1

APOSTILA DE FÍSICA
1ª SÉRIE EM
1 - CINEMÁTICA ESCALAR
É a parte da Mecânica que estuda o movimento dos corpos, sem se preocupar com as causas
destes movimentos.
CONCEITOS
- Ponto material: na cinemática, em geral, não levamos em conta as dimensões do
corpo cujo movimento está em estudo e assim esse corpo é denominado ponto
material. Um automóvel é um ponto material em relação à Terra, que é um ponto
material em relação ao Universo.
- Movimento: um corpo está em movimento quando sua posição varia em relação a um
referencial à medida que o tempo passa. Do contrário, o corpo está em repouso.
- Referencial: é o ponto ou conjunto de pontos usado para estudar o movimento de um
corpo. Exemplo: o motorista de um veículo numa estrada está em movimento em
relação à uma pessoa parada no acostamento, mas está parado em relação ao banco
do carro. Dependendo do referencial, o corpo pode estar em movimento ou não. Daí
dizermos que o movimento de um corpo é relativo ou dependente do referencial.
- Móvel: é o corpo que está em movimento
- Trajetória: é a linha determinada pelas diversas posições que um corpo ocupa no
decorrer do tempo. A trajetória também depende do referencial. Por exemplo, um
objeto lançado por um avião, cai numa trajetória parabólica para um observador
terrestre, mas para um observador dentro do avião a trajetória é vertical. Geralmente,
o estudo dos movimentos contempla trajetória retilínea (linha reta) e curvilínea (curva,
incluindo o circular)
- Distância percorrida (d): é o comprimento do percurso que um móvel realiza num
dado movimento.
- Posição (x ou s – nós vamos usar a letra s para descrever a posição do corpo): é uma
medida que fornece a distância entre o ponto da trajetória em que o corpo está e o
ponto escolhido como referência). A unidade internacional de distância é o metro (m).
- Deslocamento: é a medida do segmento que representa a distância entre a posição
inicial e a posição final do movimento estudado.
Exercícios
A) Observe a figura e responda



2

Qual a posição do corpo no instante t=1h? e no instante t=2h? Qual ponto representa a
origem das posições ou dos espaços? Um carro partiu da origem s0=0Km, foi até a posição
s1=5km, voltou à origem e foi até a posição s2=-3Km. Responda: a) qual a distância percorrida?
B) qual o deslocamento realizado?
B) Um garoto percorre os lados de um terreno retangular
de dimensões 40m e 80m. Qual a distância percorrida
em duas voltas completas? Qual a distância percorrida e
o deslocamento no percurso ABC
C) Uma formiga desloca-se sobre a trajetória
da figura. Ela parte de A, dirige-se para B e
depois para C. Quais as posições iniciais e
finais da formiga? Qual o espaço percorrido
e o deslocamento efetuado pela formiga?
D) Uma pessoa sai do ponto A e caminha
passando por B, C e D onde pára. Com base
na figura calcule o deslocamento e o
caminho percorrido pela pessoa nos
trechos: AB e ABCD

- Velocidade Escalar Média: é a divisão do espaço percorrido pelo tempo gasto no
percurso. Exemplo: um atleta corre 18 Km em 1h e 30 min. Qual sua velocidade
escalar média? V=
18
1,5
=12 Km/h. No Sistema Internacional de Medidas a velocidade é
dada em m/s. Calcule no exemplo acima a velocidade do atleta em m/s.
- Conversão de Km/h em m/s -> divide pelo fator 3,6 e para converter de m/s em km/h
multiplica por 3,6.
- A fórmula clássica da velocidade escalar média é: V
m
=


=


, onde ∆S é o espaço
percorrido e ∆t é o tempo gasto no percurso
Exercícios:
A) Um atleta percorre uma milha terrestre em 5 minutos. Sabendo que uma
milha terrestre equivale a 1609m, qual a velocidade escalar média desse atleta
em: milhas/hora? Em Km/h? Em m/s?
B) Quando se diz que a velocidade de um navio é 10 nós, queremos dizer que a
sua velocidade é de 10 milhas marítimas por hora. Sabendo-se que uma milha
marítima é igual a 1852m, qual a velocidade desse navio em km/h? e em m/s?
C) Um veículo percorre, inicialmente, 40 Km de uma estrada em 0,5h. A seguir
percorre mais 60Km, em 1h e 30 min. Determine a velocidade escalar média
do veículo, em km/h, durante todo o percurso.
A B
C D
80m
40m
3

D) A Figura representa a trajetória de
um caminhão de entregas que parte de
A, vai até B e retorna a A. No trajeto de
A a B o caminhão mantém uma
velocidade escalar média de 30Km/h;
na volta, de B até A gasta 6,0 minutos.
Qual o tempo gasto pelo caminhão
para ir de A até B? Qual a velocidade
escalar média do caminhão quando vai
de B para A?


- Aceleração Escalar (a): é uma grandeza que representa a variação da velocidade
dividida pelo tempo em que esta variação acontece. É calculada por
Exemplo: a) Uma aceleração de 2m/s
2
significa que a velocidade do móvel aumenta 2
m/s a cada segundo de movimento. Se ele parte do repouso, em dois segundos sua
velocidade será de 4m/s. E em 5s? b) Se um móvel possui uma velocidade inicial de
20m/s e, de repente, passa a ter uma aceleração constante de 5 m/s
2
, podemos dizer
que, em um segundo, a nova velocidade é de 25 m/s.
Exercícios:
A- Calcule para o móvel do item b a variação da velocidade no intervalo de 0 a 10s e
faça o gráfico vxt.
B-A aceleração escalar de um móvel é 2 m/s
2
. Sabendo-se que, num determinado
instante, a velocidade do móvel vale 20 m/s, qual sua velocidade após 4s?
- Gráficos e Equações do Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) e Movimento Retilíneo
Uniformemente Variado (MRUV):
No MRU a velocidade é
constante e o espaço
percorrido é dado pela
fórmula S=So+v.t
(S=posição final;
So=posição inicial; v é o
valor da velocidade do
veículo e t é o tempo).
Essa é a equação de uma
reta. Os gráficos do MRU
têm o aspecto da figura
ao lado.
Nesse exemplo So=3m e v é dada pela
V=tgα=
t
Vinicial Vfinal ÷
=
cente catetoadja
to catetoopos
s / m 2
3
6
=
4

e a equação é s=3+2t
Se a reta é crescente a velocidade é positiva. Se decrescente a velocidade é negativa.
Exercício:
A) No caso anterior calcule a distância percorrida pelo veículo após 9s. Esboce o
gráfico da vxt.
B) O que significa uma velocidade de valor constante, mas negativa?
C) Dado o gráfico e admitindo que o movimento seja retilíneo, responda as questões.
Qual a velocidade do movimento A? Qual a velocidade média do movimento A?
Qual o nome do
movimento B? Qual a
velocidade do movimento
C? Qual a velocidade
média de todo o
movimento?

