You are on page 1of 12

1

A Dimensão Social da Eclesiologia de João Calvino

Introdução Conforme registros históricos a reforma protestante ocorrida no século XVI não foi somente um movimento espiritual e eclesiástico. Teve também aspectos e dimensões políticas e sociais.1 Quando João Calvino, nasceu em 10 de julho de 1509, em Noyon, na França setrentrional, Martinho Lutero já estava dando conferências na Universidade de Efurt e Ulrico Zuínglio, já se ocupava de suas tarefas pastorais em Glarus. Por isso, quando Calvino tornou-se protestante, no início da década de 30, herdou uma tradição e uma teologia já bem definidas por quase duas décadas de controvérsia. 2 Calvino é apontado como o maior arquiteto da tradição reformada do protestantismo. 3Talvez pelo fato de ser da segunda geração de reformadores, Calvino podia ter uma visão mais ampla e amadurecida sobre questões sócias nevrálgicas de sua época, razão pela qual, além de teólogo, pregador e pastor, esforçou-se para discernir o papel da igreja cristã em reconstruir uma sociedade justa que refletisse a vontade de Deus sobre a justiça em sua sociedade, questão especialmente aguda para os reformadores. Razão pela qual exerceu também um importante e atenuador papel social as demandas de sua época4 É de grande pertinência analisar-se a visão social de Calvino a partir de seu aporte eclesilógico, pois, faz-se necessário considerá-lo acima de tudo como um teólogo, um homem da Igreja. Ele não era um político, nem ativista social, mas essencialmente um pastor e um estudioso das Escrituras.5 Calvino construiu a sua teologia social a partir da sua convicção de que Cristo é Senhor de todos os aspectos da vida humana, e de que a Palavra de Deus deve regular todas as áreas da vida, por isso considerava seriamente a responsabilidade do governantes diante de Deus:6

1

LOPES, A N. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Disponível <http://www.monergismo.com/textos/j.calvino_igreja_augustus.htm> acesso em 15.11.2011. 2 GEORGE, T. Teologia dos reformadores. São Paulo: Vida Nova. 1993. p. 165. 3 COSTA, Hermisten. M. P. João Calvino 500 anos. São Paulo: Cultura Cristã. 2009. p. 28. 4 LOPES, A N. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Disponível <http://www.monergismo.com/textos/j.calvino_igreja_augustus.htm> acesso em 15.11.2011. 5 MATOS, A. S. Calvino, o diaconato e a responsabilidade social. Disponível <http://www.mackenzie.br/7040.html> acesso em 15.11.2011. 6 LOPES, A N. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Disponível <http://www.monergismo.com/textos/j.calvino_igreja_augustus.htm> acesso em 15.11.2011.

em

em em em

São Paulo: Cultura Cristã. A Situação Social em Genebra na Época de Calvino A cidade de Genebra foi o local onde Calvino passou a maior parte de sua vida. Trad. São Paulo: Cultura Cristã.8 Na verdade. mas seus pés bem ancorados em sua realidade sócio-política existencial.. têm de se dedicar com todo empenho e diligente disposição. e aplicar todos os seus esforços para apresentar aos homens. em tudo o que fizerem.monergismo.Volume IV. devem meditar constantemente. A N.Mas o objetivo do reino temporal é fazer que possamos adaptarmos à companhia dos homens durante o tempo que nos cabe viver entre eles. estabelecer os nossos costumes em termos de uma justiça civil. bem como em seus comentários (onde apropriado) Calvino freqüentemente tratou de questões relacionadas com a responsabilidade social da Igreja e do Estado. Odayr Olivett.2011. 9 CALVINO. moderação e inocência devem eles conduzir-se e controlar-se quando se vêem ordenados ministros da justiça divina? Com que atrevimento pronunciariam sentença injusta com a sua boca. Disponível em <http://www. pp. 2006.. com quão grande integridade. devemos considerar como coisa vil e indigna de nossa excelência ocupar-nos dessas solicitudes imundas e profanas concernentes aos negócios deste mundo. sabendo que esta foi ordenada para escrever os juízos de Deus? Em suma. As institutas da religião cristã: edição especial com notas para estudo e pesquisa. 146-147. e fomos transferidos para o reino de Deus. Sua teologia social amadureceu ali à medida que enfrentava os males sociais que oprimiam Genebra bem como as demais cidades da 7 CALVINO. p.7 Em suas Institutas da Religião Cristã. J. se eles têm presente em sua mente que são vigários de Deus.2 Nisso. J. pastoreando e ensinando...Volume IV. como que uma imagem da providência. conforme assevera no livro IV de suas institutas: E a pura verdade que alguns amantes de utopias hoje em dia. Calvino era um teólogo que tinha seus olhos da fé voltados a Deus. viver em harmonia uns com os outros. os magistrados ou os que exercem poder civil. . 1. clemência. Odayr Olivett.calvino_igreja_augustus.. 8 LOPES. pregando. 2006. As institutas da religião cristã: edição especial com notas para estudo e pesquisa. sendo que eles sabem muito bem que ela foi destinada a ser um instrumento da verdade de Deus? Com que consciência assinarão uma sentença perversa com a sua mão. da proteção.9 Portanto. 150.com/textos/j. para as realidades celestes.htm> acesso em 15. Trad. dos quais os cristãos devem ficar longe e totalmente afastados. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. afirmam que.Pois. Calvino nunca aspirou a uma utopia alienante quanto ao papel do cristão neste mundo. prudência. isto é. da bondade.11. da ternura e da justiça de Deus. e promover e manter a paz e tranqüilidade comum. como fomos mortos por Cristo para os elementos deste mundo. falam dessa maneira.

. O pensamento econômico e social de Calvino. 12 LOPES. São Paulo: Casa editora presbiteriana. E tornando instrução pública obrigatória. Disponível em <http://www. sob pena de pesadas multas. A N.12 Foi a esta altura. Evidentemente. A galopante alta de preços e a especulação desenfreada e febril alimentavam uma pobreza extrema. que Calvino chegou a Genebra desviando-se de uma rota de guerra. regulamentação das danças de ruas e do uso dos bares. Waldyr Carvalho Luz. proibição de jogo de cartas. Destacava-se o vício do jogo de cartas. Graves problemas sociais afligiam Genebra naquela época. em 1536. o Conselho da cidade deu início a várias mudanças expressivas. agravada por impostos pesados.10 fruto dos efeitos do tipo de atividade colonizadora até então desenvolvida pelos Europeus.htm> acesso em 15. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Seus planos eram de 10 LOPES. o bispo responsável pela cidade foi despojado do seu poder.11 1. Disponível em <http://www. prevalecia a embriagues e a prostituição. embora as intenções de Farel fossem as melhores possíveis. Campeava o analfabetismo.11. A N.com/textos/j.11. A. pp. 1990. pela primeira vez na Europa. e os Conselheiros assumiram suas funções.1 As Mudanças Introduzidas por Farel em Genebra Quando Genebra adotou oficialmente a Reforma (1536). tais mudanças bruscas e leis por demais severas geraram considerável certa insatisfação por parte dos habitantes da referida cidade. blasfêmia ao nome de Deus. à exceção do domingo. obrigando também a todos os cidadãos de Genebra a irem ouvir o sermão de domingo. 211-214. Trad. sob sua influência Guilherme Farel. e estava debaixo do poder do Conselho de Genebra cujos conselheiros agora eram protestantes. tais como: a criação do Hospital Geral no antigo Convento de Santa Clara. A Igreja permanecia ligada ao Estado.monergismo. para dar atendimento médico aos pobres. havia aguda falta de assistência social por parte do Estado. servir bebidas durante o horário do sermão e vender pão e vinho a preços acima dos estipulados. que levava o pouco dinheiro do povo.calvino_igreja_augustus.2011. e a ignorância.com/textos/j. Antes mesmo da chegada de Calvino a Genebra.monergismo. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja.htm> acesso em 15. 11 BIÉLER. Os trabalhadores eram oprimidos por baixos salários e jornadas extensas de trabalho.calvino_igreja_augustus. Ele estava apenas de passagem pela cidade. bem como de quaisquer dias santos.3 Europa medieval.2011.

13 AZEVEDO. dizendo que Deus haveria de amaldiçoar meu isolamento e a tranqüilidade dos estudos que eu tanto buscava. T. Neste período. pp. por minha natural solidão e timidez. São Paulo: Vida Nova. Ali em Genebra. senti-me tão abalado de terror. Farel.13 Entretanto. não me via na obrigação de responsabilizar-me por qualquer ofício particular. ancião (disciplina) e diácono (serviço social). lidando com as questões sociais mencionadas acima. 1999. A N. Movido porém. quando a necessidade era em extremo premente. Trad. São Paulo: Academia Cristã. imediatamente pôs em ação toda a sua energia a fim de deter-me.monergismo. 126. retoma sua exposição exatamente de onde havia parado a alguns anos atrás. 1993. após ter apresentado toda sorte de desculpas.: Valter Graciano Martins. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Sob o impacto de tal imprecação. retornando em 1541 por muita insistência do povo de Genebra. A liberdade cristã em Calvino: uma resposta ao mundo contemporâneo. P. . estabeleceu na igreja quatro ordens eclesiásticas básicas: de pastor (doutrina).4 prosseguir em frente e achar um local tranqüilo onde pudesse estudar e escrever. M. então lançou sobre mim sua imprecação. Em breve. depois de seu chamado. onde situação havia piorado muito. e percebendo ele que não lucraria nada com os seus rogos. J.14 A partir daquele momento.16 Em 1538 Farel e Calvino foram expulsos da cidade. Quando Farel soube que Calvino estava na cidade foi visitá-lo. ao descobrir que meu coração estava completamente devotado aos meus estudos pessoais. 2009. Quando regressou. Comentário dos Salmos . 15 GEORGE. ele se referia a si mesmo como leitor das Sagradas Escrituras à igreja de Genebra. que ardia com um inusitado zelo pelo avanço do evangelho. 14 CALVINO. que desisti da viagem que havia começado. 180. Teologia dos reformadores. 40-41. aterrorizado pela maldição que o velho reformador invocou sobre ele conforme o próprio registra em seu prólogo ao Comentário dos Salmos: Nisso. o referido teólogo passa três anos muitíssimo produtivos a sua produção literária. ele ficou. para ajudar Farel a solidificar as reformas eclesiásticas e sociais em Genebra. onde desenvolveu sua teologia social. E. mestre e pastor na Igreja de Genebra.calvino_igreja_augustus. para os quais desejava conservar-me livre de quaisquer outras ocupações.com/textos/j. finalmente rendeu-se.htm> acesso em 15. Genebra iria tornar-se o centro espiritual e social da Reforma protestante na Europa. p. e em alguns de seus escritos. Ele havia acabado de publicar a primeira edição das Institutas. trabalhando como pregador.São Paulo: Paracletos. 15 Assim. e ao contrário das expectativas sobre um primeiro possível sermão do tipo ―eu os avisei‖.11. caso me esquivasse e recuasse dar minha assistência. o destino de Calvino estava ligado ao de Genebra.2011. Disponível em <http://www. para ajudá-lo no trabalho de reforma. professor (educação). Calvino. 16 LOPES. e instou com o jovem teólogo a que ficasse ali em Genebra.

pp. como tendo origem no egoísmo e na avareza do homem. 184-185. ao invés de ser vendido. Disponível em <http://www. estavam enraizadas na natureza decaída do homem (queda no Éden). São Paulo: Vida Nova.2011 19 Ibid . para que ali fosse devorado por bichos. bem como da perversão e da corrupção da sociedade humana. A N. miséria e a opressão.17 2.calvino_igreja_augustus.monergismo.com/textos/j. e apodrecesse. nunca havia desistido do mesmo. monopólios. mas abrange a restauração de todo o universo — o que inclui a ordem social e econômica. quando a necessidade do povo se fazia sentir. T. O caos econômico é causado pela ganância dos homens. Por identificar biblicamente a raiz dos transtornos sociais.18 2.htm> acesso em 15. Desta forma. conforme Cristo nos promete em Mateus 6. apesar da temporária interrupção de seu ofício. Se Cristo era o Senhor de toda a existência humana.5 demonstrando que. Calvino estava em posição de elaborar uma solução que atingisse o problema em seus fundamentos. era dever da Igreja dar atenção às questões sociais e políticas. o pecado do homem havia trazido toda sorte de transtorno demolindo a ordem social (Rm 8:23). Calvino denuncia neste contexto pecados sociais como: estocagem de alimentos (trigo). As causas da pobreza. a atenção de Calvino como pastor e mestre. e pela incredulidade de que Deus haverá de nos suprir as necessidades básicas. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja. Ele denunciava aqueles que preferiam deixar deteriorar-se o trigo em seus celeiros. O Ensino de Calvino 2. LOPES. se estendeu para além das questões individuais e "espirituais". 1993. e a especulação financeira.2 O Senhorio de Cristo Um segundo princípio que norteava a teologia social de Calvino era que a obra de restauração realizada por Cristo não se limita apenas à nova vida dada ao indivíduo.19 17 18 GEORGE.1 A Causa dos Males Sociais Para Calvino.11. Teologia dos reformadores.

que aplicassem os princípios bíblicos às questões sociais. a restauração inaugurada por Cristo ocorre inicialmente no seio da Igreja.com/textos/j. abraçado o Evangelho.28. no fim dos tempos. Ef 2. Quando Calvino falava em restauração social.monergismo. pastor e teólogo. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja.6 2. pelo menos teoricamente. Genebra e a reforma: um estudo sobre Calvino como um reformador social. em sua expectativa. a opressão. ao passo que os empregados (que continuam empregados) aprendem a serem subordinados sem recriminação. .22 20 21 Ibid WALLACE.2011. a Igreja é uma antecipação do reino de justiça a ser introduzido por Cristo em sua vinda. Calvino desejava uma sociedade civil que refletisse o máximo possível o modelo de mútua dependência. e haviam. Em tese a Igreja em Genebra era tão extensa quanto os limites da cidade e o número de seus cidadãos. É na Igreja. econômicas e raciais. ele tinha em mente uma sociedade civil governada por cristãos reformados. com as suas respectivas estruturas e funcionamento.htm> acesso em 15. Entretanto. R. que as relações sociais de trabalho sofrem profundas alterações. para Calvino. a sociedade e a família. Na Igreja. porém. deveria ser encontrado especialmente na igreja de Cristo. bem como os preconceitos delas procedentes. pois Cristo de todos faz um único povo (Gl 3. mas aprendem a exercer sua autoridade sem opressão. a plena abolição dos distúrbios agora presentes da ordem social (as injustiças.14).20 Em Genebra. desaparecem. as diferenças exacerbadas entre as classes sociais. A N. 2003. São Paulo: Cultura cristã. Como tal. ela funciona no presente como uma sociedade provisória. ensina o reformador. Ele concebia a coexistência harmônica entre a Igreja e instituições como o Estado. Disponível em <http://www. políticas e econômicas. clérigo.11. p. aquilo que. Dessa forma. cooperação e íntima intercomunicação entre o corpo todo e seus membros. Os patrões continuam patrões. 102. Não que Calvino cresse na total abolição destas classes. para o qual marcha toda a história dos homens e do universo. Calvino.3 A Restauração da Sociedade Para Calvino.21 Devemos nos lembrar aqui que na época de Calvino todos os cidadãos de Genebra faziam parte da Igreja.calvino_igreja_augustus. a corrupção. 22 LOPES. por exemplo) só se efetuará plenamente no Reino de Deus. governada pelas leis de Cristo.

ela se torna cúmplice da injustiça social. aqui incluída a guarda do Dia do Senhor. Em primeiro lugar.11. sobre o valor do trabalho e do descanso. e um social. em seu papel na restauração provisória desta sociedade. esquecendo o senso divino do seu ofício. E ainda. pecar contra o mandamento ―Não matarás‖.23 3. o diaconato e a responsabilidade <http://www. Calvino. Privar um homem do seu trabalho é pecar contra Deus. cometendo injustiça ou tolerando injustiças.2 Ministério Político A Igreja tinha algumas importantes tarefas a desempenhar com relação ao Estado.1-2). social. dizia ele – pois o trabalho é dom de Deus e o dever que ordenou ao homem.br/7040. Para o referido reformador. cessando de cumprir sua missão política. Em particular. a igreja devia. é.1 Ministério Didático Através da instrução pública e particular por meio dos pastores e mestres. Ela também devia exortar o Estado a defender os pobres e os fracos contra os ricos e poderosos. é atentar contra a vida – pois os trabalhadores pobres dependem dia a dia do seu labor para sustentar as suas famílias.mackenzie. Essas expressões lembram os profetas do Antigo Testamento em sua vigilância contra a impiedade e a injustiça na 23 MATOS.html> acesso em 15. S. Calvino falava contra o desemprego causado pela ganância dos ricos. No exercício desse ministério. a especulação e outros males.2011. Calvino se referiu aos pregadores como ―atalaias‖. a cobrança de juros excessivos. enfim. 3. a Igreja tinha o dever de orar pelas autoridades constituídas (ver 1 Tm 2. quando necessário. e sobre questões de justiça social.7 3. quando a igreja cessa de vigiar o Estado. abusando do poder. Disponível em . tais como a ociosidade. A Responsabilidade Social da Igreja Segundo Calvino a Igreja tinha um ministério didático. um político. a Igreja devia orientar os seus fiéis quanto ao ensino bíblico sobre administração dos bens concedidos por Deus (mordomia cristã). repreender os membros que estivessem incorrendo em pecados sociais. A. o reformador apontou que outra tarefa da igreja era advertir as autoridades quando elas se mostrassem negligentes.

o diaconato e a responsabilidade social. que foi objeto de grande interesse e valorização por parte de Calvino. e devem ocupar-se em manter-se o bem estar geral e a paz comum. Embora os cristãos individuais tenham claras responsabilidades dadas por Deus no tocante ao envolvimento com as necessidades da comunidade. Assim. J. não façais violência. nem a viúva. p. e ajudando e socorrendo os oprimidos. por essa causa são revestidos de poder. conforme o descreve a Palavra de Deus.. asseverando a singular responsabilidade dos que governam: Agora devemos declarar brevemente qual é e em que consiste o ofício dos que exercem o governo.8: os ―procuradores dos pobres‖. As institutas da religião cristã: edição especial com notas para estudo e pesquisa. 153. da inocência e da modéstia públicas..3 Ministério Social Finalmente. a Igreja como instituição deve dedicar-se ao serviço cristão. A.. Calvino. para reprimir e punir rigorosamente os malfeitores. Calvino demonstrou interesse pessoal por essa 24 MATOS. Jeremias exorta assim aos Reis: ―Assim diz o Senhor: Executai o direito e a justiça e livrai o oprimido das mãos do opressor. S. ensinando que os diáconos eram ministros eclesiásticos encarregados de toda a assistência social da Igreja (At 6. Odayr Olivett. nem derrameis sangue inocente neste lugar‖. nem ao órfão. Disponível em <http://www. por cuja maldade é perturbada a paz pública..html> acesso em 15. Trad.br/7040.11. ele encontrou base para a existência de dois tipos de diáconos em Romanos 12.Volume IV.mackenzie. Examinando as Escrituras. que eram encarregados de recolher e distribuir as ofertas para fins caritativos.24 Em suas institutas ele externa sua preocupação com a opressão e injustiça social. Calvino reafirmava o princípio bíblico reformado de que toda a escritura deve ser pregada. São Paulo: Cultura Cristã. não oprimais nem ao estrangeiro. O reformador insistiu no retorno aos padrões bíblicos referentes a esse ofício.1-7).eles não podem desincumbir-se desses deveres se não defendendo os bons das injurias dos maus.25 3. e os ―hospitaleiros‖. um outro aspecto importante e indispensável da atuação da Igreja é o seu ministério na área social propriamente dita. O principal instrumento de que a Igreja deve se utilizar para tanto é o ofício do diaconato. 25 CALVINO.8 vida do povo de Israel. que cuidavam diretamente dos carentes e afligidos. . socorrendo os necessitados e contribuindo para atenuar ou eliminar os males sociais.2011. 2006.Vemos pois que os que governam são constituídos protetores e mantenedores da tranqüilidade e da honestidade.

forneciam camas e colchões. A outra instituição era o Fundo para os Estrangeiros Franceses Pobres ou Fundo Francês. 69-88. A.2011. órfãos e menores abandonados. Debaixo da influência dos pastores.mackenzie. Calvino. reunindo-se regularmente com eles e fazendo contribuições do seu próprio bolso para as atividades diaconais. bem como pequenas doações em dinheiro e cereais. o Conselho limita a jornada de trabalho dos operários. O próprio Calvino intercedeu várias vezes por aumentos de salários para os trabalhadores. Os pastores pregavam contra a especulação financeira. A lista de projetos caritativos dessa instituição era enorme. 27 MATOS.9 atividade. Disponível em <http://www. ofereciam serviços médicos e farmacêuticos. inválidos. as atividades sociais da Igreja por meio do diaconato concentravam-se em duas instituições. a Igreja passa a agir de forma marcante na vida social e política da cidade.11.S. Amando a Deus e ao próximo: João Calvino e o diaconato em Genebra. visando socorrer cidadãos locais em situação de penúria: idosos.br/7040. Os diáconos que administravam o fundo ajudavam os refugiados a obterem moradia. doentes. A. dando sugestões quando à eleição dos diáconos.27 4.html> acesso em 15. A vadiagem é proibida por leis: vagabundos estrangeiros que não tem meios de trabalhar. contratavam amas de leite ou mães adotivas para bebês órfãos. auxiliavam pastores que aguardavam a nomeação para igrejas na França. contratavam alfaiates e costureiras para fazerem roupas para os pobres. Os pastores intercedem continuamente diante do Conselho de Genebra em favor dos pobres e dos operários. A Prática Social de Calvino em Genebra Influenciada por João Calvino.26 Em Genebra. . destinado dar assistência aos muitos refugiados carentes que afluíam para aquela cidade. providenciavam ferramentas ou matrículas para os aprendizes de ofícios. enquanto se preparam para exercer uma profissão. o diaconato e a responsabilidade social. pp. devem deixar Genebra dentro de três dias após a sua chegada. prestava assistência médica gratuita com médicos pagos pelo estado. E os 26 MATOS. Revista Fides Reformata II-2 (jul-dez. A mais importante era o Hospital Geral fundado por Farel. bem como as famílias de pastores que haviam morrido no exercício de suas funções. S. 1997). e fiscalizavam parcialmente os preços contra a alta provocada pelos monopólios. Os refugiados chegados a Genebra recebem treinamento profissional e assistência médica e alimentar.

para gerir seus próprios interesses. Houve inclusive o caso de um funcionário corrupto que foi despedido por influência de Calvino. 1990. apesar de todo o seu prestígio e influência. a universidade de Genebra. procurou viver intensamente os princípios que defendera em sua teologia social. Seções I – IV. e sua teologia social não foi exceção. A. Pois. O pensamento social de Calvino tem produzido um abundante fruto na história da humanidade conduzindo a igreja para além de suas quatro paredes. 223-234. sob pena de prisão. Hodge. Waldyr Carvalho Luz. Destacamos em especial.10 vagabundos da cidade devem aprender um ofício e trabalhar. escolas. bem como o dever dos cristãos de honrar e de submeterem-se ao Estado. . São Paulo: Os puritanos.28 Considerações finais As influências geradas pela visão sócio-eclesiológica de João Calvino estenderam-se além do seu tempo. o dever do Estado de assistir e proteger os necessitados independentemente das convicções religiosas dos mesmos. como se vê no capítulo XXIII referente ao Magistrado Civil. XXIII. Na prática. O pensamento econômico e social de Calvino. seu empenho na área educacional de nível superior fundando e fomentando uma ativa participação em várias faculdades do mundo. Entre elas. foram profundamente influenciados pelo ensino de Calvino. São Paulo: Casa editora presbiteriana. A referida Confissão de Fé reflete o ensino de Calvino sobre a vocação social e política dos cristãos. que se tornou uma instituição calvinista na década de 1560. A. 1999. e asilos de que temos notícia foram fundados por calvinistas. A. a independência da Igreja do Estado. para que ele possam entrar no mercado de trabalho. A. Os Puritanos. como também ocorreu às 28 BIÉLER. a antiga Universidade de Heidelberg na Alemanha. Caps. muitas das universidades. 29 HODGE.29 Um outro exemplo são as contínuas referências à questões sociais e econômicas nos símbolos da fé reformada. Trad. pp. autores da Confissão de Fé de Westminster e dos dois Catecismos. A confissão de fé de Westminster comentada por A. E finalmente é digno de nota que havia uma vigilância da parte de Calvino e demais pastores de Genebra contra a má administração pública. O próprio Calvino levava uma vida modesta. e o dever do Estado de proteger a Igreja cristã. O Conselho institui cursos profissionalizantes para os vadios e os jovens.

os reformados alemães quatro e os reformados holandeses uma. Calvino foi um significativo e ativo cristão e ser humano para as demandas sócio-políticas de sua época. Posteriormente as importantes universidades de Stellenbosch e Potchefstroom na África do Sul.br/revista/artigos/329/universidades-protestantes-beneficios-e-riscos>-Revista Ultimato nº 329 acesso em 19. ainda se manifestam na tradição eclesiástica por ele deixada. três se tornaram famosas universidades: Harvard (1636). Glasgow e Aberdeen.11. Dessas 75 instituições. na Holanda.2011 . No Brasil. Cumpre a nós hoje. Yale (1701) e Princeton (1746). Entretanto. os congregacionais 21.com. fundadas por reformados holandeses. diagnosticar nosso tempo e honrar o nome do Cristo que caminhou com os excluídos de sua época. Universidades protestantes: benefícios e riscos. os presbiterianos criaram 49 ―colleges‖ (faculdades). S. Entre as primeiras universidades fundadas por calvinistas estão as de Leyden e Utrecht.30 Enfim. Oxford e Cambridge que também receberam fortíssima influência calvinista. onde.ultimato. A.11 Universidades de Saint Andrews. 30 MATOS. até meados do século 19. a universidade Presbiteriana Mackenzie. E nos Estados Unidos. Disponível em <http://www. os traços do perfil social de João Calvino.

Calvino.São Paulo: Paracletos. BIÉLER.12 Referências: AZEVEDO. Calvino. Hermisten.calvino_igreja_augustus. R.monergismo.S. T. 1993. 2009. São Paulo: Os puritanos.Revista Ultimato nº 329.br/7040. M. São Paulo: Academia Cristã. COSTA. A. . GEORGE. pastor e teólogo. São Paulo: Vida Nova. A. Revista Fides Reformata II-2 (jul-dez. A. CALVINO. J. 2009. Waldyr Carvalho Luz. Trad. A N. A. M. O pensamento econômico e social de Calvino. CALVINO. Genebra e a reforma: um estudo sobre Calvino como um reformador social. P. J. Trad. 1999.com. 2003. Odayr Olivett.html> ______. Teologia dos reformadores. Amando a Deus e ao próximo: João Calvino e o diaconato em Genebra.br/revista/artigos/329/universidades-protestantes-beneficiose-riscos>. 2006. Disponível em <http://www. o diaconato e a responsabilidade social. O ensino de Calvino sobre a responsabilidade da igreja.: Valter Graciano Martins. HODGE. 1997).ultimato. 1999. Disponível em <http://www.Universidades protestantes: benefícios e riscos. João Calvino 500 anos. A confissão de fé de Westminster comentada por A. Comentário dos Salmos . Hodge. São Paulo: Casa editora presbiteriana.Volume IV. Trad. São Paulo: Cultura Cristã. WALLACE. A. São Paulo: Cultura cristã.htm> MATOS. 1990. Disponível em <http://www.mackenzie. A liberdade cristã em Calvino: uma resposta ao mundo contemporâneo. ______.com/textos/j. clérigo. LOPES. As institutas da religião cristã: edição especial com notas para estudo e pesquisa. São Paulo: Cultura Cristã.