JORNAL MULTICULTURAL nº2

JORNAL
Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias – maio de 2012

Coordenação: Profª Vera Sousa

É com enorme satisfação que damos continuidade ao Jornal Multicultural. As bases essenciais para dar continuidade a este projeto foram sobretudo a motivação de dar a conhecer as experiências e a cultura de alguns alunos imigrantes que frequentam a nossa escola e têm a língua portuguesa como sua segunda língua e Portugal como novo local de residência. Esperamos que mostrem interesse pelos trabalhos que os alunos de PLNM desenvolveram e um agradecimento especial a todos os que ajudaram e participaram na concretização de mais uma edição do nosso Jornal Multicultural.

As nossas origens ……….…………………. 2 Particularidades culturais ……………...4 A nossa chegada a Portugal ….….…... 5 Memórias/ Confidências …………….…. 6 Poesia multicultural ..……..…….………..7 Passatempos ………………………..……... 8

Com o objetivo de divulgar as nossas memórias e experiências no nosso país de origem, além de nos aproximar através de um ambiente multicultural, baseado no respeito por cada nacionalidade, criámos dois blogs.

Visita- os em:

Vera Sousa

FICHA TÉCNICA:
Design Gráfico e editoria: Vera Sousa Redação de textos: Adérito Sanches, Alpha Oumar, Arcelinda, Astu Samati, Benvinda Candé, Constantine Curagau, Daria Topal, Edicson Simão, Edney Lázaro, Kenny santos, Kevin Cruz, Laurentiu Bajurea, Lenira Monteiro, Natália Santos, Svetlana Topal, Vera Dias e Wilson Fidalgo. Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

http://plnm-esfd.blogspot.com
ou

http://esfd-plnm.blogspot.com

Página 1

JORNAL MULTICULTURAL nº2
As nossas origens

CABO VERDE
Cabo Verde é um arquipélago de dez ilhas (Santo antão, Santa Lúzia, São Nicolau, Sal, Boa Vista, Maio, Santiago, Fogo e Brava). A única que eu conheço é a ilha de Santiago onde vivi doze anos. É a maior ilha, tem belas paisagens e lindas praias. Vivi em Salimeiro, perto da antiga cidade (a Cidade Velha). No que diz respeito a festividades, na minha zona, organizava-se uma festa no dia 29 de junho: a festa de São Pedro. Quanto aos tipos de música e danças são Kisomba, Funana, Coladeira. Quanto à gastronomia, os tipos de prato mais tradicionais e saborosos são: a cachupa, o cuz-cuz, a feijoada e o guizado. Adérito Sanches – 10ºA2 Cabo Verde e Portugal são países completamente diferentes a vários níveis, por exemplo, na língua, nos costumes e no clima. A cultura difere da de Portugal. Mesmo tendo sido uma colónia portuguesa conseguiu preservar os seus costumes e as suas tradições. O clima em Cabo verde é sempre bom. Lá há muito sol e chove pouco, o que permite as pessoas irem mais vezes à praia. Na culinária, o prato mais conhecido é a cachupa, que é uma junção de milho, batata, feijão e carne, um prato confeccionado com algumas especiarias da terra.

ANGOLA
Angola é um país grande com muita natureza e minas. O presidente é José Eduardo dos Santos e já é presidente há mais de dez anos. A sua capital é Luanda e tem muita população. Luanda é a cidade onde nasci. Há muita poeira e as estradas têm muitos buracos, porque chove muito. Em Angola, há só duas estações: o Inverno e o 'Cachimbo', ou seja, o Verão.

Muitas pessoas pensam que em Angola se fala Crioulo, mas não. Em certas províncias fala-se Kimbundo. Em Luanda é que se fala Português. Os meus pais não pensam ir para esse país, mas pensam emigrar para outro que é o Canadá. Natália Santos - 7ºG

As escolas em Cabo Verde têm um horário fixo: ou de manhã, ou de tarde. Não é como em Portugal onde os alunos passam o dia todo na escola.
Lenira Monteiro 9ºB Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 2

JORNAL MULTICULTURAL nº2

FRANÇA

ALEMANHA

LUXEMBURGO
O meu nome é Lenira e antes de vir para Portugal, estive noutros países, como França, Alemanha e Luxemburgo. Em França, estive em Paris, uma cidade muito linda, espantosa e romântica. Paris é muito conhecida como a cidade do amor, porque no dia dos namorados fazem muitas festas e decoram a cidade com corações. As pessoas que vivem em Paris gostam de comer o pão mais conhecido que se chama baguete. A Alemanha é um país muito frio e é muito diferente da França ou do Luxemburgo. A língua que se fala é o alemão. A comida mais conhecida é o chouriço que se come ao pequenoalmoço e jantar.

Na Moldávia…
O maior clube de futebol é: ZIMBRU

A moeda é: LEI A língua é: ROMENA O cantor mais conhecido é: ION SURUCEANU O monumento mais importante é: STEFAN CEL MARE O governo é: REPÚBLICA.
Constantine Curagau nº8 7ºG

O Luxemburgo é um país muito bonito, onde há vários sítios giros e muitas lojas. Neste país diferente de Portugal, há escolas para raparigas, para rapazes e a escola mista. Os alunos entram às 8h e saem às 14h da tarde enquanto aqui em Portugal os horários variam e, por vezes, sai-se muito tarde da escola. Para além disso, a partir do 9º ano, os alunos começam a estagiar durante uma semana e já podem trabalhar. Também as línguas não são iguais e no Luxemburgo fala-se o Luxemburguês, o Alemão, o Francês e o Inglês. Lenira Monteiro- 9ºB Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 3

JORNAL MULTICULTURAL nº2
Particularidades culturais

RITUAIS E MAGIAS EM
No meu país, que se localiza em África, existem algumas pessoas que praticam uma espécie de magia. As magias são feitas através de rituais muito esquisitos, com muitas folhas que só podem ser encontradas nas partes mais remotas desses países africanos. Muitas pessoas aparecem para poderem usufruir destas magias e, na sua maioria, só procuram esses serviços quando estão com problemas amorosos. Quem pratica essas magias (macumbas) são pessoas mais idosas desses países de África. Mas isso tem vindo a diminuir, porque os jovens já não querem saber dessas tradições. Edney Lázaro – 10ºC2

SÃO TOMÉ E PRINCIPE

S. Tomé e Príncipe Cabo Verde

Na Guiné-Bissau… A Guiné-Bissau existem oito regiões e um setor autónomo:
Bafatá - (capital: Bafatá) Biombo - (capital: Quinhamel) Sector autónomo de Bissau – (Capital: Bissau) Bolama - (capital: Bolama)

Estados Unidos da América

Luxemburgo

Angola

Moldávia

Cacheu - (capital: Cacheu) Gabu - (capital: Gabu) Oio - (capital: Farim) Quinara - (capital: Quinara) Tombali - (capital: Catió)
Edicson Simão nº31 10ºC2

Ucrânia

Guiné-Bissau Edna Rufino – 7ºG
Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 4

JORNAL MULTICULTURAL nº2
A nossa chegada a Portugal

DA MOLDÁVIA
Chamo-me Laurentiu e estive na Moldávia sem os meus pais durante cinco anos. O meu pai saiu de casa quando eu tinha cinco anos e a minha mãe saiu quando eu tinha sete anos. Um dia, o meu pai fez-me uma surpresa. Quando o vi, dei-lhe um grande abraço. Fiquei muito contente e desatei a chorar. Foi então que ele me disse que íamos para Portugal dentro de duas semanas ter com a minha mãe. Quando cheguei a Portugal, dei um grande abraço à minha mãe e disseA separar deles. Inscreveram-me pouco depois na lhes que não me queria FESTA DE IVANA KUPALA escola portuguesa. Os meus primeiros dias foram os piores, porque não sabia falar Português e os meus colegas estavam sempre a gozar comigo. Ficava muito triste, mas a minha mãe acalmava-me e pouco depois fui aprendendo Português. Comecei a ter amigos portugueses e também moldavos que vieram para cá. As saudades que tinha da Moldávia ao início foram desaparecendo e agora sinto-me bem em Portugal.
Laurentiu Bajurea – 10ºC2

DE CABO VERDE DA GUINÉ BISSAU
O meu nome é Astu e estou em Portugal há um ano. Foi muito difícil a minha vinda para cá, uma vez que tenho a minha prima e os meus amigos no meu país. Quando tive de mudar de país, senti-me muito triste e inconsolada, porque ia deixar de ver as pessoas de que eu gostava. Ao chegar a Portugal, parecia que estava no paraíso devido, por exemplo, ao ambiente, ao clima e às estradas. Astu Samati, 7ºG
No dia em que a minha tia me disse que eu vinha para Portugal, fiquei feliz, mas triste por outro lado, porque ia deixar quase a minha família toda nesse país. Fiquei também com a sensação de que ia perder os meus amigos… Foi no dia 24 de novembro de 2008, um dia cheio de sol, que eu e a minha amiga fomos para o aeroporto de São Pedro para apanharmos o voo para Portugal. À chegada, no avião, eu vi lugares muito lindos, vi muitos carros, campos de futebol e muitos prédios e vivendas. Parecia que estava no paraíso, porque percebi que Portugal é um país que apresenta melhores condições de vida. Quando o avião aterrou, fomos ter com a minha mãe e o meu padrasto. No caminho até casa, vi pela vez um comboio! Prefiro viver num país como este, embora tenha saudades de Cabo Verde. Kenny Santos 7ºG

Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 5

JORNAL MULTICULTURAL nº2
Memórias /Confidências

Em…Cabo Verde
O dia em que eu conheci o meu melhor amigo foi o dia mais especial da minha vida. Foi numa tarde muito chuvosa, no meu primeiro dia de aula no ensino secundário. Quando começamos a falar vimos que tínhamos muitas coisas em comum, tais como: gostar de dançar, de passear, etc. A partir daquele dia, começámos a estar sempre juntos e a conhecermo-nos cada vez mais. Num belo dia de sol, fomos à praia com outros amigos e aconteceu o que nunca devia ter acontecido: ele foi baleado por um psicopata que estava a passar por nós na praia. A partir daquele dia, nunca mais fui àquela praia, pois traz-me a recordação do dia mais infeliz de toda a minha vida até hoje: o assassinato do meu melhor amigo, mesmo à minha frente. Nunca mais encontrei ninguém como ele, pois era mais que um amigo, era um companheiro, o meu consolo quando estava triste e alguém que estava sempre disponível para mim à hora que eu precisasse, fosse para eu desabafar, para dar beijinhos ou para fazer miminhos. Ele estava sempre disponível para mim. Vera Dias 10ºL2

DA AMÉRICA
Na América, eu vivia num lugar chamado Amherst, perto de Massachussetts. Não era muito grande, mas era calmo e as pessoas eram simpáticas.
Em Amherst há muito frio e até cai neve. Eu gostava muito de brincar com os meus amigos na neve e divertiamo-nos imenso. Eu andava numa escola chamada Amherst High School, uma escola grande e com muita gente. Tinha muitas opções de disciplinas. Gostei muito de andar nessa escola. Fiz muitos amigos e fiquei com muitas saudades deles quando vim para Portugal. Gostava também do Natal, porque as escolas davam presentes. Em Amherst, havia muitas lojas e lugares para ir comer. Gostava de ir ao Burger King. Eu e os meus amigos íamos para os centros comerciais todas as sextas-feiras e sábados. Íamos ver roupas ou às vezes ver um filme. Os centros comerciais não eram perto da minha casa, mas apanhava o autocarro, porque havia autocarros que não eram pagos. A minha mãe também me levava para ir ter com os meus amigos.

Wilson Fidalgo – 10ºA2

Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 6

JORNAL MULTICULTURAL nº2
Poesia multicultural

Ami n’ta jura Ami n’ta spera Tempo qui for Ti qui bu bem, bem. Bu podi bai chintido Descansado pamodi Ami dzam dabu nha Palavra… por isso Nen ca bu fica Preocupado bai bai Ti qui bu bem! Arcelinda – 11ºL

‫أحبك‬
Alpha Oumar

Toi et la rose J’aime les deux choses. Toi et la rose La rose pour un jour Et toi pour toujours. Lenira Monteiro – 9ºB

Ти ідеальний і красивий як гладка радіус Ви зірка, мрія ... Ти солодкий п'янкий аромат ... Невідомі пригоди Ви імпульсивні пристрасті. Ти береш мене в глибини космосу.
Daria Topal – 12ºC1

Visita a Antologia de Poesia que elaborámos em: http://esfd-plnm.blogspot.pt/

Моя любов, ти мені потрібен як мисливець потрібна гармата. Моя зірка, ти мені потрібен як пустелі потрібна вода. Я потребую тебе, моя радість, Я потребую тебе, любов моя!
Svetlana Topal 12ºC1

Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 7

JORNAL MULTICULTURAL nº2

Descobre na sopa de letras as dez ilhas de Cabo Verde:
S S A N T O A N T A O Ç A S A N T A L U Z I A M O A B N B O A V I S T A V N Z X T Y U O T A B C I T N B J I H F T O P I C O M U A B A T O N E Q E B R A V A B G L I D X N S A N T O A H O C B C T V B O A V I S T O S F E S A L Z L Ç U T L R G A A E P K R W Q V A O D S O G U F P J Ç P U U E

Vera Dias nº 30 10ºL2 Faz a correspondência dos países com os respetivos presidentes:

Cabo Verde

Manuel Pinto da Costa

Luxemburgo

José Eduardo dos Santos

São Tomé e Príncipe

Henrique do Luxemburgo

Moldávia

Jorge Carlos de Almeida Fonseca
Soluções na próxima edição

Angola

Nicolae Timofti

Kevin Cruz, 7ºG

Escola Secundária com 3º Ciclo de Ferreira Dias

Página 8

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful