You are on page 1of 6

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ – CESUMAR PÓS-GRADUAÇÃO "LATO-SENSU" EM MBA EM GESTÃO DE PROJETOS

RICARDO FERNANDES WOLFF

ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR GESTÃO DE RISCOS DE PROJETOS ANÁLISE DE PROJETOS

LAGES - SC 2011

Centro Universitário de Maringá.SC 2011 . como requisito parcial da avaliação do módulo 46 . apresentada ao CESUMAR . LAGES .2011.2 RICARDO FERNANDES WOLFF ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR GESTÃO DE RISCOS DE PROJETOS ANÁLISE DE PROJETOS Atividade Interdisciplinar referente as disciplinas de Gestão de Riscos de Projetos e Análise de Projetos.

deve ser escolhida uma metodologia de coleta de riscos para fazer o levantamento dos riscos do projeto e auxiliar na decisão de ingressar neste projeto. De acordo com Dias e Malaco (2010). “As empresas [. . a partir disso. concordando com o autor do texto. O autor do texto ainda cita a análise de dois cenários para uma empresa que está validando a viabilidade de um novo projeto. Assim sendo.com.  O custo para a produção. a análise dos riscos deste projeto é muito importante na tomada de decisão antes de inicia-lo.. a análise do risco total deve ser o impulsionador para o gestor decidir levar o projeto adiante. Desenvolvimento Este artigo tem como base as atividades sobre o texto “Avaliação de projetos e riscos: quando o VPL não é suficiente” extraído de http://www. pelo alto valor que pode ser perdido ao considerarmos os riscos. as boas práticas de gerenciamento de projetos asseguram que todo projeto deve ser analisado em função do seu custo-benefício. pode-se explicar que a razão dessa decisão deste projeto com um baixo VPL dificilmente ser levado adiante é.  A disputa pelo mercado. Justificando a união da análise de projeto com a gestão de riscos.. o lucro que este produto terá em cada cenário. [. algumas das informações que podem ter sido consideradas para a elaboração dos cenários devem ser:  A aceitação do produto que esta empresa está oferecendo.capitalaberto. percebe-se a importância da análise do projeto aliada à gestão de riscos do projeto.. Supondo esta definição dos cenários para uma empresa de tecnologia com público-alvo fora do Brasil. Com base na citação anterior. o valor de venda e.. A partir da situação hipotética apresentada no segundo parágrafo do texto e do autor expressar que o projeto dificilmente seria levado adiante.”.] Para tanto. Portanto.br/. apenas a análise VPL não é o suficiente para executar este projeto. Esta fase irá auxiliar o gestor a definir se o projeto deve seguir adiante.  A presença de concorrentes e a chegada de novos concorrentes para este produto.3 Introdução A análise de um projeto é a fase de validação da viabilidade de um projeto.] devem estar preparadas para enfrentar a competição e os impactos no mercado onde atua. E é por isso que. Este trabalho tem o objetivo de apresentar análises voltadas a estas duas disciplinas que podem trabalhar juntas de maneira muito útil para o gestor de projetos. principalmente. considerando-se ainda um adicional referente ao risco envolvido no projeto. se o retorno obtido compensa o investimento a ser feito. Podem já existir outras empresas trabalhando com este mesmo produto e que já têm grande participação neste market share. ou seja.

 Técnica de Delphi: A Técnica de Delphi mantém o anonimato de especialistas que opinam sobre os riscos do projeto. Em projetos passados. um colaborador recolhe as respostas de cada especialista e. depois. O brainstorming deve reunir as diversas opiniões de cada participante sobre os riscos que o projeto pode vir a ter. as técnicas que podem ser utilizadas para a coleta de informações sobre os riscos deste projeto são as seguintes.  Agrupar riscos de acordo com a causa-raiz de cada um (que pode ser comum entre alguns riscos listados).  Brainstorming: O brainstorming é uma reunião para o compartilhamento de opiniões que visa desenvolver uma lista abrangente dos riscos do projeto de acordo com seus vários participantes. É uma investigação feita para descobrir as causas essenciais de cada risco já listado. estes colaboradores já podem ter sido vítimas de riscos não previstos.4 Considerando o guia PMBOK para o gerenciamento dos riscos. também. colaboradores de vários outros setores e dedicações. reorganiza-as e as redistribui para os especialistas listarem comentários adicionais com base nas respostas previamente dadas. Especialistas sobre coleta de riscos devem também estar participando para aumentar a produtividade e a qualidade dos riscos elencados. partes interessadas no projeto e especialistas no assunto para realizar o levantamento de mais riscos que podem ser importantes para o projeto.  Entrevistas: Entrevistas são definidas pela conversa individual com participantes experientes do projeto. A partir de um questionário inicial.  Identificação da causa-raiz: Esta etapa é feita em cima dos riscos já levantados. A partir desta identificação.  Refinar a definição de riscos anteriormente listados. Esta experiência faz com que mais riscos sejam elencados no brainstorming. . Uma das importâncias de se ter participantes de diferentes áreas é a experiência destes. Nesta reunião. não só a equipe do projeto deve participar. é possível:  Descobrir novos riscos antes não percebidos. Devem participar.

Um prazo apertado é um exemplo de ponto fraco. . Principalmente no auxílio à decisão para dar início a um projeto. Conclusão Após observar as análises deste trabalho. é necessário ter mão nos riscos que o projeto enfrenta e claras estratégias para os tratar ou eliminar. é possível perceber que a gestão de riscos está intimamente ligada à análise do projeto.  A partir desta divisão da análise SWOT.”. Por exemplo.  Ameaças: Esta última lista faz com que os responsáveis estejam cientes das ameaças externas que o projeto sofre. pode surgir um novo concorrente que influenciará no desempenho do projeto. Como citado por Zanolli (2007). Para fazer decisões eficientes.  Oportunidades: Desenvolver um rol de ações externas ao projeto que servem como oportunidades para alavancar o sucesso do projeto. Um exemplo seria perceber um novo nicho de mercado que o projeto pode abranger. percebe-se que as duas primeiras (pontos fortes e fracos) perspectivas são mais concentradas no projeto em si. Exemplo: Equipe qualificada.5  Análise dos pontos fortes e fracos e das ameaças e oportunidades (SWOT): A análise SWOT baseia-se em observar os riscos com base em análise das seguintes perspectivas:  Pontos Fortes: Elencar os pontos fortes que o projeto tem que podem trazer o sucesso do projeto. “Saber lidar com os riscos é um fator decisivo para o sucesso ou fracasso do projeto.  Pontos Fracos: Listar os pontos fracos que podem trazer empecilhos para o projeto. enquanto as duas últimas (oportunidades e ameaças) são concentradas em fatores externos ao projeto.

. Gestão De Riscos: Fator Decisivo Para O Sucesso Do Projeto. Acesso em: 18 nov.. 09 jun. J.com. 2011. 08 mar. Belo Horizonte. MALACO.6 REFERÊNCIAS DIAS. C. Techoje. 2010. G. 2007. ZANOLLI. Utilização da TIR para Análise da Viabilidade de Projetos – Vantagens e Limitações.webartigos. Acesso em: 17 nov. 2011.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/952>. Disponível em: <http://www. F. Disponível em: <http://www. A.com/artigos/gestao-de-riscos-fator-decisivo-para-o-sucessodo-projeto/1282/>. WebArtigos.ietec.