RENE SPITZ fases. Desenvolvido em um sistema de observação direta no desenvolvimento das crianças com as mães.

Explica o desenvolvimento em termos de objeto relacionamento. Considera a relação entre mãe e filho, porque é o catalisador que permite à libido ser fixado em diferentes zonas erógeno. Pré-objeto (ou – 3 meses): FASE NO OBJETO Spitz, apelou esta fase, o primeiro pré-objeto ou qualquer objeto. Começa a partir do nascimento e termina quando o organizador é o primeiro sorriso. Etapa sem objeto mais ou menos coincide com o principal Narcicista, como percepção, atividade e função de um recém-nascido não são suficientemente organizado, mas que essas áreas são essenciais para a sobrevivência, tais como o metabolismo, absorção de nutrição, funções respiratórias, e assim por diante. São funções essenciais nas crianças. Nesta fase, o recém-nascido não pode distinguir uma “coisa” a partir do outro, não pode distinguir uma coisa (fora) do seu próprio corpo e não experimentando algo separado

Esta barreira protege o bebé durante as primeiras semanas da percepção de estímulos ambientais. até que seja substituído pelo princípio da realidade.dela. Por exemplo. Uma vez estabelecida. É por isso que também percebe o peito para satisfazer as suas necessidades e fornecer seus alimentos percebido como uma parte de si próprio. Durante este período. . Assim. No entanto. qualquer percepção de movimento através interoceptivo e proprioceptivas sistemas. que diz que a excitação é mantido a um nível constante. Um grande número de observações. a lei do Nirvana. a função psicológica é regida pela lei do princípio do prazer e deslocadas. e qualquer tensão superior a este nível tem que ser apurado sem demora. um processo puramente fisiológico. Passar tempo este processo fisiológico será desenvolvido ao longo do tempo. incluindo o nosso. em resposta a uma estimulação excessiva. deve ser considerada um processo de quitação. confirmou que o aparelho recebe o recém-nascido está protegida do mundo exterior através de uma barreira contra os estímulos. a negativa excitação do recém-nascido é.

como nariz. pode mesmo chegar ao 6. as crianças não se esqueça de sorrir para alguém ou alguma coisa. etc. Com 2 meses de idade. boca. etc. e geralmente não sorri para estranhos. . este começa com um sorriso. Agora. não indica uma verdadeira finalidade.mes vida. Agora. estes seriam de que o rosto se move em frente.-7. e este é agora um papel muito importante na vida da criança. e irá reservar a sua resposta à mãe sorrindo e apenas conhecida em poucas palavras a objetos do amor à criança. meses): PRECURSORAS DO OBJETO Este é o início da segunda etapa. dirigida e intencional. na 3er. a criança reage a rostos sorridentes. No terceiro mês de vida. se estiverem reunidas certas condições. a sua consideração pelos outros. este objeto é o precursor rosto humano é chamado um precursor que a criança não reconhece o rosto de uma determinada pessoa. que define estresse da face. mas chama a atenção para os números. boca. de modo que destacar as coisas que chamar a atenção (olhos. o sorriso é a primeira manifestação activa.) E isso Ela tem um celular.Objeto precursor (3 . Mês. olhos.

E é por isso que a mãe quando o medo surge da angústia de perdêla. tendo sido fornecido com qualidades essenciais num intercâmbio entre mãe e filho.Significa que não são pagos. a qualquer pessoa ou objeto (o libidinal). o objeto é investido com libidinal catexia. O que é este sinal. Reconhece-se que durante esta fase são pura preobjetal secundário atributos. protege-o dos outros. A segunda opção seria o organizador e angústia que é a diferença entre libidinal e agressiva actividade. Neste intercâmbio. reconhecendo que a criança na idade de 3 meses. mas apenas um sinal. Real objeto (8-12 meses): REAL FINALIDADE DA FASE Crying antes desconhecidos indica que a criança faz a mãe de outras pessoas. dá-lhe comida. e ele adora. externos e não-essenciais. sugere que a resposta a surgir sorrindo. isto significa que o objeto libidinal que distingue de outras “coisas”. Gestalt assinar. A atividade seria uma agressiva . é um privilegiado de parte dele. Ele sabe que a mãe é aquela que cuida. é uma transição entre a percepção das “coisas” e também preobjeto.

