You are on page 1of 2

T.O.

na Luta
Tele-operadores na luta contra a super-exploração
e por melhores condições de trabalho

E-MAIL: TO.NALUTA@YAHOO.COM.BR - NOSSO SITE: WWW.TONALUTA.ORG

É HORA DE LEVANTAR DA P.A.
Todos nós sabemos como as empresas de tele atendimento exploram nosso trabalho de forma criminosa lucrando
milhões todo ano. Você sabia que em 2006 a Atento e a Contax
faturaram sozinhas 2,4 bilhões de reais enquanto o salário
base de um teleoperador era de R$ 420,00 mensais?
Somos submetidos ao trabalho excessivo, à cobrança de
metas, assédio moral, doenças do trabalho em troca de salários miseráveis. Estas empresas criam verdadeiros campos
de trabalho forçado do século 21 formada, em grande parte,
por jovens em busca do primeiro emprego.
Enquanto estamos expostos a tudo isso as direções dos
sindicatos não estão nem ai para nossas condições. O Sintetel
faz parceria com as empresas para todos os anos negociar o
acordo coletivo 3,5% e a Sintratel é aliada do governo que
adora inaugurar centrais da Atento e usa os postos de trabalho criados no tele-atendimento como propaganda de
marketing.
Por tudo isso devemos estar cientes que as melhorias reais em nossas condições não vão partir nem das empresas,
nem do governo e muito menos das direções dos sindicatos.
Se você não suporta mais a exploração da Atento, Contax,
Teleperformance ou qualquer outra empresa de call Center
junte-se a nós
Estamos convocando você para se juntar em nosso movimento para em conjunto discutir os problemas que afetam a nossa categoria e acabar de vez com a tirania dessas empresas.

-As conseqüências do Anexo II da NR 17 para os
teleoperadores.
-A opressão sobre a juventude, mulheres, negros e
homosexuais no mercado de trabalho.

Sábado: 08 de Dezembro às 16 horas
Local: Pr
aça Manoel da Nóbr
ega, 36 7º. andar
Praça
Nóbre
[ Próx ao Metro Sé]
VENHA FORTALECER A LUTA!

Anexo II da NR 17: Querem nos vender
“gato por lebre”!
O anexo II da NR-17 foi criado para regulamentar o trabalho de tele
atendimento no Brasil. Para dar a impressão de que as normas foram feitas de forma democrática, foi criada uma comissão formada
pelas empresas, governo e pelos sindicatos de tele atendimento.
Porém esses três já são velhos aliados e a NR-17 foi criada de forma a não interferir a atividade das empresas, isto é, para tudo continuar como antes.
O resultado disso tudo é um conjunto de normas óbvias, como o
direito de se levantar e ir até o banheiro, e outras que já estavam antes previstas na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas).
Mesmo assim muitas empresas, na busca incessante por
lucros, sequer cumprem essas normas.
O assédio moral e as constantes ameaças de demissão
fazem com que muitos sejam obrigados a abrir mão de
direitos para permanecer no emprego.
Os sindicatos fingem que esses abusos não existem e fazem propaganda positiva da NR-17 como se essa fosse uma
grande conquista dos trabalhadores, escondendo a verdadeira
realidade.
20 MINUTOS A MAIS NA EMPRESA.
Antes do Anexo II da NR17 quem trabalha na Atento e outras empresas trabalhava 6 horas por dia com uma pausa de 15 minutos e
outra de 5.
Agora somos obrigados a trabalhar 6 horas e 20 minutos, porque
segundo a empresas esses 20 minutos não são remunerados, ou
seja, não houve nenhuma diminuição na nossa carga horária e ainda temos que ficar mais tempo na empresa. Sem contar que pelas
leis, o trabalhador que cumpre mais de seis horas de jornada diária
deveria ter uma hora de almoço.
Sendo assim, os 20 minutos a mais é um ataque aos tele-operadores e não de uma conquista.
VEJA ALGUNS PONTOS DA NR17 QUE AS EMPRESAS NÃO CUMPREM

- O contingente de operadores deve ser dimensionado às demandas da produção no sentido de não gerar sobrecarga habitual ao
trabalhador.
- As escalas de fins de semana e de feriados devem ser especificadas
e informadas aos trabalhadores com a antecedência necessária, de
conformidade com os Artigos 67, parágrafo único, e 386 da CLT, ou
por intermédio de acordos ou convenções coletivas.
- Com o fim de permitir a satisfação das necessidades fisiológicas,
as empresas devem permitir que os operadores saiam de seus postos de trabalho a qualquer momento da jornada, sem repercussões
sobre suas avaliações e remunerações
- Os trabalhadores devem ter acesso aos seus registros de pausas.
O anexo II da NR 17 está muito longe de representar um grande avanço para os tele-operadores. Temos a necessidade, porém, de garantir as
condições mímimas de trabalho e isso só será
possível com nossa organização e luta, tarefa
que deveria cumprida pela direção do sindicato
que em vez disso prefere defender o lucro das
empresas.

Versão completa:
http://www.mte.gov.br/legislacao/
normas_regulamentadoras/nr_17_anexo2.pdf

16 MIL SE MANIFESTAM
EM DEFESA DOS DIREITOS
DOS TRABALHADORES
No dia 24 de outubro, 16 mil trabalhadores e estudantes de 26 estados se uniram para ocupar as ruas de
Brasília e lutar pelo fim das reformas que tiram nossos
direitos.
A principal reivindicação dos trabalhadores foi o fim da
reforma da previdência. O mesmo congresso que inocenta corruptos como Renan Calheiros pretende implantar essa reforma que entre outras coisas, vai aumentar o tempo de trabalho necessário para a aposentadoria.
Os estudantes organizaram um ato contra o REUNI
que é um projeto para aumentar de forma artificial as
vagas no ensino público mantendo o mesmo número
de professores e infra-estrutura.
O ato que foi convocado por diversas entidades foi
vitorioso e um exemplo da força conquistada pela união
de diversas categoria.

Related Interests