You are on page 1of 3

8.4.10 - AGENTES PUBLICOS 8.4.10.1 - NOÇÃO Toda pessoa publica que exerce cargo, emprego ou função publica é agente publico.

Agente público é a pessoa física que presta serviço à Administração Pública direta e indireta do Estado. Efeitos penais: é quem exerce cargo, emprego ou função publica. Equiparam-se a essa condição os servidores de atividades paraestaduais. 8.4.10.2 - CATEGORIAS Agentes políticos: titulares dos cargos estruturais na organização politica do país. Atribuições fixadas na Constituição Federal e em leis complementares. Podem ser eleitos, nomeados mediante concurso público ou exercem cargos de confiança. Ex: parlamentares, juiz de direito, membros do MP... Agentes administrativos: pessoas legalmente investidas em cargos públicos com vinculo estatutário remunerado pelo poder publico. Não exercem atividades politicas. Ex: servidores públicos, celetistas... Particulares colaboradores com a administração pública: pessoas físicas que prestam serviços relevantes ao Poder Público sem vinculo empregatício, remunerados ou não. Ex: jurados, mesários eleitorais... 8.4.10.3 - CARGOS E FUNÇOES Cargo público é o lugar instituído na organização do serviço público com denominação própria, para ser provido e exercido por um titular. Função é atribuição que a Administração confere a cada categoria profissional sendo comumente remunerada através de pró labore. Em face da Emenda Constitucional nº 19, as funções de confiança, destinam-se obrigatoriamente, apenas às de atribuições de direção, chefia e assessoramento (CF,art. 37,V, que são de natureza permanente. 8.4.10.4 - PROVIMENTO E INVESTURA Provimento dos cargos público dos cargos públicos se faz mediante ao ato da autoridade competente de cada poder. Investidura ocorrerá com a posse. Requisitos básicos para investidura: nacionalidade brasileira, gozo dos direitos políticos, idade mínima de 18 anos e aptidão física e mental, dentre outras. Não basta a nomeação, deve ocorrer também a posse e o inicio do exercício. Tendo tomado posse, se o servidor não entrar em exercício para o qual foi lotado, ocorre a exoneração. Só poderá ser empossado aquele que for julgado apto físico e mentalmente para o exercício do cargo.

mas não impede de receber o 13º. importa em modalidade inconstitucional de provimento no serviço publico. chefia.10. .10.Dois cargos de professor . .Dois cargos de médico.Ao entrar em exercício. 8. paragrafo 9º) 8.7 – ACUMULAÇAO DE CARGOS Proibida a acumulação de cargos remunerados. exceto se houver compatibilidade de horário.10.6 – DAS VANTAGENS DO CARGO .Gratificação natalina.8 – APOSENTADORIA É garantida de inatividade remunerada.Adicional noturno.Adicional pelo exercício de atividades insalubres..4. .10.Aposentadoria voluntária: requerida pelo próprio servidor. 8. fixado em parcela única e devido aos chamados agentes públicos. o servidor nomeado para o cargo de provimento efetivo iniciará o ESTAGIO PROBATÓRIO DE 36 MESES.4.5 . durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objetivo de avaliação para o desempenho no cargo.REMUNERAÇAO DO AGENTE PUBLICO Remuneração: valor que faz juz o servidor pelo período trabalhado Subsídio é a modalidade da remuneração. Não pode incluir qualquer vantagem pessoal. A transferência de servidores públicos para outros cargos. 8. sendo 5 no mesmo cargo. (arts. adicionais. perigosas e penosas. assessoramento. reconhecida aos servidores que já prestaram longos anos de serviço. nas seguintes hipóteses: . .. . . .Retribuição pelo exercício de função de direção. 135 e 144.4..Adicional pela prestação de serviço extraordinário. desde que tenha mais de 10 anos de serviço publico.4.Um cargo de professor com outro de técnico .Adicional relativo ao local ou à natureza do trabalho. desde que não precedida de aprovação em concurso público de provas.Adicional de férias. .

A falta funcional gera o ilícito administrativo e dá ensejo à aplicação da pena disciplinar.Aposentadoria compulsória: aos 70 anos. A obrigatoriedade do processo administrativo é estabelecida no regime jurídico único a que estiver sujeito o agente jurídico. Absolvição na ação penal. .9 – RESPONSABILIDADES DOS SERVIDORES Responsabilidade administrativa é a que resulta da violação de normais internas da Administração pelo servidor. o servidor fica sujeito à penalidade administrativa correspondente. sendo ele presidido por uma comissão processante vinculada ao órgão. não exclui a culpa administrativa e civil do servidor publico que pode ser punido administrativamente. Instauração do processo administrativo disciplinar é ordenada por autoridade competente para a aplicação da sanção. Os processos administrativos que resultem em sanção poderão ser revistos.Aposentadoria voluntaria integral: sexo masculino.4. .4. Essa responsabilidade é independente das demais e se apura na forma do Direito Privado perante a justiça comum. não exclui a culpa administrativa e civil do servidor publico. por falta de provas ou ausência de dolo. Responsabilidade criminal é resultante cometimento de crimes funcionais. permitindo a instauração de processo.10. com proventos proporcionais ao período de contribuição.10 – PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR É o meio hábil à apuração de faltas disciplinares. 8. 60 anos de idade e 35 anos de contribuição. . a pedido de um oficio.Aposentadoria por invalidez se existir impossibilidade física ou mental decorrente de acidente em serviço. 55 anos de idade e 30 de contribuição.. Sexo feminino. Todos os crimes funcionais e os de responsabilidade são de delito de ação publica. doença profissional ou moléstia grave. violação de deveres funcionais e imposição de sanções a servidores públicos. 8. A absolvição criminal só afasta a responsabilidade civil quando ficar decida a inexistência do fato.10. A punição administrativa não depende do processo civil ou criminal que se sujeite também o servidor pela mesma falta. Apurada a falta funcional. Essa revisão se reconhecida a impunidade do funcionário acarreta o direito à integração do cargo com o pagamento de todas as suas vantagens. Responsabilidade civil é a obrigação que se impõe o servidor de reparar o dano causado à Administração por culpa ou dolo no desempenho de suas funções.