COROAÇÃO DE NOSSA SENHORA Oferecimento do Terço "O anjo entrou onde Maria estava e lhe disse: ‘Alegra-te, cheia de graça

! ’ O Senhor está com você! Não tenha medo, pois você encontrou graça diante de Deus. Você ficará grávida, terá um filho e lhe colocará o nome de Jesus. E Maria, apesar de assustada teve coragem de questionar o anjo, dizendo como tal coisa iria acontecer, se ela não conhecia homem algum. O anjo lhe respondeu: O Espírito Santo virá sobre você, e a força do Altíssimo a cobrirá com a sua sobra. Por isso, o filho que nascerá de você será chamado Filho de Deus. É para ficarmos abismados, diante da infinita humildade, pela enorme maturidade e naturalidade com que Maria assumiu o Mistério, no meio de uma imensa solidão. Foi uma cena difícil de ser narrada: Maria, consciente da gravidade do momento e consciente de sua decisão, sem consultar a ninguém, sem nenhum apoio humano, ela sai de si mesma, confia, permite, se entrega e diz: faça-se! Está bem meu Pai! Eu aceito! Com muita humildade e carinho lhe oferecemos neste momento um singelo terço, significando toda a nossa admiração pelo ato de entregar-se totalmente a Deus. Canto: Ensina o teu povo a rezar. Maria, mãe de Jesus. / Que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz./ Que um dia teu povo se anima e caminha com teu Jesus./ Maria de Jesus Cristo. Maria de Deus, Maria mulher. /Ensina o teu povo o teu jeito de ser o que Deus quiser. / Maria, Senhora nossa, Maria do povo, povo de Deus./ Ensina o teu jeito perfeito de sempre escutar teu Deus. Oferecimento das flores "Naqueles dias o Imperador publicou um decreto, ordenando o recenseamento em todo o império. O tempo passa. A hora do parto se aproxima. Eles precisam viajar para fazer o recenseamento. O que fazer? Viajam. Passam-se os dias. Fazem o que é possível quanto ao alimento e ao descanso. Quando todos os resultados são adversos, a Mãe não resiste e nem se agita, mas se entrega. Precisaram dormir em lugares públicos de repouso, estendendo-se por terra, como os outros viajantes, entre camelos e burros. Chegaram a Belém. Não havia lugar para eles nas hospedarias. É preciso encontrar um lugar, as dores do parto podem começar a qualquer momento. Cada porta a que batem é uma ilusão e uma desilusão. Maria ainda não tinha sido experimentada pelos golpes da vida. Era sensível pela idade, era sensível pelo temperamento. Além disso, o estado de emoção e de temor em que psicologicamente se sente toda mulher que vai dar à luz pela primeira vez agravaria essa sensibilidade. E assim, a Mãe, a Serva do Senhor, abandonada por todos, mas confiando plenamente nas mãos do Pai, espera cheia de doçura, o Grande Momento. E mais uma vez o faça-se em mim segundo a sua vontade, esteve presente no coração de Maria. Por isso queremos ofertar as flores a Mãe querida, colocando diante dela todas as nossas alegrias. Canto: Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas nas mãos que sabem ser generosas. Dá o pouco que se tem a quem tem menos ainda enriquece o doador faz sua alma ainda mais linda. Dar ao próximo alegria parece coisa tão singela aos olhos de Deus porém é das artes a mais bela Oferecimento do coração Certo dia, o céu falou: "Toma o menino e sua mãe, foge para o Egito, e fica lá até que eu te diga outra coisa". Essas palavras encheram de preocupação o coração de Maria. O rei Herodes procurava o menino. Por que queria saber do menino? Como soube do seu nascimento? Que mal o menino lhe fez? Como vamos ganhara vida em país estranho? Como falar a língua daquele povo? Em que templo haveremos de rezar? Até quando ficaremos por lá? Mais uma vez abateu-se sobre a jovem mãe uma nuvem sombria. De repente, tudo parece absurdo, sem sentido, parece uma fatalidade cega e sinistra. A mãe não se rebelou. Abandonou-se. A cada pergunta respondeu com um faça-se. Uma serva não faz perguntas, entrega-se. Senhor meu, eu me abandono em tuas mãos. Faze de mim o que quiseres, estou disposta a tudo, aceito tudo. Lutarei com todas as minhas forças para defender a vida do meu menino e minha própria vida. Entrego Senhor em tuas mãos a sorte de minha vida. E a Mãe em silêncio, junto com José e seu filho empreende a fuga para o Egito. Com todo o respeito e admiração, nós lhe oferecemos, ó Maria, nosso coração pedindo a vossa divina proteção. Canto: Um coração para amar, pra perdoar e sentir, para chorar e sorrir ao me criar tu me destes. Um coração pra sonhar, inquieto e sempre a bater, ansioso por entender as coisas que tu me deste. Eis o que eu venho te dar. Eis o que eu ponho no altar. Toma senhor que ele é teu, meu coração não é meu. (Bis) Quero que o meu coração, seja tão cheio de paz, que não se sinta capaz, de sentir ódio ou rancor. Quero que a minha oração, possa me amadurecer, leve-me a compreender as consequencias do amor Oferecimento da Coroa Passam-se os anos. A situação política no país não é boa para o povo. Muita opressão, desemprego, desejo de mudança. Então, já maduro, o jovem de Nazaré sai pelo país, cumprindo a sua missão dada pelo Pai. E suas atitudes contrariam os poderosos e o levam à condenação a morte e morte de Cruz. E Maria manteve fielmente sua união com o Filho até a Cruz, onde esteve não sem o desígnio de Deus. Sofreu muitíssimo junto com seu Filho. E com ânimo materno se associou ao seu sacrifício, consentindo com amor naquele sacrifício da pessoa por ela mesma

" Junto à cruz de Jesus. Uma mulher revestida de sol. em teus braços deposito o meu querido Filho. Canto: Se um dia um anjo declarou. A Mãe adquiriu uma estatura espiritual vertiginosa. Não há com que se comparar. nunca foi tão pobre nem tão grande. Perfeito é quem te criou. nada disto teria acontecido. Que tu eras cheia de Deus. Te coroamos. parecia uma pálida sombra. Se a palavra ensinou. . não entendo nada do que está acontecendo. Agora eu também direi. Tu és bendita. Bem-aventurada. ó Mãe (bis). Meu Pai. ó Mãe? (bis).gerada. Maria manteve o seu faça-se. Agraciada. Nossa Rainha. Se o Criador te coroou. E as gerações te proclamar. Agora penso: Quem sou eu. Surgiu um grande sinal no céu. Faça-se. Só entendo que. Foi o holocausto perfeito. para não te dizer também. se não quisesses. estava de pé sua Mãe" No meio dessa escuridão. oferecemos esta singela coroa por ser a Rainha dos céus e da terra. Que todos hão de concordar. Com muito respeito pelo sofrimento de Maria. Pai querido. portanto a tua vontade. Cheia de graça. mas tinha ao mesmo tempo a estampa de uma rainha. A lua debaixo de seus pés. ó Mãe (3x). E na cabeça uma coroa.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful