Exercícios de Flexão

1. Seja a longarina de uma ponte em estrutura metálica conforme mostrada na
figura abaixo. Ela está sujeita às solicitações de cálculo já considerados os
efeitos de majoração e ponderação. A ponte é composta de 6 transversinas. A
longarina é um perfil VS 500x97 de aço AR 290 e possui contenção lateral
nos apoios e embaixo dos pontos de cargas concentradas que são os pesos
próprios das transversinas propriamente ditas. Fazer as verificações quanto ao
momento fletor e esforços cortantes.
a) Cálculo do momento fletor no meio do vão e cortante nos apoios:
kN 45
2
25 x 2
10 x 4 R · + ·
b) Dados do perfil VS 500x97
4 5 7 5 4
10 kN 10 kN 10 kN 10 kN
2 kN/m
kN 45 S
dv
·
kNm 286,25
2
5 , 12
x
2
25 x 2
- 3,5 x 10 - 8,5 x 10 - 12,5 x 45 M · ·
kN 286,25 S
dv
·
( cm )
A
w
= 29,1 cm²
A
g
= 124,1 cm²
P = 245 Kg/m
I
x
= 60154 cm
4
W
x
= 2406 cm³
I
t
= 118 cm
4
r
y
= 6,31 cm
Z
x
= 2620 cm³
I – Verificação do momento fletor
1) Cálculo do índice de esbeltez λ:
2) Limite de viga não esbelta:
3) Estado limite de flambagem local da mesa:
t
f
= 1,9
h
w
= 46,2
t
f
= 1,9
d = 50
t
w
=0,63
3 , 73
63 , 0
2 , 46
t
h
w
w
· · · λ
ok! 89 , 148 3 , 73
290
205000
6 , 5 3 , 73
f
E
6 , 5
y
≤ ⇒ ≤ ⇒ ≤ λ
58 , 6
1,9 x 2
25
t 2
b
· · · λ
10 , 10
290
205000
38 , 0
f
E
38 , 0
y
p · · · λ
pl n p M M · → λ 〈 λ
4) Estado limite de flambagem local da alma:
5) Estado limite de flambagem lateral por torção:
3 , 73
63 , 0
2 , 46
t
h
w
w
· · · λ
06 , 93
290
205000
5 , 3
f
E
5 , 3
y
p · · · λ
pl n p M M · → λ 〈 λ
94 , 110
31 , 6
700
r
L
y
b
· · · λ
53 , 46
290
205000
75 , 1
f
E
75 , 1
y
p · · · λ p λ λ 〉
² ².β c
.M 4.β
1 1
M
. c . 0,707
1 b
r 2
r
1 b
r
2
+ +
β
· λ
A . I . E . G t 1 π · β
4
3 3
t
cm 118,17
3
0,63 x 46,2

3
1,9 x 25
x 2 I · + ·
( ) ( )
83 , 15556
17 , 118
1,9 - 5 1 , 24 1
x
7900 x 4
20500 x
I
t - d A
x
G 4
E
2 2
t
2
f
2
2 ·
π
·
π
· β
1 c
b
·
( ) ( ) kNcm 42105 5 , 11 29 2406 f f W M
r y x r
· − · − ·
( )
74 , 148
² 10 x 4,84 x 1²
42105 x 15556,83 x 4
1 1
42105
10 x 4,48 x 1 x 0,707
6
2 6
r · + + · λ
( )
p r
p
r pl pl n r p
-
M M M M
λ − λ
λ λ
− − · → λ 〈 λ 〈 λ
kNcm 10 x 84 , 4
10 . 10
24,1 1 x 18,17 1 x 205000 x 79000
6
1 · π · β
6) Cálculo do Mn:
7) Cálculo da resistência a flexão:
II - Verificação ao esforço cortante
Determinação da resistência de cálculo ao esforço cortante:
( ) kNm 4 , 546
53 , 46 74 , 148
46,53 - 110,94
. 421 760 760 M
n
·
,
_

¸
¸

− − ·
kNm 73 , 491 R 0,90 x 4 , 546 . M R
db b n db
· ⇒ · φ ·
3 , 73
63 , 0
2 , 46
t
h
w
w
· · · λ
5,34 k 3 3 , 15
2 , 46
700
h
a
· → 〉 · ·
35 , 66
290
205000 . 34 , 5
08 , 1
f
E . k
08 , 1
y
p
· · · λ
02 , 86
290
205000 . 34 , 5
40 , 1
f
E . k
40 , 1
y
r
· · · λ
kN 458,83 29 x 29,1 x 0,60 x
3 , 73
35 , 66
V . V
pl
p
n r p
· ·
λ
λ
· → λ 〈 λ 〈 λ
kN 50 , 412 R 458,83 x 90 , 0 V . R
dv n v dv
· ⇒ · φ ·
! ok R S
dv dv

