You are on page 1of 4

_________ Unidade: Faculdade Politécnica de Jundiaí Disciplina: Experimento: Circuitos Ceifadores ROTEIRO DE LABORATÓRIO Curso: Horas previstas para

a atividade: 3 h 20 min

Objetivos: 1. Implementar circuitos simples usando diodos. 2. Analisar o comportamento de circuitos ceifadores. Teoria Os circuitos ceifadores são circuitos muito simples que empregam pelo menos um diodo,
na configuração do circuito da figura 1. Como vemos, o diodo é colocado em paralelo com

a carga, e é isto que dá o tom do comportamento do circuito.

Figura 1 – Circuito Ceifador. O modelo de queda de tensão constante para diodos é bastante útil para se compreender o funcionamento deste circuito. Lembrando que por este modelo o diodo tem uma tensão constante entre seus terminais quando polarizado diretamente, dependente do material utilizado na fabricação, e considerando que o sinal de entrada VI é um sinal alternado
qualquer, como o da curva laranja da figura 2, é fácil verificar que o diodo entrará em

condução sempre que VI ultrapassar a tensão de polarização do diodo. Neste caso, a tensão vd entre seus terminais será a tensão do modelo citado no início do parágrafo, que também será a tensão VO na carga, visto que o diodo e a carga estão em paralelo. Já no sentido inverso da tensão de entrada, quando o diodo está polarizado reversamente, a tensão na carga será a própria tensão de entrada VI subtraída da queda de tensão no resistor R1. Portanto, o ceifador funciona como um limitador de tensão, sendo inclusive limitador um outro nome usado para este tipo de circuito. A forma da onda de saída VO é ilustrada pela figura 2, curva da direita, supondo que o diodo empregado é um diodo de silício.

Assim. Para um valor abaixo de vd do sinal de entrada. podemos desprezar. Um procedimento análogo pode ser seguido para estudar-se o caso do ceifador negativo. se considerarmos que o diodo é bem representado pelo modelo de queda de tensão constante. mas é oportuno observar no circuito da figura 1 que a tensão no diodo é igual à tensão em RL que é igual à VO. é o ponto em que o diodo passa a conduzir. A curva característica de transferência possuirá um aspecto como o apresentado pela figura 3. em VO = vd. Vemos ainda que se R1 tende a zero. através da aplicação da Lei das tensões de Kirchhoff (LTK): V = V+ V 1 RL I R Isolando a VRL = VO e manipulando a expressão: ⎛ ⎛⎛ R 1 ⎛ ⎛⎛ L V RL ⎛ 1 = ⎛ −RL − R Nesta equação identificamos o coeficiente angular como sendo alfa. que é justamente a região da reta inclinada. . Portanto. este entrará em condução no sentido inverso da tensão. a condução passa a acontecerem VO = vd. o diodo do circuito da figura 1. e limitará a parte inferior do sinal de entrada. e a partir daí se mantém constante. em – 0. Vale observar que se invertermos a polaridade do diodo. a tensão VO tende a VI. para efeitos e análise. A inclinação α da reta abaixo da inflexão pode ser obtida através da resolução da malha do circuito. para um ceifador dito positivo (ceifa a parte superior da onda). Pode parecer que o certo é dizer que quando VI atinge a tensão de polarização do diodo é que passa a haver condução. e então a inclinação da reta será de 45º.Figura 2 – Sinais de entrada e saída de um circuito ceifador com diodo de silício.7V. O ponto de inflexão. escrevemos a igualdade a seguir.

a tensão VO fica somada da tensão da fonte adicionada. Osciloscópio. Diodo retificador de silício. Monte o circuito da figura 1 utilizando resistores R1 = 1k e RL = 10k . Parte Prática: 1. Resistores de 1 K . Assim.Figura 3 – Curva característica de um circuito ceifador positivo. 2. Todas estas características fazem do ceifador um circuito muito versátil e adaptável. Utilizando o osciloscópio obtenha as formas de onda de entrada e de saída do circuito esboçando-as nos gráficos abaixo. Fonte de tensão variável CC. e ajustando a fonte senoidal para 5Vpp. 10 K e 100 K . o que é fácil perceber pela análise do circuito da figura 1. com polaridade conveniente. . Material Experimental: Fonte de tesão senoidal. basta colocar uma fonte de tensão CC em série com o diodo. Podemos ainda alterar o valor em que ocorre a limitação da tensão.

3. e Vs = 4. Repita os passos 1 e 2 utilizando os valores de R1 = 10k . . Explique os resultados obtidos e faça suas conclusões. RL = 100k 5Vpp / 200Hz. Esboce os resultados nos gráficos abaixo.