PLANO DE ENSINO

CURSO: Psicologia SÉRIE: 6° período DISCIPLINA: Psicodiagnóstico CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 horas CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 88 horas

I – EMENTA Histórico, bases epistemológicas, aspectos conceituais e teóricos do psicodiagnóstico. Ênfase na participação dos clientes no processo psicodiagnóstico. Entrevistas iniciais; entrevistas para a compreensão da história de vida da criança; entrevistas grupais com os pais ou responsáveis. Observação lúdica grupal; sessões grupais com as crianças; entrevista familiar. Aplicação de testes psicológicos. Visita domiciliar e visita escolar. II – OBJETIVO GERAL Compreensão global da criança a partir da identificação e análise das necessidades de natureza psicológica da criança e sua família. III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS Tal competência será desenvolvida a partir das seguintes habilidades: Observar, escutar e raciocinar clinicamente, a partir da integração de conhecimentos obtidos anteriormente com os adquiridos no estágio. Reconhecer os principais aspectos envolvidos no primeiro contato com o paciente: identificação da queixa/demanda e avaliação das possibilidades de intervenção. Reconhecer o objetivo das intervenções realizadas durante o atendimento clínico. Submeter sua práxis a um questionamento reflexivo. Realizar pesquisa teórica buscando subsídios para o entendimento da problemática do paciente. Redigir relatórios psicológicos com clareza, coerência, concisão e correção gramatical. Participar das supervisões colaborando na discussão dos casos atendidos pelos colegas e aprimorando sua prática através das críticas e comentários do supervisor e colegas. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Histórico e bases epistemológicas do psicodiagnóstico.

segundo as normas do CFP. Visita escolar. estratégias de trabalho e bibliografia. Também é importante planejar as aulas incluindo datas para as avaliações bimestrais e para os exercícios teórico-práticos. Deverão ser realizadas avaliações bimestrais considerando os aspectos abaixo descritos. Leituras que forneçam subsídios para a prática do Psicodiagnóstico e dos atendimentos realizados nesta modalidade. queixas relacionadas a relacionamento familiar ou contexto escolar. conforme explicitado no item VI – Avaliação. critérios de avaliação. segundo as normas do CFP. contemplando os objetivos. Os exercícios teórico-práticos deverão se aplicados no mês de Maio e no Mês de Novembro. como demanda jur ídica. Visitas domiciliar e escolar como estratégias para ampliação da compreensão da problemática da criança. Conhecimento das estratégias de a valiação psicológica. Utilização de ilustrações de situações com casos clínicos. Elaboração de relatório final. Leitura do relatório final para os pais. Atendimentos grupais aos pais/responsáveis e atendimentos grupais das crianças. Elaboração de relatórios parciais contendo uma parte descritiva e outra. referente à compreensão do caso. V – ESTRATÉGIAS DE TRABALHO Faz-se necessário que na 1ª semana de aula haja apresentação do programa da disciplina. Importância da participação dos pais/responsáveis no psicodiagnóstico infantil. com acompanhamento do supervisor. seguindo-se o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia: . Discussões teóricas e clínicas durante as supervisões. pautada na teoria. Conceitos básicos do atendimento em grupo. Os alunos serão avaliados também nos seguintes aspectos.Aspectos teóricos do psicodiagnóstico tradicional. Elaboração de relatórios semanais dos atendimentos realizados e do relatório final com a descrição e compreensão do caso. Entrevista familiar diagnóstica. necessidades especiais. valendo conceito Suficiente ou Insuficiente. Elaboração de devolutiva para a criança. Importância das devolutivas parciais para pais/responsáveis. 2. 3. para fornecer reflexão sobre contextos diferenciados. Aspectos teóricos da hora lúdica diagnóstica. Visita domiciliar. psicopedagógica. VI – AVALIAÇÃO 1.

testes. Capacidade de utilizar conhecimentos prévios: conceitos que já foram aprendidos. e) Raciocínio clínico Capacidade de articular conceitos teóricos com a prática. manuais etc. . no sentido de levantar questões e colocar dúvidas. a partir de um pensamento crítico. trabalhos com clareza e coerência. VII – BIBLIOGRAFIA BÁSICA ANCONA-LOPEZ. Prática psicológica e as estratégias inovadoras. c) Participação Interesse e disponibilidade para a realização de todas as atividades propostas. e utilizar a norma culta da Língua Portuguesa. 2006. f) Produção e Linguagem Capacidade de resumir idéias importantes. b) Atitudinal Compromisso e envolvimento com o processo ensino-aprendizagem. Compromisso e envolvimento afetivo e ético. Atuação expressiva. G. Capacidade de tomar decisões com iniciativa. Espírito científico e investigativo. (org. Capacidade de compreender a demanda psicológica do cliente (indivíduo e/ou instituição). Pontualidade na entrega de relatórios e trabalhos solicitados. relatórios de sessões. Expressar-se com clareza e de forma correta. Capacidade de abstração: qualidade do entendimento mediante a exposição de situações.. Silva. C. In: Ramos. A. Capacidade de elaborar relatórios. Responsabilidade com o material clínico: prontuários. Capacidade para discriminar as diversas situações e optar pela intervenção mais adequada. Comprometimento com as tarefas solicitadas (leituras. planejar e implementar intervenções. análise dos procedimentos e supervisões). Souza.. M. colegas e instituições. Responsabilidade e respeito com o cliente.G. São Paulo: Vetor Editora. S. d) Postura Ética Reflexão sobre o desempenho ético-profissional.) Práticas psicológicas em instituições: uma reflexão sobre os serviços-escola. atendimentos. supervisor. promovendo reflexões pertinentes ao tema abordado.a) Conceitual Capacidade de compreender os conceitos e verbalizá -los com as próprias palavras.

São Paulo: EPU. S. Porto Alegre: Artes Médicas. M. M. São Paulo: Casa do Psicólogo.. A Nossa Casa. Mamãe. C.. SOLIS-PONTON.. A. AMARAL. Brasília – DF: CFP 2010. A. (org. C. S. ser mãe.. M. FERREIRA. REPOLD. A. M. O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. TRINCA.e Eu? Conversações terapêuticas em famílias com crianças. In: CRUZ. L. T.) Avaliação psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão. B. NUNES.. E...) Avanços e polêmicas em avaliação psicológica. H. HUTZ. OCAMPO. (org. C. (org. 1984. 1995. V. S. 2005. R. ALMEIDA. A.Uma sessão estruturada na terapia de família com crianças. WERLANG.) Ser pai. A. COMPLEMENTAR SANTOS. São Paulo: Casa do Psicólogo. PRIMI. . T. Psicodiagnóstico V.. S. E. M. G. ANACHE.CUNHA. São Paulo: Casa do Psicólogo. parentalidade: um desafio do terceiro milênio . S. TAVARES. Você. 2009. A. L.. São Paulo: Martins Fontes. V. C. Diagnóstico Psicológico – a prática clínica. 2005. A. 2000. H. J. (org) Papai. W. & ARZENO.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful