You are on page 1of 23

PDMS 11.

6 INTRODUÇÃO

PDMS

TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO

REV. 0 Ago/08 2 de 23

Índice
PDMS – Conceitos Básicos........................................................... 3
O que PDMS pode fazer ........................................................................... 3

Estrutura do Software.................................................................... 4
Banco de Dados ....................................................................................... 4 Módulos .................................................................................................... 5

Projetos ......................................................................................... 9 MDB .............................................................................................. 9 Estrutura Interna do DB tipo DESI ............................................... 10 Atributos ...................................................................................... 13 Iniciando o PDMS........................................................................ 16
Logging in ............................................................................................... 16 Usando o Design Explorer ...................................................................... 17 Manipulação da janela gráfica ................................................................ 18 Ajustando Drawing Representation Levels ............................................. 19

Anexo I ........................................................................................ 20

• PDMS possibilita a detecção de interferências no gerenciamento do espaço físico da planta.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. concreto. desta forma. isométricos de tubulação. • Todos os elementos somente poderão ser acessados no projeto se este estiver contemplado por especificação de projeto a qual é desenvolvida usando-se os critérios particulares de cada projeto. eletrodutos. Essa verificação é facilitada usando-se o ambiente realístico usado durante o projeto através do modelo 3D ou ainda com a ferramenta disponível chamada AutoClash a qual detecta automaticamente ocorrência de interferências. etc. . estrutura metálica. • A informações estão sempre atualizadas sendo que qualquer documento extraído possui o último e fiel status do projeto. posição geográfica. desenhos de engenharia totalmente dimensionados como plantas e cortes. tornando-se. considerando não somente interferências físicas. conexões incompatíveis. uma única fonte de informação. • PDMS possui ferramentas as quais identificam erros básicos de projetos tais como elementos fora de especificação. • Os desenhos e relatórios são extraídos diretamente do modelo 3D o qual é manipulado dinamicamente e simultaneamente por todos os profissionais e disciplinas envolvidas. desalinhamentos geométricos. O modelo 3D do PDMS é armazenado em um banco de dados relacional e pode armazenar dados geométricos. modelo para visualização e WalkThrough. dutos de ar condicionado e ventilação. etc. dimensional e todos dados alfa-numérico para geração de documentos necessários para construção. bandejamento. garantindo a padronização entre todos os envolvidos no empreendimento. tais como. bandejas. relatórios. etc. PDMS possibilita assegurar a qualidade das informações do projetos através de princípios básicos: • Todos componentes de tubulação. eletroduto. mas também de isolamento e áreas reservadas. 0 Ago/08 3 de 23 PDMS – Conceitos Básicos O que PDMS pode fazer PDMS possibilita o desenvolvimento de projetos de plantas industriais em um ambiente 3D. são originados de bibliotecas pré-definidas as quais somente podem ser acessadas pelos projetistas com o objetivo de uso no projeto e não para alteração.

armazenam diferentes tipos de informações e através do administrador do sistema é criado um relacionamento entre eles para que a integridade do projeto seja construída. 0 Ago/08 4 de 23 Estrutura do Software Banco de Dados PDMS não é um software CAD e sim um sistema de Banco de Dados para engenharia. desta forma quando o modelo é visualizado no display do seu computador o que é visto são os registros do banco de dados e não um arquivo CAD gráfico em disco. Tipos de Banco de Dados: Tipo DESI CATA PADD DICT PROP ISOD SYSTEM O que armazena Modelo 3D do projeto Catálogo e especificações Desenhos 2D Atributos de usuário Dados de material Dados de Spools Dados administrativos Modulo de edição DESIGN PARAGON e SPECON DRAFT LEXICON PROPCON SPOOLER ADMIN Relacionamento básico entre os tipos de Banco de Dados: PROP SYSTEM CATA DESI DICT PADD ISOD . Isso faz com que o sistema seja mais eficiente. Além de informações alfa-numéricas o projeto é representado em um ambiente 3D e todos os elementos geométricos são armazenados no banco de dados com seu dimensional. pois qualquer desenvolvimento só tem como objetivo o próprio PDMS. O Banco de Dados do PDMS é proprietário. O PDMS trabalha com diferentes tipos de banco de dados. mas por outro lado caracteriza-se por ser um sistema fechado o qual não possibilita interface com outros produtos de mercado como Office ou sistemas CAD. Neste banco de dados são armazenadas todas as informações necessárias para o projeto e construção de plantas industriais. ele não se utiliza de um banco de dados de mercado como Oracle ou SQL Server da Microsoft.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. isto é. posição na planta e orientação. estes estão em um disco do servidor. Temos vários arquivos de banco de dados que podem ser de diferentes tipos.

Spooler Módulo usado para criar spools de tubulação. . arquitetura. podemos separar estes módulos em grupos: Módulos de Projeto Design É o principal módulo do sistema. tubulação. bandejas. é construído completamente fiel dimensionalmente através do uso de padrões e especificações designadas para o projeto. Cada módulo é parte integrante do software e não um produto a parte. Considerando ainda a função de cada módulo dentro de um processo de projeto de instalações industriais. concreto. eletrodutos. Permite o projetista quebrar linhas de tubulação em partes lógicas (spools) a fim de facilitar a fabricação destes trechos e serem levados diretamente para o campo. É o módulo no qual a maquete do projeto é construída. estruturas metálicas. incluindo equipamentos. Todo o projeto. principalmente se olharmos com o ponto de vista de elaboração do projeto. dutos.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. etc. 0 Ago/08 5 de 23 Módulos PDMS é dividido em diversos módulos.

e todas estas informações possuem links diretamente com o modelo 3D. Todos estes documentos podem possuir tags.PDMS Módulos de Desenho TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. provoca uma atualização no desenho onde aquela informação é mostrada. arranjo de instrumentos. dimensões. notas. . etc. cortes. de bandejas. vistas Axométricas. etc. 0 Ago/08 6 de 23 Draft É o módulo de produção de desenhos 2D como Layout de equipamentos. Estas informações em forma de textos são “inteligentes” de forma que qualquer alteração no modelo 3D. Qualquer alteração do projeto (modelo 3D) também será atualizada nos desenhos. arranjos de tubulação.

É possível configurar a aparência e conteúdo de acordo com a necessidade de cada projeto. etc. tags. lista de materiais. referências. 0 Ago/08 7 de 23 Isodraft É o módulo responsável pela produção de isométricos para: • Tubulação • Bandejas • Eletrodutos • Dutos Este desenhos podem ser completamente supridos de cotas. .PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. lista de spools.

descrição do elemento. Na realidade tem o mesmo significado que especificações em um projeto desenvolvido de forma convencional. sendo aqui a definição de quais bancos estarão se comunicando. um conjunto de atributos padrão e já suprido no PDMS. a responsabilidade de cada time ou usuário. os times que trabalharão no projeto. etc.). parafusos. tem-se dados de conectividade. . Lexicon Cada elemento dentro do Banco de Dados possui. etc. 0 Ago/08 8 de 23 Módulos de Padronizações Padronizações no PDMS são divididas em Catálogos e Especificações. dados de fluídos. dados físicos de materiais para flexibilidade. o peso de cada elemento de tubulação. É comum que em determinado projeto algum atributo adicional seja necessário. etc. Specon É o módulo responsável pela construção das especificações do projeto. Podemos assimilar como catálogo o conjunto de componentes que encontramos no mercado e que podemos armazenar no nosso banco de dados com todas as dimensões e características de engenharia. etc. flanges. As propriedades aqui definidas são relacionadas a cada componente dentro de cada especificação. O módulo Lexicon tem a função de criar novos User Defined Attributes (UDA) (:NomeDoAtributo) e associar ao tipo de elemento desejado. Juntamente com a definição geométrica do componente e eventual reserva de espaço para manutenção e/ou operação. Módulos Administrativos Admin É neste módulo que se estrutura o projeto considerando as áreas físicas e/ou de processo. O relacionamento entre os diversos bancos de dados é realizado com este módulo. Paragon Usado para gerar e modificar elementos de meu catálogo. Essa construção é facilitada através de uma interface 3D a qual representa fielmente os componentes da minha biblioteca. suportes de tubulação. Propcon Criar e modificar o banco de dados de propriedades de materiais. os componentes que poderão ser usados no meu projeto. peças para bandejas. quando necessário a fim de corrigir eventuais inconsistências dos bancos de dados.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. descrição de materiais. É nossa biblioteca de componentes de tubulação (curvas. etc. elementos padronizados para equipamentos como bocais. por default. perfis estruturais. os usuários (projetistas) que terão acesso ao projeto. por exemplo. Especificações são elementos no PDMS que selecionam do meu catálogo. Neste módulo também se efetuam tarefas de manutenção preventivas e corretivas. válvulas.

PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. MDB A sigla MDB significa Multiple DataBase. se estes dois bancos estiverem fazendo parte do mesmo MDB. Por exemplo se tivermos um projeto de nome XXX. Por exemplo. em 4 diretórios. . SAM (Sample) e MAS (Master). isto é. se relacionar para que os profissionais possam efetuar suas tarefas. MDB é um conjunto de bancos de dados e deve ser criado e mantido pelo administrador do PDMS. que é armazenada em um banco de dados do tipo CATA. um projetista efetuando o modelamento de tubulação. Um projeto poderia. no mínimo. Um projeto em PDMS é armazenado. se não houvesse interface entre elas. em um servidor e distribuído. Isso seria útil somente para grandes projetos. com um grande número de projetistas trabalhando juntos. normalmente. Um projeto pode ter vários MDB’s com diferentes propósitos e estes podem conter até 300 bancos acessíveis. isto é. portanto usando um banco de dados do tipo DESI. possuir um MDB para cada área física. 0 Ago/08 9 de 23 Projetos Todos os projetos em PDMS são identificados por 3 letras. Quando um projetista inicia o trabalho no PDMS ele deve escolher qual o MDB que vai usar para efetuar seu trabalho. teríamos os seguinte conjunto de diretórios: XXX000 armazena todos os arquivos de bancos de dados do projeto XXXISO armazena subdiretórios e arquivos necessários para a geração de Isométricos XXXPIC armazena arquivos de imagens que representam os desenhos 2D gerados no módulo DRAFT XXXMAC armazena macros (scripts) gerados automaticamente pelo PDMS a fim de fazer conexões lógicas entre diferentes banco de dados (???) Juntamente com o software são fornecidos 2 projetos. Este elemento no projeto tem a função de agrupar os bancos de dados que deverão “se enxergar”. por exemplo. somente poderá usar uma especificação de tubulação.

. na realidade não é isso que ocorre). o banco de dados do PDMS deve possuir uma estrutura básica de hierarquia. 0 Ago/08 10 de 23 Estrutura Interna do DB tipo DESI Para que o projetista possa desenvolver seus trabalhos.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. criar os elementos 3D do projeto. isto é. isto é. subpastas e arquivos em um disco de computador (somente como similaridade. semelhantes a pastas. temos pais e filhos. O PDMS usa banco de dados hierárquicos.

dependendo do que vamos projetar/modelar. ZONE. ZONE. ninguém conseguirá criar um elemento to tipo EQUI se antes não for criada uma estrutura com SITE-ZONE. STRU-ZONE. Pela figura acima percebemos que. isto é. os demais são primitivos geométricos ou elementos de catálogo os quais nos dão realmente a visualização do projeto em 3D. uma estrutura hierárquica diferente é aplicada e isto é importante que seja memorizada. Da mesma forma esta relação vale para PIPE. BRANCH-PIPE. Todo elemento pode ter um nome associado. SITE. Os elementos WORLD. Respeitando a hierarquia apresentada acima.SUB-EQUI. mas todas as regras são aplicadas e referenciam os tipos de elementos de banco de dados. que possuem uma representação gráfica. 0 Ago/08 11 de 23 É importante que lembremos e sempre usemos os tipos de elementos como referência. Da estrutura acima existe ainda uma classificação a qual define elementos administrativos do banco de dados. ZONE-SITE. PIPE. por exemplo: WORLD. Para nosso treinamento é interessante destacar e exemplificar esta hierarquia aplicada para tubulação e equipamentos: .PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. Nesta relação devemos dizer que EQUI é “Member” de ZONE e ZONE é “Owner” de EQUI. SITE e ZONE são comuns a qualquer estrutura de projeto e daí vai se alterando de acordo com a finalidade do que vamos projetar. EQUI. FRAMEWORK. já que EQUI deve ser “member” de ZONE. FRAMEWORK-STRU. estes nos servem para organizar nossa hierarquia e são eles. BRAN. etc. etc.

0 Ago/08 12 de 23 .PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV.

o PDMS associa diferentes atributos. apesar de que alguns podem ser comuns para diferentes tipos. seja geometricamente o que é visualizado em tela. através de atributos dimensionais em ou termos de dados de engenharia. Para cada tipo de registro. VALVE. isto é tipo EQUI. STRU. O próprio TYPE é um atributo do elemento! Assim como o nome que é nossa TAG. por exemplo. tipo ZONE. primitivos. tipo SITE. o nome é importante false (o elemento não está bloqueado para alteração) o nome do seu “pai” ou proprietário N 0mm E 0mm U 0mm (com relação a origem do seu proprietário) Y is N and Z is U (com relação a orientação do seu proprietário) 0 10 (faixa na qual o elemento é classificado para nível de representação) pode ser 0 – não causa interferencia 1 – causa interferência soft (reservado) 2 – causa interferência hard (física) diâmetro em mm altura em mm Diameter Height . a especificação de tubulação aplicada à determinada PIPE (linha de tubulação). primitivos geométricos possuem atributos dimensionais: Um cilindro (Cylinder) possue os seguintes atributos: Type Name Lock Owner Position Orientation Level Obstruction CYLI dependendo do tipo. Todo elemento no PDMS é definido através de seus atributos. como.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. PIPE. 0 Ago/08 13 de 23 Atributos Como todo Banco de Dados. o PDMS agrega atributos a cada um de seus registros ou elemento do DB. Por exemplo. etc.

0 mm Zone Cyli E 1100 mm N 500 mm U 200 mm World /* E0 mm N0 E . Considere a figura abaixo: N E 3. A posição é sempre dada na origem de cada elemento. por exemplo: Quando questiono a posição ou orientação de um elemento no PDMS.000 mm U 2.000 mm Site E 8. este por default irá me retornar os valores em relação ao seu proprietário.000 mm N 2.000 mm N 8. Primitivos geométricos possuem pontos pré-determinados como origem.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. Posição e orientação de um elemento no PDMS sempre se referem ao seu proprietário.000 mm Equi E 4.000 mm U 1. 0 Ago/08 14 de 23 Position e Orientation Estes atributos merecem especial consideração com relação ao seu conceito no PDMS.000 mm U 0.000 mm N 10.

sempre afeta o elemento corrente (CE). pois isso pode ocasionar grande confusão no momento que necessitamos editar um elemento. 0 Ago/08 15 de 23 De acordo com o esquema acima. seja para questionamento ou para edição. Se. por default. Para que possamos ter a posição de um elemento. a distância do elemento em relação à origem do seu proprietário. se quisermos mover determinada distância e os eixos estiverem diferentes daqueles apresentados acima. Todos os atributos de um elemento podem ser apresentados de uma única vez se usarmos a sintaxe na linha de comando: Q ATT . Por exemplo. aquele que estou posicionado no banco de dados. pois a movimentação será obedecendo aos eixos do proprietário e não do projeto (World). posicionado na Site. questionando: Q POS WRT /* teríamos: Position E 15000 N 20000 U 3000 As mesmas regras se aplicam para orientação de elementos. Para questionarmos qualquer atributo no PDMS basta usarmos a sintaxe: Q <nome do atributo> Toda ação. o qual representa uma hierarquia básica para a construção de um equipamento. teríamos os valores representados na respectiva caixa de texto de cada elemento. isto é. as posições anotadas se referem. executando: Q POS Teríamos: Position E 8000 N 10000 U 0 E assim para cada elemento da figura. mas em relação a outro que não seja o proprietário poderíamos usar: Q POS WRT SITE Q POS WRT /<nome do elemento> Neste caso se estivéssemos posicionados no EQUI. A orientação padrão no PDMS é: Y is N and Z is U (consequentemente X é E) Não é aconselhável termos orientações diferentes desta. Por padrão o World possui a orientação principal do projeto. mas um elemento pode estar rotacionado em relação a esta orientação. podemos cometer erros.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV.

conforme a figura acima. algumas telas do MSDOS executarão configurações de ambientes e em seguida você verá a tela para efetuar o Login no PDMS. todos os demais dados. Pressione OK e você verá a tela conforme a figura a seguir: .PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. Da mesma forma que o campo Project escolha. exceto Password que você precisará digitar SAMPLE. Disparando esta ícone. 0 Ago/08 16 de 23 Iniciando o PDMS Para dar inicio ao PDMS usaremos a ícone que existe no seu DeskTop com o nome “PDMS SP SP-4. NUNCA FECHE QUALQUER UMA DESSAS JANELA MSDOS!!! Logging in Digite o nome do Projeto “SAM” ou selecione da lista que aparece quando você clica sobre a seta ao lado do campo Project.

Usando o Design Explorer O Design Explorer apresenta a estrutura do banco de dados do projeto. 0 Ago/08 17 de 23 Mostra o modulo atual do PDMS e sua respectiva aplicação Main Menu Bar Área dos menus principais. Se você clicar com o botão da direita do mouse nesta região você tem um menu para controlar o modelo apresentado.PDMS Title Bar TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. ou seja “Owner”. . Main Tool Bar Esta área oferece vários ícones e menus do tipo drop-down que são atalhos para os comandos mais usuais. Os elementos obedecem a uma estrutura de Pai-Filho. Para navegar pelos elementos de projeto você pode selecionar desta “árvore” ou clicar diretamente no elemento na tela gráfica 3D View Esta é a região do software que você visualize o banco de dados graficamente. mas todos os elementos possuem seu Pai. Design Explorer Esta parte mostra sua posição no banco de dados do PDMS. Alguns elementos podem possuir filhos. Status Bar Apresenta informações sobre o status corrente da operação em andamento. ou seja. Você pode posicionar ou minimizar estas janelas a qualquer momento para facilitar o trabalho. representado por “/* “ o qual é o elemento mais alto da estrutura do Banco de Dados. A terminologia típica para os elementos deste tipo de banco de dados é: Owner – seria o Pai imediato de um elemento. exceto o elemento “World”. Members – são os filhos de um elemento. “Members”. assim como toda a estrutura de elementos do PDMS que você tem no projeto.

Rotate. Aplicar Limits para o Current Element. respectivamente. Aplicar Limits para todo Drawlist. Manipular o Drawlist da janela de Members. Rotate. Manipulação da janela gráfica Siga as instruções do coordenador do treinamento para efetuar as seguintes funções: • • • • • • • • • • • • Navegar pelo banco de dados utilizando a janela do Design Explorer. 0 Ago/08 18 de 23 Para expandir ou reduzir uma ramificação da árvore. Manipular a janela gráfica com Zoom. este elemento é chamado de “Current Element” ou simplesmente “CE” Você pode adicionar elementos da estrutura da arvore do banco de dados para a janela gráfica. com o mouse. Centralizar a rotação em um elemento. Toda operação que fazemos no banco de dados PDMS se refletirá no elemento selecionado. Selecionar as unidades de medida do PDMS Usar o comando para “tirar” medidas . etc. Usar a janela de Clipping. Pan. simplesmente arrastando com o mouse o elemento desejado. Manipular o Drawlist do Design Explorer. desta forma todos seus Members serão representados em 3D. clique nos botões “+” ou “-“. Navegar pelo banco de dados utilizando a janela de Members. Pan. etc. Se você parar com a seta do mouse sobre um elemento da estrutura será apresentado um tag com as informações principais do elemento.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. Manipular a janela gráfica com Zoom. com o teclado.

de acordo com a janela acima. mas estão em um nível de representação diferente daquele que nosso ambiente está ajustado para visualizar.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. Para isso use a opção Settings>Graphics. é necessário alterar a forma de representação do modelo. e na janela que se abriu selecione a guia Representation: Todos exercícios que realizaremos consideram os ajustes conforme a figura acima. quando criamos. Além dos elementos que podemos ver.. para uma eventual verificação de interferências. somente veremos elementos geométricos que foram criados com Representation Level (que é uma faixa) que compreenda o nível 6. guarda-corpos e outros elementos. plataforma. cada primitivo geométrico é classificado como “Others” e então. Para enxergarmos toda interferência que será considerada. 0 Ago/08 19 de 23 Ajustando Drawing Representation Levels Todos os elementos que são criados no PDMS podem incorporar volumes de interferência além daqueles que podemos ver diretamente no modelo 3D. altere o valor do campo para um número desejado e pressione o botão Apply. . existem outros que estão criados. Para o caso de escadas.. Podemos ver a representação dos demais elementos que foram criados e não estamos enxergando. para isso.

PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV.4) e então lança a distância a partir Snap mais próximo ao clique do mouse em direção ao outro Snap possível. de acordo com o valor indicado na caixa de texto (valor decimal que representa percentual) (Fig. Proportion: mede proporcionalmente a distância entre dois pontos. Pode-se usar valores positivos e negativos (Fig.2) Mid-Point: Localiza o ponto médio entre os dois pontos “Snaps” possívieis (Fig.1) Distance:Aplica um valor Offset. 5) Intersect: Encontra o ponto de intersecção de dois elementos do display e/ou do banco de dados (Fig. indicado na caixa de texto. a partir do ponto mais próximo (snap) do clique do mouse. 0 Ago/08 20 de 23 Anexo I Tipo de Elemento a ser selecionado Element: Qualquer elemento sólido e/ou representado como Elemento do banco de dados Aid: elementos auxiliares gráficos.6). . que servem somente para orientação geométrica Pline: Linhas longitudinais em perfis metálicos ou de concreto Ppoint: pontos chaves posicionados em locais estratégicos de primitivos geométricos Screen: usa qualuer posição do display que você clicar Graphics: disponibiliza a seleção de pontos geométricos dos elementos de bando de dados e graficamente representados Método de seleção do Elemento Snap: Seleciona o ponto mais próximo do clique do mouse (Fig. não de banco de dados. Cursor: Coloca o ponto exatamente no ponto selecionado do elemento selecionado.3) Fraction: Divide a distância entre os Snaps possívies pelos núemros de partes indicado na caixa de texto (Fig.

0 Ago/08 21 de 23 Fig.2 Fig.PDMS Fig.3 .1 TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV.

4 Fig.PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV. 5 Fig. 0 Ago/08 22 de 23 Fig. 6 .

0 Ago/08 23 de 23 .PDMS TREINAMENTO PDMS INTRODUÇÃO REV.