Nesta segunda acolhimento. a fim de proteger a criança. e não dizendo uma verbais crianças devem obedecer. O autor considera três organizações: . A transmissão direta de mensagens que são convertidos em termos concretos. embora possa ser extremamente difícil. a mãe deve estabelecer limites para o acesso à criança. a criança percebe e reconhece não só os indivíduos. Organizador. Esta recusa significa a capacidade de julgamento. Ganho aceitação desta NO.recém-encontrado mentais funcionam como um resultado da progressiva maturação do sistema nervoso. quando começar a 3 ª. A maior conquista que ocorre aqui é a capacidade de comunicação. NÃO. fazendo com que a criança se sentir angústia e ansiedade que as crianças sentem que a mãe é percebida como uma agressão que causou o dano. O bebê começa a perceber que a pessoa que cuida e protege. mas também objetos inanimados. que termina em 9 meses. ou seja. quando a imitação aprendizagem. Com o objeto discurso termina o relacionamento. ausente períodos.

andar e incluindo-se também a atividade das mãos em pegar e manipular objetos. Observam-se os comportamentos acima descritos de maneira seqüencial e integrada nas idades-chave de: 4 semanas. que obedecem a uma normatização. COMPORTAMENTO PESSOAL-SOCIAL = reações da criança relacionadas a sua cultura social (influenciadas pelo ambiente).MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO 1 ) GESELL Claudia Carelli Os trabalhos de Gesell e a forma estruturada como estabeleceu o exame para diagnóstico dos desvios do desenvolvimento trouxeram enorme contribuição para a pratica da Pediatria do Desenvolvimento. COMPORTAMENTO ADAPTATIVO = organização e adaptação sensorio-motora frente aos estímulos. engatinhar. CASO CLINICO: Criança com histórico de prematuridade. como objetos e mobiliário. Quando a criança é avaliada também sob o aspecto qualitativo. COMPORTAMENTO DE LINGUAGEM = comunicação verbal e/ou não-verbal para compreensão e expressão. sentar. as possibilidades de falha diagnóstica diminuem. Mês) Fracasso (na voz) do 8 º ou o 9 º mês Parte . 28 semanas.. 18 meses. A padronização das respostas da criança em diferentes situações. COMPORTAMENTO MOTOR = aquisições motoras como: sustentar a cabeça. 4. nas idades cronológicas especificas. principalmente no primeiro ano de vida. Quando a criança é prematura.Smile (de 3. A seguir usaremos um caso para exemplificar a aplicação do Gesell. foram divididas em quatro aspectos principais: 1. 24 meses e 36 meses.. Precedendo a avaliação da criança é feita uma entrevista com os pais para levantamento do histórico clinico e familiar. estando intimamente relacionado ao aspecto cognitivo. 3. 16 semanas. 12 meses. Mês) Angustia (de 8. contudo a sua aplicação num contexto de atendimento por uma equipe multidisciplinar o torna mais abrangente e eficaz. 2. Outros exemplos de possível falha são os problemas de ordem emocional e de aprendizagem. assim como para a elaboração de outras escalas de desenvolvimento. servindo de base para estudos posteriores na área do comportamento infantil. já que algumas criancas mesmo com uma disfunção neuromotora leve poderão ter um bom desempenho numa avaliação quantitativa. deve ser utilizada a idade corrigida. O exame proposto por Gesell vem sendo utilizado no acompanhamento do desenvolvimento de criancas de risco. 40 semanas. O resultado final é quantitativo e expresso como quociente de desenvolvimento (QD). (I) AVALIAÇÃO: Idade Cronológica: 1 ano e 2 meses / Idade Corrigida: 1 ano . asfixia e problema respiratório. Para o exame são necessários materiais simples.

. o mais próximo possível de sua idade nas varias situações de vida diária. e o pior desempenho (QD) observado na segunda avaliação. na primeira avaliação é compatível com o diagnóstico. dentro de uma avaliação por equipe multidisciplinar. Porem a intervenção de uma equipe multidisciplinar permitiu que através de adaptações apropriadas. porem o diagnóstico funcional não deve se basear num item do exame. mas num conjunto de dados. A evidente defasagem na área motora. a criança fosse capacitada a responder em termos funcionais. CONCLUSÃO: O teste de Gesell consiste num bom parâmetro para o acompanhamento do desenvolvimento.87% (II) AVALIAÇÃO: Idade cronológica: 3 anos e 2 meses 7 meses 1 ano compreensiva expressiva 11 meses 10 meses 1 ano 58% 100% 92% 83% 100% CONDUTA MOTORA CONDUTA ADAPTATIVA CONDUTA LINGUAGEM CONDUTA PESSOAL-SOCIAL Quociente de Desenvolvimento (QD) = 55% 11 meses 1 a e 9m 2 anos 2 anos 30% 58% 66% 66% ANÁLISE DO RESULTADO: O acompanhamento do caso permitiu o diagnóstico clínico de quadriplegia espástica com componente atetóide. qualitativamente.CONDUTA MOTORA CONDUTA ADAPTATIVA CONDUTA LINGUAGEM CONDUTA PESSOAL-SOCIAL Quociente de Desenvolvimento (QD) = 85% . também é decorrente do quadro motor.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful