1.

PARA A CHEFIA Como primeiras palavras de estímulo aos candidatos a chefes escoteiros, contradizemos a opinião de que, para ser um chefe eficiente, o indivíduo precisa ser um super-homem. Ele deve ser simplesmente um Homem-Menino, isto é: a. Deverá ter espírito jovial; b. Deverá compreender as necessidades, aspirações e desejos correspondentes às diversas idades dos jovens; c. Deverá agir mais sobre cada rapaz individualmente do que sobre o conjunto da Tropa Escoteira; d. Finalmente, ele deverá, para obter melhores resultados, criar um espírito de grupo entre os elementos da Tropa Escoteira. 2. ADESTRAMENTO DA CHEFIA É indispensável que um novo Escotista de Tropa Escoteira participe, no menor espaço de tempo possível, de um Curso Preliminar. É aconselhável que o novo Escotista faça um estágio numa Tropa Escoteira já estruturada, Dessa forma terá noções práticas que poderão ser aplicadas na sua própria Tropa Escoteira. A seguir, o Escotista participará de um Curso de Adestramento Básico. Lembre que, para realizar o CAB, o ideal é ter seis meses de experiência na Seção. O Escotista contará ainda, com uma série de literatura, o que o capacitará a montar um melhor programa para seus Escoteiros. No final desta apostila você encontrará uma relação de livros e folhetos úteis. Além disso, é aconselhável que o Escotista mantenha intercâmbio de informações com chefes de outras Tropas Escoteiras. Essa é uma excelente forma de atualização pessoal. Após formada a chefia, abre-se as inscrições para os meninos. 3. PARA INICIAR UMA TROPA ESCOTEIRA Devemos iniciar uma Tropa Escoteira com um número reduzido de meninos. Após a seleção de 6 a 8 meninos, deverá ser emitido um ofício aos pais desses meninos para que compareçam à sede do Grupo Escoteiro. O Chefe do Grupo fará uma entrevista com os pais, que deverão preencher os formulários próprios da UEB. Para selecionar os meninos que você vai iniciar o trabalho deve-se observar os seguintes aspectos: • Idade cronológica e/ou psicológica avançada (12 anos); • Adiantamento escolar compatível com a idade; • Liderança natural em atividades não dirigidas; • Sociabilidade escolar. Estas informações devem ser adquiridas através de 4 maneiras principais: 1. Sua observação e empatia; 2. Contatos com professores, amigos; 3. Informações na secretaria e diretoria da escola;

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 1

4. Fichas de Inscrição. 4. DICAS PARA UMA BOA REUNIÃO DE TROPA • Prepare seu trabalho com antecedência; • Quando em atividade, não deixe os escoteiros ociosos em nenhum momento; • A boa ordem deverá ser uma constante em sua reunião, mas nunca e de forma nenhuma realize exercícios militares, use de disciplina impositiva, faça ameaças, aplique punições, etc. • Explore a criatividade dos escoteiros; • As etapas podem ser vencidas de maneira informal durante um jogo ou atividade; • Evite a aparência de exames e provas; • A novidade e variedade deverão ser o ponto culminante do seu programa; • É útil manter um quadro de etapas atualizado; • As atividades devem ser explicadas com clareza, as regras do jogo devem ser objetivas, de fácil compreensão e motivadoras; • O material da atividade deverá estar totalmente preparado antes da reunião; • Não confie na memória: tenha sempre o programa à mão; • O Sistema de Patrulha é fundamental para o bom desenvolvimento da Tropa Escoteira. Use-o. 5. Adestramento intensivo para o efetivo Após a entrevista com o Chefe de Grupo, inicia-se a primeira reunião da Tropa Escoteira. Da impossibilidade de realização dessa reunião no mesmo dia, deverá ser marcada, no máximo, para a semana seguinte. Este procedimento tem por finalidade não desmotivar o menino, tendo em vista a grande ansiedade do mesmo ao iniciar imediatamente as atividades. Lembramos que o primeiro contato é marcante e, por isso, importante. Para o menino que está ingressando na Tropa Escoteira é de suma importância as atividades recreativas. Elas, através de jogos calmos, moderados e ativos, irão despertar no menino o interesse, a iniciativa, a sociabilidade, a vivacidade, o espírito de patrulha, etc. Poderíamos dizer que proporciona o desenvolvimento físico-mental. Esses jogos devem ser preparados com antecedência, antes de serem apresentados. É importante traçar um objetivo, de acordo com as atividades a serem desenvolvidas. O jogo deverá ser de atividade paralela ao respectivo adestramento. De agora em diante, você deverá utilizar ao máximo o Sistema de Patrulhas. Escolha dois meninos-líderes e faça um sistema de rodízio a cada reunião. Desta forma, você estará observando todos os meninos e será mais fácil depois escolher os prováveis monitores. O adestramento é um plano progressivo. No decorrer de três meses o menino tem condições de chegar a Noviço. Ou seja, fazer a Promessa. Esse período pode ser um pouco alterado, variando de menino a menino. Salienta-se, porém, que o período mínimo para realizar a Promessa não deverá ser inferior a dois meses. Devemos proporcionar adestramento aos escoteiros de todas as classes, permitindo

