You are on page 1of 6

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE JARDIM CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

Acadêmicos: Hans Muller Rios, Katia M. B. Maciel, Luiz Carlos Ximenes, Mariane Nagel e Tereza Echeverria. .

SOBRE A GEOGRAFIA FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

Análise dos livros didáticos do Ensino Médio

Jardim 2012

B. JARDIM 2012 . Mariane Nagel e Tereza Echeverria. SOBRE A GEOGRAFIA FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Análise dos livros didáticos do Ensino Médio Trabalho apresentado à disciplina de Estágio Supervisionado II do 4º ano do Curso de Licenciatura em Geografia. ministrado pelos Professores Msc. Elvis dos Santos Mattos e Gezeli Eberhard. Luiz Carlos Ximenes. Katia M. Maciel.Hans Muller Rios.

como os homens produzem e como no processo de produção se apropriam da natureza” (SUERTEGARAY. 5) “Não se trata simplesmente . 8). que habita uma parte deste espaço terrestre e que constrói no seu dia a dia uma sociedade. Em relação à natureza. o 31º Núcleo do CPRS. 1985. Uma dessas alternativas aparece contida no Projeto de Estudos Sociais desenvolvido através de parceria entre. relações estas que já nos referimos (relações sociais de produção). ou como segunda natureza – a natureza transformada pelo trabalho humano”. Segundo Vesentini e Vlach (2002. professores e alunos deverão procurar entender que ambas – sociedade e natureza –constituem a base material ou física sobre a qual o espaço geográfico é construído”. Isto permite desvendar. 1997. 115). p. 1991. “Para fazer dos estudos sociais um estudo que prepare para a vida. não somente relações homem-natureza. questionou-se teórico metodologicamente a incorporação da Natureza nos estudos geográficos. Considerar como forma determinante da organização espaço. e que não seja apenas um conjunto de informações supérfluas é que precisamos buscar alternativas” (CALLAI. SMEC de Ijuí e Unijuí desde 1984. Dr. que oriente o aluno na sua situação de cidadão.os elementos biofísicos de uma paisagem –. a 36ª Delegacia de Educação (assim denominada à época). p.ª Departamento de Geografia /UFRGS Com o advento da Geografia Crítica. mas principalmente as relações entre os homens. além da qualidade das relações entre os homens numa dada sociedade. “No ensino. 87).SOBRE A GEOGRAFIA FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Dirce Maria Antunes Suertegaray Profª. p. p. (PCNs. os proponentes indicam duas possibilidades de concebê-la: como “primeira natureza .

no âmbito do processo produtivo. antes da crítica à Geografia Clássica.de abandonar uma alternativa em favor de outra completamente diferente. os ensinos fundamental e médio eram compartimentados e assim se expressavam nos livros produzidos. devido às implicações na qualidade de vida. criar novos conceitos. Até então. Neste momento. fornece recursos e é instrumento de produção.  Uma negação do conhecimento da natureza na sua dinâmica. fundamental à Geografia. ao mesmo tempo. Por esses motivos nos livros podem ser visualizados:  Uma pequena influência e uma permanência da forma clássica de compreender e ensinar a natureza. como. de outro considerou desnecessário o reconhecimento da dinâmica da natureza nos estudos geográficos. a própria questão ambiental não era valorizada por alguns teóricos da Geografia que a viam como contradição secundária no âmbito do Modo de Produção Capitalista. ou o espaço construído socialmente. Favoreceu o debate sobre a relação natureza e sociedade. nas aulas ministradas. num momento histórico que exige novas formas de abordagem e compreensão do mundo”. e não mais natureza em si. também. Esta etapa onde a Geografia Crítica se reavalia e passa dar espaço à temática ambiental se colocando como uma temática contemporânea que se preocupa com a degradação da natureza como questão também central não somente. natureza socializada. A Terra dá suporte. ou seja. ou seja. . mas de manter e atualizar conceitos clássicos e. como também. interessava à Geografia compreendê-la nesta perspectiva. considerando que o que importa a Geografia é a produção do espaço. transformada. portanto. epistemologicamente.

Diante do exposto o tema sugere que devamos nos questionar “sobre a existência ou não da Geografia Física nesses níveis de ensino. concebida como natureza transformada. e que nos remete à discussão de outra questão colocada inicialmente a que faz referência à Geografia Física enquanto parte da Geografia. temos a proposta de ensino de Geografia para o ensino fundamental expressa da seguinte forma: “As noções de sociedade. Um resgate dos estudos da natureza. a proposta nestes níveis de ensino é ensinar Geografia ou Geografia Física e Geografia Humana?” Estando presentes os conteúdos. em nosso entendimento significativa. por ser descritiva e memorizante. predominantemente. perguntar-nos: ainda é ensinado Geografia Física no Ensino Fundamental e Médio? Ou. em que mudou o ensino da Geografia Física? Em nosso entendimento na renovação destes e forma de abordá-los.indicam uma proposta de ensino mais dinâmica e explicativa. na sua historicidade. Observando as propostas de ensino de Geografia contidas em livros ou parâmetros. cultura. considerando que é fundamental construir uma consciência ambiental e de preservação do planeta. aqui incluindo a natureza.. visualiza-se um encaminhamento analítico que propõe a não compartimentação. transformação. Tomando-se como referência os PCNs. Ou. como paisagem. dinâmica. pelo menos em termos de proposições (que só em parte atingem a sala de aula). Poder-se-ia dizer que. Cabe registrar outra mudança. Esta nova visão privilegia o conhecimento e a construção do espaço geográfico lido. se a Geografia foi considerada no ensino enfadonha. mais recentemente. trabalho e natureza são fundamentais e podem ser abordadas por meio de temas nas quais as .

de relevo etc. sem maximiza-los ou minimiza-los. A. sem inserir o homem nos problemas que a natureza vem enfrentando. 117). Geografia Geral e do Brasil” de Demétrio Magnoli e Regina Araújo. que contradiz o PCN. concluímos que o livro de Eustáquio de Sene aborda mais o aspecto físico. deixando o aspecto humano falho.” (PCNs. explicando cada fator geográfico detalhadamente. No Livro de Demétrio Magnoli e Regina Araújo. apontando somente aspectos físicos. M. Referências Bibliográficas SUERTEGARAY. volume único. ele procura inserir as questões da relação homem x natureza na dinâmica do ambiente físico.PCN . é um conhecimento mais compartimentado. p. PARAMETROS CURRICULARES NACIONAIS . a abordagem já é diferente por que ele discute as questões propostas pelo PCN de uma forma mais abrangente. Sendo assim com a análise dos Livros Didáticos do 1º Ano do Ensino Médio “Geografia Geral e do Brasil” de João Carlos Moreira e Eustáquio Sene e do Livro “Geografia – A construção do mundo.dinâmicas e determinações existentes entre a sociedade e a natureza sejam estruturadas de forma conjunta. Nos livros didáticos mais recentes o que é para ser ensinado no ensino fundamental e médio. volume único. 1997. ele aborda as questões climáticas. SOBRE A GEOGRAFIA FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. diz respeito à Geografia como ciência não compartimentada.