Gráfico do Movimento Retilíneo Uniformemente Variado (MRUV)
No MRUV a velocidade do móvel aumenta ou diminui a uma taxa constante, ou seja, a
aceleração é constante. Se a velocidade aumenta à medida que o tempo passa, a
aceleração é positiva e dizemos que o movimento é acelerado. Se a velocidade diminui
no tempo, então a aceleração é negativa e dizemos que o movimento é retardado.
O gráfico vxt é uma reta crescente se a aceleração for positiva ou decrescente se a
aceleração for negativa. Essa reta obedece a uma equação com o seguinte formato:
V=Vo+a.t (v=velocidade; vo=velocidade a=aceleração;t=tempo)
Já o gráfico das posições é uma parábola e obedece a uma equação do segundo grau
dada por:
S=So+Vo.t+a onde S=posição; So=posição inicial; Vo=velocidade inicial; t=tempo
E a=aceleração.






2
t
2
5


Observando os gráficos acima responda: qual o que acontece com a distância
percorrida(d) em cada caso? O que podemos deduzir em relação à velocidade em cada
caso e em relação à aceleração?
O gráfico vxt tem o seguinte
aspecto, seguindo a equação
V=Vo+a.t
Neste caso V0=20 e a é a
tangente do ângulo α
Tgα=20/4=5m/s
2
e a equação é
dada por:
V=20+5.t
a>0 – reta crescente movimento acelerado a<0 reta decrescente – movimento
retardado.
v>0 movimento progressivo v<0 movimento retrógrado
Observação: a área sob a curva num dado intervalo de tempo nos dá a distância
percorrida.
Exercícios:
A) No exemplo anterior, calcule a velocidade do veículo depois de 10s. Calcule
também a distância percorrida nesse intervalo supondo que o veículo partiu da
posição inicial zero. Faça isso usando a fórmula e também usando o gráfico.
Lembre-se que a área do triângulo é dada por (l1.l2)/2.
B) Dada a equação S=4+6t+2t
2
e considerando o movimento retilíneo, pede-se:
- A posição do móvel em 2s
- A velocidade inicial do móvel
- A aceleração
- A distância percorrida entre 3s e 8s
- A velocidade média entre 3s e 8s.
- Esboce o gráfico de sxt
- Esboce o gráfico de vxt
- Esboce o gráfico de axt
- Equação de Torricelli: v
2
=vo
2
+2ad onde v=velocidade; vo=velocidade inicial;
a=aceleração; d=distância percorrida dada pelo resultado da subtração da posição
inicial da final. É muito útil quando não conhecemos o tempo. Exemplo: Um avião
deve alcançar uma velocidade de 500Km/h para decolar. Ele atinge tal velocidade após
percorrer 2 Km de pista. Qual a aceleração média, em Km/h
2
?
Nós temos: vo=0; v=500Km/h d=2Km. Usando Torricelli calcule a aceleração.
6


- Queda Livre: um corpo abandonado numa altura próxima à superfície da Terra cai com
aceleração praticamente constante. Desprezando-se a resistência do ar, podemos
considerar esse movimento como MRUV e assim as equações vistas anteriormente
para cálculo da velocidade e da distância percorrida são válidas também para a queda
livre. Embora a aceleração da gravidade varie dependendo do local na Terra onde
estamos, para efeito dos estudos que vamos realizar utilizamos a aceleração da
gravidade como sendo 10m/s
2
. Isto significa que um corpo caindo aumenta sua
velocidade em 10m/s a cada segundo. Note que na queda livre o tamanho, massa e
forma não afetam o movimento. Entretanto, isso só é verdade quando a queda livre se
dá no vácuo (local onde não existe matéria). Neste caso, se um elefante e uma formiga
forem soltos simultaneamente do alto de um mesmo edifício, ambos chegarão ao
chão ao mesmo tempo e com a mesma velocidade.
 Faça este exercício: pegue duas folhas de papel iguais. Solte-as da mesma
altura. Qual chega primeiro? Repita duas vezes. A que conclusão chegou?
 Amasse uma das folhas. Solte novamente as duas da mesma altura. Qual
chega primeiro? Por quê? Escreva as respostas no seu caderno
- Lançamento vertical para cima: quando lançamos um corpo para cima, ele recebe um
impulso o que lhe imprime uma velocidade inicial com sentido contrário à aceleração
da gravidade. Ou seja, esse corpo sofrerá uma desaceleração até atingir uma altura,
chamada de altura máxima e em seguida ele cairá em queda livre, desprezando-se a
resistência do ar. Novamente, as equações do MRUV são utilizadas, sendo que no
movimento de subida a aceleração é negativa (movimento retardado) e na queda livre
é positiva (movimento acelerado).
Exercícios:
A)Um corpo é lançado do solo verticalmente para cima com velocidade inicial de 20 m/s.
Desprezando-se os atritos com o ar e admitindo-se a aceleração da gravidade igual a
10m/s
2
, calcular:
a) O tempo gasto para atingir o ponto mais alto da trajetória
b) A altura máxima atingida
c) O tempo gasto para o corpo retornar ao ponto de partida
d) A velocidade ao chegar ao ponto de partida

B) Um corpo é abandonado de uma altura de 500m. Qual o tempo para atingir o solo?

C)Lança-se um corpo do solo na vertical de baixo para cima com velocidade inicial de
80m/s. Qual a posição em 5s, a velocidade em 12s e o tempo de subida?

2 - CINEMÁTICA VETORIAL:
- Vetor: é um símbolo matemático utilizado para representar grandezas físicas e
matemáticas que possuem intensidade, direção e sentido. Exemplo:


7


O vetor acima tem módulo =20, direção dada pela reta r e sentido da esquerda para a
direita.
As operações com grandezas vetoriais precisam levar em conta a direção e o sentido.
Por exemplo:

Supondo que o módulo de A é 4 e o módulo de B é 3. Como seria a soma dessas duas
grandezas?
A soma desses dois vetores dá origem a um terceiro vetor que possui a mesma
direção do vetores originais, o sentido do vetor de maior intensidade e o módulo é a
diferença entre os módulos dos vetores originais. Assim R=4-3-1.
Se A e B possuem a mesma direção e sentidos:
Neste caso o vetor resultante tem o mesmo
sentido e direção que os vetores originais e o
módulo é a soma algébrica de seus módulos.
Então o módulo de R=3+4=7

Se A e B possuem direções e sentidos diferentes:
Para determinar a direção e o sentido do vetor
resultante, usamos a regra do paralelogramo,
que consiste em desenhar duas retas paralelas
aos vetores formando um paralelogramo.
O vetor resultante terá a direção e o sentido dado pela diagonal que parte do ponto de
junção dos vetores. O módulo do vetor R é dado pela relação:
R= , onde α é o ângulo entre os vetores.
Exercício: Se A=4 e B=3, Qual o módulo do vetor resultante se o ângulo entre A e B é
90 graus. Lembre-se que cos90˚ é zero.
3 - MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME (MCU)
Neste movimento a trajetória descrita pelo móvel é uma circunferência. A velocidade
vetorial é tangente à circunferência e tem direção variável e a responsável por essa
variação é a aceleração centrípeta, a
c
. O módulo da aceleração centrípeta é dada por:
a
c
= A velocidade v, chamada linear, tem módulo constante e a aceleração
centrípeta é sempre perpendicular a v e também tem módulo constante. Além da
aceleração centrípeta, o MCU utiliza outras grandezas:
20 Reta r
A
B
R
A
B
R
A
B
R
o + + cos . b . a . 2 b a
2 2
α
R
v
2
8

Período (T): é o intervalo de tempo que separa duas passagens consecutivas do móvel
pelo mesmo ponto da trajetória. Ou período é o tempo gasto pelo móvel para
completar uma volta na circunferência
Frequência(f): é o número de voltas que o móvel realiza em uma unidade de tempo.
Se o tempo é medido em segundos, a freqüência é dada em Hertz (Hz). Podemos dizer
que f= e T=
Velocidade linear ou velocidade tangencial (v): o móvel percorre arcos de
circunferência. A velocidade linear (v) é dada pela divisão do arco percorrido pelo
tempo gasto para percorrê-lo. Se considerarmos a circunferência inteira, o arco
percorrido mede 2πR onde R é o raio da circunferência. O tempo gasto para dar uma
volta é o período (T). Então, a velocidade v é calculada por:
v=
Velocidade angular (ω): Consideremos a válvula do pneu de bicicleta em movimento circular,
passando pela posição P1 representada na figura abaixo. Após um intervalo de tempo At, a
válvula estará passando pela posição P2. Neste intervalo de tempo At, o raio que acompanha a
válvula em seu movimento descreve um ângulo Au


A relação entre o ângulo descrito pela válvula e o intervalo de tempo gasto para descrevê-lo é
denominado velocidade angular da partícula. Representando a velocidade angular por e
temos
e = Au/At

A velocidade definida pela relação V = Ad/At, que já conhecemos, costuma ser denominada
velocidade linear, para distingui-la da velocidade angular que acabamos de definir. Observe
que as definições de V e e são semelhantes: a velocidade linear se refere à distância
percorrida na unidade de tempo, enquanto a velocidade angular se refere ao ângulo descrito
na unidade de tempo.
A velocidade angular nos fornece uma informação sobre a rapidez com que a válvula está
girando. De fato, quanto maior for a velocidade angular de um corpo, maior será o ângulo que
ele descreve por unidade de tempo, isto é , ele estará girando mais rapidamente.
Lembrando que os ângulos podem ser medidos em graus ou em radianos, concluímos que e
poderá ser medida em grau/s ou em rad/s.
T
1
f
1
T
R 2t
9

Uma maneira de calcular a velocidade angular é considerar a válvula (ou uma partícula
qualquer) efetuando uma volta completa. Neste caso, o ângulo descrito será Au =2trad e o
intervalo de tempo será um período, Istoé, At = T. Logo,
e = 2t/T
Relação entre V e e - Sabemos que, no movimento circular uniforme, a velocidade linear
pode ser obtida pela relação

Como 2t/T é a velocidade angular, concluímos que

Esta equação nos permite calcular a velocidade linear V, quando conhecemos a velocidade
angular e e o raio R da trajetória.
Observe que ela só é válida se os ângulos estiverem medidos em radianos.

Exercícios:
A) Qual o valor da aceleração centrípeta de uma pedra presa a uma corda girando em
MCU, sabendo-se que a velocidade angular é 30π rad/s e o raio 2m?
B) O módulo da velocidade linear de um móvel com trajetória circunferencial vale 12π
m/s. Sabendo-se que o raio da curvatura vale 2m, calcule a freqüência e o período
desse movimento.
C) A velocidade linear de um ponto da periferia de um disco é 20π cm/s quando o disco
realiza 60 rpm. Qual o diâmetro do disco? (Lembre-se: RPM é rotações por minuto).

D) Uma polia A de raio R
B
= 0,2m
está ligada através de uma
correia, a outra polia R
A
=0,4m,
sem nenhum deslizamento
entre as polias durante o
movimento. Se o movimento
descrito pelas polias for MCU,
então a velocidade angular da
polia B é numericamente:

a) É igual à velocidade
angular da polia A
b) É igual à velocidade tangencial da polia B
c) É menor do que a velocidade angular da polia A
d) Maior do que a velocidade da polia A
e) Igual à velocidade tangencial da polia A
E) A freqüência de um móvel em movimento circular uniforme é 20 Hz. Determine sua
velocidade linear sabendo que o diâmetro da circunferência é 1m.
4 - ESTÁTICA –
Estuda as forças necessárias para manter os corpos em equilíbrio. Cada partícula elementar de
um corpo extenso tem seu próprio peso. O peso de um corpo extenso é definido como a
resultante das forças-peso de todas as suas partículas constituintes e seu ponto de aplicação é
conhecido como centro de gravidade.

10

Decomposição de uma força: é desmembrar a força em duas componentes ortogonais que
executem a mesma função que sua resultante.
Ѳ Fx=F.cosѲ
Fy=F.senѲ

Exercício: Sejam duas forças F
1
e F
2
com
intensidades de F1=20N e F2=15N conforme a
figura. Determine as projeções ortogonais de F1
e F2 em relação aos eixos Ox e Ou. Dados:
sen30˚=cos60˚=0,5 e sen60˚=cos60˚=0,86.