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 2

o seu progresso de acordo com suas habilidades e capacidades. Não podemos, portanto, exigir demais de um menino. 6. Etapas de Noviço 1. Fraternidade Escoteira 11 - Conhecer a história do Escotismo 12 - Fazer a saudação, dizer o lema, dar o aperto de mão, conhecendo o seu significado, e entrar em forma obedecendo os sinais manuais. 2. Segurança 21 - Conhecer as regras de segurança na sede, na rua, numa excursão 22 - Saber utilizar a faca e o canivete 23 - Conhecer os cuidados de higiene individual 24 - Saber nadar 25 metros em qualquer estilo (somente para a Modalidade do Mar) 3. Comunidade 31 - Saber cantar sozinho ou em coro o Hino Nacional 32 - Saber preparar, hastear e arriar a Bandeira Nacional 33 - Conhecer o significado de Economia 4. Valores 41 - Conhecer e interpretar a Lei e Promessa Escoteira 42 - Conhecer os princípios básicos de sua religião Obs: Esta etapa é a última a ser conquistada 7. Planejamento de uma Reunião Semanal Uma reunião bem planejada e por escrito tornar-se-á uma reunião bem sucedida. É a reunião semanal que mantém o escoteiro no Grupo Escoteiro semana após semana. É a reunião mal planejada que faz com que o Escoteiro perca o interesse e abandone o movimento. 8. Estrutura de uma reunião Abaixo citaremos o esquema de uma reunião. As reuniões deverão seguir esse esquema, variando as atividades e o adestramento. Além disso você poderá incluir ainda, no decorrer de sua reunião, canções escoteiras. • INÍCIO ⇒ B O I A (ou I B O A) - Bandeira, Oração, Inspeção e Avisos; ⇒ Jogo Quebra-Gelo (QG) - um jogo rápido, interessante e que descontrai.

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 3

• DESENVOLVIMENTO ⇒ Adestramento - por exemplo: etapas de segurança, conhecer a história do Escotismo; ⇒ Jogo de aplicação - nesse jogo deverá ser utilizado o adestramento recebido sobre a história do Escotismo, por exemplo; ⇒ Jogo ativo - um jogo onde haja participação bastante ativa; ⇒ Volta à calma - após o jogo ativo deverá ser realizada uma pequena atividade que relaxe o escoteiro; ⇒ Canção. • FINAL ð B O I A 9. PLANEJAMENTO SEMESTRAL Iniciamos as atividades da Tropa Escoteira. PRIMEIRO MÊS Objetivos SEGUNDO MÊS Objetivos TERCEIRO MÊS Objetivos QUARTO MÊS Objetivos - Seleção dos meninos - Adestramento: Fraternidade Escoteira - Rodízio de monitores - Adestramento: Comunidade e Segurança - Avaliação do trabalho e dos meninos - Promessas - Adestramento: Comunidade e Valores - Adestramento de novos elementos - Adestramento de Escoteiros 2a Classe - Sistema de Patrulha - Excursão - Continuação no adestramento - Visita - Reunião com outra Tropa - Promessas dos novos elementos - Grande Acampamento - Recrutamento de novos elementos para completar o efetivo da Tropa
pág. 4

