INSTITUTO APHONSIANO DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE DIREITO

OS PROBLEMAS DECORRENTES DO ALCOOLISMO JUVENIL NO BRASIL

Acadêmico: Rodrigo Bueno Soares Orientador: Eliza Zanatta

TRINDADE 2011

Nesse tipo de evento bebidas alcoólicas são comercializadas de forma liberal. Não dá pra combater um problema tão grave como esse com medidas pouco efetivas. 80% dos jovens já consumiram qualquer tipo de bebida alcoólica mais de uma vez e que 25% destes jovens correm grandes riscos de desenvolver dependência. levantemos alguns pareceres para compreendermos tal problemática e refletir acerca deste tão grave problema social. JUSTIFICATIVA Pesquisas indicam que nos últimos dez anos. mais se acredita que seja produto. . não interessa a idade da pessoa.1. bebidas essas que são nocivas à saúde e causam vício como qualquer outro tipo de droga. Sabe-se que tal mal traz consequências massivas para a sociedade e a essas “crianças” que abusam do consumo dessas bebidas. enquanto o Governo se preocupa em divulgar os malefícios da bebida. somente se ela vai consumir ou não. Sendo assim. No âmbito jurídico. o consumo de bebidas alcoólicas vem crescendo de forma acelerada entre os jovens e adolescentes. tanto do meio quanto de fatores adversos predominantes nos dias de hoje. Os órgãos públicos aplicam multas severas aos comerciantes que venderem bebidas alcoólicas a menores e espalham diversos cartazes e comerciais dizendo que “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores” mais isso pouco adianta sendo que a raiz do problema está dentro de casa. Atualmente. tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Alguns desses eventos não admitem a entrada de menores mais a maioria não se importa. Não se sabe ao certo as causas desse consumo excessivo de álcool entre nossos jovens. nos encontramos motivados a partilhar algumas preocupações e visões do caso para tentarmos ser agentes de mudanças nessa luta contra o Alcoolismo Infantil. temos a pouca eficiência das medidas do governo. importa apenas em ter se ingresso vendido. fecha os olhos para o problema maior que é a enorme incidência de adolescentes em festas e eventos proibidos para menores.

Mais como combater esse mal se a conscientização deve vir de casa? Por que as medidas de prevenção do Estado pouco adiantam? Como convencer os pais que seus filhos são alcoólatras antes mesmo de atingirem a maioridade? . PROBLEMA Atualmente o alcoolismo juvenil vem trazendo consequências massivas para a sociedade e a essas crianças que abusam do consumo dessas bebidas que são nocivas à saúde e causam vício como qualquer outro tipo de droga.2.

OBJETIVO GERAL • Mostrar à sociedade a dimensão do problema e as formas mais viáveis de combatê-lo. . Conscientizar tanto os pais quanto os jovens sobre os perigos decorrentes do consumo abusivo de bebidas alcoólicas.2. OBJETIVOS 3. 3.1. • Mostrar aos governantes a pouca efetividade das medidas de prevenção usadas por eles.3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Trazer informações detalhadas sobre o caso tratado. • • • Buscar informações sobre riscos e tratamentos para os alcoólatras. Enumerar as principais causas e suas respectivas medidas preventivas para ajudar os pais.

. afinal não adianta proibir se há o consumo excessivo dentro de casa. HIPÓTESE Para a diminuição desse problema na sociedade pode-se usar de diversos métodos. impor limites e principalmente dar o exemplo. Os pais devem conversar com seus filhos. sendo que os principais começam com a educação familiar.4.

para a complementação da nota da N1 do 4º Período do curso de Direito do Instituto Aphonsiano de Ensino Superior. TRINDADE 2011 . orientado pela Professora Eliza Zanatta.RODRIGO BUENO SOARES OS PROBLEMAS DECORRENTES DO ALCOOLISMO JUVENIL NO BRASIL Projeto de Pesquisa Científica apresentado à disciplina de Metodologia da Pesquisa Jurídica.

partindo de números e pareceres levantados por órgãos que tratam do assunto. . Serão realizadas pesquisas de campo em locais de grande incidência deste problema e também pesquisas literárias em livros e doutrinas.5. METODOLOGIA Será utilizado o método de pesquisa indutivo.

lanchonetes. As crises se caracterizam por meio de tremores. Bares. não é raro vermos adolescentes ou mesmo crianças fazendo o uso dele e até grupos idolatrando a ingestão de bebidas alcoólicas e comportamentos de embriaguez. Por se tratar de uma sociedade em que o uso do álcool não é considerado um comportamento ilícito.” (Amélia Rodrigues. Não se disciplina sem estar disciplinado. náusea. o acesso a essa substância é relativamente fácil. em larga escala e abertamente. de Divaldo P. displicentemente. no Livro “Sementeira da Fraternidade”. REVISÃO LITERÁRIA O alcoolismo é uma doença crônica que consiste no consumo compulsivo do álcool. irritabilidade. Cresce no meio jovem o consumo de bebidas alcoólicas. Tomar um “gole” ainda hoje. esse “veneno livre”. campeia à solta. clubes sociais. Contra outros tipos de tóxicos levanta a sociedade. e também pela falta de clareza entre o que é beber socialmente. causando crises de abstinência quando não ingerido. entretanto é de conhecimento que a relação existe: um indivíduo tem quatro vezes mais chances de ter problemas com a bebida se seus pais eram alcoólatras. fazem uso. mesmo que palidamente. Franco. no combate. “Não se educa sendo deseducado.6. Assim. fazendo com que ela seja a substância psicoativa mais popular do planeta. mas o álcool. avenidas estão repletas de jovens que. e quase sempre apoiado por grandes e bem produzidas campanhas de mídia e aceito com naturalidade por nós. ansiedade. nem sempre eficaz. taquicardia e pupilas dilatadas. das bebidas deletérias e nocivas que não só desfiguram e arrasam o corpo como agridem e violentam o caráter. em pleno século XXI. abuso e o que já caracteriza o vício. Estrutura psíquica e influências familiares e culturais são outros aspectos que podem levar a essa moléstia. passeou com um robô de controle remoto em marte e avança . quando o homem já foi à lua.) Não se sabe precisamente a relação entre alcoolismo e hereditariedade. fazendo com que o indivíduo se torne cada vez mais tolerante a ele. restaurantes.

normas. 2004) Portanto.” (CUIN. pouco vai adiantar instituição de leis. é um ato de afirmação do jovem. pois que são escravos do vício. Não terão autoridade para dizer que faz mal à saúde física e ao caráter. Segundo Waldenir Aparecido Cuin: “Indiscutivelmente. inclusive em conhecimentos de medicina. pais que consomem álcool não têm moral para impedir que os filhos o façam. . como sinônimo de que ele já começa a adentrar o sonhado mundo dos adultos.esplendidamente em todos os setores da ciência. fiscalizações se entre as paredes do lar a indiferença continuar.

7. CRONOGRAMA 2014/1 r J Revisão do projeto Leitura e fichamento Levantamento de dados Mapeamento dos dados Elaboração do roteiro Aplicação de questionários Desenvolviment o da monografia Revisão do texto bibliográfico Apresentação da monografia Banca 2014/2 A S O N D F M A J F M A M M J J J J A S O N D A S O N D F M A M J F M A M J x x x x x x J J A S O N D x x x x x x x x x x x x x x x x x x 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .

Ronaldo. LARANJEIRA.com/doencas/alcoolismo. Alcoolismo juvenil. http://www. Waldenir A. O alcoolismo: mitos & verdades. et al. Alcoolismo. • CABRAL. • • CUIN. São Paulo: Contexto. O alcoolismo juvenil. 2008.brasilescola. 170 p. et al.org. Fernando C. 63 p. Mariana.htm. SOUZA. O consumo de bebidas alcoólicas na população escolar juvenil. 1997. . www.• • ARAGUAIA. Lídia Rosário.geb-portugal. São Paulo: GAIN.