Actividades Económicas de Pequena Escala Problemas e Soluções

Plano de Negócios: a sua importância nas Pequenas Iniciativas Empresariais

João Rodrigues Direcção de Assistência Empresarial Centro de Desenvolvimento Empresarial do Algarve
Faro, 15 de Novembro de 2010

a estratégia a implementar. para alcançar os objectivos e mitigar os riscos associados. o investimento necessário e qual o retorno previsto.PLANO DE NEGÓCIOS . os objectivos a atingir.Conceito O Plano de Negócios é um documento que define e sistematiza a ideia de negócio a desenvolver. .

PLANO DE NEGÓCIOS – Aspectos a Clarificar Qual é o nosso negócio? Quais os objectivos a atingir? PLANO DE NEGÓCIOS Quais os produtos ou serviços a vender ? Quem são os clientes? Qual a estratégia implementar? Como conquistar o mercado? Quais os factores críticos de sucesso? Qual o montante a investir? Qual o retorno do investimento? .

importante para a tomada de decisão por parte do empreendedor Instrumento de gestão do risco – identificação de potenciais ameaças e constrangimentos. bem como a antecipação de possíveis soluções Documento de suporte à negociação e obtenção de recursos (financeiros e outros) Meio de comunicação entre o empreendedor e a sua equipa Ferramenta de gestão que se pretende dinâmica .PLANO DE NEGÓCIOS – Importância e Funções Processo de validação de uma ideia.

PLANO DE NEGÓCIOS – Qualidades PLANO DE NEGÓCIOS Simples Objectivo Acção Realista Resultados Completo Ajustamento .

2.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura Estrutura base de um Plano de Negócios 1. 7. Projecções Financeiras . O projecto/produto/ideia. O mercado. A nova ideia e o seu posicionamento no mercado. Estratégia comercial. 5. 4. Histórico da empresa e dos empreendedores. 3. Sumário Executivo. 6.

Sumário Executivo Deve sintetizar o essencial do negócio a desenvolver.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 1. o mercado potencial e qual o prazo previsto para apresentar lucros. Deve conter uma mensagem clara e forte. bem como as suas vantagens face à concorrência. de modo a persuadir os potenciais interessados a obter mais informação através da leitura do plano completo. . identificando os produtos e serviços a colocar no mercado.

PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 2. • Quais os pontos fortes e fracos do projecto na óptica dos promotores? • Qual a missão da empresa: porque existe e quais os seus propósitos globais? . Histórico da empresa e dos empreendedores • Como surgiu a ideia de projecto? • De que forma a experiência e competências dos empresários pode contribuir para o sucesso da iniciativa.

PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 3. • Demonstrar o conhecimento que empreendedores têm do mercado. poder de compra. hábitos de consumo. os . género. • Fundamentar a viabilidade da ideia em dados estatísticos e informação recolhida em contacto directo com potenciais clientes. crescimento. maturidade ou declínio? • Perfil dos clientes: idade. O mercado subjacente • Definir o mercado alvo e a sua dimensão? • Qual o estádio de desenvolvimento do mercado: embrionário.

motivação. . • Capacidade de gestão do negócio. experiência e competências da equipa de gestão. que possam gerar a margem prevista. • Parcerias a estabelecer. • Identificação dos recursos físicos e de produção necessários.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 4. . A nova ideia e o seu posicionamento no mercado • Capacidade da equipa de gestão para transformar a ideia em vendas.

PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 5. • Investimento em equipamentos e instalações. custos de produção. • Pontos projecto. ciclo de produção. nível de envolvimento dos críticos ao desenvolvimento do • O produto: proposta única de valor para os clientes – porque vão querer comprar? • Descrição do produto e do processo produtivo – solução tecnológica. consumo de matériaprima. • Motivação e promotores. . Projecto / Produto / Ideia • Actividades necessárias ao lançamento do produto no mercado (o que fabricar e o que subcontratar).

• Imagem e Comunicação. • Configuração do produto / serviço. • Definição do preço venda. lojas próprias. Estratégia Comercial • Que segmentos de clientes abordar.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 6. • Quais os canais de distribuição: vendedores. . internet. alianças com parceiros de distribuição.

Activos Fixos Intangíveis C . Componente financeira • Plano de Investimento: A .Activos Fixos Tangíveis: •Equipamentos.Fundo de Maneio • Plano de Financiamento: A – Capitais Próprios B – Capitais Alheios . •Ferramentas •… B . •Viaturas.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 7.

numa base mensal) • Projecções de Ponto Crítico das Vendas (break-even). • Demonstração de Resultados Previsionais. em função das estimativas de gastos fixos e gastos variáveis. . • Balanço Previsional. • Plano financeiro: origens e aplicações de fundos. • Projecções de Cash Flow (posição líquida de Tesouraria. Componente financeira • Projecções de Vendas.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura 7.

00 2011 E m p r esa: X P T O .00 0 0 Diferim entos 0 Gastos/rev ersões de depreciação e amortização EBIT (Resultado Operacional) Juros e rendimentos similares obtidos Juros e gastos similares suportados RESULTADO ANTES DE IMPOSTOS C apital realiz ado C aix a e depós itos banc Imparidade de activ os depreciáv eis/amortizáv eis (perdas/rev ersões) ários TO TA L A C TIV O C A P ITA L P R Ó P R IO A c ç ões (quotas próprias ) O utros ins trum entos de c apital próprio R es erv as 0 0 0 0 0 0 0 -0 0 0 0 -0 Finicia_pn_v11_2010.00% 20.pessoal .0 0.MERCADO NACIONAL Clientes Inv entários Reserv a Segurança Tesouraria 2010 0 2011 Ponto Crítico Operacional Previsional 2012 2013 2014 0 0 0.00 0 2012 0 Tax a de Aplicações Financeiras Curto Prazo Fundo Maneio Necessário Taxa de crescimento das unidades vendidas Tax a de juro de empréstimo Curto Prazo Quantidades vendidas Fornecimento e serv iços ex ternos Gastos com o pessoal A c tiv os fix os 0 tangív eis P ropriedades de inv es tim ento Imparidade de inv entários (perdas/rev ersões) A c tiv os Intangív eis Imparidade de dív idas a receber (perdas/rev ersões) tim entos financ eiros 0.Beta = 100% Imparidade de inv estimentos não depreciáv eis/amortizáv eis (perdas/rev ersões) 0 0 A ctivo 0 co r r en te 0 E s tado e O utros E ntes P úblic os A c c ionis tas /s óc ios 0.00% 2014 Taxa de variação dos preços Necessidades Fundo Maneio 3. associadas e empreendimentos conjuntos A C TIV O Preço Unitário Produto C * * 0.entidade .órgãos sociais 2011 0 0 2013 2014 2015 Demonstração de Resultados Previsional 0.xls Imposto sobre o rendimento do período RESULTADO LÍQUIDO DO PERÍODO .00 0 #DIV/0! 21.entidade .5 2011 2012 2013 2014 3.00% 0.75% Recursos Margem Bruta Quantidades vendidas sociais Ponto Tax a de Segurança Social .00 0 0 0.00% FSE Variáv eis 0.órgãos Fornecedores Crítico 10.60% 10.00% 15.00 Preço Unitário TOTAL EBITDA (Resultado antes de depreciações.00 0 0 0. colocar: se v alor 0 Inv entários 0 Aumentos/reduções de C lientes .00 0 #DIV/0! 2010 0 Balan#DIV/0!revisio nal ço P 0 #DIV/0! 2011 2012 2013 2014 2015 #DIV/0! 2013 2014 2015 Tax a de Segurança Social .00 0 0 0.pessoal .00% 2012 Empresa: 2015 XPTO. Lda Euros Unidade monetária 1º Ano activ idade Prazo médio de Recebimento (dias) / (meses) Prazo médio de Pagamento (dias) / (meses) Prazo médio de Stockagem (dias) / (meses) Tax a de IVA .PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura Empresa: XPTO. Lda E uros 0 Vendas e serv iços prestados Subsídios à Ex ploração Variação nos inv entários da produção Trabalhos para a própria entidade CMVMC 0 0 0.CMVMC Produto A * Tax a de IVA .25% TOTAL Produto B * Tax a de Segurança Social . Lda Pressupostos Gerais s Valide os pressupostos aqui indicados e ajuste-os de acordo com o seu projecto Euros 2010 30 30 15 20% 20% 20% 20% Empresa: XPTO.00 0 0 0.00 0 0 0.0 1.60% Investimento em Fundo de Maneio 1.00 0 0 0.00% 2010 3.00 0 0 0 0. Lda Euros 0 0 Quantidades vendidas Estado Vendas e serv iços prestados Tax a de IVA .00 0 0 0.00 0 0 0.60% Ganhos/perdas imputados de subsidiárias.colaboradores Fundo Maneio de Contribuição 23.00% 100.O rendimentos e ganhos Outrosprémio de risco (pº) adequado ao projecto Outros gastos e perdas . Lda Euros 2010 Investimento em Fundo Maneio Necessário 1.FSE Vendas + Prestações de Serviços Empresa: XPTO.70% 5.05 Tax a de juro de activ os Quantidades -vendidas sem risco Rf Prémio de risco de mercado -de crescimento pº unidades vendidas Taxa (Rm-Rf)* ou das Beta empresas equiv alentes Tax a de crescimento dos cash flow s na perpetuidade NOTA: Quando não justoaplica Beta .00 Prov isões (aumentos/reduções) Preço Unitário Tax a de juro de empréstimo ML Prazo Produto D * 6. Lda Euros VENDAS .Vendas Tax a de IVA .00 0 A ctivo N ão C o r r en te #DIV/0! 2010 2015 0 0 2012 Empresa: XPTO.00 0 0 0.00% TOTAL 0.00% 2011 3.Prestação Serv iços Tax a de IVA .00 Inv es 0.Ogastosc de financiamento e impostos) ==> R(Tx actualização) = Rf + pº utras ontas a rec eber 0.Inv estimento 20% Taxa de crescimento*das unidades vendidas inv entários da produção Variação nos * CMVMC Preço Unitário Tax a de Segurança Social .00 2010 0 0.colaboradores vendidas Taxa de crescimento das unidades Estado Tax a média de IRS Tax a de IRC 11.00% 2013 2015 3.

poderão ser alterados.pt/iapmei-art-02. 1 2 Colocar o nome da empresa na célula E1 na sheet de "Pressupostos". A utilização deste modelo tem por base um trabalho prévio por parte do utilizador no que diz respeito à previsão de proveitos e de custos. este modelo Económico Financeiro deve ser acompanhado de informação qualitativa detalhada sobre o projecto e de explicação dos pressupostos de cálculos efectuados.pt/resources/download/G uiaPraticodoCapitaldeRisco2604. 5 Na sheet FSE.Macro . Caso não esteja coloque a opção já indicada e feche o ficheiro. definir os colaboradores (Gerência e Pessoal) da empresa e respectivas remunerações brutas mensais. Por outro lado. mas com diferentes valores. seleccione Aceitar Macro. 4 Colocar na sheet CMVMC na célula correspondente. http://www. Caso pretenda utilize folha de cálculo anexa e faça apenas as respectivas ligações de acordo com a classificação contabilística do seu volume de negócios. 6 Na sheet Gastos com Pessoal. Para isso basta ir às Ferramentas . deve explorar as potencialidades do presente modelo acompanhado por alguém conhecedor desses conceitos. caso se aplique um valor para a formação e outros custos com pessoal. não sendo esse o caso. através das quantidades vendidas. definir.iapmei.Segurança e no Nível de Segurança escolher / confirmar se está no Médio. utilize este mesmo modelo. Principais regras de utilização: § § § § Só devem ser inseridos valores nas células com fundo branco.iapmei.PLANO DE NEGÓCIOS – Estrutura Regras de utilização Para a melhor utilização do presente modelo o empreendedor deverá dominar conceitos básicos de análise económica e financeira ou. mas dentro dos mesmos parâmetros. Quando reabrir . as margens brutas de negócio para cada um dos produtos vendidos. preço de venda dos produtos e de prestação de serviços.php?id=162&temaid=17 . 3 Estimar o volume de negócios da empresa. Passos para preenchimento: Para que o possa tirar partido de todas as funcionalidades do modelo. estimar um valor médio mensal para cada umas das rubricas que se adaptem à empresa / negócio. Os valores que se encontrem a azul. No caso de pretender efectuar uma análise de sensibilidade. deverá confirmar se o nível de segurança das Macros esta em Médio.pdf http://www. Para além disto.

Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação.rodrigues@iapmei. Pinheiro e Rosa .CONTACTOS IAPMEI . I. DAE .P.Edifício da Direcção Regional da Economia Telefone: 289 895 800 Site: www.pt .Direcção de Assistência Empresarial Centro de desenvolvimento Empresarial do Algarve 8005-546 Faro Rua Prof.pt Email: joao.iapmei.