O campo da educação é vasto: ocorre em todos os lugares – na família, no trabalho, na rua, na fábrica, nos meios de comunicação, na política, etc

. Mas é preciso distinguir diferentes manifestações e modalidades de práticas educativas, tais como a educação informal, nãoformal e formal. Educação informal porem define se como qualquer tentativa educacional organizada e sistemática que normalmente se realiza fora dos quadros do sistema formal do ensino. o-formal e aquela que na qual qualquer pessoa adquire e acumula conhecimento através da experiencia do quotidiano em casa, no trabalho e no lazer. A educação formal pode ser resumida como aquela que esta presente no ensino escolar institucionalizado, cronologicamente e linear estruturado.

certamente. outros mais à sociedade ou as instituições promotoras. Se é certo que a prática educativa se apresenta em todas as sociedades é importante verificar que aspectos particulares e que funções especificas vai exercer em cada formação social concreto. Ela possui uma relativa autónoma e vai contribuir também para a formação da totalidade que vai contribuir a sociedade. a teoria dos seus agentes estão utilizando para interpretar o processo social. com o pólo de relações entre os limites da prática educacional e as determinações daprática económica. de acordo sobretudo. explicita ou implicitamente. claro para os seus agentes. Entretanto. os efeitos previstos da educação em cada um dos seus modos e níveis de funcionamento. O processo social não é algo espontâneo que se conforma as vontades individuais. em termos absolutos. que lhe vai fornecer os critérios depressivos para sua acção. uma complexa configuração de práticas diferentes. A educação vai colaborar na operacionalização de uma determinada forma de interpretação da realidade social mesmo que isto não esteja. A prática social não é neutra nem autónoma face à forma de estruturação da sociedade: Ela reflecte. Uma simples consulta à colecção. mas mostrar apenas o seu relacionamento com a ideologia mais ampla. Não sendo uma prática autónoma a actividade educativa subordina-se a uma teoria da sociedade. Entre os seus propósitos explicitados ou implícitas a educação possui..processo social Não é acertado pretender que a educação tenha cumprido. Não pode ser analisado no abstracto. hoje já volumosa. São estes óptimos que regulam.. objectivos. dos escritos teóricos e planefadores da educação coloca em evidência o facto que o núcleo mesmo do seu significado sofreu variaçõesao longo da história das sociedades e as sofre ainda de uma para outra época de uma para outra sociedade. A vida na sociedade será portanto. Paginadora da sociedade e que está sempre presente na pratica social global uma vez que a sociedade e o processo social inclusivo que articula as varrias actividades sociais. . bem como dos seus mecanismos de controle social. mais de um objectivo alguns mais referentes aos sujeitos de suas práticas. senão como condicionado e condicionante de um processo social global que se realiza em um determinado momento histórico. em qualquer formação social. Desenvolve-se dentro a estrutura social em todo articulado. É preciso cuidado também para não cair no simplismo de olhar a educação como simples reflexo. em última instancia. Não se vai estudar o fenómeno educativo em toda a sua complexidade e em todas as suas dimensões. em uma época e no interior de uma sociedade. uma função exclusiva ou mesmo dominante. Sem qualquer influência no todo social. dirigidos aos sujeitos estão subordinados à uma visão mais global que se tinha da sociedade.

contribuindo assim para a reprodução da estrutura da contribuição do capital cultural entre as classes. é preciso penetrar no seu conceito. Para melhor análise de prática educativa é possível distingui-la em 3 níveis: Nível de facto Não se pode. com uma determinada ideologia que lhe vai fornecer as pautas democratórías.Para avançar na compreensão do fenômeno educação. … Essas teorização sobre a educação estão relacionadas com uma teoria da sociedade. Neste nível vai colocar-se o papel da filosofia na educação segundo a posição definida por Pierre Forter. a reflexão mesma sendo posterior a acção pedagógica deve manter uma relação dialéctica e critica com os outros dois níveis de prática e :“ “ ” ” . As instituições educacionais estão relacionados e condicionados de certa forma com e pela estrutura social em que se inserem e a organização do sistema educativo corresponde aos interesses e da necessidade da ideologia dominante que rege a sociedade. associar o educativo exclusivamente ao escolar o facto educativo extrapola os sistemas formais de ensino. Toda a prática educativa cumpre sempre uma função política. na sua prática. portanto. ou seja. A sociologia da educação configura seu objecto particular quando se constitui como ciência das relações entre a reprodução cultural e a reprodução social. e para detectar esse sentido é indispensável Analisar a educação ao nível dos seus propósitos. investigar os factores que contribuem para a construção do seu arcabouço teórico e científico. mais oumenos definidos nem todos são explicitamente. Nível de propósito A práctica educativa é vista como uma pratica deliberada que tenta alcançar certos fins. ainda que lhe não proponha claramente. É importante transcrever aqui a informação de Bourdieu quando trata dos sistemas de ensino na sociedade global. e que se efectua por instituições ou programas especializados. no momento em que se esforço por estabelecer a contribuição que o ensino oferece com vista à reprodução da estrutura das relações de força e das relações simbólicas entre as classes. Nivel de refle j õ .

a. antecipa mentalmente (planeja) as mudanças (ações) que a natureza precisa sofrer para se adaptar às necessidades humanas. Para realizar esse intento. No acto de reflectir será necessário um certo distanciamento da acção para que possa entender melhor seus significados sua profundidade e suas consequências assim como situar essa reflexão em um contexto mais amplo numa perspectiva de totalidade. o que diferencia o homem dos outros animais é o trabalho. perdura e se amplia o equivoco da educação alienada tanto mais sofisticado quanto incisiva. Por isso o trabalho é uma ação intencional. a partir dos problemas que já existem na acç ”. o homem o realiza com finalidades adequadas ao tipo de mudança que quer realizar na natureza. já que se pretende vincular a prática educativo (nos seus diversos níveis) com uma certa menção ideológica em um determinado momento histórico. transformando. o homem precisa construir continuamente a sua própria existência. Especificidade da educação A educação é um fenômeno próprio dos seres humanos. Ao fazer isso. Para o actual estudo isso se torna importante. Assim afirma Durneval Trigheiro Mendes: “P g g ade própria com o método (não importa se ligado a arte. Torna-se portanto evidente que é impossível tratar a prática educativa desassociada das ideologias presentes na sociedade. olhando a natureza.: “no sentido de que não vai pensar dogmaticamente o que vai ser a educação mais vai pouco à pouco reflectir a educação. Substancializar a pedagogia representa uma tentativa falaciosa e funesta. Só o homem pode ser educado. Graças a essa: ilusão. Esse processo humano de adaptar a natureza à sua natureza humana chama.se trabalho . Ao contrário dos outros animais que se adaptam à realidade e garantem naturalmente a própria existência. o homem humaniza o mundo e es te ato de humanizar a realidade chama-se cultura. ou a ciência ou as duas) de coordenar e aplicar valores que a transcendem. É importante que se façam indicações do processo de surgimento e das características próprias e tal ideologia. Portanto. o homem não se adapta à natureza como os outros animais. mas busca adaptar a natureza a si. . os meios para a sobrevivência. A vida humana necessita extrair da natureza de forma ativa e intencional. Naturalmente esses níveis se entrelaçam e são interdependentes são aqui apresentados apenas para operacionalizar a análise da prática educativa. para compreender a natureza da educação é preciso compreender a natureza humana. Portanto. O trabalho surge no momento em que o homem.

material. . as representações do conhecimento e das propriedades do mundo real (ciência). um objeto artístico. valores. um espaço de tempo entre a produção e o consumo do objeto.se. a busca e a descoberta dos modos mais adequados para atingir esse objetivo. conceitos.material pertencente. A educação se situa nesta segunda modalidade do trabalho não.social. responde pela produção dos bens materiais e pode-se denominar de trabalho material. porque o que não é garantido pela natureza física tem que ser produzido historicamente pelos homens. ao mundo das idéias. estabelecendo autonomia entre o produto e o ato de produzir. Pode-se dizer que a especificidade da educação se esclarece a partir daí. a natureza humana não é dada ao homem. Assim. o fundamental e o acidental. supõe concomitantemente a presença do professor e do aluno. valores.. o homem pensa. as configurações dos objetos. o ensino é um trabalho não. cultura. Portanto. dos conceitos.se aos conteúdos do trabalho pedagógico: neles. é preciso distinguir o que é essencial e acessório. É um fenômeno cultural e é ao mesmo tempo exigência para o processo de trabalho. planeja. Portanto. o ato de dar aula (produção) é inseparável de seu consumo pelo aluno. etc. símbolos. o trabalho educativo é o ato de produzir. formas. b) Actividades em que o produto não se separa do ato de produção. por isso. Há. antecipa em idéias os objetivos das ações. hábitos. Exemplo: um livro. isto é. hábitos. de um lado. Assim. sociedade. habilidades. por exemplo: a educação não se reduz ao ensino. refere. sons. etc (arte). A aula. cor. o processo de trabalho (processo de produção da existência humana) é em primeiro lugar. não ocorre intervalo entre o acto de produção do objeto e o consumo do mesmo: ambos ocorrem simultaneamente. seja sobre o próprio homem (ciências humanas). conseqüentemente. pois. a garantia da subsistência material do homem que. de valorização (ética) e de símbolos . atitudes. como já vimos. em proporções cada vez maiores e complexas. um processo de trabalho. o principal e o secundário. a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens. em cada indivíduo singular. mas o ensino é educação. Este tipo de produção: idéias.psíquico. símbolos. na perspectiva da Pedagogia (ciência da educação ) estes elementos são necessários à educação do homem. habilidades. Assim.los. à identificação dos elementos culturais que precisam ser assimilados pelos indivíduos da espécie humana para que possam se tornar humanos. etc. Estes elementos constituem o objeto das ciências humanas ou ciências do espírito em oposição às ciências da natureza. direta e intencionalmente.. a educação é um fenômeno próprio dos seres humanos. se imbricam de tal forma que se torna impossível separá. pode ser denominada trabalho nãomaterial e é a produção do saber. tendo em vista constituir nele uma segunda natureza.material e nesta categoria é preciso distinguir duas modalidades de atividades: a) Actividades (práticas) em que o produto se separa do produto r. para produzir materialmente. o objeto da educação refere. etc. atitudes. seja sobre a natureza. O primeiro aspecto do objeto da educação (identificação dos elementos culturais que precisam ser assimilados).Portanto. por exemplo. A educação se situa na categoria de trabalho não. mas é por ele produzida sobre a base bio. como é ela própria. e de outro lado.

esse campo é a própria ação educativa onde quer que ela se dê. que substituiriam a Pedagogia. como essencial em todas as épocas. Durante muito tempo discutiu. o homem. As constituições físicas. cada uma das ciências que fazem interface com a Pedagogia estudam o fenômeno educativo sob a perspectiva de seus próprios conceitos e métodos de investigação e a Pedagogia estuda tal fenômeno em sua especificidade e globalidade. relacionam. necessariamente. os agentes de formação (professor e a escola). Especificamente.se a respeito de quais ciências são as mais importantes para a educação. Weber pensava na Estética. O facto de a educação ser analisada sob vários enfoques tem levado alguns teóricos a postularem a existência das Ciências da Educação. o professor (especificamente). o saber escolar como objeto de transmissão-assimilação. é um campo de estudo com identidade própria: genericamente. aqui. O clássico é universal. a Filosofia. Essa discussão hoje é desnecessária. A educação. especificamente o aluno ). Neste sentido todas as ciências e disciplinas ligadas diretamente ao homem. que não se confunde com o tradicional e também não se opõe. o saber (currículo) e o contexto onde ocorre o saber. porque se firmou como fundamental. seu campo compreende os elementos da ação educativa e sua contextualização. É a base e a essência do saber historicamente acumulado por todas as gerações e é essencial ser assimilado em todos os tempos. ao moderno e muito menos ao atual. dizia m ser a Psicologia e a Ética. portanto é o objeto de estudo da P g g “ P g g é do sistemático da ” A educação é uma prática social que se dirige à vida humana em sua totalidade. Alguns estudiosos. . porque primeiro é preciso considerar que realidade educativa se estuda. Bergman indicava a Biologia. a reflexão sobre conteúdo clássico. para a partir daí buscar o auxílio dessas ciências. tais como: o aluno. como Herbart. Portanto. as situações concretas em que se dão os processos educativos (ensino). o contexto institucional da escola e da sala de aula. No entanto.Cabe. o educador (genericamente). psíquicas e sociais do homem fornecem a chave para definir quais ciências auxiliarão a Pedagogia. Natorp. Interfaces da ciência da educação A ciência da educação é a Pedagogia. Resumindo: o real objeto de estudo da Pedagogia se configura na relação entre os elementos da prática educativa: o sujeito que se educa (genericamente.se com a Pedagogia e entre estas existem algumas que estabelecem com a Pedagogia maiores relações do que outras. enquanto sujeito do processo de socialização e aprendizagem.

formal e educação formal compreendem instâncias de educação escolares ou não. g j . com órgãos fiscalizadores dos ministérios de educação. emb como o nivel de status.n a A educação informal é a que se desenvolve por meio das relações entre os indivíduos e grupos na sociedade (ambiente social.formal – igreja. etc. ecológico. gõ j g . etc) e é marcada por pouca intencionalidade. etc. determinados em nível nacional. com estruturaras hierárquicos e burocráticos. físico. os sistemas de ensino. O aluno formado por uma universidade goza de status mais alto do que aquele que nao tenha diploma. é . . conceder certificados de aprendizagem. onde há objetivos explícitos de formação e uma ação intencional. cultural. A educação não-formal é mais difusa menos hierárquica e menos burocrática. Os programas de educação não-formal não precisam necessariamente seguir um sistema “P g ” P . g caç g antigamente.formal e educação formal A educação não. A educação não. . estruturação e institucionalização. Ela depende de uma directriz educacional centralizada como o curriculum. g . . A educação formal tem objectivos claros e específicos e representada pelas escolas e universidades. educação não. estruturada e deliberada. . . clubes. Exemplo: educação formal – escolas. g . as modalidades de educação.

havendo então uma associação directa entre educação e pedagogia. podemos concluir que a Educação tem a função de transmissão a Cultura. falar em Educação é falar na maneira como as sociedades transmitem sua cultura ao longo das gerações. sendo que. a partir dos problemas que já existem na acção. é correto afirmar que a idéia de Durkheim a este respeito é a de que a Educação é o elemento-chave para que as sociedades continuem a existir. Neste sentido. ser crítica no sentido de que não vai pensar dogmaticamente o que vai ser a educação mas vai pouco a pouco reflectir a educação. Desta maneira. métodos e técnicas que visam a tornar esta transmissão de cultura mais eficiente. uma perspectiva da totalidade. Mas o que seria a Educação? Nesta perspectiva. regras sociais. dizer que ao longo do trabalho deu nos de compreender que a Educação é um elemento de vital importância para as sociedades. entende-se o conjunto de tradições. . seus propósitos explicitados ou implícitos a educação possui certamente mais de um objectivo alguns mais referentes aos sujeitos das suas práticas. No acto de reflexão será necessário um certo distanciamento da acção para que se possa entender melhor seus significados. suas consequências. crenças e modos de vida pertencentes a um determinado povo. e que através dela as sociedades se mantém. outros mais a sociedade ou as instituições promotoras. Para a nossa forma de entender pode-se dizer que as sociedades modernas são aquelas que posuem a escola como elemento-chave para esta transmissão cultural. Para acrescentar. . pois a pedagogia é nada mais nada menos do que o conjunto de regras. por cultura..

Zahar Editores. g o humana. Editora Nacional.1980.O processo da educação.Livros BRUNER. DRESSLER. William. S.rio de janeiro-Brasil.br . Universidade Federal do Rio de Janeiro. Editora JHETER P. Prática Educativa e Sociedade. 1971. Ramalho.yahoo.com. M. Paginas web www. São Paulo: Cia. interciencia. J. David & WILLIS.

.................................................. 4 Interfaces da ciência da educação................................................................................ 3 Especificidade da educação ........................................ 2 Nível de facto ......................... 3 Nível de propósito ................. 7 caç Informal ................................................................................................................................................................. 3 ................................................................................................................................................................................... 7 ............................................................formal e educação formal ................................................. 8 ............................................................................................................................................. 1 .......................................................................................... 7 A educação não............................................................................................................................................................................................................. 6 ...............................