UNIVERSIDADE PAULISTA–UNIP ICJ – MARQUÊS DE SÃO VICENTE

BASES PROCEDIMENTAIS DA ADM PUBL

Prof. Mônica Vieira Bortolassi SEMINÁRIO 1º BIMESTRE 1) A Administração Pública dsddesapropriou alguns imóveis residenciais para a ampliação do mêtro. Posteriormente, após o pagamento da indenização ao expropriado e a transferência da propriedade para o Poder Público, este último pode dar uma destinação diversa a área desapropriada? Explicar. O poder público pode dar destino diverso desde que o destino dado seja para atender necessidade pública, utilidade pública. Em caso de dar um destino diverso sem que possua essas características estaremos diante da tredestinação. 2) Diferenciar a desapropriação por utilidade pública e interesse social, da desapropriação do imóvel que não cumpre a função social da propriedade. A desapropriação do imóvel por não cumprir a função social é uma penalidade e tem como função obrigar ao proprietário que atenda ao plano diretor do município o qual descreve como cada área dentro do município deve ser ocupada. Nesta desapropriação o valor devido será pago em títulos da dívida pública enquanto na outra deve ser paga em dinheiro. A desapropriação por utilidade pública e interesse social visa atender uma necessidade da coletividade, ou seja, o uso deste bem pelo poder público visa atender um bem maior que é a coletividade.

3) A imissão provisória do Poder Público na posse de um bem imóvel gera direito a indenização imediata ao proprietário do bem? Explicar. Caso o valor da indenização não seja aceita pelo proprietário iniciará a fase judicial sendo que o poder público irá ajuizar uma ação de desapropriação depositando 80% do valor da avaliação do imóvel e pedirá que seja expedida a posse provisória do imóvel. O proprietário receberá esse valor sendo que a diferença ficará condicionada ao termino do processo. 4) Diferenciar concessão, permissão e autorização do serviço público. Concessão é o ato do poder público de repassar a particular o direito de executar um serviço de utilidade pública. É regida por contrato, só podendo figurar no polo passivo pessoa jurídica ou consórcio de empresas. Possui prazo determinado em contrato normalmente entre 30 e 35 anos. Deve ser precedida de concorrência ou licitação. Permissão Ato administrativo unilateral, dicricionário e precário entre o poder público e o particular transmitido a este a responsabilidade pela execução de serviço público mediante remuneração. Autorização: Ato administrativo discricionário e precário entre o poder público

sendo descrita pela doutrina como ato discricionário e precário. A permissão de serviço público. porém a princípio os bens públicos não podem ser dispostos sem autorização ou lei que autorize. mediante licitação. Inalienáveis. da prestação de serviços públicos. na modalidade de concorrência. ou seja não se pode adqurí-los por usucapião. conforme definido na Lei nº 8. . A autorização é a única forma de prestação de serviços públicos que não exige licitação e não depende de licitação. essa característica não é absoluta. 5) Quais as principais características dos bens públicos? Explicar. a uma pessoa jurídica ou consórcio de empresas que demonstre capacidade para seu desempenho. feita pelo poder concedente. a título precário. feita pelo poder concedente à pessoa física ou jurídica que demonstre capacidade para seu desempenho. é a delegação. Impenhoráveis. os bens públicos não são passíveis de penhora.987/95. São imprescritibilidade. pois não estão sujeito ao mesmo tipo de penalidade dos particulares em caso de não pagamento de suas obrigações. por sua conta e risco e por prazo determinado. Esse prazo determinado caracteriza a estabilidade do contrato de concessão.A concessão de serviço público é a delegação de sua prestação. A formalização é feita por um contrato de adesão passível de revogação unilateral pela Administração Pública. por sua conta e risco. mediante licitação.