You are on page 1of 7

A linguagem clássica da arquitetura é uma obro elaborada por John Summerson, com o intuito de demonstrar as “n” formas de arquitetura

clássica existente e também faz menção às características que definem determinada edificação em clássica ou não. A obra originou-se de uma série de seis palestras transmitidas pela rede BBC de televisão, em 1963.

CAP. I A ESSÊNCIA DO CLASSICISMO Summerson começa seu primeiro capitulo fazendo menção ao conhecimento básico que seus leitores devem possuir, demonstrando que para ele o classicismo é como se fosse o latim da nossa literatura. Se não o conhecemos profundamente, ao menos devemos saber reconhece-lo, assim como ocorre com as edificações clássicas que nos são apresentadas ao longo da obra. Para que se possa conhecer a arquitetura clássica deve-se saber que ela surgiu na antiga Grécia e Roma. Na Grécia era implantada nos templos, já em Roma era mais utilizada em edificações religiosas, militares e civis. Para se identificar um edifício clássico deve-se observar primeiramente suas características decorativas e posteriormente outros quesito. Uma das grandes características da arquitetura clássica é a harmonia de suas estruturas. E para que isso ocorra deve-se analisar as proporções dos elementos, para o resultado final se torne algo agradável aos olhos. Tem-se como ideologia de arquitetura clássica o foto de a edificação haver pelo menos uma das “ordens” da antiguidade, já que sempre ou quase sempre se faz alusão de que tal edificação é clássica devido à existência das tais. Mas vale ressaltar que clássico não é apenas possuir tais características em seus pilares,

. Vitruvio faz uma explicação detalhada sobre as ordens demonstrando em que lugar do planeta cada uma foi criada. Para ele (Vitruvio) a dórico exemplifica a proporção. Após quase um século surge Sebastiano Serlio. forca e graça do corpo masculino. que reuniu em um conjunto de livros (ilustrados e em escala) todas as informações sobre as ordens. que também escreveu livros sobre arquitetura) existem três ordens. devido ao surgimento de outros templos de pedra. definiram as ordens como um conjunto de formas cônicas que resumiriam em si toda a virtude arquitetônica. a coríntia para virgens. Mas foi só após mil e quatrocentos anos depois de Vitruvio com o surgimento da Renascença que novos teóricos como Leon Battista Alberti. e também faz menção a uma outra ordem chamada de toscana. a toscana mais adequada para prisões e não cita nenhuma utilização . em especial Virgem Maria. a jônico se caracteriza pela esbelteza feminina e a coríntia por imitar a figura de uma menina. a compósita. acredita-se que ela tenha surgido de um tipo primitivo de construção em madeira (segundo Vitruvio) que foi reproduzida em pedra. Mas o que são exatamente essas ordens pergunta Summerson. a jônica aos santos tranqüilos. a jônica. que é uma combinação dos elementos das ordens coríntia e jônica.. segundo Vitruvio (arquiteto romano.mas sim reunir uma gama muito maior de informações que na seqüência desta serão tratadas. Essas cópias se tornaram cada vez mais comuns. Para Serlio a dórico devem ser usados em igrejas dedicadas aos santos mais extrovertidos. Seus livros tornaram-se a “bíblia” da arquitetura. a dórica e a coríntia. e a que deus ou deusa elas se referem. Alberti acrescentou as quatro ordens mais uma. Referente a origem da ordem dórica.

CAP. II A GRAMÁTICA DA ANTIGUIDADE As ordens são colunas sobre pedestais. O Coliseu. a escolha da ordem é vital para caracterizar a edificação. As “colunas destacadas” que acompanham uma parede sem encostar-se a ela. da mesma forma que as “meias colunas” que ficam embutidas na parede pela metade. mas o entablamento se engasta. cria uma nova questão sobre as ordens. As “colunas de três quartos” que ficam com um quarto do seu diâmetro embutido na parede. Em um verdadeiro projeto de edificação clássica. Vale ressaltar que as ordens não estão apenas penduradas na estrutura. parte superior e colunatas nas laterais. Elas podem ser “colunas isoladas” que possuem uma função estrutural. . já que introduziu os arcos nessa combinação. formando um relevo na parede. Nos templos com pórticos na frente. Apesar de na maioria das vezes não possuírem função estrutural. As pilastras são consideradas representações planas das colunas.especifica para a ordem compósita. as colunas utilizadas na parte exterior resolvem o problema da cobertura também formando os frontões. as ordens contribuem e muito para que a edificação passe uma imagem mais robusta e expressiva. Como as ordens devem obedecer a uma volumetria periódica. Existem varias maneiras de se introduzir essas colunas nas edificações. se torna muito trabalhoso a utilização de ambos na mesma edificação. mas sim integradas a elas. já que suportam algo. que servem para sustentar em seu topo vigas onde se apóiam os beirais dos telhados.

