You are on page 1of 6

C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS

1

CIRCUITOS ELÉTRICOS CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS Neste tópico serão estudados dois novos elementos simples e passivos, capazes de armazenar e fornecer quantidades finitas de energia. 1. INDUTOR É um componente de circuito que consiste de um fio condutor normalmente em forma de bobina, cujo núcleo pode ser ar ou qualquer material não-magnético, ferro ou ferrite. - Indutores com núcleo de material não magnético ou ar (µ = constante): utilizados em rádios, TVs e circuitos de filtragem. - Indutores com núcleo de ferro: usados em filtros e sistemas de potência. - Indutores com núcleo de ferrite: usados em aplicações de alta-freqüência. µ = permeabilidade do material (H/m) Experimentalmente descobriu que um condutor conduzindo corrente produz campo magnético. Um campo magnético variante produzia uma tensão que era proporcional à taxa de mudança da corrente que produzia o campo di magnético, ou seja: v = L dt A constante de proporcionalidade é chamada de indutância e sua unidade é Henry(H) e seu símbolo:

Figura 1 2. RELAÇÕES INTEGRAIS PARA O INDUTOR A indutância foi definida por uma equação diferencial: v = L
di dt 1 v.dt L

Escrevendo-a de uma forma ligeiramente diferente, obtemos: di = e a corrente i(t) vale: i (t ) = instante to.
1 t v.dt + i (t 0 ) L ∫t0

onde i(to) = corrente no indutor no

A potência absorvida pelo induto r é dada pelo produto corrente-tensão. di p = v.i = L.i dt A energia armazenada em um indutor no instante t em que sua corrente é i t t i( t ) di 1 2 2 é dada por: p.dt = L ∫ i. dt = L ∫ i.di = L [i ( t ) ] − [i (t 0 ] ∫t0 t0 i( t0 ) dt 2 1 2 2 Onde obtemos: wL ( t ) − wL ( t 0 ) = [i (t ) ] − [i (t 0 ) ] J 2

{

}

{

}

apenas armazena . papel impregnado com óleo ou cera.Um capacitor ideal nunca dissipa energia. .i 2 Um indutor é capaz de armazenar energia de um campo magnético. a resistência elétrica do enrolamento da bobina.C. mica. Existem diferentes tipos de capacitores. CAPACITOR É um componente que consiste de duas superfícies condutoras separadas por um material dielétrico.dt C onde v(to) = tensão no instante tº A capacitância poderia ter sido definida como q = C. A capacitância C é definida pela seguinte relação entre corrente e tensão: dv i =C dt e cujo símbolo Figura 2 A tensão num capacitor pode ser expressa por: dv = que pode ser escrita por: v (t ) = 1 t i. dt .v { } { } Um capacitor é um circuito aberto para corrente contínua.dt = C ∫v (t0 ) v. vidro ou cerâmica).Um capacitor real dissipa energia.i = C. temos: wL ( t ) = 3.v 2 2 A potência fornecida ao capacitor é: p = v. temos: wC ( t ) = . Um indutor ideal é considerado um curto-circuito para corrente DC (corrente contínua) Um indutor real apresenta além da indutância. . por esta razão a energia armazenada dissipa rapidamente. isopor. ∫t0 p. através de resistência interna porém muito menores que a resistência do indutor real portanto a dissipação de energia ocorre lentamente.dt = C ∫t0 v. cuja classificação é feita em função do dielétrico (ar.dt + v (t 0 ) C ∫t0 1 i.dv = 2 C [v (t) ] − [v (t0 )] Adotando a referência zero de energia em to o que implica também 1 v(to) = 0. então: 1 2 2 wC ( t ) − wC ( t 0 ) = C [v (t ) ] − [v (t 0 ) ] 2 t t v ( t) dv 1 2 2 e assim.C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS 2 - 1 2 L. mylar.v dv dt A energia armazenada no campo elétrico é. vácuo. Considerando que i(t0) = 0 e WL(to) = 0.

.1. + v N = L1 a indutância equivalente é: Leq = L1 + L2 + .. temos: v s = Leq dt v s = v1 + v 2 + .. em to as duas integrais devem ser iguais. + L N 1.2.. Indutores em série Figura 3 Para o circuito da esquerda: di di di di + L2 + .... então 1 Leq = 1 1 1 + + .. + LN = ( L1 + L2 + .dt + i s (t 0 ) Leq ∫t0 Como a lei de Kirchhoff exige que is (to) seja igual à soma das correntes dos ramos.. 1 t temos: is = v. Associação de indutores..dt + ∑ i n (t 0 ) n =1 n =1  Ln 0 n =1   n =1 Ln  0 e comparando-a com o resultado para o circuito equivalente da figura da direita.. + L N ) dt dt dt dt Que pode ser escrito de modo mais reduzido. Indutores em paralelo ou Leq = ∑ Ln n =1 N Figura 4 A associação paralela de um certo número de indutores é obtida escrevendo-se a equação nodal para o circuito da esquerda.. + L1 L2 LN L .. ASSOCIAÇÃO DE INDUTORES E CAPACITORES 1. N N N 1 t  N 1  t i s = ∑ i n = ∑  ∫t v.dt + i n (t 0 ) =  ∑  ∫t v.. N N di di N v s = ∑ v n = ∑ Ln = ∑ Ln dt dt n=1 n =1 n =1 di Mas. 1. Leq = 1 2 L1 + L2 . para o circuito equivalente da direita.L Para o caso especial de dois indutores em paralelo.C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS 3 4.

os circuitos abaixo permitem-nos estabelecer o valor da capacitância que é equivalente a N capacitores em paralelo como sendo: Ceq = C 1 + C 2 + C 3 + .. .. 1 Ceq = 1 1 1 + + . + C N Figura 6 Portanto: 1) os capacitores em série associam-se como resistores em paralelo.. 2.1 Capacitores em paralelo Analogamente.. + C1 C2 CN 2...dt + v n (t 0 )  = ∑  ∫t i.C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS 4 Portanto: 1) Indutores em série se associam exatamente como resistores em série. obtemos: N N N  1 t  N 1  t v s = ∑ v n = ∑  ∫t i.dt + vs (t 0 ) Ceq ∫t0 A mesma lei estabelece a igualdade entre os vs (to).. Capacitores em série.1.. 2) Indutores em paralelo se associam exatamente como resistores em paralelo.dt + ∑ v n (t 0 ) n =1 n =1  Cn 0 n =1   n=1 C n  0 1 t vs = i . Associação de Capacitores 2. e Figura 5 Aplicando a lei das tensões de Kirchhoff para os dois circuitos.. e 2) os capacitores em paralelo associam-se como resistores em série.

Duais exatos: Se cada equação de malha de um dos circuitos for numericamente idêntico à correspondente equação nodal do outro. temos: v1 dv v 1 t 1 t + C2 1 + ∫ v1 dt − 2 = ∫ v s dt − i L (t 0 ) R dt L t0 R L t0 v v dv dv − 1 + 2 + C1 2 = C1 s + i s R R dt dt Estas equações são chamadas equações diferenciais-integrais. Procedimentos para determinação do circuitos duais 1 Elementos comuns às duas ⇒ Elementos comuns aos 2 respectivos malhas nós 2 Elementos próprios de um nó ⇒ Ligar entre o nó e o nó de referência 3 Intensidade da fonte de tensão ⇒ Fonte de corrente com a mesma com sentido horário intensidade e com sentido saindo do nó de referência 4 Resistência ⇒ Condutância de mesmo valor numérico 5 Capacitância ⇒ Indutância de mesmo valor numérico .C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS 5 Aplicação das Leis de Kirchhoff em circuito RLC Seja o circuito da figura 7 Figura 7 Com a escolha das tensões de nós. as variáveis tensão e corrente não podem evidentemente. ser idênticas. a soma das correntes que saem do nó v1 − v 2 dv1 1 t central (v1) vale: ∫t0 (v1 − v s )dt + i L (t0 ) + R + C 2 dt = 0 L d (v 2 − vs ) v 2 − v1 No nó à direita vale: C1 + − is = 0 dt R Reescrevendo as duas equações. cujas soluções serão determinadas oportunamente. utilizando novos conceitos e técnicas DUALIDADE Dois circuitos são duais se a equação de malhas que caracteriza um deles tem a mesma forma matemática que a equação nodal que caracteriza o outro.

C E 5 CIRCUITOS ELÉTRICOS – CIRCUITOS COM CAPACITÂNCIAS E INDUTÂNCIAS 6 6 Indutância 7 Termos série 8 Termos paralelo Exemplos de circuitos duais a) ⇒ Capacitância de mesmo valor numérico ⇒ Termos em paralelo ⇒ Termos em série Figura 8 o dual exato Figura 9 O dual deste circuito pode ser construído diretamente a partir do diagrama do circuito. Figura 10 .