You are on page 1of 16

MANUSEIO DO MICROSCÓPIO ÓPTICO

Vivian Farias de Lima

RA 1020587

Março/2012

etc. [2] O desenvolvimento do microscópio óptico dependeu dos avanços na produção das lentes de vidro. gênese de rochas. complementada pelas técnicas de microscopia eletrônica. etc. [4] O microscópio é um sistema óptico que combina duas lentes. [3] A observação das estruturas encontradas na natureza utilizando microscopia óptica como uma extensão natural da observação a olho nu. que nos permitam distinguir detalhes não revelados a olho nu. petrografia. tanto das ciências biológicas. Histórico Objetivo da microscopia é a obtenção de imagens ampliadas de um objeto. Utilizando um instrumento como esse. O microscópio eletrônico possibilitou a observação direta de aspectos ultraestruturais das células até então desconhecidos. Robert Hooke examinou um pedaço de rolha e em 1665 comunicou para a Royal Society de Londres que a cortiça era composta de uma massa de minúsculas câmaras.1. [1] O d e s e n v o l v ime n t o e a p e r f e i ç o ame n t o d a microscopia eletrônica está intimamente associado ao progresso alcançado pela Biologia.. Mais tarde. representou papel importante no surgimento das ciências da natureza. anatomia. Hooke e alguns outros dos seus contemporâneos foram capazes de visualizar células vivas. O nome “célula” foi estendido até para as estruturas que Hooke descreveu. Ele foi inventado provavelmente pelo holandês Zacharias Janssen (1588-1632) por volta 2 . Introdução 1. nos últimos 100 anos. que ele chamou de “células”. Como resultado dessas novas observações. como a histologia. Pelo século XVII. as lentes foram refi nadas a ponto de tornarem possível a fabricação de microscópios simples. nossa compreensão sobre a organização dos tecidos vegetais e animais foi enormemente ampliada e muitas das nossas ideias a respeito da construção e função celulares foram radicalmente alteradas. e continua uma técnica importante hoje em inúmeras áreas da ciência. que eram apenas as paredes celulares que permaneceram depois que as células vegetais vivas dentro dela morreram. assim como a mineralogia.1.

Quando o microscópio é binocular. Amplia a imagem formada nas objetivas. O primeiro é composto por: 1.2. O microscópio com ocular convexa foi introduzido logo a seguir por Francisco Fontana (1580-1656).2. Ocular Lente (ou lentes) situada perto do olho do observador. Na superfície de cada objetiva estão indicadas o aumento.de 1609.2. O microscópio óptico Um microscópio óptico é formado por dois sistemas: o sistema óptico e o sistema mecânico (Figura 2). amarelo 10X.2. [5] 1. ampliando a imagem desta. azul 40X e branco 100X (esta última de imersão). possui um mecanismo que permite ajustar a distância interpupilar. As lentes objetivas trazem inscrições que especificam suas características (figura 1) 3 . a abertura numérica e ainda há um anel colorido que indica o aumento: vermelho 4X. 1. É interessante notar que a invenção deste instrumento ocorreu praticamente ao mesmo tempo que a do telescópio.1. Objetivas São as lentes situadas perto da preparação. na versão possuindo ocular côncava.

4 .151. O valor da abertura numérica está diretamente relacionada com o índice de refração do meio por onda a radiação é projetada. Após retirar a lamina da platina. (Wikipedia) O ângulo formado pelo eixo óptico e os raios mais externos ainda cobertos pela objetiva é a medida da abertura numérica. Assim. Nas objetivas de imersão. a abertura numérica. Como se pode ver. colocar o revólver em posição inicial intermediária. uma gota de óleo de cedro é colocada entre a preparação e a objetiva.Aumento de 100x Comprimento do tubo mecânico em mm Espessura da lamínula para qual se formará imagem nítida Valor da abertura numérica Figura 1: Inscrições das lentes objetivas. deve-se em adição. que é o mesmo índice de refração do vidro. para a limpeza. [6] Para a focalização correta de uma preparação com a objetiva de imersão em óleo. na faixa de 1. e as objetivas de imersão têm uma abertura numérica ligeiramente maior. deve-se após focalizar com a objetiva de 40x. O óleo de cedro tem índice de refração igual a 1. cujo índice de refração é igual à unidade. [2] Nas objetivas a seco o meio é o ar. o óleo de cedro faz com que o ângulo de abertura (formado pelos raios mais externos que penetram na objetiva. entre as objetivas de 40x e 100x e com uma gota de óleo de imersão sobre a estrutura a ser observada abaixar a objetiva de 100x (esta lente deve mergulhar na gota de óleo) e focalizar o material mexendo somente o micrométrico. o máximo de abertura numérica para a objetiva a seco é menos do que 1. consequentemente. vindos de um ponto do objeto) se torne maior e.4.2 a 1.

situada ao pé do microscópio. é uma plataforma horizontal com um orifício central que permite a passagem dos raios procedentes da fonte de iluminação.limpar a objetiva de imersão com um lenço de papel macio. 1. para melhor limpeza.5. Platina Também conhecida como mesa. sendo elas a base (ou pé) e o braço. 1.2.7. Fonte de luz Se trata de uma lâmpada halógena de intensidade graduada. Além do sistema óptico. Diafragma Localizado no interior do condensador. Na parte posterior há um nônio que permite 5 . podendo-se fazer o uso de uma solução de éter/clorofórmio (1:1). eliminando os raios muito desviados.6.2. 1. Pode ser fixa simplesmente ou apresentar outra peça superior deslizante movimentada através de botões e denominada de carro ou charriot. o diafragma-iris regula o feixe de raios que atravessa o sistema de lentes. destinada a movimentar a lâmina onde se localiza a preparação a ser observada. Sua superfície externa pode possuir uma espécie de anel para a colocação de filtros que facilitam a visualização. É composto por duas partes.2. [7] 1.4. Condensador Sistema de lentes situado abaixo da platina e que tem a função de concentrar a luz gerada pela fonte de iluminação em direção à preparação.2.3. Suporte Mantém o sistema óptico e fornece estabilidade ao aparelho.2. um microscópio é formado pelo sistema mecânico. o qual se compõe de: 1.

1. Tubo de encaixe ou canhão Contém o revólver com as objetivas abaixo e o sistema de lentes oculares acima.2.10. 1. Revólver Contém o sistema de lentes objetivas. 1. Sobre a mesa existem ainda pinças para prender a lâmina.2. O deslocamento grosseiro se faz por meio do parafuso macrométrico. que realiza o enfoque correto. que aproxima o enfoque. Parafusos macrométrico e micrométrico Permitem o deslocamento da platina para cima e para baixo.9.8. [8] 6 .2. e o ajuste por meio do parafuso micrométrico.fixar as coordenadas de qualquer campo óptico. O revólver é provido de movimento circular que permite mudar as objetivas. Existem tubos monoculares e binoculares.

O limite de resolução (LR) depende do comprimento de onda utilizada (‫ )ג‬e da abertura numérica da objetiva (NA). [9] 7 . tem um limite de resolução de até 0. O olho humano tem um poder de resolução de aproximadamente 0.(Ufpel) O limite de resolução refere-se a menos distancia que pode existir entre dois pontos para que apareçam individualizados na imagem formada pelo sistema óptico utilizado. em geral.25 µm (Figura 3).2 mm enquanto que os microscópios comuns.Figura 2: Microscópio óptico e suas partes.

A. Polizeli. 8 . Ilustração.Figura 3: Representação esquemática de Limite de Resolução. M.

Objetivo Desenvolver um estudo sobre o microscópio ótico e seu manuseio.2. 9 .

Após utilização do microscópio óptico. Acendeu-se a lâmpada do sistema de iluminação e colocouse a lamina na platina fixando-a com as presilhas. aperfeiçoando a imagem com o parafuso micrométrico.2. posicionou-se sob a lamínula a lente seguinte a de aumento 4x.1. Vizualizou-se a lamínula por um tempo de modo a familiarizar os olhos com o instrumento. Métodos Verificou-se previamente a voltagem elétrica do aparelho que foi então ligado a rede elétrica. ou perca o foco que é ajustado nos parafusos macro e micrométrico. de menor aumento. o mesmo foi posicionado embaixo da lente objetiva inicial. (1) Onde k=constante com valor 0. abaixou-se a platina ao máximo e retirou-se a lamina do aparelho.61. seja quebrada.3. Com os olhos na lente ocular. girando-se o parafuso macrométrico. e com o auxilio do charriot. Através dos dados contidos nas lentes objetivas. Materiais e Métodos 3. com o cuidado de que ao sistema a ser observado fosse que direcionado para cima. o revolver posicionado a lente inicial de 4x. 10 . a luz foi desligada. girou-se o parafuso macrométrico de modo a aproximá-lo da lente objetiva e formar uma imagem nítida. passando para a de aumento 40x e 100x respectivamente. tomandose os devidos cuidados para que a lente não toque o sistema na platina. Girando o revolver. Materiais Microscópio óptico LMW Lab Junior Lâmina preparada 3. calculou-se o Limite de Resolução (LR) que as lente podem oferecer e o aumento total de cada lente objetiva do microscópio através da equação (1).

AN=abertura numérica da lente em uso. (2) 11 . Aobj=aumento da lente objetiva. Calculou-se o aumento total de cada objetiva do microscópio . Aoc=aumento da lente ocular.55µm). Aoc Onde AT=Aumento total.‫=ג‬comprimento de onda de luz empregada (luz branca=0. pela equação (2) AT=Aobj .

Resultados: Inscrições indicadas das característica de cada lente objetiva.10 10x 0. Tabela 1: Inscrições das características das lentes objetivas.17 oil Após identificar as partes do microscópio (Figura 2).4.65 100x 1. pela inscrição na lente ocular. usando as equações (1) e (2) respectivamente .20 40x 0.25 Comprimento do tudo mecânico (mm) Espessura da lamínula para qual se formará imagem nítida (mm) 160 _ 160 _ 160 0.17 160 0. Calculando o limite de resolução para cada lente: Sabendo-se. estão sintetizadas na tabela 1. o correto manuseio permitiu focar a imagem da lamina. calculou-se o aumento total de cada lente objetiva pela equação (2): 12 . que seu aumento é de 10x. Aumento Abertura Numérica (AN) 4x 0. e através das inscrições contidas no equipamento (Tabela 1) pode-se calcular o limite de resolução (LR) que as lentes objetivas podem fornecer e o aumento total de cada objetiva do microscópio .

25 40x 100x 400x 1000x 3.1 0.6775 0.2 0.5162 0.65 1. na tabela 2.3350 1.AT4x= AT10x= AT40x= 4. Tabela 2: Dados calculados sobre as lentes do microscópio óptico.2684 da Aumento total LR (µm) 13 .10= 40x 10. Ocular Objetiva AN objetiva 10x 10x 10x 10x Panoramica 10x 40x 100x 0.10= 400x AT100x= 100.10= 1000x Tem-se então os dados sobre o microscópio óptico utilizado.10=100x 40.

inclusive dependendo das dimensões do objeto estudado. O Limite de Resolução (LR) é diretamente proporcional ao comprimento de onda da fonte de iluminação. O sistema observado era composto de pequenos peixes. O aumento da imagem não é sinônimo de riqueza de detalhes. A exemplo. em que pode-se observar sua estrutura. uma também maior resolução das lentes e o brilho da imagem formada. o aumento é então apenas o aumento aparente do tamanho da imagem em relação ao objeto. O limite de resolução mostra o quão próximos podem ser dois pontos e ainda identificados individualmente. proporciona um limite de resolução 1000 vezes menos que o limite do olho humano. 14 . A abertura numérica da lente.5. o aumento da imagem pode torná-la fora de foco. permitindo que corpos ainda que muito próximos possam ser identificados individualmente. a lente objetiva de 100x. O limite do olho humano é de 0. torna a imagem mais nítida quando a primeira é maior e o segundo é menor. Discussões As lentes objetivas apresentam aberturas numéricas diretamente proporcionais a sua capacidade de aumento o que proporciona as lentes de maior aumento.2 mm [9]. de acordo com a aproximação da imagem através de lentes objetivas de diferentes poderes de aumento e resolução.o microscópio faz com que diminua esse limite. podendo aumentar ou diminuir o poder de resolução do microscópio se utilizadas fontes de luz com comprimentos de onda menores ou maiores. de modo inversamente proporcional ao limite de resolução. organelas.

Quanto maior a abertura numérica e menor o limite de resolução. fazendo-a mais nítida. maior será a capacidade de aumento aparente do objeto. Quanto maior for o aumento das lentes oculares e objetivas. deve-se compreender o manuseio do microscópio eletrônico para que se possa focar a imagem e observar os pontos desejados. Conclusão Para obtenção de um total aproveitamento de imagem do objeto estudado. melhor a resolução da imagem. As lentes de imersão tem maiores aberturas numéricas proporcionadas pelo óleo utilizado. 15 .6.

Belem: Universidade da Amazonia. pdf>. jan/dez. [7] MANUAL de aula prática: Citologia. Referencias Bibliográficas [1] MANNHEIMER. 16 . 2012. 2002. Cuiabá: 2010. 300 p. ed. Manual prático de biologia celular.7. [3] ALBERTS. Ribeirão Preto-SP: Editora Holos. 2. 2006. 2ª Ed. [5]Zilio. 2000.com/crazy3/qfl2308/1_multipart_xF8FF_6_Microscopia_otica.Fundamentos e aplicações. 221p. . 54 p. Dr. v. Departamento de Farmácia: Ufpr. Apostila de Drogas de Farmacognosia:Microscopia Identificação Vegetais. n. Walter A. 164 p. [4] GOLDENSTEIN. 2003 Palestra Introdução a Microscopia Eletronica.33-35. Porto Alegre: Artmed. Maria de Lourdes T. Microscopia Optica. Rio de Janeiro: E-papers Serviços Editoriais. 866 p. 2008. Cid Optica Aimbiré e de Moraes. São Paulo.1/2. Apendice B: Microscópio. [6] UNAMA. 2009.angelfire. Moraes. Óptica Moderna . Microscopia dos materiais: Uma introdução. São Carlos: Compacta. Prof. Fundamentos da biologia celular. 33 Biologico. p. Acesso em: 12 mar. Hélio. [2] Introdução a microscopia eletrônica. 26 p. Bruce et al.. 2008. [9] POLIZELI. Sérgio C. Disponível em: <http://www. 23 p.65. [8] SANTOS.