e que seria o seu modo de usá-la. tais como pouca atenção aos requintes . Essa edificação se caracterizava por ser uma colunata em torno de um núcleo circular coberto por domo. Mais tarde outro elemento foi introduzido. mas na época se tratava de uma novidade jamais vista. Foi Bramante quem afirmou qual era a linguagem romana. Esse andar possuía um caráter rude porem disciplinado da engenharia romana. medidos em diâmetros. sua fachada do térreo era composta por arcos que davam acesso a uma serie de lojas. um estudioso da arquitetura. CAP. o ático empregado principalmente com plano de fundo para esculturas. mas no andar superior onde ficavam as salas principais Bramante utilizou a ordem dórica nas paredes e sobro os pedestais que tinham o mesmo tamanho das balaustradas das janelas.Os arcos triunfais foram utilizados como modelo para uma igreja católica projetada por Alberti. esse edifício foi demolido. O picnostilo corresponde a 11/2 diâmetro. Bramante também criou um palácio em Roma onde o pintor Rafael morou. estudando sobre Serlio percebeu que muitas coisas não haviam sido estudadas. Foi com o Tempietto que Bramante difundiu sua idéia de clássico. Pode-se parecer um simples edifício clássico. o dástilo e o mais largo com 4 diâmetros o araeóstilo. Palladio. o êustilo. Existem cinco tipos de intercolúnio. um dos inovadores do século XVI. utilizou essa nova gramática para restabelecer essa normatização em edifícios de grande importância da Roma antiga. o sístilo. III A LINGÜÍSTICA DO SÉCULO XVI Bramante. mas como o ser humano possui o dom de destruir o que é belo.

pois se trata de imitar o gênero. e o edifício único. um grande arquiteto da época também utilizou a rusticação. Palladio também estudou sobre Vitrúvio. fazendo com que cada pedra possuísse uma personalidade própria. já na arquitetura é diferente. aplicou seu conhecimento e fez com que a linguagem de Roma fosse empregada com certo requinte de perfeição. Como tudo que é excessivo. Quando teve oportunidade. Mas como todos conhecemos o corpo humano fica fácil identificar as mesmas. Giulio. que foram muitas. as superfícies avançam e recuam de forma desconcertante. CAP. ai surgiu a rusticação. e em seus livros os Quattro Libri (1570) ressalta a importância de restaurações. demonstrar uma certa artificialidade. IV A RETÓRICA DO BARROCO As alterações introduzidas no latim da arquitetura podem-se ser comparadas as distorções feitas por Miguel Ângelo no corpo humano. as cinco ordens também se tornaram exaustivas. Essas reconstruções propostas por ele são logo reconhecidas na Itália e Inglaterra. Em torno de 1530 surge um estilo de arquitetura especifico na Itália chamado de maneirismo. já que poucos conhecem realmente a parte mais arcaica dela.de perfil e proporção que são a essência da antiguidade resolveu por em pratica seus estudos. . que significava exatamente seu cunho vernáculo. que se trata de uma forma rede e provinciana de dispor pedras não lavradas. mas fez com que ela tive-se um grau de expressividade nunca visto antes. A composição não possui um ritimo que se repete claramente.

Pietro em Roma. Com o domínio da arte de cultivar os alimentos. CAP. Como exemplo desse período pode-se citar três abras. O Panthéon é o primeiro edifício de importância neoclássica. A sua beleza se da pelo fato de ter uma boa proporção e significados para as ordens. V A LUZ DA RAZÃO – E DA ARQUEOLOGIA Para que as ordens fossem empregadas com perfeição. A França foi a primeira a questionar a verdadeira natureza das ordens e como elas realmente deveriam ser empregadas. seja ele vivo ou morto. a Piazza de S. por apresentar as ordens com fidelidade e também é de uma simplificação racional inquestionável. e começaram criarem suas próprias residências. A Inglaterra sofreu um grande impacto com os pensamentos de Laugier. a fachada leste do palácio do Louvre em Paris e o palácio de Blenheim em Oxford. não bastava apenas deter o conhecimento. já que no inicio do período vitoriano a arquitetura maneirista foi considerada algo extremamente adequada para o período. os seres humanos pararam de serem nômades. e cheia de detalhes.Os produtos do maneirismo tiveram conseqüências de longo alcance. A arquitetura romana é muito rebuscada. mas o arquiteto deveria expor suas emoções na obra e também entender as ordens com o coração e não apenas com a razão. Isso gerou uma evolução fazendo com que novos tipos de matérias fossem empregados nas edificações. fazendo com que se voltassem as raízes. Tem-se como certo que a arquitetura surgiu da necessidade de abrigo do ser humano. . já que ele citava o primitivismo.

que era totalmente diferente de Behrens. seu estilo trazia seu conhecimento adquirido na École dês BeauxArts. Eles são lembrados pelo emprego do aço em seus projetos. foram a Aténs e passaram três anos lá pesquisando e documentando sobre os edifícios gregos. Esses são exemplos de interpretações possíveis da linguagem clássica utilizando aço. Ele deu um novo sentido ao modernismo. VI DO CLÁSSICO AO MODERNO Para Laugier a casa primitiva era apenas a redução e simplificação dos templos clássicos. Deve-se também citar o francês Perret. Mudaram de cinco para oito as ordens. Os romanos haviam trazido sua arquitetura da Grécia. Em 1751. CAP. Em exemplo disso é a Ópera de Paris. com seus traços regulares ele acabou com as ornamentações estilizados de Gropius e Behrens. com o surgimento das novas três ordens gregas.A Inglaterra desempenhou um papel importante no ressurgimento da arquitetura grega. dois ingleses. mas sim deveriam ser belos apenas utilizando seus elementos de construção e função. a arquitetura moderna é completamente reinventada. pois. Os edifícios de Gropius e Behrens projetados aos a segunda guerra mundial. Stuart e Revett. Com o surgimento de Le Corbusier. são considerados essências para identificar o movimento moderno. A idéia do modernismo era e de que os edifícios do futuro deveriam agradar as pessoas não pela sua ornamentação. .

Related Interests