You are on page 1of 111
Peter P4l Pelbart re come See an A VERTIGEM POR UM FIO Politicas da Subjetividade Contemporanea eer eters —— on ¢ 1 : Copyright © 2000: eterPal Pelbart Copyright © desta edigdo FditoraTluminuras Lida Copa Fé -estioa garatuja amarcla sobre Matéria em forma le axila (1968), técnica mista sobre tela (81 x 100 em), Antoni Tapies. ‘Colegio Joao Miré (Palma de Mallorca). Revisao: Renata Cordeiro Fumes de capa: Fast Film - Editora Fotolitos Composicao e fibmes de miote ominaras ISBN: 85-7321-125.3 Dosso tte conta com o apoio cultural da via net works 2000 EDITORA ILUMINURASL Rua Oscar Freire, {233 - CEP 01426-001 - Sao Paulo - SP - Brssit Tel: (Oxxl1)3068-9433 / Fax: (Ox 1)282-5317 E-mail: ilumsinur@iluminuras.com.br Site: htep:/4vwwdluminuras.com.br INDICE PROLOGO PARTEL - SUBJETIVIDADE CONTEMPORANEA Eu(rekat) 2 PARTE POLITICAS DE SUBIETIVIDADE Direitos humanos e cyber-2umbis Da claustrofobia contemporinea. Cidade, lugar do possivel.. PARTE HL CRITICA ECLINICA Literatura e loucura A gorda saide dominante_ Solidi de Bartleby PARTEIV ALOUCURAEMCENA Deserto vermelho Usinzz ~ Viagem a Babel. 23 29 43. 53 8. 83 3 witli: PARTEV. ‘TEMPOELOUCURA © tempo se quebra ‘Tempo e psicandlise Da psicose Subjetividade esquizo.. PARTE VE VARIAGOES TEORICAS Imagens de tempo em Deleuze Rizoma temporal “Tempo pos-moderno Oanjo da enone PARTEVIL AGUERRAE O TEMPO Lembrar de esquecer Lampe! A vergonha ¢ 0 intolervel REFERENCIA DOS TEXTOS 13 127 us 161 177 183 187 193 201 207 on 221 PROLOGO ‘Um trapezista se dé conta, subitamente, de que sua visa esté por um tri: “Viver assim, com uma 6 barra entre as mos. E vida, isto?” A existéncia de repente Ihe parece estreita demais, pobre demais, frigil demais. Passa a exigir dois trapézios ein vez de um, e promete “nunca mais e ers circunstincia alguma” voltar a apresentar-se ‘como antigamente, pendendo de uma sinica barra CO trapezista de Kafka, na sua exclamagio apavorada, expressa o que as acrobacias do mundo contempordneo tentam dissimular a todo custo: a percepglo vertiginosa de ue estamos por um fio, a descoberta penosa de ver-se reduzido a quase nada, a suspel- ta crescente de que esse pouco talvez ndo baste para prosseguir. Ao lado da certeza esvaida, a vida depauperada, 0 abismo escancarado, a quebra irremisstvel no fio do tempo € no contorno da alma, Se alguns dos textos que seguem podem ser colocados sob o signo desse sobressalto, © foco principal da maioria deles estd em outra parte. Pois se € certo que parecemos desarmados diante dos miltiplos sentidos que o desgosto primeiro do trapezista continua ‘a suscitar (0 conto de Kafka chama-se “A primeira dot”), é preciso ir além do susto e de ‘seus efeitos de superficie para sondar os gestos de reinvengao da vida que ele esboga. N3o hi como fazé-lo, no contexto contemporiineo, sem antenar para a mirfade de riscos, ‘ofertas ¢ urgéncias na qual nos langa, na sua oscilaglo sincopada, a barra do presente. ste um vo demos de sobras, derests, Quse um diode bord. Reuni aqui tudo agile que roceou uma pesquisa de anos, erica e pessoa, em torno da interseccHo nite fempo'e subjetividade. As vezes um estudo sistemstico produzdo alhres Vai Ginando’ margem ume quantidadeimensa defanjassoltas, anotagBes de pecs, ots de rodapé, pinas avulsas cujo destino em geral€ apéadice, 0 Tixo ou @ favela, Eno enti em retrospect, essa massa de textos vai se revlando menos Fragmentitia do qe parcia a prista vst, eo autor sed conta de que exist, em tneio ao enon apafente, que acéncia conempocinea chama de arto estanho: um onto para one converger distnis trjetiras —- no mes caso, muitasintighes Emibrionéras, desvios aventuroso, curiosidades atrevidas, nfo soficentemente ‘maduresias para contvirem umatese", mas autinomas suficint para distribu rem seus préptos indfios IAs tjetras deste liso gitam em tomo, pois, do efeito de verigem que resuita