You are on page 1of 5

PARTE ESPECIAL DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CRIMES CONTRA A VIDA HOMICÍDIO – De forma geral, o homicídio é o ato de destruição

da vida de um homem por outro homem. De forma objetiva, é o ato cometido ou omitido que resulta na eliminação da vida do ser humano. Espécies Homicídio simples – Artigo 121 do CPB – É a conduta típica limitada a “matar alguém”. Esta espécie de homicídio não possui características de qualificação, privilégio ou atenuação. É o simples ato da prática descrita na interpretação da lei, ou seja, o ato de trazer a morte a uma pessoa.

Perdão Judicial - Na hipótese de homicídio culposo, o juiz poderá deixar de aplicar a pena, se as conseqüências da infração atingirem o próprio agente de forma tão grave que torne desnecessária a sanção penal. Induzimento, instigação ou auxílio a suicídio - Artigo 122 do CPB – Ato pelo qual o agente induz ou instiga alguém a se suicidar ou presta-lhe auxílio para que o faça. Reclusão de dois a seis anos, se o suicídio se consumar, ou reclusão de um a três anos, se da tentativa de suicídio resultar lesão corporal de natureza grave. A pena é duplicada se o crime é praticado por motivo egoístico, se a vítima é menor ou se tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência. Neste crime não se pune a tentativa. Infanticídio - Artigo 123 – Homicídio praticado pela mãe contra o

Homicídio privilegiado - Artigo 121 - parágrafo primeiro – É a conduta típica do homicídio que recebe o benefício do privilégio, sempre que o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, logo após a injusta provocação da vítima, podendo o juiz reduzir a pena de um sexto a um terço. Homicídio qualificado - Artigo 121 - parágrafo segundo – É a conduta típica do homicídio onde se aumenta a pena pela prática do crime, pela sua ocorrência nas seguintes condições: mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe; por motivo fútil, com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou do qual possa resultar perigo comum; por traição, emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido; e para assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou a vantagem de outro crime. Homicídio Culposo - Artigo 121- parágrafo terceiro – É a conduta típica do homicídio que se dá pela imprudência, negligência ou imperícia do agente, o qual produz um resultado não pretendido, mas previsível, estando claro que o resultado poderia ter sido evitado. No homicídio culposo a pena é aumentada de um terço, se o crime resulta de inobservância de regra técnica de profissão, arte ou ofício, ou se o agente deixa de prestar imediato socorro à vítima. O mesmo ocorre se não procura diminuir as conseqüências do seu ato, ou foge para evitar prisão em flagrante. Sendo o homicídio doloso, a pena é aumentada de um terço se o crime é praticado contra pessoa menor de quatorze ou maior de sessenta anos.

filho, sob condições especiais (em estado puerperal, isto é, logo pós o parto). Aborto - Artigo 124 – Ato pelo qual a mulher interrompe a gravidez de forma a trazer destruição do produto da concepção. No auto-aborto ou no aborto com consentimento da gestante, esta sempre será o sujeito ativo do ato, e o feto, o sujeito passivo. No aborto sem o consentimento da gestante, os sujeitos passivos serão o feto e a gestante. Aborto provocado por terceiro – É o aborto provocado sem o consentimento da gestante. Pena: reclusão, de três a dez anos. Aborto provocado com o consentimento da gestante – Reclusão, de um a quatro anos. A pena pode ser aumentada para reclusão de três a dez anos, se a gestante for menor de quatorze anos, se for alienada ou débil mental, ou ainda se o consentimento for obtido mediante fraude, grave ameaça ou violência. Forma qualificada - As penas são aumentadas de um terço se, em conseqüência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante sofrer lesão corporal de natureza grave. São duplicadas se, por qualquer dessas causas, lhe sobrevém a morte. Aborto necessário - Não se pune o aborto praticado por médico: se não há outro meio de salvar a vida da gestante; e se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal. . yesconcursos . com . br

1

sob seu cuidado.As penas cominadas aumentam-se de um terço: se o abandono ocorre em lugar ermo. tutor ou curador da vítima. debilidade permanente de membro.Artigo 129 . para fim de educação. ou aborto. e triplicada. A pena é aumentada de metade.prestação de serviços em estabelecimentos de qualquer natureza. se o agente é ascendente ou descendente. Lesão corporal culposa – Se o agente não queria o resultado do ato praticado. seguida de injusta provocação da vítima. quando possível fazê-lo sem risco pessoal. Pena: detenção. o socorro da autoridade pública.Artigo 132 .Se o agente comete o crime impelido por motivo de relevante valor social ou moral.Expor alguém. cônjuge ou companheiro. 2 . a contágio de moléstia venérea. Lesão corporal de natureza gravíssima . cônjuge. Rixa . incapaz de defender-se dos riscos resultantes do abandono. de três meses a três anos. perigo de vida. se da omissão resulta a lesão corporal de natureza grave. Violência doméstica . por qualquer motivo. Lesão corporal de natureza grave . enfermidade incurável.parágrafo primeiro . tratamento ou custódia. sentido ou função. A pena é aumentada de um sexto a um terço. e se o crime é praticado contra pessoa menor de quatorze anos. o aumento da pena. nem assumiu o risco de produzi-lo (é o homicídio preterintencional). Perigo de contágio de moléstia grave . perda ou inutilização do membro. ato capaz de produzir o contágio. se a exposição da vida ou da saúde de outrem a perigo decorre do transporte de pessoas para a Omissão de socorro .Praticar. pelo fato da participação na rixa. deformidade permanente. São aplicadas as qualificadoras. Se ocorrer morte ou lesão corporal de natureza grave. Aumento de pena . irmão. ou aceleração de parto.Se resulta morte e as circunstâncias evidenciam que o agente não quis o resultado. mesmo sabendo que tal resultado era previsível.Se resulta: incapacidade permanente para o trabalho. Perigo para a vida ou a saúde de outrem . quer abusando de meios de correção ou disciplina. em desacordo com as normas legais. aplica-se. à criança abandonada ou extraviada. Maus-tratos .Artigo 130 do CPB .parágrafo primeiro . DA PERICLITAÇÃO DA VIDA E DA SAÚDE Perigo de contágio venéreo . guarda. quer privando-a de alimentação ou cuidados indispensáveis.Expor a perigo a vida ou a saúde de pessoa sob sua autoridade. Diminuição de pena . irmão. guarda ou vigilância. com o fim de transmitir a outrem moléstia grave de que está contaminado. descendente.Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente. ao desamparo ou em grave e iminente perigo. por mais de trinta dias. ensino. LESÕES CORPORAIS Abandono de incapaz . com violência física recíproca ou com vias de fato. o juiz pode reduzir a pena de um sexto a um terço.Artigo 137 – Briga ou contenda entre três ou mais Exposição ou abandono de recém-nascido . de coabitação ou de hospitalidade. ou à pessoa inválida ou ferida.Abandonar pessoa que está Lesão corporal . Haverá aumento da pena se do fato resulta lesão corporal de natureza grave ou morte. e se a vítima é maior de sessenta anos.Artigo 131 .Artigo 134 . ou ainda prevalecendo-se o agente das relações domésticas. sentido ou função.Se resulta: incapacidade para as ocupações habituais.Artigo 136 . ou ainda sob o domínio de violenta emoção. nesses casos. quer sujeitando-a a trabalho excessivo ou inadequado.Expor ou abandonar recém-nascido para ocultar desonra própria. de que sabe ou deve saber que está contaminado.Artigo 129 .Artigo 133 . ou não pedir. e.Deixar de prestar assistência. por meio de relações sexuais ou qualquer ato libidinoso. Lesão corporal seguida de morte . sempre que o fato resulta lesão corporal de natureza grave ou se resulta a morte. se resulta a morte.Se a lesão for praticada contra ascendente.Artigo 135 . pessoas. ou com quem conviva ou tenha convivido. vigilância ou autoridade.Ofensa à integridade corporal ou a saúde de outra pessoa.

no caso do inciso I do artigo 141. Exceção da verdade . embora de ação pública. em razão de suas funções. Ação Penal .O autor do fato criminoso que. pela parte ou por seu procurador. não as dá de forma satisfatória. se infere calúnia. 3 . constituindo o fato imputado crime de ação privada. o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível. no caso do inciso II do mesmo artigo. se qualquer dos crimes é cometido: contra o Presidente da República. 140.Caluniar alguém. na presença de várias pessoas. o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível. origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência.A exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício das suas funções.Artigo 139 . Honra objetiva é a aferição feita entre o sujeito e sua participação no meio social em que vive. alusões ou frases. de forma reprovável. salvo: se. imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação.Nos crimes contra a honra somente se procede mediante queixa. Retratação .Não constituem injúria ou difamação punível: a ofensa imposta em juízo. Disposições comuns . responde pela ofensa.Se. provocou diretamente a injúria e no caso de retorsão imediata. intelectuais e físicos referentes a uma pessoa.As penas cominadas aumentam-se. Aquele que se recusa a dá-las ou. da difamação ou da injúria. quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. por sua natureza ou pelo meio empregado. contra funcionário público.Artigo 138 . que.Artigo 144 . e o conceito desfavorável emitido por funcionário público. Injúria . difamação ou injúria.Artigo 143 .Artigo 140 . salvo quando da violência resulta lesão corporal (no caso do § 2º do art. etnia. salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar. e se do crime imputado. ou por meio que facilite a divulgação da calúnia.Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa. É punível a calúnia contra os mortos. Pedido de explicações .Artigo 142 . que trata do crime praticado contra o Presidente da República ou contra chefe de governo estrangeiro. A honra pode ser conceituada como conjunto de atributos morais. em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.CRIMES CONTRA A HONRA Todos os crimes que atingem a integridade ou a incolumidade moral da pessoa humana. na discussão da causa. exceto no caso de injúria.Injuriar alguém. quando o ofendido. O juiz pode deixar de aplicar a pena. de referências. se considerem aviltantes.Artigo 145 . e mediante representação do ofendido. imputando-lhe falsamente fato definido como crime. Pode aumentar a pena: se a injúria consiste em violência ou vias de fato. fica isento da pena. sabendo falsa a imputação. Difamação . se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação. a opinião desfavorável da crítica literária. antes da sentença. que trata da injúria seguida de violência). Aplicação da pena em dobro . que consista em outra injúria. ou contra chefe de governo estrangeiro. a critério do juiz. cor.Difamar alguém. aplica-se a pena em dobro.parágrafo terceiro . ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro. Honra subjetiva é a auto-aferição dos atributos pessoais. iniciando a ação penal pela queixa-crime. e se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça. Na mesma pena incorre quem. se o fato é imputado a qualquer das pessoas indicadas no inciso I do artigo 141. Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça. Exclusão do crime .Artigo 138 . Calúnia . Os crimes contra a honra são de ação privada. Exceção da verdade . a propala ou divulga. ou contra pessoa maior de sessenta anos ou portadora de deficiência.Admitese a prova da verdade. artística ou científica. religião.

Artigo 147 . se a privação da liberdade dura mais de quinze dias. com abuso de função em serviço postal. ou está na iminência de o ser. cor. O crime somente se procede mediante representação. Exclusão de ilicitude .Artigo 148 . radioelétrico ou telefônico. cônjuge ou companheiro do agente ou maior de sessenta anos. ou ainda com abuso do poder. aposento ocupado de habitação coletiva. sem observância de disposição legal.Ameaçar alguém. sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto. por qualquer meio. compartimento não aberto ao público. também com o fim de retê-lo no local de trabalho. ou depois de lhe haver reduzido. radioelétrica ou telefônica . para efetuar prisão ou outra diligência. subtrair ou suprimir correspondência. a qualquer hora do dia ou da noite. se cometido por duas ou mais pessoas. Seqüestro e cárcere privado . por qualquer outro meio. telegráfico.Artigo 149 Reduzir alguém à condição análoga a de escravo. tácita de quem de direito. Aumento da pena . e se o fato é cometido por funcionário público. ou revelar a estranho o seu conteúdo.Artigo 150 . desviar. onde alguém exerce profissão ou atividade. taberna. quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho. etnia. religião ou origem. Também é punido quem se apossa indevidamente de correspondência alheia. estalagem ou qualquer outra habitação coletiva. fora dos casos legais. Somente se procede mediante representação. se há emprego de violência ou de arma.Privar alguém de sua liberdade.Artigo 146 – É o ato de constranger alguém – mediante violência ou grave ameaça. a capacidade de resistência – a não fazer o que a lei permite. Há aumento da pena: se o crime é cometido durante a noite. descendente. mediante seqüestro ou cárcere privado. por palavra. ou com inobservância das formalidades estabelecidas em lei. ou há emprego de armas. quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva. ou em lugar ermo. Não se compreendem na expressão "casa": hospedaria. ou conversação telefônica entre outras pessoas.As penas aplicam-se cumulativamente e em dobro. quer restringindo. casa de jogo e outras do mesmo gênero.Não constitui crime se a entrada ou permanência em casa alheia ou em suas dependências ocorrer: durante o dia.Quem indevidamente divulga. ou ainda se o crime é praticado com fins libidinosos.Entrar ou permanecer. Também comete esse crime quem impede a comunicação ou a conversação mencionadas. no todo ou em parte. para a execução do crime. aplicam-se também as correspondentes à violência. e se o agente comete o crime. A pena é aumentada: se a vítima é ascendente. ou quando algum crime está sendo ali praticado. escrito ou gesto. Redução à condição análoga a de escravo . com o fim de retê-lo no local de trabalho.Abusar da condição CRIMES CONTRA A INVIOLABILIDADE DO DOMICÍLIO Violação de domicílio . Há aumento da pena: se há dano para outrem. O aumento da pena ocorre se o crime é cometido contra criança ou adolescente. no todo ou em parte. embora não fechada e. se o crime é praticado mediante internação da vítima em casa de saúde ou hospital. em casa alheia ou em suas dependências. transmite a outrem ou utiliza abusivamente comunicação telegráfica ou radioelétrica dirigida a terceiro. Nas mesmas penas incorre quem cerceia o uso de qualquer meio de transporte por parte do trabalhador. ou contra a vontade expressa ou de sócio ou empregado de estabelecimento comercial ou industrial para. dirigida a outrem. clandestina ou astuciosamente. A expressão "casa" compreende qualquer compartimento habitado.CRIMES CONTRA A LIBERDADE INDIVIDUAL DOS CRIMES CONTRA A LIBERDADE PESSOAL Constrangimento ilegal . com observância das formalidades legais. ou a fazer o que ela não manda. e quem instala ou utiliza estação ou aparelho radioelétrico. a oculta ou destrói. Além das penas impostas. enquanto aberta.Artigo 152 . Violação de comunicação telegráfica. 4 . se reúnem mais de três pessoas. CRIMES CONTRA A INVIOLABILIDADE DE CORRESPONDÊNCIA Violação de correspondência Artigo 151 Devassar indevidamente o conteúdo de correspondência fechada. ou por motivo de preconceito de raça. se o crime é praticado contra menor de dezoito anos. Correspondência comercial . sonegar. e quem mantém vigilância ostensiva no local de trabalho ou se apodera de documentos ou objetos pessoais do trabalhador. quando. ou qualquer outro meio simbólico que lhe cause mal injusto e grave. Ameaça .

5 .