QUINTO MÊS Objetivos

SEXTO MÊS Objetivos

Guia Prático de Jogos e Programas

É evidente que só traçamos alguns pontos. Baseando-se neste trabalho você deverá montar o seu esquema, o seu planejamento. A avaliação a ser feita deverá ser também montada pela Chefia. Poderá ser usada uma ficha de avaliação, pelos jogos ou atividades, interesse demonstrada. A seguir temos um planejamento trimestral que de muito ajudará no início do seu trabalho. 10. SUGESTÕES PARA A CHEFIA DE TROPA Além dos cursos, que serão de grande valor para o Chefe Escoteiro, existe uma vasta bagagem literária. Esta será fundamental e extremamente necessária para a correta aplicação do adestramento dos meninos e utilização na prática em atividades a serem realizadas. Além disso, o novo Grupo Escoteiro contará com o apoio de companheiros voluntários do Distrito e da Região Escoteira. Contando com estes itens e mais a boa vontade da Chefia, a Tropa e o Grupo Escoteiro possuem condições excelentes de chegar ao sucesso. Não deverá ser esquecido o seu pronunciamento sempre otimista e favorável frente a seus escoteiros. O sucesso do Método Escoteiro dependerá exclusivamente da Chefia e da maneira como será aplicado. Em primeiro lugar, o Chefe de Seção deve expor, aos assistentes, os objetivos do treinamento escoteiro, e em segundo, sugerir formas de aplicação. É impossível traçarmos um esquema único de particularidades a serem seguidas metodicamente por todas as Tropas Escoteiras. Não existem tropas iguais e muito menos meninos que pensam e agem da mesma forma. Nós montamos uma seqüência lógica de desenvolvimento, mas caberá à chefia desenvolver esse conteúdo a fim de que seja adaptada da melhor forma possível à sua Tropa. Dessa maneira, o sucesso será alcançado. Considerando o Escotismo como um Grande Jogo, devemos nos preocupar em todos os sentidos para o desenrolar do mesmo, usando a criatividade, o desempenho, a liderança, a verdade e a comunicação como principais pontos para a Educação da juventude. O Chefe Escoteiro é o espelho dos escoteiros; portanto pratique o que prega pois as palavras convencem e o exemplo arrasta. Nós temos plena certeza do seu sucesso. Basta um pouco de esforço e boa vontade! Convém lembrar: à Somos um movimento não militarizado; nunca se utilize de ordem unida ou atividades congêneres; à Procure sempre fazer uma análise de si; à Planeje! Organize-se! Faça um quadro de etapas; à Lembre-se: o chefe é o espelho do escoteiro; à Procure não levar seus problemas particulares para as reuniões; à Um chefe escoteiro nada mais é do que um "homem-menino".

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 5

PLANEJAMENTO TRIMESTRAL TEMA 1a R.T. ADESTRAMENTO NOVIÇO - Saudação - Sinal Escoteiro - Lema - Aperto de mão História do Escotismo Estrutura da Tropa Escoteira Revisão 1a, 2a e 3a R.T. à Bandeira Nacional à Hino Nacional Sinais Manuais Regras de Segurança • em casa e na sede • em excursão no campo • em excursão na estrada • Faca e canivete • Cuidados de higiene pessoal Revisão 4a, 5a, 6a e 7a RT • Comunidade (parte introdutória) • Economia Lei Promessa Revisão 8a, 9a e 10 RT REFERÊNCIA Guia do Escoteiro Noviço, págs 1012 G.E.N. págs 8-10 G.E.N. págs 13-17 Referências Adotadas GEN págs 24-28 GEN págs 12 e 13 GEN págs 17-19

2a R.T. 3a R.T. Excursão 4a RT 5a RT 6a RT

7a RT

GEN págs 19-22

Excursão 8a RT

Referências adotadas GEN págs 22, 23 e 28

9a RT 10a RT Excursão

GEN págs 22, 29 e 30 GEN pág. 31 Referências adotadas

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 6

1a REUNIÃO DE TROPA TEMPO DESENVOLVIMENTO 0:00 Inspeção Oração Hasteamento Avisos 0:15 Apito e Alçapão 0:20 Saudação Sinal escoteiro Lema Aperto de mão 0:45 O Ídolo de Bula 1:10 Ziguezague 1:20 Cavaleiros Amarrados 1:30 Buldogue Inglês 1:45 Inspeção Oração Arriamento Avisos 2:00 Cadeia da Fraternidade JOGOS: 1. Apito e Alçapão 2. O Ídolo de Bulalonga 3. Ziguezaguebol 1 4. Cavaleiros Amarrados 5. Buldogue Inglês TEMPO 0:00 0:15 0:25 0:40 1:05 1:15 1:40 1:50 2:00 DESENVOLVIMENTO IBOA Círculos Cruzados História do Escotismo Ponto de Interrogação Sacaria Caça ao Tesouro Contrabandistas IBOA Cadeia da Fraternidade ATIVIDADE Rotina jogo ativo geral adestramento jogo técnico jogo de equi grande jogo jogo ativo geral rotina encerramento COORDENAÇÃO ITEM 1 2 3 4 5 6 7 8 9 ATIVIDADE Rotina COORDENAÇÃO ITEM 1

jogo ativo geral adestramento

2 3

grande jogo revezamento jogo de força jogo ativo geral rotina

4 5 6 7 8

encerramento

9

JOGOS: 1. Círculos Cruzados
Guia Prático de Jogos e Programas pág. 7

2. Ponto de Interrogação Material: 1 bola Descrição: O dirigente faz uma pergunta sobre o adestramento e lança a bola para um rapaz que deve respondê-la de imediato, lançando então a bola ao dirigente para que ele formule nova pergunta. Caso o rapaz não saiba respondê-la, lançará a bola para um de seus companheiros, até que obtenha-se a resposta correta. 3. Sacaria 1. Caça ao Tesouro 2. Contrabandistas

Guia Prático de Jogos e Programas

pág. 8