O perfil está de acordo com a NBR 8800/88 quanto ao esforço cortante e à
flexão.
2. A viga mostrada na figura abaixo foi feita com aço SAR 55. Ela possui
contenção nos apoios e nos pontos de aplicação das cargas concentradas, e
esta submetida às solicitações de cálculo S
db
= 2000 kNm e S
dv
= 400 kN.
Fazer a verificação da viga e determinar a altura mínima h que a alma deverá
ter no trecho central da mesa.
3 3 3 3 3
CH 19 x 330 mm
15 m
h
w
( no apoio ) (cm) ( no vão )
Verificação ao corte:
CH 12,5x400 mm
t
w
=1,25
t
f
= 1,9
h
w
= 40
t
f
= 1,9
t
f
= 1,9
h
w
t
f
= 1,9
t
w
=1,25
b
f
= 33 b
f
= 33
0 , 32
25 , 1
40
t
h
w
w
· · · λ
5,34 k 3 5 , 7
40
300
h
a
· → 〉 · ·
60
360
205000 . 34 , 5
08 , 1
f
E . k
08 , 1
y
p
· · · λ
kN 1080
10
360
x 1,25 x 40 x 0,60 V
f . t . h . 0,60 V V
n
y w w pl n p
· ·
· · → λ 〈 λ
Determinação da resistência de cálculo ao esforço cortante:
Verificação ao momento fletor:
1) Cálculo do índice de esbeltez λ:
2) Limite de viga não esbelta:
3) Estado limite de flambagem local da mesa:
4) Estado limite de flambagem local da alma:
kN 972 R 1080 x 90 , 0 V . R
dv n v dv
· ⇒ · φ ·
! ok R S
dv dv

25 , 1
h
t
h
w
w
w
· · λ
cm 04 , 167 h
360
205000
6 , 5
25 , 1
h
f
E
6 , 5
25 , 1
h
w
w
y
w
≤ ⇒ ≤ ⇒ ≤
68 , 8
1,9 x 2
33
t 2
b
· · · λ
06 , 9
360
205000
38 , 0
f
E
38 , 0
y
p · · · λ
pl n p M M · → λ 〈 λ
25 , 1
h
t
h
w
w
w
· · λ
cm 4 , 104 h 52 , 83
25 , 1
h
52 , 83
360
205000
5 , 3
f
E
5 , 3
w
w
y
p
· → ≤
· · · λ
5) Estado limite de flambagem lateral por torção:
então:
6) Cálculo do Mn:
( ) ( ) ( )
( ) ( ) ( )
w
w
y
w
3 3
w
3
y
y
y
y
y
b
h 25 , 1 4 , 125
h 163 , 0 05 , 11380
r
33 x 9 , 1 xh 25 , 1 33 x 19
12 / 33 x 9 , 1 12 / 25 , 1 x h 12 / 33 x 9 , 1
r
A
J
r 94 , 110
r
300
r
L
+
+
·
+ +
+ +
·
· → · · · λ
76 , 41
360
205000
75 , 1
f
E
75 , 1
y
p · · · λ
18 , 7 r 76 , 41
r
300
λ λ
y
y
p · → 〈 〈 ∴
( )
cm 47 , 76 h h 28 , 64 38 , 4915
h 44 , 64 67 , 6464 h 163 , 0 05 , 11380
18 , 7
h 25 , 1 4 , 125
h 163 , 0 05 , 11380
w w
w w
2
2
w
w
≤ → ≥
+ ≥ +

,
_

¸
¸
+
+
3
x x y x
cm 84 , 6172 Z
10
360
x 90 , 0
200000
Z f . Z . 90 , 0 200000 ≥ → ≥ → ≤
7) Cálculo do Z
x
então:
A altura mínima que a alma deve ter no trecho central é 71,25 cm. E a
máxima é 76,47 cm porque a partir daí ela começa a sofrer FLT.
( )
( )
( )
( )
25 , 71 h
0,3125 x 2
23 , 107 7 , 62
h
42 , 11498 6053,7 - 0,3125 x 4 - 3931,29
0 7 , 6053 h 7 , 62 0,3125h
6172,84 14 , 119 h 7 , 62 h 3125 , 0 Z
h 1563 , 0 57 , 59 h 35 , 31 2 Z
4
h
x 25 , 1 x
2
h
95 , 0
2
h
3 , 3 x 9 , 1 2 Z
d . A d . A 2 Z
w w
w
2
w
w
2
w w
2
w w x
w w w
x
a a f f x
· →
t −
·
· · ∆
〉 − +
〉 + + ·
+ + ·
1
]
1

¸

,
_

¸
¸
+
,
_

¸
¸
+ ·
+ ·
cm 76,47 h 25 , 71
w
〈 〈
Exercícios de Compressão
1. Seja o perfil da Aço-Minas HPM 340 de aço ASTM A572 que está sujeito
à compressão e possui os comprimentos de flambagem diferentes nas duas
direções Klx = 4m e Kly = 5m. As cargas que provocam a compressão
axial são provenientes de:
a) Carga permanente = 200kN
b) Sobrecarga de vento = 65 kN
c) Cargas de equipamentos móveis = 80 kN
d) Sobrecarga de multidão = 80 kN
e) Ação excepcional de uma explosão = 110 kN
f) Variação de temperatura = 35 kN.
Pede-se fazer a verificação segundo a NBR 8800/88. Caso o perfil não
atenda aos valores da relação largura/espessura, calcule o Q para este caso
excepcional.
a) Determinação da solicitação de cálculo:
1º caso – Considerando as ações excepcionais
S
d
= 1,4 . 200 + 1,4 . 0,65 . 80 + 1,4 . 0,60 . 65 + 1,2 . 0,60 . 35 + 1,4 . 0,65 .
80 + 110 =
S
d
= 615,40 kN
2º caso – Desprezando as ações excepcionais
(ψ = 1 para a ação variável principal )
S
d
= 1,4 . 200 + 80 . 1,0 . 1,4 + 80 . 1,4 . 0,65 + 0,60 . 65 1,4 + 0,60 .1,2 . 35 =
S
d
= 544,60 kN
Portanto : S
d
= 615,4 kN
b) Características do perfil:
Aço ASTM A572
f
y
= 345 Mpa
21,5
b = 300
340
a = 12
(mm) hı= 243
21,5
A
g
= 170,9 cm²
r
x
= 14,6 cm
r
y
= 7,53 cm
c) Valores limites das relações largura/espessura:
c.1) Mesa – Caso 1 (classe 3)
c.2) Alma – Caso 6 (classe 3)
Ambos são da classe 3 e satisfazem as relações largura/espessura.
Q = 1
d) Índice de esbeltez:
Na direção x

27,4
14,6
400

i
L . K
xc
x
· ·



E
f . Q

i
L . K

1

y
x
x
x
π
λ × × ·
t
b
ok! 13 98 , 6
5 , 21
150
t
b
〈 · ·
t b
ok! 36 25 , 20
12
243
t
b
〈 · ·

205000
345 1
27,4
1

π
λ
×
× × ·
λ = 0,35
Na direção y:
66,4
7,53
500

i
L . K
yc
y
· ·

E
f . Q

i
L . K

1

y
y
y
y
π
λ × × ·

205000
345 1
66,4
1

π
λ
×
× × ·
λ = 0,86


e) Identificação das curvas de flambagem:
t
y
d x x
y
b
Na direção x – x → curva b
1,2 1,13
300
340

b
d
〉 · · t = 21,5 mm ≤ 40 mm
Na direção y – y → curva c
1,2 1,13
300
340

b
d
〉 · · t = 21,5 mm ≤ 40 mm
f) Cálculo do coeficiente ρ:
Na direção x – x:
λ = 0,35
α = 0,281

1
]
1

¸

+ + ·
2 2
2
λ 0,04 - λ . α 1
2
1

λ .
β

[ ]
2 2
2
0,35 0,04 - 0,35 . 0,281 1
0,35 2
1
β + +
×
·
β = 4,91

2
2
λ
- β - β ρ
1
·

2
2
35 , 0
- 4,91 - 4,91 ρ
1
·

ρ = 0,92
Na direção y - y:
λ = 0,86
α = 0,384

[ ]
2
-
2
2
0,86 0,04 0,86 . 0,384 1
0,86 2
1
β + +
×
·
β = 1,39

2
2
86 , 0
- 1,39 - 1,39 ρ
1
·
ρ = 0,63
• Adota-se na determinação de R
d
o menor dos valores de ρ.
ρ = 0,63
g) Determinação da Resistência de cálculo:
R
d
= Ø × ρ × Q × A
g
× f
y
R
d
= 0,9 × 0,63 × 1 × 170,9 × 34,5
R
d
= 3343,10 kN
S
d
< R
d
2. Seja o pilar múltiplo formado por 2 perfis I da CSN de h = 304,8 mm e
peso 74,4 kg/m de aço AR 345 dispostos lado a lado sujeitos a uma
solicitação de cálculo proveniente de:
- carga permanente = 78 kN
- carga de efeito de variação de temperatura = 40 kN
- sobrecarga de depósito de natureza estática = 55 kN
- sobrecarga dinâmica de equipamento de ponte rolante = 80 kN
- efeito de uma pequena explosão = 74 kN
- ação tempestuosa do vento = 43 kN
Todas essas cargas possuem solicitação de mesma natureza, ou seja, de
compressão.
A altura do pilar sem as condições de extremidade é L
x
= L
y
= 15 m.
Na direção x ele se comporta como elemento bi-engastado com rotação
e translação impedidos.
Na direção y se comporta como elemento bi-apoiado com rotação e
translação livres.
As barras de travejamento são barras chatas de 15 x 28 mm e são
dispostas segundo um ângulo θ de exatamente 60º com a vertical.
Elas começam e terminam nos centros de gravidade dos perfis.
Fazer a verificação do pilar e das barras de travejamento.
h = 304,8 mm
Direção x → k = 0,5
Direção y → k = 1,0
1) Cálculo de S
d
:
1º Caso – Desprezando as ações excepcionais
(ψ = 1 para a ação variável principal )
S
d
= 1,4 . 7,8 + 80 . 1,0 . 1,4 + 40 . 1,2 . 0,60 + 0,75 . 55 1,4 + 0,60 .1,4 . 43 =
S
d
= 343,87 kN
2º Caso – Considerando as ações excepcionais
S
d
= 1,4 . 78 + 1,2 . 0,6 . 40 + 1,4 . 0,75 . 55 + 1,4 . 0,65 . 80 + 74 + 1,4 . 0,6 .
43 =
S
d
= 378,67 kN
e = 30 cm
L θ
30/2 30/2
Portanto : S
d
= 378,67 kN
k L
x
= 0,5 x 15 = 7,5 m
k L
y
= 1,0 x 15 = 15 m
2) Momento de Inércia do conjunto:
r
y
² = r
y0
² + d'²
cm 15,23 15 2,63 r
2 2
y · + ·
♦ i
x
= 11,60 cm

♦ i
y
= 15,23 cm
3) Cálculo dos parâmetros de esbeltez do conjunto:
64,66
11,60
1500 . 0,50

i
L . K
xc
x
· ·
98,50
15,23
1500 . 1,0

i
L . K
yc
y
· ·
4) Verificação dos parâmetros do Perfil individual em relação aos do Pilar
múltiplo:

θ tg
e . 2
L ·
cm 34,64
60º tg
30 2
L ·
×
·

i
L . K
0,7
L

min
i
× ≤
98,50 0,7
2,63
34,64

L

min
i
× ≤ ·
L/2
13,17 ≤ 68,94 ok!

5) Valores limites das relações largura e espessura:
Mesa: f
y
= 345
Alma : f
y
= 345
Ambos são Classe 3 e satisfazem às relações, então:
Q = 1
6) Identificação das curvas de flambagem:
1,2 2,19
139,1
304,8

b
d
〉 · · t = 16 mm ≤ 40 mm

x – x → curva a
y – y → curva b
e = 30 cm
16
69,55
304,8
17,4
ok! 13 35 , 4
16
55 , 69
t
b
〈 · ·
17,4 272,8
( )
ok! 36 68 , 15
17
16 x 2 8 , 304
t
b
〈 ·

·
7) Determinação do índice de Esbeltez λ:
Na direção x:

E
f . Q

i
L . K

1

y
x
x
x
π
λ × × ·

205000
345 1
64,66
1

π
λ
×
× × ·
λ = 0,84
Na direção y:

E
f . Q

i
L . K

1

y
y
y
y
π
λ × × ·

205000
345 1
98,50
1

π
λ
×
× × ·
λ = 1,29
8) Cálculo do coeficiente ρ:
Na direção x:
λ = 0,84
α = 0,158
1
]
1

¸

+ + ·
2 2
2
λ 0,04 - λ . α 1
2
1

λ .
β
[ ]
2 2
2
0,84 0,04 - 0,84 . 0,158 1
0,84 2
1
β + +
×
·
β = 1,30
2
2
λ
- β - β ρ
1
·

2
2
0,84
1
- 1,30 - 1,30 ρ ·
ρ = 0,78
Na direção y:
λ = 1,29
α = 0,281
[ ]
2
-
2
2
1,29 0,04 1,29 . 0,281 1
1,29 2
1
β + +
×
·
β = 0,91

2
2
29 , 1
- 0,91 - 0,91 ρ
1
·
ρ = 0,433
• Adota-se na determinação de R
d
o menor dos valores de ρ.
ρ = 0,433
9) Determinação da Resistência de cálculo:
R
d
= Ø × ρ × Q × A
g
× f
y
R
d
= 0,9 × 0,433 × 1 × 189,6 × 34,5
R
d
= 2531 kN
S
d
< R
d
10) Cálculo do comprimento Lı :
θ = 60º ≥ 60º ok!

2
L
e L
2
2
1

,
_

¸
¸
+ ·
17,32 30 L
2 2
1 + ·
L
1
= 34,64 cm
11) Cálculo da seção transversal das barras de travejamento:
A
g
= b . t = 2,8
×
1,5 = 4,2 cm²
12) Raio de giração da barra de travejamento:

12
t

t . b
/12 ³ t . b

A
J
r

1 · · ·
cm 0,43
12
1,5
r1 · ·
13) Condições entre e e Lı:
0 6 〉 θ
L
1
17,32
30
34,68
1,73
2e
L
1,73
L/2
e
tg
· ≤
≥ · θ
34,64


34,68

ok!
14) Condições do índice de esbeltez do travejamento:
140
r
L
1
1


140
0,433
34,64

80,0

140 ok!
15) Condições entre t e Lı:

40
L
t
1


40
34,64
1,5 ≥
1,5

0,866

ok!
16) Solicitação de cálculo na diagonal de travejamento:

θ sen . n
S . 2%
S
d
dd ·

60º sen . n
378,67 . 2%
S dd ·
S
dd
= 4,37 kN
17) Cálculo do índice de esbeltez da diagonal de travejamento:

E
f . Q

r
L

1

y
1
1
d
π
λ × × ·

205000
345 1
80,00
1

π
λd
×
× × ·
λ
d
= 1,04
18)Determinação do ρ da diagonal:
Seção retangular
α = 0,384
λ
d
= 1,04
1
]
1

¸

+ + ·
2 2
2
λ 0,04 - λ . α 1
2
1

λ .
β
[ ]
2 2
2
1,04 0,04 - 1,04 . 0,384 1
1,04 2
1
β + +
×
·
x x → curva c
y y → curva c
β = 1,143
2
2
λ
- β - β ρ
1
·
2
2
04 , 1
- 1,143 - 1,143 ρ
1
·
ρ = 0,524
19) Determinação da resistência de cálculo:
R
dd
= 0,9 × ρ × Q × A
g
× f
y
R
dd
= 0,9 × 0,524 × 1 × 4,2 × 34,5
R
dd
= 68,33 kN
S
dd
< R
dd

tf = 1,9 tw=0,63 h w = 46,2

d = 50

tf = 1,9 ( cm ) A w = 29,1 cm² Ag= 124,1 cm² P = 245 Kg/m Ix = 60154 cm4 Wx = 2406 cm³ It = 118 cm4 ry = 6,31 cm Zx = 2620 cm³ I – Verificação do momento fletor 1) Cálculo do índice de esbeltez λ: λ= hw 46,2 = = 73,3 tw 0,63

2) Limite de viga não esbelta: λ ≤ 5,6 E 205000 ⇒ 73,3 ≤ 5,6 ⇒ 73,3 ≤ 148,89 fy 290 ok!

3) Estado limite de flambagem local da mesa: b 25 205000 λ = 0,38 E = 0,386,58 = = λp 2t 2 x 1,9 = = 10,10 fy 290 λ 〈 λp → Mn = Mpl

1( 5 .5 = 93.tf ) 2 π 2 x 20500 124.94 ry 6. β1 λr = 1+ 1+ Mr cb².A 3 3 β1 = π 79000 x 205000 x 118.10 β2 = π 2 E A( d .63 3 It = 2 x + = 118.3 tw 0.λp λr − λp .06 fy 290 λp = 3.β2.Mr 2 0.84 x 10 6 kNcm 10.2 = = 73.1 = 4.1.5) = 42105 kNcm λr = 0.17 x 124.53 fy 290 〉= λp λp1. cb .84 x 10 ² ( ) ( ) λ p 〈 λ 〈 λ r → M n = M pl − ( M pl − M r ) λ .4) Estado limite de flambagem local da alma: λ= hw 46.9 ) 2 x = x = 15556.83 4G It 4 x 7900 118.75 = 46.5 λ 〈 λp → Mn = Mpl 5) Estado limite de flambagem lateral por torção: λ= Lb 700 = = 110.It.83 x 42105 2 1+ 1+ = 148.2 x 0.E.β1² cb = 1 25 x 1.17 cm 4 β1 = π G.31 E 205000 = 1.75 4.9 3 46.17 M r = Wx f y − f r = 2406( 29 − 11.48 x 10 6 4 x 15556.707 x 1 x 4.74 6 42105 1² x 4.707 .63 E 205000 = 3.

φ b = 546.46.40 = 86.35 fy 290 k.4 x 0.83 kN 73.90 x 458.   = 546.90 ⇒ R db = 491.08 = 66.3 〉 3 → k = 5.Verificação ao esforço cortante λ= hw 46.02 fy 290 → Vn = λp λ .94 .73 kNm II .34 .6) Cálculo do Mn:  110.60 x 29.63 a 700 = = 15.74 − 46.34 h 46.4 kNm  148.83 ⇒ R dv = 412.53  7) Cálculo da resistência a flexão: R db = M n .53  M n = 760 − ( 760 − 421) .2 λ p = 1.3 tw 0. 205000 = 1. 205000 = 1.1 x 29 = 458. Vpl = 66.08 k.3 λ r = 1.2 = = 73.E 5. Vn = 0.34 .40 λp 〈 λ 〈 λr Determinação da resistência de cálculo ao esforço cortante: R dv = φ v .E 5.35 x 0.50 kN S dv 〈 R dv ok ! .

A viga mostrada na figura abaixo foi feita com aço SAR 55. Fazer a verificação da viga e determinar a altura mínima h que a alma deverá ter no trecho central da mesa. Ela possui contenção nos apoios e nos pontos de aplicação das cargas concentradas. 3 3 3 3 3 hw 15 m CH 19 x 330 mm .O perfil está de acordo com a NBR 8800/88 quanto ao esforço cortante e à flexão. e esta submetida às solicitações de cálculo Sdb = 2000 kNm e Sdv = 400 kN. 2.

9 tw=1.34 .9 tf = 1. f y Vn = 0.08 k.25 h w = 40 CH 12.5x400 mm tf = 1.25 x 360 = 1080 kN 10 .0 tw 1.60 . t w .25 hw tf = 1.25 a 300 = = 7.08 = 60 fy 360 λ 〈 λ p → Vn = Vpl = 0.60 x 40 x 1.9 ( no apoio ) (cm) ( no vão ) bf = 33 bf = 33 Verificação ao corte: λ= hw 40 = = 32. h w .tf = 1.5 〉 3 → k = 5.9 tw=1.E 5.34 h 40 λ p = 1. 205000 = 1.

90 x 1080 ⇒ R dv = 972 kN S dv 〈 R dv ok ! Verificação ao momento fletor: 1) Cálculo do índice de esbeltez λ: λ= hw h w = tw 1.Determinação da resistência de cálculo ao esforço cortante: R dv = φ v . Vn = 0.25 2) Limite de viga não esbelta: hw h E 205000 ≤ 5.9 = = 9.52 → h w = 104.68 = = λp 2t 2 x 1.06 fy 360 λ 〈 λp → Mn = Mpl 4) Estado limite de flambagem local da alma: λ= hw h w = tw 1.25 .5 = 83.4cm 1.25 360 3) Estado limite de flambagem local da mesa: b 33 205000 λ = 0.25 fy 1.52 fy 360 λp = 3.6 ⇒ w ≤ 5.25 E 205000 = 3.388.38 E = 0.5 hw ≤ 83.6 ⇒ h w ≤ 167.04cm 1.

9x33) w x1.f y → Z x ≥ 200000 360 0.05 + 0.75 λ 〈 λp ∴ então:  11380.47 cm 6) Cálculo do Mn: 200000 ≤ 0.05 + 0.90 x 10 → Z x ≥ 6172.163h w ≥ 6464.25 3 ) / 12 + (1.38 ≥ 64.5) Estado limite de flambagem lateral por torção: Lb 300 = = 110.25h w    ≥ ( 7.18) 2   2 11380.4 + 1.76 fy 360 300 〈 41.163h w   125.44h w 4915.75 = 41.163h w 125.25h w E 205000 = 1.18 ry λp = 1.67 + 64.76 → ry = 7.Z x .05 + 0.94 ry ry Jy A 3 λ= → ry = ry = (1.84 cm 3 .28h w → h w ≤ 76.25xh w ) + (1.9x33 ) / 12 ry = 11380.9x33 ) / 12 + (h 3 (19 x33) + (1.90.4 + 1.

7) Cálculo do Zx Z x = 2( A f .d a ) h  h  h Z x = 21.95  +  w x1.25x w 4  2   2  Z x = 2 31.7 〉 0 w ∆ = 3931.57 + 0. ( − 62.42 hw = então: 71.d f + A a .14 〉 6172.7h w + 119.25 cm.84 w 0.7 h w − 6053.25 .1563h 2 w    ( ) Z w = 0.3125h 2 + 62.7 ) = 11498.35h w + 59.23) 2 x 0.4 x 0.6053. E a máxima é 76.7 ± 107.3125h 2 + 62.3125( .9 x3.29 .47 cm A altura mínima que a alma deve ter no trecho central é 71.3125 → h w = 71.25 〈 h w 〈 76.3 w + 0.47 cm porque a partir daí ela começa a sofrer FLT.

As cargas que provocam a compressão axial são provenientes de: a) b) c) d) e) f) Carga permanente = 200kN Sobrecarga de vento = 65 kN Cargas de equipamentos móveis = 80 kN Sobrecarga de multidão = 80 kN Ação excepcional de uma explosão = 110 kN Variação de temperatura = 35 kN.Exercícios de Compressão 1. Seja o perfil da Aço-Minas HPM 340 de aço ASTM A572 que está sujeito à compressão e possui os comprimentos de flambagem diferentes nas duas direções Klx = 4m e Kly = 5m. .

40 kN 2º caso – Desprezando as ações excepcionais (ψ = 1 para a ação variável principal ) Sd = 1.2 . 200 + 80 .4 .60 kN Portanto : Sd = 615.60 . 0.60 .4 + 0.4 . 0. 1.1.Pede-se fazer a verificação segundo a NBR 8800/88.65 + 0.5 b = 300 (mm) Aço ASTM A572 fy = 345 Mpa . 200 + 1. a) Determinação da solicitação de cálculo: 1º caso – Considerando as ações excepcionais Sd = 1. 65 1. Caso o perfil não atenda aos valores da relação largura/espessura.4 . 80 + 110 = Sd = 615. 0. 1.4 + 80 .4 kN b) Características do perfil: 21. 65 + 1. calcule o Q para este caso excepcional.2 . 0.60 .65 .60 . 0.4 .5 a = 12 340 hı= 243 21.65 . 1. 80 + 1. 35 = Sd = 544.4 .0 . 35 + 1.4 .

2) Alma – Caso 6 (classe 3) t b b 243 = = 20.6 λx = 1 π × K . Q=1 d) Índice de esbeltez: Na direção x K .53 cm c) Valores limites das relações largura/espessura: c.1) Mesa – Caso 1 (classe 3) t b b 150 = = 6.4 ixc 14.98 〈 13 ok! t 21.5 c.6 cm ry = 7. fy E . Lx 400 = = 27.25 〈 36 ok! t 12 Ambos são da classe 3 e satisfazem as relações largura/espessura. Lx × ix Q .9 cm² rx = 14.Ag= 170.

4 × λ = 0.4 × 1 × 345 205000 λ = 0.53 λy = λ = 1 π 1 × K .λ = 1 π × 27.4 iyc 7.86 e) Identificação das curvas de flambagem: y t d x x y b .35 Na direção y: K . Ly × iy Q . Ly 500 = = 66. fy E 1 × 345 205000 π × 66.

13 〉 1.35 2 .y: λ = 0.35 α = 0.   λ 2 .91 2 - 0.91 ρ = β ρ = 4.0.5 mm ≤ 40 mm t = 21.04 + 0.13 〉 1.Na direção x – x → curva b d 340 = = 1.92 Na direção y .04 + λ 2    0.35 2 [1 + 0.35 2 .86 β2 - λ2 1 4.λ 2 1 + α . 1 ] β = 4.91 ρ = 0.281 .2 b 300 f) Cálculo do coeficiente ρ: Na direção x – x: λ = 0.5 mm ≤ 40 mm β = β = 1 2.2 b 300 Na direção y – y → curva c d 340 = = 1.281 t = 21.35 2 1 2 × 0.0.

39 ρ = 0.384 β = 1 2 × 0.04 + 0.86 2 .9 × 0.384 . Seja o pilar múltiplo formado por 2 perfis I da CSN de h = 304. ρ = 0.86 2 • Adota-se na determinação de Rd o menor dos valores de ρ.63 1.86 2 [1 + 0.63 × 1 × 170.39 ρ = 1.39 2 - 0.8 mm e peso 74.5 Rd = 3343. ou seja.10 kN Sd < R d 2. 1 0. .63 g) Determinação da Resistência de cálculo: Rd = Ø × ρ × Q × Ag × fy Rd = 0.α = 0. de compressão.86 2 ] β = 1.4 kg/m de aço AR 345 dispostos lado a lado sujeitos a uma solicitação de cálculo proveniente de: carga permanente = 78 kN carga de efeito de variação de temperatura = 40 kN sobrecarga de depósito de natureza estática = 55 kN sobrecarga dinâmica de equipamento de ponte rolante = 80 kN efeito de uma pequena explosão = 74 kN ação tempestuosa do vento = 43 kN Todas essas cargas possuem solicitação de mesma natureza.9 × 34.0.

65 . 78 + 1.5 Direção y → k = 1. 0.A altura do pilar sem as condições de extremidade é Lx = Ly = 15 m.0 1) Cálculo de Sd : 1º Caso – Desprezando as ações excepcionais (ψ = 1 para a ação variável principal ) Sd = 1. As barras de travejamento são barras chatas de 15 x 28 mm e são dispostas segundo um ângulo θ de exatamente 60º com a vertical.4 + 0.4 .8 mm Direção x → k = 0. 43 = Sd = 343.60 + 0.2 . 0. 0.8 + 80 . 1.4 .6 . 40 + 1.60 .4 .1. 43 = Sd = 378.0 . Na direção x ele se comporta como elemento bi-engastado com rotação e translação impedidos. 80 + 74 + 1.4 . Fazer a verificação do pilar e das barras de travejamento. θ 30/2 30/2 L e = 30 cm h = 304. 1. 55 1. 7. Elas começam e terminam nos centros de gravidade dos perfis. 55 + 1.4 + 40 .87 kN 2º Caso – Considerando as ações excepcionais Sd = 1.4 . 1.4 . Na direção y se comporta como elemento bi-apoiado com rotação e translação livres. 0.6 .75 .67 kN .75 .2 . 0.

7 × 98.23 cm ix = 11.1500 = = 64.50 2.66 ixc 11.5 m k Ly = 1. Ly 1.Portanto : Sd = 378.L i L i min = 34.e tg θ 2 × 30 L = = 34.63 2 + 15 2 = 15.60 cm iy = 15.1500 = = 98.50 .67 kN k Lx = 0. Lx 0.7 × K.23 4) Verificação dos parâmetros do Perfil individual em relação aos do Pilar múltiplo: 2.0 .64 ≤ 0.63 L/2 .60 K .5 x 15 = 7.50 iyc 15.23 cm 3) Cálculo dos parâmetros de esbeltez do conjunto: K .64 cm tg 60º L = L i min ≤ 0.0 x 15 = 15 m 2) Momento de Inércia do conjunto: ry² = ry0² + d'² ry = ♦ ♦ 2.

2 b 139.4 b 69.8 Ambos são Classe 3 e satisfazem às relações.4 272.17 ≤ 68.8 = = 2.e = 30 cm 13.94 ok! 5) Valores limites das relações largura e espessura: Mesa: fy = 345 16 69.8 − 2 x 16 ) = = 15.55 = = 4.8 17. então: Q = 1 6) Identificação das curvas de flambagem: d 304.68 〈 36 ok! t 17 17.35 〈 13 ok! t 16 Alma : fy = 345 b ( 304.19 〉 1.55 304.1 x – x → curva a y – y → curva b t = 16 mm ≤ 40 mm .

Ly × iy Q .50 × λ = 1.84 2 1 2 × 0. fy E 1 × 345 205000 π × 98.30 .29 8) Cálculo do coeficiente ρ: Na direção x: λ = 0.84 Na direção y: λy = λ = 1 π 1 × K .84 α = 0. fy E 1 × 345 205000 π × 64. ] β = 1.04 + λ 2    0.158 β = β = 1 2.7) Determinação do índice de Esbeltez λ: Na direção x: λx = λ = 1 π 1 × K .84 2 .   λ 2 .66 × λ = 0.84 2 [1 + 0.0.04 + 0. Lx × ix Q .λ 2 1 + α .158 .0.

91 ρ = 0.78 Na direção y: λ = 1.29 2 .30 ρ = 0.433 9) Determinação da Resistência de cálculo: Rd = Ø × ρ × Q × Ag × fy Rd = 0. ρ = 0.281 . 0.29 α = 0.84 2 1.91 ρ = 0.04 + 1.29 2 [1 + 0.0.29 2 • Adota-se na determinação de Rd o menor dos valores de ρ.ρ = β ρ = 1.6 × 34.9 × 0.30 2 - β = 1 2 × 1.433 1.912 1 1.5 Rd = 2531 kN .281 β2 - 1 λ2 1 0.433 × 1 × 189.29 2 ] β = 0.

5 = 4. t = 2.2 cm² 12) Raio de giração da barra de travejamento: r1 = J = A 1.64 cm 11) Cálculo da seção transversal das barras de travejamento: A g = b . t ³ /12 = b.Sd < R d 10) Cálculo do comprimento Lı : L1 30 θ = 60º ≥ 60º L1 = L1 = 1 17.43 cm 13) Condições entre e e Lı: θ 〉 60 .32 2 L = 34.5 12 b .t t 12 r1 = = 0.8 × 1.32 ok! 2 e 2 L +     2 30 2 + 17.

68 1.866 → ok! 16) Solicitação de cálculo na diagonal de travejamento: .64 40 1.tgθ = e ≥ 1.68 → ok! 14) Condições do índice de esbeltez do travejamento: L1 ≤ 140 r1 34.5 ≤ 0.64 ≤ 140 0.64 ≤ 34.0 ≤ 140 ok! 15) Condições entre t e Lı: t ≥ L1 40 34.5 ≥ 1.73 L/2 L ≤ 2e = 34.433 80.73 34.

04 2 [1 + 0.   λ 2 .04 + 1.384 λd = 1.00 × λd = 1. 378.λ 2 1 + α . ] .04 + λ 2    1. sen θ 2% .67 n .04 2 . Sd n .04 2 1 2 × 1.37 kN 17) Cálculo do índice de esbeltez da diagonal de travejamento: L1 λd = 1 × × π r1 Q .0.04 x → curva c y → curva c β = β = 1 2. fy E 1 × 345 205000 λd = 1 π × 80. sen 60º S = 4.384 .Sdd = Sdd = dd 2% .04 18)Determinação do ρ da diagonal: Seção retangular x y α = 0.0.

5 Rdd = 68.04 2 19) Determinação da resistência de cálculo: Rdd = 0.143 2 1 ρ = 1.β = 1.143 ρ = 0.33 kN Sdd < Rdd .143 ρ = β - β2 - 1 λ2 1.524 × 1 × 4.524 1.9 × ρ × Q × Ag × fy Rdd = 0.9 × 0.2 × 34.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful