FOCAR NO CORAÇÃO SILENCIA A MENTE

Yoga
Entenda esta filosofia de vida e de saúde Por Nicole Witek, "São nossos julgamentos que geram as emoções. Quem quiser diminuir a importância que dá para sua mente, deve se esforçar para não alimentar pensamentos parasitas: essa é a melhor forma de favorecer a paz interior" Eu acho muito interessante ver como a ciência moderna integra técnicas tradicionais antigas e a propõe aos nossos contemporâneos como soluções “inovadoras”. Abaixo está uma dessas propostas para silenciar a mente e encontrar a paz no coração. É uma solução para desativar a mente que não para de falar, comparar, analisar e julgar, gerando estresse e furacões emocionais. No seu último livro Le non -jugement, de la théorie à la pratique, o psicólogo YvesAlexandre Thalmann (foto), propõe várias soluções para fazer com que o papagaio da mente se cale. A solução mais radical e evidente que foi proposta: voltar ao seu Yves-Alexandre: "Desconectar a corpo. mente quer dizer apaziguar o
Imagem: www.yathalmann.ch

coração"

A fim de desenvolver uma atitude sem julgamento, podemos tentar silenciar nosso juiz interior, ou mais simplesmente, sair do nível da mente. Certas pessoas devotam anos de meditação para chegar a esse fim. Mas estamos em estado de emergência, não dá tempo! Como podemos favorecer esse estado em nós, aqui e agora? Yves-Alexandre Thalmann ensina no seu livro uma maneira para chegar lá: uma mudança de perspectiva. Mudar o foco da cabeça para o coração.

No lugar de colocar nossa atenção sobre o que estamos pensando, devemos nos conscientizar de nossos sentimentos, no sentido de “sentir” realmente. Ao invés de fazer comentários sobre o que está nos acontecendo, devemos sentir os eventos. Será que isso é agradável ou desagradável?

Como silenciar a mente?
Para conseguir essa mudança de perspectiva, é necessário perceber que a meta não é colocar uma palavra sobre uma sensação, senão, seria ativar a mente novamente. Ao contrário, o foco será só no sentir, perguntando para si mesmo: Será que meu *plexo solar consegue relaxar ou ele está tencionado e duro? Que sensação estou tendo: de dilatação ou de contração, de encolhimento? Em seu livro, fica claro que sua teoria se baseia no yoga quando explica que os centros nevrálgicos, nomeados chacras ou nadis (vias de transporte da energia vital) têm um papel de gerador, condensador e distribuidor de energia vital. No oriente o chacra da mente (do pensamento, geralmente ligado ao desempenho no mundo externo, e ao sucesso imediato) é descrito pela cor amarela, no nível do plexo solar. O chacra do sentir fica no nível do coração e é visualizado como uma bola verde. Assim, para parar de julgar e passar a sentir, basta mudar o foco do centro do chacra amarelo para o verde. Nesse centro verde do coração, existe uma outra qualidade de energia que temos condição de sentir, apalpar. Dessa forma, seremos capazes de abandonar as reflexões habituais como ”isso é bom ou ruim” para sentir sensações agradáveis ou desagradáveis. A característica essencial da vida é o movimento: as coisas mudam continuamente. Nossos julgamentos, assim que expressados, tornam a vida estática, congelam a realidade. O não-julgamento, pelo contrário, nos convida a surfar, a nos conectar ao vivo, à dinâmica que está dentro de nós, ao que

sentimos. São nossos julgamentos que geram as emoções. Quanto mais repetimos que nosso colega é incompetente, mais ficamos bravos com ele. Quanto mais pensamos que nossa filha é desobediente, mais ficamos com raiva dela. Quanto mais alimentamos o pensamento de que o mundo é injusto, mais ficamos tristes. Quem quiser diminuir a importância que dá para sua mente, deve se esforçar para não alimentar pensamentos parasitas: esta é a melhor forma de favorecer a paz interior. Finalmente Yves-Alexandre diz: "Desconectar a mente quer dizer apaziguar o coração" Após todo este texto e análise deste livro, volto novamente ao yoga, que há milênios já pesquisou a psique humana e extraiu o essencial com técnicas de aplicação prática para se sentir bem e ter condição de se realizar.

Citarei um autor tradicional do yoga: Swami Sivananda (foto), que respondeu a algumas perguntas simples:
Imagem: www.dlshq.org

Swami Sivananda: Mente ó inimigo que deve ser temido - Onde se encontra a felicidade eterna? - Dentro de si mesmo - Quem é o inimigo a ser temido? - A mente - Qual é a fábrica mais eficiente do mundo? - A mente

- Qual é o melhor idioma? - O do coração.
(1) Le non -jugement, de la théorie à la pratique - Yves Alexandre Thalmann ed. Jouvence 2008 (1) Yves-Alexandre Thalmann estudou ciências na Universidade de Friburgo. Obteve um doutorado em física das partículas em 1997. Constatou que sua formação era inútil para enfrentar as dificuldades relacionadas ao cotidiano. Se interessa pela comunicação. Completou os estudos em vários países, se formou em psicologia. Escreveu vários livros, ensina psicologia e escreve na revista Psychologies na França. (2) Swami Sivananda, A essência do Yoga Nascido em 1887 Swami Sivananada foi médico e mais tarde “renunciante”. Ele se instalou em 1924 em Rishikesh, onde praticou uma vida de austeridade. Swami Sivananda formou muitos ocidentais nas diferentes práticas de Yoga. Em 1936 criou a Divine Life Society que teve rapidamente ramificações na Índia e no mundo inteiro. Swami Sivananda morreu em 1963. *Plexo solar - chacra localizado na região abdominal três a quatro dedos acima do umbigo
Artigos relacionados - clique no título O que acontece na mente em estado meditativo? Aprenda como contar até 21 para acalmar a mente Aprenda a meditar caminhando Por que período da manhã é ideal para meditar

Nicole Witek é Yoga consultant, formada em yoga dinâmica, asthanga, yoga pré e pós natal, etc Fonte:

Vya estelar UOL Novembro de 2008 --------------------------------------

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful