CIÊNCIA APLICADA AO DESIGN

Aula 8 — Visão Humana e Cor

Paulo Tribolet Abreu IADE, Licenciatura em Design 2008/9, 1º semestre

O ESPECTRO ELECTROMAGNÉTICO

2

O ESPECTRO ELECTROMAGNÉTICO

2

LEI DE WIEN

3

LEI DE WIEN
Quando aqueço um corpo, ele começa a emitir radiação.

3

LEI DE WIEN
Quando aqueço um corpo, ele começa a emitir radiação. Qual a relação entre temperatura e radiação?

3

LEI DE WIEN
Quando aqueço um corpo, ele começa a emitir radiação. Qual a relação entre temperatura e radiação? Lei de Wien: λM . T = Cw (Cw = 2,9 x 10-3 K.m)

3

ESPECTRO DE EMISSÃO CONTÍNUO

4

SENSIBILIDADE DO OLHO HUMANO I

5

SENSIBILIDADE DO OLHO HUMANO II

6

METAMERISMO
Dois espectros diferentes podem produzir a mesma sensação de cor. R=1 G = 132 B = 219

7

METAMERISMO
Dois espectros diferentes podem produzir a mesma sensação de cor. R=1 G = 132 B = 219

7

METAMERISMO
Dois espectros diferentes podem produzir a mesma sensação de cor. R=1 G = 132 B = 219

7

TRISTÍMULO
Qualquer sensação de cor pode ser reproduzida por 3 estímulos (por ex., por 3 cores monocromáticas).

8

TRISTÍMULO
Qualquer sensação de cor pode ser reproduzida por 3 estímulos (por ex., por 3 cores monocromáticas).

8

COMO QUANTIFICAR COR?

Como posso reproduzir uma sensação de cor?

9

COMO QUANTIFICAR COR?

Como posso reproduzir uma sensação de cor? Dado um espectro contínuo, descubro 3 estímulos que produzem uma cor metamérica.

9

COMO QUANTIFICAR COR?

Como posso reproduzir uma sensação de cor? Dado um espectro contínuo, descubro 3 estímulos que produzem uma cor metamérica. Assim, para cada sensação de cor, tenho 3 números que a reproduzem.

9

COMO QUANTIFICAR COR?

Como posso reproduzir uma sensação de cor? Dado um espectro contínuo, descubro 3 estímulos que produzem uma cor metamérica. Assim, para cada sensação de cor, tenho 3 números que a reproduzem. Não é necessário ser 3 cores diferentes, apenas 3 estímulos.

9

ESPAÇO DE COR

10

ESPAÇO DE COR
É o espaço definido pelos 3 estímulos possíveis.

10

ESPAÇO DE COR
É o espaço definido pelos 3 estímulos possíveis. Exemplos: Independente do aparelho: CIE XYZ, CIE L*a*b*.

10

ESPAÇO DE COR
É o espaço definido pelos 3 estímulos possíveis. Exemplos: Independente do aparelho: CIE XYZ, CIE L*a*b*. Dependente do aparelho: RGB, CMYK, HSV.

10

HSV
Inspirado pela pintura. Hue (tonalidade): entre 0o (vermelho) e 360o (violeta). Saturation: distância ao centro neutro: de 0% (neutro) a 100% (saturado). Value: distância ao vértice (preto): de 0% (preto) a 100% (intensidade máxima).

11

RGB E CMYK
 RGB: usado para fontes de luz (monitores, CCD, scanners).  CMY(K): usado para superfícies reflectoras (impressão).  Cada cor varia entre 0 e um valor máximo, por ex., 255 (8/24 bits) ou 65535 (16/48 bits) ou 100%.

12

CIE XYZ (1)

13

CIE XYZ (1)

Para cada comprimento de onda, o observador ajusta a intensidade de RGB – par metamérico.

13

CIE XYZ (1)

Para cada comprimento de onda, o observador ajusta a intensidade de RGB – par metamérico.

13

CIE XYZ (1)

Para cada comprimento de onda, o observador ajusta a intensidade de RGB – par metamérico.

A cor é então representada pelos IR, IG, IB.

13

CIE XYZ (1)

Para cada comprimento de onda, o observador ajusta a intensidade de RGB – par metamérico.

A cor é então representada pelos IR, IG, IB. Também se aplica para espectros contínuos.
13

CIE XYZ (2)

14

CIE XYZ (3)

15

CIE XYZ (3)
Adaptar para evitar valores negativos: passamos de RGB para XYZ.

15

CIE XYZ (3)
Adaptar para evitar valores negativos: passamos de RGB para XYZ. Ajustar curva do meio (Y) para a sensibilidade do olho humano (intensidade).

15

CIE XYZ (3)
Adaptar para evitar valores negativos: passamos de RGB para XYZ. Ajustar curva do meio (Y) para a sensibilidade do olho humano (intensidade). Normalizar para que espectro horizontal dê: X=Y=Z=100.

15

CIE XYZ (3)
Adaptar para evitar valores negativos: passamos de RGB para XYZ. Ajustar curva do meio (Y) para a sensibilidade do olho humano (intensidade). Normalizar para que espectro horizontal dê: X=Y=Z=100. Y entre 0 e 100.

15

CIE XYZ (3)
Adaptar para evitar valores negativos: passamos de RGB para XYZ. Ajustar curva do meio (Y) para a sensibilidade do olho humano (intensidade). Normalizar para que espectro horizontal dê: X=Y=Z=100. Y entre 0 e 100. Independente do aparelho.

15

CIE XYZ (4)

16

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

De CIE XYZ.

17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

De CIE XYZ. 2D: cor e saturação na intensidade máxima.

17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

De CIE XYZ. 2D: cor e saturação na intensidade máxima.

X x= X +Y + Z

17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

De CIE XYZ. 2D: cor e saturação na intensidade máxima.

X x= X +Y + Z Y y= X +Y + Z
17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (1)

De CIE XYZ. 2D: cor e saturação na intensidade máxima.

X x= X +Y + Z Y y= X +Y + Z
17

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (2)

18

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (2)

Gamute completo da visão humana.

18

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (2)

Gamute completo da visão humana. Linha em ferradura são as cores monocromáticas.

18

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (2)

Gamute completo da visão humana. Linha em ferradura são as cores monocromáticas. A recta é a linha do magenta.

18

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (2)

Gamute completo da visão humana. Linha em ferradura são as cores monocromáticas. A recta é a linha do magenta. O centro é a luz branca.
18

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (3)

19

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (3)

A recta que une dois pontos passa por todas as cores possíveis de fazer com essas duas cores.

19

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (3)

A recta que une dois pontos passa por todas as cores possíveis de fazer com essas duas cores. Se a recta passa pelo branco, as cores são complementares: a soma pode dar branco.

19

DIAGRAMA DE CROMACIDADE XY (4)

Um triângulo (três pontos) nunca cobre todo o gamute.

Logo, qualquer espaço RGB ou CMYK não tem todo o gamute.

20

CIE L*A*B*

21

CIE L*A*B*
Duas cores podem estar próximas no CIE XYZ mas serem muito diferentes (ver diagrama de cromacidade).

21

CIE L*A*B*
Duas cores podem estar próximas no CIE XYZ mas serem muito diferentes (ver diagrama de cromacidade). L*a*b* compensa essa limitação (e outras, por ex., é 3D).

21

CIE L*A*B*
Duas cores podem estar próximas no CIE XYZ mas serem muito diferentes (ver diagrama de cromacidade). L*a*b* compensa essa limitação (e outras, por ex., é 3D). L* – luminosidade: 0=preto, 100=branco.

21

CIE L*A*B*
Duas cores podem estar próximas no CIE XYZ mas serem muito diferentes (ver diagrama de cromacidade). L*a*b* compensa essa limitação (e outras, por ex., é 3D). L* – luminosidade: 0=preto, 100=branco. a* – entre verde e magenta: a*<0 é verde, a*>0 é magenta.

21

CIE L*A*B*
Duas cores podem estar próximas no CIE XYZ mas serem muito diferentes (ver diagrama de cromacidade). L*a*b* compensa essa limitação (e outras, por ex., é 3D). L* – luminosidade: 0=preto, 100=branco. a* – entre verde e magenta: a*<0 é verde, a*>0 é magenta. b* – entre azul e amarelo: b*<0 é azul, b*>0 é amarelo.
21

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.