KRISHNA KARNAMRTA

NÉCTAR PARA OS OUVIDOS DE KRISHNA BILVA MANGALA THAKURA
(TRADUZIDO E REVISADO EM PORTUGUÊS)

Dedicado a Om Vishinupada Astottara-sata Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Goswami Maharaja

1

Shri Guru pranama om ajnana-timirandhasya jnananjana-shalakaya caksur unmilitam yena tasmai shri gurave namah Ó Gurudeva, você é tão misericordioso! Ofereço-lhe meu humilde pranama e oro do fundo do meu coração para que, com a luz do conhecimento divino, você abra meus olhos, que estão cegos pela escuridão da ignorância.

2

Shrila Bhaktivedanta Narayana Gosvami vandana nama om vishnu-padaya radhikayai priyatmane shri-shrimad-bhaktivedanta-narayana iti namine Ofereço pranama a om visnupada Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaja, que é muito querido por Srimati Radhika. shri-krishna-lila-kathane sudaksham audarya-madhurya-gunaish ca yuktam varam varenyam purusham mahantam narayanam tvam shirasa namami Srila Narayana Maharaja é perito em descrever krsna-lila. Ele é dotado com as qualidades da magnanimidade e doçura e é a melhor das grandes almas. Por estar sempre saboreando a doçura de Krsna, ele é capaz de distribuí-la livremente aos outros. Prostro-me e coloco minha cabeça a seus pés de lótus. tridandinam bhakta-shiromanim ca shri-krishna-padabja-dhritaika-hridi chaitanya-lilamrita-sara-saram narayanam tvam satatam prapadye Srila Narayana Maharaja é o mais precioso dentre os Tridandi-sannyasis. Ele guarda em seu coração os pés de lótus de Radha e Krsna, particularmente Krsna servindo a Srimati Radhika. Ele medita profundamente em Sri Caitanya Mahaprabhu e nas razões internas do Seu advento. Prostro-me aos pés de lótus de Srila Narayana Maharaja, que possui inúmeras qualidades transcendentais. Shri Panca-tattva mantra shri krishna-chaitanya prabhu-nityananda shri advaita gadadhara shrivasadi-gaura-bhakta-vrinda Maha-mantra

Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare

3

Introdução

Bilvamangala Thakura era um brahmana, discípulo de Somagiri (diksa-guru), seu nome de iniciação era Lilasuka, por ser perito em descrever os passatempos amorosos (madhuryarasa) do Casal Supremo Sri Sri Radha e Krishna. Ele se sentia profundamente extasiado ao cantar sobre os passatempos de Govinda. Certa vez em Vrindavana, Sri Krishna pessoalmente serviu Prasadam para ele. Lilasuka escreveu muitos versos e canções cheios de Krishna Prema (amor puro por Krishna). O Krishna Karnamrita foi seu trabalho mais famoso, sendo o primeiro dos livros autênticos a revelar a Suprema posição de Srimat Radhika na Sri Krishna Vrndavana Madhurya Lila, depois os escritos dos seis Goswamis, Ramananda Raya, Prabhodananda Sarasvati, Krishna dasa Kaviraja, Visvanatha Cakravarti Thakur e Bhaktivinoda Thakur expandiram esta ideia. Eles desenvolveram o conceito de exclusividade em servir e adorar Srimat Radhika, a rainha de Vrndavana. Bhaktivinoda Thakur escreveu em seu Saranagati; “Por servir os pés de lótus de Sri Radha, a filha de Vrsabhanu Maharaja, eu me tornarei uma serva das Gopis. Eu sempre estarei servindo a Srimat Radhika com meu coração, pois o prazer de Radha é a fonte do prazer de Krishna. O Krishna Karnamrita é uma exaltada escritura para ser interpretada por devotos seniores, mas o misericordioso devoto Krishna das Kaviraja escreveu o Sarangarangada, um comentário onde ajuda os devotos a entenderem e descobrirem o néctar e significado do Krishna Karnamrita. Simplesmente por lê-lo, alguém se torna atraído aos passatempos de Radha-Govinda Vraja Lila. Bilvamangala Thakura foi um adepto do monismo impessoal, mas depois de Sua associação com Krishna em Vrindavana, ele se tornou um estimado devoto. O mesmo aconteceu com Sukadeva Goswami, que pela graça do Senhor trilhou o caminho do serviço devocional e abandonou o conceito impersonalista. A explicação para estas mudanças estão descritas no Bhakti-Rasamrita-Sindu. Às vezes um devoto atinge a realização última da verdade absoluta, por ter trilhado o caminho da realização da forma impessoal de Krishna (Brahman) e da porção localizada (paramatma), tornando-se capacitado a entender os tópicos transcendentais do Senhor e atingir a realização última da forma de Krishna conhecido como Bhagavan. Antes de se tornar um associado de Krishna, Bilvamangala Thakur era conhecido como Silhana Misra, quando ele era um Grhastra, ainda jovem se tornou atraído por uma prostituta chamada Cintamani. Bilvamangala Thakura também caiu em suas redes e como resultado disto, rompeu toda relação com seus pais e desapegou-se da sua esposa e filhos. Ele ia vê-la todas as noites e levava presentes que conseguia vendendo suas terras, jóias da sua esposa ou roubando dinheiro ou quadros valiosos. Esperava que ela lhe amasse em troca disso. Após algum tempo, o pai de Bilvamangala morreu e seus familiares organizaram os rituais. No décimo terceiro e último dia da celebração, quando centenas de brahmanas se sentaram no pátio para honrar a mahaprasada , Bilvamangala entrou na cozinha e escondeu algumas preparações dentro de um quadro e mais uma vez foi se encontrar com a prostituta, sem se preocupar se os convidados haviam tomado Prasadam ou não, e sem pensar também na sua esposa e mãe que estavam aflitas. Estava chovendo muito, uma tempestade muito forte com raios e trovões, várias árvores caiam, barrancos desmoronavam, mas mesmo assim Bilvamangala continuava sua travessia para chegar à casa de Cintamani. Às margens do rio que tinha que atravessar, viu que estava este transbordado, mas mesmo assim Bilvamangala se aventurou a atravessá-lo. Por vários momentos quase se afogou, até que conseguiu segurar no que ele

4

pensava ser um tronco de arvore devido à escuridão, mas depois pode perceber que se tratava de um corpo morto de uma menina. Após muito esforço, conseguiu chegar à outra margem do rio extremamente fatigado, mas mesmo assim resolveu continuar a caminhada, atravessando pântanos alagados, refúgios de serpentes venenosas e se arriscando a encontrar algum animal selvagem que poderiam estar ali pela floresta. Depois de muito esforço, ele finalmente chegou à casa da prostituta, mas a porta estava fechada. Permaneceu um tempo ali gritando e esperando para ver se alguém aparecia para abrir a porta. Como ninguém o ouvia, ele tentou outra maneira de entrar no recinto, se dirigiu à parte de trás da casa e avistou o que parecia ser uma corda. Quando ele a agarrou para escalar o muro, viu que se tratava de uma serpente. Muito assustado, soltou a serpente e caiu ao solo, e como resultado do impacto perdeu a consciência. Cintamani ouviu um ruído estranho e mandou uma de suas servas averiguar o que era. ”Foi Bilvamangala que caiu, comunicou a serva um pouco depois.” “Como isto foi acontecer? Como isto é possível? Como ele consegui chegar até aqui?” Cintamani e sua serva transportaram o corpo inconsciente de Bilvamangala Thakur até a casa e pouco a pouco conseguiram voltá-lo a consciência. Ele então relatou todo o ocorrido. Cintamani, a prostituta, disse: “Se você direcionasse todo este seu esforço em servir o Senhor Supremo Sri Krishna, de fato sua vida seria perfeita, mas pelo visto estás muito apegado a esta carne e ossos, coisas materiais temporárias”. No mesmo instante, aquelas palavras entraram no coração de Bilvamangala Thakur, e ele resolveu abandonar toda a vida materialista e os objetos de desfrute sensorial. As palavras da prostituta Cintamani fizeram com que ele despertasse para a vida espiritual e abandonasse a vida materialista sofrível, por isto no seu Mangalacharana verso 1, Bilvamangala Thakur oferece suas humildes e respeitosas reverências a Cintamani, referindo-se a ela como mestre espiritual instrutor. Apesar de ser prostituta, Cintamani tinha a qualidade de desfrutar cantando canções em glorificação a Sri Krishna. Este era outro motivo pelo qual os homens sentiam tanta atração por ela.

Decidido a abandonar a vida materialista, Bilvamangala resolver ir para Vrndavana, então no caminho ele viu outra mulher, e logo se tornou apegado a ela. Começou a persegui-la, indo atrás dela. A mulher pertencia a uma nobre família de grande respeito na região, e rapidamente aproximou-se do seu marido e disse: “Este homem está me perseguindo.” O marido da mulher então se dirigiu até Bilvamangala Thakur e perguntou o motivo dele estar perseguindo sua esposa. Bilvamangala Thakur respondeu que estava apegado pela beleza daquela mulher, e o marido em tom muito brando se dirigiu a esposa e disse: “Posso ver que este nobre cavalheiro é de uma família aristocrática, por possuir belos traços físicos e sua linguagem afável, não tenho dúvidas. Peço-lhe que sirva a este cavalheiro, como nosso convidado.” A mulher então se aproximou de Bilvamangala Thakur, que se encontra abismado pela situação ocorrida e pela determinação da esposa em obedecer às ordens do marido. Bilvamangala pensou que, por contemplar a forma feminina, ele se tornava apegado às mulheres, de forma branda então ele se dirigiu à mulher e disse: “Mãe, vou pegar estes grampos de cabelos.” E ele repentinamente começou a perfurar seus olhos, dizendo para os ali presentes que se seus olhos eram o motivo de sua ruína espiritual, era melhor que ele não enxergasse mais. Primeiro o sangue jorrou, e depois Bilvamangala Thakur ficou completamente cego, prestou suas humildes reverências ao casal, e continuou sua jornada para Vrindavana. Cantando Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare, Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare, Bilvamangala partiu, e após ter 5

caminhado um curto trecho, um menino se aproximou, e lhe perguntou: “Que fazes aqui, Baba?” A voz do menino era muito doce. “Estou indo a Vrindavana, querido menino. Quem é você?” “Sou um pastor e também estou indo a Vrindavana. Se quiser, pode agarrar-se a esta vara e vir comigo, eu te ajudarei”. Vrindavana estava a quase seis meses de distância indo a pé, mas em poucos dias o menino anunciou que haviam chegado. Enquanto caminhavam, Bilvamangala foi compondo alguns poemas muito bonitos sobre a misericórdia de Krishna. Estes poemas são tão lindos que resultaram neste livro, o Krishna Karnamritam (Néctar para os ouvidos de Krishna). Passado o tempo, Sri Chaitanya Mahaprabhu encontrou este mesmo livro no sul da índia e o ensinou a Seus devotos.

SLOKA 1 cintamanir jayati somagirir gurur me shiksha-gurush ca bhagavan shikhi-pishcha-maulih yat-pada-kalpataru-pallava-shekhareshu lila-svayamvara-rasam labhate jayashrih

Todas as glórias a Cintamani e ao meu mestre espiritual iniciador Somagiri, todas as glórias ao meu mestre espiritual instrutor, A Suprema Personalidade de Deus, que usa penas de pavão na Sua coroa, abaixo das sombras de Seus pés de lótus, que são como árvores dos desejos, a Jayashri (Radharani), que desfruta do humor transcendental de uma consorte eterna.

SLOKA 2 asti svastaruni-karagra-vigalat-kalpa-prasuna-plutam vastu prastuta-venu-nada-lahari-nirvana-nirvyakulam srasta-srasta-niruddha-nivi-vilasad-gopi-sahasravritam hasta-nyasta-natapavargam akhilodaram kisorakriti

A Suprema Personalidade de Deus apareceu como um garoto adolescente, e que está sendo inundado com flores das árvores dos desejos despejadas pelas donzelas celestiais. Este garoto é completamente esplendoroso, situado em sua bem-aventurança transcendental, Ele faz vibrar também ondas de sons nectários de Sua famosa flauta. Ele se encontra envolto por incontáveis vaqueirinhos, cujas vestimentas estão se perdendo continuamente (pelo extremo prazer de ouvir o som desta flauta transcendental). Este garoto é o mais generoso, predispondo à liberação do nascimento e da morte nas mãos de Seus devotos rendidos.

6

SLOKA 3 caturyaika-nidana-sima-capalapanga-cchata-mantharam lavanyamrita-vici-lolita-drisham lakshmi-katakshadritam kalindi-pulinangana-pranayinam kamavatarankuram balamnilam amivayam mahurima-svarajyam aradhnumah

Nós adoramos este garoto de tez azulada (da cor de nuvens de chuva), em quem culmina o estímulo principal para a amorosidade, que deixa Radha lânguida com a beleza dos olhares de soslaio e sua dança cativante. Krishna também se torna lânguido quando Radha e Suas amiguinhas vaqueiras lançam Suas olhadas de soslaio para Ele, tão é a beleza deste garoto como ondas de néctar, criando uma intensa sede nos olhos de Radha e Suas companheiras, e inversamente a beleza nectária delas deixam Krishna sedento de admirá-las. Ele é afetuosamente adorado pelo olhar de Radha. Krishna desfruta destes passatempos com Radha e Suas amigas às margens do Yamuna. Nós adoramos este garoto de coloração azulada, a fonte do deus do amor, que alcançou todo o domínio sobre as doçuras amorosas.

SLOKA 4 barhottamsa-vilasa-kuntala-bharam madhurya-magnananam pronmilan-nava-yauvanam pravilasad venu-pranadamritam apina-stana-kudmalabhir abhito gopibhir aradhitam jyotish cetasi nash cakastu jagatam ekabhiramadbhutam

Deixe a refulgência personificada (Krishna) brilhar em nossos corações. Ele, que está usando uma pena de pavão em Sua coroa, cujo rosto é de doce beleza e Sua juventude é magnífica. Sua flauta está derramando sons nectários de êxtase por toda Vraja. As vaqueirinhas são como botões floridos e adoram este garoto (Krishna), portanto Ele, surpreendentemente o único desfrutador, é a única fonte de desfrute em todo o universo.

SLOKA 5 madhuratara-smitamrita-vimugdha-mukhamburuham mada-shikhi-pishcha-lashchita-manojsha-kaca-pracayam vishaya-vishamisha-grasana-gridhnuni cetasi me vipula-vilocanam kim api dhama cakastu ciram

Os olhos de Sri Krishna parecem longas pétalas de lótus desabrochadas, e Seu encantador rosto de lótus se torna mais charmoso pela extrema beleza e doçura de Seu sorriso. Seus cabelos anelados estão admiravelmente decorados com uma esbelta pena de pavão. Deixe a personificação da refulgência brilhar para sempre em meu coração, que se encontra externamente ávido pelos venenosos objetos dos sentidos, ou internamente ávido pela beleza de Sri Krishna, beleza que ata a mente de Seus devotos, e causa um sofrimento latente nos momentos de Sua separação.

7

SLOKA 6 mukulaya-mana-nayanambujam vibhor murali-ninada-makaranda-nirbharam mukurayamana-mridu-ganda-mandalam mukha-pankajam manasi me vijrimbhitam

Possa o lótus da face de meu Senhor florescer no lago da minha mente. Os olhos deste rosto do Senhor Krishna parecem botões de lótus, Seus olhos estão semi-abertos e Suas delicadas e arredondadas bochechas estão cheias com o mel nectário do som da Sua flauta. SLOKA 7 kamaniya-kishora-mugdha-murteh kala-venu-kvanitadritananendoh mama vaci vijrimbhitam murarer madhurimnah kani-kapi kapi ka Que as minhas palavras possam humildemente expressar uma minúscula partícula desta excessiva e doce beleza de Murari, cuja figura ingênua de um adolescente me deixa extasiado, e cuja face semelhante ao brilho da lua é adorada pelas suaves melodias de Sua flauta.

SLOKA 8 mada-shikhandi-shikhanda-vibhushanam madana-manthara-mugdha-mukhambujam vraja-vadhu-nayanashjana-rashjitam vijayatam mama vanmaya-jivitam

Todas as glórias a Sri Krishna, a vida das minhas palavras! O colírio dos olhos das jovens donzelas de Vraja decora Sua encantadora face de lótus, que está lânguida de amor e uma calorosa pena de pavão enfeita Sua cabeça. SLOKA 9 pallavaruna-pani-pankaja-sangi-venu-ravakulam phulla-patala-patali-parivadi-pada-saroruham ullasan-madhuradhara-dyuti-mashjari-sarasananam ballavi-kuca-kumbha-kunkuma-pankilam prabhum ashraye

Eu me abrigo neste Senhor Krishna, que entra em êxtase ao ouvir o som da Sua própria flauta, segura pelas Suas mãos de lótus, que assemelham a galhos avermelhados recém germinados. A beleza dos Seus pés de lótus envergonha até mesmo o desabrochar das flores Patali. E Seu amável rosto se torna mais vislumbrante com o brilho dos Seus doces lábios. Ele que está coberto com o pó de Kunkuma dos corpos das vaqueirinhas de Vraja.

8

SLOKA 10 apanga-rekhabhir abhangurabhir ananga-rekha-rasa-rashjitabhih anukshanam ballava-sundaribhir abhyarcyamanam vibhum ashrayamah

Eu tomo refúgio no meu Senhor Krishna, o qual as encantadoras vaqueirinhas de Vraja adoram a cada momento com ininterruptos olhares de soslaio, dos olhos vermelhos tingidos de paixão. SLOKA 11 redai mama hridya-vibhramanam hridayam harsha-vishala-lola-netram tarunam vraja-bala-sundarinam taralam kishcana dhama sannidhattam

Deixe aquele jovem refulgente [krishna] aproximar-se do meu coração. Seus inquietos olhos estão bem abertos, cheios de alegria ao contemplar a beleza descomunal das jovens donzelas de Vraja. Sendo pleno de conhecimento dos belos corações das jovens donzelas de Vraja, Ele as agita com confusões amorosas, Ele é irresoluto, ainda que esteja situado como uma jóia central no colar destas donzelas. SLOKA 12 nikhila-bhuvana-lakshmi-nitya-lilaspadabhyam kamala-vipina-vithi-garva-sarvam kashabhyam pranamad-abhaya-dana-praudhi-gadhadritabhyam kim api vahatu cetah krishna-padambujabhyam

Deixe minha mente obter alguma inexpressível bem aventurança ao pensar nos pés de lótus de Krishna, que é a morada eterna dos passatempos, junto das mais encantadoras donzelas de todo os mundos, que destrói o orgulho do lótus desabrochado. Krishna é de boa estima, por se mostrar ávido em prover a salvação para Seus humildes devotos. SLOKA 13 pranaya-parinatabhyam shri-bharalambanabhyam prati-pada-lalitabhyam pratyaham nutanabhyam prati-muhur adhikabhyam prasphural-locanabhyam pravahatu hridaye nah prana-nathah kishorah

Possa o Senhor da nossa vida, aquele jovem garoto [Krishna], brilhar incessantemente em nossos corações, Seus olhos cheios de amor por Radha, e a morada de infinita beleza. Todos os dias Eles aparecem com novidades, e a cada passo aumenta o charme e a elegância, e a cada momento Eles ficam mais e mais cintilantes. 9

SLOKA 14 madhurya-varidhi-madambu-taranga-bhangishringara-sankulita-shita-kishora-vesham amanda-hasa-lalitanana-candra-bimbam ananda-samplavam anu plavatam mano me

Possa minha mente flutuar no dilúvio de bem aventurança que emana da face de Krishna, que brilha como a lua. Krishna se torna mais charmoso por Seu sorriso encantador. Krishna também possui a aparência de um jovem garoto, e a bem aventurança das ondas de extrema paixão quebram no oceano da doçura. Ele [Krishna] mitiga toda angústia.

SLOKA 15 avyaja-mashjula-mukhambuja-mugdha-bhavair asvadyamana-nija-venu-vinoda-nadam akridatam aruna-pada-saroruhabhyam ardre madiya-hridaye bhuvanardram ojah

Deixe a força [do dilúvio de bem aventurança que emana da face de Krishna] que satura todo o universo tocar em meu coração, eu me derreto todo ao entrar em contato com os pés de lótus de Krishna, por vislumbrar Sua face de lótus e pela melodia de Sua flauta, que é apreciada por Radha. SLOKA 16 mani-nupura-vacalam vande tac caranam vibhoh lalitani yadiyani lakshmani vraja-vithishu

Eu me prosto aos pés do Senhor Krishna, cujo som produzido pelas Suas tornozeleiras de jóias e cujas pegadas decoram os caminhos de Vraja.

SLOKA 17 mama cetasi sphuratu vallavi-vibhor mani-nupura-pranayi mashju shishjitam kamala-vanecara-kalinda-kanyakakalahamsa-kantha-kala-kujitadritam

Que o doce som produzido pelas tornozeleiras de Krishna, o mestre das vaqueirinhas de Vraja, manifeste-se em minha mente. Cisnes brancos nadando nos lagos formados pelo rio Yamuna (onde há também inúmeros lótus desabrochados) realizam uma calorosa recepção com as melodiosas canções emanadas de Suas gargantas. 10

SLOKA 18 tarunaruna-karunamaya-vipulayata-nayanam kamala-kuca-kalashi-bhara-vipuli-krita-pulakam murali-rava-tarali-krita-muni-manasa-nalinam mama khelatu mada-cetasi madhuradharam amritam

Possa o néctar dos doces lábios de Krishna tocar em minha mente, intoxicando-me com prazer. Seus grandes olhos avermelhados como o sol nascente estão cheios de compaixão. Seus pelos se arrepiam pelo toque de Kamala´s {Radha}’. Krishna também derrete os corações de lótus dos sábios ao tocar Sua flauta. SLOKA 19 amugdham ardha-nayanambuja-cumbyamanaharshakula-vraja-vadhu-madhurananendoh arabdha-venu-ravam arta-kishora-murter avirbhavantu mama cetasi ke 'pi bhavah

Que surja em minha mente alguns sintomas estáticos do charmoso Sri Krishna. Quando Ele vislumbra as doces faces (refulgentes como a lua) das vaqueirinhas, Elas se agitam de prazer. Ele parece beijá-las com Seus olhos semi-abertos. Assim que Ele [Krishna] começa a entoar os sons de Sua flauta, Ele assume então uma atitude como a de um jovem adolescente. SLOKA 20 kala-kvanita-kankanam kara-niruddha-pitambaram klama-prashrita-kuntalam galita-barha-bhusham vibhoh punah prakriti-capalam pranayini-bhuja-yantritam mama sphuratu manase madana-keli-shayyotthitam

Possa despertar em minha mente uma visão do Senhor levantando-se de Sua cama dos Seus passatempos amorosos. Os braceletes de Radha e Krishna balançam suavemente, e as vestimentas amarelas de Krishna enroscam em ambos. Seus cabelos estão desarrumados pela fadiga, e a pena de pavão escorrega de Sua coroa. De novo Sua instável natureza manifesta-se, e Radha por fim segura Krishna com os braços Dela, para evitar que Krishna vá. SLOKA 21 stoka-stoka-nirudhyamana-mridula-prasyandi-manda-smitam premodbheda-nirargala-prashrimara-pravyakta-romodgamam shrotum shrotra-mano-haram vraja-vadhu-lila-mitho-jalpitam mithya-svapam upasmahe bhagavatah kridani-milad-drishah

11

Nós adoramos o Senhor Krishna, que está maliciosamente mantendo os olhos fechados, fingindo dormir, a fim de ouvir as conversas das vaqueirinhas de Vraja, que são tão agradáveis ao ouvindo e à mente. Embora Krishna esteja tentando se conter, um sorriso afável surge dos Seus lábios pouco a pouco. Não podendo controlar a crescente onda de amor, Seus pelos ficam arrepiados. SLOKA 22 vicitra-patrankura-shali-balastanantaram yama vanantaram va apasya vrindavana-pada-lasyam upasyam anyam na vilokayamah

Nós não vemos nenhum outro objeto de adoração do que o Senhor Krishna, se Ele está absorto em profundos pensamentos, lembrando como Ele decorava os seios da resplandecente garotinha Radha com pinturas de folhas e brotos, ou se Ele perambulava pela floresta de Vrindavana, que está adornada com a beleza dos Seus pés dançantes.

SLOKA 23 sardham samriddhair amritayamanair atayamanair murali-ninadaih murdhabhishiktam madhurakritinam balam kada nama vilokayishye

Oh quando? Oh quando eu verei aquele jovem garoto [Krishna], o incontestável rei dos que possuem uma beleza rara, e quando eu experimentarei junto daquela visão o fluxo de néctar do som da Sua flauta, dotada do mais elevado nível musical?

SLOKA 24 shishiri-kurute kada nu nah shikhi-piccha-bharanah shishur drishoh yugalam vigalan-madhu-dravasmita-mudra-mriduna mukhenduna

Quando aquela criança [Krishna], adornada com penas de pavão, aliviará e acalmará nossos olhos com a visão de Seu rosto brilhante como a lua, imbuído de delicadeza escorrendo de Seu sorriso terno? SLOKA 25 karunya-karbura-kataksha-nirikshanena tarunya-samvalita-shaishava-vaibhavena apushnata bhuvanam adbhuta-vibhramena shri-krishna-candra shishiri-kuru locanam me 12

Oh Krishna da face brilhante como a lua, alivie e acalme meus olhos com os Seus olhares de soslaio cheios de misericórdia, com a magnificência de Sua infância tocada pela Sua juventude, e com Seu maravilhoso espírito brincalhão, que alimenta o universo inteiro. SLOKA 26 kada va kalindi-kuvalaya-dala-shyama-taralah kataksha lakshyante kim api karuna-vici-nicitah kada va kandarpa-pratibhata-jata-candra-shishirah kam apy antas tosham dadhati murali-keli-ninadah

Quando Krishna lançará sobre mim Seus olhares de soslaio, que são negro azulados como os lótus que crescem no Yamuna e que tremula com ondas de misericórdia? E quando meu coração encontrará alegria inefável nas notas de Sua flauta, que são mais refrescantes que a lua realizada na cabeça do Senhor Shiva?

SLOKA 27 adhiram alokitam ardra-jalpitam gatam ca gambhira-vilasa-mantharam amandam alingitam akulonmadasmitam ca te natha vadanti gopikah

Ó Senhor, as Vaqueirinhas descrevem Seus olhares, Sua proposta, Sua conversa inteligente, Seu lento caminhar cheio de graça pela Sua profunda paixão, Seus abraços ardentes e Sua distração agitante e Seu sorriso intoxicante.

SLOKA 28 astoka-smita-bharam ayatayataksham nihshesha-stana-mriditam vrajanganabhih nihsima-stabakita-nila-kanti-dharam drishyasam tribhuvana-sundaram mahas te

[Ó Senhor], por favor, deixe-me ver Seu esplendor corpóreo, que é magnificamente o mais belo de todos os três mundos. Este Senhor que está sorrindo constantemente, e Seus olhos longos e arregalados, Ele que também está apertadamente abraçado pelas vaqueirinhas, e que difunde um dilúvio interminável de esplendor azulado, como cachos de flores. SLOKA 29 mayi prasadam madhuraih katakshair vamshi-ninadanucarair vidhehi tvayi prasanne kim iha 'parair nas tvayy aprasanne kim iha 'parair nah 13

Ó Senhor, por favor, mostre-me Sua misericórdia por lançar sobre mim Seus charmosos olhares de soslaio, movendo-se com o acompanhamento da canção de Sua flauta. Se eu tenho Suas bênçãos, de que me servem os outros? E se eu não tenho Suas bênçãos, de que me servem os outros? SLOKA 30 nibaddha-murdhashjalir esha yace nirandhra-dainyonnati-mukta-kanthah daya-nidhe deva bhavat-katakshadakshinya-leshena sakrin nishishca

Eu mantenho as palmas das mãos dobradas sobre a minha cabeça, e em voz crescente expresso minha miséria, e incessante lamentação ao orar: “Ó Senhor, oceano de misericórdia, por favor, unge-me apenas uma vez com uma gota de bondade de Seu olhar de soslaio.” SLOKA 31 picchavatamsa-racanocita-kesha-pashe pina-stani-nayana-pankaja-pujaniye candraravinda-vijayodyata-vaktra-bimbe capalyam eti nayanam tava shaishave nah

Ó Senhor, os nossos olhos tornaram-se inquietos para verem a Sua forma infantil, com Seus cachos deliciosamente adornados com uma pena de pavão. Esta forma, que é adorada pelas joviais vaqueirinhas dos olhos de lótus, possui um rosto que começou a derrotar a beleza da lua e do lótus. SLOKA 32 tvac-chaishavam tri-bhuvanadbhutam ity avehi mac-capalam ca tava va mama vadhigamyam tat kim karomi viralam murali-vilasi mugdham mukhambujam udikshitum ikshanabhyam

Ó Krishna, tocador de flauta, a doçura da Sua idade precoce é a mais maravilhosa dentro dos três mundos. Você sabe da minha instabilidade e eu sei da Sua. Ninguém mais sabe sobre isto. Eu quero ver o Seu rosto lindo em algum lugar solitário, mas como isto pode ser feito? SLOKA 33 paryacitamrita-rasani padartha-bhangivalguni valgita-vishala-vilocanani balyadhikani mada-vallava-bhavinibhir bhave luthanti sukritam tava jalpitani 14

Ó Krishna, Seus duelos verbais, animam as divertidas e afortunadas vaqueirinhas. Estas conversas são preenchidas com o néctar das trocas de amor, tornando-se muito agradáveis pelos Seus significados espirituosos, imbuídas de Sua infantilidade natural, e pontuadas pelos movimentos de dança dos Seus grandes olhos. SLOKA 34 punah prasannendu-mukhena tejasa puro 'vatirnasya kripa-mahambudheh tad eva lila-murali-ravamritam samadhi-vighnaya kada nu me bhavet

Ó quando é, Krishna, que o grande oceano de misericórdia, aparecerá diante de mim de novo com a Sua impecável e refulgente face, esplendorosa como a lua? E quando o som nectário de Sua flauta, que expressa Seus passatempos, acabará com a minha grande doença? [ou interromperá minha meditação profunda?]. SLOKA 35 balena mugdha-capalena vilokitena man-manase kim api capalam udvahantam lolena locana-rasayanam ikshanena lila-kishoram upaguhitum utsuko 'smi

Eu estou ávido para abraçar este jovem garoto brincalhão com Seus inquietos longos olhos. Ele é admirável de se ver, e com Suas propostas naturalmente ingênuas, Ele lança olhares que deixam minha mente com uma indescritível agitação. SLOKA 36 adhira—bimbadhara-vibhramena harshardra-venu-svara-sampada ca anena kenapi mono-harena ha hanta ha hanta mano dunoshi

Ó Krishna, os movimentos dos Seus inquietos lábios vermelhos, os dilúvios sonoros da Sua flauta, e outros tais encantamentos, quando não posso infelizmente presenciá-los, me atormentam. SLOKA 37 yavan na me mikhila-marma-dridhabhigatam nihsandhi-bandhanam upaiti na ko 'pi tapah tavad vibho bhavatu tavaka-vaktra-candracandratapa-dvigunita mama citta-dhara

15

Ó Senhor, até que alguma doença terminal venha para atacar violentamente minhas partes vitais e paralisar meus movimentos, possa a lua do Seu rosto preencher todas as camadas que envolvem minha consciência [abstendo-me do calor que queima de Sua separação]. SLOKA 38 yavan na me nara-dasha dashami kuto 'pi randhrad upaiti timiri-krita-sarva-bhava lavanya-keli-sadanam tava tavad eva lakshyasam utkvanita-venu mukhendu-bimbam

Até que o décimo estágio do homem (a morte) venha pra cima de mim com algum defeito físico, e me envolva em escuridão total, possa eu ver a Sua face como a lua, que é a morada de passatempos. SLOKA 39 alola-locana-vilokita-keli-dharanirajitagra-caranaih karunamburasheh ardrani venu-ninadaih pratinada-purair akarna-yami mani-nupura-sishjitani Meus ouvidos captam o tilintar das tornozeleiras de jóias de Krishna, o oceano de misericórdia. Este tilintar é adoçado por Seus pés refulgentes, Seus olhares divertidos e confusos, e pelas ressonâncias que inundam de prazer todo o ambiente com as canções de Sua flauta. SLOKA 40* he deva he dayita he bhuvanaika-bandho he Krishna he capala he darunaika-sindho he natha he ramana he nayanabhirama ha ha kada nu bhavitasi padam drishor me

Ó meu coração, Ó meu querido! Ó único amigo de todo o universo! Ó Krishna, ó inquieto, ó mar de misericórdia! Ó meu Senhor, ó meu desfrutador, ó amado dos meus olhos! Quando, quando você vai voltar a ser visível para mim? SLOKA 41* amuny adhanyani dinantarani hare tvad-alokanam antarena anartha-bandho karunaika-sindho ha hanta ha hanta katham nayami Ó meu Senhor, ó Suprema Personalidade de Deus, ó amigo dos desamparados! Você é o único oceano de misericórdia! Porque eu não conheço você, meus dias e noites têm se tornados dolorosos e insuportáveis. Eu não sei mais como conseguirei viver.

16

SLOKA 42* kim iha krinumah kasya brumah kritam kritam ashaya kathayata katham anyam dhanyam aho hridaye shayah madhura-madhura-smerakare mano-nayanotsave kripana-kripana krishne trishna ciram bata lambate

Infelizmente, o que devo fazer? Para quem falarei? Deixo tudo que fiz para que a esperança de encontrar Krishna seja concluída agora. Por favor, me digam algo auspicioso, mas não me falem sobre Krishna, assim não resistirei. Krishna está deitado dentro do meu coração como cupido, portanto, como posso desistir de falar Dele? Não posso esquecer Krishna, cujo sorriso é mais doce que a própria doçura, e que dá prazer à minha mente e olhos.

SLOKA 43 abhyam vilocanabhyam amburuha-vilocanam balam dvabhyam api parirabdhum dure mama hanta daiva-samagri Ai de mim! Ai de mim, um vislumbre do menino dos olhos de lótus está tão longe da minha pessoa, com Seus ternos abraços. Ai, eu sou completamente infeliz. SLOKA 44 ashranta-smitam arunarunadharoshtham harshardra-dviguna-manojsha-venu-gitam vibhramya-dvipula-vilocanardha-mugdham vikshishye tava vadanambujam kada nu

Ó Krishna! Quando verei Seu rosto de lótus com os Seus lábios vermelhos, o Seu sorriso constante, a encantadora canção de Sua flauta, saturada com júbilo, e Seus afáveis olhos semicerrados, que às vezes se abrem amplamente e vagueiam aqui e ali? SLOKA 45 lilayitabhyam rasa-shitalabhyam nilarunabhyam nayanambujabhyam alokayed adbhuta-vibhramabhyam kale kada karunikah kishorah Quando vai chegar o tempo que aquele menino misericordioso [Krishna] irá olhar para mim com Seus olhos de lótus cheios de alegria, que são calmantes e possuem uma amorosa emoção? Olhos que são avermelhados nos cantos e escuros e azulados na íris; e que parecem estar maravilhosamente dançando em Suas órbitas.

17

SLOKA 46 bahula-cikura-bharam baddha-picchavatamsam capala-capala-netram caru-bimbadharoshttham madhura-mridula-hasam mandaroddhara-lilam mrigayati nayanam me mugdha-vesham murareh

Meus olhos procuram pelo encantador e adornado Murari, cujos densos cabelos sustentam uma pena de pavão, e cujo olhar parece estar lançando dardos aqui e ali rapidamente. Seus lábios bonitos são avermelhados como a fruta bimba, e com Seu sorriso doce e gentil, ele agita [o oceano do meu coração] com o monte Mandara. SLOKA 47 bahula-jalada-cchaya-coram vilasa-bharalasam mada-shikhi-sikha-lilottamsam manojsha-mukhambhjam kam api kamalapangodagra-prasanga-jadam jaganmadhurima-paripakodrekam vayam mrigayamahe

Estamos procurando essa pessoa que roubou o brilho das nuvens de chuva, que está um pouco lânguido de tanto brincar, que usa uma crista feita de penas de pavão, cujo rosto de lótus é tão fascinante, que se tornou atordoado pelo contato dos olhares de soslaio direcionado para Kamala [Radha], e que é a superabundância da perfeição de toda a beleza do universo. SLOKA 48 paramrshyam dure pathi pathi muninam vraja-vadhudrisha drishyam shashvat tribhuvana-mano-hari-vadanam anamrishyam vaca muni-samudayanam api kada daridrishye devam dara-dalita-nilotpala-rucim

Quando vislumbrarei no meu coração o meu contente Senhor Krishna, para quem os sábios devem sempre estar a procurar ao longo do caminho da realização espiritual, mas cujo rosto encanta todos os três mundos, e que é sempre visível aos olhos das vaqueirinhas de Vraja? Quando o verei, Este Senhor cujo brilho se assemelha a uma flor de lótus recém desabrochada, e que está sempre fora do alcance das palavras de grandes sábios como Vyasa?

SLOKA 49 lilananambujam adhiram udikshamanam narmani venu-vivareshu niveshayantam dolayamana-nayanam nayanabhiramam devam kada nu dayitam vyatilokayishye

18

Quando verei meu querido Senhor Krishna, que é tão inconstante e ao mesmo tempo tão encantador aos meus olhos? Seus olhos estão rolando e dançando, em seguida ele envia uma canção de amor através dos orifícios de Sua flauta. SLOKA 50 lagnam muhur manasi lampata-sampradayalekhavalehini rasajsha-manojsha-vesham rajyan-mridu-smita-mridullasitadharamshu rakendu-lalita-mukhendu mukunda-balyam

A beleza adolescente de Mukunda, cuja aparência envolve todo o conhecimento, se apegará a minha mente que sempre gostou das formas mundanas? Sua face como a lua é admirada pela própria lua, e os raios suavemente brilhantes de Seus lábios avermelhados junto de Seu sorriso gentil, ou Seus dentes como a flor Kunda, parecem aumentar o Seu esplendor. SLOKA 51 ahimakara-kara-nikara-mridu-mridita-lakshmisarasatara-sarasiruha-sadrisha-drishi deve vraja-yuvati-rati-kalaha-vijayi-nija-lilamada-mudita-vadana-shashi-madhurimani liye Estou absorvido na contemplação de meu Senhor, cujos olhos parecem flores de lótus delicados, desenvolvidos sob os raios do sol e da lua, e cujo rosto é cheio de beleza, transbordante de alegria, e que também derrota as vaqueirinhas nas brigas amorosas. SLOKA 52 kara-kamala-dala-kalita-lalitatara-vamshikala-ninada-galad-amrita-ghana-sarasi deve sahaja-rasa-bhara-bharita-dara-hasita-vithisatata-vahad-adhara-mani-madhurimani liye Estou perdido em pensamentos do meu Senhor, que é um lago profundo de néctar escorrendo diante de mim, como um canto muito melodioso de Sua flauta, Ele que tem os dedos como pétalas de lótus. Estou absorto em pensamentos de doçura de Seus lábios vermelhos rubis, e que possui inatas doçuras amorosas. SLOKA 53 kusumashara-shara-samara-kupita-mada-gopikuca-kalasha-ghushrina-rasa-lasad-urasi deve mada-mudita-mridu-hasita-mushita-shashi-shobhamuhur-adhika-mukha-kamala-madhurimani liye Estou absorto em pensamentos do meu Senhor. Seu peito brilha com a pasta de sândalo dos seios das vaqueirinhas, que foram incitadas às batalhas amorosas pelas flechas de cupido. A beleza doce da face de lótus de Krishna é ampliada a cada momento pelo Seu sorriso gentil, que está cheio de prazer e roubou esplendor da lua. 19

SLOKA 54 anamram asita-bhruvor upacitam akshina-pakshmankureshv alolam anuraginor nayanayor ardram mridau jalpite atamram adharamrite madakalam amlana-vamshi-svaneshv ashaste mama locanam vraja-shishor murtim jagan-mohinim

Meu olho deseja ver a forma do menino de Vraja, que encanta todo o universo. Suas sobrancelhas escuras são curvas, Seus cílios maravilhosos, Seus olhos atrativos e cheios de paixão, Sua fala suave saturada com sentimentos afáveis. Seus lábios nectários são muito vermelhos, e os sons da Sua flauta são baixos, suaves e harmoniosos. SLOKA 55 tat kaishoram tac ca vaktraravindam tat karunyam te ca lila-katakshah tat saundaryam sa ca manda-smita-shrih satyam satyam durlabham daivate 'pi

Em verdade, em verdade, mesmo entre os Semideuses seria difícil encontrar tamanha beleza, adolescência tão doce, um rosto de lótus, terna compaixão, Seu humor brincalhão, olhares de soslaio, leve sorriso, como encontramos em Sri Krishna.

SLOKA 56 vishvopaplava-shamanaika-baddha-diksham vishvasa-stabakita-cetasam jananam prashyama-pratinava-kanti-kandalardram pashyamah pathi pathi shaishavam murareh

Em cada caminho vemos a forma infantil de Murari, cujo único foco é aliviar todas as aflições das pessoas cujos corações estão florescendo com fé nele. Seu suave rosto brilhante possui uma coloração azulada. SLOKA 57 maulish candraka-bhushano marakata-stambhabhiramam vaktram citra-vimugdha-hasa-mudhuram bale vilole drishau vacah shaishava-shitala mada-gaja-shlaghya vilasa-sthitir mandam mandam aye ka esha mathura-vithim ito gahate

Quem está vindo lentamente ao longo do caminho para Mathura? Sua cabeça está adornada com uma pena de pavão, e Seu corpo é mais cativante que uma coluna de esmeralda. Seus olhos estão rolando e Seu rosto é embelezado com a doçura de Seu maravilhoso sorriso fascinante. Suas palavras, com Sua infantilidade natural, são muito suaves e Sua graça natural iria ganhar elogios de um elefante apaixonado. 20

SLOKA 58 padau vada-vinirjitambuja-vanau padmalayalambitau pani venu-vinodana-pranayinau paryapta-shilpa-shriyau bahu daurhrida-bhajanam mriga-drisham madhurya-dhara-kirau vaktram vag-vishayatilanghitam aho balam kim etan mahah Oh, o que é esse brilho na forma de menino! Seus pés têm uma compleição totalmente capaz de conquistar incontáveis flores de lótus, e também o abrigo de Sri Lakshimi Devi. Suas mãos, que expressam Seu amor ao tocar Sua flauta, concentram a mais pura beleza artística. Seus braços difundem uma inundação de doçura, e o pote de realização dos desejos das vaqueirinhas de olhos de corsas. E o Seu rosto, ah Sua face! Está além das palavras. SLOKA 59 etan nama vibhushanam bahumatam veshaya sheshair alam vaktram dvi-tri-vishesha-kanti-lahari-vinyasa-dhanyadharam shilpair alpa-dhiyam agamya-vibhavaih shringara-bhangi-mayam citram citram aho vicitram aha ho citram vicitram mahah

Portanto, Sua face abundantemente decorada com lábios adoráveis possui ondas especialmente arranjadas de brilho, não precisando de outros ornamentos. A riqueza de Seus atributos artísticos e gestos amorosos estão além do entendimento dos tolos. Oh, oh, oh, que maravilha, és amável com todos. Muito maravilhosamente surpreendente é este esplendor [sob a forma do jovem Krishna].

SLOKA 60 agre samagrayati kam api keli-lakshmim anyasu dikshv api vilocanam eva sakshi ha hanta hasta-patha-duram aho kim etad asha-kishoramayam amba jagat-trayam me

Oh que beleza inefável e atlética Krishna revelou plenamente diante de mim! Em todas as direções meus olhos testemunham esta beleza. Mas infelizmente, infelizmente, Ele está além da minha compreensão! Ó mãe, os três mundos são preenchidos com a minha tão desejada juventude, Krishna. SLOKA 61 cikuram bahulam viralam bhramaram mrdulam vacanam vipulam nayanam adharam madhuram vadanam madhuram capalam caritam ca kada nu vibhoh

21

Oh, quando eu deveria me submeter aos mais elevados cachos do meu Senhor [situado] como enxames de abelhas [nos Seus ombros]? Quando [ouvirei] Suas doces palavras, [verei] Seus olhos grandes, [beijarei] Seus lábios doces, [verei] Seu rosto docemente bonito, e [experimentarei] Sua natureza volúvel?

SLOKA 62 paripalaya nah kripalaye 'ty asakrit kranditam arta-bandhavah murali-mridula-svanantare vibhur akarnayita kada nu nah

Se o Senhor, o amigo dos aflitos, é cercado pelo sedutor som de Sua flauta, quando Ele será capaz de nos ouvir repetidamente clamando: “Ó morada de misericórdia, por favor, protejanos.” SLOKA 63 kada nu kasyam nu vipad-dashayam kaishora-gandhih karunambudhir nah vilocanabhyam vipulayatabhyam alokayishyan vishayi-karoti

Krishna, que é o oceano de misericórdia, tem a fragrância da juventude desabrochada. Quando? Ó, quando algum perigo ira acontecer para chamar-lhe a atenção fazendo com que Ele olhe para mim com Seus olhos arregalados? SLOKA 64 madhuram adhara-bimbe mashjulam manda-hase shishiram amrita-nade shitalam drishti-pate vipulam aruna-netre vishrutam venu-nade marakata-mani-nilam balam alokaye nu

Ó, que eu possa ver aquele garoto, que tem a pele azul como uma safira, lábios doces como a fruta bimba, um sorriso leve encantador, palavras néctares, olhares amorosos, desprendidos de Seus lindos olhos vermelhos, e que é também famoso pelo som de Sua flauta. SLOKA 65 madhuryad api madhuram manmatha-tatasya kim api kaishoram capalyad api capalam ceto bata harati hanta kim kurmah

22

A adolescência inefável de Krishna, o Senhor de cupido, é mais doce que a personificação da doçura, Sua natureza inconstante de sua adolescência tem roubado meu coração! O que farei agora? SLOKA 66 vaksha-sthale ca vipulam nayanotpale ca manda-smite ca mridulam mada-jalpite ca bimbadhare ca madhuram murali-rave ca balam vilasa-nidhim akalaye kada nu Ó, quando hei de ver aquele garoto (Krishna), que é um oceano de alegria e um reservatório de brincadeiras? Seus olhos de lótus e Seu peito cativantes são adornados por Seu sorriso encantador e Suas conversas amorosas. Seus lábios doces e avermelhados, como uma cereja, tocam Sua flauta. SLOKA 67 ardravalokita-dhura parinaddha-netram avishkrita-smita-sudha-madhuradharoshtham adyam pumamsam avatamsita-barhi-barham alokayanti kritinah krita-punya-pushjah Imagine o tanto de atividades piedosas hei de realizar para poder ver aquele garoto (Krishna), a pessoa original, possuidor de olhares extremamente cativantes, cujos lábios são doces como o néctar, e cujo sorriso aberto atrai a todos, e que também é adornado com uma pena de pavão na cabeça. SLOKA 68* marah svayam nu madhura-dyuti-mandalam nu madhuryam eva nu mano-nayanamritam nu veni-mrijo nu mama jivita-vallabho nu krishno 'yam abhyudayate mama locanaya

Meus queridos amigos, onde é que Krishna, o cupido personificado, que possui o esplendor de uma flor kadamba, que é a própria doçura, o néctar para meus olhos e minha mente, aquele que solta o cabelo das Gopis, que é a fonte suprema de bem aventurança transcendental, que é a minha vida e minha alma, aparecerá diante de meus olhos de novo? SLOKA 69 balo 'yam alola-vilocanena vaktrena citri-krita-dinmukhena veshena ghoshocita-bhushanena mugdhena dugdhe nayanotsavam nah Esse menino (Krishna) com os olhos atrativos, Sua face bela, Suas roupas charmosas, que faz lembrar a um pastorzinho de vacas, nutrira com alegria nossos olhos.

23

SLOKA 70 andolitagra-bhujam akula-lola-netram manda-smitardra-vadanambuja-candra-bimbam shishjana-bhushana-shatam shikhi-piccha-mauli shitam vilocana-rasayanam abhyupaiti

Ele surge diante de nós, como o bálsamo para refrescar nossa visão, usando muitos ornamentos em Seu corpo e uma pena de pavão na Sua cabeça, Seus braços balançando, Seus olhos movendo sem parar com agitação do amor, e a lua de Sua face exibindo um sorriso terno e encantador. SLOKA 71 pashu-pala-bala-parishad-vibhushanah shishur esha shitala-vilola-locanah mridula-smitardra-vadanendu-sampada madayan madiya-hridayam vigahate Esta criança (Krishna), que é o ornamento da comunidade dos pastores de vacas, cujos animados olhares são tão confortantes, e cuja face esplendorosa como a lua emana uma cativante beleza, e com Seus ternos sorrisos, alegram meu coração. SLOKA 72 kim idam adhara-vithi-k¿pta-vamshi-ninadam kirati nayanayor nah kam api prema-dharam tad idam amara-vithi-durlabham vallabham nas tribhuvana-kamaniyam daivatam jivitam Ca Que maravilha! O som da flauta de Krishna está derramando uma inundação indescritível de amor divino diante de nossos olhos! Este maravilhoso acontecimento é muito raro mesmo nas moradas dos semideuses. Krishna, o nosso querido, nossa vida, nosso amor, realiza peripécias nos três mundos. SLOKA 73 tad idam upanatam tamala-nilam tarala-vilocana-tarakabhiramam mudita-mudita-vaktra-candra-bimbam mukharita-venu-vilasi jivitam me

Esta pessoa que se aproxima de mim é azulado escuro como uma arvore Tamala. Seus olhos encantadores ofuscam o brilho estelar, a Sua face como a lua está transbordando de alegria [ou Seu rosto irradia alegria como a lua crescente], então ele começa a tocar Sua flauta. Este Senhor é a minha própria vida.

24

SLOKA 74 capalya-sima capalanubhavaika-sima caturya-sima chaturanana-shilpa-sima saurabhya-sima sakaladbhuta-keli-sima saubhagya-sima tad idam vraja-bhagya-sima

Aqui está Krishna, a minha vida. Ele é o apogeu da inconstância, o destino supremo das vaqueirinhas, o ápice da inteligência, a extrema perfeição da habilidade artística de quatro faces de Brahma, a personificação máxima de todos os tipos de passatempos surpreendentes, a culminação da boa fortuna, do zênite de auspiciosidade de Vraja. SLOKA 75 madhuryena dviguna-shishiram vaktra-candram vahnati vamshi-vithi-vigalad-amrita-srotasa secayanti mad-vaninam viharana-padam matta-saubhagya-bhajam mat-punyanam parinatir aho netrayoh sannidhatte

Oh! Minhas boas ações devem ter atingido o seu ponto culminante, Krishna apareceu diante de meus olhos! A lua da Sua face é extremamente cativante e terna, Ele me conquista com Suas notas musicais desprendidas da Sua flauta. Ele é o objeto de minhas palavras, e somente os seres afortunados o podem descrever. SLOKA 76 tejase 'stu namo dhenupaline loka-paline radha-payodharotsangashayine shesha-shayine Eu me curvo ao esplendor personificado (Krishna), que é o protetor das vacas e também de todos os mundos, que se inclina sobre os seios de Sri Radha, e também em Sesanaga.

SLOKA 77 dhenu-pala-dayita-stana-sthalidhanya-kunkuma-sanatha-kantaye venu-gita-gati-mula-vedhase brahma-rashi-mahase namo namah

Inclino-me uma e outra vez diante Dele (Krishna), cuja brilhante tez é embelezada com o pó de Kukuma. Desprendido do corpo das vaqueirinhas de Vraja, Ele que é o criador do som da flauta, e que possui a gloria de inumeráveis brahmas.

25

SLOKA 78 mridu-kvanan-nupura-mantharena balena padambuja-pallavena anusmaran-mashjula-venu-gitam ayati me jivitam attakeli

Aí vem a minha própria vida (Krishna)! Tendo assumido uma atitude desportiva, Ele caminha lentamente com Seus pés de lótus, acompanhado de um tilintar desprendido das Suas tornozeleiras. Ele também está sempre recordando Suas canções desprendidas pela Sua flauta. SLOKA 79 so 'yam vilasa-murali-ninadamritena sishcann udashcitam idam mama karna-yugmam ayati me nayana-bandhur ananya-bandhor ananda-kandalita-keli-kataksha-lakshmih

Aí vem a minha vida (Krishna)! A beleza de Seus olhares de soslaio me faz transbordar de alegria. Ele também conquista meus ouvidos com o melodioso som da Sua flauta, sendo também o único amigo dos meus olhos. SLOKA 80 durad vilokayati varana-khela-gami dhara-kataksha-bharitena vilokitena arad upaiti hridayan-gama-venu-nadaveni-mukhena dashanamshu-bharena devah

Vendo-me a certa distância, o meu Senhor Krishna me inunda com olhares de soslaio; com Seu meigo caminhar, Ele vem em minha direção; com Sua graça esportiva de um elefante apaixonado Ele se move, cativando meu coração com o som nectário de Sua flauta, emanado de Sua boca de lótus, que é decorada com dentes refulgentes e brilhantes. SLOKA 81 tribhuvana-sarasabhyam divya-lila-kulabhyam dishi dishi taralabhyam dipta-bhushadarabhyam asharana-sharanabhyam adbhutabhyam padabhyam ayam ayam anukujad-venur ayati devah

Aí está Ele! Esse é o meu Senhor [Krishna], tocando sua flauta! Ele possui dois pés maravilhosos, que são o refúgio para os desabrigados, que brilha com o brilho de muitos ornamentos, que se movem desta maneira, que é abundante com passatempos divinos, enchendo os três mundos com as doçuras de amor.

26

SLOKA 82 so 'yam munindra-jana-manasa-tapa-hari so 'yam mada-vraja-vadhu-vasanapahari so 'yam tritiya-bhuvaneshvara-darpa-hari so 'yam madiya-hridayamburuhapahari

Aí está Ele, que removeu as angústias dos grandes sábios. Aí está Ele, que roubou as roupas das esposas apaixonadas dos vaqueiros de Vraja. Aí está Ele, que limitou o orgulho de Indra, senhor do reino celestial. Aí está Ele, que roubou o lótus do meu coração.

SLOKA 83 sarva-jshatve ca maugdhye ca sarva-bhaumam idam mahah nirvishan nayanam hanta nirvana-padam ashnute

Esta glória personificada [Krishna] atingiu toda a excelência, tanto em sua onisciência como em sua inocência, que cativa meus olhos, e que está desfrutando de grande felicidade. Esta é uma grande maravilha! SLOKA 84 pushnanam etat punarukta-shobham ushnetaramshor udayan mukhendoh trishnamburashim dviguni-karoti krishnahvayam kishcana jivitam me

Com o resplandecer crescente da Sua face refulgente como a lua, esta pessoa conhecida como Krishna nutre com Seu brilho, que é igual ao luar, o oceano da minha sede [a vê-lo]. Ele é a minha própria vida. SLOKA 85 tad etad atamra-vilocana-shrisambhavitashesha-vinamra-vargam muhur murarer madhuradharoshtham mukhambujam cumbati manasam me

Novamente e novamente eu mentalmente beijo o rosto de lótus de Murari, com seus lábios doces e seus belos olhos ligeiramente avermelhados, que concede graça a todos os Seus humildes devotos.

27

SLOKA 86 karau sharadijambuja-krama-vilasa-shiksha-gurau padau vibudha-padapa-prathama-pallavollanghinau drishau dalita-durmada-bribhuvanopamana-shriyau vilokaya vilocanamritam aho mahah shaishavam

Eis um néctar para os olhos, o brilho deste jovem menino Krishna! Suas mãos realizam gestos graciosos igual ao lótus outonal recém crescido. Seus pés são como árvores dos desejos, que fazem brotar a ternura e a beleza. Seus olhos destroem o orgulho de todas as coisas admiráveis. SLOKA 87 acinvanam ahany ahany ahani sakaran vihara-kraman arundhanam arundhati-hridayam apy ardra-smitardra-shriya atanvanam ananya-janma-nayana-shlaghyam anarghyam dasham anandam vraja-sundari-stana-tati-samrajyam ujjrimbhate A felicidade que se manifesta [no brilho maravilhoso do menino Krishna] reina de forma suprema entre as belas vaqueirinhas de Vraja. Esta felicidade espalha como um brilho, chegando a um estágio rarefeito muito além da apreciação dos olhos de qualquer uma das vaqueirinhas de Vrindavana. A cada dia, cada momento, e cada piscar de olhos que esta felicidade encarnada como Krishna organiza Seus passatempos, Ele consegue atrair até mesmo Arundhati [castidade personificada], além de encantar a todos com o Seu suave sorriso terno. SLOKA 88 tad ucchvasita-yauvanam tarala-shaishavalamkritam mada-cchurita-locanam madana-mugdha-hasamritam prati-kshana-vilobhanam pranaya-pita-vamshi-mukham jagat-traya-vimohanam jayati mamakam jivitam

Todas as glórias a Krishna, a minha vida e alma, o Senhor dos três mundos! Sua juventude agora está aflorada, e Ele também está adornado com a vibração última da infância. Seus olhos estão piscando de prazer, Ele também confunde cupido com o néctar de seu sorriso. Sua beleza seduz a cada momento, e por amor Ele toca com a boca a Sua flauta. SLOKA 89 citram tad etac caranaravindam citram tad etan nayanaravindam citram tad etad vadanaravindam citram tad etad vapurasya citram Quão maravilhosos são estes pés de lótus [do Senhor Krishna]! Quão maravilhosos são estes olhos de lótus! Quão maravilhosa é esta face de lótus! Oh, quão maravilhoso, quão maravilhoso é o corpo do Senhor Krishna! 28

SLOKA 90 akhila-bhuvanaika-bhushanam adhibhushita-jaladhi-duhitri-kuca-kumbham vraja-yuvati-hara-vallimarakata-nayaka-maha-manim vande Eu me curvo perante [o Senhor Krishna, que é] o único ornamento do mundo inteiro, mas que é ornamentado pelos seios de Radha. Ele é a jóia, central, entre o colar de esmeraldas que ornamenta as meninas de Vraja. SLOKA 91 kanta-kuca-grahana-vigraha-labdha-lakshmikhandanga-raga-nava-ranjita-manjula-shrih ganda-sthali-mukura-mandala-khelamanagharmankurah kim api khelati krishna-devah Ah, que beleza inefável meu Senhor Krishna está exibindo, beleza encantadora reforçada por uma beleza, adquirido quando toca o kunkuma fresco que está nos seios de Sua querida [Radha]. Este kunkuma [que foi desprendido quando o Senhor lutava amorosamente com Radha] espalhado pelo Seu corpo, aumenta Sua beleza, e se torna melhor com as gotas de suor que parecem desempenhar um papel fundamental e atrativo na beleza de Sua face. SLOKA 92* madhuram madhuram vapur asya vibhor madhuram madhuram vadanam madhuram madhu-gandhi mridu-smitam etad aho madhuram madhuram madhuram madhuram

Ó meu Senhor, Seu corpo transcendental [o corpo de Krishna] é muito doce, e o seu rosto é ainda mais doce que o Seu corpo. O sorriso suave no rosto, que é como a fragrância do mel, é mais doce ainda. SLOKA 93 shringara-rasa-sarvasvam shikhi-piccha-vibhushanam angi-krita-narakaram ashraye bhuvanashrayam Eu me abrigo no Senhor [Krishna], que é o abrigo de todos no universo, que possui a forma de um ser humano, que é adornado com uma pena de pavão, e que é o ápice de toda doçura conjugal.

29

SLOKA 94 na 'dyapi pashyate kadapi na darshanaya citte tatho 'panishadam sudrisham sahasram sa tvam ciram nayanayor anayoh padavyam svamin kaya nu kripaya mama sannidhatse Ó Senhor, até mesmo milhares de sábios conhecedores das Upanishads não terão o visto com os olhos ou em seus corações. Então, que grande misericórdia Você tem comigo, ao ser perceptível a minha visão, que sempre estava angustiada por tanto tempo ao não conseguir contemplá-lo? SLOKA 95 ke 'yam kantih keshava tvan mukendoh ko 'yam veshah kapi vacam abhumih se 'yam so 'yam svadatam ashjalis te bhuyo bhuyo bhuyashas tvam namami

Ó Keshava, o que é este brilho intenso da Sua face de lua? O que é este aspecto Seu, que está além da descrição? Deixe que a Sua [aparência] seja saboreada [por si ou por almas competentes para fazê-lo]. Eu simplesmente curvo-me diante de ti várias e incontáveis vezes. SLOKA 96 vadanendu-vinirjitah shashi dashadha deva padam prapadya te adhikam shriyam ashnutetaram tava karunya-vijrimbhitam kiyat

Ó Senhor, a lua, tendo sido conquistada pelo seu rosto, se refugiou em Seus pés, e dividida em dez partes, ou seja, as unhas do pé, ganhando assim muito mais brilho e beleza do que antes. Ó Senhor, quão grande é mesmo uma manifestação leve da Sua misericórdia! SLOKA 97 tat tvan mukham katham ivambuja-tulya-kakshyam vacam avaci nanu parvarii parvariindoh tat kim bruve kim aparam bhuvanaika-kantam krishna tvad ananam anena samam nu yat syat Ó Krishna, como alguém pode comparar o seu rosto com o lótus? E como até mesmo com a lua nova você alcança um estado simplesmente impronunciável? Então, o que mais posso dizer? Que outra coisa no universo poderia igualar a beleza de seu rosto?

30

SLOKA 98 shushrushase shrinu yadi prariidhana-purvam purvair apurva-kavibhir na katakshitam yat nirajana-krama-dhuram bhavadananendor nirvyajam arhati ciraya shashi-pradipah

Se você quer ouvir, em seguida, ouça com atenção para algo que até mesmo os poetas incomparáveis irão tomar nota. A luz da lua merece suportar por muito tempo o fardo de adorar a Sua face na cerimônia de arati. SLOKA 99 akhanda-nirvaria-rasa-pravahair vikhariditashesha-rasantararii ayantritodvanta-sudharnavani jayanti shitani tava smitani

Todas as glórias aos seus sorrisos refrescantes, que são um oceano transbordando de néctar destruindo todas as outras alegrias com ininterruptas ondas do elixir da felicidade! SLOKA 100 kamam santu sahasrashah katipaye sarasya-dhaureyakah kamam va kamaniyata-parimala-svarajya-baddha-vratah naivaivam vividamahe na ca vayam deva priyam brumahe yat satyam ramaniyata-parinatis tvayy eva param gata

Que haja milhares de homens que possuem cativante beleza, e que haja milhares de homens que são firmes na glória da fragrância da atratividade. Não vamos brigar com eles, nem iremos falam bem deles. Mas a verdade, ó Senhor, é que em ti a perfeição da beleza atraente atingiu seu limite. SLOKA 101 galad-vrida lola madana-vinita gopa-vanita mada-sphitam gitam kimapi madhura capala-dhura samujjrimbha gumbha madhurima-kiram madrisha-giram tvayi sthane jate dadhati capalam janma saphalam

Ó Krishna, situados em Você, alguns alcançaram o fruto de Suas existências transitórias. Já as esposas dos vaqueiros que se tornam inquietas, destruída sua timidez, e que se voltam humildes com amor por ti; celebram canções, entoadas com paixão; seu excesso de frivolidade, que se torna muito doce, fazendo as minhas palavras totalmente exaltadas. Que doçura, sinto-me colocando uma guirlanda [sobre você]. 31

SLOKA 102 bhuvanam bhavanam vilasini shris tanayas tamara-sasanah smarash ca paricara-paramparah surendras tad api tvac-caritam vibho vicitram

Ó Senhor, embora o universo inteiro seja a Sua morada, Lakshmi a Sua consorte, o Senhor Brahma e Pradyumna Seus filhos, e os chefes dos semideuses Seus assistentes, ainda, assim seus passatempos em Vraja [aqui] são mais maravilhosos. SLOKA 103 devas triloki-saubhagyakasturi-tilakankurah jiyad vrajangananangakeli-lalita-vibhramah

Todas as glórias a Krishna, o mais beneficente em todos os três mundos, cuja testa é marcada com tilaka e cujo amor e alegria são reforçados pelo amor das vaqueirinhas de Vraja!

SLOKA 104 premadam ca me kamadam ca me vedanam ca me vaibhavam ca me jivanam ca me jivitam ca me daivatam ca me deva na 'param

Ó Senhor, Tu, e só Tu, és minha divindade de adoração, doador do amor, cumpridor dos desejos. Só Tu és o meu conhecimento, meu poder e riqueza, minha força vital e minha própria vida. SLOKA 105 madhuryena vivardhantam vaco nas tava vaibhave capalyena vijrimbhantam cinta nas tava shaishave

Ó Senhor, que nossas palavras sejam docemente poderosas para descrever sua beleza, e deixar nossos pensamentos incharem com entusiasmo quando me detiver sobre sua infância.

32

SLOKA 106 yani tvac-caritamritani rasanalehyani dhanyatmanam ye va shaishava-capala-vyatikara radhavarodhonmukhah ya va bhavita-venu-gita-gatayo lila mukhambhoruhe dhara-vahikaya vahantu hridaye tany eva tany eva me

Haja fluxo sempre em meu coração com os passatempos nectários, degustados pelas línguas das almas abençoados e afortunadas; Suas brincadeiras e travessuras infantis (quando permanece deitado a fim de obstruir a passagem de Radha), e os gestos esportivos de Teu rosto de lótus, inspirado pelas canções de Sua flauta.

SLOKA 107 bhaktis tvayi sthiratara bhagavan yadi syad daivena nah phalati divya-kishora-murtih muktih svayam mukulitashjali sevate 'sman dharmartha-kama-gatayah samaya-pratikshah Ó Senhor, se estou engajado em serviço devocional firme para você, então eu posso facilmente perceber sua forma divina jovem. E quanto à liberação, ela se encontra na minha porta com as mãos postas, à espera de me servir, e todas as comodidades materiais da religiosidade, desenvolvimento econômico, e gratificação, permanecem junto a ela. SLOKA 108 jaya jaya jaya deva deva deva tribhuvana-mangala-divya-namadheya jaya jaya jaya deva krishna deva shravana-mano-nayanamritayvatara

Todas as glórias, todas as glórias, todas as glórias a Você, ó Senhor, cujo nome é santo e auspicioso para todos os três mundos! Todas as glórias, todas as glórias, todas as glórias a Ti, Senhor Krishna! Você é a encarnação do néctar para o ouvido, a mente e os olhos. SLOKA 109 tubhyam nirbhara-harsha-varsha-vivashavesha-sphutavir-bhavadbhuyash-capala-bhushiteshu sukritam bhaveshu nirhasine shrimad-gokula-mandanaya manasam vacam ca dure sphuran madhuryaika-maharnavaya mahase kasmai cid asmai namah Eu me curvo a Você, Krishna, que resplandece nos estados de êxtase daquelas almas piedosas, adornadas com agitações repetidas ocasionadas por um dilúvio espontâneo de prazer transcendental excessivo. Inclino-me a Ti, que é o ornamento da gloriosa Gokula e que é o oceano único de ternura, doce e amoroso brilhando a distância, além das palavras e do pensamento. Qualquer glória que Você encarnar, eu me curvo.

33

SLOKA 110 ishana-deva-carakna-bharanena nividamodara-sthira-yashah stabakodgamena lilashukena racitam tava krishna deva karnamritam vahatu kalpa-shatantare 'pi Com a produção deste buquê de versos, que tem a fama duradoura de Damodara como sua capital, e que adorna os pés de lótus, ishanadeva Lilashuka tem escrito sobre você, ó Senhor Krishna, este néctar para os seus ouvidos. Que continue a fluir (para ser ouvido, cantado e recitado) por cem dias de Brahma. SLOKA 111 dhanyanam sarasanulapa-sararii-saurabhyam abhyasyatam karnanam vivareshu kam api sudhavristtim duhanam muhuh ramyanam sudrisham mano-nayanayor magnasya devasya nah karnanam vacasam vijrimbhitam aho krishnasya karnamritam Repetidamente despejando uma chuva indescritível de néctar para os ouvidos de almas afortunadas que apreciam, através da repetição, a fragrância de suas ondas de doçura poética, este néctar para os ouvidos de Krishna está mergulhado nas mentes e nos olhos das belas vaqueirinhas (e nos nossos) ouvidos. SLOKA 112 anugraha-dviguna-vishala-locanair anusmaran mridu-murali-ravamritaih yato yatah prasarati me vilocanam tatas tatah sphurau tavaiva vaibhavam Ó Krishna, lembrando sempre dos nectários, baixos, suaves sons de Sua flauta, bem como dos Seus olhos, duplamente expandidos com misericórdia, peço que onde quer que meus olhos errantes olhem, Você sempre manifeste sua beleza, Sua doçura, Sua opulência diante de mim.

samaptah shri-krishna-karnamritam O néctar para os ouvidos de Krishna termina aqui.

34

Autor: Bilvamangala Thakur Agradecemos a todos que ajudaram na publicação deste livro

COPILADO DE AULAS E ENSINAMENTOS DE SUA DIVINA GRAÇA BHAKTIVEDANTA NARAYANA GOSWAMI MAHARAJA

Tradução e revisão: ANJALI DEVI DASI, CANDRA DEVI DASI, NÍVEA RAQUEL, UJAL DAS Apoio: A todos que contribuíram com boas vibrações e incentivos.
Edição online: Krsna MD.(PDF)

Templos no Brasil e no mundo HTTP://www.purebhakti.com/contact-us/centers-mainmenu-60.html Contato Ujal das Telefone (31) 3464-4777 – (31) 9103-4334 Email: heltcastro@ig.com.br Facebook: ujal das / heltcastro@ig.com.br

35

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful