EXECUÇÃO DE PRESTAÇÃO ALIMENTÍCIA – DÍVIDA PRETÉRITA DE ALIMENTOS – PRISÃO DO DEVEDOR DE PENSÃO ALIMENTÍCIA – PAGAMENTO COM CHEQUE SEM FUNDOS

– Execução de alimentos. Dívida pretérita. Excepcional forma de coerção, como é a prisão por dívidas, só se admite quando esgotadas outras formas de satisfação do crédito, pela penhora e alienação de bens do devedor. Razoável é entender-se, in casu, que a obrigação perde o caráter alimentar e assume o indenizatório em face da inércia do credor, remetendo-se esse às outras formas de execução admitidas em lei. Agravo parcialmente provido para revogar o decreto de prisão e manter a determinação de extração de peças em virtude de tentativa de pagamento da dívida através de cheque sem provisão de fundos. (PLD) (TJRJ – AI 4.173/97 – Reg. 161098 – Cód. 97.002.04173 – RJ – 1ª C.Cív. – Rel. Des. Luiz Carlos Guimarães – J. 18.08.1998)

1ª Ementa DES. MARIA INES GASPAR - Julgamento: 31/08/2011 - DECIMA SETIMA CAMARA CIVEL "HABEAS CORPUS. EXECUÇÃO DE PRESTAÇÃO ALIMENTÍCIA. Execução de prestações pretéritas. O débito alimentar que autoriza aprisão civil do alimentante é o que compreende as três prestações anteriores ao ajuizamento da execução e as que vencerem no curso do processo Súmula nº 309 do STJ, o que inocorre, na espécie, em que é cobrada dívida decorrente de acordo inadimplido, o qual fora pactuado em 12.01.2006, sendo protocolada a petição de execução em tela apenas na data de 01.02.2010, ou seja, quase quatro anos após o vencimento da 3ª e última parcela, o que se deu em 31.03.2006. Determinação judicial de prisão afastada. Concessão da ordem."

INTEIRO TEOR Íntegra do Acórdão - Data de Julgamento: 31/08/2011