- MOMENTO DE UMA FORÇA: quando uma força aplicada a um corpo causa a rotação
do mesmo, dizemos que essa força aplicou um momento ou torque ao corpo. Só
existe o momento, se existir rotação. Exemplos de corpos que giram devido a
momentos aplicados, uma porta, uma gangorra, os parafusos que prendem as rodas
dos automóveis. O momento é dado pelo módulo da força e pela distância entre a
direção da força e o ponto fixo (ponto em torno do qual o corpo gira ou tende a girar).
Então M=F.d e o sentido do momento é o seguinte: se rodar no sentido anti-horário, o
momento é positivo. Se rodar no sentido horário, o momento é negativo.
- Equilíbrio estático: um corpo está em equilíbrio estático se satisfizer as seguintes
condições:
 A resultante da forças nula: não há movimento de translação
 Resultante dos momentos em relação a um ponto fixo nula: não existe rotação
em torno desse ponto.
Exercícios:
A – Uma barra AO situada num plano vertical pode girar em torno de um ponto O.
Determine o momento da força F de intensidade de 120N nos três casos a seguir.


Fy
Fx
F
11

B – Para sustentarmos, em equilíbrio, uma
carga de 20Kgf (quilograma-força), suspensa no
ponto médio de uma alavanca homogênea
horizontal com 10 Kgf de peso, articulada em
A, conforme mostra a figura, qual o valor da
força F?
TRABALHO DO PRIMEIRO BIMESTRE

 Em grupo de 4 alunos no máximo
 Tema: MÁQUINAS SIMPLES
 Composição do trabalho: deve ter capa com o título, os nomes, número e série dos
participantes. Deve ter índice, introdução (onde conste um pequena descrição do
que será tratado no trabalho), explicar o que são máquinas simples, mencionar as
principais máquinas simples em uso atualmente e colocar fotos, desenhos das
mesmas com explicação de seu funcionamento. Conclusão
 Preparar uma máquina simples para ser apresentada à classe. Pode usar cartazes,
Power point, filmes, gravações e outros recursos multimídia, ou simplesmente trazer
a máquina e demonstrar seu funcionamento do ponto de vista da Física
_______________________________________________________________________
5 - DINÂMICA - LEIS DE NEWTON
- PRIMEIRA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DA INÉRCIA: na ausência de forças, um corpo em
repouso permanecerá em repouso e um corpo em movimento estará se movimentando em
linha reta e com velocidade constante. Exemplos: Um ônibus lotado com velocidade de
120Km/h. De repente ele pára. Os passageiros são atirados para a frente como se uma força os
empurrasse. Na realidade, não há força atuando. O que ocorre é que os passageiros estavam
com a velocidade de 120 Km/h e a tendência deles é continuar nessa velocidade. Dizemos que
a tendência é manter-se em movimento. Isso se chama inércia. Os passageiros somente irão
parar se uma força atuar sobre eles, no caso o choque com a pessoa da frente ou com os
assentos do ônibus.
- SEGUNDA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DAS MASSAS: a aceleração de um corpo é
proporcional à resultante das forças nele aplicada e tem a mesma direção e sentido que esta
resultante. Então: F=m.a (onde F é a resultante das forças, m é a massa do corpo e a é a
aceleração). A unidade de força no S.I é Newton (N), a massa é dada em Kg(quilogramas) e a
aceleração em m/s
2
.
Peso e massa: Peso ou força gravitacional é a força que o planeta aplica sobre os corpos,
puxando-os para baixo. O peso depende da aceleração da gravidade (g) no local onde está o
corpo. É uma grandeza vetorial cuja direção e sentido dirigem-se ao centro de gravidade do
corpo responsável pela gravidade. No caso da Terra, o Peso sempre é aplicado no centro da
Terra.
Peso=massa (Kg).aceleração da gravidade(m/s
2
) ou P=m.g
12


Pesquisa: Faça uma pesquisa sobre dinamômetros. Para que são utilizados? Qual o seu
princípio de funcionamento? Construa um dinamômetro com materiais comuns para
apresentação na sala de aula. Grupo de até 4 alunos.

- TERCEIRA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DA AÇÃO E REAÇÃO: sempre que um corpo exerce
uma força (ação) sobre outro, este exerce sobre o primeiro uma força de mesmo valor em
módulo, mesma direção e sentido contrário ao da força original (reação). Algumas coisas a
serem lembradas sobre os pares ação-reação:
- As forças de ação e reação nunca se anulam pois são aplicadas em corpos diferentes
- Tem o mesmo valor numérico
- Possuem sempre a mesma direção, mas sentidos contrários
Exemplos: Quando chutamos uma bola, ela exerce uma força igual em módulo no nosso pé.
Nos aviões a propulsão a jato, os gases saem pelas turbinas num sentido (ação) e o avião se
movimenta no sentido oposto (reação). Quando caminhamos exercemos uma força sobre o
chão e este exerce uma força igual em nossos pés. A Terra atrai a Lua com uma força de
intensidade igual à que a Lua atrai a Terra.
Exercícios:
A) Qual a aceleração adquirida por um móvel de 12Kg, submetido a uma força constante
de 45N?
B) Um corpo de massa 10Kg com movimento retilíneo e velocidade inicial de 3m/s
adquire em 5s a velocidade de 45 m/s. Qual o valor da
força aplicada?
C) Num corpo colocado sobre uma superfície sem atrito,
atuam duas forças, F1 e F2, que valem respectivamente
12N e 4N. Sabendo-se que a massa do bloco vale 2Kg,
calcular:
a. A força resultante
b. A aceleração do sistema
D) Considere dois blocos m1 e m2, respectivamente , com
massas iguais a 6Kg e 4Kg, colocados num plano
horizontal da figura. Sabendo-se que a força F aplicada
vale 50N, calcular:
a. A aceleração do sistema
b. A tensão no cabo que une os dois blocos
E) Na figura m1 e m2 valem, respectivamente, 8Kg e 2Kg.
Sabendo-se que não existe atrito, calcular:
a. A força resultante
b. A aceleração do sistema
c. A tensão da corda que une os blocos
F) Qual seria o peso de uma pessoa que tem massa de 60 Kg
13

se ela estivesse num planeta em que a gravidade fosse 12,5m/s
2
?
G) Uma pessoa de 60 Kg de massa está dentro de um elevador e em cima de uma
balança. Sabendo-se que a aceleração da gravidade vale 10m/s
2
e que o elevador
desce com 3m/s
2
, calcular a medida registrada pela balança (admita que a balança
meça peso)
H) Dois blocos A e B, de massas respectivamente
iguais a 8Kg e 4Kg estão apoiados numa
superfície horizontal conforme mostra a figura.
Desprezando-se os atritos e considerando
F=48N, calcular:
a. A aceleração do sistema
b. A força que A exerce sobre B
c. A força que B exerce sobre A
I) Dois blocos estão pendurados por uma corda comum e presos a
uma roldana fixa sem atrito, como mostra a figura. Considerando
a massa de A igual a 12Kg e a massa de B 8Kg, calcular:
a. A força resultante
b. A aceleração do sistema
c. A tensão T1
d. A tensão T2
6 - CONSERVAÇÃO DA QUANTIDADE DE MOVIMENTO:
- Quantidade de movimento: Representamos a quantidade de movimento pela letra Q
e é calculada pelo produto da massa do corpo pela sua velocidade instantânea. Ou
seja, Q=m.v. A quantidade de movimento é uma grandeza vetorial e sempre tem a
mesma direção e sentido que a velocidade. A unidade de Q é Kg.m/s.
- Impulso: é o produto da força aplicada pelo intervalo de tempo no qual a força atua
sobre o corpo. Ou seja, I=F.∆t. O impulso tem o mesmo sentido e direção que a força
aplicada.
Quando o corpo parte do repouso, o impulso e a quantidade de movimento são
numericamente iguais. Então m.v=F.t.
Teorema do Impulso: Se o corpo estiver em movimento, o impulso num intervalo de
tempo t será igual à variação da quantidade de movimento nesse intervalo. Então:
I=∆Q ou seja I=Q
f
-Q
i
então I=mv
f
-mv
i



inicialmente. Calcule no exemplo acima a velocidade do atleta em m/s.6 e para converter de m/s em km/h multiplica por 3. dirige-se para B e depois para C. Ela parte de A. em km/h. Quais as posições iniciais e finais da formiga? Qual o espaço percorrido e o deslocamento efetuado pela formiga? D) Uma pessoa sai do ponto A e caminha passando por B. C e D onde pára. onde ∆S é o espaço percorrido e ∆t é o tempo gasto no percurso Exercícios: A) Um atleta percorre uma milha terrestre em 5 minutos.5 =12 Km/h. Conversão de Km/h em m/s -> divide pelo fator 3. durante todo o percurso. ∆𝑺 𝑺𝟐−𝑺𝟏 2 . qual a velocidade escalar média desse atleta em: milhas/hora? Em Km/h? Em m/s? B) Quando se diz que a velocidade de um navio é 10 nós. Responda: a) qual a distância percorrida? B) qual o deslocamento realizado? B) Um garoto percorre os lados de um terreno retangular de dimensões 40m e 80m.5h. Sabendo que uma milha terrestre equivale a 1609m. Determine a velocidade escalar média do veículo. qual a velocidade desse navio em km/h? e em m/s? C) Um veículo percorre. No Sistema Internacional de Medidas a velocidade é 18   dada em m/s. Qual a distância percorrida em duas voltas completas? Qual a distância percorrida e o deslocamento no percurso ABC C) Uma formiga desloca-se sobre a trajetória da figura. Com base na figura calcule o deslocamento e o caminho percorrido pela pessoa nos trechos: AB e ABCD A 80m B 40m D C  Velocidade Escalar Média: é a divisão do espaço percorrido pelo tempo gasto no percurso. Qual sua velocidade escalar média? V=1. A fórmula clássica da velocidade escalar média é: Vm= ∆𝒕 = 𝒕𝟐−𝒕𝟏 . Exemplo: um atleta corre 18 Km em 1h e 30 min. voltou à origem e foi até a posição s2=-3Km. 40 Km de uma estrada em 0.Qual a posição do corpo no instante t=1h? e no instante t=2h? Qual ponto representa a origem das posições ou dos espaços? Um carro partiu da origem s0=0Km. queremos dizer que a sua velocidade é de 10 milhas marítimas por hora. em 1h e 30 min.6. A seguir percorre mais 60Km. foi até a posição s1=5km. Sabendo-se que uma milha marítima é igual a 1852m.

qual sua velocidade após 4s? t  Gráficos e Equações do Movimento Retilíneo Uniforme (MRU) e Movimento Retilíneo Uniformemente Variado (MRUV): No MRU a velocidade é constante e o espaço percorrido é dado pela fórmula S=So+v. Qual o tempo gasto pelo caminhão para ir de A até B? Qual a velocidade escalar média do caminhão quando vai de B para A?  Aceleração Escalar (a): é uma grandeza que representa a variação da velocidade dividida pelo tempo em que esta variação acontece. B-A aceleração escalar de um móvel é 2 m/s2. de repente. num determinado instante. em dois segundos sua velocidade será de 4m/s. Se ele parte do repouso.D) A Figura representa a trajetória de um caminhão de entregas que parte de A. de B até A gasta 6.Calcule para o móvel do item b a variação da velocidade no intervalo de 0 a 10s e faça o gráfico vxt. Exercícios: A. So=posição inicial. v é o valor da velocidade do veículo e t é o tempo). vai até B e retorna a A.0 minutos.t (S=posição final. podemos dizer que. na volta. Essa é a equação de uma reta. E em 5s? b) Se um móvel possui uma velocidade inicial de 20m/s e. É calculada por Vfinal  Vinicial Exemplo: a) Uma aceleração de 2m/s2 significa que a velocidade do móvel aumenta 2 m/s a cada segundo de movimento. passa a ter uma aceleração constante de 5 m/s2. a nova velocidade é de 25 m/s. Sabendo-se que. Nesse exemplo So=3m e v é dada pela V=tgα= catetooposto 6   2m / s catetoadjacente 3 3 . Os gráficos do MRU têm o aspecto da figura ao lado. a velocidade do móvel vale 20 m/s. em um segundo. No trajeto de A a B o caminhão mantém uma velocidade escalar média de 30Km/h.

t (v=velocidade. Esboce o gráfico da vxt. O gráfico vxt é uma reta crescente se a aceleração for positiva ou decrescente se a aceleração for negativa. Se a velocidade diminui no tempo. a aceleração é positiva e dizemos que o movimento é acelerado. vo=velocidade a=aceleração.e a equação é s=3+2t Se a reta é crescente a velocidade é positiva. Se decrescente a velocidade é negativa. a aceleração é constante.t=tempo) Já o gráfico das posições é uma parábola e obedece a uma equação do segundo grau dada por: 2 S=So+Vo. mas negativa? C) Dado o gráfico e admitindo que o movimento seja retilíneo. Vo=velocidade inicial. B) O que significa uma velocidade de valor constante. então a aceleração é negativa e dizemos que o movimento é retardado. ou seja. So=posição inicial. t=tempo 2 E a=aceleração.t+a t onde S=posição. Exercício: A) No caso anterior calcule a distância percorrida pelo veículo após 9s. Essa reta obedece a uma equação com o seguinte formato: V=Vo+a. Se a velocidade aumenta à medida que o tempo passa. responda as questões. Qual a velocidade do movimento A? Qual a velocidade média do movimento A? Qual o nome do movimento B? Qual a velocidade do movimento C? Qual a velocidade média de todo o movimento? Gráfico do Movimento Retilíneo Uniformemente Variado (MRUV) No MRUV a velocidade do móvel aumenta ou diminui a uma taxa constante. 4 .

Ele atinge tal velocidade após percorrer 2 Km de pista. Faça isso usando a fórmula e também usando o gráfico. Qual a aceleração média.  Esboce o gráfico de sxt  Esboce o gráfico de vxt  Esboce o gráfico de axt Equação de Torricelli: v2=vo2+2ad onde v=velocidade. Lembre-se que a área do triângulo é dada por (l1.t a>0 – reta crescente movimento acelerado a<0 reta decrescente – movimento retardado. v=500Km/h d=2Km. em Km/h2? Nós temos: vo=0. a=aceleração. pede-se:  A posição do móvel em 2s  A velocidade inicial do móvel  A aceleração  A distância percorrida entre 3s e 8s  A velocidade média entre 3s e 8s. É muito útil quando não conhecemos o tempo. Exemplo: Um avião deve alcançar uma velocidade de 500Km/h para decolar.l2)/2. Calcule também a distância percorrida nesse intervalo supondo que o veículo partiu da posição inicial zero. B) Dada a equação S=4+6t+2t2 e considerando o movimento retilíneo. calcule a velocidade do veículo depois de 10s. v>0 movimento progressivo v<0 movimento retrógrado Observação: a área sob a curva num dado intervalo de tempo nos dá a distância percorrida. 5  . vo=velocidade inicial.Observando os gráficos acima responda: qual o que acontece com a distância percorrida(d) em cada caso? O que podemos deduzir em relação à velocidade em cada caso e em relação à aceleração? O gráfico vxt tem o seguinte aspecto. d=distância percorrida dada pelo resultado da subtração da posição inicial da final. seguindo a equação V=Vo+a. Exercícios: A) No exemplo anterior.t Neste caso V0=20 e a é a tangente do ângulo α Tgα=20/4=5m/s2 e a equação é dada por: V=20+5. Usando Torricelli calcule a aceleração.

calcular: a) O tempo gasto para atingir o ponto mais alto da trajetória b) A altura máxima atingida c) O tempo gasto para o corpo retornar ao ponto de partida d) A velocidade ao chegar ao ponto de partida B) Um corpo é abandonado de uma altura de 500m.  Queda Livre: um corpo abandonado numa altura próxima à superfície da Terra cai com aceleração praticamente constante. massa e forma não afetam o movimento. ele recebe um impulso o que lhe imprime uma velocidade inicial com sentido contrário à aceleração da gravidade. Note que na queda livre o tamanho. podemos considerar esse movimento como MRUV e assim as equações vistas anteriormente para cálculo da velocidade e da distância percorrida são válidas também para a queda livre. Embora a aceleração da gravidade varie dependendo do local na Terra onde estamos. desprezando-se a resistência do ar. Qual chega primeiro? Por quê? Escreva as respostas no seu caderno Lançamento vertical para cima: quando lançamos um corpo para cima. Desprezando-se a resistência do ar. a velocidade em 12s e o tempo de subida? 2 .CINEMÁTICA VETORIAL:  Vetor: é um símbolo matemático utilizado para representar grandezas físicas e matemáticas que possuem intensidade. chamada de altura máxima e em seguida ele cairá em queda livre. sendo que no movimento de subida a aceleração é negativa (movimento retardado) e na queda livre é positiva (movimento acelerado). Qual a posição em 5s. Novamente. Ou seja. Qual o tempo para atingir o solo? C)Lança-se um corpo do solo na vertical de baixo para cima com velocidade inicial de 80m/s. para efeito dos estudos que vamos realizar utilizamos a aceleração da gravidade como sendo 10m/s2. esse corpo sofrerá uma desaceleração até atingir uma altura. Desprezando-se os atritos com o ar e admitindo-se a aceleração da gravidade igual a 10m/s2. Neste caso. ambos chegarão ao chão ao mesmo tempo e com a mesma velocidade. direção e sentido. Isto significa que um corpo caindo aumenta sua velocidade em 10m/s a cada segundo. as equações do MRUV são utilizadas. Exercícios: A)Um corpo é lançado do solo verticalmente para cima com velocidade inicial de 20 m/s. isso só é verdade quando a queda livre se dá no vácuo (local onde não existe matéria). Entretanto. A que conclusão chegou?  Amasse uma das folhas. se um elefante e uma formiga forem soltos simultaneamente do alto de um mesmo edifício. Exemplo: 6 .  Faça este exercício: pegue duas folhas de papel iguais. Solte novamente as duas da mesma altura. Solte-as da mesma altura. Qual chega primeiro? Repita duas vezes.

Se A e B possuem a mesma direção e sentidos: A B R Neste caso o vetor resultante tem o mesmo sentido e direção que os vetores originais e o módulo é a soma algébrica de seus módulos. tem módulo constante e a aceleração R centrípeta é sempre perpendicular a v e também tem módulo constante. Qual o módulo do vetor resultante se o ângulo entre A e B é 90 graus. Exercício: Se A=4 e B=3.20 Reta r O vetor acima tem módulo =20. cos  .a.b. As operações com grandezas vetoriais precisam levar em conta a direção e o sentido. A velocidade vetorial é tangente à circunferência e tem direção variável e a responsável por essa variação é a aceleração centrípeta. ac. chamada linear. que consiste em desenhar duas retas paralelas aos vetores formando um paralelogramo. 3 . o MCU utiliza outras grandezas: 7 .MOVIMENTO CIRCULAR UNIFORME (MCU) Neste movimento a trajetória descrita pelo móvel é uma circunferência. Lembre-se que cos90˚ é zero. onde α é o ângulo entre os vetores. o sentido do vetor de maior intensidade e o módulo é a diferença entre os módulos dos vetores originais. usamos a regra do paralelogramo. Assim R=4-3-1. O módulo da aceleração centrípeta é dada por: 2 ac= v A velocidade v. O módulo do vetor R é dado pela relação: R= a 2  b 2  2. A α B R O vetor resultante terá a direção e o sentido dado pela diagonal que parte do ponto de junção dos vetores. Por exemplo: A B Supondo que o módulo de A é 4 e o módulo de B é 3. direção dada pela reta r e sentido da esquerda para a direita. Como seria a soma dessas duas grandezas? R A soma desses dois vetores dá origem a um terceiro vetor que possui a mesma direção do vetores originais. Então o módulo de R=3+4=7 Se A e B possuem direções e sentidos diferentes: Para determinar a direção e o sentido do vetor resultante. Além da aceleração centrípeta.

A velocidade linear (v) é dada pela divisão do arco percorrido pelo tempo gasto para percorrê-lo. Lembrando que os ângulos podem ser medidos em graus ou em radianos. Se o tempo é medido em segundos. costuma ser denominada velocidade linear. De fato. Então. para distingui-la da velocidade angular que acabamos de definir. Ou período é o tempo gasto pelo móvel para completar uma volta na circunferência Frequência(f): é o número de voltas que o móvel realiza em uma unidade de tempo. Podemos dizer 1 1 que f= e T= T f Velocidade linear ou velocidade tangencial (v): o móvel percorre arcos de circunferência. O tempo gasto para dar uma volta é o período (T). isto é . ele estará girando mais rapidamente. concluímos que  poderá ser medida em grau/s ou em rad/s. a válvula estará passando pela posição P2. que já conhecemos. A velocidade angular nos fornece uma informação sobre a rapidez com que a válvula está girando. passando pela posição P1 representada na figura abaixo. o arco percorrido mede 2πR onde R é o raio da circunferência. 8 . a velocidade v é calculada por: v= 2R T Velocidade angular (ω): Consideremos a válvula do pneu de bicicleta em movimento circular. Neste intervalo de tempo t. quanto maior for a velocidade angular de um corpo. maior será o ângulo que ele descreve por unidade de tempo. Representando a velocidade angular por  temos  = /t A velocidade definida pela relação V = d/t. Após um intervalo de tempo t. Observe que as definições de V e  são semelhantes: a velocidade linear se refere à distância percorrida na unidade de tempo. enquanto a velocidade angular se refere ao ângulo descrito na unidade de tempo.Período (T): é o intervalo de tempo que separa duas passagens consecutivas do móvel pelo mesmo ponto da trajetória. Se considerarmos a circunferência inteira. o raio que acompanha a válvula em seu movimento descreve um ângulo  A relação entre o ângulo descrito pela válvula e o intervalo de tempo gasto para descrevê-lo é denominado velocidade angular da partícula. a freqüência é dada em Hertz (Hz).

então a velocidade angular da polia B é numericamente: a) É igual à velocidade angular da polia A b) É igual à velocidade tangencial da polia B c) É menor do que a velocidade angular da polia A d) Maior do que a velocidade da polia A e) Igual à velocidade tangencial da polia A E) A freqüência de um móvel em movimento circular uniforme é 20 Hz. sabendo-se que a velocidade angular é 30π rad/s e o raio 2m? B) O módulo da velocidade linear de um móvel com trajetória circunferencial vale 12π m/s. a outra polia RA=0. Cada partícula elementar de um corpo extenso tem seu próprio peso.  = 2/T Relação entre V e  . O peso de um corpo extenso é definido como a resultante das forças-peso de todas as suas partículas constituintes e seu ponto de aplicação é conhecido como centro de gravidade.2m está ligada através de uma correia.ESTÁTICA – Estuda as forças necessárias para manter os corpos em equilíbrio. 4 . C) A velocidade linear de um ponto da periferia de um disco é 20π cm/s quando o disco realiza 60 rpm. Logo. t = T. no movimento circular uniforme.Uma maneira de calcular a velocidade angular é considerar a válvula (ou uma partícula qualquer) efetuando uma volta completa.Sabemos que. Se o movimento descrito pelas polias for MCU. o ângulo descrito será  =2rad e o intervalo de tempo será um período. D) Uma polia A de raio RB = 0. sem nenhum deslizamento entre as polias durante o movimento. quando conhecemos a velocidade angular  e o raio R da trajetória. Qual o diâmetro do disco? (Lembre-se: RPM é rotações por minuto).4m. 9 . Exercícios: A) Qual o valor da aceleração centrípeta de uma pedra presa a uma corda girando em MCU. calcule a freqüência e o período desse movimento. a velocidade linear pode ser obtida pela relação Como 2/T é a velocidade angular. Neste caso. Observe que ela só é válida se os ângulos estiverem medidos em radianos. Determine sua velocidade linear sabendo que o diâmetro da circunferência é 1m. Sabendo-se que o raio da curvatura vale 2m. concluímos que Esta equação nos permite calcular a velocidade linear V. Istoé.

senѲ Fy F Exercício: Sejam duas forças F1 e F2 com intensidades de F1=20N e F2=15N conforme a figura. Determine as projeções ortogonais de F1 e F2 em relação aos eixos Ox e Ou. os parafusos que prendem as rodas dos automóveis. o momento é positivo.5 e sen60˚=cos60˚=0. Dados: sen30˚=cos60˚=0. uma porta. se existir rotação. Só existe o momento. o momento é negativo. Fx Ѳ Fx=F.cosѲ Fy=F. 10 . Então M=F.86. Se rodar no sentido horário.  MOMENTO DE UMA FORÇA: quando uma força aplicada a um corpo causa a rotação do mesmo. O momento é dado pelo módulo da força e pela distância entre a direção da força e o ponto fixo (ponto em torno do qual o corpo gira ou tende a girar). Exercícios: A – Uma barra AO situada num plano vertical pode girar em torno de um ponto O. dizemos que essa força aplicou um momento ou torque ao corpo. Determine o momento da força F de intensidade de 120N nos três casos a seguir.Decomposição de uma força: é desmembrar a força em duas componentes ortogonais que executem a mesma função que sua resultante. uma gangorra.  Equilíbrio estático: um corpo está em equilíbrio estático se satisfizer as seguintes condições:  A resultante da forças nula: não há movimento de translação  Resultante dos momentos em relação a um ponto fixo nula: não existe rotação em torno desse ponto. Exemplos de corpos que giram devido a momentos aplicados.d e o sentido do momento é o seguinte: se rodar no sentido anti-horário.

B – Para sustentarmos. Exemplos: Um ônibus lotado com velocidade de 120Km/h.a (onde F é a resultante das forças. um corpo em repouso permanecerá em repouso e um corpo em movimento estará se movimentando em linha reta e com velocidade constante.PRIMEIRA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DA INÉRCIA: na ausência de forças. o Peso sempre é aplicado no centro da Terra. Os passageiros somente irão parar se uma força atuar sobre eles. conforme mostra a figura. puxando-os para baixo. qual o valor da força F? TRABALHO DO PRIMEIRO BIMESTRE  Em grupo de 4 alunos no máximo  Tema: MÁQUINAS SIMPLES  Composição do trabalho: deve ter capa com o título. No caso da Terra. ou simplesmente trazer a máquina e demonstrar seu funcionamento do ponto de vista da Física _______________________________________________________________________ 5 . Então: F=m. A unidade de força no S. em equilíbrio. mencionar as principais máquinas simples em uso atualmente e colocar fotos.DINÂMICA . Os passageiros são atirados para a frente como se uma força os empurrasse. uma carga de 20Kgf (quilograma-força). Isso se chama inércia. Deve ter índice. Peso=massa (Kg). m é a massa do corpo e a é a aceleração). O que ocorre é que os passageiros estavam com a velocidade de 120 Km/h e a tendência deles é continuar nessa velocidade. De repente ele pára. Conclusão  Preparar uma máquina simples para ser apresentada à classe. Pode usar cartazes. não há força atuando. gravações e outros recursos multimídia. a massa é dada em Kg(quilogramas) e a aceleração em m/s2.g 11 . desenhos das mesmas com explicação de seu funcionamento. número e série dos participantes.SEGUNDA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DAS MASSAS: a aceleração de um corpo é proporcional à resultante das forças nele aplicada e tem a mesma direção e sentido que esta resultante. suspensa no ponto médio de uma alavanca homogênea horizontal com 10 Kgf de peso. Power point.I é Newton (N). Peso e massa: Peso ou força gravitacional é a força que o planeta aplica sobre os corpos. explicar o que são máquinas simples. no caso o choque com a pessoa da frente ou com os assentos do ônibus. . Na realidade.LEIS DE NEWTON . os nomes. introdução (onde conste um pequena descrição do que será tratado no trabalho).aceleração da gravidade(m/s2) ou P=m. Dizemos que a tendência é manter-se em movimento. O peso depende da aceleração da gravidade (g) no local onde está o corpo. articulada em A. É uma grandeza vetorial cuja direção e sentido dirigem-se ao centro de gravidade do corpo responsável pela gravidade. filmes.

A força resultante b. submetido a uma força constante de 45N? B) Um corpo de massa 10Kg com movimento retilíneo e velocidade inicial de 3m/s adquire em 5s a velocidade de 45 m/s. Sabendo-se que a força F aplicada vale 50N. este exerce sobre o primeiro uma força de mesmo valor em módulo. Nos aviões a propulsão a jato. A força resultante b. respectivamente. F1 e F2. mesma direção e sentido contrário ao da força original (reação). A tensão no cabo que une os dois blocos E) Na figura m1 e m2 valem. A aceleração do sistema D) Considere dois blocos m1 e m2. A aceleração do sistema c. respectivamente .Pesquisa: Faça uma pesquisa sobre dinamômetros. Grupo de até 4 alunos. 8Kg e 2Kg. os gases saem pelas turbinas num sentido (ação) e o avião se movimenta no sentido oposto (reação). . Sabendo-se que não existe atrito. calcular: a. A Terra atrai a Lua com uma força de intensidade igual à que a Lua atrai a Terra. calcular: a. colocados num plano horizontal da figura. mas sentidos contrários Exemplos: Quando chutamos uma bola. Para que são utilizados? Qual o seu princípio de funcionamento? Construa um dinamômetro com materiais comuns para apresentação na sala de aula. atuam duas forças. Qual o valor da força aplicada? C) Num corpo colocado sobre uma superfície sem atrito. A aceleração do sistema b. calcular: a. Algumas coisas a serem lembradas sobre os pares ação-reação:    As forças de ação e reação nunca se anulam pois são aplicadas em corpos diferentes Tem o mesmo valor numérico Possuem sempre a mesma direção.TERCEIRA LEI DE NEWTON OU PRINCÍPIO DA AÇÃO E REAÇÃO: sempre que um corpo exerce uma força (ação) sobre outro. ela exerce uma força igual em módulo no nosso pé. Exercícios: A) Qual a aceleração adquirida por um móvel de 12Kg. com massas iguais a 6Kg e 4Kg. Sabendo-se que a massa do bloco vale 2Kg. Quando caminhamos exercemos uma força sobre o chão e este exerce uma força igual em nossos pés. que valem respectivamente 12N e 4N. A tensão da corda que une os blocos F) Qual seria o peso de uma pessoa que tem massa de 60 Kg 12 .

Então m.m/s.se ela estivesse num planeta em que a gravidade fosse 12. Impulso: é o produto da força aplicada pelo intervalo de tempo no qual a força atua sobre o corpo. A força que A exerce sobre B c. Q=m. Desprezando-se os atritos e considerando F=48N. Ou seja. A aceleração do sistema c.v=F. Ou seja. A quantidade de movimento é uma grandeza vetorial e sempre tem a mesma direção e sentido que a velocidade.CONSERVAÇÃO DA QUANTIDADE DE MOVIMENTO:  Quantidade de movimento: Representamos a quantidade de movimento pela letra Q e é calculada pelo produto da massa do corpo pela sua velocidade instantânea. calcular: a. A unidade de Q é Kg.∆t. o impulso e a quantidade de movimento são numericamente iguais. A tensão T1 d. A tensão T2 6 . Então: I=∆Q ou seja I=Qf-Qi então I=mvf-mvi 13 . Sabendo-se que a aceleração da gravidade vale 10m/s2 e que o elevador desce com 3m/s2. calcular: a. A força que B exerce sobre A I) Dois blocos estão pendurados por uma corda comum e presos a uma roldana fixa sem atrito. como mostra a figura. A força resultante b.v.5m/s2? G) Uma pessoa de 60 Kg de massa está dentro de um elevador e em cima de uma balança. Considerando a massa de A igual a 12Kg e a massa de B 8Kg. o impulso num intervalo de tempo t será igual à variação da quantidade de movimento nesse intervalo. de massas respectivamente iguais a 8Kg e 4Kg estão apoiados numa superfície horizontal conforme mostra a figura.  Quando o corpo parte do repouso. A aceleração do sistema b. Teorema do Impulso: Se o corpo estiver em movimento. calcular a medida registrada pela balança (admita que a balança meça peso) H) Dois blocos A e B. I=F.t. O impulso tem o mesmo sentido e direção que a força aplicada.