Wiener Kongress A queda de Napoleão foi o objectivo de todas as monarquias europeias que viam com horror a disseminação dos

ideais revolucionários franceses. Depois de desgastantes conflitos, o exército napoleónico ruiu frente à mobilização das monarquias absolutistas da Europa. O controlo hegemónico de Napoleão sobre grande parte da Europa Ocidental exigiu que as antigas monarquias reformulassem o mapa europeu. Entre Setembro de 1814 e Junho de 1815, as autoridades monárquicas europeias reuniram-se no chamado Congresso de Viena. Encabeçado pelas principais potências monárquicas do período (Inglaterra, Prússia, Rússia e Áustria) e sob a liderança do príncipe austríaco Metternich, essa reunião deveria reorganizar e devolver os territórios e a supremacia política daqueles que sofreram com o projecto expansionista napoleónico. Incluem-se a restauração, legitimidade e solidariedade dos governantes em prol da repressão a ideias revolucionárias e nacionalistas. Inicialmente, sugeriu-se que as grandes potências vencedoras desmembrassem a França sob o seu domínio. No entanto, conclamando o princípio de legitimidade, o ministro francês Talleyrand propôs que as coroas e territórios europeus afectados por Napoleão Bonaparte resgatassem a configuração preexistente aos desdobramentos internacionais da Revolução Francesa. Apesar do argumento de Talleyrand garantir a autonomia política da França, observamos que algumas modificações aconteceram na Europa. O Império Austríaco foi beneficiado com o domínio sob os territórios nos Balcãs e no Norte da Itália. A Rússia impôs sua hegemonia na Finlândia, na Polónia e na Bessarábia. Os britânicos garantiram pontos estratégicos de acesso à Índia e às Antilhas, e no Mediterrâneo. A Holanda incorporou o território belga com o fim de evitar a acção francesa no porto da Antuérpia. A Prússia expandiu seu território em mais de 50%. O Antigo Sacro Império Germânico foi trocado pela Confederação Germânica, que contava com diversos reinados chefiados pela Áustria. Outro importante desdobramento do Congresso de Viena foi a criação da Santa Aliança. Proposta pelo czar russo Alexandre I, a Santa Aliança foi um acordo militar que formaria um exército monarquista. Composto por Rússia, Prússia, França e Áustria esse acordo firmou plena cooperação bélica e militar, caso alguma das nações integrantes tivessem sua hegemonia política ameaçada. Na prática, a Santa Aliança não conseguiu cumprir suas funções originais. A disseminação das ideias iluministas e a experiência revolucionária francesa já haviam tomado toda a Europa. No continente americano, as colónias europeias iniciaram seu processo de independência. Na Europa, liberais e socialistas empreenderam lutas que esfacelaram as monarquias europeias ao longo do século XIX. Liga Alemã, 1815-1866. No território do antigo Sacro Império Romano, formou-se a Liga Alemã (Deutscher Bund), uma união de 39 estados (35 príncipes reinantes e 4 cidades livres), sob a liderança da Áustria, com uma Dieta Federal (Bundestag) sediada em Frankfurt am Main.

A fome e a pobreza alastravamse. jovem Alemanha e o período que antecede Março. com a exclusão da Áustria. que havia escarnecido as organizações liberais de estudantes (que promoviam ideais patrióticos de uma Alemanha unida). "Período da Restauração: Biedermeier. foi criada a Assembleia Nacional Alemã (ou Parlamento de Frankfurt). Em Viena. foi tarefa principal da Universidade de Viena. terminando com a Revolução burguesa. (1815-1848)" O período da Restauração começa em 1815 com o fim da soberania napoleónica na Europa e o Congresso de Viena. ser úteis para o Estado.Em 1819. os estudantes se tornaram uma força motriz do movimento revolucionário. isto é. perseguição de demagogos e censura de imprensa). com as exigências estudantis por uma constituição e liberdade de imprensa. de alguma forma. estabeleceu-se a Zollverein. o Liberalismo e o Constitucionalismo foram entre estudantes e o professorado ideologias já propagadas. A razão principal . que promulgaram os "decretos de Karlsbad": adoptou-se a censura e as universidades foram postas sob supervisão. O crescente descontentamento com a ordem política e social imposta pelo Congresso de Viena levou à eclosão. Os patriotas alemães e reformadores liberais viram dessa vez as suas esperanças serem amargadas no Congresso de Viena e ainda mais brutalmente pelas resoluções de Karlsbad. A Revolução Parisiense. com o objectivo de preparar uma constituição nacional alemã. Mas a Revolução de 1848 terminou por fracassar: o Rei Frederico Guilherme IV da Prússia recusou a coroa imperial. essa época é também chamada de "período que antecede o mês de Março". Áustria e outros oito estados em Karlsbad. a educação dos serviçais que pudessem. do Nacionalismo e da Democracia. Uma petição. Em 1834. uma união aduaneira entre a Prússia e a maior parte dos demais estados alemães. por isso. havia. em 1819 (proibição das ligas estudantis da Alemanha. naquele tempo. de Fevereiro de 1848. indivíduos acusados de divulgar ideias nacionalistas ou revolucionárias. em 1848. Em Maio. todavia. da Revolução de Março nos estados alemães. os príncipes reinantes reprimiram os levantes pela força e a Liga Alemã foi restabelecida em 1850. pouca rebelião contra isso. preenchendo suas tarefas no serviço do Estado e da Igreja. Durante o governo do Imperador Franz II de Viena. O Príncipe Metternich usou este caso como pretexto para convocar uma conferência de Prússia. A característica dessa época é a segurança externa e a repressão interna de todas as ideias que estavam brotando do Liberalismo. Na Alemanha. A insatisfação com o sistema político deixava o subúrbio de Viena em condições precárias. Ideias de liberdade e identidade nacional determinavam sempre mais a postura dos estudantes vienenses e de alguns associados do corpo docente. Perseguiram-se "demagogos". o estudante Karl Ludwig Sand assassinou o escritor August von Kotzebue. dava um sinal para toda Europa. foi entregue no dia 12 de Março de 1848 ao então Imperador Franz II. a assim chamada "revolução de Março" de 1848. Surpreendentemente. que também através das medidas de censura da Áustria não podiam ser mantidas com certa distância. o Parlamento de Frankfurt foi dissolvido.

na sua desmedida ambição. caseiro. pacificamente. produziam neles uma desconfiança generalizada contra a grande política. a destruição do Sacro Império alemão não trouxeram nenhum tipo de ganho reconhecido para o povo propriamente. que não continham normas para a segurança dos direitos individuais e liberdades. mais críticos diante do Liberalismo do que do cuidadoso Absolutismo dos seus senhores e dos métodos da polícia do Estado do regime de Metternich – eles lamentavam o engajamento de seus contemporâneos e estavam desconfiados diante das novas ideias políticas. no geral. as profundas transformações que foram impostas a um povo não acostumado a mudanças. como se tivessem alcançado a volta da ordem política antes da guerra. de alguma forma. entre 1815 e 1848. que os literatos do “Biedermeier” na sua juventude tinham vivenciado (Napoleão. que deseja caracterizar os perigos da concepção artística dessa época. dos democratas radicais do período da "revolução de Março". A Revolução Francesa. Bavária. sociabilidade na família e no círculo de amigos e para a volta também espiritual ao campo privado do cidadão. sofreram. A palavra Biedermeier. Biedermeier corresponde. A Nação francesa tinha. foi exclusivamente responsável por isso. Daí eles tinham a tendência de se . ao bom homem. A diferente reacção artística a esses desenvolvimentos políticos. por exemplo. Isso foi uma segurança para garantir a paz no presente e a segurança no futuro. A partir de 1906. entre 1820 e 1848. se as pessoas não se abstraíam das regiões do lado esquerdo do rio Reno. Tanto a Prússia quanto Bayern.para essa certa docilidade de muitos alemães nos anos da reacção. e que. de 1789. A vida na Prússia. durante a ocupação francesa. partilhavam da apreciação conservadora da situação política. Eles estavam. experimentado as bênçãos de uma administração liberal. cumprimentavam agora a Áustria. tinham conhecido. a maioria do povo alemão não estava satisfeita com o resultado do congresso de Viena e não protestava contra isso. o conceito também foi utilizado para moda e mobília. deixaram-nos com uma certa saudade dos "bons dias passados antes de 1789". em razão da situação no centro da Europa e da falta de unificação. Os enganos políticos. Baden e Saxónia decorreu. por muitos anos trazido a falta de sossego e guerra pela Europa e quase virado de cabeça para baixo toda a ordem social. A maioria dos escritores alemães. ambas que deveriam de se esforçar mais tarde para manter a supremacia na Alemanha. separava a corrente conservadora do "Biedermeier" dos liberais da "jovem Alemanha". As guerras que perduraram com as suas interrupções de 1792 até 1815. sociais. residia no facto de as repartições e a massa do povo louvarem a estabilidade e segurança. Contudo eles não estavam de modo algum empolgados com a Nova Ordem. Não protestavam contra os actos finais. Congresso de Viena). visto que um rei fora executado e inúmeros nobres morreram ou foram para o exílio. nas outras partes do Reino alemão. procede de uma designação parodista para as fraquezas da época. que resgatou a sua antiga supremacia na Alemanha. As duras medidas tomadas pelo Estado para restituir a ordem geravam nos cidadãos o sentimento de estarem a viver dentro de uma ordem firme. antes das guerras napoleónicas. “Biedermeier”: É o estilo burguês do século XIX. que procura compensar tudo com o bom e velho tempo e utilizava esse conceito como sinónimo para comodidade. A turbulenta falta de sossego e as privações sob as quais os alemães. era especialmente susceptível a todas as perturbações da ordem europeia. Mas os alemães sabiam que seu país. Por conseguinte. porque eles farejavam sempre algo atrás desses esforços subversivos.

Enquanto a indústria. que. esporadicamente surgiam revoluções como. mais tarde políticos e sociais. Ou por uma dedicação que não apenas lhes fazia bem pelas vantagens materiais. de uma maneira ousada. notificações de viagens. também uma tendência poética. as casas de cafés e teatros ganharam muito significado para eles. O carácter social da literatura "Biedermeier" mostra-se mais distante na preferência de certos géneros. nesses anos. que fora encenado publicamente. conscientemente. a burguesia (e. Em Viena. Junges Deutschland Na jovem Alemanha e o período que antecede o mês de Maio. Eles lutavam contra a ligação do Estado com as repartições eclesiásticas. No dia 10 de Dezembro de 1835. textos jornalísticos e folhetins. de Julho de 1830 até a Revolução de Março. atribuiu-se à Arte um significado social. por exemplo. cai Metternich. que levou quase todas as capitais de todos os estados alemães a reformas (Constituição Liberal) e à eleição na junta nacional de Frankfurt. Junto a textos líricos. foram proibidas no parlamento alemão.por consequência da Revolução Francesa. Os jovens alemães e os representantes do Vormärz tinham um ideal em comum: renovar a literatura. em 1834. naturalmente. eram lidos em voz alta. tendências progressistas que aparecem aproximadamente a partir do ano de 1815 – e uma literatura com fins liberais. Com o período que antecede o mês de Março. A necessidade social e a insatisfação com a repressão política cresciam cada vez mais no decorrer do tempo. como da sátira. acções políticas (festa de Hambach. em 1848 . o resultado da Arte também fortalece esses sentimentos. todas essas escritas. e na Prússia. Eles escreviam contra a censura e pelo direito à liberdade de imprensa.desvincular das guerras de libertação na cidade natal deles ou em estreitos laços de amizades. A censura atingiu. aproximadamente. e depois de um período quase que morto. como cartas. e pelo direito à liberdade e igualdade de cada pessoa. democrata. dos relatos de viagens. comunista. Por outro lado. contra a formação de pequenos estados e por uma constituição democrática. A figura mais importante nesse contexto é Heinrich Heine. que se desenvolvia vagarosamente) ficavam excluídos da possibilidade de uma formação política. em 1832) e. Os géneros preferidos eram. em parte radical. assim como a criação artística liga o homem e o seu sentimento de colectividade. Eles foram criticados por atacarem. esses escritos do tipo literário em geral. A casa tornou-se o centro da vida. o direito das mulheres terem uma formação educacional e de se imporem como cidadãs. do período da "jovem Alemanha". 1830 até a proibição dessas escritas na Áustria. em 1835). como a eles próprios. O mundo deles era marcado por uma atitude fundamentalmente conservadora. romances e novelas. um poema idílico ou épico e o drama. . o proletariado. a burguesia e estudantes reagiam diferentemente do que a maioria do povo em relação às circunstâncias políticas do período da restauração. a economia e a técnica se desenvolviam muito rapidamente. contra os desejos dos senhores absolutistas. surgiam daí formas com sentido literário. então. o período "Biedermeier" desmorona-se num perturbado estilo literário. no círculo familiar ou entre amigos. do epigrama. houve. A maioria desses representantes escrevia de um modo bem popular. Não obstante. Agora está subdividida a literatura deste período (de. cartas e lembranças de vida. por fim. pela primeira vez na história alemã. como importantes pontos de encontros nas cidades. assim como dos diários. Apesar de todas essas particularidades. Era da convicção de que.

tentava-se. obedecendo a uma determinação de seu antecessor.triunfava nas cidades prussianas. Na semana de Março de 1848. No mesmo ano os preços dos alimentos subiram e o ambiente entre os trabalhadores urbanos ficou agitado. mas morreu sem cumprir sua promessa. O rei Frederico Guilherme IV procurou eximir-se da responsabilidade pelo massacre. O rei Frederico Guilherme III prometera uma Constituição. pequeno-burguesas e operárias. excepto a Áustria. a população exigiu de Frederico Guilherme IV o apoio às teses liberais e a convocação de uma assembleia nacional eleita pelo sufrágio universal. Retirou as tropas da cidade e a ordem passou a ser controlada por uma milícia civil. todavia. Antecedentes A Prússia emergiu das guerras napoleónicas como uma das cinco potências europeias. as manifestações e os comícios tornaram-se diários. o sentimento e a fantasia foram fortemente empregados em obras literárias. lutando unidos contra as tropas reais burguesas. fizeram uma manifestação nas ruas de Colónia. O seu sucessor. Os intelectuais uniram-se aos operários que. condicionando a aprovação do empréstimo à promulgação de uma Constituição pelo rei. negra e dourada símbolo de uma Alemanha unida e liberal . no período do Biedermeier. Duas semanas mais tarde. que queriam uma . Märzrevolution (05. e o Zollverein (União Aduaneira) fizera com que toda a Alemanha (ou melhor. convocou a Dieta Unida. também não se empenhou em reformas políticas. revoltas e um movimento por um parlamento nacional eleito que projectasse uma nova Constituição em defesa de uma Alemanha unificada. A economia prussiana desenvolvia-se a passos largos. unir a fantasia com a realidade.a religião católica. Os conservadores. As Revoluções Revolta de 19 de Março de 1848 em Berlim. Frederico Guilherme IV. a insurreição irrompeu em Berlim. Como no Romantismo. a 3 de Março de 1848. o rei. Mas. Confederação Germânica). que deveria unir-se em Berlim em Abril de 1847.07. Em 1849 foi redigida uma Constituição para a Alemanha.03. A bandeira vermelha. mas a sua política não se modernizava.1849) Em grande parte dos Estados alemães ocorreram manifestações populares. precisando de dinheiro para construir uma ferrovia. As revoltas foram imediatamente sufocadas pelas forças prussianas. no entanto. houve um choque entre soldados e manifestantes e logo surgiram barricadas por toda a cidade. Os liberais eram maioria nessa Dieta e decidiram aproveitar a oportunidade para pressionar em favor da convocação de um Parlamento eleito pelo povo. Esse. No dia 18 de Março. os liberais exigiam uma Constituição. se ligasse pelo livre comércio e se desenvolvesse.1848 – 23. mandou dissolver a Assembleia. O rei identificouse publicamente com a causa nacional alemã e convocou uma assembleia nacional.

pressionado pela acção dos nobres. No mês de Abril desse ano. membros da nobreza latifundiária. Bakunin foi preso e condenado à morte. e custeada por industriais liberais. o sufrágio universal suprimido e os privilégios da nobreza restabelecidos. A violenta batalha foi vencida pelas tropas governamentais. Começou assim a contra-revolução da nobreza. Em Junho saía nesse local a "Nova Gazeta Renana". mas não liberal. visto que deixava o poder nas mãos dos antigos líderes. A solução encontrada. sendo a Coroa imperial da Alemanha oferecida a Frederico Guilherme IV que. mas a sua pena foi comutada para prisão perpétua. O sonho de uma Alemanha unida e democrática estava morto. para o qual contribuía o compositor Richard Wagner. Este periódico procurou forjar uma aliança entre socialistas e liberais em prol da democracia. foi a de uma "monarquia federal" governada pelos Hohenzollern (dinastia prussiana). acreditando que ela poderia trazer algum progresso em termos de liberdades civis. . já em 1849. Ao mesmo tempo que o Parlamento se ocupava de infindáveis debates. dirigida pelo teórico socialista Karl Marx. recusou-a e não aceitou a Constituição de Frankfurt. A revolução expandiu-se por quase todos os Estados alemães. com a exclusão da Áustria e predomínio da Prússia (seria a Pequena Alemanha). Em grande parte insuflado por periódicos como a "Gazeta de Dresden". unitarismo e da democracia). um reduto liberal e democrata. Em Dresden. cidade onde se ocupara da direcção das barricadas. rebentou um movimentou popular. sob o domínio da Prússia. que estavam em maior número. A burguesia liberal alemã fracassara. abrangindo todas as tendências políticas alemãs. esta também não lhes satisfez totalmente. outros defendiam a solução monárquica. tendo adeptos da participação da Áustria (seria a Grande Alemanha). Esta atitude foi repetida pelo governo da Áustria e dos outros Estados alemães. o movimento carecia de organização. proposta pela burguesia. começaram a articular uma reacção. a restauração conservadora acabou por triunfar em toda a Alemanha. e "Páginas Populares". Os representantes dos Estados alemães perderam-se em discussões a respeito da unificação: havia os defensores da República (com partidários do federalismo. que publicava artigos de Mikhail Bakunin. Engels deixou Colónia em 10 de Maio de 1849 por Elberfeld. Adoptou a supressão dos direitos feudais e aumentou as liberdades políticas.Alemanha unida. O sonho da unificação havia fracassado. os poderosos latifundiários e os príncipes debatiam-se com a contra-revolução. a Assembleia Nacional de Frankfurt foi dissolvida sem oposição pela Prússia. Embora o povo e os revolucionários quisessem ver aprovada esta Constituição. Marx e Engels tinham chegado à Alemanha e fixaram-se na zona da Renânia. conservadores. A burguesia tentou tomar partido da revolução de Março de 1848 para unificar os estados alemães. Um Parlamento foi reunido em Frankfurt em 18 de Maio. Primeiro na Áustria. Os junkers. depois na Prússia. mas foram esmagados pelo exército prussiano. e outros. no Reno. Em Novembro de 1848. Os radicais continuaram a lutar pela obtenção de justiça social. retomaram pouco a pouco o controle da situação.

não só pela divisão entre os revolucionários. onde Lajos Kossuth proclamara a independência e a República: com o apoio da Rússia. pequeno-burgueses democratas e operários. Não obstante. como se deu na Hungria. não mais pela via revolucionária (a emergência de ideologias proletárias levou a burguesia a desvincular-se do proletariado). na Hungria e na própria Áustria. Assim ocorreu em Viena. . tendo sufocado os movimentos na Itália. Foi então que Frederico Guilherme IV. também se frustraram as revoluções na Alemanha. como fizeram os ingleses (1688) e os franceses (1789). em 1850). sob a direcção dos Hohenzollern. obrigaram o soberano prussiano a encerrar as negociações que vinha promovendo ("Recuo de Olmutz". diversas Constituições) foram anuladas e o poder dos governantes restaurado em sua plenitude. Ela não aprofundou a revolução nem consolidou seu poder. Nos diversos Estados. Assim. os dirigentes austríacos. as conquistas obtidas (liberdades. o saldo das Revoluções apontou o caminho a seguir: a unificação deveria ser promovida pela Prússia. porém. mas principalmente pela debilidade de um capitalismo ainda nascente na Alemanha.O triunfo da Revolução de ‘48 e as agitações operárias atemorizavam a burguesia alemã. tentou promover a unificação com o apoio de outros governantes. permitindo que os Habsburgos cuidassem das nacionalidades submetidas. Abandonou os seus aliados da véspera. contudo. a Áustria derrotou os húngaros e os manteve integrados ao Império Austríaco. e dispondo ainda do apoio da Rússia. sem participação da Áustria. aproveitando-se da exaltação nacionalista. e recompôs-se com a nobreza restauradora.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful