FACULDADES INTEGRADAS ESPÍRITO-SANTENSES - FAESA CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

LEANDRO SOUZA NUNES

COMPUTAÇÃO EM NUVENS

VITÓRIA 2012

LEANDRO SOUZA NUNES

COMPUTAÇÃO EM NUVENS

Trabalho Acadêmico da do Curso de Ciência da Computação apresentado à Faculdades Integradas Espíritosantenses, como parte das exigências da disciplina Introdução à Computação sob orientação da prof. Renata Laranja.

VITÓRIA 2012

RESUMO

Na evolução dos computadores, há vários marcos importantes, hoje a tecnologia da informação encontra-se no meio-termo do universo das nuvens, um mundo onde não será necessário investimentos em grandes tecnologias para rodar aplicativos em PCs, os recursos necessários serão oferecidos por empresas que dispõem de servidores capazes de armazenar arquivos e dados, desta forma, utilizar tecnologia, será possível com preços mais atrativos, tanto para quem tem um computador em casa quanto para grandes empresas. Este trabalho descreve as características das novas “nuvens” tecnológicas que irão mudar a maneira como enxergamos e usamos a computação. Palavras-chave: virtualização. Infraestrutura. servidores. arquivos.

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO ------------------------------------------------------------------------------------- 5 1 HISTÓRIA ---------------------------------------------------------------------------------------- 6 2 O QUE É VIRTUALIZAÇÃO ----------------------------------------------------------------- 7 3 COMPUTAÇÃO EM NUVENS -------------------------------------------------------------- 8 3.1 A ORIGEM DO TERMO ------------------------------------------------------------------ 10 3.2 ARQUITETURA -----------------------------------------------------------------------------10 3.2 PRINCIPAIS VANTAGENS -------------------------------------------------------------- 11 3.3 REQUISITOS -------------------------------------------------------------------------------- 12 3.4 SEGURANÇA ------------------------------------------------------------------------------- 13 4 CATEGORIAS DISPONÍVEIS ------------------------------------------------------------- 14 5 ALGUNS SERVIÇOS DISPONÍVEIS ---------------------------------------------------- 16 CONCLUSÃO ------------------------------------------------------------------------------------ 18 REFERÊNCIAS ---------------------------------------------------------------------------------- 19

5

INTRODUÇÃO
Apesar de ser apontada como o futuro dos meios de armazenamento e do acesso à conteúdos multimídia, a Computação em Nuvens ainda parece um mistério difícil de compreender para muitos, respostas para como surgiu? quais tecnologias existem por trás da ferramenta? como ela afetará o dia a dia das pessoas? ainda não estão evidentes, criando uma desconfiança sobre suas vantagens e o poder de sua utilização. Um problema originado dentro das corporações é o alto custo com Tecnologia da Informação (TI). “As organizações de TI gastam hoje 80% de seu tempo com a manutenção de sistemas e não é seu objetivo de negócio manter dados e aplicativos em operação. É dinheiro jogado fora, o que é inaceitável nos dias de hoje”, defende Clifton Ashley, diretor do Google para a América Latina. O que torna a tecnologia tão interessante atualmente é que, devido ao avanço da capacidade de armazenamento de HD e das velocidades de conexão disponíveis, não somente músicas podem ser acessadas rapidamente. Filmes, séries, músicas, imagens em alta resolução e games de última geração são só alguns dos itens que podemos acessar atualmente através da nuvem. Dentro desse contexto, o PC será apenas um chip ligado à internet, a "grande nuvem" de computadores. Não há necessidade de instalação de programas, serviços e armazenamento de dados, mas apenas os dispositivos de entrada (teclado, mouse) e saída (monitor) para os usuários. Você não mais precisará daqueles computadores super poderosos com muito espaço em disco para rodar aquelas aplicações com licenças cada vez mais caras. O grande fato é que toda atividade poderá ser realizada a partir de qualquer computador.

6

1 HISTÓRIA
Há mais de dez anos já se discutia a possibilidade de se transferir aplicações para servidores remotos, para que pudessem serem utilizadas, sem a necessidade de se investir em hardware. Embora ainda pareça uma novidade, o armazenamento na nuvem acontece desde o princípio da internet, embora em escala bastante reduzida. Exemplo disso são as mensagens de email, que desde sua invenção dependem de servidores próprios aos provedores do serviço para funcionar corretamente. Na década de 1970, ciêntistas já arriscavam dizer que o advento das redes de comunicação, acabaria resultando na criação de um espaço virtual sem dono e sem fronteiras, pelo qual transitariam software e outras aplicações, acessíveis a qualquer pessoa. A Amazon.com foi uma das pioneiras a propor o processamento via internet. Em 2002 a empresa começou a alugar serviços de armazenamento utilizando parte de sua infraestrutura que ficava ociosa na baixa temporada de compras, em 2006, ela colocou dois serviços acessíveis ao público sob o modelo tecnológico de computação em nuvem. Depois disso, a IBM lançou o Blue Cloud, onde os clientes podem fazer armazenamentos em servidores da própria IBM, pagando um aluguel por esses espaços remotos. Empresas como Dell, AT&T, Salesforce, HP, Microsoft, Google, Sun, entre outras, também entraram no mercado alugando seus enormes parques de hardware, dotados de softwares, para oferecerem via web, aplicativos para gerenciamento do relacionamento com o cliente (CRM). No Brasil, a Computação em Nuvem (expressão em português para Cloud Computing), começou a ser testada em 2007, mas foi em 2008 que esse modelo de tecnologia passou a ser oferecido comercialmente a empresas e a outros usuário na web.

7

2 O QUE É VIRTUALIZAÇÃO
Esse é nome dado à tecnologia que transformou os antigos data centers em “usinas da nuvem”. A Virtualização pode ser traduzida como poder de gerenciar recursos computacionais de modo que uma série de máquinas interligadas funcione como uma só. Isso não seria novidade sem a capacidade que os sistemas virtuais têm de destinar poder de processamento apenas quando necessário, impedindo que os data centers fiquem obsoletos. Isso é a inteligência da nuvem, que opera focada nas empresas, quanto mais “elástico”, ou seja, inteligente for o sistema, mais eficiente será o serviço.

FIGURA 1 – Simbolizado à virtualização, vários sistemas em um. Fonte: http://www.targettrust.com.br, 28/05/2012

Ter uma boa compreensão dos recursos que suportam a virtualidade proposta pela Computação em Nuvem pode ajudar bastante na decisão sobre a solução de TI mais adequada a seus negócios e demandas. Empresas que oferecem “nuvens” garantem que não há registros de ocorrências de penetração entre clientes de software ou dados hospedados na nuvem. Especialistas afirmam que isso se deve ao bom abastecimento de recursos de segurança. Dentre os principais software de virtualização podemos citar o Xem, Hypervisor, XCI, Cloud Platform, Hyper-V, VMware, Workstation, Server, ESX Server e o Player.

8

3 COMPUTAÇÃO EM NUVENS
Não há uma definição formalizada do termo, isso porque as ideias por trás da noção de Computação nas Nuvens são muito novas e as opiniões de especialistas em computação ainda divergem, assim, uma definição interessante descrita na Revista W diz:
“Computação em nuvem é a oferta de recursos computacionais feita por fornecedores independentes que dispõem de servidores capazes de armazenar arquivos e dados de seus clientes.”

FIGURA 2 – Estrutura envolvida na Computação em Nuvens Fonte: http://www.mundodastribos.com, 28/05/2012

O conceito de Computação em Nuvem, consiste na utilização de processamento, memória, armazenamento de dados, etc, de computadores (servidores) compartilhados e interligados pela internet, possibilitando ser utilizado de qualquer lugar e indepêndente da plataforma (sistema operacional), as mais variadas aplicações. O usuário conecta-se à rede e seus arquivos ficam disponíveis para manuseio sem a necessidade de instalação

9 de programas em sua máquina local, ou seja, ele simplesmente cria uma conta nos chamados “serviços online” e pode salvar todo o trabalho feito e acessar de qualquer computador com acesso à internet, é por isso que dizemos que está nas nuvens.

FIGURA 3 – Utilizando a Computação em Nuvens Fonte: http://nossacibervida.blogspot.com.br/, 28/05/2012

Esse modelo de serviços não dispensa o armazenamento de arquivos em discos rígidos, ao contrário do que muitos pensam, tal trabalho é realizado por servidores gigantescos que ocupam diversos galpões, ao invés de ficarem armazenados em dispositivos na casa do usuário. O pagamento desses recursos é baseado no consumo e não no custo do equipamento, baseando-se na quantidade de recursos utilizados pelo consumidor que pode ser medidos em termos de horas ou na transferência de dados. Acredita-se que no futuro ninguém mais precisará instalar nenhum software em seu computador para desempenhar qualquer tipo de tarefa, pois tudo isso será acessível através da internet.

10

3.1 A ORIGEM DO TERMO
Na maior parte dos diagramas de arquitetura de tecnologia, a internet é representada por uma nuvem. o termo cloud computing deriva dessas representações gráficas. A expressão se popularizou quando se adicionaram novos computadores para rodar aplicações ou softwares distribuídos.

3.2 ARQUITETURA
A tecnologia tem como base uma rede de servidores físicos e virtuais usados para armazenar e processar computação. Isso parte dos Data Centers, controlados por grandes empresas de TI, como Microsoft, Google e Amazon, dotados de software de virtualização, responsáveis por enviar serviços sob demanda via rede e, assim, aproveitar ao máximo e durante mais tempo o poder das máquinas.

FIGURA 4 – Data Centers

11

3.2 PRINCIPAIS VANTAGENS
● Possibilidade de usar aplicações de internet sem que estejam instaladas no computador do usuário, ● Permite acesso a diversos aplicativos independentemente de seu OS ou hardware, ● Nos planos mais completos, backup, controle de segurança e manutenção, entre outros serviços, passam a ser de responsabilidade da empresa fornecedora de serviço, ● Redução de custo com infraestrutura. No modelo tradicional, são altos os gastos com energia, pessoal e hardware. Além disso, o espaço nos Data Centers é limitado, ● Facilidade em compartilhar dados, já que todos os usuários passarão a manter e acessar dados a partir da nuvem, via internet, ● Simplifica muito as operações do usuário.

FIGURA 5 – Computação em Nuvens Fonte: http://www.mixd.com.br, 28/05/2012

12

3.3 REQUISITOS
Para fazer uso da computação em nuvens não é necessário grandes investimentos em hardware, é impresindível o acesso a internet e que o PC tenha os recursos mínimos para tal tarefa. Independente da aplicação, o usuário não necessita conhecer a estrutura que há por trás, ou seja, o que importa ao usuário é saber que a aplicação está disponível nas nuvens, não importa de que forma.

FIGURA 6 – Pc-aranha utilizando Computação em Nuvens Fonte: http://www.tecmundo.com.br/, 28/05/2012

13

3.4 SEGURANÇA
Ao projetar o mundo da computação em nuvens, muitas pessoas travam debates sobre a segurança das informações. Esse item é realmente sensível, mas, em geral, arquivos pessoais ou corporativos estão mais seguros na nuvem que no disco rígido de um PC. Afinal, as empresas que fornecerão o serviço usam softwares poderosos e contam com profissionais especializados para evitar qualquer problema. De quebra, ao contrário da maioria das pessoas, realizam backups periódicos.

14

4 CATEGORIAS DISPONÍVEIS
Modelos tecnológicos responsáveis na transição do conceito de software como programa para o modelo de serviço contratado conforme a demanda. ● Armazenamento como serviço (storage as a service): provê armazenamento em um site remoto que existe fisicamente, mas que, na lógica, é um recurso de armazenagem local para qualquer tipo de aplicação. ● Banco de dados como serviço (DaaS, de database as a service): fornece banco de dados remoto, compartilhado por outros usuários, como as mesmas funções de um centro de dados local. ● Informação como serviço (Information as a service): gerenciamento de informação, hospedada remotamente, via interface de programação de aplicativos (API). Exemplos: informação sobre preços de mercado, validação de endereço e relatório de crédito. ● Processo como serviço (process as a service): agrega vários outros recursos, como serviços e dados hospedados na mesma fonte de nuvem ou disponíveis remotamente. ● Aplicação como serviço (AaaS, de apllication as a service): também conhecido como software como serviço, ou SaaS, abrange o funcionamento de aplicações via web, acessadas normalmente pelo browser. ● Plataforma como serviço (PaaS, de platform as a service): provê plataforma completa de serviços, remotamente hospedada, que inclui desenvolvimento de aplicações, interface e banco de dados, armazenamento e ensaios. ● Integração como serviço (Integration as a service): fornecimento via nuvens de funcionalidades como interface com aplicações, mediação semântica, controle de fluxo e projeto de integração. ● Segurança como serviço (security as a service): provê serviços de segurança remotos pela internet, entre eles gerenciamento de identidade. ● Gerenciamento/controle como serviços (management/governance as a service): gerenciamento de um ou mais serviços hospedados na nuvem, como topologia, uso de recursos, virtualização, e das condições de operação.

15 ● Ensaio como serviço (TaaS, de testing as a service): provê testes de sistemas locais a partir de software e serviços hospedados remotamente. ● Infraestrutura como serviço (IaaS, de infrastructure as a service); centro de dados fornecidos como serviço, acessados remotamente. Em outras palavras, o cliente aluga um servidor físico com software para realizar suas atividades, sem a necessidade de interface ou de aplicações métricas.

16

5 ALGUNS SERVIÇOS DISPONÍVEIS
● GMail e Google Talk: o GMail é um cliente de email com uma porção de funções para organizar não só e-mails, mas também os arquivos que são recebidos junto com ele. ● Google Maps: através dele você pode navegar para qualquer lugar do mundo digitando uma referência. Além disso, permite que você crie trajetos para andar de carro pela sua cidade partindo de um ponto e tendo uma certa localização como destino. ● Google Docs: com uma porção de ferramentas no estilo Office. ● eyeOS: Este sistema desenvolvido por uma comunidade denominada EyeOS Team e possui o código fonte aberto ao público. O objetivo dos desenvolvedores é criar um ambiente com maior compatibilidade com os aplicativos atuais, MS-Office e OpenOffice. ● iCloud: sistema lançado pela Apple em 2011, é capaz de armazenar até 5 GB de fotos, músicas, documentos, livros e contatos gratuitamente, com a possibilidade de adquirir mais espaço em disco (pago). ● Ubuntu One: nome da suíte que a Canonical (Mantenedora da distribuição Linux Ubuntu) usa para seus serviços online. Atualmente com o Ubuntu One é possível fazer backups, armazenamento, sincronização e compartilhamento de arquivos e vários outros serviços que a Canonical adiciona para oferecer mais opções e conforto para os usuários. ● IBM Smart Business - engloba um conjunto de serviços e produtos integrados em nuvem voltados para a empresa. O portfólio incorpora sofisticada tecnologia de automação e auto-serviço para tarefas tão diversas como desenvolvimento e teste de software, gerenciamento de computadores e dispositivos, e colaboração. Inclui o Servidor IBM CloudBurst Server (US) com armazenamento, virtualização, redes integradas e sistemas de gerenciamento de serviço embutidos.

17

FIGURA 6 – Empresas que oferecem serviços de Computação em Nuvens

Fonte: http://www.webdig.com.br, 28/05/2012

18

CONCLUSÃO
Esse conceito pretende levar às últimas conseguências à transferência de

processamento. E o melhor de tudo isso é pensar na ideia de que uma hora ou outra não será mais necessário investir em máquinas com HD alto para suportar aplicativos pesados, já que a computação em nuvem abre de vez os caminhos para um processo de migração maciça de softwares alojados em PCs para servidores mais potentes. É claro que ainda há muita coisa por fazer. Por exemplo, a simples ideia de determinadas informações ficarem armazenadas em computadores de terceiros (no caso, os fornecedores de serviço), mesmo com documentos garantindo a privacidade e o sigilo, preocupam pessoas e, principalmente, empresas, motivo pelo qual este ponto precisa ser melhor estudado. Além disso, há outras questões, como o problema da dependência de acesso à internet: o que fazer quando a conexão cair? Algumas companhias já trabalham em formas de sincronizar aplicações off-line com on-line, mas tecnologias para isso ainda precisam evoluir bastante. De qualquer forma, o futuro aponta para esse caminho. Além das mencionadas empresas neste artigo, companhias como Dell, Intel, Oracle e Microsoft já estão trabalhando nas mais variadas soluções para Cloud Computing. Esta última, por exemplo, já até lançou o Azure, uma plataforma própria para a execução de aplicações nas "nuvens".

19

REFERÊNCIAS
INFOR WESTER, http://www.infowester.com/cloudcomputing.php, 06/05/2012 REVISTA W, Especial Cloud Computing - Editora Europa WIKIPEDIA, http://pt.wikipedia.org/wiki/Cloud_computing em 06/05/2012 UFES - Núcleo de Cidadania Digital (NCD), http://www.ncd.ufes.br/ncd/images/M_images/jornal_ncd/novojornal01.pdf em 06/05/2012