You are on page 1of 1

Correio da Manhã http://www.correiodamanha.pt/Imprimir.aspx?channelid=00000009-0000...

Você está em: Homepage / Actualidade / Notícia

03 Dezembro 2008 - 12h34
Educação: Ministério deu indicações para serviços funcionarem

Ordem para não fechar escolas
Hoje é dia de greve nacional de professores e educadores do ensino público contra o modelo de
avaliação de desempenho. Os sindicatos esperam uma das maiores greves de sempre, com uma
adesão a rondar os 90 por cento. O Governo deu ordem para que as escolas se mantenham abertas.

"Foram dadas indicações às escolas para manterem a funcionar os serviços de refeições, de
atendimento aos alunos e todos os serviços que não dependam dos professores. Há alunos que fazem
longos percursos para chegar à escola e não podem ser prejudicados", disse ao CM o secretário de
Estado da Educação, Valter Lemos, admitindo que a segurança dos alunos possa ditar o fecho: "Terá
de ser avaliado em cada escola pelos órgãos de gestão."

Albino Almeida, da Confederação Nacional de Associações de Pais, prevê "transtornos muito grandes" Pedro Catarino
para famílias e empresas. E os ATL estão já a contar acolher muitas crianças. Mário Nogueira,
porta-voz da plataforma sindical, estima que a greve "esteja aos nível das de finais dos anos 80, com o ministro Roberto Carneiro, com
90 por cento de adesão". "Será uma greve histórica, uma das maiores de sempre", disse. Os professores reclamam a suspensão do
modelo, o fim da divisão da carreira em titulares e não-titulares e o fim das quotas para as notas máximas.

Para Valter Lemos, "não existe razão para a greve". "O Governo introduziu correcções ao modelo que respondem às reivindicações que
os sindicatos fizeram durante meses, mas optaram por ignorar e arranjaram outras questões como a estrutura da carreira, que foi feita
há dois anos e as quotas que se aplicam a toda a Função Pública e até em melhores condições para os professores", afirmou, frisando
que independentemente da adesão à greve "o Governo já disse que não suspende o modelo".

Nogueira reitera que as mudanças ao modelo só se aplicam este ano e frisa que o Governo "só negoceia limitadamente" porque "recusa
a suspensão". A ministra Maria de Lurdes Rodrigues recusou falar da greve em dois eventos públicos onde esteve ontem.

SMS ANÓNIMA A CANCELAR PARALISAÇÃO

Os sindicatos denunciaram que foi posto a circular ontem uma mensagem SMS a anunciar que a greve de professores tinha sido
desconvocada. "Era uma SMS não identificada mas até levou um canal de TV [SIC Notícias] a passar em rodapé durante a manhã que já
não havia greve", disse ao ‘CM’ Mário Nogueira , acrescentando: "Não sabemos de onde vem, mas são sinais de desespero de quem
não quer que esta greve se faça ou que tenha grande dimensão. Se alguém pensa que consegue alguma coisa engana-se porque ainda
indigna mais os professores."

SAIBA MAIS

ALUNOS NO PÚBLICO

Dados do Ministério da Educação de 2006/2007 apontavam para a existência de 1 360 851 alunos no ensino público.

10 071 era o número de escolase jardins-de-infânciado ensino público em 2006/07, de acordo com o Ministério.

140 mil professores leccionavam nas escolas públicas do País em 2006/2007, segundo contabilizou o Ministério.

PRIMEIRO LICEU

O primeiro liceu público surgiu em 1836: foi o Passos Manuel, em Lisboa.

Bernardo Esteves

Fechar

1 de 1 03-12-2008 12:35