TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA Processo TC nº Objeto: Relator Responsável: Entidade: 08.460/08 Licitação Cons.

Umberto Silveira Porto Sr. Josival Junior de Souza Prefeitura Municipal de Bayeux EMENTA: PODER EXECUTIVO – ADMINISTRAÇÃO DIRETA – LICITAÇÃO – PREGÃO PRESENCIAL – CONTRATO – AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS – EXAME DA LEGALIDADE –– EXISTÊNCIA DE FALHAS IRREGULARIDADE DO CERTAME E DOS CONTRATOS DECORRENTES. APLICA-SE MULTA. RECOMENDAÇÃO. ACÓRDÃO AC1 TC 0860 /2012 Vistos, relatados e discutidos os autos da licitação modalidade Pregão Presencial nº 045/2008, seguida de contrato 109/2008, realizada pela Prefeitura Municipal de Bayeux, objetivando aquisição de medicamentos básicos padronizados diversos, destinados às Unidades Básicas de Saúde no Município, acordam os Conselheiros integrantes da 1ª CÂMARA do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA, por unanimidade, em sessão realizada nesta data, na conformidade do voto do relator, em:

1. julgar irregulares a licitação e o contrato dela decorrente; 2. aplicar multa pessoal, no valor de R$ 2.000,00 ao Sr. Josival Júnior de Souza, com fulcro no art. 56, II da Lei Orgânica do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em decorrência das infringências legais apontadas pela Auditoria, fls. 1.335/1341, assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para efetuar o recolhimento dessa importância ao erário estadual, em favor do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, podendo dar-se a interveniência do Ministério Público Estadual em caso de inadimplência, conforme dispõe o art. 71 da Constituição do Estado; 3. recomendar à administração municipal no sentido de estrita observância às normas consubstanciadas na Lei de Licitações e Contratos, com vistas a evitar a repetição das falhas aqui constatadas e, assim, promover o aperfeiçoamento da gestão.
Presente ao julgamento o (a) representante do Ministério Público Especial. Publique-se e cumpra-se. TC – Sala das Sessões da 1ª Câmara, em 29 de março de 2012.

ARTHUR PAREDES CUNHA LIMA CONS. PRESIDENTE

UMBERTO SILVEIRA PORTO
CONS. RELATOR

REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESPECIAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA Processo TC nº Objeto: Relator Responsável: Entidade: 08.460/08 Licitação Cons. Umberto Silveira Porto Sr. Josival Junior de Souza Prefeitura Municipal de Bayeux RELATÓRIO Trata o presente processo de Licitação na modalidade Pregão Presencial nº 045/2008, seguida de contrato 109/2008, realizada pela Prefeitura Municipal de Bayeux, objetivando aquisição de medicamentos básicos padronizados diversos, destinados às Unidades Básicas de Saúde no Município A Unidade Técnica, após examinar os elementos de informação que integram os presentes autos, considerou irregular o procedimento licitatório em questão, e o contrato dele decorrente, apontando a ocorrência de irregularidades, a saber: a)- não consta nos autos pesquisa de preços realizada de pelo menos 03 empresas do ramo; b)- os preços carecem de justificativas; c)- não consta nos autos publicação no DOE e/ou jornal de grande circulação do resultado do procedimento consoante exigência da Lei 8666/93, no seu art. 43; d)- não há no SAGRES informações sobre pagamentos efetuados em virtude do certame em tela; e)- inexistência nos autos Portaria que nomeou o Pregoeiro e equipe de apoio. Com base na exigência da Lei 10.520/02 art. 3º, IV e da Lei 8666/93, no seu art., 38. Devidamente notificada, a autoridade competente deixou o prazo transcorrer sem apresentação de defesa. Instado a se manifestar, o Órgão Ministerial, às fls.92/94, através de Parecer, subscrito pelo Procurador Marcílio Toscano Franca Filho, pugnou pela: irregularidade do procedimento licitatório ora analisado e o contrato decorrente; aplicação de multa à autoridade ordenadora da despesa, com fulcro nos termos do art. 56, II, da LOTCE-LC 18/93; e recomendação ao Prefeito Municipal de Bayeux, no sentido de estrita observância às normas consubstanciadas na Lei de Licitações e Contratos, com vistas a evitar a repetição das falhas aqui constatadas e, assim, promover o aperfeiçoamento da gestão. É o relatório.

TC – Sala das Sessões da 1ª Câmara, em 29 de março
Cons. UMBERTO SILVEIRA PORTO Relator

de 2.012.

VOTO Diante do que foi exposto, VOTO para que os senhores Conselheiros, membros da 1ª Câmara deste Tribunal do Estado da Paraíba:

4.

julguem regulares com ressalvas a licitação e o contrato dela decorrente;

5. apliquem multa pessoal, no valor de R$ 1.500,00, ao Sr. Josival Junior de Souza, com fulcro no art. 56, II da Lei Orgânica do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em decorrência das infringências legais apontadas pela Auditoria, fls. 84/86, assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para efetuar o recolhimento dessa importância ao erário estadual, em favor do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal, podendo dar-se a interveniência do Ministério Público Estadual em caso de inadimplência, conforme dispõe o art. 71 da Constituição do Estado; 6. recomendem à administração municipal no sentido de estrita observância às normas consubstanciadas na Lei de Licitações e contratos, com vistas a evitar a repetição das falhas aqui constatadas e, assim, promover o aperfeiçoamento da gestão.
É o Voto.

TC – Sala das Sessões da 1ª Câmara, em 29 de março
Cons. UMBERTO SILVEIRA PORTO

de 2.012.

Relator