You are on page 1of 2

Commodities, moedas internacionais e Ibovespa Mauro Giorgi

Todos os dias, uma série de relatórios, newsletters, notícias, blogs e informes abordam a cotação do dólar em relação a outras moedas e a implicação disso na cotação das commodities. Essa comparação, até dez anos atrás, era tão somente em função da maior ou menor necessidade de uma determinada moeda para comprar essa ou aquela commodity. No entanto, alguns fatores começaram a influenciar tal relação, e a cotação das commodities deixou de ser somente a relação entre oferta e demanda. As dificuldades das contas internas e externas americanas levaram a gestores ao redor do mundo a estratégias mais arriscadas, tendo as commodities como líderes, para reduzir a exposição ao dólar e aos futuros déficits colossais nos EUA. Para não nos alongarmos, simplesmente colocamos que os hedge funds cresceram sem disciplina e regulação ao redor do mundo, buscando ganhos nas imperfeições da economia e dos mercados, aumentando os riscos e levando as commodities a um patamar de importância superior ao papel delas na economia real, o que por si só é um risco grande. Paralelamente a esses fatos, que podemos classificar como políticos, financeiros, regulatórios e conjunturais, juntaram-se algumas passagens estruturais. A China, Índia e Brasil, pela ordem, iniciaram um processo de crescimento irreversível, com maior consumo de matérias-primas básicas, proteínas vegetais e animais, e maior industrialização, com reflexo no poder aquisitivo de classes sociais antes "desprezadas" nesses quesitos. Ao mesmo tempo em que o dólar e seus derivativos perdem valor para outros ativos, as commodities, seja por escassez (petróleo), seja por consumo (alimentos), ganham importância nas aplicações financeiras ao redor do mundo. Entre os países em desenvolvimento, o Brasil é o maior produtor de commodities agrícolas e produtor de alguns minérios, e pode se tornar um grande produtor de petróleo. Logo, seria lógico que as maiores empresas listadas em bolsa fossem ligadas a commodities e a moeda oscilasse em relação direta a essas cotações. Como o dólar é a moeda de curso universal, utilizada para comércio internacional e lastro para reservas internacionais, a relação entre o valor da moeda americana com as outras moedas, a cotação das commodities comandará, nos próximos anos, não só o valor das principais empresas na nossa bolsa, como também a relação de ganhos e perdas nos hedge funds globais. Entre as relações mais importantes das moedas vemos o dólar versus o euro, o iene, a libra e o yuan. As demais relações, inclusive as do real, derivam desses números. Mais uma vez não é interessante avançarmos por detalhes técnicos, mas olhando de maneira geral, vemos que a cotação do euro em momentos de normalidade depende da economia da Alemanha e da França. Assim, esta deve ser a observação do investidor. A libra precisa de um desempenho forte dos bancos ingleses, fato que pode demorar. O iene e o yuan são moedas de exportação, logo são cotadas de maneira controlada. As economias do Japão e da China têm mais de 50% de suas atividades voltadas para a exportação. Assim, os bancos centrais locais, ou muitas vezes o próprio Tesouro de cada país intervém

entre energia e matéria-prima. Em função da escassez desses produtos e do controle estatal ao redor do mundo na produção.valoronline. entende-se que sejam pilotos para os demais. se observam menor ingerência das moedas dada à característica de renovação de produção. sem dúvida. Já nas commodities que geram proteínas animal e vegetal. Diante de tais relações e com a importância das commodities.br/ValorImpresso/MateriaImpresso. a fim de que seus produtos sejam mais baratos aos seus consumidores. a oferta brasileira em ambas é fundamental para o mundo. Estudar os fundamentos macroeconômicos americanos para entender o caminho do dólar e as diversas relações de oferta e demanda das principais commodities será um dos caminhos mais curtos para obter bons resultados no mercado de ações brasileiro. Disponível em http://www. percebemos que as commodities ganham importância na composição de ativos dos hedge funds. Observando o atual momento da economia mundial. mas.aspx? dtmateria=31-82009&codmateria=5789572&codcategoria=91&tp=12&searchTerm=commodities_moedas_inte rnacionais_e_ibovespa . e o esforço do governo americano de manter a força do dólar e o poder de continuar se financiando no mercado internacional.com. vemos que duas podem comandar os mercados: o petróleo e o cobre.para manter suas moedas mais fracas que o dólar.