História do francês

Ofrancês antigo (ancien français) é o término que usavam muitos lingüisticos para referir se a língua francesa ao redor do ano 1300. O texto mais antigo en francês é o juramento de estrasburgo do ano 842. Com as "chansons de geste", que contavam histórias sobre Carlomagno e as cruzadas, começou a hisoria da literatura francesa. Em 1539, o rei Francis I criou uma lei, conhecida como a ordenança de Villers-Cotterêts, que mandava sustituir o latim pelo francês nos temas administrativos e judiciais. Esta língua se chamou "moyen français", o francês medio. Lhe seguiu um processo de unificação , regulação e purificação da línguagem que criou o "Français classique" o francês clássico. A língua francesa que vai desde o século XVII até a atualidade é o que denominamos "Modern French" o francês moderno. A Academia Francesa foi uma organização oficial que criou Richelieu em 1634 com a intenção de definir a forma pura do francês. A academia contava com 40 membros, apodados os inmostais, que expresavam suas opiniões sobre casos como a adaptação de palavras extranjeiras. e graças ao trabalho da Academia exitem várias palavras inglesas que se adaptaram ao francês da seguinte maneira: software se traduz como logiciel, paquebote (Nau) se diz paquebot e chaqueta de montar, redingote. A palavra ordinateur para computador não se criou na Academia e sim que foi resultado da llingüistica. Desde os séculos XVII, XVIII e XIX, o francês foi uma línguaque teve muito prestigio, era reconhecido como língua da elite cultural europeia, foi especialmente importante para a literatura e a arte. Os monarcas Federico II de Prusia e Catalina a Grande de Russia podiam falar e escrever em francês. A língua francesa oficial é o resultado do controle da Academia, a educação pública e os meios de comunicação . A pesar disso, hoje em dia segue havendo diferentes dialétos do francês. Para alguns críticos, a melhor pronunciação do francês é a da regão de Touraine (ao redor de Tours e o vale de Loire), mas o aumento dos meios de comunicação e a diminuição de ataduras a um território determinado, fazem que o futuro dos sotaques regionais seja muito difícil de predizer.

http://www.escolafrances.com/ptfrench3/history.asp

Francês
O Francês é uma língua romântica, pertencente à subfamília itálica que, por sua vez, pertence à família indo-européia. É falada por cerca de 265 milhões de pessoas na França, Bélgica, Luxemburgo, Canadá, Suiça, Itália, Estados Unidos, Líbano, Guiana Francesa, Madagascar, África norte-ocidental, ilhas no Oceano Índico, Haiti e outras ilhas caribenhas, Indochina e territórios franceses no Pacífico.

A língua francesa descende do latim e seu primeiro registro data de 842 D.C., no Juramento de Strasbourg. Antes disso, o latim era a língua utilizada na literatura da Europa. Entre os séculos 10 e 11,

isto é. trazida por soldados e mercadores. Antilhas…). onde mantém hoje o caráter de língua oficial (Canadá. acelerando a sua evolução no séc. posteriormente influenciada pelas invasões bárbaras. a sua atual unidade está ligada à ideologia da Revolução Francesa (e em particular à aspiração de unidade sentida pela I República). Os dialetos da langue d'oïl receberam o nome das províncias setentrionais nas quais eram falados: frâncico. ao norte do rio Loire. O francês moderno é a forma derivada diretamente do dialeto da Île-de-France. sim. começaram a evoluir duas línguas diferentes: a langue d'oïl. utilizada por uma importante escola de poetas e trovadores. ao fato de coincidir precisamente com um dos momentos altos da literatura francesa – o Classicismo do séc. por ter sido imposto em numerosos territórios. dado que essa língua do ramo celta.C. Algum do seu prestígio deve-se. Porém.) e à adoção do latim vulgar. Com a conquista do território por Júlio César. por força do prestígio da Corte e da influência exercida na região parisiense da Île-de-France. e em particular pelos Francos. publicada por volta de 1200. História da língua francesa Panorama geral: das origens ao século XXI (principais referências) Os primeiros habitantes da França foram os gauleses. o gascão. de tradição oral. IX d. o idioma alcançou o ponto culminante de sua história. Esta língua. pictavino (Poitou) e borgonhês. convertendo-se em língua internacional da Europa. o latim havia sofrido numerosas modificações devido à invasão dos povos bárbaros de origem germânica e à adoção de palavras gregas.. aos movimentos migratórios e à influência dos meios. bem como à defesa da instrução pública obrigatória (séc. No século VII. altura em que os falantes reconhecem finalmente não mais falarem latim. um povo celta. XVI).a língua francesa aparecia em documentos e escritos religiosos. Os principais da última língua mencionada são o provençal. A consciencialização da sua existência torna-se evidente a partir do renascimento cultural do reinado de Carlos Magno (séc. na fundação da Académie Française (1635). Paradoxalmente. o auvernês. XIX). o lemosino e o bearnês. um povo celta. No início do século XVII. em detrimento de outras variedades ou dialectos. posteriormente à conversão de Clóvis I. picardo (Picardia). região de Paris. a divulgação de uma língua em escala mundial– e o francês não é exceção – tem normalmente por consequência a sua desintegração. normando. Ásia. Da mesma forma. as tribos gaulesas abandonaram a língua celta e adotaram o idioma das legiões romanas.). sobretudo no âmbito diplomático e científico. mas “outra coisa”. é uma situação que favorece os contatos entre línguas. Île-de-France. o languedociano. O grande trabalho da literatura franesa foi ' Chanson de Roland' (Canção Roland). o „latim popular‟. se estendeu a todo o território francês. responsável pelo menos pela uniformização do francês escrito. . XVII – a fixação da língua francesa sob uma série de normas e de regras de caráter marcadamente gramatical e etimológico. É importante salientar que o francês se caracteriza pela sua difusão colonial. isto é. François de Malherbe triunfou ao definir uma norma exata para usar palavras francesas em suas obras poéticas e críticas. o francês difere do português por ser um patois.C. Um passo decisivo para a reforma foi a compilação do „Dicionário‟ patrocinado pelo cardeal Richelieu no século XVII. criado a partir do ideal de Vaugelas de bel usage. o francês não é um prolongamento do gaulois. conceito que pretende abarcar todos os territórios e falantes de língua francesa. consagradas na popular expressão le bon usage (du français). Aliado à globalização. foi também chamada de provençal. Durante o reinado de Luís XIV. em particular sob o reinado de François I (séc. Durante a alta Idade Média. este fenômeno influencia as diferentes variedades da língua francesa. Os primeiros habitantes da França foram os gauleses. mas a literatura francesa só começou efetivamente no entre os séculos 12 e 13. por outro lado. que. XXI. um dialecto ou uma variedade regional (termo sem qualquer conotação desprestigiante. pelo menos em Linguística). Desta disseminação nasceu a noção de francofonia. mas também e sobretudo uma língua românica. no século I a. África. sobretudo fora da Europa. A sua disseminação acompanha a do cristianismo. O francês é uma língua indo-europeia. ao sul. De cada uma delas originaram-se vários dialetos. cujo primeiro efeito foi o desencorajar de outros dialetos (ou patois).C. não sobreviveu à conquista romana por Júlio César (50 a. Por outro lado ainda. nas suas origens. Vale ressaltar que. e a langue d'oc.

Paris. . a França se tornou um sinônimo de vanguarda e experimentalismo que transformou a sua capital. A Guerra dos Cem Anos e os vários conflitos religiosos aparecem na construção de um governo francês limitado pela força do poder real. a incursão dos povos germânicos no Império Romano do Ocidente foi responsável pela consolidação de uma série de práticas culturais e instituições políticas que definiram o nascimento de uma nova configuração na antiga região da Gália. que. Nesse período. logo depois. a formação das monarquias nacionais empreende uma série de guerras onde a organização de um Estado forte e centralizado começa a tomar força. Não por acaso. A influência da cultura francesa alcançou tal ponto. o território francês foi um dos lugares onde as práticas feudais tiveram maior presença em toda a Europa. Nessa época. o privilégio da classe nobiliárquica se estendeu durante muito tempo e ainda preservava alguns resquícios no século XIX. o reino dos Francos estabeleceu a mais influente monarquia de toda a Europa Medieval. A associação entre Estado e Igreja foi uma prática que caracterizou o reino medieval franco. apesar dos seus limites. abalaram a hegemonia monárquica europeia e.Legenda: Azul Escuro: Língua materna Azul: Língua administrativa Azul Claro: Segunda língua Quadrado verde: Minoria francofônica Civilização Francesa A ideia de uma civilização francesa remonta ao processo de fusão entre as culturas romana e gaulesa durante a Antiguidade. ocorrida entre os séculos IX e X. Na Era Moderna. Durante um bom tempo. fez com que o poder dos senhores feudais tivessem grande importância. permitiram o desenvolvimento dos levantes que encerram a ordem colonial em terras americanas. na histórica Cidade Luz. na chegada do século XVIII. os franceses viveram um processo revolucionário capaz de transformar a feição de meio mundo. A famosa Revolução Francesa instituiu ideais políticos que. Do ponto de vista histórico. A dissolução desta monarquia. as dinastias e imperadores deste reino contribuíram para o estabelecimento do cristianismo pela Europa. contrariando o forte processo de descentralização política da época. Na Idade Média. nas primeiras décadas do século XX. a importação de seus modismos e costumes teve amplo espaço nos grandes centros urbanos brasileiros. ao mesmo tempo. a crise do regime absolutista. Estabelecendo a passagem da Idade Moderna à Contemporânea. a França viveria o auge e. Ao fim.

C .dado. Ivete.que. I . Walter. é . W . y: como em "vida" o: átono.(som de “i”).ecológico. às vezes. Washington.voto.çê ou ço . X .(som de “u” ou “v”). R . denotam sons vocálicos: a: como no português "caso" ai: mais frequentemente como em "terra". dani.bom.ü ou ů . meu. tapa. mês. H . tônico.aqui. E .dor. abdicar.jê ou guê .Alfabeto Francês                           A . carro (nunca como em /faria/irene).ê .ji ou jê .por. D . pedra. .Ana. o É .ô . aberto. vai. pepe. o Au . ocasionalmente. conforme a região. i e u. B . vamos.ka ou kê .ô .já.ikç . o œ .ér ou rô .a . Z . Em diversas posições.éf .xícara.u . hoje. Pronúncia da Língua Francesa Vogais A E I O U Y. eau. pode ocorrer como em "mês" au: como em "dor" e: exceto nos casos abaixo. O . como em "pote" œ. Q .hotel. ambiente.é (som fraco. porque.casa. fixo. e pode ser considerada como muda. F .dublevê .face. jesus.vê ou vô . tenta-se pronunciar o "e" aberto (é em português) ou: como em "nuvem" u: os lábios na posição de dizer "u". jeca. L .i . azeite.asa.Som de transição entre “u” e “i”. pulo. representa um som fraco.i grék . P .som de transição entre “ô” e “é”. vida.Casa.pato. tenta-se pronunciar o "e" fechado (ê em português).ei.rato.tudo. selva.ên ou nê . oe: os lábios na posição de dizer "ô. e antes de dupla consoante: como em "terra" eu: os lábios na posição de dizer "ô". carro.zebra.cor.zéd .el ou lê . Galês. K .kú ou kô . tenta-se dizer "i" Notas: eu pode ser obtido mantendo-se o som de "ê" e fechando os lábios para a posição de "ô".pê ou Pô . G . S . como œ (ver abaixo) i. ie e ue equivalem a au. assim.acr ou ê . respectivamente. navio. V . mudo) . semelhante ao "a" em final de palavra em português (como em "porta") é: como em "mês" è. fado. gado.sábio.bê .ter. como em "dor". J .tabua.lado.medo.mundo. M . da mesma forma para oe e u.éç ou çô . o Ai . o Ou . revelar. tende a ser fechado.deve. o È . N . pede. T .algumas vezes ê . mais. ei. tablete. sozinhas ou em grupos. índio. sabe.êm ou mê . duda.é .tê ou tô . Y .dê ou do . sabe.pode. pode. final. U .

a vogal seria seguida por um s: pâte pasta.O acento circunflexo (^) aparece em situações em que. s. en. geralmente inglesa (como em whisky. O primeiro se expressa por an. equivalente a -ção. g. commun. Nasais Há três vogais nasais em francês. Consoantes dobradas têm o mesmo valor das simples. un. abîme abismo. f. exceto no dígrafo ph=f. sobre a segunda vogal (p. Neste caso. nunca se pronuncia. châtain. http://tradutoronline. k e qu: sempre como o "c" em "casa". não contrai com artigo ou preposição e pronuncia-se separadamente. i e u. g e s varia em francês de acordo com a posição na palavra da mesma forma que em português. l'heure. j. côte costa. c. x: sempre como "ks" ou "gz" (taxi. ombre. xenophobe) A pronúncia de c. n. Uma delas equivale ao som de "manhã". Temos. ex. De maneira geral. O segundo aparece em palavras com on e om: son. Os dígrafos ch e ss são pronunciados como em português. h: isolado. m. l: sempre pronunciado como "l". não altera o som de a. O terceiro se escreve in. haïr) Consoantes Pronunciam-se como em português b. entre. o francês gn pronuncia-se como o português nh. ex. goût gosto. t: tem som de s em algumas situações. em palavras de origem germânica. etimologicamente. un tréma. ancêtre ancestral. nunca como um "u" semivocálico. z. ein: vin. ain. nunca como em "caro". a terceira se produz pronunciando o som do português "é" nasalizado. um: France. outro ao de "ontem". w: segue a pronúncia da língua de origem. d. [va'gõ]). dizse aspirado. parfum. tende a deixar aberto (português "é") o som do e e fechado ("ô") o do o. mas la honte. especialmente na terminação -tion. como honte "vergonha". v. Ditongos e hiatos ay é um ditongo: se pronuncia como em "Jacareí" oi é um ditongo: se pronuncia como em "juá" oy é foneticamente um tritongo: se pronuncia como em "Paraguai" Os hiatos são marcados ou pela interposição de um h (p.ws/frances . Brésil diz-se [bRe'zil]. [wis'ki]) ou alemã (como em wagon. entretanto. trahison) ou pelo uso do trema. não [bRe'ziw]. r: sempre forte como em "rua" ou "barro". portanto. frein. p: como em português.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful