia valor excedente . O INSS pode cessar benefício + de dez anos.instituições financeiras.5 anos – Súmula Vinculante nº 8 (julgou inconstitucional os arts. quando dele resultar a morte ou a incapacidade temporária. 114. benefício não pode ser objeto: penhora. a incapacidade permanente ou o agravamento das seqüelas do acidente.sentença judicial. financiamentos .autorizadas por seus filiados.extinção do processo Opção não obsta embargos pelo INSS • Art. arresto ou seqüestro nula venda – cessão . Prescreve em 5 anos. Imposto de Renda retido na fonte. 45 e 46 da Lei de Custeio .

1ª Aula: Crimes previdenciários: Lei 9. Dolo deve ser caracterizado.Art. Pagamento posterior – perdão judicial – antes da denúncia.Art.MÓDULO 6 . mas omissivo material (ocorrência da apropriação dos valores com inversão da posse). Extinção da punibilidade – idem anterior. após. de 2 (dois) a 5 (cinco) anos.212/1991 Crimes penais previdenciários Abolitio criminis? Transmudação da Lei de custeio para CP 2ª Aula: Apropriação indébita previdenciária . 3ª Aula: Sonegação de contribuição previdenciária . . 337-A: Suprimir ou reduzir contribuição social previdenciária e qualquer acessório. e multa Crime contra a administração pública Crime material (resultado compõe o tipo) – necessária a supressão ou redução da contribuição.CRIMES E INFRAÇÕES. Crime contra o patrimônio – bem jurídico tutelado – patrimônio da PS Crime material de conduta mista – requer a inversão da posse para materialização (ação no princípio e omissão no final) dispensa o dolo específico – animus rem sibi habendi (ter a coisa apropriada para si mesmo) Para o STF não consubstancia crime formal.983. mediante as seguintes condutas: Omitir informações da folha Deixar de lançar Omitir receitas ou lucros. de 14/07/2000 revogou o artigo 95 da Lei de Custeio – Lei 8. 168-A. remunerações pagas ou creditadas e fatos geradores Reclusão. Deixar de repassar à previdência social contribuições recolhidas dos contribuintes prazo e forma legal ou convencional Deixar de recolher Não repassar benefícios . Extingue a punibilidade: declarar.2 a 5 anos e multa. atenuante. Ausência de desconto exclui o crime. sob pena de exclusão da antijuridicidade e virar ilícito administrativo.reembolso Empregador ou responsável Pena: reclusão . STJ reconhece extinção da punibilidade – parcelamento tardio (posterior). confessar e pagar antes da ação fiscal.

e multa. de 2 a 12 anos. "Art.Inserção de dados falsos em sistema de informações Art. o funcionário autorizado. 4ª aula . mesmo que este não seja usado. 313-B Modificar ou alterar." Ex." Crime próprio. sistema de informações ou programa de informática sem autorização ou solicitação de autoridade competente: Pena – detenção. • Modificação ou alteração não autorizada de sistema de informações .STF – parcelamento suspende a pretensão punitiva do Estado – extingue-se com pagamento da última parcela Base art. funcionário recebe dinheiro para inserir tempo. alterar ou excluir indevidamente dados corretos nos sistemas informatizados ou bancos de dados da Administração Pública com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem ou para causar dano: "Pena – reclusão. formal. 313-A. As penas são aumentadas de um terço até a metade se da modificação ou alteração resulta dano para a Administração Pública ou para o administrado. e multa "Parágrafo único.ausência de dolo específico – mera modificação dos dados – qualquer fim. . insere tempo de contribuição Crime próprio .comissivo – ação de inserir dados § 4º omissivo – omissão da empresa em relação aos segurados. Atenção. comissivo –conhecido como data dilling Difere do anterior .297.somente funcionário autorizado pode cometê-lo.documento de informações – CTPS documento contábil – outros lançamentos prova perante a previdência social § 4º omitir: informações do segurado Crime formal § 3º . exclui débito. Inserir ou facilitar. Formal e comissivo – decorre de uma ação e não carece de resultado – embora dolo específico Ex. 9º Lei 10. Se for para deixar de pagar contribuições – será absorvido pelo crime de sonegação das contribuições previdenciárias – não configura concurso de crimes.Art. o funcionário. Falsificação de documento público: § 3º Nas mesmas penas incorre quem insere ou faz inserir: na folha de pagamento . de 3 meses a 2 anos. a inserção de dados falsos.684/03.

caracteriza na primeira parcela – as demais – exaurimento do crime." . Estelionato qualificado..Estelionato art. Súmula 24 do STJ – crimes contra entidade autárquica da PS. Funcionário público Art. em prejuízo alheio. e quem trabalha para empresa prestadora de serviço contratada ou conveniada para a execução de atividade típica da Administração Pública. Obter para si ou para outrem.. vantagem ilícita. 171. 171. " "§ 1º Equipara-se a funcionário público quem exerce cargo. § 3º e conceito de funcionário público Art. assistência social ou beneficência. Guias falsas – justiça federal somente se houver lesão ao INSS – demais. emprego ou função em entidade paraestatal. 327. A pena aumenta-se de 1/3. justiça estadual comum – súmula 107 STJ. Delito material. § 3º. se o crime é cometido em detrimento de entidade de direito público ou instituto de economia popular.5ª aula . Crime instantâneo de resultados permanentes.

b) proporcional: homem – 65 anos de idade mulher – 60 anos de idade *direito ao abono = valor da contribuição – até compulsória . 142.212/1991.não integram o contrato de trabalho dos participantes. contagiosa ou incurável 2) Compulsória: 70 anos de idade – proporcional 3) Voluntária: (10 anos na função e 5 no cargo efetivo): a) Integral*: homem .REGIMES PREVIDENCIÁRIOS 1º Aula – REGIMES PREVIDENCIÁRIOS RGPS: art. Estados. 202. 40 CF) – instituído pela União.facultativo . Distrito Federal e Municípios aos respectivos servidores efetivos Caráter contributivo e solidário Custeio: contribuição do ente público e dos servidores ativos. moléstia profissional ou doença grave. 201 da CF • • • • Lei nº 8.vedado o aporte de recursos dos Entes .Benefícios do RPPS: 1) Invalidez permanente: proventos proporcionais ao tempo de contribuição proventos integrais .60 anos/idade + 35 anos contrib.regulado por lei complementar (LC 108 e 109) .048/1999 . 202 CF Art. . 149 §1º) 1 RPPS por Ente – exceto militares (art.acesso às informações .autônoma ao RGPS .RPS RPPS (art.Plano de Custeio Lei nº 8.887/04 Previdência Complementar – art.acidente em serviço.666/2003 Decreto nº 3.MÓDULO 7 .Plano de Benefícios Lei 10. mulher – 55 anos de idade + 30 de contrib.constituição de reservas – garantia benefício contratado . § 3º.213/1991. inativos e pensionistas Contribuição mínima – 11% (art. X) Lei 9.contribuição normal não poderá exceder a do segurado .717/1998 e Lei 10.contribuições do empregador . previdência privada .caráter complementar .salvo na qualidade de patrocinador .gestão colegiada 2º Aula .

202 Patrocinadores: União.classista ou setorial (LC 109/01. relação dos entes . art. 31.º 12/2002.Pensão: até o limite máximo (teto) do RGPS + 70% da parcela que exceder este limite e a totalidade dos proventos (se aposentado) ou da remuneração do servidor no cargo efetivo em que se deu o falecimento.centrais sindicai – federações .Estados .direito privado ou público .profissões regulamentadas Associações profissionais Outras pessoas jurídicas de caráter profissional. seguradoras ou bancos) . art. § único): Conselhos profissionais .vínculo empregatício . art.natureza pública – no que couber art. art.art.empresa patrocinadora. 201 .pessoas jurídicas .: PREVI (Banco do Brasil). I) .profissional . 1º) empresa ou grupo de empresas (LC 109/01. e LC 108/01.Previdência complementar pública (art.pessoas jurídicas . 202. FUNCEF (Caixa Econômica Federal) Patrocinadores . § 4º.Distrito Federal .planos individuais e coletivos.•PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR . 202. II. § 4º CF) Lei Complementar nº 109/2001. CGPC n. 2º. Estado.Municípios Administração direta e indireta (CF. Distrito Federal e Municípios Lei de iniciativa do Poder Executivo Limites do RGPS . classista ou setorial 4º Aula . Instituidores . 202.“Fundos de Pensão”: Ex.entidades fechadas de previdência (Art. art.(art. sem finalidade lucrativa . PETROS (Petrobrás). OAB. 31. 31 LC 109/2001): União . 40 §§ 14 e 16) Entidades fechadas de previdência complementar .entidades de classe (CREA. Associativo – membros e associados de entidade classista ou setorial . 3º Aula . caput) Regime/Entidade Privada de Previdência: Aberto é operado por SA com fins lucrativos (instituições financeiras.confederações Cooperativas – classistas .instituidora pessoas jurídicas de direito privado (fundação ou sociedade civil – fundação de direito privado (CC). Rs. 202 da CF • • Lei Complementar nº 108/2001.art. Fechado . CRC) Sindicatos . relação patrocinadores e instituidores privados – entidades fechadas de previdência (Art.

objetivo de sanear plano de benefícios específico .Superintendência de Seguros Privados – SUSEP PREVIC – L. Regulação e Fiscalização das Entidades privadas de previdência Regulação e Fiscalização: Fechada – Ministério da Previdência Social-MPS Regula . provisões e fundos .em relação entidade fechada: administrador especial .diretrizes do Conselho Monetário Nacional O órgão regulador e fiscalizador poderá: .Conselho Nacional de Previdência Complementar .CNPC Fiscaliza –Superintendência Nacional de Previdência Complementar .poderes intervenção e de liquidação extrajudicial .reservas técnicas.Conselho Nacional de Seguros Privados Fiscaliza .autarquia de natureza especial .154/09 .autonomia administrativa e financeira e patrimônio próprio – MPS Fiscalização e supervisão das EFPC Diretoria colegiada – acordo metas de gestão CNPC – 8 membros (5 governo + 3 sociedade) Câmara de Recursos da Previdência Complementar – 7 membros (4 gov + 3 soc) Entidade fechada . salvo patrocínio Cota de patrocínio – não exceder a do segurado 5ª aula – Gestão.PREVIC Aberta – Ministério da Fazenda .prevista no convênio de adesão Dirigentes com a entidade – solidária Entidades fechadas . 12.Optativo para quem estava antes da criação Planos de benefícios – contribuição definida Vedado aporte de recursos de Ente.MF Regula .instituidores deverá: terceirizar a gestão dos recursos garantidores das reservas técnicas e provisões mediante contratação de instituição especializada autorizada a funcionar pelo BCB ou outro órgão competente planos de benefícios na modalidade contribuição definida Solidariedade entre patrocinadores ou instituidores .critérios e normas fixados pelo órgão regulador e fiscalizador Aplicação os recursos .

não fluência de juros . de planos e de reservas entre entidades fechadas.transferências de patrocínio. relativas às entidades fechadas.benefício proporcional diferido: cessação do vínculo empregatício (patrocinador) – associativo (instituidor) antes da aquisição do direito ao benefício pleno. cisão. 3 .em relação entidade aberta: nomear diretor-fiscal . mas somente a liquidação extrajudicial.enquanto não integralmente pago o passivo 5 . Depende de prévia e expressa autorização da Previc: 1 .suspensão das ações e execuções 2 .operações de fusão.* *(não houver o atendimento das condições mínimas estabelecidas pelo órgão regulador e fiscalizador) 6ª aula: Os planos de benefícios deverão prever os seguintes institutos: 1 . 2 – portabilidade: do direito acumulado pelo participante para outro plano. incorporação ou qualquer outra forma de reorganização societária.não incidência de penalidades contratuais 4 . 3 – resgate da totalidade das contribuições vertidas ao plano pelo participante (descontadas custeio).inexigibilidade de penas pecuniárias por infrações de natureza administrativa .interrupção da prescrição 6 .inviabilidade de recuperação ou pela ausência de condição para seu funcionamento.. aplicação dos respectivos estatutos. 4 – autopatrocínio .propor ao órgão fiscalizador a decretação da intervenção ou da liquidação extrajudicial As entidades fechadas não poderão solicitar concordata e não estão sujeitas a falência.retiradas de patrocinadores. 7ª aula .vencimento antecipado das obrigações 3 .sem poderes de gestão .suspensão de multa e juros 7 .Liquidação extrajudicial e Penalidades administrativas: Cabimento da liquidação Liquidação extrajudicial – efeitos imediatos: 1 . dos regulamentos dos planos de benefícios e suas alterações. A liquidação extrajudicial . de grupo de participantes. 2 .constituição e o funcionamento da EFPP.prazo determinado . e 4 .faculdade de o participante manter o valor de sua contribuição e a do patrocinador (autofinanciado).

sociedades seguradoras.multa será aplicada em dobro . assegurado o direito de regresso – pode ser aplicada cumulativamente com as demais penalidades. 3 – inabilitação por 2 a 10 anos . ao órgão competente (CRPC ou SUSEP).advertência. • • O recurso . instituições financeiras e no serviço público.pagamento antecipado.imputada ao agente responsável.para entidades de previdência complementar. • Das decisões do órgão fiscalizador caberá recurso. de 30%. com efeito suspensivo.conhecido . em favor do órgão fiscalizador.interrupção do pagamento das contribuições dos participantes e dos patrocinadores Penalidades administrativas: 1 . no prazo de 15 dias.8 . respondendo solidariamente a entidade de previdência complementar. • A penalidade de multa . e 4 – multa de dois mil reais a um milhão de reais. Reincidência . 2 .suspensão do exercício de atividades em entidades de previdência complementar pelo prazo de até cento e oitenta dias.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful