You are on page 1of 9

Introdução – Sedimentação Marinha

• • • • • Sedimentos e rochas sedimentares – cobrem 80% da superfície da superfí Terra Fundos oceânicos – grande maioria coberta por sedimentos Espessura muito variável – de alguns milímetros a centenas de metros variá milí Idade variável – estima-se que os mais antigos tenham 200 Ma variá estimaOrigem variada:
Terrígeno – áreas continentais emersas Terrí Biogênico – organismos marinhos (vértebras; carapaças; valvas; coprólitos) (vé carapaç copró litos) Vulcanogênico – erupções vulcânicas (diretamente para o oceano ou precipitado da erupç atmosfera) Autogênico – reações químicas do ambiente marinho (nódulos polimetálicos; evaporitos; reaç quí (nó polimetálicos; evaporitos; carbonatos) Cosmogênico – origem extraterrestre

Classificação dos sedimentos Classificaç
Origem: terrígeno; biogênico; vulcânico; autogênico; cosmogênico terrí geno; autogênico; Tamanho da partícula: argila; areia; cascalho; pedras; matacões partí

Textura sedimentar
• Tamanho da partícula – reflete partí a condição energética do condiç energé depósito sedimentar depó Diferentes depósitos depó sedimentares – locais de diferentes hidrodinamismos Elevada ação hidrodinâmica – aç deposição de grandes deposiç partículas (matacões; seixos; partí (matacões; cascalhos) Baixa ação hidrodinâmica – aç deposição de partículas deposiç partí pequenas (lodo; argila) Maturidade sedimentar – grau de desagregação das rochas; desagregaç intemperismo principalmente em climas úmidos

1

Transporte sedimentar • • • Acumulação estuarina – Acumulaç ecossistemas de manguezais Formação de deltas – foz de Formaç grandes rios Dispersão na plataforma continental – ação das correntes costeiras Correntes costeiras (quebra das ondas na margem continental) – responsáveis responsá pela maior quantidade Correntes de baixa energia – distribuição de partículas distribuiç partí sedimentares menores Transporte glacial (icebergs) – importantes nas regiões polares • • • Transporte sedimentar • Partículas de argila Partí Maior área superficial Maior força de coesão entre as partículas Necessitam mais energia para erosão • Sedimento arenoso Menor força de coesão Pouca energia para erosão • Pedras e seixos Pouco transporte Grande deposição 2 .

Ambientes Nerítico e Oceânico Nerí 3 . distribuiç Parte é transportada por correntes de turbidez até a base do até talude. que se acumulam na terrí margem continental. Mesmo nas bacias oceânicas onde predominam nerí depósitos terrígenos. Poucas partículas terrígenas comparativamente aos depósitos partí terrí depó neríticos. Ondas e correntes marinhas promovem a distribuição na plataforma continental.Tipos de depósitos sedimentares depó Variam consideravelmente dependendo da origem Caracterizados por dois grupos Depósitos Sedimentares Neríticos – ampla variedade de partículas partí Depó Nerí terrígenas derivadas do continente. formando a elevação continental. elevaç Depósitos Sedimentares Oceânicos – consiste em partículas finas Depó partí acumuladas a uma baixa taxa no fundo oceânico. autogênicos e cosmogênicos. Compostos também por materiais també biogênicos. partículas biogênicas e autogênicas são depó terrí partí abundantes nos fundos oceânicos.

deposiç • Taxa de deposição 10cm/1000 anos – elevada acumulação que deposiç acumulaç impede o intemperismo químico da água do mar quí • Cor cinza esverdeada – característica da ausência de oxidação caracterí oxidaç 4 . dos continentes para os oceanos • Seleção sedimentar pela ação de ondas e correntes marinhas Seleç aç Partículas de areia . onde há diminuição da energia das ondas possibilita a há diminuiç deposição.transportadas ao longo da costa formando Partí as praias Partículas mais finas – transportadas para locais distantes da Partí costa.Depósitos Sedimentares Neríticos Depó Nerí • Descarga fluvial principalmente em estuários – aumento do estuá nível do mar com o fim da última glaciação glaciaç • 20 bilhões de toneladas anuais – massa sedimentar transportada pelos rios.

• Menos de 25% estão no oceano profundo 5 . sendo posteriormente coberto por material mais fino e leve. Elevação Continental – milhões Elevaç de anos de transporte sedimentar constituem uma formação de formaç 10 Km de espessura. que fica em suspensão por mais tempo. nerí elevaç • Sedimentação gradativa – o material mais grosseiro e pesado é Sedimentaç depositado primeiro. O material nerítico é espalhado ao longo da elevação continental. Talude. • Plataforma Continental. Isto ocorre devido à diminuição da velocidade da diminuiç corrente hiperpicnal.Turbiditos • Depósitos sedimentares formados por correntes de turbidez – Depó correntes marinhas de elevada densidade (hiperpicnais) que se deslocam ao longo do talude e canyons submarinos. representando mais de 75% do sedimento marinho.

• Em Shark Bay – Austrália. tornamestromató • Os estromatólitos de Strelley Pool – Austrália. o material terrígeno é depositado. das algas formadoras dos gastró estromatólitos. Os depósitos glaciais continuam depó se formando ao redor do Continente Antártico e da Antá Groelândia. após a apó fragmentação do glacial.5 bilhões de anos. perí quando o nível do mar era mais ní baixo. a salinidade elevada previne o Austrá consumo por gastrópodes. datam do estromató Austrá Arqueano. • Algumas algas produzem filamentos aos quais as partículas de partí carbonato de cálcio se aderem. Depósitos formados pelo Depó derretimento do gelo no fim do período glacial pleistocênico. Deriva de gelo – o material aderido ao glacial é transportado para o mar pelos icebergs.Depósitos Glaciais Depó • Sedimentos mal selecionados compostos por grandes pedras e por partículas finas. responsáveis pelo ar respirável no oceano responsá respirá primitivo. a 3. encontrados partí nas plataformas continentais de altas latitudes. Os filamentos morrem e cá tornam-se calcificados. • Estas algas podem ter sido os primeiros organismos fotossintetizantes. formando os estromatólitos. A medida fragmentaç que o iceberg derrete. estromató 6 . terrí • • • Estromatrólitos Estromatró • Estrutura sedimentar formada por partículas de carbonato de partí cálcio aderidas à secreção mucósica produzida por algas secreç mucó marinhas.

pelas correntes distribuí marinhas. nerí os depósitos dos fundos oceânicos são bem distintos quanto à depó origem e composição: composiç • Argilas abissais Material particulado muito fino que recobre boa parte dos assoalhos do oceano profundo Coloração marrom avermelhada devido à quantidade de óxidos Coloraç de ferro Transportadas pelos ventos. são distribuídas no assoalho oceânico. juntamente com os sedimentos vulcanogênicos e cosmogênicos 7 . dos continentes para os oceanos.Depósitos Sedimentares Oceânicos Depó • Embora ocorram sedimentos neríticos na margem continental.

• Solubilidade do material biogênico intemperismo químico marinho quí • Carapaças silicosas Carapaç ambiente marinho – subsaturado em sílica sí estruturas finas – dissolução rápida dissoluç rá estruturas espessas – depositam-se em camadas no fundo. preservando-se depositampreservando- – dependente do • Carapaças calcárias – pouco solúvel na superfície. devido à elevada produtividade das formas planctônicas.Depósitos Sedimentares Oceânicos Depó • Exudatos Depósito oceânico de origem biogênica que recobre o Depó assoalho marinho. elevada solubilzação disponí solubilzaç 50% do carbonato de cálcio que atinge o fundo oceânico é ressolubilizado cá antes que seja imobilizado pela sedimentação sedimentaç 8 . destruição e diluição destruiç diluiç • Regiões de ressurgência – propícias ao acúmulo sedimentar propí acú biogênico. baixa temperatura e pressão primá elevada . pouco CO2. solubilidade Carapaç calcá solú superfí aumenta com a profundidade superfície – produtividade primária elevada. CO2 disponível. principalmente de regiões não muito profundas Constituição sedimentar – pelo menos 30% em peso por Constituiç conchas e carapaças de plantas e animais. carapaç Por isso não são encontrados nos limites da plataforma continental – excesso de deposição terrígena deposiç terrí Tipos de exudatos: Silicosos (SiO2) – carapaças de diatomáceas e radiolários carapaç diatomá radiolá Calcários (CaCO3) – carapaças de foraminíferos e pterópodos Calcá carapaç foraminí pteró (molusco) • A taxa de acumulação dos exudatos depende dos processos acumulaç de produtividade. baixa solubilidade das superfí primá carapaças carapaç mar profundo – sem produtividade primária.

Profundidade de compensação de carbonato compensaç • Entre 3500 e 6000 metros . precipitando-se para o fundo oceânicos polimetá precipitando• Pelotas fecais partículas orgânicas resultantes da produção biológica de partí produç bioló animais e plantas. cobalto ní correlação com a produtividade biológica – acredita-se que correlaç bioló acreditarestos de animais e vegetais agregam-se aos nódulos agregamnó polimetálicos.profundidade na qual a taxa de solubilização do carbonato de cálcio (diluição das estruturas solubilizaç cá (diluiç contendo CaCO3) é igual à taxa de precipitação precipitaç • Reação química: Reaç quí H2O + CO2 ?H2CO3 ? H+ + HCO-3 ? H+ H+ + CO--3 Outros depósitos sedimentares oceânicos depó • Nódulos polimetálicos . níquel. os agregados formados por tais partículas afundam para o leito partí oceânico quantidade elevada nos locais de alta produtividade 9 .perspectiva de exploração econômica polimetá exploraç de metais do leito oceânico óxido de ferro e de manganês outros elementos – cobre.